Sábado, 2 de Maio de 2020
Historiadores e Astrónomos desconhecem o ciclo de Júpiter na História Mundial

 

Heidegger faleceu em 26 de Maio de 1976, aos 86 anos de idade. Pode reconhecer-se nele a qualidade de um filósofo: uma inteligência reflexiva, analítica, superior ao comum dos mortais. Mas quase todos os filósofos e, por maioria de razão, os professores de filosofia sofrem de uma lacuna, uma deficiência: a falta de inteligência holística, a inteligência que capta o universo como um todo em que todas as partes interagem e que, intuitivamente, se apercebe de que as posições dos planetas, do Sol e dos nodos da Lua determinam todos os fenómenos biofísicos, socio-políticos, tecnológicos e culturais, de cada sociedade, de cada classe ou grupo social e de cada indivíduo.

 

Heidegger, tal como Descartes, Locke, Hume, Kant, Hegel, Frege, Russel, Wittgenstein, Sartre, Popper, Kuhn, Rawls, e tantos outros não possuía esse grau de inteligência holística. Se a tivesse poderia inverter a história da filosofia e fazê-la sair do túnel do "racionalismo estreito" e castrador. E fá-la-ia resplandecer restaurando o grande conceito do Renascimento e da Antiguidade Clássica de que «o microcosmos é o espelho do macrocosmos, o que está em baixo é como o que está em cima, a ordem inferior obedece à ordem superior». E Heidegger tinha dados para operar esse regresso à visão holística do cosmos?

 

Seguramente, tinha. Bastava que considerasse com atenção o ciclo de cerca de 12 anos de Júpiter a percorrer os 12 signos - arcos do céu de 0º a 30º cada um: Carneiro de 0º a 30º, Touro de 30º a 60º, Gémeos de 60º a 90º., etc. - e de doze em doze anos notar as repetições de tendências histórico-políticas e económicas que se podem associar a repetição do trânsito de Júpiter.

 

JÚPITER NO SIGNO DE CARNEIRO:

VIRAGENS GOVERNAMENTAIS DIREITISTAS EM  PORTUGAL, BRASIL E ARGENTINA

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Carneiro - de 0º a 30º de longitude eclíptica - associa-se a viragens à direita, neoliberal, católica ou fascista, pelo menos em Portugal, Brasil e Argentina.

 

Em 26 de Abril de 1928, com  Júpiter em  21º 12´/ 21º 27´ do signo de Carneiro, Oliveira Salazar, do Centro Católico, é nomeado ministro das Finanças do 4º governo da Ditadura Militar de direita em Portugal. 

 

De 31 de Março a 11 de Abril de 1964, com Júpiter em 27º 5´/ 29º 56´ do signo de Carneiro,  um golpe militar de direita triunfa no Brasil, desencadeado  em Minas Gerais, pelos generais Olímpio Mourão Filho e Carlos Luís Guedes, comandantes da IV Região Militar e da IV Infantaria Divisória,  cujas tropas marcham para Brasília e Rio de Janeiro (31 de Março) ocorrendo a fuga do presidente da república João Goulart para Porto Alegre (1 de Abril) com pedido de asilo ao Uruguai após não aceitar a proposta do governador Leonel Brizola para resistir (4 de Abril) e a eleição pelo Congresso Nacional do general Humberto de Alencar Castello Branco, presidente da República do Brasil, fascizante(11 de Abril).

 

Em 24  de Março de 1976, com Júpiter em 29º 27´/ 29º 40´ do signo de Carneiro,  um golpe militar de direita derruba o governo corrupto de Maria Estela Perón, colocando o poder nas mãos de uma Junta Militar chefiada pelo general Jorge Rafael Videla, pelo almirante Emilio Eduardo Massera e pelo brigadeiro Orlando Ramón Agosti que inaugura uma era de terror fascista que durará até 1983 com a desaparição de entre 7000 a 30 000 pessoas, muitas delas esquerdistas atirados ao mar desde aviões em voo. 

 

JÚPITER NO SIGNO DE TOURO:

REVOLUÇÃO NA RÚSSIA, COM OU SEM DESTITUIÇÃO OU MORTE DO CHEFE DE ESTADO OU DA OPOSIÇÃO

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Touro - de 30º a 60º de longitude eclíptica - associa-se a revolução popular ou palaciana na Rússia, com ou sem destituição ou morte do chefe de Estado ou do chefe da oposição.

 

De 8 de Março a 16 de Abril de 1917, com Júpiter em  4º 11´/ 12º 56´ de Touro, a revolução democrática triunfa na Rússia, com o início das manifestações de rua em Petrogrado, ou São Petersburgo (8 de Março) demissão do último governo czarista do príncipe Golitsyn (12 de Março), é criado o Soviete de Petrogrado (13 de Março) o czar Nicolau II abdica do poder (15 de Março), Lenine chega de comboio a São Petersburgo, recusa a aliança com os socialistas e apela à revolução proletária (16 de Abril).

 

Em 20 de Agosto de 1940, com Júpiter em 15º 17´/ 15º 20´ do signo de Touro, Ramon Mercader, um assassino de 27 anos ao serviço de Estaline, entra como amigo na casa do bairro de Coyocan, cidade do México, onde vive, com seguranças, Leon Trotsky, líder da IV Internacional, oposição de esquerda ao regime burocrático estalinista da URSS, e fere mortalmente na cabeça o velho Trotsky com golpes de uma picareta que traz escondida no sobretudo.

 

Em 5 de Março de 1953, com Júpiter em 16º  19´ / 16º 29´ do signo de Touro , morre, envenenado dias antes com vinho por Kruchev e Beria, Iosif Stalin, marechal do Exército Vermelho e primeiro secretário do Partido Comunista da URSS e a figura mais poderosa do Estado soviético, encerrando-se uma era de terror, de detenções e execuções arbitrárias na Rússia e repúblicas subordinadas.

 

Em 14 de Outubro de 1964com Júpiter em 24º 44´/ 24º 38´ do signo de Touro, em um golpe palaciano, Mikhail Suslov e outros membros em sessão plenária do Comité Central do Partido Comunista da União Soviética acusam Nikita Kruschev, secretário geral do CC, de má gestão da economia, em particular da incapacidade de as quintas colectivas abastecer o país com alimentos baratos e abundantes, e conseguem destitui-lo das suas responsabilidades no partido e no Estado substituindo-o por Leonid  Brejnev.

 

Em 26 de Março de 2000, com Júpiter em 7º 50´/ 8º 3´ do signo de Touro, Vladimir Putin, presidente interino escolhido por Ieltsin que renunciou ao cargo em 31 de Dezembro de 1999, é eleito presidente da Federação Russa.

 

JÚPITER NO SIGNO DE GÉMEOS:

ASCENSÃO DO COMUNISMO BOLCHEVIQUE AVANÇO DA  DIREITA EM PORTUGAL 

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Gémeos  - de 60º a 90º de longitude eclíptica - associa-se a vitórias ou reforço do poder do comunismo leninista na Rússia e ascensão da direita em Portugal

 

De 16 de Julho de 1917 a 5 de Julho de 1918, com Júpiter em 3º 13´/ 11º 31´/ 1º 28´/ 29º 3´do signo de Gémeos, promovendo a insurreição proletária e repartindo a terra entre os camponeses pobres os bolcheviques apoderam-se das rédeas do Estado na Rússia, com o  desfile armado dos marinheiros de Kronstad exigindo «Todo o poder aos Conselhos (Sovietes)  de Operários e Soldados» , tiroteios, invasão pelas tropas governamentais da sede do Partido Bolchevique que apoiou as greves (16 a 18 de Julho) ataque da Divisão Selvagem do general Krymov derrotado pela resistência dos operários de Petrogrado (7 a 12 de Setembro), a guarda vermelha bolchevique ocupa as pontes, as centrais eléctricas, as estações de Petrogrado e Kerenski chefe do governo foge (7 de Novembro) tomada do palácio de Inverno pelos bolcheviques e aprrovação no II Congresso Pan-Russo dos decretos sobre a paz e sobre a partilha da terra com Lenine à frente do novo governo (8 de Novembro), sublevação em Moscovo dos socialistas revolucionários contra o governo ditatorial bolchevique, derrotada (6-8 de Julho).

 

De 5 de Dezembro de 1917 a 9 de Maio de 1917, com Júpiter em 5º 39´/ 1º 28´/  15º 2´  do signo de Gémeos,  Sidónio Pais e a direita católica e latifundiária assumenm as alavancas de Estado da República, com a revolta armada de  parte do exército chefiada pelo conservador major Sidónio Pais e grupos de civis em que participam militantes de esquerda revolucionária da UON derrubando  pela insurreição armada o governo do PRP de Afonso Costa que, impopularmente, mantém Portugal no teatro da guerra mundial e é responsável pela carestia de vida(5 a 8 de Dezembro)  a eclosão e fracasso de uma revolta no quartel de marinheiros em Lisboa, ( 7 e 8 de Janeiro) iniciada  com a recusa de estes na tarde do dia 7, entregarem as suas munições a um camião do governo conservador do presidente Sidónio Pais que, entretanto, colocara tropas fiéis no Parque Eduardo VII, em Monsanto e no castelo de S.Jorge, seguindo-se a entrada de um batalhão de Sapadores no quartel de marinheiros, na madrugada de 8, com a rendição de 123 praças da Marinha e três sargentos, a revolta anti sidonista da guarnição do cruzador «Vasco da Gama», em reparação, que faz rebocar este até defronte do Terreiro do Paço onde é posto fora de combate devido aos disparos da artilharia do castelo de S.Jorge orientada pessoalmente por Sidónio Pais (8 de Janeiro) a imposição da censura à imprensa pelo governo de Sidónio Pais (13 de Abril) as eleições legislativas a que não concorrem os partidos republicanos ganhas pelos sidonistas (28 de Abril) a investidura de Sidónio como presidente da República Nova (9 de Maio).

 

JÚPITER NO SIGNO DE CARANGUEJO:

REVOLUÇÃO OU CRISE POLÍTICA GRAVE NA ALEMANHA E TRIUNFOS DA DIREITA EM PORTUGAL

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Caranguejo - de 90º a 120º de longitude eclíptica - associa-se a revolução popular ou palaciana ou grave crise político-social na Alemanha e a vitórias da direita em Portugal.

 

De 3 de Novembro de 1918 a 15 de Janeiro de 1919, com Júpiter de 15º 50´a 8º 57´ do signo de Caranguejo, dá-sefim da 1ª guerra mundial e da monarquia na Alemanha, a eclosão e a derrota da revolução  comunista espartaquista,  com graves motins na frota alemã em Kiel (3 de Novembro), a proclamação da república na Baviera e a eclosão da revolução em Berlim com a demissão do príncipe Max de chefe do governo, a abdicação do kaiser Guilherme II e a entrega do poder a um Conselho de Delegados do Povo (9 de Novembro), a assinatura do armistício que põe fim à 1ª Guerra Mundial (11 de Novembro),  a ocupação de Colónia pelas tropas dos Aliados (6 de Dezembro), a revolta armada do grupo marxista Spartacus em Berlim (5 a 11 de Janeiro) e o assassinato dos líderes do Spartacus Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht pelos militares direitistas (15 de Janeiro).

 

Em 14 de Setembro de 1930, com Júpiter em 15º 58´ /16º 7´  do signo de Caranguejo, a crise política agrava.se na Alemanha com as eleições ao parlamento federal em que o Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) continua a ser a força mais votada elegendo 147 deputados em um total de 577,   o Partido Nazi sobe de 12 para 107 deputados e o Partido Comunista sobe de 54 para 77 deputados. O governo manter-se-á nas mãos do chanceler Heinrich Brüning, do centro Católico, que governa por processos ditatoriais.

 

De 18 de Outubro a 7 de Dezembro de 1989, com Júpiter em 10º 40´ / 10º 53´ / 8º 21´ do signo de Caranguejo,  ocorre uma revolução na Alemanha com o desmoronamento do comunismo no Leste do país, a demissão do chefe de Estado  comunista da República Democrática Alemã  Erich Honnecker (18 de Outubro) incapaz de travar os protestos populares a favor da democratização como a que sucedia na URSS, a substituição de  Honnecker por Egon Krenz que ante a pressão do fluxo de milhares de alemães para a Hungria desde Maio e após a demissão de  uma série de ministros da RDA e  uma proposta de abertura das fronteiras com a Alemanha Ocidental (8 de Novembro) permite que milhares de pessoas comecem a derrubar o muro de Berlim que separa as duas Alemanhas e acedam ao mundo livre do Ocidente capitalista ( 9 e 10 de Novembro) demitindo-se um mês após a queda do muro (7 de Dezembro).

 

Em 8 de Dezembro de 1977, com Júpiter 3º 4´ / 2º 56´ do signo de Caranguejo, o governo minoritário do PS chefiado por Mário Soares é derrubado no parlamento português ao ser rejeitada a moção de confiança ao 1º governo constitucional por 159 votos contra (PSD, CDS, PCP, UDP e deputados independentes Carmelinda Pereira, Aires Rodrigues, Brás Pinto, Vital Rodrigues) e 100 votos a favor (PS).

 

De 24 a 28 de Julho de 1978, com Júpiter em 20º 52´/ 21º 58´ do signo de Caranguejo,  a direita e o presidente Eanes afastam o PS da governação, com a demissão dos 3 ministros do CDS (direita) que integram o governo do PS, chefiado por Mário Soares (24 de Julho) e o presidente Eanes comunica exonerar o 1º ministro (27 de Julho) por desaparecer a maioria parlamentar PS (103 deputados)- CDS (42 deputados)  publicando o decreto nº 75/ 78 no dia seguinte (28 de Julho).

 

De 16 de Dezembro de 2001 a 17 de Março de 2002, com Júpiter em 12º 46´/ 5º 37´/ 6º 13´ do signo de Caranguejo, a  direita (PSD, CDS) consegue expulsar o PS da governação, com a demissão do 1º ministro socialista António Guterres no dia em que  o PS é derrotado pelo PSD ao perder 14 câmaras municipais, entre elas Lisboa, Porto, Coimbra, Sintra, Faro, Portalegre, Famalicão e Setúbal nas eleições às autarquias locais (16 de Dezembro) e o triunfo em eleições legislativas (17 de Março) da coligação das direitas (PSD, 40, 25% de votos, 105 deputados eleitos + CDS, 8,72%, 14 deputados eleitos) com maioria absoluta (119 deputados em um total de 230) sobre o PS de Ferro Rodrigues (37,79 % de votos, 96 deputados eleitos) e a CDU (6,94% de votos, 12 deputados eleitos).

 

JÚPITER NO SIGNO DE LEÃO: 

OFENSIVA MILITAR NORTE-AMERICANA OU ISRAELISTA, VITÓRIA CONSERVADORA NO REINO UNIDO

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Leão - de 120º a  150º de longitude eclíptica - associa-se a guerras de conquista desencadeadas pelos EUA e por Israel e a triunfos do Partido Conservador nas eleições gerais parlamentares no Reino Unido.

 

Em 6 de Junho de 1944, com Júpiter em 21º 8´/ 21º 16´ do signo de Leão, 18 000 paraquedistas britânicos e norte-americanos são largados na Normandia, destruindo as linhas de comunicação alemãs, e facilitando o desembarque de soldados americanos, britânicos e canadianos, com mais de 76 tanques anfíbios, nas praias «Utah», «Gold», «Sword» e «Juno», de tal modo que 155 000 soldados aliados desembarcam na Normandia, noroeste da França,  neste primeiro dia da Operação Overlord.

 

De 5 a 10 de Junho de 1967, com Júpiter em 2º 9´/ 3º 15´ do signo de Leão,  Israel lança um ataque preventivo, designado Guerra dos Seis Dias, em que conquista o Sinai, a Margem Ocidental do Jordão, a Faixa de Gaza e a parte antiga de Jerusalém, mais de 350 000 árabes fogem para a Jordânia.

 

De 17 de Janeiro a 3 de Março de 1991,  com Júpiter em 10º 10´/ 4º 40` do signo de Leão, decorre a guerra do Golfo em que  tropas de uma coligação internacional liderada pelos EUA atacam o Iraque de Saddam Hussein despojando-o do Kuwait que Saddam ocupara cinco meses e meio antes, guerra com mais de  100 mil ataques áreos e surtidas, com pelo menos 88 500 toneladas de bombas lançadas pelo ar, destruindo  a infraestrutura militar do Iraque, a batalha de Wadi Al-Batinem em que tropas americanas e britânicas enfrentam militares iraquianos dentro do Iraque (15-20 de Fevereiro), culminando na invasão terrestre pelos EUA (24-27 de Fevereiro) e no cessar-fogo formal (3 de Março).

 

De  19 de Março a 1 de Maio de 2003,  com Júpiter em 8º 28´/ 8º 4´/ 9º 15´ do signo de Leão, os Estados Unidos, com 143 000 soldados, o  Reino Unido com 45 000 militares,  a Austrália com 2 000 e a Polônia apenas 194 soldados (a maioria forças especiais) invadem o Iraque e derrubam a ditadura de Sadam Hussein com o falso pretexto de que esta possuiria armas químicas.

 

Em 27 de Outubro de 1931, com Júpiter em 19º 43´/ 19º 51´do signo de Leão,  o Partido Conservador do primeiro-ministro Stanley Baldwin vence as eleições parlamentares no Reino Unido elegendo 521 deputados (60, 5% de votos) em um total de 615, ao passo que o Partido Trabalhista elege 52 deputados (30,6% de votos).

 

Em 3 de Maio de 1979, com Júpiter em 1º 11´/ 1º 17´do signo de Leão, o Partido Conservador liderado por Margaret Thatcher vence as eleições parlamentares no Reino Unido, elegendo 339 deputados (43,9% de votos) em um total de 635, derrotando o Partido Trabalhista do primeiro-ministro James Callaghan que elege 296 deputados (36,9% de votos).

 

Em 7 de Maio de 2015, com Júpiter em 13º 48´/ 13º 53´ do signo de Leão, o Partido Conservador do primeiro-ministro David Cameron vence as eleições parlamentares no Reino Unido elegendo 330 deputados (36,9 % de votos) em um total de 650, e o Partido Trabalhista elege 232 deputados (30,4%  de votos).

 

JÚPITER NO SIGNO DE BALANÇA:

GENERAL CHARLES DE GAULLE EM FRANÇA,  REPUBLICANISMO DE ESQUERDA EM PORTUGAL

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Balança - de 180º a 210º de longitude eclíptica - associa-se a períodos de ascensão política do general Charles de Gaulle em França e a triunfos do republicanismo de esquerda e do socialismo reformista em Portugal. 

 

De 27 de Agosto de 1945 a 20 de Janeiro de 1946, com Júpiter em 0º 21´/ 26º 40´ do signo de Balança,  o general de Gaulle chefia o governo provisório de França, com a visita a Chicago e Otawwa em que de Gaulle, apesar de o presidente Truman rejeitar a sua ideia de desmembrar o Reich alemão consegue que os Aliados reconheçam a França como o quarto grande vencedor que será cosignatária dos armistícios e terá uma zona de ocupação na Alemanha (27 a 29 de Agosto), a condenação por de Gaulle da ação da CGT vinculada ao PCF (3 de Setembro) a eleição da primeira Assembleia Nacional Constituinte francesa com 586 deputados e maioria de comunistas (159 incluindo aparentados) e socialistas (146 incluindo aparentados) em 21 de Outubro, a nacionalização do Banco de França e dos 4 bancos de depósito (1 de Janeiro) e a demissão de de Gaule de chefe do governo (20 de Janeiro).

 

De 13 de Maio a 4 de Setembro de 1958, com Júpiter em 23º 44´/ 21º 45´/ 29º 34´do signo de Balança, dá-se o regresso de de Gaule à chefia do governo em França, com a eclosão de um golpe de direita na Argélia em que os pés negros, paridários do colonialismo francês, assaltam a sede do governo francês e se constitui um Comité de Salvação Nacional em Argel formado por Sid Cara, Jacques Soustelle, general Raoul Salan, general Jacques Massu, Leon Delbeque (13 de Maio), o apelo do general Salan, em Argel, ao general  de Gaule, retirado da política há 12 anos (15 de Maio), investidura de de Gaulle como chefe do governo francês pela Assembleia Nacional (1 de Junho) votação de plenos poderes a de Gaule (2 de Junho) a apresentação por de Gaule da Constituição da V República Francesa na Oraça de República em Paris (4 de Setembro).

 

Em 4 e 5 de Outubro de 1910, com Júpiter em 21º 38´/ 22º 3´ do signo de Balança, a  República triunfa em Portugal, com a ocupação, na madrugada de 4, do regimento de Infantaria 6, em Lisboa, por dezenas de civis dirigidos pelo comissário naval Machado Santos, presidente da Carbonária, a adesão do quartel de Artilharia 1, o acampamento das forças republicanas na Rotunda onde são alvo de bombardeamento pelas forças monárquicas o dia inteiro e a revolta republicana dos marinheiros dos cruzadores S. Rafael e Adamastor, no dia 4, e a rendição dos monárquicos e proclamação da República na câmara municipal de Lisboa no dia 5

 

Em 19 e 20 de Outubro de 1921, com Júpiter em 4º 57´/ 5º 21´ de Balança, eclode em Lisboa um golpe militar radical da GNR contra o governo conservador do primeiro-ministro António Granjo, este refugia-se em casa de Cunha Leal e, sendo ambos detidos pelos revoltosos, são conduzidos ao Arsenal da Marinha onde Granjo é abatido a tiro por exaltados em que prepondera o cabo Abel Olímpio e Cunha Leal gravemente ferido, já na madrugada de 20, a camioneta da morte, vai buscar a casa o almirante Machado Santos que é assassinado tal como o comandante Freitas da Silva.

 

De 4 da 7 e Dezembro de 1980, com Júpiter em 6º 28´/ 6º 36´ de Balança, duas derrotas da direita ocorrem em Portugal, com a deflagração de uma bomba a bordo de um Cessna que acabara de levantar voo do aeroporto da Portela e cai sobre uma casa, em Camarate, matando as sete pessoas que nele viajam, entre as quais o primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, do PSD, o ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa, do CDS, e o chefe de gabinete António Patrício Gouveia, no dia 4, e a reeleição como presidente da República Portuguesa do general Ramalho Eanes, com 56, 44% de votos, apoiado no PS, PCP e PCTP/MRPP, derrotando o candidato das direitas agrupadas na Aliança Democrática general Soares Carneiro, que obtém 40, 23% de votos, no dia 7.  

 

Em 20 de Fevereiro de 2005, com Júpiter em 18º 21´/ 18º 18´de Balança, o PS, liderado por José Sócrates, vence pela primeira vez com maioria absoluta eleições legislativas em Portugal, elegendo 121 deputados num total de 230, com 45, 03% de votos, vibrando uma pesada derrota no PSD de Santana Lopes que elege 75 deputados com 28, 77% de votos e no CDS de Paulo Portas, que elege 12 deputados com 7,24% de votos, e derrotando também a CDU-PCP, com 14 deputados eleitos e 7,54% de votos e o BE com 8 deputados eleitos e 6, 35% de votos; 

 

JÚPITER NO SIGNO DE SAGITÁRIO:

VITÓRIAS ELEITORAIS DA ESQUERDA SOCIALISTA E DAS FRENTES POPULARES, VITÓRIAS  

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Sagitário - de 240º a 270º de longitude eclíptica - associa-se a períodos de triunfos eleitorais socialistas, de centro-esquerda, ou de frentes populares englobando republicanos de esquerda, socialistas e comunistas  em Portugal, Espanha, França e a triunfos eleitorais da direita conservadora no Reino Unido. Porquê esta dualidade que não permite que a esquerda vença no mundo inteiro com Júpiter neste signo?  Porque a polaridade Yang-Yin, luz e sombra, esquerda-direita tem de existir em simultâneo em cada ano no mundo. 

 

De 13 de Fevereiro  a 20 de Dezembro de 1936, com Júpiter em 19º 39´/ 24º 26´/ 14º 35´ / 29º 42´ do signo de Sagitário, as esquerdas derrotam as direitas em Espanha e em França, com a agressão na cabeça com um pedaço de vidro ao chefe do governo, o socialista Leon Blum, perpetrada pelos «Cavaleiros da Távola do Rei» (Camelots du Roi) no boulevard Saint-Germain em Paris e a ilegalização da da Federação Nacional de Estudantes da Ação Francesa, da Federação dos Cavaleiros da Távola do Rei  e Liga de Ação Francesa, organizações de extrema-direita (13 de Fevereiro) a vitória da Frente Popular na 1ª volta das eleições legislativas na República Espanola graças ao voto dos anarco-sindicalistas da CNT na esquerda burguesa (16 de Fevereiro), a tomada de posse do republicano Manuel Azaña como chefe do governo espanhol (19 de Fevereiro) e a subsequente queima de igrejas, capelas e conventos,  a ocupação de terras na Extremadura espanola por proletários agrícolas (25 de Março),  triunfo moderado das esquerdas nas eleições legislativas em França (26 de Abril e 3 de Maio) sendo o partido socialista (SFIO) o mais votado com 149 deputados eleitos e 27 aparentados, obtendo os radicais, de centro, 111 lugares e os comunistas 72,  a paralisação da França pelas greves da classe operária (11 de Maio a 14 de Junho) sem violências, o assassinato do líder da direita espanola José Calvo Sotelo (13 de Julho) e o levantamento do exército com os generais Franco, Mola, Cabanelas, Queipo de Llano contra o governo da República Espanhola (17-22 de Julho) fracassado em Madrid, Barcelona, Bilbao, Valencia e outras cidades, tomada de San Sebastian pelos sublevados de Mola (13 de Setembro), Franco chefe supremo da revolta fascista (1 de Outubro), início da batalha de Madrid com a ocupação do Cerro de Los Angeles pelas tropas de Varela (5 de Novembro), a morte do líder anarquista Buenaventura Durrutí em Madrid e o fuzilamento na prisão de Alicante de José Antonio Primo de Rivera, líder da Falange das JONS (20 de Novembro), início da batalha de Madrid com a ocupação do a renúncia de Franco a atacar directamente Madrid em Leganés (23 de Novembro) cerco do exército reublicano vasco a Villareal (30 de Novembro).

 

Em 6 de Outubro de 2019, com Júpiter em 18º 54´ /19º 3´ do signo de Sagitário, o PS do primeiro-ministro António Costa vence as eleições legislativas ao eleger 108 deptados (36, 34%) em um total de 230, derrotando o PSD de Rui Rio que elege 79 deputados (27, 76 % de votos), menos 10 que em 2015,  ficando o Bloco de Esquerda, principal apoio tático do PS, com 19 deputados (9,52% de votos).

 

Em 14 de Novembro de 1935, com Júpiter em 1º 4´/ 1º 18´ do signo de Sagitário, o Partido Conservador do primeiro-ministro Stanley Baldwin vence as eleições parlamentares no Reino Unido, elegendo 432 deputados (53,7% de votos) em um total de 615, deixando em segundo lugar o Partido Trabalhista com 154 deputados eleitos (37,9% de votos).

 

Em 9 de Junho de 1983, com Júpiter em 4º 33`/ 4º 25´ do signo de Sagitário, o Partido Conservador da primeira-ministra Margaret Thatcher  vence as eleições parlamentares no Reino Unido elegendo 397 deputados (42,4 % de votos) em um total de 650, ao passo que o Partido Trabalhista elege 209 deputados (27,6% de votos).

 

 

JÚPITER NO SIGNO DE CAPRICÓRNIO:

REPRESSÃO SOBRE A EXTREMA- ESQUERDA E A ESQUERDA MODERADA

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Capricórnio - de 270º a 300º de longitude eclíptica - associa-se a repressão sobre a extrema-esquerda e sobre alguma esquerda moderada.

 

De 12 de Março a 5 de Abril de 1794, com Júpiter em 1º 22´/ 3º 22´ do signo de Capricórnio, Robespierre, governante jacobino, da esquerda pequeno-burguesa autoritária, elimina a extrema-esquerda e parte de esquerda moderada, com a prisão de Hébert e alguns deputados sans-coulottes de exrema-esquerda (12 de Março) e execução destes (24 de Março) e a execução de Danton, Desmoulins e 18 outros companheiros "indulgentes", moderados, que defendiam o fim do Terror (5 de Abril).

 

Em 25 de Março de 1949, com Júpiter em 27º 30´/ 27º 40´ do signo de Capricórnio,  uma brigada da PIDE de Salazar chefiada por Jaime Gomes da Silva irrompe, de madrugada, numa casa clandestina do PCP em Casal de Santo António, no Luso, concelho da Mealhada e prende os três membros do secretariado do partido que aí se escondem, Álvaro Cunhal, Militão Ribeiro e Sofia Ferreira. A denúncia de actividades suspeitas nessa casa partiu de José Feio, autarca de Águeda.

 

Em 22 de Abril de 2008, com Júpiter em 21º 53´/ 21º 56´do signo de Capricórnio, morre aos 81 anos de idade, de cancro, Francisco Martins Rodrigues, revolucionário marxista, fundador do Comité Marxista-Leninista Português em 1964 e promotor do grupo «Política Operária» de extrema esquerda.

 

Em 20 de Fevereiro de 2020, com Júpiter em 17º 38´ / 17º 50´ do signo de Capricórnio,, falece Pedro da Rocha Baptista, de 71 anos, dirigente estudantil no Porto entre 1968 e 1971, cofundador do jornal “Grito do Povo”  e da OCMLP, oposição de extrema-esquerda maoísta ao Estado Novo, preso político em 1973 e deportado para Angola, regressando a 1 de Maio de 1974. Era Comissário Geral da Exposição “1820. Revolução Liberal do Porto”, da autoria de José Manuel Lopes Cordeiro.

 

JÚPITER  NO SIGNO DE AQUÁRIO:

DESGOSTOS PARA A FAMÍLIA FRANCO BAHAMONDE, DESAIRE PARA A ESQUERDA RADICAL SOCIALISTA PORTUGUESA

 

A presença de Júpiter, um ano em cada doze, no arco de 30º que constitui o signo zodiacal de Aquário - de 300º a 330º de longitude eclíptica - associa-se a desaires da família galega Franco Bahamonde e a desaires dos radicais socialistas portugueses.

 

Em 28 de Outubro de 1938, com Júpiter em 22º 31´/ 22º 33´ do signo de Aquário, Ramón Franco Bahamonde (2 de Fevereiro de 1896), famoso héroi aviador que pilotou o hidrovião  Dornier Do J “Wal” na travessia  do Atlântico  conhecida  como o "Voo do Plus Ultra”. irmão do caudilho Francisco Franco, ex deputado da Esquerra Republicana de Catalunya no parlamento espanhol em 1931, morre ao despenhar-se no mar pilotando o seu hidrovião de fabricação italiana, saído de Pollensa, com 1000 quilos de bombas para atacar posições do Exército Popular Republicano.

 

Em 23 de Dezembro de 1961, com Júpiter em 8º 30´/ 8º 43´ do signo de Aquário,  nas colinas de El Pardo, Madrid, ao disparar a sua magnífica espingarda de caça Purdey, presente do presidente Eisenhower, o canhão da arma rebenta e fere gravente o generalíssimo Franco na mão esquerda, sendo de imediato operado da fractura aberta do segundo metacarpian e do dedo indicador no Hospital do Exército do Ar pelo tenente coronel Garaizabal.

 

Em 20 de Dezembro de 1973, com Júpiter em 11º 53´/ 12º 5´ do signo de Aquário, uma explosão de uma bomba colocada pela ETA no subsolo da rua Claudio Coello em Madrid, perto da embaixada norte-americana, faz voar em pedaços o automóvel Dodge em que viaja o almirante Luis Carrero Blanco, primeiro-ministro de Espanha, matando este, o inspector que o escoltava e o motorista, o que causa um desgosto grande no chefe de Estado, general Franco,  de 81 anos, um dia depois de Carrero receber o secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, possível mandante do homicídio.

 

De 23 de Janeiro a 9 de Fevereiro de 1914, com Júpiter em 0º 19´ / 4º 33´ do signo de Aquário,  desmorona-se o governo radical socialista do PRP de Afonso Costa, apoiado em maioria absoluta no parlamento,  dando lugar a um governo de apaziguamento da direita monárquica e da esquerda operária, com o final da greve dos ferroviáios (23 de Janeiro) uma manifestação de rua antiafonsista em Lisboa (26 de Janeiro) e a substituição do governo afonsista por um governo extrapartidário chefiado por Bernardino Machado (9 de Fevereiro).

 

De 26 de Janeiro a 16 de Fevereiro de 1986, com Júpiter de 23º 53´a 29º 7´ do signo de Aquário,  o frentismo de esquerda PRD-PCP representado pelo candidato  Salgado Zenha é derrotado com 20,88 % de votos contra 46,31% de votos de Freitas do Amaral e 25, 43% de Mário Soares (PS) na 1ª volta da eleição a presidente da república portuguesa (26 de Janeiro) sendo o PCP obrigado a virar à direita votando em Mário Soares de modo a elege-lo presidente à 2ª volta (16 de Fevereiro)  com 51,18% de votos contra Freitas do Amaral com 48, 82% de votos.

 

Em 27 de Setembro de 2009, com Júpiter em 17º 36´/ 17º 33´ do signo de Aquário, o PS do primeiro ministro José Sócrates vence de novo as eleições legislativas mas, desta vez com 36,55% de votos e perdendo a maioria absoluta de deputados, elegendo 99 destes ao passo que em 2005 elegera  121  . O PSD de Manuela Ferreira Leite é o segundo partido com 29,11% e 81 deputados eleitos. A surpresa é o CDS/PP de Paulo Portas ascender a terceiro partido parlamentar com 10, 43 % de votos e 21 deputados eleitos  e o BE de Catarina Martins ascender a quarto partido com 9,82 % de votos e 16 deputados eleitos.

 

Filósofos, historiadores, astrónomos e professores de filosofia, de história e astrofísica que acreditam no livre-arbítrio e que não concebem que a movimentação dos planetas e do Sol no Zodíaco é a causa dos nossos actos e de todos os acontecimentos biofísicos, tecnológicos e políticos no planeta Terra são inteligências medíocres, anticientíficas, pseudoracionalistas. Mas é esta gente obscurantista,  quem domina a esfera da cultura, das universidades, dos telejornais, das editoras de manuais de história, filosofia, sociologia, dos foruns, das revistas filosóficas e científicas, dos programas de ensino, da imprensa escrita semanal ou quotidiana. São anti racionalistas!  O verdadeiro racionalismo - ratio é a relação matemática entre duas ordens de entidades - é o que mede a posição dos planetas em cada facto histórico-social e biofísico, mostrando que há uma razão universal, que o real é racional.

 

NOTA: COMPRA O NOSSO «DICIONÁRIO DE FILOSOFIA E ONTOLOGIA, DIALÉTICA E EQUÍVOCOS DOS FILÓSOFOS», inovador em relação a todos os outros dicionários, repleto de transcrições literais de textos dos filósofos. É de longe o melhor dicionário a nível mundial sobre a dialética como ciência da unidade e da luta de contrários e as suas leis. Aproveita, a edição está a esgotar-se. Contém 520 páginas, custa só 20 euros (portes de correio para Portugal incluídos), CONTACTA-NOS.

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 29 de Maio de 2016
Incêndios em Campo de Ourique, Lisboa, e Determinismo Planetário

 

Os incêndios no bairro de Campo de Ourique em Lisboa estão vinculados a alguns dos 360º do Zodíaco ou circunferência celeste de doze signos, isto é: quando um planeta, Sol ou Nodo da Lua passa em um desses graus activa, tendencialmente, um incêndio. Vejamos algumas dessas leis astronómico-geofísicas que ligam o céu à Terra, leis que escapam às universidades dominadas por um pobre pensamento racionalista fragmentário.

 

ÁREA 9º-16º DO SIGNO DE GÉMEOS:

FOGO EM CAMPO DE OURIQUE

 

 

A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua na área 9º-16º  do signo de Gémeos (graus 69º-76º da eclíptica, em longitude)  é condição necessária mas não suficiente para provocar um incêndio em Campo de Ourique, Lisboa.

 

Em 10 de Julho de 2011, com Marte em 13º 20´/ 14º 2´ de Gémeos, eclode, às 16.40 horas, um incêndio no sétimo andar de um prédio localizado na Rua do Sol ao Rato, em Campo de Ourique, em Lisboa; em 4 de Março de 2012, com Nodo Sul da Lua em 9º 24´/ 9º 18´ de Gémeos, um idoso morre num incêndio no prédio número 63 da rua Almeida e Sousa em Campo de Ourique, em Lisboa; em 25 de Setembro de 2012, com Júpiter em 16º 14´/ 16º 16´ de Gémeos,  às 20.35 horas, um incêndio, ocorre numa cave, na Calçada dos Sete Moinhos, em Campo de Ourique, com as chamas a estarem confinadas a um quarto,numa , em Lisboa, desalojando um casal; em 29 de Maio de 2016, com Sol em 8º 3´/ 9º 1´do signo de Gémeos, um incêndio  deflagra no quarto piso, águas furtadas e cobertura do edifício de cinco andares situado no número 5 da Rua Carlos da Maia, sendo o fogo dominado às 4.52 horas, resultando um ferido.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, o Nodo da Lua, Quirón ou o Sol estarão na área 9º-16º  do signo de Gémeos, elevando a probabilidade de ocorrência de incêndios, em Campo de Ourique, Lisboa são: de 29 de Maio a 7 de Junho de 2016 (Sol e Vénus); de 18 a 23 de Junho de 2016 (Mercúrio).

 

ÁREA 27º-29º DO SIGNO DE ESCORPIÃO:
INCÊNDIOS EM CAMPO DE OURIQUE, LISBOA


A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua na área 27º-29º  do signo de Escorpião (graus 237º-239º da eclíptica, em longitude)  é condição necessária mas não suficiente para provocar um incêndio em Campo de Ourique, Lisboa.


Em 25 de Setembro de 2012, com Nodo Norte da Lua em 27º 44´/ 27º 40´de Escorpião,  às 20.35 horas, um incêndio, ocorre numa cave, na Calçada dos Sete Moinhos, em Campo de Ourique, em Lisboa, com as chamas a estarem confinadas a um quarto, desalojando um casal; em 29 de Maio de 2016, com Marte em 29º 30´/ 29º 10´ de Escorpião, um incêndio  deflagra no quarto piso, águas furtadas e cobertura do edifício de cinco andares situado no número 5 da Rua Carlos da Maia, sendo o fogo dominado às 4.52 horas, resultando um ferido.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, o Nodo da Lua, Quirón ou o Sol estarão na área 27º-29º de Escorpião, elevando a probabilidade de ocorrência de incêndios, em Campo de Ourique, Lisboa são: de 30 de Maio a 5 de Junho de 2016, (Marte); de 24 de Julho a 2 de Agosto de 2016 (Marte); de 15 a 18 de Outubro de 2016 (Vénus); de 10 a 12 de Novembro de 2016 (Mercúrio); de 18 a 21 de Novembro de 2016 (Sol). 

 

GRAU 9 DO SIGNO DE SAGITÁRIO:

INCÊNDIO EM CAMPO DE OURIQUE

 

A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua em 9º do signo de Sagitário  (grau 249 da eclíptica, em longitude)  é condição necessária mas não suficiente para provocar um incêndio em Campo de Ourique, Lisboa.

 

Em 4 de Março de 2012, com Nodo Norte  da Lua em 9º 24´/ 9º 18´ de Sagitário um idoso morre num incêndio no prédio número 63 da rua Almeida e Sousa em Campo de Ourique, em Lisboa; em 24 de Novembro de 2014, com Vénus em 9º 3´/ 10º 18´ de Sagitário, às 3.47 horas da madrugada, um incêndio deflagra num prédio devoluto da rua Tomás da Anunciação, em Campo de Ourique, obrigando a evacuar edifícios vizinhos.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, o Nodo da Lua, Quirón ou o Sol estarão em 9º do signo de Sagitário, elevando a probabilidade de ocorrência de incêndios, em Campo de Ourique, Lisboa são: de 22 a 24 de Agosto de 2016 (Marte); em 25 e 26 de Outubro de 2016 (Vénus); em 18 e 19 de Novembro de 2016 (Mercúrio); em 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2016 (Sol).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:47
link do post | comentar | favorito

Sábado, 21 de Maio de 2016
O obscurantismo anti-astrologia/astronomia de David Marçal

 

No «Notícias Maganize», David Marçal, cronista e «cientista» publicou, há dias, neste Maio de 2016, o artigo «Como é possível ainda haver horóscopos nos jornais?» em que proclama que a astrologia é uma pseudociência. Ataca as previsões supostamente astrológicas publicadas semanalmente em revistas e jornais, queixa-se de que «a ciência é menosprezada»,  mas omite referir a Astrologia Histórico-Social, ciência dos factos histórico-astronómicos, que o meu último livro «Astrologia Histórica», edição da Esfera do Caos, veicula.

 

A PRECESSÃO DOS EQUINÓCIOS DEIXA OS SIGNOS (ARCOS DE 30º ) INALTERÁVEIS, SÓ DIZ RESPEITO ÀS CONSTELAÇÕES

 

Escreve Marçal, julgando fundamentar assim o seu ataque ao determinismo planetário na vida humana:

«Já para não falar que as bases astronómicas da astrologia estão erradas. Por causa do movimento de precessão do eixo da Terra, as zonas do céu em que vemos as constelações ao longo do ano não são as mesmas de quando a astrologia foi inventada. Eu pensava que era escorpião, mas posso afinal ser balança. Dá-me igual e cedo sem nostalgia o meu antigo destino e personalidade aos ex-sagitários»

 

David Marçal esconde que a «astrologia dos horóscopos» de jornais não é a verdadeira astrologia científica, baseada em factos indiscutíveis. Mete tudo no mesmo saco: a pseudo ciência dos horóscopos generalistas, a «astrologia» vulgar, retórica, e a astronomia cruzada com história social, a astrologia histórico-social.

 

Marçal confunde propositadamentes signos do Zodíaco (12 arcos de céu de 30º cada medidos a partir do ponto vernal, aquele que o sol cruza a 20 ou 21 de Março e que é sempre o grau 0 do signo de Carneiro) com constelações do mesmo nome. Ora a astrologia actual só leva em conta os signos - que são como os marcos quilométricos ao longo de uma estrada, inalteráveis - e não as constelações do mesmo nome- que são como as casas à margem dessa estrada, podendo umas ser destruídas ou prolongadas. A precessão dos equinócios ou recuo muitíssimo lento do ponto vernal relativamente às estrelas fixas não altera em nada as medições de cada signo porque o ponto vernal é sempre o grau 0 do signo de Carneiro, mesmo quando está  no grau 5 da constelação de Peixes. Para dar um exemplo da diferença entre signos e constelações: a constelação de Sagitário abrange os 30º do signo de Capricórnio, começa no grau 29º do signo de Sagitário, compreende os graus 0º a 29º do signo de Capricórnio e termina nos graus 0, 1 e 2 do signo de Aquário.

 

Para confusões destes conceitos de constelação e signo aí estão Marçal e os seus amigos «científicos» da imprensa que lhe permitem publicar falácias e mentiras. Como é possível ainda haver David Marçal a escrever crónicas de uma rubrica chamada «A ciência não é uma ilha» e a intitular-se cientista num jornal de grande audiência como o «Diário de Notícias» quando troça e ignora a mais elevada de todas as ciências, a astrologia histórico-social ou astronomia histórico-social?

 

É falso dizer, como Marçal, que a astrologia e a astronomia se separaram no século XVII, como se se tornassem estranhas uma à outraDe facto, embora expulsa das universidades «racionalistas», a astrologia transporta dentro de si uma parte da astronomia, a que se refere à constituição da faixa zodiacal e às posições de planetas, estrelas e outros corpos celestes relativamente a ela. Por exemplo, dizer que em 29 Maio de 2016, Júpiter ocupa o grau 13 do signo de Virgem (viaja de 13º 49´ a 13º 53´ do signo de Virgem) é o mesmo que dizer que em 29 Maio de 2016 Júpiter está no grau 163 de longitude eclíptica ou, em coordenadas equatoriais, tem de ascensão reta 11 horas 2 minutos e posiciona-se na constelação de Leão.

 

Portanto, a astrologia continua ligada à astronomia. E no meu caso, e de raríssimos sérios investigadores, que estamos contra parte da astrologia tradicional, anti historicista, a astrologia científica repousa na história social, política, económica e tecnológica: é astrologia histórica.

 

OS FACTOS QUE MARÇAL E OS INTELECTUAIS ANTI-ASTROLOGIA NÃO SABEM REFUTAR

 

David Marçal como quase 100% dos doutorados das universidades portuguesa e estrangeiras, não possui uma inteligência holística, global, que lhe permita apreender o princípio o microcosmos é análogo ao macrocosmos, «o que está em baixo é como o que está em cima

 

Nenhum deles sabe - ou se o sabe, oculta - que desde 1974, sempre que houve eleições legislativas nacionais em Portugal com Jupiter no arco 150º a 180º da eclíptica, isto é, no signo de Virgema vitória foi do PSD: 2 de Dezembro de 1979 (Júpiter em 9º do signo de Virgem  ou, em coordenadas equatoriais, 10 horas e 45 minutos de ascensão reta na constelação do Leão), vitória do PSD de Sá Carneiro e da AD; 5 de Outubro de 1980 (Júpiter em 25º do signo de Virgem e em 11 horas e 45 minutos de ascensão reta na constelação do Leão), vitória do PSD de Sá Carneiro e da AD; 6 de Outubro de 1991(Júpiter em 4º-5º do signo da Virgem), vitória do PSD; 4 de Outubro de 2015 (Júpiter em 11º do signo de Virgem ou 10 horas e 53 minutos de ascensão reta na constelação do Leão) vitória da AD de Passos Coelho e Portas, sem maioria absoluta. Ora Júpiter só um ano em cada 12 ocupa o signo de Virgem, isto é, o segmento de ascensão reta que vai de 10 horas e 9 minutos da constelação de Leão a 12 horas e 2 minutos da constelação da Virgem... Como explicar esta regularidade?

 

Isto indicia uma lei astro-política mas os obtusos doutorados, como Carl Sagan, Carlos Fiolhais, e David Marçal, recitam a ladainha anti-astrologia: «Não pode ser, os planetas estão muito longe da Terra, Marte está mais longe do que o obstetra que facilita o parto do bebé, etc.» (E quem prova que Marte não estará a telecomandar a mão do obstetra apesar de estar longe da sala de partos?)

Se não há leis planetárias a reger o comportamento e o destino dos povos, que David Marçal refute a seguinte lei que correlaciona a área 2º-5º do signo de Balança com atentados terroristas em França que passamos a exemplificar:

 

ÁREA 2º-5º DO SIGNO DE BALANÇA:
ATENTADOS EM FRANÇA

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron em 2º-5º do signo de Balança (isto é nos graus 182º a 185º da eclíptica já que os 30º de arco do céu que é o signo de Balança vão de 180º a 210º do círculo celeste; ou, para os astrónomos profissionais, de 12 horas e 8 minutos a 12 horas e 23 minutos de ascensão reta na constelação da Virgem) é condição necessária mas não suficiente para a irrupção de atentados terroristas em França.


Em 17 de Setembro de 1986, com Mercúrio em 3º 16´/ 4º 58´ do signo de Balança,  um atentado bombista em frente aos armazéns 'Tati', em Paris, faz sete mortos e 55 feridos. sendo esta acção um dos 15 ataques (incluindo três fracassados) perpetrados pela rede terrorista pró-iraniana de Fouad Ali Saleh, em 1985 e 1986.


Em 25 de julho de 1995, com Marte em 2º 8´/ 2º 44´ do signo de Balança, uma bomba explode numa linha da Rede Expresso Regional (RER), na estação de Saint-Michel, em pleno coração de Paris, e causa oito mortos e 119 feridos.


Em 3 de dezembro de 1996, com Nodo Norte da Lua em 5º 34´ do signo de Balança,  um atentado na estação de Port-Royal, no sul de Paris, causa quatro mortos e 91 feridos.


Em 13  de Novembro de 2015, com Vénus em 4º 45´/ 5º 51´do signo de Balança,  uma série de atentados perpetrados por sete terroristas de tonalidade islamista, consistindo em seis fuzilamentos em massa e três explosões de bombas,  ocorrem de noite em Paris e Saint-Denis, na França sendo o ataque mais mortal no teatro Bataclan, em Paris, onde os terroristas fuzilam várias pessoas e fazem reféns até ao início da madrugada de 14 de Novembro, resultando 137 pessoas mortas (incluindo os 7 terroristas que perpetraram os ataques) sendo 89 delas no teatro Bataclan e havendo mais de  de 350 pessoas feridas incluindo 99 pessoas em estado grave.

 

Há milhares de leis astronómico-astrológicas que descobrimos, duas ou três centenas delas expostas neste blog. Que as universidades nos refutem, se são honestas e interessadas na verdade! Não refutam porque não podem e temem perder o prestígio imerecido de que desfrutam. A mentira reina universalmente, nas instâncias oficiais, e as diatribes anti astrologia de David Marçal, Carlos Fiolhais, Agostinho da Silva, Simon Blackburn, Zizeck e tantos outros fazem parte dessa mentira.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 15:16
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Historiadores e Astrónomo...

Incêndios em Campo de Our...

O obscurantismo anti-astr...

arquivos

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
blogs SAPO
subscrever feeds