Quinta-feira, 9 de Maio de 2019
Reflexões de circunstância, de Maio de 2019.

 

 

O LIVRE-ARBÍTRIO NÃO PODE TER SIDO CRIADO POR DEUS. Se Deus dotasse o homem de livre-arbítrio estaria, de certo modo, a induzi-lo na via do pecado porque o livre-arbítrio é a escolha racional entre o bem e o mal a cada instante, entre um e vários caminhos ou modos de comportamento. Assim, o Deus do Amor não pode criar um ser imperfeito como o homem. Pode dar apenas a este a centelha luminosa do Amor na alma, o desejo de atingir a perfeição e ascender ao Paraíso.

 

O TEMOR DE DEUS OBRIGA-NOS A REZAR EM FAVOR DOS MORTOS E DOS VIVOS. São João dizia "todo espírito que não proclama Jesus esse não é de Deus, mas é o espírito do Anticristo de cuja vinda tendes ouvido, e já está agora no mundo."

São João escreveu que »No amor não há temor; pelo contrário, o perfeito amor lança fora o temor; de facto, o temor pressupõe castigo, e quem teme não é perfeito no amor». A verdade é que se não temêssemos o inferno ou as chamas do purgatório teríamos um comportamento muito mais relaxado, libertino, pecaminoso.

Os místicos como São Pio de Pietrelcina dizem: «Rezai, rezai continuamente, mesmo sem vontade.» A oração salva muitas almas de cair no inferno e cura doenças e estados de abandono, desemprego e carências alimentares neste mundo terreno. As falsas religiões como o judaísmo, o islamismo, o hinduísmo, o budismo não salvam, coisa que as mentes relativistas da nossa época têm dificuldade em aceitar.

 

DEUS SÓ PODE FAZER O BEM, LOGO NÃO CRIOU O INFERNO, REINO DE LÚCIFER. A ideia de que Deus é o criador de todas as coisas visíveis e invisíveis é teologicamente errónea porque muitas coisas visíveis e invisíveis são más por essência ou por acidente. Há portanto dois criadores: o Deus do Bem, incluindo a deusa Guan Min (a Minné dos cátaros) e Lúcifer o Deus do Mal e da matéria.

 

SINCRONISMO ONTOFONÉTICO-Em 7 e 8 de Maio de 2019, a ideia de MOURA está em foco: no dia 7, pelas 22 horas, uma ambulância da Cruz Vermelha de MOURA, Alentejo, cai numa ravina perto de Safara, morrendo dois dos seus ocupantes; no dia 8, Lucas MOURA marca os três golos com que o Tottenham derrotou o Ajax garantindo a passagem à final da Liga de Campeões em futebol.

 

SEVILHA E SOR ANGELA DE LA CRUZ. 11 de Maio de 2019. Viajamos a Sevilha desde Beringel, saindo às 7.15 horas, no autocarro do clube taurino desta vila alentejana. Pedro e eu acompanhamos 4 amigas de Ferreira do Alentejo. Almoçamos juntos, quase todos a mesma sopa cordobesa: salmorejo. Na praça do duque da Victoria, o famoso Espartero do século XIX. Quando eu disse «Vamos visitar a santa de corpo incorrupto»todos concordaram. O calor era muito. E tomamos o caminho da igreja da Encarnação, em cujo convento jaz o cadáver de Santa Angela de la Cruz (30 de Janeiro de 1846, Sevilha; 2 de Março de 1932, Sevilha), a freira fundadora das Irmãs da Companhia da Cruz, um instituto religioso católico romano dedicado a ajudar os pobres abandonados e os doentes sem ninguém para cuidar deles.

 

Rezamos na capela onde está exposto dentro de um altar envidraçado o corpo da santa, às 15 horas. Que paz! Fátima e Vera dizem: «Até parece que o corpo da santa respira». É fantástico rezar - a imaginação tem um papel fundamental, só ela abre ou cria um mundo místico. Mesmo que Deus não existisse, tu poderias inventá-lo. E orei com fé. Escreve-se num papel um pedido e mete-se numa caixa que depois as freiras abrirão, lerão o papel e, suponho, incluirão os pedidos nas suas orações.Vejo as freiras na igreja ao lado de braços abertos adorando misticamente o Santíssimo (a hóstia grande) exposto na custódia.

 

Sinto falta da missa latina de São Pio V, hierática, profunda, em que se comungava de joelhos, diferente das actuais eucaristias liberais e demo-maçónicas, quase isentas de mística. Mas eu não sou um católico verdadeiro, as raízes da filosofia cátara impregnam-me: o mundo da matéria foi criado por um Demiurgo, um deus degenerado, ou por Satã, a nossa alma superior, o Nous de Platão, foi criado pelo verdadeiro Deus do Amor ou por Minne, a Mãe Universal, o lado feminino de Deus, de que a Virgem Maria é mensageira. A solução é rezar, rezar sempre mesmo sem vontade.

 

Voltamos para Beja pelas 22 horas. Uns tinham ido assistir à tourada na Maestranza - 37 euros cada bilhete em bancadas expostas ao sol, vendo pessoas desmaiar. Eu sou de livros e redescobri aberta, com prazer, a livraria Beta, da calle Sierpes, agora com novo nome: livraria Verbo. Adoraria voltar a Beja com uma mala cheia de livros mas há limites orçamentais...Que fantástico é circular em Sevilha, cidade mágica.

 

SINCRONISMO ONTOFONÉTICO. Em 17 e 18 de Maio de 2019, as ideias de PEIXE, RECUPERAÇÃO e COURO estão em foco: no dia 17, quando estou na esplanada do café Luís da Rocha, noto, pelas 19 horas, a chegada da manifestação de rua da CDU bejense envolvendo o candidato João PEIXOTO (evoca: PEIXE) Ferreira, consigo RECUPERAR um ficheiro informático que há dias se corrompera; no dia 18, desloco-me à Feira Islâmica de Mértola, evento de grande beleza pela arquitectura de Mértola e pelo colorido das tendas com ar...tigos multicolores da civilização islâmica, folheio o CORÂO numa banca (evoca: COURO), compro um cinto de COURO, encontro casualmente PEIXE, vendedor de automóveis em Beja e conversamos, encontro Ivo Figueira, campeão nacional de PESCA desportiva e aluno da ESDG, António Joaquim (primo) diz-me que a câmara de Ferreira do Alentejo tenta RECUPERAR a pureza da água contaminadas pelos químicos dos olivais superintensivos e intensivos que o governo PS e a comissão europeia ao serviço da monsanto estimulamo Benfica RECUPERA o título de campeão da primeira Liga de Futebol.

 

 

CATARINA DIZ-ME: «O AMOR NÃO EXISTE, O PROFESSOR TEM RAZÃO». Expliquemo-nos: o único amor que existe é o amor a si mesmo, o amor-próprio. O amor aos outros enquanto indivíduos particulares não existe em si mesmo, é apenas a modalidade externa e sedutora do amor-próprio, é acidental. Só amo aquela mulher enquanto ela for linda e doce comigo, se ela me trair ou roubar, o amor cessa - ou seja, permanece o amor próprio. Só amo a Deus porque Ele me mantém vivo e optimista e me promete o Paraíso quando morrer - e isto é ainda amor próprio.

 

SER FELIZ NESTE MUNDO É, EM REGRA, SER INFELIZ NO OUTRO MUNDO DO ALÉM. Este é o ensinamento, aparentemente cruel, da mística cristã. Dizia o Padre Pio de Pietrelcina, místico italiano: «Eu amo-te e peço a Jesus que te faça conhecer o amor, porque pelo amor chegamos ao sofrimento. Nós nascemos para sofrer.»

Isto opõe-se radicalmente aos que dizem: «Faz o que te dá prazer, sem regras morais, sem remorsos, a vida é só esta e há que aproveitá-la bem.» Mas mesmo estes hedonistas, não cristãos, experimentam o sofrimento com os seus apetites desenfreados: lá vem uma doença grave, uma perda de emprego, uma separação sentimental dolorosa....

 

PARA NÓS, OS MACHOS TRADICIONAIS, INCLUSIVE OS QUE COMO EU SE MASCARAM NO CORSO DE CARNAVAL, A REVOLUÇÃO SEXUAL «LIBERTADORA DA MULHER» É UM DESASTRE. Onde arranjar uma mulher em condições, fiel por anos e anos, «para toda la vida», doce e a saber cozinhar bem, passar a roupa a ferro, arrumar a casa, crente em Deus e disposta a orar o rosário com o marido e os filhos?

 

As adolescentes e mulheres que imigram do Alentejo, das Beiras e Trás os Montes para Lisboa e Porto, cidades de costumes corrompidos, correm riscos de cair no pântano: uma parte delas cai na promiscuidade sexual, na prostituição, porque a necessidade de dinheiro, estudos universitários, roupas e automóveis caros fala mais alto. Um amigo diz-me: «Aqui no Alentejo, nas aldeias pequenas, ainda se encontram mulheres virgens e outras que não tiveram mais que um parceiro, mulheres decentes.»

 

Na igreja ultracatólica de El Palmar de Troya, Andaluzia, as regras da decência no vestir (decreto de 9 de Outubro de 1985 do papa cego Clemente) impunham que a mulher, tanto na igreja como na rua e em casa, nunca use calças nem pijama de duas peças, que são vestuário masculino, e que o vestido que use seja não transparente, não muito cingido ao corpo, sem decote, de mangas compridas, com a saia a cair pelo menos 4 dedos abaixo do joelho. Às mulheres que se vestem ousadamente e se iam confessar o Padre Pio dizia: «Porcalhona! Vai de imediato cobrir os braços e os ombros para não arderes no fogo do purgatório»!

 

PORQUE É QUE COSTA E O PS COM 33,3% DE VOTOS AFUNDARAM RIO E O PSD COM 21,9% DE VOTOS NAS ELEIÇÕES EUROPEIAS DE 26 DE MAIO DE 2019? Porque a COSTA enfrenta e concilia-se com o MAR que é muito mais vasto e poderoso que o RIO.

 

POR QUE RAZÃO MARISA MATIAS E O BE FICARAM À FRENTE DE JOÃO PEIXOTO FERREIRA E DA CDU NO NÚMERO DE VOTOS NAS ELEIÇÕES EUROPEIAS? Porque o MAR ( MARISA) é muito maior do que o PEIXE (PEIXOTO).

 

AS MULHERES FICAM MUITO MAIS FEMININAS USANDO SAIAS (A CAIR ABAIXO DOS JOELHOS) DO QUE USANDO CALÇAS OU MINI-SAIA. Quase ninguém reflecte sobre essa mudança que masculinizou a mulher e retirou encanto e intensidade à atração heterossexual. Acha-se «normal» que a mulher se travista com calças mas o inverso, o uso de saias pelo homem é apontado como anormal. De um site brasileiro retirei o seguinte comentário:

«Durante o período da Segunda Guerra Mundial, as mulheres norte-american...as, que haviam conquistado o direito ao voto no ano de 1920, substituíram os homens nas fábricas e conquistaram, também, o direito ao uso da calça em denim com modelagem adequada ao seu corpo, quando a Levi's lançou a Lady Levi’s 701, em 1935. Deste modo, as mulheres só foram receber a devida atenção da indústria do jeans muito tempo depois dos homens.
Até o começo dos anos 6O não era muito comum uma mulher usar calças, restrito apenas as mulheres ousadas. E hoje, ironicamente, todas as mulheres, com exceção das religiosas, usam calças.»

 

Psicanaliticamente, em minha opinião, o uso generalizado de calças pelas mulheres aumenta o número de homossexuais masculinos. A mulher de calças é psiquicamente mais masculina do que a mulher de saia ou vestido. E corre o risco de ser lançada no Inferno eterno pois desafiou o Deus dos universos em nome da «liberdade de ser o que se quiser».

No Antigo Testamento, no livro do Deuteronómio, 22-5, está escrito: «A mulher não deverá usar roupas masculinas, e o homem não se vestirá com roupas de mulher, pois Yahweh, o teu Deus, tem aversão por toda pessoa que assim procede.»

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:23
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 6 de Maio de 2019
Mística Alexandrina Costa e Astrologia Histórica

 

Alexandrina Maria da Costa (30 de Março de 1904, Balasar, distrito do Porto-13 de Outubro de 1955, Balasar) foi uma mística católica, entrevada, que teve visões de Jesus Cristo e da Virgem Maria e que misticamente desposou Jesus (para os ateus e agnósticos: imagina que desposou) e viveu a paixão de Cristo e desceu ao inferno (interpretação do ateu: alucinações). Procuro aqui estabelecer apenas correlações entre esses fenómenos e graus do Zodíaco sem tomar partido, fenomenologicamente. A base factual desta investigação é o livro «Alexandrina» de Humberto Pasquale, Edições Salesianas, Porto,  5ª edição,1985).

 

GRAU 19º-21º DO SIGNO DE CARANGUEJO

JARDIM MÍSTICO,  INFERNO

 

A área 19º-21º do signo de Caranguejo (área 109º-111º de longitude eclíptica) liga-se à visão mística de um jardim celeste, em Alexandrina Costa,  em que Jesus é jardineiro.  Liga-se também à visão do inferno e sensação de estar imerso nele.

 

Em 16 de Novembro de 1944, com Nodo Norte da Lua em 19º 52´/ 19º 43´de Caranguejo, Alexandrina Costa vê um jardim em si mesma e nele Jesus a enlevar-Se entre as flores (sacrifícios de Alexandrina, almas santificadas) que são obra sua.

 

Em 11 de Fevereiro de 1955, com Júpiter em 21º 41´/ 21º 35´ do signo de Caranguejo, Alexandrina Costa vê de novo o símbolo do jardim e Jesus Cristo que lhe diz «Olha, repara no jardineiro Divino, estou a regar as flores do teu jardim, em terreno por Mim cultivado.»

 

Em 13 de Julho de 1917, com Mercúrio em 20º 22´/ 22º 31´ do signo de Caranguejo, a Senhora de Fátima aparece, na Cova da Iria,  aos pastorinhos Jacinta, Lúcia e Francisco Marto e mostra-lhes a visão do inferno com milhões de almas a arder no fogo atormentadas por demónios monstruosos.

 

Em 13 de Agosto de 1945, com Saturno em 19º 3´/ 19º 10´  do signo de Caranguejo, a mística Alexandrina Costa escreve «Sinto-me como se estivesse condenada ao inferno. A minha alma sente aqueles horrorosos suplícios. São os olhos da alma que vêem os demónios atormentadores».

 

Em 6 de Setembro de 1945, com Saturno em 21º 39´/ 21º 45´  de Caranguejo, Alexandrina Costa escreve «O inferno, ai o que é o inferno, o que lá se sofre!». 

 

ÁREA 13º-15º DO SIGNO DE VIRGEM:

SATANÁS

 

A área 13º-15º do signo de Virgem conexiona-se com visões ou possessões de Satanás, o Diabo.

 

Em 7 de Outubro de 1937, com Vénus em 14º 24´/ 15º 37´ do signo de Virgem, Alexandrina Costa, entrevada, sofre possessão momentânea por Satanás, tentando despedaçar-se contra os ferros da cama, morder-se, a ponto de que nem quatro pessoas a conseguem dominar.

 

Em 27 de Setembro de 1944, com Júpiter em 13º 15´/ 13º 27´ do signo de Virgem, Alexandrina Costa escreve "O demónio aparece-me em diversas ocasiões do dia e da noite, ora em forma de homem preso à cintura, ora em forma de leão preso ao pescoço, tentando assaltos tremendos, mas sem nunca conseguir tocar a minha pessoa".

 

ÁREA 3º-4º DO SIGNO DE BALANÇA:

O PARAÍSO CELESTE

 

A área 3º-4º do signo de Balança conexiona-se, nos estados de alma de Alexandrina, com o Paraíso cristão, o Céu de Jesus e do Espírito Santo. 

 

Em 30 de Março de 1945, com Neptuno em 4º 58´/ 4º 56´  do signo de Balança, Alexandrina Costa, no meio de intensas dores místicas, tem a impressão de que a abóbada do Céu desce sobre ela e grita "Que belo!  Que belo! Que luz!  Que luz!".

 

Em 27 de Setembro de 1946, com Sol em 3º 16´/ 4º 15´ do signo de Balança,  Alexandrina Costa escreve "A minha alma gozou um pouco a vida do céu, o gozo da alma na posse do seu Deus. E tive a visão de uma mansão de almas que gozavam a mesma vida divina, todas embebidas no amor de Jesus".

 

ÁREA 15º-16º DO SIGNO DE BALANÇA:

 ALMA VÍTIMA PELOS PECADOS DO MUNDO

 

A área 15º-16º do signo de Balança (graus 195 e 196 de longitude eclíptica para os astrónomos que não gostam de falar em signos ou arcos do céu de 30º cada) conexiona-se com a ideia de alma vítima no catolicismo e na vivência mística de Alexandrina.

 

Em 4 de Julho de 1940, com Nodo Norte da Lua em 16º 4´/ 15º 52´do signo de Balança, Alexandrina Costa oferece-se a Jesus para ser vítima, junto com outras almas do mundo, em união com Nossa Senhora para obter a paz para Portugal e Jesus aceita a oferta e diz-lhe que «Portugal será salvo».

 

Em 10 de Março de 1950, com Neptuno em 16º 42´/ 16º 41´ do signo de Balança, Jesus mostra misticamente a Alexandrina Costa a necessidade de multiplicar as almas vítimas no mundo.

 

ÁREA 0º-3º DO SIGNO DE ESCORPIÃO:

PURGATÓRIO

 

A área 0º-3º do signo de Escorpião indica o Purgatório, lugar de expiação dos pecados cometidos na vida terrena.

 

Em 31 de Outubro de 1943, com Mercúrio em 0º 2´/ 1º 42´do signo de Escorpião, Alexandrina Costa sofre, misticamente, as penas das almas do Purgatório. 

 

Em 21 de Julho de 1982, com Júpiter em 1º 14´/ 1º 18´ do signo de Escorpião, a Virgem Maria diz aos videntes de Medjugorge que «No purgatório há muitas almas, há mesmo pessoas consagradas a Deus, padres e religiosas, rezai mem sua intenção pelo menos sete Pai Nosso, Avé Maria, Glória e o Credo, eu recomendo-vos, há muitas almas que estão no purgatório há muito tempo, porque ninguém reza por elas».

 

Em 4 de Novembro de 1982, com Mercúrio em 1º 34´/ 3º 13´ do signo de Escorpião, a Virgem Maria, em aparição em Medjugorge, diz aos videntes sobre a visão que uma pessoa teve em Mostar «Foi uma visão verdadeira. Eram almas do purgatório da sua família. É preciso rezar por elas.»

 

ÁREA 7º-8º DO SIGNO DE ESCORPIÃO:

CONSAGRAÇÃO DO MUNDO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

 

A área 7º-8º do signo de Escorpião articula-se com a ideia de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria.

 

Em 20 de Março de 1939, com Nodo Norte da Lua em 9º 0´/ 8º 53´ do signo de Escorpião,  Jesus diz a Alexandrina Costa, a respeito do novo papa católico romano, que »é este Papa que consagrará o mundo ao Coração de Minha Mãe»

 

Em 16 de Junho de 1939, com Nodo Norte da Lua em 7º  37´/ 7º 32´ do signo de Escorpião, Marte em 4º 25´/ 4º 30´ do signo de Aquário, Alexandrina Costa sente que Jesus lhe pede para que inste com o papa de Roma para que faça a Consagração do Mundo ao Coração Imaculado de Maria.

 

Em 31 de Outubro de 1942, com Sol em 6º 55´/ 7º 56´do signo de Escorpião, em cerimónia pública, o Papa Pio XII consagra o mundo ao Imaculado Coração de Maria atendente aos pedidos que a mística Alexandrina Costa lhe fez de Portugal, no momento crítico da II Guerra Mundial em que as tropas alemãs de Rommel avançavam sobre o Canal de Suez e a União Soviética de Estaline era invadida pelos exércitos de Hitler.

 

ÁREA 1º-4º DO SIGNO DE AQUÁRIO:

CONSAGRAÇÃO DO MUNDO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

 

A área 1º-4º do signo de Aquário conexiona-se com a ideia de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria.

 

Em 16 de Junho de 1939, com Marte em 4º 25´/ 4º 30´ do signo de Aquário, Alexandrina Costa sente que Jesus lhe pede para que inste com o papa de Roma para que faça a Consagração do Mundo ao Coração Imaculado de Maria.

 

Em 5 de Abril de 1941, com Marte em 1º 44' / 2º 26´ de Aquário,  Jesus pede com insistência à entrevada Alexandrina Costa a consagração do Mundo ao Coração de Maria.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:11
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 13 de Junho de 2017
Breves reflexões de Junho de 2017

 Eis algumas despretensiosas reflexões que brotam neste quente mês de Junho de 2017.

 

QUANDO MORRERES NINGUÉM OU QUASE NINGUÉM VAI DAR PELA TUA FALTA. Para que te preocupas, pois, com as críticas dos outros ao teu comportamento, críticas ditadas por inveja, preconceito, necessidade de te controlarem, de te manterem dentro do rebanho social? Vive e sê tu mesma/o. Os outros? Quase todos são apenas barreiras, objectos estranhos à tua liberdade.

 

ESCRAVO DO FACEBOOK. Sou um escravo voluntário da escrita no Facebook. Venho aí diariamente, leio e escrevo. Antes de mais, faço-o por necessidade do Intelecto Universal, o chamado Intelecto Agente que, como dizia Aristóteles, sobrevive à morte do indivíduo: há ideias que gero ou capto da Região Inefável que devem ser difundidas e ficar na platibanda do pensamento académico, modéstia áparte. Mas também o faço por amor erótico: há sempre uma mulher bela do lado de lá da web a quem se pode dirigir um galanteio, uma declaração de amor. Em terceiro lugar, faço-o por necessidade de explicar a minha postura pessoal, a ação no meio em que vivo: Baixo Alentejo, Portugal.

 

SINCRONISMOS FONÉTICOS . Em 11 e 12 de Junho de 2017, a ideia de MÁRIO está em foco: no dia 11, deflagra um incêndio num autocarro no túnel do MARÃO (evoca: MÁRIO), noticia-se que os estados norte-americanos de MARYland (evoca: MÁRIO) e Columbia vão processar o presidente Trump por receber indevidamente milhões de dólares através de empresas suas; no dia 12, de madrugada, na Nora de Serpa, MAIRA (evoca: MÁRIO) Baldaia e a sua banda brasileira dão um concerto musical, falece em Santarém MÁRIO Brito, de 76 anos de idade, engenheiro de telecomunicações, portuense.

 

COM A ALTA VELOCIDADE DE ROTAÇÃO DAS TROCAS DE PARCEIRO NO AMOR, A VISÃO ECONOMICISTA E INDIVIDUALISTA DA VIDA IMPERA. Elas já não gostam de nós, em regra: medem a marca do automóvel que temos, o tamanho do nosso pénis em repouso, o saldo da nossa conta bancária, as vezes que lhes pagamos o jantar ou o lanche ou as levamos à discoteca, o nosso status social (empregado bancário, médico, professor, agricultor rico, etc) . Mas o inverso também é verdade: olhamos para elas como objectos sexuais , como «gajas a levar para a cama e largar logo que estejamos saciados». É um mundo pragmático de usar os outros enquanto nos são úteis: é como o aluguer de quartos em Lisboa, dá dinheiro, aluga-se já a turistas por uns dias, nada de alugueres por anos e anos à mesma pessoa ou família. O amor romântico acabou, ninguém ama ninguém de forma continuada. David Hume tinha razão: não temos um eu fixo, somos um fluxo de imagens a correr algures. Salvam-se alguns honrosos casamentos e uniões de facto onde o amor paixão unido ao amor romântico prevalecem.

 

OS FESTIVAIS MUSICAIS DE VERÃO COMO O MEO SUDOESTE, que se inicia a 1 de Agosto de 2017 em Zambujeira do Mar, costa alentejana, não passam de modos de alienação da juventude e dos trabalhadores em geral. Os artistas, vendidos ao grande capital, não denunciam a Nova Ordem Mundial do governo único, da precariedade de emprego, do lançamento de guerras imperialistas onde quer que as chefias dos EUA e da Rússia ou da UE achem necessário. Muita música, droga, sexo promíscuo sem preservativos, alcool - eis a falsa ou superficial amizade que se forja nesses aglomerados de dezenas de milhar de pessoas. No resto do ano, o capitalismo aumenta o ritmo de trabalho dos assalariados, oferece bares e copos e muito stress a quem vive só do seu salário (proletariado).

 

PORQUE VAMOS A SERPA OUVIR ANTÓNIO ZAMBUJO? Não é, essencialmente, para ouvir o artista alentejano. É para ver as mulheres belas que se aglomeram na Praça da República. E para saudar um ou outro amigo que vive em Serpa com quem temos colóquios culturais. E para desfrutar da noite de Lua em Capricórnio - a Lua Cheia foi ontem, 10 de Junho, às 21 h 44, com a Lua em 18º do signo de Sagitário - que as noites de luar no Alentejo são lindas e sensuais. E para orar ao Grande Arquitecto do Universo.

 

BEJA AUTO-DESTRUTIVA POR FORÇA DA ELITE POLÍTICO-ECONÓMICA LOCAL . 11 de Junho de 2017. Estou a visitar a exposição de gravuras de Banda Desenhada expostas no Teatro Pax Julia, no centro de Beja e encontro Jorge, artista conceituado. Comenta-se: «Como é possível que tendo morrido (em 13 de Maio de 2017) Leonel Borrela, pintor e arqueólogo do património e funcionário do Museu Regional de Beja, que tanto deu a esta cidade investigando, pintando e teorizando sobre a sua arquitectura e história, não haja uma reprodução em grande de um quadro seu numa destas salas com os dizeres «Homenagem a Leonel Borrela, 1955-2017»? Beja é auto-destrutiva. A elite política e económica que domina a cidade quer apagar da memória os criadores, artísticos, literários, etc, que, bejenses de nascimento ou não, fazem obras de valor. Vê só o caso da taberna outrora atelier de pintura de Carlos Montes na Rua da Branca: aí aprenderam a pintar artistas bejenses e a câmara deveria preservar isso como espaço museológico. Eles querem é que sejamos esquecidos: morremos e ninguem homenageia os que prestigiamos a cidade com o nosso trabalho artístico e cultural. Beja é autofágica. Ingrata, madrasta.»

 

ALÉM DO PRAZER DAS FESTAS DE FIM DE SEMANA E DO SEXO TRANSBORDANTE HÁ ... O PARAÍSO. A vida moderna carece de sentido para os existencialismos ateu e agnóstico, filosofias dominantes nos dias de hoje na Europa do século XXI: «temos de gozar a vida, que bom aproveitar as noites de sexta e sábado nas discotecas e bares e às duas e meia da manhã conseguir levar uma mulher ( ou um homem) semi ébria para o automóvel ou para a cama e... fazer sexo! »Tantos homens e mulheres insatisfeitas a fumar e a beber alcool, a noite inteira, nos bares! Já fizemos muita coisa em termos de sexo - menos homossexualidade e certo tipo de perversões; o Diabo dotou-me de uma imaginação que vai até ao travestismo mas o Senhor Deus guarda-me na fronteira com o ilícito - e concluimos que tem que haver algo imóvel, superior à união sexual física: o Paraíso, que é a união íntima, «sexual» entre nós, espíritos, e Deus-Deusa (a Trindade , a Virgem Santa Maria).

Por isso, se estás insatisfeita/o, reza, persiste na oração - em especial o rosário à Virgem Maria - e virão as respostas adequadas. O sentido da vida é o Paraíso, o reino da beatitude, o Pleroma dos gnósticos. As nossas desventuras, aflições, doenças estão escritas nos astros, no Zodíaco (foi o Deus inferior, o demiurgo, que fabricou os astros, não Jesus nem os Eons do Pleroma). Nem Osho, com a sua técnica filosófica de meditação, consegue atingir os cumes da beatitude cristã. A meditação relaxa mas é preciso ver os deuses e os anjos. Eu amava uma mulher muito linda, há anos, e ela sofreu uma doença grave - foi uma provação que Deus enviou, com o ensinamento «Não ames apenas a beleza corporal, penetra no mistério do espírito, é uma mulher como as outras, frágil, um invólucro de carne perecível».

 

O meu pai, muito católico toda a vida, nos últimos anos de vida perdeu a esperança de salvar-se: dizia «estou condenado, atropelei de bicicleta uma velhinha quando tinha 15 anos de idade», tinha remorsos excessivos, o Demónio rondava-o. Qualquer que seja o teu passado, não tenhas remorsos: já passou. Se há desculpas a pedir a alguém, uma dívida a pagar fá-lo. Reza incessantemente, com descontração, sem ansiedade, e verás mudanças boas na tua vida, serenidade, paz.

 

AS ESCOLAS DE ASTROLOGIA QUE MARCAM PASSO. Sou autodidata em astrologia. Desprezo as escolas de astrologia, de um modo geral dominadas por dogmáticos estéreis: sem provas experimentais, dizem que «Vénus rege o signo de Balança» e que «há doze casas no horóscopo pessoal», etc. Eis títulos de alguns livros meus: «Ciclos astrológicos na História de Portugal» (ed autor 1985), «Leis planetárias em eleições gerais» (Estampa, 1996), «Sincronismos Cabala e Graus do Zodíaco» (Estampa,2001), «Astrología y guerra civil de España de 1936-1939» (ed. autor, 2006), «Acidentes em Lisboa na Astronomia-Astrologia» (Ed. Autor, 2008), «Álvaro Cunhal e Antifascismo na Astrologia Histórica» (Ed. Autor, 2013), « Astrologia Histórica» (Esfera do Caos, 2015). Oito livros ao todo. Os mais «prestigiados» astrólogos comerciais portugueses, como Paulo Cardoso, Luís Resina, Helena Avelar, Luís Ribeiro, Cristina Candeias, Vera Xavier ou Flávia Monsaraz, guardam rigoroso silêncio sobre as minhas obras porque não têm arcaboiço intelectual ou moral para as enfrentar e analisar criticamente nem possuem suficiente saber feito de investigação empírica. Calam, ignoram para silenciar a dissidência, a «heresia». Portugal, país de invejas: astrólogos que só procuram o enriquecimento pessoal financeiro, a imagem televisiva, não a verdade da ciência astrológica.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Reflexões de circunstânci...

Mística Alexandrina Costa...

Breves reflexões de Junho...

arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds