Terça-feira, 26 de Junho de 2018
Vénus em 6º de Virgem na final do Mundial: Brasil campeão e Argentina finalista?

Em 17 de Julho de 1994, com  Vénus em 6º 27´ / 7º 34´ de Virgem, Júpiter em 5º 6´/ 5º 9´ de Escorpião, o Brasil empata 0-0 com a Itália e vence por 3-2 nas grandes penalidades na final do Campeonato do Mundo de Futebol em Los Angeles.

 

Em 15 de Julho de 2018, com Vénus em 5º 27´/ 6º 33´ de Virgem, Júpiter em 13º 22´/ 13º 23´ de Escorpião, realiza-se a final do Campeonato do Mundo de Futebol na Rússia.

 

Uma indução simples mas arriscada dirá: o Brasil será o vencedor deste Mundial de 2018. Esta indução (conhecimento que vai do particular ao geral) pode falhar, porque há outras posições planetárias em outros graus do Zodíaco (círculo celeste) a considerar.

 

Em 25 de Junho de 1978, com Marte em 6º 4´ / 6º 37´ de Virgem, a Argentina vence por 3-1 a Holanda na final do Campeonato do Mundo de Futebol no Estádio Monumental, em Buenos Aires. 

 

Outra indução arriscada dirá: a Argentina será finalista com o Brasil. Porque também se liga ao grau 6 do signo da Virgem.

 

Os professores catedráticos, os investigadores das ciências, os filósofos troçam da astrologia histórica, que desvenda leis deterministas - interpretadas como regularidades estatísticas. As universidades excluem a astrologia científica e as televisões promovem os semi astrólogos que vendem livros de previsões «para os 12 signos do Zodíaco», como Paulo Cardoso, intrujões de retórica pseudo-científica que desprestigiam a astrologia como ciência.

 

A cultura oficial, anti astrologia histórica, está dirigida por intelectuais de segunda e terceira qualidade, estúpidos a ponto de negarem a predestinação astral de tudo o que ocorre na Terra.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

  f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 13 de Junho de 2017
Breves reflexões de Junho de 2017

 Eis algumas despretensiosas reflexões que brotam neste quente mês de Junho de 2017.

 

QUANDO MORRERES NINGUÉM OU QUASE NINGUÉM VAI DAR PELA TUA FALTA. Para que te preocupas, pois, com as críticas dos outros ao teu comportamento, críticas ditadas por inveja, preconceito, necessidade de te controlarem, de te manterem dentro do rebanho social? Vive e sê tu mesma/o. Os outros? Quase todos são apenas barreiras, objectos estranhos à tua liberdade.

 

ESCRAVO DO FACEBOOK. Sou um escravo voluntário da escrita no Facebook. Venho aí diariamente, leio e escrevo. Antes de mais, faço-o por necessidade do Intelecto Universal, o chamado Intelecto Agente que, como dizia Aristóteles, sobrevive à morte do indivíduo: há ideias que gero ou capto da Região Inefável que devem ser difundidas e ficar na platibanda do pensamento académico, modéstia áparte. Mas também o faço por amor erótico: há sempre uma mulher bela do lado de lá da web a quem se pode dirigir um galanteio, uma declaração de amor. Em terceiro lugar, faço-o por necessidade de explicar a minha postura pessoal, a ação no meio em que vivo: Baixo Alentejo, Portugal.

 

SINCRONISMOS FONÉTICOS . Em 11 e 12 de Junho de 2017, a ideia de MÁRIO está em foco: no dia 11, deflagra um incêndio num autocarro no túnel do MARÃO (evoca: MÁRIO), noticia-se que os estados norte-americanos de MARYland (evoca: MÁRIO) e Columbia vão processar o presidente Trump por receber indevidamente milhões de dólares através de empresas suas; no dia 12, de madrugada, na Nora de Serpa, MAIRA (evoca: MÁRIO) Baldaia e a sua banda brasileira dão um concerto musical, falece em Santarém MÁRIO Brito, de 76 anos de idade, engenheiro de telecomunicações, portuense.

 

COM A ALTA VELOCIDADE DE ROTAÇÃO DAS TROCAS DE PARCEIRO NO AMOR, A VISÃO ECONOMICISTA E INDIVIDUALISTA DA VIDA IMPERA. Elas já não gostam de nós, em regra: medem a marca do automóvel que temos, o tamanho do nosso pénis em repouso, o saldo da nossa conta bancária, as vezes que lhes pagamos o jantar ou o lanche ou as levamos à discoteca, o nosso status social (empregado bancário, médico, professor, agricultor rico, etc) . Mas o inverso também é verdade: olhamos para elas como objectos sexuais , como «gajas a levar para a cama e largar logo que estejamos saciados». É um mundo pragmático de usar os outros enquanto nos são úteis: é como o aluguer de quartos em Lisboa, dá dinheiro, aluga-se já a turistas por uns dias, nada de alugueres por anos e anos à mesma pessoa ou família. O amor romântico acabou, ninguém ama ninguém de forma continuada. David Hume tinha razão: não temos um eu fixo, somos um fluxo de imagens a correr algures. Salvam-se alguns honrosos casamentos e uniões de facto onde o amor paixão unido ao amor romântico prevalecem.

 

OS FESTIVAIS MUSICAIS DE VERÃO COMO O MEO SUDOESTE, que se inicia a 1 de Agosto de 2017 em Zambujeira do Mar, costa alentejana, não passam de modos de alienação da juventude e dos trabalhadores em geral. Os artistas, vendidos ao grande capital, não denunciam a Nova Ordem Mundial do governo único, da precariedade de emprego, do lançamento de guerras imperialistas onde quer que as chefias dos EUA e da Rússia ou da UE achem necessário. Muita música, droga, sexo promíscuo sem preservativos, alcool - eis a falsa ou superficial amizade que se forja nesses aglomerados de dezenas de milhar de pessoas. No resto do ano, o capitalismo aumenta o ritmo de trabalho dos assalariados, oferece bares e copos e muito stress a quem vive só do seu salário (proletariado).

 

PORQUE VAMOS A SERPA OUVIR ANTÓNIO ZAMBUJO? Não é, essencialmente, para ouvir o artista alentejano. É para ver as mulheres belas que se aglomeram na Praça da República. E para saudar um ou outro amigo que vive em Serpa com quem temos colóquios culturais. E para desfrutar da noite de Lua em Capricórnio - a Lua Cheia foi ontem, 10 de Junho, às 21 h 44, com a Lua em 18º do signo de Sagitário - que as noites de luar no Alentejo são lindas e sensuais. E para orar ao Grande Arquitecto do Universo.

 

BEJA AUTO-DESTRUTIVA POR FORÇA DA ELITE POLÍTICO-ECONÓMICA LOCAL . 11 de Junho de 2017. Estou a visitar a exposição de gravuras de Banda Desenhada expostas no Teatro Pax Julia, no centro de Beja e encontro Jorge, artista conceituado. Comenta-se: «Como é possível que tendo morrido (em 13 de Maio de 2017) Leonel Borrela, pintor e arqueólogo do património e funcionário do Museu Regional de Beja, que tanto deu a esta cidade investigando, pintando e teorizando sobre a sua arquitectura e história, não haja uma reprodução em grande de um quadro seu numa destas salas com os dizeres «Homenagem a Leonel Borrela, 1955-2017»? Beja é auto-destrutiva. A elite política e económica que domina a cidade quer apagar da memória os criadores, artísticos, literários, etc, que, bejenses de nascimento ou não, fazem obras de valor. Vê só o caso da taberna outrora atelier de pintura de Carlos Montes na Rua da Branca: aí aprenderam a pintar artistas bejenses e a câmara deveria preservar isso como espaço museológico. Eles querem é que sejamos esquecidos: morremos e ninguem homenageia os que prestigiamos a cidade com o nosso trabalho artístico e cultural. Beja é autofágica. Ingrata, madrasta.»

 

ALÉM DO PRAZER DAS FESTAS DE FIM DE SEMANA E DO SEXO TRANSBORDANTE HÁ ... O PARAÍSO. A vida moderna carece de sentido para os existencialismos ateu e agnóstico, filosofias dominantes nos dias de hoje na Europa do século XXI: «temos de gozar a vida, que bom aproveitar as noites de sexta e sábado nas discotecas e bares e às duas e meia da manhã conseguir levar uma mulher ( ou um homem) semi ébria para o automóvel ou para a cama e... fazer sexo! »Tantos homens e mulheres insatisfeitas a fumar e a beber alcool, a noite inteira, nos bares! Já fizemos muita coisa em termos de sexo - menos homossexualidade e certo tipo de perversões; o Diabo dotou-me de uma imaginação que vai até ao travestismo mas o Senhor Deus guarda-me na fronteira com o ilícito - e concluimos que tem que haver algo imóvel, superior à união sexual física: o Paraíso, que é a união íntima, «sexual» entre nós, espíritos, e Deus-Deusa (a Trindade , a Virgem Santa Maria).

Por isso, se estás insatisfeita/o, reza, persiste na oração - em especial o rosário à Virgem Maria - e virão as respostas adequadas. O sentido da vida é o Paraíso, o reino da beatitude, o Pleroma dos gnósticos. As nossas desventuras, aflições, doenças estão escritas nos astros, no Zodíaco (foi o Deus inferior, o demiurgo, que fabricou os astros, não Jesus nem os Eons do Pleroma). Nem Osho, com a sua técnica filosófica de meditação, consegue atingir os cumes da beatitude cristã. A meditação relaxa mas é preciso ver os deuses e os anjos. Eu amava uma mulher muito linda, há anos, e ela sofreu uma doença grave - foi uma provação que Deus enviou, com o ensinamento «Não ames apenas a beleza corporal, penetra no mistério do espírito, é uma mulher como as outras, frágil, um invólucro de carne perecível».

 

O meu pai, muito católico toda a vida, nos últimos anos de vida perdeu a esperança de salvar-se: dizia «estou condenado, atropelei de bicicleta uma velhinha quando tinha 15 anos de idade», tinha remorsos excessivos, o Demónio rondava-o. Qualquer que seja o teu passado, não tenhas remorsos: já passou. Se há desculpas a pedir a alguém, uma dívida a pagar fá-lo. Reza incessantemente, com descontração, sem ansiedade, e verás mudanças boas na tua vida, serenidade, paz.

 

AS ESCOLAS DE ASTROLOGIA QUE MARCAM PASSO. Sou autodidata em astrologia. Desprezo as escolas de astrologia, de um modo geral dominadas por dogmáticos estéreis: sem provas experimentais, dizem que «Vénus rege o signo de Balança» e que «há doze casas no horóscopo pessoal», etc. Eis títulos de alguns livros meus: «Ciclos astrológicos na História de Portugal» (ed autor 1985), «Leis planetárias em eleições gerais» (Estampa, 1996), «Sincronismos Cabala e Graus do Zodíaco» (Estampa,2001), «Astrología y guerra civil de España de 1936-1939» (ed. autor, 2006), «Acidentes em Lisboa na Astronomia-Astrologia» (Ed. Autor, 2008), «Álvaro Cunhal e Antifascismo na Astrologia Histórica» (Ed. Autor, 2013), « Astrologia Histórica» (Esfera do Caos, 2015). Oito livros ao todo. Os mais «prestigiados» astrólogos comerciais portugueses, como Paulo Cardoso, Luís Resina, Helena Avelar, Luís Ribeiro, Cristina Candeias, Vera Xavier ou Flávia Monsaraz, guardam rigoroso silêncio sobre as minhas obras porque não têm arcaboiço intelectual ou moral para as enfrentar e analisar criticamente nem possuem suficiente saber feito de investigação empírica. Calam, ignoram para silenciar a dissidência, a «heresia». Portugal, país de invejas: astrólogos que só procuram o enriquecimento pessoal financeiro, a imagem televisiva, não a verdade da ciência astrológica.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:58
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 11 de Dezembro de 2015
Astrologia: Marcelo presidente eleito em 2016, à primeira ou à segunda volta?

 

Marcelo Rebelo de Sousa será, segundo as leis astronómico-históricas que conheço, o próximo presidente da República Portuguesa, eleito em 24 de Janeiro ou em 14 de Fevereiro de 2016. Eis algumas das leis planetárias que apontam nesse sentido, leis da astrologia histórica que investigo e que não deve ser confundida com a astrologia comercial de Paulo Cardoso, Flavia Monsaraz, Luís Resina e outros semi astrólogos sem obra de pesquisa histórica, sem substância científica.

 

JÚPITER EM VIRGEM

TRIUNFOS DA DIREITA PORTUGUESA

Júpiter em Virgem dá sempre a vitória ao candidato de direita. O Estado Novo de Salazar foi institucionalizado em 11 de Abril de 1933, com Júpiter em 14º 35´/ 14º 30´ do signo de Virgem. Marcelo Caetano, tio de Marcelo Rebelo de Sousa, ascendeu a primeiro-ministro da ditadura colonialista portuguesa em 27 de Setembro de 1968, com VirJúpiter em 20º 16´/ 20º 29´do signo de Virgem.

 

Ora em 24 de Janeiro de 2016, dia da eleição ou da primeira volta da eleição presidencial em Portugal, Júpiter estará em 21º do signo de Virgem em conjunção praticamente exacta com a estrela Denebola da constelação de Leão, no grau 20 de Virgem - signos são arcos de 30º do céu e constelações do mesmo nome são grupos de estrelas em arcos de céu variáveis (exemplo: a constelação de Leão ocupa as áreas 13º-30º do signo de Leão e 0º-23º do signo de Virgem).

 

A direita, pois, exultará com a eleição de Marcelo. E se houver segunda volta, Marcelo ganhará na mesma pois em 14 de Fevereiro de 2016 Júpiter estará em 21º de Virgem.

 

 

VÉNUS EM AQUÁRIO: AS TOMADAS DE POSSE DE CAVACO SILVA EM 9 DE MARÇO DE 2006 E 2011

 

Vénus no signo de Aquário - arco de 300 a 330º da eclíptica ou roda do céu que corresponde à trajectória do Sol - costuma, pelos escassos exemplos que temos, associar-se à tomada de posse de um presidente da República Portuguesa conservador, de direita.

 

Em 9 de Março de 2006, com Vénus em 2º 48´/ 3º 59´ do signo de Aquário, Cavaco Silva toma posse como presidente da República Portuguesa.

 

Em 9 de Março de 2006, com Vénus em 8º 9´/ 9º 21´de Aquário, Cavaco Silva toma, de novo, posse como presidente da República Portuguesa.

 

Em 9 de Março de 2016, Vénus estará em 25º 45´/ 26º 49´ de Aquário, o que sugere a tomada de posse presidencial do candidato da direita Marcelo Rebelo de Sousa.

 

COMO PASSAR À SEGUNDA VOLTA OU, EM CASO DE NÃO HAVER SEGUNDA VOLTA, OBTER UM RESULTADO NOTÁVEL NA ÚNICA VOLTA?

 

É simples, aparentemente. Usar a posição de Júpiter. Lançar ou relançar nacionalmente a candidatura nos dias 21 a 23 de Dezembro de 2015, com Júpiter em 22º 47´/ 21º 50´ de Virgem - a mesma posição que em 24 de Janeiro de 2016.

 

E, a haver segunda volta, o candidato que a ela passa devia ter tido grande visibilidade em 1 de Dezembro de 2015, com Júpiter em 21º 0´/ 21º 7´de Virgem, praticamente a posição que terá em 14 de Fevereiro de 2016.  Ora no passado 1 de Dezembro, Maria de Belém esteve em destaque com um almoço em uma câmara de comércio ... Passará ela à segunda volta? Não parece. Mas e se...?

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 01:01
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 15 de Outubro de 2014
Temporais em Portugal e áreas 17º-20º e 26º-27º de Balança

 

Milhares de leis planetário-zodiacais esculpem em cada dia o diamante polifacetado dos factos históricos e sociais. Os que não intuem nem percebem nada disto proclamam-se «indeterministas» e levantam a bandeira de «o futuro está em aberto, nada nem ninguém o presdestinou». É o caso dos broncos Karl Popper, Thomas Kuhn, Bertrand Russel, Jean Paul Sartre, Saul Kripke, Zizeck  e de todos os que os seguem como discípulos. O estudo pormenorizado de factos históricos concretos, que transcende em muito o trabalho dos semiastrólogos portugueses Paulo Cardoso, Luís Resina, Cristina Candeias, Flávia Monsaraz, Luis Ribeiro, Helena Avelar, leva-nos à convicção de que tudo está rigorosamente predestinado pela matemática das posições planetárias no Zodíaco.

 

ÁREA 17º-20º DE BALANÇA:

TEMPORAL DE CHUVA, VENTO OU MAR EM PORTUGAL  

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 17º-20º do signo de Balança  é condição necessária mas insuficiente para gerar um temporal de chuva e vento ou mar algures em Portugal continental ou insular.

 

Em 25 e 26 de Novembro de 1967, com Vénus em 16º 9´/ 17º 14´ de Balança,  chuvas diluvianas em Lisboa e áreas limítrofes como Algés, Colares, Loures, Loures, Barcarena, Pontinha, entre outras, produzem grandes inundações, desabamentos de casas e mais de 700 mortos; em 20 de Setembro de 1987, com Mercúrio em 18º 44´/ 20º 7´ de Balança, um tornado arranca árvores e telhados em Cabeça Gorda, Beja; em 3 de Outubro de 1987, com Vénus em 20º 13´/ 21º 27´ de Balança, um tornado atinge Vila da Feira; em 24 de Outubro de 1989, com Mercúrio em 18º 58´/ 20º 38´ de Balança, um tornado assola Montemor-o-Novo, Évora; em 31 de Dezembro de 1998, com Marte em 17º 53´/ 18º 23´ de Balança,  um temporal na costa do  Algarve afunda embarcações ao largo de Olhão, derruba árvores, parte vidros, cortando a estrada de acesso ao aeródromo da Penina;de 6 para 7 de Dezembro de 2000, com Marte em 19º 29´/ 20º 41´ de Balança, um temporal de vento e chuva flagela grande parte de Portugal, subindo de cota os rios Douro, que alaga a marginal da cidade do Porto, Mondego , Tejo, Alviela e outros , deixando em risco de inundação localidades como Peso da Régua, Águeda e Tomar, onde a água atinge 1,5 metro na altura em certas ruas, havendo casas inundadas em Castelo Branco e Guarda, estradas intransitáveis no distrito de Santarém, uma fábrica de curtumes inundada em Alcanena, caindo várias árvores em Lisboa, entre elas, pelas 7 horas e 20, um pinheiro na linha de Cascais em Paço de Arcos, interrompendo a circulação ferroviária por duas horas; em 13 de Outubro de 2014, com Vénus em 16º 24´/ 17º 39´ de Balança,  um temporal de chuva causa 139 inundações na zona da Grande Lisboa", uma pessoa é arrastada pelas águas na zona de Xabregas, tendo ficado com algumas escoriações, na rua das Pretas dois condutores são resgatados da violência da corrente, a baixa, em especial o Rossio, Benfica, São Domingos de Benfica, Olivais e Misericórdia são zonas onde se verificam inundações, tal como no Parque das Nações, Estrela, Alvalade, Santa Clara, Campolide, Ajuda e Santo António, às 16h00, na estação de Metro do Jardim Zoológico (Linha Azul), em Lisboa, a água está a inundar, a plataforma estação de São Sebastião também não escapa a uma inundação, algumas estações são afetadas pela entrada de água e lama, estando um dos acessos à estação do Rossio encerrada para limpezas, assim como metade do átrio norte da Estação do Jardim Zoológico, a Calçada de Carriche é cortada ao trânsito nos dois sentidos, às 16h00, devido à acumulação de água provocada pela chuva intensa, os túneis do Campo Grande, em Lisboa, são cortados ao trânsito devido à acumulação de água, tal como o túnel da Avenida João XXI e a Calçada de Carriche. a avenida Dr. Augusto Castro, na zona de Chelas, é  também cortada ao trânsito, nos dois sentidos, com a água acumulada na via a entrar para a estação do Metropolitano de Chelas.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 17º-20º do signo de Balança elevando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento algures em Portugal continental ou insular.são: de 10 a 14 de Outubro de 2015 (Sol); de 25 a 27 de Outubro de 2015 (Mercúrio); de 23 a 27 de Novembro de 2015 (Vénus) ;de 11 a 18 de Dezembro de 2015 (Marte).

 

ÁREA 26º-27º DE BALANÇA:

INUNDAÇÕES EM LISBOA

 

A passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 26º-27º do signo de Balança  é condição necessária mas insuficiente para gerar um temporal de chuva e vento ou mar em Lisboa.

 

Em 22 de Setembro de 2014, com Mercúrio em 25º 11´/ 26º 8´ de Balança, vastas inundações se dão em Lisboa devido a chuva, entre a Calçada da Palma de Baixo e a Estrada das Laranjeiras, na zona de São Domingos de Benfica, a água alcança cerca de meio metro de altura., inundações verificam-se na Rua República da Bolívia e na Rua Carolina de Michaelis de Vasconcelos, em Benfica, na Calçada de Carriche (Santa Clara), na Rua Prof. Pulido Valente (Lumiar), na Rua de Alcântara (Alcântara) e na Calçada de Palma de Baixo e na Rua Tomás da Fonseca (São Domingos de Benfica) e na Rua Visconde de Seabra (Alvalade), na Avenida de Berna, a chuva intensa obriga ao desvio do trânsito na Praça dos Restauradores, em Lisboa, devido às inundações registadas na zona da baixa, principalmente no Rossio, a circulação é feita com dificuldade no Largo das Fontainhas, em Alcântara, Praça de Espanha e Calçada de Carriche devido a "lençóis de água"; em 13 de Outubro de 2014, com Mercúrio em 27º 55´/ 26º 50´ de Balança, um temporal de chuva causa 139 inundações na zona da Grande Lisboa", uma pessoa é arrastada pelas águas na zona de Xabregas, tendo ficado com algumas escoriações, na rua das Pretas dois condutores são resgatados da violência da corrente, a baixa, em especial o Rossio, Benfica, São Domingos de Benfica, Olivais e Misericórdia são zonas onde se verificam inundações, tal como no Parque das Nações, Estrela, Alvalade, Santa Clara, Campolide, Ajuda e Santo António, às 16h00, na estação de Metro do Jardim Zoológico (Linha Azul), em Lisboa, a água está a inundar a plataforma,a estação de São Sebastião também não escapa a uma inundação, algumas estações são afetadas pela entrada de água e lama, ainda que os comboios circulem,estando um dos acessos à estação do Rossio encerrada para limpezas, assim como metade do átrio norte da Estação do Jardim Zoológico, a Calçada de Carriche é cortada ao trânsito nos dois sentidos, às 16h00, devido à acumulação de água provocada pela chuva intensa, os túneis do Campo Grande, em Lisboa, são cortados ao trânsito devido à acumulação de água, tal como o túnel da Avenida João XXI e a Calçada de Carriche. a avenida Dr. Augusto Castro, na zona de Chelas, é  também cortada ao trânsito, nos dois sentidos, com a água acumulada na via a entrar para a estação do Metropolitano de Chelas.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem do Sol, de um Nodo da Lua, de um planeta ou do planetóide Quirón na área 26º-27º do signo de Balança elevando a probabilidade de ocorrer um temporal de chuva e vento em Lisboa são: de 19 a 21 de Outubro de 2015 (Sol); 30, 31 de Outubro e 1 de Novembro de 2015 (Mercúrio); 1 a 3 de Dezembro de 2015 (Vénus); de 27 a 30 de Dezembro de 2015 (Marte).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:14
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014
Previsões astrológicas para 2014: as que acertarei e as que falharei

 

A astrologia é ainda, na presente conjuntura,  incapaz de prever com exactidão infalível todos os grandes e os pequenos acontecimentos dos anos vindouros. Refiro-me à astrologia histórico-social, a única que dispõe de uma base de dados empírica rica e de leis deterministas. Nesta astrologia não cabem os astrólogos comerciais, como Paulo Cardoso, modelo do chico-espertismo nesta área, e todos os que a televisão publicita, porque os seus métodos «dedutivos» de previsão (exemplo: «O ano de 2014 vai ser especialmente favorável aos Caranguejo e aos Virgem») carecem de seriedade, pecam por vagueza.

 

Nós, os raríssimos investigadores de história mediante a astronomia, criadores da Astrologia Histórico-Social, também cometemos erros ao prever. Mas fundamentamo-nos em leis astro-sociais, em regularidades, que comportam excepções, o que é diferente de «atirar previsões ao acaso, por intuição». Vou, pois, arriscar algumas previsões para 2014. Umas acertarão, outras falharão. Se falharem, não é grave. Grave é o facto de as universidades do mundo inteiro conferirem o título de «professor doutor» a pessoas que nada sabem do movimento planetário e das correlações que objectivamente existem entre este e os factos histórico-sociais e, além disso, troçam da «superstição» (!!!) e da «irracionalidade» (!!!) da astrologia. Grave é a censura epistémica que universidades e grandes media exercem sobre a investigação profunda e sistemática dos ciclos planetários na história humana social.

 

VITÓRIA DO BENFICA SOBRE O PORTO EM 12 DE JANEIRO DE 2014?

 

Em 12 de Janeiro de 2014, dia do Benfica- Porto, Júpiter estará em 14º 38´ de Capricórnio.  Analisando o mapa natal de Paulo Fonseca, verifica-se que a posição de Júpiter em 12 de Janeiro de 2014 faz um ângulo de 180º (oposição) a Marte no dia de nascimento do treinador do Porto, Marte entre 14º 33´e 15º 15´ de Capricórnio. Interpreto como negativo este ângulo. Poderá querer dizer derrota do FC Porto.

 

Analisando o mapa celeste de nascimento de Jorge Jesus, de 24 de Julho de 1954, verifica-se que nasceu com o Nodo Sul da Lua em 14º 41´/ 14º 42´ de Caranguejo. Ora Júpiter, em 12 de Janeiro de 2014, estará em 14º 38´/ 14º 30´ de Caranguejo, quase sobre esse Nodo, o que parece prenunciar alegria intensa. Provavelmente, o Benfica vencerá o FC Porto.  Mas seria necessário analisar o horóscopo de nascimento (carta astral do céu) de cinco ou seis jogadores de cada equipa para que a previsão fosse sólida. E, de momento, não o é.

 

No horóscopo de Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, há um sinal: a posição de Júpiter em 28 de Dezembro de 1937, em 1º 44´/ 1º 57´ de Aquário, será transitada por Mercúrio que, em 12 de Janeiro de 2014, viaja em 0º 10´/ 1º 50´  de Aquário. Admitindo que Mercúrio não é expansivo como Vénus mas constritor, não parece favorável a Pinto da Costa. Curiosíssimo é o facto de Luís Filipe Vieira ter nascido a 22 de Junho de 1949 - 8 anos exactos após a invasão da URSS de Stalin pelas tropas de Hitler; diga-se de passagem que o facies de Filipe Vieira faz lembrar um pouco o de Iosif Stalin, com o característico bigode grisalho... - com Júpiter entre 0º 35´ / 0º 29´ de Aquário e neste 12 de Janeiro de 2014 Mercúrio passar, tal como no caso de Pinto da Costa, sobre esse Júpiter do dia do nascimento.

 

As sugestões de analogias ontofonéticas para o dia 12 de Janeiro são contraditórias: o facto de nesse dia Paulo PORTAS vencer, previsivelmente, o 25º Congresso do CDS, implicará uma vitória do FC PORTO (evoca: PORTAS) no estádio da Luz?  A morte, em 11 de Janeiro de 2014, de Ariel Sharon, ex primeiro ministro de Israel, país de bandeira azul e branca, sugerindo o azul e branco do FC Porto, arrastará a derrota deste face ao Benfica? 

 

INUNDAÇÕES E TEMPORAL DE MAR E CHUVA EM 14-18 DE JANEIRO, 25-28 DE FEVEREIRO E 1-3 DE MARÇO DE 2014?

 

A passagem do Sol ou de um planeta em 24º-27º do signo de Capricórnio  (graus 294º-297º  de longitude na eclíptica) é uma concausa, uma condição necessária mas insuficiente para a eclosão de chuvas torrenciais, e inundações consideráveis ou neve em grande escala  em Portugal. Vejamos exemplos.

 

 

Em 25 e 26 de Novembro de 1967, com Marte em 24º 44´/ 26º 14´ de Capricórnio, chuvas diluvianas em Lisboa e áreas limítrofes como Algés, Colares, Loures, Loures, Barcarena, Pontinha, entre outras, produzem grandes inundações, desabamentos de casas e mais de 700 mortos; em 22 de Janeiro de 1985, com Júpiter em 26º 32´/ 26º 36´ de Capricórnio, o rio Arade sobe e inunda a parte baixa da cidade de Silves, cortando a EN124; em 14 de Janeiro de 1987, com Sol em 23º 16´/ 24º 17´ de Capricórnio, Mercúrio em 24º 5´/ 25º 44´ de Capricórnio, há uma queda generalizada de neve a cotas baixas em todo o Minho, Douro Litoral, cidade do Porto incluída, Galiza e em quase todo o Portugal continental; de 26 de Outubro a 6 de Novembro de 1997, com Úrano em 27º 16´/ 27º 25´ de Capricórnio, temporais de chuva assolam o sul de Portugal e ilhas, com uma tromba-de-água derrubando casas e árvores em Monchique, Algarve, no dia 26, um temporal e deslizamento de terras e casas em Ribeira Quente, concelho de Povoação, na ilha açoriana de São Miguel, causando a morte confirmada de 29 pessoas e o desaparecimento de 4, no dia 31, e chuvas diluvianas com inundações no Alentejo, especialmente nos concelhos de Ourique, Aljustrel, Odemira, Beja e Moura, gerando 12 mortos, nos dias 5 e 6; de 4 a 7 de Janeiro de 2014, com Vénus em 25º 32`/ 23º 20´ de Capricórnio, um temporal de mar, chuva e vento fustiga toda a costa portuguesa, com numerosos episódios, entre eles, um tornado destrói o telhado de 2 fábricas e desaloja 60 pessoas em Lordelo, Paredes (dia 4), duas ondas gigantes destroem o bar «O moinho» em Carcavelos (dia 6) , uma onda gigante galga a marginal da Foz do Porto, o mar invade ruas de Espinho e de Paredes de Vitória, em Alcobaça,  e quatro homens são encurralados por 2 ondas no Clube Naval da Ericeira (dia 6), uma vaga de mar galga a marginal no Furadouro colhe pessoas e parte uma perna a uma, o mar destrói o restaurante da praia do Ourigo na Foz do Porto (dia 7).

 

Prevejo, sem infalibilidade, como dias de novos temporais de vento, chuva e mar em Portugal os dias: 14 a 18 de Janeiro de 2014 (Sol de 24º a 27º de Capricórnio), 25 a 28 de Fevereiro e 1 a 3 de Março de 2014 (Vénus de 24º a 27º de Capricórnio).

 

 

 

ACIDENTES DE COMBOIO EM PORTUGAL EM 24-25 DE JANEIRO, 8-10 DE FEVEREIRO, 6-9 DE MARÇO E 27-29 DE MARÇO DE 2014?

 

Uma das leis que preside à ocorrência de acidentes de comboio em Portugal é a seguinte: a passagem do Sol ou de um planeta na área 20º-21º do signo de Aquário ( graus 320º-321º da eclíptica) é condição necessária mas não bastante para a ocorrência de descarrilamento, choque de comboios, atropelamento de pessoa ou abalroamento de automóvel ou outro veículo por um comboio em Portugal. Eis alguns exemplos.

 

Em 21 de Janeiro de 2013, com Marte em 20º 27´/ 21º 15´ de Aquário, o comboio regional que seguia do Entroncamento para Coimbra e que habitualmente era formado por uma UTE (Unidade Tripla Eléctrica), com seis carruagens é embatido, na estação de Alfarelos, pelo comboio Intercidades, que seguia para o Porto, cuja locomotiva, mais pesada, entra pelas carruagens adentro, abrindo-as, causando 15 feridos; em 22 de Janeiro de 2012, com Marte em 21º 15´ / 22º 2´ de Aquário, o carro de um homem que fugia à polícia por roubar gasóleo é abalroado por um comboio da linha do Norte que seguia no sentido Aveiro-Coimbra no apeadeiro de Fornos, Vilela, Coimbra, e o homem foge; em 1 de Fevereiro de 2013, com Mercúrio em 21º 55´/ 23º 51´ de Aquário, no apeadeiro de Santa Ana, no Cartaxo, um automóvel é abalroado por dois comboios, resultando dois feridos;  em 8 de Fevereiro de 2013, com Sol em 19º 22´/ 20º 23´  de Aquário, de manhã, a carruagem de um comboio da linha de Cascais descarrila na curva do Mónaco, junto da estação da CP, outro comboio descarrila na recta de Algés, linha de Cascais.

 

Assim, prevejo como dias de possível acidente de comboio em Portugal: 24 e 25 de Janeiro de 2014 (Mercúrio em 20º-21º de Aquário);  8 a 10 de Fevereiro de 2014 (Sol em 20º-21º  de Aquário); de 6 a 9 de Março de 2014 (Mercúrio em 20º-21º de Aquário); de 27 a 29 de Março de 2014 (Vénus em 20º-21º de Aquário).

 

 

EARTHQUAKE IN TURKEY ON 18-26 OF FEBRUARY 2014?

 

A great earthquake or other note accident is possible in Turkey between 18 and 26 of February 2014 when the Moon´s North Node slides from 29º 59´Libra untill 29º 41´Libra. Foundations of this predictions are these facts:

 

On September 6, 1975, with  Uranus in 29º 54´/ 29º 57´ Libra, an earthquake in Lice ,Turkey, causes 2,386 deaths;on October 30, 1983, with  Pluto in 29º 44´/ 29º 46´ Libra, an earthquake in Eastern Turkey, kills 1,342 people.

 

 

ACIDENTE DE AVIÃO (AIRCRAFT DISASTER) PERTO DE ATENAS OU EM ATENAS EM 19-22 DE FEVEREIRO DE 2014?

 

Para o período 18-22 de Fevereiro de 2014, em que o Nodo da Lua estará em 29º de Balança e Mercúrio em 24º-20º de Aquário, há uma razoável probabilidade de ocorrer um acidente ou incidente perto de Atenas ou no aeroporto de Atenas.

 

Fundamento: on December 28, 1968, with Mars in 28º 54´/ 29º 28´ Libra, Venus in 21º 5´/ 22º 14´ Aquarius, a Palestinian attack against an Israeli aircraft takes place in Athens airport; on December 8, 1969, with Jupiter in 28º 31´/ 28º 41´ Libra, Mars in 24º 21´/ 25º 5´ Aquarius, an Olympic Airways DC-6B crashes near Athens in a storm, provoking 93 deaths.

 

ACIDENTES DE AVIÃO NO BRASIL EM 15-17 DE MARÇO, 4-5 DE ABRIL E 28-30 DE ABRIL DE 2014?

 

Este é apenas um dos ciclos de acidentes aéreos no Brasil, o que se vincula à presença do Sol ou planetas em 25º e 26º de Peixes. Em 17 e 18 de Março de 2014, o Sol estará em 25º e 26º  de Peixes. Em 4 e 5 de Abril  de 2014, Mercúrio perpassará em 25º e 26º de Peixes. De 28 a 30 de Abril de 2014, Vénus perpassará em 25º-26º de Peixes. Estas datas são propensas a quedas de avião no Brasil.

 

Fundamento:

Em 29 de Setembro de 2006, com Nodo Norte da Lua em 25º 18´/ 25º 17´ de Peixes, um avião da Gol, voo 1009, colide no ar, em Mato Grosso,  com um avião a jacto Legacy, morrendo 156 pessoas, a maior tragédia aérea do Brasil; em 1 de Junho de 2009, com Úrano em 26º 15´ / 26º 17´ de Peixes, um Airbus A330 da Airr France, que viaja do Rio de Janeiro a Paris, desaparece no Oceano Atlântico, morrendo 228 pessoas que iam a bordo.

 

LEONARDO JARDIM E BRUNO DE CARVALHO VITORIOSOS EM 10 E 11 DE MAIO DE 2014?

Em 10 e 11 de Maio de 2014, Quiron passa em 16º 59´/ 17º 1´ de Peixes quase exactamente em cima do Júpiter de nascimento (1 de Agosto de 1974) do treinador do Sporting Clube de Portugal, o luso-venezuelano Leonardo Jardim, Júpiter esse na zona 16º 55´/ 16º 51´ de Peixes. É um bom aspecto astral.

 

Em 11 de Maio de 2014, Vénus passará em 9º 14´ / 10º 13´ de Carneiro, quase em comjunção exacta com o Quirón no nascimento de Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, em 10º 23´/ 10º 26´ de Carneiro, no dia 8 de Fevereiro de 1972.

 

Sendo a última jornada da Liga Zon Sagres, em Portugal, em 11 de Maio de 2014, é possível inferir uma alegria intensa para ambos: o Sporting vencedor da Liga, superando o FC Porto e o Benfica? Ou será apenas indicativo de o Sporting ficar em segundo lugar, superando o FC Porto, ante um Benfica campeão da Liga Zon Sagres?

 

 

A QUEDA FÍSICA DE UM MINISTRO OU SECRETÁRIO DE ESTADO OU DEPUTADO EM JULHO DE 2014

 

De 7 a 11 de Julho de 2014, Júpiter estará em 28º de Caranguejo. Isso poderá significar a queda física acarretando uma lesão corporal de um ministro, secretário de Estado, deputado ou dirigente político português.

 

Fundamento desta presunção:

A) Em 12 de Maio de 1931, com Marte em 28º 14´/ 28º 53´ de Caranguejo, Oliveira Salazar, ministro das finanças da ditadura militar, escorreganum tapete que desliza no encerado de uma sala do Ministério e fractura a perna direita;

 

B) Em 3 de Agosto de 1968, com Marte em 28º 14´/ 28º 53´ de Caranguejo, o velho ditador Oliveira Salazar caino Forte de Santo António no Estoril e contrai uma lesão intracraniana que o incapacitará de governar.

 

EARTHQUAKE IN USA IN 18-27 OFJULY 2014?

There is a medium probabilty of an earthquake in U.S.A. in 18-27 of July 2014, when Mercury will be in 6º-10º of Cancer (18-21 July) and Venus will be in 5º-10º of Cancer (22-27 of July).

 

On April 18, 1906, with Neptune in 7º 51´/ 7º 52´Cancer, Uranus in 8º 29´Capricorn, an earthquake in San Francisco, California, provokes 503 deaths.

 

INVASÃO MILITAR DOS EUA A UM PAÍS ENTRE 17 DE JULHO DE 2014 E 11 DE AGOSTO DE 2015?

 

Neste período de 2014-2015, Júpiter viajará no signo de Leão, o que impele a aventuras militares por parte dos EUA.

 

Exemplo: em 19 de Março de 2013, com Júpiter em 8º de Leão, os EUA e a Grã-Bretanha, movidos pelos lobbies armamentista e outros, atacam militarmente o Iraque, iniciando uma guerra que levará ao derrube de Sadam Husein e da ditadura da minoria sunita.

 

 

 REVOLTA POPULAR OU DEMISÃO DE GOVERNANTE EM AGOSTO-SETEMBRO DE 2014 EM PORTUGAL?

 

A política de austeridade do governo PSD-CDS de Passos Coelho e Paulo Portas, liberal-conservador, tem gerado diversos movimentos de resistência popular em Portugal, desde Junho de 2011, quando  Júpiter estava em Touro, até hoje, em que Júpiter desliza no signo de Caranguejo (arco do céu de 90º a 120º de longitude eclíptica). A 16 de Julho   de 2014, Júpiter entrará no signo de Leão e isso deverá abrir um período favorável às esquerdas que decorrerá, em princípio, até 11 de Agosto de 2015, dia em que Júpiter passará de 29º de Leão para 0º do signo de Virgem, signo favorável à direita portuguesa. Se houver eleições legislativas em 2015, até Agosto de 2015, o PS, dirigido hoje pelo agente do clube mundialista e criminoso de Bilderberg António José Seguro, será o presumível vencedor. 

 

De 17 de Agosto a 20 de Setembro de 2014, Júpiter estará em 7º-13º do signo de Leão - arco do céu de 120º a 150º da eclíptica - o que deverá gerar um forte protesto de esquerda ou acto revolucionário contra o governo então vigente em Portugal ou simplesmente a demissão de um ministro ou, quiçá, do presidente da república. O que sucederá, em concreto? A queda parcial do governo? Um atentado? Uma invasão de edifícios governamentais?

 

Eis quatro factos histórico-astronómicos em que me fundamento:

 

A) Em 1 de Fevereiro de 1908, com Júpiter em 8º do signo de Leão (ou grau 128 da eclíptica, em longitude), a Carbonária Portuguesa, pelas mãos munidas de carabinas de Alfredo Costa e Manuel Buíça, assassina a tiro, no Terreiro do Paço, em Lisboa, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro Luís Filipe, por sustentarem a ditadura de João Franco que, na sequência do regicídio, cai, subindo ao trono D. Manuel II.

 

B) Em 14 de Dezembro de 1918, com Neptuno em 9º de Leão, o presidente da República Nova, Sidónio Pais, é assassinado a tiro na estação do Rossio, em Lisboa, pelo republicano José Júlio da Costa, amigo do Grão-Mestre da Maçonaria Magalhães Lima.

 

B) Em 26 de Agosto de 1931, com Júpiter em 8º do signo de Leão,  um grupo de oficiais antifascistas apodera-se dos quartéis de Metralhadoras 1 e de Artilharia 3, junta da Penitenciária de Lisboa, e ocupa com os militares revoltosos a zona desde o alto do Parque Eduardo VII ao Largo do Rato, englobando Campolide, mas a artilharia da ditadura militar e as ofensivas da GNR e do regimento de Caçadores 5 abafam a revolta, de tarde.

 

C) Em 4 de Dezembro de 1980, com Nodo Norte da Lua em 13º-12º  de Leão, o 1º ministro Sá Carneiro e o ministro da Defesa Amaro da Costa morrem em atentado à bomba no avião CESSNA em que viajavam, sobre Camarate

 

A previsão desta maneira é uma indução: erige uma lei geral a partir de casos empíricos similares. Os actuais doutorados, - refiro-me a pensadores como Peter Singer, Nigel Warburton, Alan Renault, Slavoj Zizek, José Gil, José Matoso, João Medina, António Barreto, Marcelo Rebelo de Sousa, José Pacheco Pereira e tantos outros - destituídos de inteligência holística, não concebem que Júpiter, sempre que passa uma vez, durante alguns dias, de doze em doze anos, nos graus 7 e 8 do signo de Leão, possa suscitar um influxo de esquerda em Portugal....São demasiado antropocêntricos na sua ignorância do mistério cósmico. Não pensam o mundo, e a vida humana em particular, como um todo cósmico. Falta-lhes a noção da lei dialética do uno: no universo nada está isolado, tudo se relaciona e forma um imenso Uno.

 

Que tem de inadmissível que os movimentos de um  planeta suscitem uma revolução ou contra-revolução no Brasil ou na Argentina ou em Portugal, uma vitória futebolística do Flamengo,  dos Estudiantes de la Plata, ou do Sport Lisboa e Benfica? Nada. Só mentes fragmentadas e fragmentárias objectam contra isto.

 

QUEDA DE PASSAGEIROS NA LINHA FERROVIÁRIA EM 26-28 DE AGOSTO E 12-15 OU 21-24 DE SETEMBRO?

 

A passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 20º-22º do signo de Virgem (para astrónomos: graus 170-172 de longitude eclíptica) é condição necessária mas insuficiente para causar um acidente no Metropolitano de Lisboa, em particular a queda de passageiros na linha de uma estação. Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua na área 20º-22º do signo de Virgem, tornando muito provável a queda de um passageiro na linha férrea,  são: 26-28 de Agosto de 2014 (Mercúrio); em 12-15 de Setembro de 2014 (Sol); em 21-24 de Setembro de 2014 (Vénus).

 

ACIDENTES NO METROPOLITANO DE LISBOA EM SETEMBRO, OUTUBRO E NOVEMBRO DE 2014

 

 

A passagem de um planeta ou Sol na área 0º-2º de Escorpião gera em regra acidentes no metropolitano de Lisboa: quedas de passageiros à linha, descarrilamentos, incêndios, etc. Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 0º-2º  de Escorpião são em 2014: de 27 de Setembro a 10 de Outubro de 2014 (Mercúrio); em 23-26 de Outubro de 2014 (Vénus); em 8-10 de Novembro de 2014 (Mercúrio).

 

PS- Se é professor ou estudante de filosofia, história ou demais ciências, porque não começa a compreender os movimentos planetários e a astrologia histórico-social e libertar-se da crucial ignorância a que o votaram nessa matéria? Adquira na nossa loja online www.astrologyandaccidents.com as nossas obras «Álvaro Cunhal e Antifascismo na Astrologia Histórica», recentemente lançada, «Os acidentes em Lisboa na Astronomia-Astrologia» e outras que lhe fornecem conhecimentos que em nenhum outro lado pode encontrar. É tempo de ser culto e profundo! Pense por si, sem receio dos clichés dominantes.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 9 de Setembro de 2012
O ciclo de 12 anos de Júpiter determina a política em Portugal (II parte )

  

Também o ciclo de 12 anos de Júpiter nos últimos 120º do Zodíaco - equivalentes a quatro signos ou arcos de 30º de longitude cada um: Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes - evidencia leis astronómico-políticas em Portugal.

 

JÚPITER EM SAGITÁRIO:

VITÓRIAS DO PARTIDO SOCIALISTA EM 1983 E 1995, FAVORÁVEL À ESQUERDA OU A UM BLOCO CENTRAL

 

A passagem de Júpiter, durante cerca de um ano em cada 12 anos, no signo de Sagitário (240º a 270º de longitude eclíptica) favorece, em regra, o PS e a esquerda portuguesa e, por vezes, um bloco central que aglutina direitas e esquerdas muito moderadas.

 

Em 25 de Abril de 1983, com Júpiter em 9º do signo de Sagitário, o PS de Mário Soares ganha com maioria relativa as eleições legislativas em Portugal, pondo fim à governação da Aliança Democrática PSD-CDS-PPM que o líder do PSD e membro do grupo de Bilderberg Francisco Pinto Balsemão presidira desde o assassínio à bomba de Sá Carneiro e Amaro da Costa em avião, em 4 de Dezembro de 1980.

 

Em 1 de Outubro de 1995, com Júpiter em 10º do signo de Sagitário, o PS de António Guterres vence as eleições legislativas em Portugal, pondo fim a 10 anos de governação do PSD, 8 dos quais com maioria absoluta no parlamento, com Cavaco Silva a primeiro-ministro.

 

Algumas curiosidades sobre a passagem de Júpiter em Sagitário que não permitem, contudo induzir que, em todos os casos é favorável às esquerdas, são:

 

Em 7 de Janeiro de 1355, com Júpiter em 13º do signo de Sagitário, no Paço de Santa Clara, em Coimbra, Inês de Castro, galega, esposa do príncipe D. Pedro, é apunhalada mortalmente por Pero Coelho, Diogo Lopes Pacheco e Álvaro Gonçalves, na presença do sogro, o rei Afonso IV.

 

Em 21 de Agosto de 1485, com Júpiter em 0º do signo de Sagitário, com a ajuda de alguns cortesãos, no Paço de Palmela, o rei D. João II apunhala mortalmente o seu primo D.Diogo, duque de Viseu e de Beja, que conspirara para matar, na praia, o rei que levava a cabo o cerceamento dos privilégios da alta nobreza e da casa de Bragança.

 

Em 8 de Junho de 1663, com Júpiter em 9º de Sagitário, nos campos do Ameixial, junto a Estremoz, um exército português de 22.000 homens comandados pelos condes de Vila Flor e Schomberg derrota em combate um exército espanhol de 26.000 homens chefiado por D.João de Austria e põe fim a uma perigosa incursão militar espanhola na guerra da Restauração.

 

Em 4 de Setembro de 1865, com Júpiter em 19º do signo de Sagitário, no contexto de uma terrível crise financeira, toma posse o governo monárquico da «fusão», uma coligação entre a ala esquerda dos Regeneradores (direita política) e a ala direita do Partido Histórico (centro-esquerda), de modo a eliminar os radicalismos de direita e de esquerda.

 

Em 22 de Novembro de 1924, com Júpiter em 24 º do signo de Sagitário, toma posse o governo republicano radical, chefiado por José Domingues dos Santos, da «Esquerda democrática», último impulso da esquerda republicana para salvar a República democrática, divorciada das massas operárias e do exército no qual a conspiração de direita vai crescendo, ao serviço da alta finança e do latifúndio.

 

Em 16 de Fevereiro de 1936, com Júpiter em 20º do signo de Sagitário, a Frente Popular republicana de esquerda e socialista, vence as eleições legislativas na II República Espanhola, o que assusta as direitas e predispõe estas à guerra civil.

 

Em 3 de Janeiro de 1960, com Júpiter em 19º do signo de Sagitário, dez funcionários do Partido Comunista Português, entre eles os mais altos dirigentes Álvaro Cunhal e Francisco Martins Rodrigues, evadem-se do forte-prisão de Peniche, onde cumpriam longas penas por actividades contra o fascismo de Salazar.

 

Em 9 de Junho de 1983, com Júpiter em 4º de Sagitário, toma posse o 9º governo constitucional, de bloco central PS-PSD, chefiado por Mário Soares e Mota Pinto, visando salvar a economia do país com recurso ao Fundo Monetário Internacional.

 

Outras datas significativas do trânsito de Júpiter em Sagitário conexionam-se com crises de confiança no sistema bancário:

 

Em 27 de Novembro de 1912, com Júpiter em 21º de Sagitário, há uma corrida a levantar os depósitos bancários na Europa Ocidental e Central.

 

Em Agosto de 2007, com Júpiter em 9º-10º de Sagitário, começa a pior crise financeira das últimas décadas, resultante de empréstimos de alto risco (hipotecas sub prime de casas) no sector imobiliário, feitos a pessoas que não conseguirão pagar a curto e médio prazo.

 

 

JÚPITER EM CAPRICÓRNIO:

DETENÇÕES POLICIAIS, DEMISSÕES OU MORTES DE POLÍTICOS DE ESQUERDA, VITÓRIAS DO CENTRO REPUBLICANO AFONSISTA OU SILVISTA EM 1913-1925

 

A passagem de Júpiter no signo de Capricórnio (arco do céu de 270º a 300º de longitude eclíptica) inflige, em regra, derrotas para as esquerdas socialista, republicana, comunista e anarquista, em particular com quedas de governos de esquerda, mortes ou detenções pela polícia de dirigentes antifascistas ou anticapitalistas. E liga-se a vitórias de um centro «bonapartista» que elimina oposições à esquerda e à direita.

 

De 9 de Janeiro a de 30 Novembro de 1913, com Júpiter em 1º-17º- 8º- 18º do signo de Capricórnio, o governo do PRP ("partido democrático"), de Afonso Costa, esmaga carbonários e anarco-sindicalistas, à esquerda, e monárquicos, à direita, com a tomada de posse do governo de centro-esquerda (9 de Janeiro), o golpe militar fracassado do capitão Lima Dias e do tenente Dinis, que saem de Infantaria 5, em Lisboa, com 50 soldados e o apoio cerca de 100 republicanos de esquerda, da Federação Radical Republicana (27 de Abril), a explosão de uma bomba na rua do Carmo, no cortejo republicamo pró-governamental, matando um rapaz e ferindo 29 pessoas seguida de assalto das massas do PRP à sede dos sindicatos (10 de Junho) a dissolução da Casa Sindical e prisão de 100 sindicalistas (15 de Junho), o golpe militar fracassado de carbonários  ressentidos, sindicalistas e monárquicos (21 de Outubro), a vitória quase total do partido democrático PRP nas eleições parciais, elegendo 33 deputados num total de 37, ficando com maioria absoluta no parlamento (16 de Novembro),  a vitória do PRP nas eleições municipais (30 de Novembro).

 

De 11 de Fevereiro a 11 de Dezembro de 1925, com Júpiter em 12º-22º-12º-24º de Capricórnio, a República desliza da esquerda para um centro e a conspiração de direita cresce, com o derrube do governo de esquerda republicana de José Domingues dos Santos ao ser aprovada no parlamento por 65 votos contra 45 uma moção de desconfiança apresentada pelo deputado Agatão Lança (11 de Fevereiro), o fracassado golpe militar da parte conservadora do exército liderada por Sinel de Cordes e Filomeno da Câmara (18 de Abril), a vitória nas legislativas do PRP, de António Maria da Silva, de centro, com 83 deputados eleitos (8 de Novembro), a demissão de Manuel Teixeira Gomes do cargo de presidente da República (11 de Dezembro). .

 

Em 11 de Maio de 1937, com Júpiter em 27º de Capricórnio, morre, em Paris, Afonso Costa, alto dignitário maçon, ex primeiro ministro na extinta República parlamentar Portuguesa e chefe da resistência republicana ao fascismo católico de Salazar.

 

Em 4 de Julho de 1937, com Júpiter em 23º de Capricórnio, fracassa um atentado anarquista à bomba contra o primeiro-ministro Salazar que acabava de apear-se do seu automóvel na Avenida Barbosa du Bocage em Lisboa e escapa ileso à explosão. A PVDE inicia uma onda repressiva sobre anarquistas e outros opositores à ditadura.

 

Em 21 de Julho de 1937, com Júpiter em 21º de Capricórnio, Álvaro Cunhal, dirigente do PCP, é preso pela PVDE de Salazar.

 

Em 25 de Março de 1949, com Júpiter em 27º do signo de Capricórnio, Militão Ribeiro, Álvaro Cunhal e Sofia Ferreira, membros do secretariado do Comité Central do Partido Comunista Português são presos numa casa em que viviam clandestinamente em Casal de Santo António, Luso, pela PIDE de Salazar.

 

Em 12 de Outubro de 1972, com Júpiter em 1º de Capricórnio, José António Ribeiro Santos, estudante de Direito da extrema-esquerda maoísta, da FEML/ MRPP, é assassinado a tiro por agentes da polícia política DGS que denunciou como infiltrados num plenário de estudantes no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, em Lisboa. José Lamego, estudante da FEML, fica ferido.

 

Em 19 e 20 de Junho de 1984, com Júpiter em 9º do signo de Capricórnio, um golpe policial desmantela parte da extrema-esquerda guerrilheira em Portugal, com a prisão de 42 pessoas mais ou menos ligadas às Forças Populares 25 de Abril, que cometiam atentados contra a NATO e contra capitalistas portugueses, no dia 19, e a detenção de Otelo Saraiva de Carvalho, dado como líder máximo das FP-25, no dia 20.

 

Outras datas marcantes da passagem de Júpiter em Capricórnio são:

 

 

Em 22 de Agosto de 1415, com Júpiter em 7º de Capricórnio, um exército de cerca de 19 000 cavaleiros e soldados peões portugueses, galegos, biscainhos, comandado pelo rei D. João I, ocupa a cidade de Ceuta, em Marrocos.

 

Em 13 de Dezembro de 1521, com Júpiter em 4º de Capricórnio, falece, aos 52 anos de idade, o rei D. Manuel I de Portugal, que expandiu por via marítima até à Índia, às Molucas e ao Brasil o império português e autorizou o estabelecimento da Inquisição no país.

 

Em 16 de Março de 1581, com Júpiter em 14º-15º de Capricórnio, o rei Filipe II de Espanha entra em Tomar, para onde convocara Cortes, que o reconhecem como rei legítimo de Portugal.

 

Em 1 de Dezembro de 1640, com Júpiter em 10º do signo de Capricórnio, Antão Vaz de Almada e um grupo de nobres invadem o palácio sede do governo de Filipe III em Lisboa, prendem a duquesa de Mântua, e assassinam o secretário de Estado iberista Miguel de Vasconcelos, restaurando formalmente a independência de Portugal perdida em 1580.

 

Em 13 de Janeiro de 1759, com Júpiter em 5º-6º do signo de Capricórnio, os marqueses de Távora, o duque de Aveiro, o conde de Atouguia e outros supostos cúmplices no atentado ao rei D. José, em 1758, são executados cruelmente em público, em Lisboa.

 

JÚPITER EM AQUÁRIO:

VITÓRIA DO CENTRO-DIREITA, OU DE UMA CONJUNÇÃO MOMENTÂNEA DAS DIREITAS COM ALGUMA ESQUERDA EXCÊNTRICA , DERROTA DO REPUBLICANISMO DE ESQUERDA

 

A passagem de Júpiter no signo de Aquário (arco do céu de 300º a 360º de arco) gera, em regra, períodos de descompressão e vitórias da direita liberal ou conservadora e derrotas da esquerda republicana sem que a extrema-direita obtenha o triunfo que deseja.

 

Em 6 de Outubro de 1985, com Júpiter em 7º de Aquário, o PSD de Cavaco Silva, de direita liberal e democrata-cristã, vence, sem maioria abdoluta de deputados, as eleições legislativas que originou ao romper em Junho desse ano a coligação governamental com o PS de Mário Soares. Outro vencedor destas eleições é o nóvel Partido Renovador Democrático, de centro-esquerda, tutelado pelo presidente da República Ramalho Eanes, que, ao obter uns 18% de votos, absorve momentaneamente uns 40% a 50%  do eleitorado habitual do PS.

 

Em 26 de Janeiro de 1986, com Júpiter em 23º-24º de Aquárioa candidatura do republicanismo de esquerda, protagonizado por Francisco Salgado Zenha (20,9% de votos), com apoio do PRD, do PCP e MDP, e a do socialismo autogestionário reformista, protagonizado por Maria de Lurdes Pintassilgo (7,4% de votos), são eliminadas na primeira volta da eleição à presidência da República Portuguesa. As candidaturas da «moderação», a de Diogo Freitas do Amaral (46,3% de votos), das direitas PSD-CDS, e a de Mário Soares (25,4% de votos), do centro e do PS, passam à segunda volta.

 

Em 16 de Fevereiro de 1986, com Júpiter em 28º-29º de Aquário, Mário Soares, candidato do centro-esquerda PS, «mal menor» para o PCP, o PRD, a UDP e os autogestionários, é eleito presidente da República Portuguesa com 51,18% de votos, na segunda volta, derrotando Freitas do Amaral, candidato das direitas PSD e CDS, com 48,82% de votos.

 

Outras datas significativas da passagem de Júpiter no signo de Aquário são:

 

De 17 de Novembro de 1807 a 20 de Fevereiro  de 1808, com Júpiter em 5º a 26º do signo de Aquário, decorre invasão e a a primeira fase ocupação do exército francês de Napoleão em Portugal, com a entrada das primeiras tropas francesas por Segura, Beira Baixa (17 de Novembro), a chegada a Abrantes das primeiras tropas do exército de Junot (23 de Novembro), o início da viagem de fuga do rei D. João VI e da família real para o Brasil (29 de Novembro), a entrada de de Junot com 1500 soldados franceses em Lisboa (30 de Novembro), a ocupação do Porto por uma divisão militar espanhola comandada pelo general Taranco, capitão-general da Galiza, e um motim em Lisboa contra o içar da bandeira francesa nomeação de Junot como governador geral de Portugal em nome de Napoleão (1 de Fevereiro), execução de 9 portugueses nas Caldas da Rainha por ordem de Loison (9 de Fevereiro), a promulgação do Decreto de Organização do Exército Português sob o mando napoleónico (20 de Fevereiro).

 

Em 31 de Janeiro de 1891, com Júpiter em 21º do signo de Aquário, eclode no Porto uma revolta militar republicana contra as cedências do governo monárquico de D. Carlos I`às exigências do imperialismo britânico na África Austral (ultimato inglês de Janeiro de 1890). A revolta em que participam o alferes Malheiro, o tenente Manuel Maria Coelho e Alves da Veiga, vertebrada pelo batalhão de Caçadores 9, que desce do Campo de Santo Ovídio a rua do Almada e vem proclamar a República junto aos Paços do Concelho, na praça da Liberdade, é dizimada ao preço de 12 mortos e 40 feridos, quando a guarda real dispara sobre a multidão que subia a rua de Santo António em direção à praça da Batalha.

 

De 20 a 25 de Janeiro de 1915, com Júpiter em 26º-27º do signo de Aquário, o PRP é apeado do governo por obra do conservador Manuel de Arriaga, numa viragem à direita, com a prisão, ordenada pelo governo de Bernardino Machado, de cerca de 70 oficiais que iam a Belém entregar as suas espadas, no dia 20, a demissão do governo impedida por Henrique Cardoso e o Visconde da Ribeira Brava, da ala esquerda do PRP, no dia 24, e a nomeação do conservador general Pimenta de Castro como primeiro ministro pelo presidente da República Manuel de Arriaga.

 

De 28 de Maio a 11 de Julho de 1926, com Júpiter em 26º- 27º-26º do signo de Aquário, há um nítido deslize para a direita em Portugal com a supressão da República Parlamentar e a instauração da ditadura do exército marginalizando a extrema-direita monárquica, com o rebentar do golpe militar do general Gomes da Costa, apoiado pelos tenentes integralistas lusitanos,  em Braga, Évora, Tomar, Vila Real, Porto, (28 de Maio) a demissão do presidente da República Bernardino Machado que entrega o poder ao comandante Mendes Cabeçadas, conservador moderado, e o fecho do parlamento (31 de Maio),o cerco das zonas industriais de Sacavém pelas tropas de Gomes da Costa a fim de impedir a greve geral da CGT (17 de Junho) e impor a demissão de Mendes Cabeçadas, membro do triunvirato da ditadura que recusava destruir a República, (18 de Junho) a reunião em que Gomes da Costa, servindo o integralismo lusitano, de extrema-direita, impõe a demissão do ministro da Justiça Manuel Rodrigues, que não cede a pretensões reacionárias da igreja católica, e dos ministros Carmona, Ochoa e António Claro (6 de Julho) a reação dos generais conservadores do exército que prendem e destituem de presidente  Gomes da Costa e nomeiam o general Carmona, de perfil moderado, chefe do governo (9 de Julho) e o exílio de Gomes da Costa em Angra do Heroísmo ficando a facção sidonista de Martinho Nobre de Melo algo marginalizada (11 de Julho).

 

Em 12 de Junho de 1985, com Júpiter em 16º do signo de Aquário, Portugal, pela mão do primeiro-ministro Mário Soares, assina o Tratado de Adesão à Comunidade Económica Europeia, que acarreta uma perda parcial da independência nacional a favor dos negócios da burguesia cosmopolita lusa e estrangeira.

 

JÚPITER EM PEIXES:

REVOLUÇÕES MILITARES-POPULARES DE 1820, 1868, 1915, 1927, 1974, RESISTÊNCIA DO PORTO LIBERAL AO ABSOLUTISMO EM 1832

 

 

A passagem de Júpiter no signo de Peixes (de 300º a 360º de longitude eclíptica) gera, em regra, um influxo de esquerda em Portugal, seja em eleições legislativas ou levantamentos populares contra a oligarquia.

 

Em 13 de Junho de 1915, com Júpiter em 26º do signo de Peixes, o PRP de Afonso Costa e António Maria da Silva, de centro-esquerda, vence as eleições legislativas, elegendo 106 deputados num total de 163 lugares e 45 senadores num total de 48.

 

Outros factos relevantes do trânsito de Júpiter em Peixes são:

 

Em 1 de Março de 1476, com Júpiter em 0º do signo de Peixes, trava-se a batalha de Toro, de resultado inconclusivo, entre o exército castelhano de Fernando de Aragão e Castela e o exército português de Afonso V, na qual o porta-estandarte português Duarte de Almeida é ferido de morte depois de lhe deceparem os braços, e em cuja fase final, uma contra ofensiva das tropas do príncipe e futuro D. João II de Portugal desbarata as tropas de Castela que recuam para as muralhas de Zamora.

 

De 1 de Maio a 2 de Outubro de 1808, com Júpiter em 11º-18º-9º do signo de Peixes, a resistência popular em Portugal, ajudada pelas tropas britânicas de Wellington, leva à expulsão do exército francês de Junot, com a declaração de guerra de Portugal à França decidida pelo principe regente (1 de Maio), organização de uma junta insurreicional no Porto onde o general galego chefe das tropas espanholas de ocupação prende o governador general francês François Jean-Baptiste Quesnel du Torp e marcha para a Galiza onde vai combater o exército de Napoleão e o brigadeiro Luís de Oliveira da Costa, obediente a Napoleão, assume o comando militar do Porto (6 de Junho), o levantamento em armas de Bragança, promovido, pelo general Manuel Sepúlveda (11 de Junho), a sublevação anti francesa em Olhão dirigida pelo conde de Castro Marim (16 de Junho), o levantamento popular do Porto contra os franceses (18 de Junho), a insurreição em Évora (13 de Julho), a batalha da Roliça em que os franceses do general Delaborde retiram ante a superioridade das tropas de Wellington ( de Agosto) a derrota do exército francês na batalha do Vimeiro (21 de Agosto), o embarque para França de Junot e seu exército (15 de Setembro), a deposição de armas pelos franceses instalados em Almeida (2 de Outubro).

 

De 24 de Agosto a 28 Setembro de 1820, com Júpiter em 20º-16º do signo de Peixes, a revolução liberal triunfa em Portugal, com a sublevação de grupos de militares, inspirados pelo Sinédrio, organização maçónica dirigida por Manuel Fernandes Tomás, no Campo de Santo Ovídio, no Porto, e a proclamação de uma Junta Provisional do Governo Supremo do Reino e de um Manifesto aos portugueses explicando o liberalismo constitucionalista (24 de Agosto), e um golpe militar de oficiais subalternos com apoio da burguesia liberal que depõe os regentes absolutistas em Lisboa (15 de Setembro) e a unificação dos governos liberais de Porto e Lisboa (28 de Setembro).

 

De 7 de Julho de 1832 a 28 de Janeiro de 1833, com Júpiter em 28º-18º- 27º do signo de Peixes, instalação do exército liberal de D. Pedro IV no Porto e defesa persistente da cidade contra o exército absolutista de D.Miguel, com o desembarque na praia de Labruge, em Matosinhos (7-8 de Julho) e a entrada do exército liberal de 7500 homens de D. Pedro na cidade do Porto onde se fortifica (9 de Julho), o assalto geral  dos miguelistas ao Porto repelido pelos liberais com 2.000 mortos para cada lado (29 de Setembro), a fracassada saída das tropas liberais do general francês Solignac sobre o castelo do Queijo, junto a Matosinhos, e o Crasto (24 de Janeiro), a chegada ao Porto do general Saldanha, da ala esquerda do liberalismo, a quem D. Pedro se viu obrigado a pedir ajuda ( 28 de Janeiro).

 

De 4 de Fevereiro a  28 de Abril de 1844, com Júpiter em 4º-23º do signo de Peixes, eclode e declina uma revolta de esquerda liberal, do conde de Bonfim, contra o governo conservador de Costa Cabral, iniciada com a sublevação do regimento de Cavalaria 4, em Torres Novas, liderada por César de Vasconcelos e José Estevão (4 de Fevereiro), chegando a coluna revoltosa a Tomar, no dia 5, o regimento de Infantaria 12 em Castelo Branco junta-se à revolta (8 de Fevereiro) e Caçadores 1 subleva-se na Guarda (9-10 de Fevereiro), a coluna liberal ocupa Almeida (20 de Fevereiro), é sufocada em Coimbra uma revolta (8 de Março), e o término da revolta com a rendição de Almeida (28 de Abril).

 

De 1 a 4 de Janeiro de 1868, com Júpiter em 4º-5º do signo de Peixes, dá-se a revolução da Janeirinha, com um massivo protesto de comerciantes e cidadãos no Porto, no dia 1, seguido em Lisboa e outras cidades, contra a política fiscal pesada do governo regenerador de Fontes Pereira de Melo,  e a substituição, no dia 4, do governo de Fontes por um governo da direita reformista liderado por António José de Ávila, céptico face à política desenvolvimentista do fontismo, de endividamento do país em alto grau. A revolução revoga o imposto de consumo, que atingia sobretudo os pequenos comerciantes e os tendeiros, e o decreto de reforma administrativa do ministro Martens Ferrão que tinha suprimido 4 distritos e 178 concelhos, medidas que estavam na origem do protesto. O período da Regeneração acaba aqui: um terceiro partido influente, o Reformista, emergirá a partir de agora, além do Histórico e do Regenerador.

 

Em 14 e 15 de Maio de 1915, com Júpiter em 22º do signo de Peixes, estala e triunfa em Lisboa, à custa de umas 200 mortes, uma insurreição armada, militar e popular, promovida pelo Partido Republicano Português , em particular pelo general Sá Cardoso e Álvaro de Castro, contra o governo conservador do general Pimenta de Castro, que cai e arrasta na queda o presidente da República Manuel de Arriaga. No dia 15, João Chagas, indigitado primeiro ministro do novo governo, é alvejado a tiro num olho na estação de comboios do Entroncamento pelo senador João de Freitas, um conservador, logo assassinado ali. 

 

De 3 a 9 de Fevereiro de 1927, com Júpiter em 3º-5º de Peixes, eclode e fracassa uma insurreição militar e popular antifascista dirigida pelo general Sousa Dias e Raul Proença, com o regimento de Caçadores 9, no Porto, do dia 3 ao dia 7, e por Mendes dos Reis Agatão Lança, com forças da GNR e da Marinha em Lisboa, do dia 5 ao dia 9, havendo centenas de mortos.

 

De 25 de Abril de 1974 a 14 de Março de 1975, com Júpiter em 10º- 17º-7º- 29º do signo de Peixes, eclode a revolução dos cravos que derruba a ditadura colonial-fascista e envereda por um socialismo revolucionário militar, com o golpe triunfante do Movimento das Forças Armadas prendendo o primeiro-ministro Marcelo Caetano e tomando a sede da Direção Geral de Segurança (ex PIDE) que mata 4 populares (25 de Abril), a ascensão de Vasco Gonçalves a primeiro-ministro num clima de greves generalizadas (18 de Julho), a mobilização popular de rua contra o golpe direitista da «maioria silenciosa» (28 de Setembro) e a demissão do conservador presidente da República general Spínola substituído pelo hábil e ambíguo general Costa Gomes (30 de Setembro), o golpe militar conservador fracassado, do general Spínola levando os paraquedistas de Tancos a atacar o regimento de Artilharia 1, em Sacavém, vanguarda da revolução (11 de Março) seguido da criação do Conselho da Revolução e da nacionalização de bancos e companhias de seguros portugueses (12-14 de Março).

 

Nada disto, nenhuma destas leis astronómico-sociais, é do conhecimento dos ilustres catedráticos de história, política ou sociologia José Matoso, António Borges Coelho, João Medina, António José Telo, Adriano Moreira, Nuno Rogeiro, Manuel Vilaverde Cabral, Manuel Braga da Cruz, Boaventura Sousa Santos, José Pacheco Pereira, António Barreto e todos os outros. Nunca foram capazes de conceber que «o que está em baixo é como o que está em cima, o microcosmos é o espelho do macrocosmos.», não conseguiram descortinar a correspondência exacta entre a Terra e o Céu das constelações e signos. Husserl, Russel, Whitehead, Heidegger, Sartre, Popper, Rawls, Carl Sagan, Hubert Reeves não sabiam nem saberiam isto. Peter Singer, Simon Blackburn, Anthony Kenny, o laureado Thomas Nagel nada sabem disto nem querem saber, de tão obtusas que são as suas mentes.

 

José Gil, Eduardo Lourenço, Manuel Maria Carrilho, João Branquinho, Desidério Murcho, Pedro Galvão, Vitor Guerreiro, Carlos Fiolhais, António Zilhão, Ricardo Santos, Viriato Soromenho Marques, Porfírio Silva, Alexandre Franco de Sá, Olivier Feron, José Caselas e muitos outros não só nada sabem disto como negam, aberta ou encapotadamente, a predestinação astrológica e zodiacal de todos os acontecimentos históricos e sociais. E como carecem de honestidade em grau bastante para revelar a ignorância e o preconceito que os enforma neste assunto, evitá-lo-ão e nunca admitirão que tenho razão, excepto se a Astrologia Histórico-Social, que represento, for divulgada, mediante uma editora poderosa, junto do grande público.

 

Está tudo invertido na hierarquia do saber institucional: os néscios, que fizeram mestrados e doutoramentos em filosofia, história, astrofísica, etc, ocupam as cátedras universitárias, dominam as revistas de ciências e filosofia, os foruns televisivos e outros, editam livros, etc, nada sabem sobre isto  e proclamam que «a astrologia é uma farsa, uma mística, e não há nenhumas leis planetário-zodiacais a determinar a vida biofísica na Terra, a sociedade humana nos planos económico, político, religioso, etc» ao passo que nós, os que investigamos e conquistamos este saber empírico-racional, somos proscritos da universidade, dos foruns e os editores portugueses, servis perante a cátedra e os iluminatti, recusam publicar-nos. Que país é este, governado por elites de medíocres doutorados e licenciados? Que país é este em que as universidades não estão ao serviço da verdade mas das carreiras dos instalados, ao menos na área da filosofia, da sociologia e da história?

 

É um país e um planeta onde os medianos, os medíocres imperam, e os interesses de carreira de alguns impedem a difusão da verdade científica. Isto prova de que a universidade, em especial na área da filosofia, é relativamente grosseira: sectorialmente inteligente, com análises agudas sobre diversos temas, a universidade e os filósofos triunfantes carecem de inteligência holística, de visão global, praticam o fascismo epistemológico, a censura sobre a astrologia e o esoterismo digno de estudo.

 

A filosofia e a história universitárias, de cátedra, estão marcadas pelo signo da estupidez, da ininteligência absoluta. Só vêem as zonas intermédias da realidade: não ascendem ao polo da visão geral - os graus do Zodíaco na sua conexão com os factos terrestres - nem descem ao polo das minúcias, dos detalhes - cada acontecimento histórico, como a queda de um avião no Quénia, a marcha do Sindicato dos Trabalhadores do Campo Andaluz sobre Jaén, ou a queda de uma pessoa da ponte Vasco da Gama. Os catedráticos de filosofia e história são quase todos relativamente broncos, mutilam a visão da realidade. E a legião de professores do ensino secundário que os seguem, bastante embrutecida pela filosofia analítica que não analisa o mundo real mas se compraz em exercícios menores de lógica, é igualmente destituída de pensamento holístico e concreto.

 

 Esta legião de docentes, epistemologicamente fascista - mesmo que vote no Bloco de Esquerda, no PCP, no PS ou no PSD, suprime, de forma raivosa e fascista, qualquer debate sério sobre astrologia - é  a incarnação da imbecilidade anti-astrológica de que o papa (em inglês : Pope) da epistemologia superficial, Karl Popper, foi o comandante e expoente maior.

 

Será injusto classificar de «asnos intelectuais» criaturas como Bertrand Russel, Martin Heidegger, Simon Blackburn, Thomas Nagel, John Searle, José Gil, Manuel Maria Carrilho, Miguel Reale, José Mattoso, Boaventura Sousa Santos, José Pacheco Pereira, José António Saraiva, Marcelo Rebelo de Sousa, Desidério Murcho, Olivier Feron, Pedro Galvão, Aires Almeida e milhares de outros sociólogos e parafilósofos na medida em que sempre ignoraram, depreciaram e ridicularizaram, em nome do «racionalismo», o princípio do determinismo astrológico e sempre negaram que os acontecimentos político-sociais e biofísicos estejam completamente predestinados pelas movimentações planetárias? Não, não é injusto.

 

A astrologia tradicional - em Portugal representada por Flávia Monsaraz, Paulo Cardoso, Luís Resina, Luís Ribeiro, Helena Avelar e outros - assenta em erros metafísicos - como a teoria das 12 casas e das regências planetárias, a ignorância do significado político, económico, religioso, artístico, geográfico, etc, de cada um dos 360º do Zodíaco - e transforma-se quase sempre, num discurso vago, simbólico, místico, que não é sério nem interessa a quem, como nós, edifica a ciência astrológica do rigor historicista, matematizável, suprema ontologia.

 

Note-se que, nos livros que publicam, estes astrólogos tradicionais/comerciais omitem, na bibliografia, qualquer referência às minhas obras de Astrologia Histórico-Social que explanam as duas teorias que transformam a Astrologia em ciência exacta ou quase exacta: a teoria do significado político, económico, religioso, artístico, técnico,biofísico de cada um dos 360 graus do Zodíaco e a teoria dos graus e minutos numericamente homólogos entre si. Não é só a típica inveja profissional portuguesa que explica esta omissão. Ela exprime a aliança astrólogos «humanistas» anti historicistas/ professores universitários e liceais anti astrologia/ igreja católica e outras/ jornalistas e editores servis e corruptos/ burguesia ávida do máximo lucro contra a astrologia da predestinação absoluta ancorada em factos sociais indesmentíveis.

 

  

 
www.filosofar.blogs.sapo.pt


f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:33
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Vénus em 6º de Virgem na ...

Breves reflexões de Junho...

Astrologia: Marcelo presi...

Temporais em Portugal e á...

Previsões astrológicas pa...

O ciclo de 12 anos de Júp...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds