Sexta-feira, 30 de Agosto de 2019
David Icke: O Pentagrama, a Igreja Mórmon e os Illuminati

 

O pentagrama ou estrela de cinco pontas é um símbolo. Encontra-se na bandeira de muitos partidos políticos: o Bloco de Esquerda, o Bloco Nacionalista Galego, a Esquerda Republicana da Catalunha, etc. Segundo David Icke,  o pentagrama é mais do que um símbolo, é uma chave de abrir potais interdimensionais que fazem aceder o demónio e entidades reptilianas ao nosso mundo físico. Destaca os vínculos entre os símbolos illuminati, a igreja mórmon fundada por Joe Smith e a maçonaria. Escreve Icke:

 

«Os edifícios mórmones estão adornados com símbolos Illuminati. O pentagrama invertido, o símbolo satânico mais notório, pode encontrar-se no templo de Salt Lake City, perto do Museu mórmon e em outras propriedades mórmones, O pentagrama usa-se em rituais satânicos para convocar os demónios e, na sua forma invertida, diz-se que é o signo de "Satanás", a Cabra de Mendes ou Bafomet. Trata-se da deidade de cuja adoração se acusou os cavaleiros templários quando foram purgados em França em 1307. Onde quer que alguiém se depare com operações satânicas Illuminati, os símbolos do Sol e da Lua ocupam um lugar destacado, O templo mórmon de Nauvoo incluía trinta pedras de duas toneladas e meia que representavam o Sol radiante e trinta pedras da Lua antes de se destruir o edifício. Smith disse que a pedra do Sol simbolizava o "Reino Celestial" mórmon, outro roubo da Maçonaria. No templo de Salt Lake Citypodem encontrar-se pedras solares, lunares, de Saturno, das estrelas e um retrato da Ursa Maior, Também está o olho que tudo vê dos Illuminati, um dos seus símbolos mais evidentes. Os mormones utilizam o símbolo da colmeia, um símbolo da linhagem merovíngia. (...) A colmeia é mais simbólica da antiga deusa Artemísia, também chamada Diana. O templo de Salt Lake City está construído com granito, uma pedra usada em todas as épocas para construir templos nos nodos da Terra para iniciações esotéricas. (...) Joseph Smith usava um medalhão de uma pomba que lho deu a loja maçónica inglesa e a pomba é o simbolismo Illuminati da rainha Semiramis (El), a divindade feminina na sua trindade babilónica, e das rainhas dragão. Actualmente os mórmones, ao ser um importante ramo dos Illuminati, têm uma forte influência em Washington».

 

(David Icke, Hijos de  matrix, como una raza interdimensional controla el mundo desde hace miles de años, ,Ediciones Obelisco, Barcelona, pp 462.-463 o bold é colocado por nós).

 

NOTA: COMPRA O NOSSO «DICIONÁRIO DE FILOSOFIA E ONTOLOGIA, DIALÉTICA E EQUÍVOCOS DOS FILÓSOFOS», 520 páginas, 20 euros (portes de correio para Portugal incluídos), CONTACTA-NOS.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:48
link do post | comentar | favorito

Sábado, 27 de Janeiro de 2018
Divergências entre Icke e Bereslavsky sobre o cálice do Graal

 

 

Os cátaros do século XXI, uma pequena igreja de 4 500 pessoas, entre russos e espanhóis sobretudo, cujo grande teórico é João Bereslavsky, nascido em Setembro de 1946, adoram o Cálice do Graal, vaso espiritual com 144 castelos espirituais que se encontraria no Santo Estar, uma esfera mística da quarta dimensão e meia, entre o Céu (5ª Dimensão) e a Terra (3ª Dimensão). Escreve Bereslavsky intitulado Juan de San Grial:

 

«O Cálice peregrinou; o Santo Graal estava oculto durante grande parte de este tempo, encontrando-se na dimensão 4,5. (...)

«O motivo da constante peregrinação do Cálice era a sua inacessibilidade para os adeptos cósmicos do Tibete (4ª dimensão) e para os sacerdotes chupacabras (como chamou depreciativamente Cristo aos clérigos romanos).»(...)

«Ás vezes, o próprio Graal elevava-se no ar e transladava-se a uma distância de várias dezenas de quilómetros.»

«Porque se multiplicava o Cálice? Estava destinado a nutrir toda a humanidade.»

«O Santo Graal não só visitou a Europa, mas a maioria dos países do mundo. Esteve na Ásia, África, América do Sul e no Canadá...»

 

(Juan de San Grial, «El santuario del Grial en el Catarismo, Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2010, pp.34-36; o negrito é colocado por nós).

 

David Icke, o investigador inglês das origens alienígenas das religiões, embora partilhando com João Bereslavsky a ideia de que não houve crucifixão de Jesus, tem uma opinião diferente. Segundo ele a Irmandade Babilónica, a grande organização reptiliana que domina as monarquias e a sociedade humana desde há milhares de anos é a promotora do catolicismo e das suas variantes gnósticas como a maçonaria, a rosa-cruz e o priorado de Sião:

 

«Os merovíngios foram outro nome de uma linhagem da Irmandade Babilónica e a ideia de que são da linhagem de Jesus é um jogo de palavras, ou mais precisamente, um jogo de deidades do priorado de Sião. Jesus é outro nome de Nimrod/Tammuz, o pai-filho de Babilónia. (...) Na Suméria, a "Concessão de Armas" ou símbolo da linhagem Dragão denominava-se Gra-al também comhecida como a marca de Caím. O Caím bíblico foi um dos primeiros híbridos anunnaki-humanos posteriores a "Adão". Este Gra-al converteu-se no famoso Santo Graal e isso explica por que razão o seu equivalente em francês significa "sangue real". O emblema da "Concessão de Armas" na Suméria era uma taça de água, uma Rosi-Crucis ou uma "Taça de Orvalho". Nos documentos egípcios, sumérios, fenícios, e hebreus descreve-se uma taça decorada com uma cruz vermelha dentro de um círculo. Esta é a verdadeira origem da "Taça Graal". Não foi a taça que recolheu o sangue de Jesus na crucifixão porque não existiu Jesus nem a crucifixão. Foi a taça que simbolizava o útero e a linhagem dos híbridos reptilianos mais "puros" que se transmitia especialmente por via feminina. O termo Rosi-Crucis também foi a origem, bastante evidente, dos rosacruzes, uma antiga sociedade secreta que tem conspirado e manipulado para assegurar que as linhagens reptilianas continuem ocupando cargos de poder.»

 (David Icke, El mayor secreto, el libro que cambiará el mundo, Ediciones Obelisco, Barcelona, 2014, pp 208-209; o bold é colocado por nós).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:39
link do post | comentar | favorito

Domingo, 9 de Julho de 2017
Breves reflexões de Julho de 2017

 

Eis algumas reflexões relativamente banais, porque circunstanciais, que afloram neste Julho de 2017.

 

A MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL. A meditação transcendental suspende a mente e entreabre o vazio mental. Desliga-nos, por momentos, das preocupações da mente raciocinante («Tenho de ganhar dinheiro, tenho que apresentar um projecto, tenho que estimular o meu filho a tirar melhores notas, tenho de queixar-me do roubo de que fui vítima») e conduz alguns ao nirvana, ao repouso espiritual absoluto, mas não resolve o facto de estarmos vivos, de termos de nos alimentar e sobreviver. Porque cada um de nós é corpo, ao menos enquanto estivermos vivos. A meditação não cria casas nem alimentos nem acaba com a exploração capitalista (EUA, Europa, Portugal, etc.) e comunista (China, Coreia do Norte, etc.) do proletariado. É um comprimido para baixar a «tensão alta» da vida.

 

Também ter uma namorada ou uma esposa bela é um «comprimido» que, através do erotismo, nos leva ao orgasmo, mas não resolve o problema de sermos corpo individual, sujeito a morrer ou a ser abandonado.

 

DUAS PROVAS DE QUE AS ACTUAIS MISSAS CATÓLICAS ESTÃO CORROMPIDAS. Uma: a comunhão é dada na mão e muitas vezes por leigos, o que dessacraliza a hóstia como sede do Corpo Místico de Cristo (lembro-me que em 14 de Abril de 2009 comunguei das mãos de uma freira e, no dia seguinte, um familiar meu muito próximo faleceu de repente). Outra: o vestuário sexy que mulheres e homens podem usar na missa (decotes e saias curtas nelas, maquilhagem, t-shirts e calças de ganga neles e nelas). A missa perdeu o carácter sacro, centrado na morte do Senhor, é um convívio mais ou menos alegre, é só «Amor sem Temor». É, pois, de influência luciferina: o amor do corpo, a sensualidade, é a base desta ideologia e rito modernistas e ecuménicos (o objectivo é a religião única mundial, de recorte maçónico).

 

OS HOMENS, COM O PASSAR DA IDADE, GOSTAM SEMPRE DE «MIÚDAS» NOVAS (23-31 ANOS DE IDADE). É o normal: gostar do corpo perfeito da mulher, da sua pele lisa e macia, dos seus olhos sonhadores e vivos. Se os homens envelhecem com esposas da mesma idade é porque amam estas sem paixão, com uma grande componente de companheirismo. Há uns bons 17 anos, um editor meu amigo, que teria 56 ou 58 anos confidenciou-me: «A filha da minha actual esposa (era casado em segundas núpcias) tem 15 anos, é um encanto, é a mulher da minha vida». Era um amor platónico, ele respeitava a adolescente, claro.

 

COPULAMOS, COPULAMOS, COPULAMOS ATÉ DESCOBRIR O GRANDE VAZIO DA EXISTÊNCIA, QUE É O VAZIO DA VAGINA DA MULHER. E depois percebemos que o amor não existe, que estamos infinitamente sós neste universo e temos que chamar em nosso auxílio os deuses ou inventá-los. Só a conversa ou a palavra escrita nos aligeira a solidão. De repente, o mundo tornou-se instável e opaco. Vamos amar quem? Para quê?

 

AFINAL, VIVES PARA QUÊ? PARA TRABALHAR, JUNTAR DINHEIRO, IRES A BARES, LEVAR PARA A CAMA MULHERES (OU HOMENS)? Vê o vazio da tua vida: vazio porque não crês no poder da oração e da redenção por Cristo. Que é um corpo belo de mulher comparado com a beleza do teu Anjo da Guarda ou de Jesus? Nada. A vida é muito mais do que o trabalho, a diversão sem fim, o culto do dinheiro e das vaidades da roupa. Renuncia a muitos dos prazeres do mundo, reza constantemente a Deus (não com pedidos mesquinhos do tipo «dá-me aquela mulher, dá-me um automóvel novo, torna-me famoso indo à televisão», etc). Reza por amor do próximo, para que tais pessoas deixem de fumar, de se drogar, de sofrer cancros e outras doenças, desemprego, fome, humilhações, etc. Une-te a Jesus na luta contra Satanás que está a criar um mundo perverso onde a boa educação e os bons princípios de honestidade, respeito pela vida, etc., estão a desaparecer, e o ódio, a inveja, a intoxicação alimentar e moral da população aumentam sem cessar.

 

CONSELHOS DO PADRE PIO DE PIETRELCINA, GRANDE MÍSTICO ITALIANO (1887-1968) QUE TINHA OS DONS DA BILOCAÇÃO E DA CURA .

1.«A mentira é filha do diabo. A humildade é verdade; verdade é humildade.»
2.«Rezai, mesmo contra vontade. Quem reza muito salva-se, quem reza pouco está em perigo, quem não reza condena-se. A vontade conta e é recompensada, mas o sentimento não.»
3. «Que a Virgem Maria seja o vosso refúgio e o vosso conforto nas horas tristes da vida.»
4. «Amo o sofrimento. Não pelo sofrimento em si. Peço a Deus para poder sofrer e desejo-o pelos frutos que daí advêm e pela glória que dá a Deus. Pelo sofrimento, os meus irmãos são salvos e os sofrimentos das almas do purgatório encurtados. Que mais posso desejar?»

 

PADRE PIO VERSUS OSHO, MARX E GUY DEBORD. O padre Pio estigmatizado dizia: «Eu amo-te e peço a Jesus que te faça conhecer o amor porque pelo amor chegamos ao sofrimento. Nós nascemos para sofrer.» Esta visão, de que este mundo é lugar de sofrimento que devemos aceitar, é combatida por Osho que disse que Deus era o universo, não há paraíso nem inferno nem é necessário sofrer. E Marx, pai do comunismo do século XIX, e Guy Debord, teórico do internacional situacionismo, defenderam também que esta vida é para desfrutar dos prazeres materiais e não para sofrer e aceitar o sofrimento.
 

PADRE PIO DE PIETRELCINA, O ESTIGMATIZADO, E AS CRÍTICAS AO ABORTO, À HOMOSSEXUALIDADE E ÁS MODAS.

Sobre o místico franciscano Pio de Pietrelcina, santo católico (1887-1968), escreveu o seu biógrafo P. Nello Castelo:

 

«Contraceptivos, pilulas, abortos: são argumentos infernais, sobre os quais não admitia discussão.
Logicamente, era inimigo acérrimo do divórcio. São palavras suas: «É a estrada mestra que leva ao inferno. É a criação...pelo homem destruída». (...)
«Recordo os episódios de pecados de masturação, homossexualidade, a que inexoravelmente negava a absolvição, aos quais dizia: «Não vos emporcalheis», «Precisamente porque não reza, cai neste pecado». (...)

A imprensa várias vezes falou dele (Padre Pio, franciscano de Itália, 1887-1968) como o único sacerdote, na cristandade, firme na luta contra a moda, em defesa do pudor. Se a sua não tivesse sido «voz no deserto» não teríamos chegado ao cataclismo hodierno, que foi iniciado pela mini-saia.» (...)
«Queria a saia até à barriga da perna. Despedia sem absolvição e nem sequer permitia que se avizinhassem do confessionário Era inexorável, tinha palavras de fogo:
«Vai vestir-te! Incivil! Porcalhona! Despudorada!». Um dia a uma filha: «Serrar-te-ei os braços...porque sofrerias menos do que sofrerás no Purgatório». A uma outra: «As carnes nuas serão queimadas».
Às suas filhas (espirituais) explicava: «Deves vestir-te segundo a própria condição social. Tu deves vestir-te de modo a agradar aos anjos e aos homens. O Senhor condena a moda indecente e escandalosa que tantas almas leva à ruína».

(P. Nello Castelo, «Jesus crucificado no padre Pio», Editorial Cavaleiro da Imaculada, pp. 129-130; o bold é posto por nós).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

francisco.limpo@gmail,com

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:24
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 26 de Julho de 2016
Notas pessoais de Junho e Julho de 2016

 

 Eis alguns apontamentos de carácter pessoal e extra pessoal que só a alguns interessarão, deste Junho e Julho de 2016.

 

AS MELHORES FÉRIAS SÃO AS QUE SE PASSAM EM CASA se tens uma casa tranquila, sem ruídos, higiénica, com uma paisagem circundante bela, boa vizinhança e outras condições favoráveis. Porque ir passar férias ao Brasil ou a Nova Iorque ou a Palma de Mallorca é um desgaste: rombo na conta bancária, horas perdidas nos aeroportos e entre as nuvens do céu, complicações com bagagens, hotéis que não correspondem em tudo, etc. Sobra apenas a vantagem de quem viaja ver milhares de caras e casas diferentes, museus, igrejas antigas ou castelos e seios femininos a flutuar pelas ruas e praias... As férias são uma fuga de ti mesmo/a. Ou uma fuga para entrar em ti mesmo/a?

 

PORTUGAL É UM PAÍS DE PEQUENOS E GRANDES LADRÕES E VIGARISTAS. Não são apenas os políticos que são aldrabões, dizia ontem o meu  amigo Joaquim Filipe Mosca. O pedreiro ou o pintor que contratamos para fazer obra em nossa casa ou quintal e que à noite ou ao fim de semana vem roubar o material que nós pagamos - blocos, sacos de cimento, latas de tinta, placas de peladur, lã de rocha, etc - é tão ladrão e aldrabão quanto o político.
 Não penses que pertences ao melhor povo do mundo. Nem penses que o Alentejo é absolutamente puro nas suas gentes: há de tudo, bons e maus...Está toda a gente muito corrompida pela mentalidade capitalista de ter, a todo o custo, um bom carro, ecrãs de plasma, uma choruda conta bancária e ricas mobílias em casa e roupa de marca. Para metade dos portugueses é só roubar ou enganar a outra metade!

 

FESTAS ATRÁS DE FESTAS, ESCRITA ATRÁS DE ESCRITA, MULHERES ATRÁS DE MULHERES (SEM SE ATINGIR A ELEITA, A GRANDE ILUSÃO DO AMOR) e depois? A morte, ao fundo do túnel colorido de paisagens e pessoas. Para mim e para cada um de vocês. Triste, não é? Inventamos a religião, a vida eterna para nos consolarmos. E falta-nos a coragem dos suicidas porque o sentido da vida é apenas obedecer ao determinismo astral, este mesmo rodeado de mistério. Em vez de Deus, a grande e implacável roda cósmica do Zodíaco onde tudo está escrito.

 

Só ontem, 29 de Julho, soube da morte, em 21 de Julho de 2016, com Saturno em 10º 13´/ 10º 11´ do signo de Sagitário, do meu amigo António Inverno, pintor, serigrafista e professor, maçon, membro da Grande Loja Regular de Portugal, antifascista. O destino dele estava marcado: nascera em Monsaraz a 26 de Outubro de 1944, com Plutão em 10º 12´/10º 13´ do signo de Leão. No dia da sua morte, 21 de Julho, Saturno fazia um trígono (ângulo de 120º ) exacto à posição de Plutão no dia de nascimento de António. Algo de grave iria suceder nesse dia 21 - e foi a passagem do seu espírito para o Oriente Eterno, donde não se regressa. António Inverno era um maçon honrado, protestava contra as manobras de empresários, agentes secretos e militares no seio da GLRP e opunha-se à Loja maçónica de Beja, dirigida por António Saleiro, que não considerava fidedigna.

 

PORQUE ESTAMOS PRESOS AO FACEBOOK? PORQUE ESTAMOS DESESPERADAMENTE SÓS. Se neste momento estivesse a f.... com ela,não estaria aqui no facebook.

 

A REPRESSÃO SEXUAL EM PORTUGAL, E EM ESPECIAL NO ALENTEJO, É BRUTAL. Todos deviam f... com quem lhes apetecesse sem restrições (salvo a pedofilia e a violação não desejada). Muitas mães e pais vigiam as filhas estupidamente. Uma vez, convidei uma mulher de 25 anos para sair comigo de carro - e nada lhe faria, porque não sou animalesco - e a mãe dela, presa do estúpido preconceito que um homem acima dos 50 não pode andar com uma rapariga de 25, recriminou-me e perguntou se eu não tinha.. remorsos. Dá vontade de rir.


A igreja católica romana é uma das grandes responsáveis desta repressão dos instintos do Amor Sensual, degrau para o Amor Espiritual, mas não é a única responsável. A principal responsável é a busca da estabilidade social, o instinto sociológico geral, normalizador, que faz com que as pessoas se fechem nos muros da família (forma suprema de egoísmo!), do casamento e do namoro blindado e imponham um padrão absolutamente dominante. Quanto mais apegada/o és à família, maior é a tua inibição sexual. A família é uma máquina de controlo da liberdade individual (as mães asfixiantes... o pai que vai ao jardim público puxar pelo braço a filha lésbica e, diante da namorada dela, a ameaça em nome da «boa» moral) , a família é um empecilho, sem embargo da sua utilidade em caso de doença ou solidariedade na pobreza.

 

Jesus negou dar importância à família de sangue. Diz o Evangelho:
«Enquanto ele ainda falava à multidão, achavam-se da parte de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe. Alguém lhe disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e procuram falar-te. Mas ele respondeu ao que lhe falava: Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos? Estendendo a mão para seus discípulos, exclamou: Eis minha mãe e meus irmãos! Pois aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.» (Mateus 12:46-50)

 


A perseguição aos gays, lésbicas, bissexuais e queeers em geral (excêntricos, como os crossdressers hetero) está incluida no modelo de família universal em vigor, nesse totalitarismo sexual cristão, islâmico e judeu, nesse totalitarismo anti-sexualidade livre. O que é preciso é f... consciente e livremente. Mas com preservativo, claro. 

 

PARA SERES FELIZ TERIAS QUE BEIJAR E POSSUIR CINCO MULHERES BELAS NA MESMA NOITE - ou 5 homens belos, de acordo com o teu sexo e orientação sexual - e mesmo assim a felicidade acabaria. Somos geneticamente polígamos, nós, os homens, mas a escassez de mulheres belas e jovens força-nos à monogamia. Deus agiu pesadamente connosco. Há-de haver uma Deusa mais liberal do que este Deus que nos vigia desde o Empíreo ou céu de fogo...(do grego empyrus (ἔμπυρος), "dentro ou sobre o fogo (pira)".

 

CADA VEZ GOSTO MAIS DE MULHERES DIVINAS, IRREAIS, CAPAZES DE NÃO SEGUIR A NORMA SOCIAL DOMINANTE. As namoradas penduradas nos «machões» alentejanos são pouco criativas, reprimidas, formatadas... Preciso de outro tipo de mulher que não tema os pais, os irmãos, os avós a vizinhança, uma mulher capaz de defender o seu homem com unhas e dentes, por convição, por partilharem ambos atitudes e ideais excêntricos que fogem à mediocridade da vida dos/das preconceituosos/as.

 

PONTE DE SERPA SOBRE O GUADIANA, OBSERVATÓRIO DO CÉU. 25 de Julho de 2016 às zero horas. Paro o carro no parque junto à ponte sobre o Guadiana, sentido Serpa-Beja. Em Serpa, cidade mágica que me prende de encanto, ouvi cantar os Trigo Roxo na Praça da República. Agora, junto ao Guadiana, olho o céu com rutilantes estrelas, sem lua visivel. Do lado sul, a constelação de Escorpião que cobre quase todo o signo (30º de arco) de Sagitário, pois estende-se de 24º a 29º do signo de Escorpião e de 0º a 27º do signo de Sagitário.

 


Dirijo-me a Antares, estrela da constelação de Escorpião, situada em 10º do signo de Sagitário, vizinha do meu Sol de nascimento em 11º do mesmo signo: «Oh poderosa radiação de Antares, protege os meus pedidos e projectos!». Faço o mesmo voltado para a estrela polar que tem «em baixo» à sua esquerda o trapézio da Ursa Maior e à sua direita «em baixo» o W da Cassiopeia. Há uma religião das estrelas fixas - ou dos graus do Zodíaco, que são 360 - e gosto de praticá-la intuitivamente. Falar com as forças da natureza e com as estrelas é sinal de inteligência cósmica - até os minerais nos ouvem, daí a eficácia das estátuas na formulação de pedidos. O céu rutilante do campo alentejano, eis o meu altar!

 

O FINAL DAS NOITES DA NORA EM SERPA. 23 de Julho de 2016. Às 22.40 horas chego a Serpa. Junto à imponente muralha encimada pelo aqueduto (tipo Segovia) há um mercado livre de roupas, livros, peças de artesanato. O Francisco Manuel La Féria, professor e director do agrupamento de escolas, saúda-me. É agradável reencontrarmos os colegas, os amigos. Dentro da Nora de Serpa, é o encerramento do ciclo «Noites na Nora» , 17ª Edição, de 8 a 23 de Julho de 2016, organizado pela Companhia de Teatro Baal 17 sob a supervisão de Rui Ramos.


Há música ao vivo e acabamos muitos a dançar frente ao palco. Não sou bom dançarino mas movo-me. Margarida, que mal conhecia, sorri-me e diz: «Eu pensava que eras um bófia à paisana mas na segunda de madrugada vi que eras um ator. Disseste coisas que toda a cidade de Serpa devia ouvir (na segunda, 18 de Julho, fiz um discurso de uns 25 minutos, vestido em crossdresser, ante o público, um discurso sobre sentimentos e máscaras da sexualidade e arrisquei a minha imagem, sem receio, dizendo que «todos os homens gostariam de se travestir por diversão mas temem», que «os homens de 50-60 anos apreciam mais as mulheres de 25 anos do que as de 45 ou 55 mas não o dizem por medo», etc.). No meio do frenesi da dança, sou beijado e abraçado por uma Capricórnio, tudo numa boa. Basta sorrir e entrar na dança e as barreiras entre as pessoas e as gerações atenuam-se. E percebemos que somos amados, ainda que de forma difusa, frágil. Ninguém ama ninguém e todos amam todos - é a lei da promiscuidade mental-afectiva que Deus estabeleceu.


Há as mulheres ontológicas - as que pertencem ao ser, ao eterno, as belezas arquetípicas - e as não ontológicas - as do devir, mais instáveis e mutáveis. Mas em toda a mulher há uma fragilidade: o gosto de ser cortejada, a permeabilidade aos elogios que abre caminho ao suave beijo no pescoço. Basta o homem insinuar-se. Não podemos levar-nos demasiado a sério, porque falhamos, nem podemos ser mentirosos, levianos. Deixar correr o rio do tempo mas não desperdiçar o salto sobre o precipício do encantamento...

 

QUANDO OS DEUSES DA PAIXÃO NOS DEIXAM é um descanso. O mar das emoções acalma-se, recolhe as ondas e fica azul e luminoso como um lago. Também nos cansamos de estar sempre apaixonados por elas e viceversa. Mas que aconteceria se o dissessemos em voz alta? Romperíamos ou abalaríamos as ligações que custa tanto a construir..


MESMO QUE NÃO ME AMES, MULHER BELA, EU AMAR-TE-EI DENTRO DE MIM E AMAR-ME-EI A MIM MESMO. Seremos um casal dentro de mim, faremos amor todas as noites num quarto com lençóis brancos e puxadores dourados nos armários, quarto esse dentro da minha alma. Venci-te: sou o mais persistente no amor.

 

AMO-TE PORQUE ÉS BELA, DOCE, FEMININA. Não me importa se és muito ou pouco inteligente. Podes até ser um pouco estúpida ou não teres curso universitário por não teres dinheiro ou nem sequer teres feito o 9º ano de escolaridade ou seres operária agrícola, empregada de bar ou de loja e amo-te sempre desde que sejas linda e doce. Mas se fores feia e muito inteligente, empresária rica ou professora universitária, médica ou arquitecta não te amo. Porque beleza e doçura é o que mais interessa numa mulher.


CULPABILIDADE- E tu, já oraste hoje? E pediste perdão a Deus pelo «belo» bife de porco que comeste e que exigiu que um porco fosse morto por tua causa?

 


A IMPERFEIÇÃO QUE ENCONTRAS NA RELAÇÃO COM OS OUTROS PODE SER COMPENSADA COM A PERFEIÇÃO NA RELAÇÃO CONTIGO MESMA/O. Ama-te a ti mesma/o. Não fumes, não bebas alcool, não destruas o teu corpo que és tu mesma/o. Não te esgotes na procura incessante de ganhar dinheiro ou de agradar a outros (à namorada, ao namorado.. aos amigos) porque os outros amam-se a si mesmos e só te amam às vezes, daí as traições, as desatenções, o mal dizer, a falta de apoio quando precisavas.

 

UM LIVRO INTERESSANTE PARA LER E MEDITAR E GUIAR-NOS NO MUNDO DO AMOR: o título é «Eu amo-me e às vezes a outras pessoas», da editora 4 Estações. Aí lemos:

«A função do amor é expor o cerne divino de quem somos. O amor queima o que não é real. Por isso ao apaixonar-me completa, louca e profundamente por alguém, agarro-me à confiança de que o que é real permanecerá. Independentemente dos resultados do amor, a verdade sobre quem, de facto sou, resistirá». (Meggan Waterson, pág 87).

 

MESMO QUE TENHAS A NAMORADA OU A ESPOSA MAIS BELA E AFÁVEL DO MUNDO, SENTIRÁS SEMPRE UMA FRUSTRAÇÃO LATENTE INERENTE À VOSSA RELAÇÃO. Porque tens medo de a perder ou estás farto dela, em certos momentos, ou achas que te ofendeu ou que tem uma doença difícil de curar ou tem uns pais irritantes e antipáticos... A vida é sofrimento, dizia Buda. 

 

PORQUE NÃO BEBES DIARIAMENTE UMA COLHER DE CAFÉ DE ARGILA DILUÍDA EM ÁGUA? Esta medicação natural tem feito desaparecer úlceras gástricas e duodenais, tumores, colesterol em excesso, reumatismos, artroses, hepatites, etc, porque a argila absorve as impurezas e fá-las sair do corpo pelo intestino ou pelo sistema urinário.


 Ris? Já viste coisa mais estúpida do que troçar dos efeitos da argila, que não experimentaste, e acreditar que os vírus e toxinas que as vacinas te metem no corpo ajudam este a manter a saúde? Tu não podes acreditar em tudo o que a medicina oficial te diz porque aquilo é um negócio, antes de mais

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 13:49
link do post | comentar | favorito (1)

Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2015
O Vaticano corrupto dessacraliza as missas celebradas nas paróquias?

 

Sendo o Vaticano dos cardeais um «ninho de víboras», infiltrado por vaidosos e corruptos prelados e por maçons, é espiritualmente eficaz a missa católica rezada nas paróquias, isto é, na base da igreja católica romana? Este é um dos problemas filosóficos que me desafia. Lê-se num livro anti-corrupção escrito em 1998 por um núcleo de resistentes  dentro da cúpula vaticanista:


«Depois da morte de Paulo VI, a 6 de Agosto de 1978, os mass media davam o arcebispo de Génova, cardeal Guiseppe Siri - um verdadeiro gigante do sacro colégio pela sua dimensão pastoral, pela sua formação intelectual, pela sua coerência entre fé e vida, pela sua fidelidade à tradição da Igreja - como Papa já eleito, antes de entrar no conclave. Tivera encontros nos dias anteriores com cardeais, embaixadores, políticos e prelados de todas as origens e correntes. O arcebispo Siri, de discurso calmo, determinado e incisivo como uma espada, sabia que era mal visto no Vaticano por uma certa classe maçónica de salão. Não adivinhava o golpe baixo que ela lhe estava a preparar pelas costas, no sentido de o apear daquele plebiscito de prognósticos e de consensos. Naturalmente, os gigantes são observados à distância para assim se apreci8ar melhor a sua estatura ciclópica e para não se correr o risco de os considerar parecidos com os monstros. »


«Na manhã do conclave, o cardeal Siri mal teve tempo de tomar conhecimento pelos jornais de uma entrevista, que não dera, a respeito da eficácia da ação do futuro Papa e daquilo que deveria fazer, em que lhe atribuíam afirmações delicadas e perigosas, exactamente para lançar sombras sobre o cardeal candidato. O arcebispo de Génova nem sequer teve tempo para desmentir a entrevista: a porta do conclave fechou-se atrás de si. Os objectivos daquela camarilha ecoaram no conclave, reunido de imediato que, por prudência - assim se disse - pôs de parte a grande figura que todos previam» (I Millenari, O Vaticano contra Cristo, pág.159-160, Editorial Notícias; o destaque a negrito é posto por nós).

 

Muitas outras manobras baixas como o assassínio do papa João Paulo I, em 28 de Setembro de 1978, a pedofilia consentida em milhares de colégios católicos e sacristias, e um clima de permanente opressão dos bispos sobre sacerdotes e leigos que executam, sem poder contestar sindicalmente, as ordens vindas de cima ( não de Deus, mas da arrogância satânica de purpurados) caracterizam a cúpula da igreja católica romana, o Vaticano. Será o papa Francisco um maçon infiltrado? Aponta-se-lhe ter colaborado com a ditadura militar argentina em 1976, no desaparecimento de dois sacerdotes antifascistas e, por isso, não deveria ser maçon nessa época. Creio que as missas ditas na base por sacerdotes bem intencionados poderão ter um certo valor santificante. Mas reservo-me: sou gnóstico e não creio na santidade dos corruptos bispos, arcebispos e cardeais, salvo na de alguns poucos. A igreja católica é, como os regimes comunistas leninistas, organizada segundo um modelo totalitário em que o chefe supremo ( o papa; o camarada Estaline, o presidente Mao Ze Dong, etc) é endeusado: operários honestos na base a trabalhar por ideais, uma classe burocrática de dirigentes do partido marxista-leninista e do Estado, a gozar com quintas luxuosas e armazéns de produtos de luxo privados e outras formas de corrupção. O papa é talvez um representante de Satanás na Terra. Há outros.

 

E afinal a igreja de hoje é a mesma que fez milhões de vítimas com a Inquisição e as cruzadas, a igreja de Satã, que nada tem a ver com o despojamento de Cristo.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:56
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 6 de Fevereiro de 2014
Teste de filosofia do 10ºB, Fevereiro de 2014

 

Eis um teste de filosofia, o primeiro do segundo período lectivo. A temática da filosofia hermética e do simbolismo das catedrais/ geometria sagrada  justifica-se porque serve de base à visita de estudo a monumentos de Sevilha e enquadra-se nos pontos do programa do 10º ano de filosofia em Portugal «O que é a filosofia»,  «Valores Estéticos/ Artísticos» e «Valores Religiosos».

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia com 3º Ciclo, Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA B
6 de Fevereiro de 2014.            Professor: Francisco Queiroz

 

"A filosofia hermética é holística e baseava-se no princípio das correspondências macrocosmos-microcosmos, de que a catedral medieval é um exemplo de aplicação prática. A essência, segundo Platão, não está no mesmo nível que a essência segundo Aristóteles. A lei do devir encaixa-se na lei do salto de qualidade.”

 

1) Explique, concretamente, cada uma destas frases.

 

2) Construa um diálogo de valores ético-políticos ( mínimo: 12 linhas) entre um anarquista, um comunista leninista, um socialista democrático, um liberal, um fascista, de modo a que no diálogo explicite as definições dos conceitos de «nacionalização de empresas», «privatização de empresas», «autogestão», «cogestão»,  «estado de direito democrático», «ditadura do proletariado», «totalitarismo».

 

 

3) Relacione, justificando:

 

A) Imperativo categórico em Kant e princípio da ética de Stuart Mill.
B)  Contratualismo de Hobbes  e de John Locke.
C) Etnocentrismo absolutista, multiculturalismo, subjectivismo.   

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE DE FILOSOFIA (COTADO PARA 20 VALORES)

 

1) A filosofia hermética, nascida na Antiguidade e atribuída ao mítico Hermes Trimegistus, é holística porque considera as coisas integradas numa totalidade (holo) cósmica em que tudo se relaciona. Baseia-se na fórmula «o que está em baixo é como o que está em cima, o microcosmo é um espelho do macrocosmo». Exemplo: a catedral medieval é um microcosmo, na medida em que a sua planta reproduz em pedra, o corpo cósmico de Cristo, gigantesco (macrocosmo) que atravessa o universo. A abside equivale à cabeça de Cristo, o transpeto aos braços,  o altar ao coração, as naves ao tronco e pernas. (VALE TRÊS VALORES). A essência, em Platão, é o arquétipo (de Belo, Bem, Homem, Árvore, etc) e encontra-se no mundo supraceleste, inteligível, mas em Aristóteles as essências, formas eternas,estão nos próprios objectos materiais («O Belo só está na rosa e nas coisas belas», «a essência rosa não está fora de cada rosa existente no real físico») e não há mundo inteligível separado. (VALE DOIS VALORES) A lei do devir defende que tudo está em mudança, a cada instante, e está incluída na lei do salto qualitativo porque esta diz que a acumulação lenta e gradual, em quantidade, (devir) de um aspecto num fenómeno leva a uma mudança qualitativa nesse fenómeno (VALE DOIS VALORES).

 

 

2) Anarquista: «Sou contra o capitalismo e todas as formas de Estado. Defendo a autogestão, isto é, as fábricas, hipermercados, empresas agrícolas, de transportes, pescas, deixam de ter patrões e passam a ser geridas por assembleias de trabalhadores (operários, economistas, engenheiros), nivelando-se os salários.»

Comunista: «Sou contra o capitalismo mas, ao contrário dos anarquistas, defendo a nacionalização, isto é, a passagem para as mãos do Estado das grandes e médias empresas ou mesmo de todas. Defendo a ditadura do proletariado: desaparecem as eleições livres porque os partidos da direita ou centro-esquerda as ganham graças ao financiamento dos ricos, só o partido marxista concorre e domina o Estado.»

Socialista democrático: «Não sou contra o capitalismo, porque permitre criar riqueza em grande quantidade, sou contra o capitalismo selvagem que não protege os operários. Defendo a cogestão, isto é, a empresa é propriedade dos patrões mas o conselho de administração inclui um representante dos trabalhadores ou do sindicato. Defendo as eleições livres, base do estado de direito democrático.»

Liberal: «Sou a favor do capitalismo, da privatização das empresas, isto é, de estas passarem a pertencer a patrões (privados), sou apoiante da livre concorrência entre as empresas, da liberdade de o patrão despedir operários. Sou contra o comunismo que é um totalitarismo de esquerda, isto é, um estado de partido único com censura à imprensa,  e contra o fascismo que é um totalitarismo de direita. Defendo o Estado de direito democrático ou democracia pluralista.»

Fascista: «Sou a favor do capitalismo nacional sob uma ditadura de extrema-direita tradicional na qual o povo inteiro obedece ao chefe de Estado e ao partido único, não há liberdade de greve e manifestação de rua, os imigrantes são expulsos do país, a censura é estabelecida na televisão, na imprensa e no ensino, gays e lésbicas são perseguidos e neutralizados. Sou contra o Estado de direito democrático, criação da maçonaria liberal e socialista.» (VALE SEIS VALORES).

 

Nota: Este diálogo pode ser estruturado de outras maneiras.

 

3) A) O imperativo categórico é a verdadeira lei moral em Kant: age como se quisesses que a tua acção fosse uma lei universal da natureza. Por outras palavras: ou comem (ou pagam) todos por igual ou não há moralidade. O princípio da maior felicidade, base da ética de Start Mill, defende que se deve preferir a felicidade da maioria dos envolvidos numa situação à felicidade da minoria  e que os prazeres superiores (filosofia, literatura, ciência, amizade, solidariedade, etc) são preferíveis aos prazeres inferiores (comer, beber, possuir oiro ou dinheiro, etc). Kant e Mill opõem-se, em certa medida. Se um barco com 150 passageiros naufraga e só se podem salvar 30 vidas em salva-vidas, o imperativo de Kant é, aparentemente, impraticável mas não o utilitarismo de Stuart Mill:  salvam-se as mulheres e as crianças (estas são potencialmente, as portadoras de maior felicidade porque têm um largo futuro diante de si) e ficam para morrer os homens e o capitão (VALE DOIS VALORES).

 

3)B) O contratualismo é a filosofia que justifica o Estado como resultado de um contrato social. No caso do filósofo inglês Hobbes, este defendeu um contratualismo base da monarquia absoluta ou ditadura do rei: os cidadãos entregam os seus direitos e liberdades nas mãos de um monarca absoluto que lhes garante a propriedade privada dos seus bens e o direito à vida reprimindo as revoluções, o banditismo, o roubo, etc. No caso do filósofo inglês do século XVIII John Locke, este sustentou que o Estado brota de um contrato social entre os proprietários livres para superar o "estado de natureza" (país sem lei) e reveste a forma de Estado liberal, baseado na livre eleição de um parlamento multipartidário de onde sai o governo e baseado na liberdade de imprensa e na separação tripartida de poderes. (VALE DOIS VALORES).

 

3) C) O etnocentismo absolutista é a corrente e a atitude que sustenta que uma dada etnia, nação ou raça é, genetica e culturalmente, superior a outros povos e raças e por isso tem o direito de humilhar, escravizar ou eliminar estas. Exemplo: os colonizadores portugueses e espanhóis nos séculos XV e XVII , escravizando os negros de África ou os índios da América do Sul e Central, impondo-lhes a religião católica, o vestuário europeu, etc. O multiculturalismo é a corrente e a atitude que sustenta que todas as etnias, raças ou povos são iguais, devem conviver na mesma sociedade sem que nenhuma se superiorize a outra. Exemplo: a democracia portuguesa não deve ser de influência cristã nem dar a hegemonia à raça branca mas acolher o laicismo e todas as pessoas imigrantes (brasileiros, cabo-verdianos, ingleses, indianos, etc) dando direitos iguais a todos. É subjectivo ser etnocentrista absolutista ou multiculturalista, isto é, o acto de optar varia de pessoa a pessoa. Subjectivismo é a corrente que sustenta que a verdade, os valores, são íntimos a cada um, variam de pessoa a pessoa. (VALE TRÊS VALORES).

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:58
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007
A música maçónica de Mozart, a Kaballah e o catolicismo

A música sacra é objecto da filosofia, como infinitos outros aspectos da realidade sensível e do pensamento. A teologia católica tradicional sustenta a existência de dois tipos de música perfeitamente distintos: a sacra e a profana. Num livro recém editado sobre a Maçonaria, a que pertencia o grande compositor Wolfang Amadeus Mozart, escreveu Ullate Fabo:

 

«Las características melódicas y tonales de las dulces composiciones del salzburgués agradan a cualquier espíritu, estimulando intensamente sentimientos de lasitud, de relajamiento, de deleite sensible, de armonía, de apaciguamiento. Sin embargo, ? son éstos los sentimientos que debe suscitar una composición religiosa? San Agustín diría que la música mozartiana «conmueve más por el canto que por lo que se canta». Estas melodías hacen que el alma se equivoque con facilidad y tome por acción espiritual lo que no és más que sensación carnal aunque, sin duda, se trate de una sensación refinada y selecta. Escuchando a Mozart entramos en un cierto recogimiento placentero por virtud de la música misma, pero ese recogimiento - que no varia en esencia si, en lugar de una composición "religiosa" de Mozart, escuchamos una "profana"- , es un repliegue sobre nosotros mismos, no una "elevación de la mente a Dios". Es la potencia misma de la música, y no "lo que se canta",  lo que produce el efecto sensible y agradable que percibimos» (...)

«La Cábala no soporta la tensión entre creador y creación, y por eso inventó la "emanación", que se parece mucho a la creación, pero que es exactamente el contrario; el hermetismo no soporta la tensión entre la natureza y la gracia, y por eso encierra la gracia en la naturaleza. Para la concepción hermética, la vida espiritual consiste en despertar la gracia dormida en nuestra naturaleza. » (José Antonio Ullate Fabo, El Secreto Masónico Desvelado, Libros Libres, Madrid, 2007, pag, 247-248; o bold é colocado por nós)

 

 

Assim, segundo Ullate Fabo, a fruição da música sacra de Mozart é uma inflexão do homem sobre si mesmo, para a imanência, não uma saída de si para a transcendência divina. A música de Mozart reflectiria a tese emanacionista da Kaballah que sustenta não haver uma distinção rígida entre o criador e o criado, mas uma materialização progressiva do primeiro na escadaria de múltiplos degraus que é o universo criado. Tese interessante, embora discutível. Pergunto-me se, por exemplo, no «Requiem» de Mozart é discernível um carácter musical subtilmente profano, de pseudo sacralidade...

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)


 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:47
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

David Icke: O Pentagrama,...

Divergências entre Icke e...

Breves reflexões de Julho...

Notas pessoais de Junho e...

O Vaticano corrupto dessa...

Teste de filosofia do 10º...

A música maçónica de Moza...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds