Sexta-feira, 17 de Outubro de 2014
Temporais no Algarve e graus do Zodíaco

 

Sabemos que cada temporal em Portugal ou em qualquer outro país do mundo é fruto do cruzamento de várias leis planetárias. Os 12 signos são 12 arcos de 30º cada um presentes no firmamento a todos os dias e a todas as horas do ano - em termos simples: 6 desses signos ou 5 signos e duas metades de outros permanecem a cada instante acima da linha do horizonte. Várias áreas e pontos do Zodíaco determinam a eclosão de temporais no Algarve.

 

GRAUS 5º-8º DE SAGITÁRIO:

TEMPORAL EM SAGRES E FARO

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón em 5º-8º do signo de Sagitário - graus 245º a 248º de longitude eclíptica, pois Sagitário estende-se de 240º a 270º do círculo zodiacal - é condição necessária mas insuficiente para gerar um temporal de chuva e vento algures no Algarve.

 

De 7 para 8 de Dezembro de 1987, com Mercúrio em 5º 21´/ 8º 27´ de Sagitário,  um temporal de vento e chuva corta muitas estradas no Algarve, faz transbordar ribeiras, destrói estufas de morangueiros e tomateiros e quase afunda, no mar, de madrugada, um iate inglês com 5 pessoas e o pesqueiro D.Miguel, em Sagres, ambos salvos por navios da Armada, além de um navio argelino encalhar frente à ilha de Armona; em 13 de Outubro de 1989, com Vénus em 4º 51´ / 5º 58´ de Sagitário, chuvas torrenciais caem em Faro acompanhadas de trovoada.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 5º-8º de Sagitário elevando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento no Algarve são: de 20 a 23 de Novembro de 2014 (Vénus); de 27 de Novembro a 1 de Dezembro de 2014 (Sol); de 1 a 3 de Dezembro de 2014 (Mercúrio).

 

GRAU 24º-26º DE CAPRICÓRNIO:

TEMPORAIS DE CHUVA NO ALGARVE

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón em 24º-26º do signo de Capricórnio - graus 294º a 296º  da eclíptica - é condição necessária mas insuficiente para gerar um temporal de chuva e vento no Algarve.

 

Em 22 de Janeiro de 1985, com  Júpiter em 26º 32´/ 26º 36´ de Capricórnio, o rio Arade sobe e inunda a parte baixa da cidade de Silves, cortando a EN124; em 3 de Dezembro de 1989, com Vénus em 25º 5´/ 25º 49´ de Capricórnio, chuvas torrenciais caem em São Brás de Alportel, Picota, Faro e Vila Real de Santo António; em 31 de Dezembro de 1998, com Vénus em 24º 8´/ 25º 23´ de Capricórnio, um temporal na costa do  Algarve afunda embarcações ao largo de Olhão, derruba árvores, parte vidros, cortando a estrada de acesso ao aeródromo da Penina.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 24º-25º de Capricórnio elevando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento no Algarve são: de 27 de Novembro a 1 de Dezembro de 2014 (Marte); de 29 de Dezembro de 2014 a 3 de Janeiro de 2015 ( Vénus e Mercúrio).

 

PONTO 26º 2´/ 26º 10´DE QUALQUER SIGNO:

TEMPORAIS EM SAGRES, ILHA DE ARMONA, CARVOEIRO, LAGOS, SÃO MARCOS DA SERRA

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón em 26º 2´/ 26º 10´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas insuficiente para gerar um temporal de chuva e vento algures no Algarve.

 

De  7 para 8 de Dezembro de 1987, com Úrano em 26º 9´/ 26º 17´de Sagitário, um temporal de vento e chuva corta muitas estradas no Algarve, faz transbordar ribeiras, destrói estufas de morangueiros e tomateiros e quase afunda, no mar, de madrugada, um iate inglês com 5 pessoas e o pesqueiro D.Miguel, em Sagres, ambos salvos por navios da Armada, além de um navio argelino encalhar frente à ilha de Armona; em 16 de Novembro de 2012, com Nodo Norte da Lua em 26º 3´ de Escorpião,  um tornado gerado na Ponta da Piedade, no Carvoeiro, progride até São Marcos da Serra e deixa 1 morto, 13 feridos 12 desalojados e 4600 pessoas sem energia eléctrica, arrancando janelas, telhados, varandas, bancadas de estádio, virando carros e caravanas em Lagoa e Silves, arrancando até a cúpula da câmara municipal e destruindo as piscinas públicas em Silves e, meia hora depois, eclode um tornado em Alvor.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón no ponto 26º 2´/ 26º 10´ de qualquer signo zodiacal elevando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento no Algarve são: 20 de Outubro de 2014 (Vénus); 21 de Outubro de 2014 (Marte); de 18 a 20 de Novembro de 2014 (Saturno); 7 de Janeiro de 2015 (Marte).

 

PONTO 29º 5´/ 29º 20´ DE QUALQUER SIGNO:

TEMPORAL EM PORTIMÃO, SILVES, ALVOR, SÃO MARCOS DA SERRA

 

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua no ponto 29º 5´/ 29º 20´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas não suficiente para suscitar temporal de vento e chuva no Algarve.

 

De 7 para 8 de Dezembro de 1987, com  Nodo Norte da Lua em 29º 7´/ 28º 43´ de Peixes, um temporal de vento e chuva corta muitas estradas no Algarve, faz transbordar ribeiras, destrói estufas de morangueiros e tomateiros e quase afunda, no mar, de madrigada, um iate inglês com 5 pessoas e o pesqueiro D.Miguel, em Sagres, ambos salvos por navios da Armada, além de um navio argelino encalhar frente à ilha de Armona; em 23 de Fevereiro de 2012, com  Saturno em 29º 18´/ 29º 16´ de Balança, temporais de vento causam um ferido ligeiro e duas famílias desalojadas na localidade de Guilhovai, em Ovar, fazem voar árvores e tendas no parque de campismo Canelas, em Armação de Pêra, e destroem quatro restaurantes na praia do Vau, Portimão; em 16 de Novembro de 2012, com Marte em 29º 10´/ 29º 55´ de Sagitário,  um tornado gerado na Ponta da Piedade, no Carvoeiro, progride até São Marcos da Serra e deixa 1 morto, 13 feridos 12 desalojados e 4600 pessoas sem energia eléctrica, arrancando janelas, telhados, varandas, bancadas de estádio, virando carros e caravanas em Lagoa e Silves, arrancando até a cúpula da câmara municipal e destruindo as piscinas públicas em Silves e, meia hora depois, eclode um tornado em Alvor.

 

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón no ponto 29º 2´/ 29º 10´ de qualquer signo aumentando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento no Algarve são: 25 de Outubro de 2014 (Marte em 29º de Sagitário); 3 de Dezembro de 2014 (Marte em 28º-19º de Capricórnio); de 14 a 16 de Dezembro de 2014 (Saturno); 11 de Janeiro de 2015 (Marte em 29º de Aquário).

 

Sabem a universidade portuguesa e mundial alguma coisa sobre esta disciplina que construímos, com investigação empírica,  e denominamos Astrologia Histórico-Social? Não, não sabem. Então porque não descem os catedráticos de filosofia, história, astronomia, física e outros do pedestal da sua arrogância, da estupidez anti-astrologia em que militam  e, com humildade, se decidem a aprender connosco? É que os nossos dados são irrefutáveis e a verdade é como o azeite: acaba por vir sempre ao de cima. 

 

Mas os filósofos e docentes de filosofia nao são tão inteligentes como a propaganda dos media e o senso comum querem fazer crer: a grande maioria não possui uma inteligência holística, capaz de relacionar tudo com tudo, segundo conexões bem definidas. Os homens do mito eram superiores em inteligência aos filósofos e cientistas de hoje, dizia Paul Feyerabend. Negar que há uma ciência astrológica e que a predestinação é absoluta é uma forma de estupidez. As universidades são ininteligentes neste campo essencial do saber.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:24
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 25 de Janeiro de 2011
A astrologia científica, a pseudo-astrologia e as presidenciais de 23 de Janeiro de 2011

A grande maioria dos filósofos, inteligências superiores ou inteligências médio-elevadas, foram néscios a respeito da astrologia. Platão, Aristóteles, Marco Aurélio, Tomás de Aquino, Galileu, Kepler, Tycho Brahe, Paul Feyerabend reconheceram a realidade das influências planetárias sobre a vida física e social, colectiva e individual, na Terra, e alguns deles fizeram estudos matemático-astrológicos, convictos de que há uma astrologia científica - a astrologia não é senão uma matemática celeste, uma geometria descritiva, uma astronomia correlacionada com os factos histórico-sociais. Voltaire, Rousseau, Nietzschze, Marx, Kant, Hegel, Popper, Husserl, Santayana, Heidegger, Thomas Nagel, Simon Blackburn e tantos outros atacaram ou ignoraram a astrologia como "superstição" , "fantasia anti científica", "religião primitiva irracional". É do senso comum que «nenhum catedrático da área das ciências empíricas, da filosofia ou da sociologia deve defender a veracidade e a racionalidade da astrologia». Se o fizer, verá anulada a sua tese de doutoramento, como já sucedeu em França com um académico.

 

A verdade é que a astrologia científica é absolutamente racional e constitui uma ciência empírico-formal como a Física ou a Astronomia: há nela leis astronómicas exactas que servem de base à descoberta de leis astronómico- políticas e biosociais que regem as sociedades humanas no quotidiano. Considerar a História como ciência e a Astrologia Histórico-Social como superstição é absurdo: a Astrologia engloba a História Social e Política, quantifica ou matematiza os factos histórico-sociais e, portanto, é ainda mais científica do que a História Política, Económica e Social.

 

Quase todos os que atacam a astrologia nada sabem da sua base astronómica. Não sabem sequer, em regra, o que é um signo: julgam que se trata de um período de tempo de 30 dias que vai aproximadamente dos dias 21 oa 23 de um dado mês aos dias 20 a 22 do mês seguinte quando não é nada disso; um signo é uma porção de espaço de 30º graus de arco do Zodíaco, concebido como a faixa menos interior de um  círculo celeste, e os doze signos são os doze fatias desse "pneu" de 360º  que estão no céu o ano inteiro, a cada dia, hora, minuto e segundo.

 

A FALÁCIA DOS «13 SIGNOS», RESULTANTE DA CONFUSÃO ENTRE SIGNOS E CONSTELAÇÕES

 

Os néscios deixam-se enganar pela notícia televisiva falaciosa de que «a descoberta da constelação de Serpentário implica a criação de um 13º signo do Zodíaco e destrói a geometria dos signos em vigor.»´Isso é tão absurdo como dividir uma estrada de 12 quilómetros em 13 partes: cada divisão deixaria de ser um quilómetro exacto, do mesmo modo que cada um dos doze signos deixaria de ser um signo de 30º se tivesse de ceder 2º 30´ de arco a um 13º signo. Não há espaço na eclíptica para este. Essa falácia confunde as constelações - grupos de estrelas - com os signos - fatias de 30º cada um do céu, imutáveis, porque só dependem da distância ao ponto vernal (0º do signo de Carneiro), que o sol atravessa em 21 de Março de cada ano. A constelação do Serpentário está desde há milhares de anos alojada dentro do signo de Sagitário (de 6º a 25º deste signo), é um hóspede deste, tal como grande parte da constelação de Escorpião. Assim sendo, o Serpentário não cria signo nenhum: já é parte de um signo existente. Hoje o ponto vernal, grau 0º do signo de Carneiro, situa-se no grau 5º da constelação de Peixes e no ano 3000 esse ponto estará no grau 3º da constelação de Peixes mas não há confusão nenhuma nisso: os 12 signos são como uma auto-estrada imutável de 12 quilómetros e as constelações são comparáveis a casas que se derrubam ou constroem ao longo dessa auto-estrada.

 

AS LEIS ASTRONÓMICAS APLICADAS À VIDA DAS SOCIEDADES DESVENDAM LEIS ASTRONÓMICO-SOCIAIS

 

A descoberta das leis astrológicas, ou melhor, astronómico-histórico-sociais, faz-se não por dedução, mas por indução de dezenas ou centenas de milhar de factos históricos, sociais e biofísicos, comparando-os entre si e isolando as variáveis planetário-zodiacais comuns. Vou dar um exemplo. Descobri entre centenas de outras, a seguinte lei, que publiquei em livro, há anos:

 

ÁREA 14º A 20º DO SIGNO DE LEÃO:

EXPLOSÕES NOTÁVEIS DE BOMBAS

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo lunar na área 14º-20º do signo de Leão (graus 134º a 140º da eclíptica ou trajectória aparente do sol) é condição necessária mas não suficiente para gerar explosões de bombas notáveis. Eis alguns exemplos:

 

Em 16 de Julho de 1945, com Mercúrio em 18º-20º do signo de Leão, rebenta em Alamo Gordo, Novo México, EUA, uma potente bomba atómica de fissão nuclear; em 6 de Agosto de 1945, com Plutão em 9º-10º e Sol em 13º-14º do signo de Leão, uma bomba atómica é lançada de um avião dos EUA sobre Hiroshima; em 22 de Setembro de 1949, com Plutão em 17º do signo de Leão, a URSS provoca a explosão da sua primeira bomba nuclear; em 3 de Outubro de 1952, com Nodo Sul da Lua em 20º de Leão, a Inglaterra faz explodir a sua primeira bomba nuclear; em 16 de Outubro de 1964, com Marte em 18º do signo de Leão, a China torna pública a explosão de uma sua bomba nuclear; em 19 de Abril de 1995, com Marte em 16º do signo de Leão, em Madrid, um carro armadilhado da ETA rebenta à passagem do veículo blindado do chefe do governo espanhol, José María Aznar, que escapa ileso; em 11 de Setembro de 2001, com Vénus em 17º-18º do signo de Leão, dois aviões de passageiros chocam contra as torres gémeas em Nova Iorque e um míssil é disparado contra a parede do Pentágono, em Washington, num "auto-atentado" que causa cerca de 2940 mortos, urdido pela elite política secreta mundialista dos EUA (Dick Cheney, Bush e outros).

 

Gostaria que algum desses cretinos - licenciados, mestres ou doutorados - que atacam a priori a astrologia, por pura lavagem ao cérebro «anti astrológica» a que foram submetidos, refutassem estes dados concretos e continuassem a jurar que não há bases nenhumas científicas para sustentar a correlação necessária entre posições planetárias e solares no Zodíaco e factos biofísicos, políticos, sociais e económicos na Terra...

 

A astrologia científica para a qual tenho dado um contributo fundamental durante décadas, sistematicamente silenciado por uma imprensa ao serviço da universidade obscurantista - contributo materializado, por exemplo, na escrita e publicação de «Sincronismos, Cabala e Graus do Zodíaco» (Editorial Estampa, Lisboa 2001), o primeiro livro na história da astrologia mundial a identificar cada grau do Zodíaco do ponto de vista político, económico, cultural, geográfico-nacional, religioso, artístico, anatómico, etc, e ainda na escrita e publicação de «Os acidentes em Lisboa na Astrologia-Astronomia, Astrology and accidents in USA» (Beja, 2008) livro bilingue, que expõe a novíssima teoria da equivalência biofísica e político-social entre os graus-minutos homólogos dos vários signos - é absolutamente distinta da psico-astrologia convertida em pseudo-astrologia pelos astrólogos comerciais do momento, através de medíocres prestações televisivas, de livros de previsões anuais e dos "horóscopos" dos jornais e revistas da especialidade.

 

A LEI ASTRONÓMICA DOS DESAIRES DO PARTIDO SOCIALISTA QUANDO UM PLANETA TRANSITA 14º-17º DO SIGNO DE SAGITÁRIO FOI CONFIRMADA NAS PRESIDENCIAIS DE 23 DE JANEIRO DE 2011

 

As eleições presidenciais em Portugal de 23 de Janeiro de 2011, com Vénus a transitar 16º-17º de Sagitário ( dito de outro modo: nos graus 256º-257º da eclíptica, uma vez que o grau 0º de Sagitário é o grau 240 da eclíptica e o grau 30 de Sagitário ou 0º de Capricórnio é o grau 270 da eclíptica), confirmaram a seguinte lei astronómica:

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua ou de um planeta na área 14º-17º de Sagitário, é condição necessária mas não suficiente para provocar a queda de um governo do Partido Socialista Português ou uma derrota eleitoral de este ou outro facto político infausto. Exemplos:

 

Em 8 de Dezembro de 1977, com Neptuno em 15º de Sagitário, o governo PS de Mário Soares é derrubado no parlamento ao ser rejeitada a moção de confiança; em 27 de Julho de 1978, com Neptuno em 15º de Sagitário, o presidente Ramalho Eanes destitui Mário Soares, líder do PS, do cargo de primeiro-ministro, dias depois de os ministros CDS abandonarem o governo; em 13 de Junho de 1985, com Úrano em 15º de Sagitário, os ministros e secretários de Estado do PSD abandonam o governo de coligação PS-PSD, chefiado pelo socialista Mário Soares, precipitando a queda do governo; em 6 de Outubro de 1985, com Úrano em 14º de Sagitário, o PS é clamorosamente derrotado, com 20% de votos, em eleições legislativas, pelo PSD de Cavaco Silva, com 29% de votos, o que origina a subida ao poder de um governo minoritário do PSD, ancorado no PRD de Hermínio Martinho;  em 28 de Fevereiro de 1986, com Marte em 14º de Sagitário, o primeiro-ministro sueco, o socialista Olof Palme, amigo de Mário Soares e do PS português, é assassinado a tiro em Estocolmo, presumivelmente por Roberto Thierne, genro do ditador fascista chileno Augusto Pinochet; em 19 de Julho de 1987, com Saturno em 14º de Sagitário, o PSD de Cavaco Silva vence com maioria absoluta as eleições legislativas derrotando o PS de Vítor Constâncio; em 16 de Dezembro de 2001, com Vénus em 17º-18º de Sagitário, o PS é derrotado em eleições autárquicas e o primeiro-ministro socialista católico António Guterres demite-se, fazendo cair o governo; em 17 de Março de 2002, com Plutão em 17º de Sagitário, o PSD de Durão Barroso derrota o PS de Ferro Rodrigues em eleições legislativas e fica apto a formar governo de coligação com o CDS de Paulo Portas; em 23 de Janeiro de 2011, com Vénus em 16º-17º de Sagitário, Cavaco Silva, candidato liberal-conservador, é reeleito presidente da república portuguesa com 52,9 % dos votos válidos, derrotando o candidato formal do PS, Manuel Alegre, que colhe 19,8% de votos, e o candidato independente Fernando Nobre, apoiado pela ala direita do PS, o qual obtém 14,1% de votos.

 

É extremamente verosímil crer que há, por conseguinte, determinismo planetário, leis astrais exactas, na eclosão de todos os factos políticos, sociais, económicos, culturais que dia a dia constituem o fluir do rio da vida humana na Terra. Temos uma ciência astrológica capaz de fazer previsões sustentadas na indução dos factos históricos, numa perspectiva positivista.

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:03
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009
São Tomás de Aquino: Os astros comandam o comportamento da maioria dos homens

É de «bom» tom para o vulgar filósofo - refiro-me por exemplo, a Bertrand Russell, Karl Popper ou Edgar Morin - e para o grosso dos professores de filosofia, inevitavelmente manipulável, sorrir com desdém, quando alguém defende o determinismo dos astros como gerador dos factos humanos, sociais e individuais, e dos factos não humanos. Evidentemente,  estes adversários da astrologia não sabem, sequer, em regra, o que é um signo do Zodíaco - não é, como pensam, um mês do ano, de 21 a 20 do mês seguinte, mas sim um «arco» de 30º da «circunferência» do céu vertebrada pela eclíptica - nem tão pouco sabem a posição de Júpiter, de Marte e da Lua em 27 de Setembro de 2009, por exemplo.

 

Porém, ninguém demonstrou a inexistência de correlações entre posições planetárias e sismos, revoluções, quedas de governos, conquista ou perda de emprego do indivíduo A ou B, etc. São Tomás de Aquino que, como inteligência pairava muito acima de Popper ou Russell, apesar de enquadrado nos claustros das abadias e universidades medievais, escreveu:

 

«...Es evidente que los cuerpos superiores influyen en los inferiores. Por eso cuando las faculdades sensitivas ejercen su actividad por organos corporales, es natural que la fantasía se vea afectada de alguna manera por la acción de los cuerpos celestes. De ahí que, como los cuerpos celestes son causa de muchos sucesos futuros, se formen en la imaginación ciertos indicios de futuros acontecimientos.»

 

(Santo Tomás de Aquino, Suma de Teologia, I, Parte I, Biblioteca de Autores Cristianos, Madrid, pags 790).

 

 «Nada impide que por influencia de los cuerpos celestes algunos estén más dispuestos a la ira, a la concupiscencia o a alguna otra pasión semejante, como pueden estarlo por complexión natural. Ahora bien, la mayoría de los hombres sigue sus pasiones. Por consiguiente, se verifica en la mayoría lo que se anuncia acerca de los actos de los hombres mediante el estudio de los cuerpos celestes.»

 

 (Santo Tomás de Aquino, Suma de Teologia, II, Parte I-II, Biblioteca de Autores Cristianos, Madrid, pags 130; o negrito é nosso).

 

São Tomás admite aqui que a maioria dos homens obedece ao determinismo astral. Como, na sua grande maioria, as pessoas são pouco reflexivas, seguem o instinto, isto é, influxo energético que os planetas e o sol causam, supostamente, na sua linfa, sangue e sistema nervoso e endócrino - não diferimos assim tanto das ostras ou do girassol nos seus movimentos biológicos.

 

Logo a previsão de acontecimentos políticos, económicos, etc, a partir do movimento dos planetas - por exemplo: em 27 de Setembro de 2009, dia de eleições legislativas em Portugal, a Lua estará no espaço do céu conhecido por signo de Capricórnio, em posição similar à que ocupou em 1 de Outubro de 1995, dia de vitória do PS em legislativas...- é racional, legítima, assenta na realidade superior.

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 18:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
15
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Temporais no Algarve e gr...

A astrologia científica, ...

São Tomás de Aquino: Os a...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds