Sábado, 15 de Fevereiro de 2020
Reflexões breves de Fevereiro de 2020

 

O AMOR ACABA NO MOMENTO EM QUE «SE FAZ AMOR» (LEIA-SE: CÓPULA, SEXO GENITAL, ORAL..). Na verdade, o Amor exige respeito, contemplação da outra pessoa em toda a sua beleza sem a dominar, sem a conspurcar. A dama eleita do trovador medieval, originário da Ocitânia, país dos cátaros, sudeste da França, era idealizada, despertava a paixão espiritual no trovador, este podia olhá-la de longe na janela do seu castelo ou da sua mansão, nunca a podia possuir, levar para a cama. Esse é o verdadeiro Amor, o da Alma Superior, não o falso Amor da Alma Inferior que é apenas libido, desejo de penetração física de um corpo, desejo orgástico. Todo o homem que possui fisicamente uma mulher despreza-a no seu inconsciente porque o senhor nunca ama a sua escrava, usa-a, precisa dela como animal.

 

AS MULHERES QUE NOS AMAM OU NÃO EXISTEM OU NÃO NOS DIZEM NADA PORQUE ESTAMOS DISTANTES NA IDADE OU NA GEOGRAFIA. É assim a longa espera conventual do silêncio que é um «nem sim, nem não». Muitas vezes a perfeição é ficar na essência ideal, no arquétipo feminino, um não se lançar na existência, no mundo das tentações, dos prazeres e das dores. Somos hedonistas (hedoné significa prazer em grego) estamos sempre a querer saborear o amor, a mousse de chocolate ou a sopa quente de tomate à alentejana... Jejuemos, por Deus, jejuemos!

 

LÚCIFER PROMOVE, COM AS ESQUERDAS, A EUTANÁSIA, O ABORTO, A IDEOLOGIA DE GÉNERO E A HOMOSSEXUALIDADE, O PANSEXUALISMO HETERO, BI OU HOMO, A DISSOLUÇÃO DAS NAÇÕES HOMOGENEIZADAS NA NOVA ORDEM MUNDIAL, O ATEÍSMO. E com as direitas Lúcifer promove a liberalização dos despedimentos, o trabalho escravo nos olivais intensivos e superintensivos ou na construção de estradas e casas, o tráfico de armas e de drogas, a instigação de guerras, o branqueamento de capitais, os paraísos fiscais. Há Lúcifer em todo o lado do espectro político.

 

SINCRONIZAÇÃO DO NOME DELGADO. Em 13 e 14 de Fevereiro de 2020, a ideia de DELGADO emerge: no dia 13, passam 55 anos sobre o assassinato do general antifascista Humberto DELGADO por Casimiro Monteiro e outros agentes da PIDE de Salazar numa emboscada em Villanueva del Fresno, Espanha; no dia 14, o juíz de Sevilha do caso desaparição da menina Marta del Castillo há 11 anos decide reabrir a investigação após ouvir a sétima versão do crime de Miguel Carcaño, preso como autor do assassinato, que implicam o irmão de Miguel, Francisco Javier DELGADO, como autor do crime.

 

OS FILÓSOFOS E OS PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS DE FILOSOFIA E ASTRONOMIA SÃO TÃO MEDÍOCRES NO PLANO INTELECTUAL E ESPIRITUAL QUE NEM ESTUDAM A ASTROLOGIA HISTÓRICA E LANÇAM ANÁTEMA SOBRE A IDEIA DE QUE O ZODÍACO COMANDA AS NOSSAS VIDAS INDIVIDUAIS E COLECTIVAS. Se lhes dissermos que devemos considerar a hipótese de Júpiter no signo de Carneiro estimular vitórias das direitas - por exemplo, ascensão de Salazar a ministro das Finanças em 27 de Abril de 1928, com Júpiter em 21º do signo de Carneiro; triunfo do golpe militar das direitas no Brasil em 1 de Abril de 1964, com Júpiter em 27º do signo de Carneiro; triunfo do golpe militar de Videla e generais fascistas na Argentina em 24 de Março de 1976, com Júpiter em 29º do signo de Carneiro - sorriem, com o sorriso dos néscios.

 

OS JOVENS E OS ADULTOS QUE NÃO ACREDITAM EM DEUS/DEUSES E NÃO ORAM SÃO ESPIRITUALMENTE VELHOS, ESCLEROSADOS. A dúvida paralisa o agnóstico e o ateu. A fé é essencial para acender e conservar um espírito jovem. Deus senhor do Paraíso, como inteligência suprema e Amor, adicionado ao determinismo planetário, causa da nossa boa ou má sorte, engendrado por um Demiurgo ou deus inferior e desajeitado são as duas chaves para entender a existência. As universidades e muitas confissões religiosas só nos fornecem uma destas duas chaves.

 

A TRADIÇÃO E A VIDA CALMA DE BEJA, O MAL DA MODERNIDADE NIILISTA. 21 de Fevereiro de 2020. Durante o desfile de carnaval das crianças do infantário encontro um amigo, militar da Força Aérea, a trabalhar desde há uns 2 anos em Lisboa que me diz: «Não há nada como a vida calma e de contactos humanos amigáveis de Beja. Em Lisboa, as pessoas são como ilhas: olham quase sempre para o umbigo (isto é: o telemóvel ligado). Excepto nas classes populares mais baixas, onde há o cultivo de uma certa solidariedade e preocupação com a sorte de amigos e vizinhos, Lisboa é despersonalizante, super individualista. Anseio pedir a reforma logo que faça 55 anos e venho para Beja tocar viola campaniça com amigos». 22 de Fevereiro de 2020, no centro de Beja onde um grupo de 10 jovens brasileiros imigrantes de crença evangélica louvam a Jesus Cristo cantando, encontro um amigo, intelectual, que me diz: «Já não sou de esquerda nem quero nada a ver com estas novas esquerdas niilistas que querem arrasar os valores tradicionais (niilismo, doutrina do nada) e construir tudo de novo: negam Deus ou deuses, a pátria, a educação pela família, a heterossexualidade como comportamento dominante, etc. Até o próprio cardeal Manuel Clemente, um pobre homem sem verticalidade, pressionado por estas esquerdas, recusou ontem receber André Ventura que diz muitas coisas acertadas desde uma direita conservadora não fascista. Filósofos como Derrida, Foucault, Deleuze não sabem o que querem».

 

 

 

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:22
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 7 de Janeiro de 2020
Breves reflexões de Janeiro de 2020

 

São apenas algumas reflexões, algumas eivadas de cristianismo tradicional que enfrenta o ateísmo e o agnosticismo dos pequenos filósofos e professores de filosofia.

 

UMA JOVEM AMIGA, DESILUDIDA COM A PROMISCUIDADE SEXUAL, DIZ-ME: «Eu olho para o mundo horrorizada, a moralidade está perdida. Venho para o trabalho e as amigas dizem-me como passaram a noite com um homem que acabaram de conhecer e não é seguro que eles se reencontrem e elas dizem isso com muito orgulho. Honestamente, não entendo isso, para mim é imoral e selvagem. O meu relacionamento passado morreu no início do ano passado e, naquele momento, o meu mundo foi destruído, perdi a fé na honestidade e no amor. Eu pensei que não poderia sobreviver, mas o tempo passou e ficou mais fácil para mim, dizem que o tempo cura corretamente. Mas quando as minhas amigas me contam as suas aventuras nocturnas, sinto vergonha de estar falando sobre isso.»

 

«No início, eu condenei isso, mas agora estou calada, a escolha é delas e deixá-las viver suas próprias vidas. é uma pena que cada vez menos pessoas decentes permaneçam neste mundo. Às vezes, é assustador ficar sozinha neste mundo de solidão e imoralidade. Penso que Sigmund Freud é o culpado da corrupção da sociedade quando disse que a fome e o sexo são os alicerces da sociedade humana, acho que dessa maneira ele empurrou as pessoas para o abismo da reprodução imoral. Agora eu quero chorar de solidão. muito triste para mim agora. Quero mudar esse mundo, mas entendo que isso é impossível e, portanto, só quero criar meu próprio mundinho chamado família.»

 

NÃO TE DEIXES CONTAMINAR PELO ESPÍRITO DO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Se és casado/a não traias o cônjugue. Quantas mulheres e homens têm destruído os seus aceitáveis casamentos só porque os/as colegas lhes dizem «O quê? Nunca experimentaste uma escapadinha, outros parceiros? Não sabes o que é bom...».

Rejeita a homossexualidade e a sodomia, pecados que levam ao inferno, rejeita a falsa ideologia da igualdade de género mas trata com delicadeza os homossexuais. Reza em casa e na rua a Jesus e a Nossa Senhora e ao teu Anjo da Guarda, a qualquer hora. Rejeita a liberdade de abortar, o ser barriga de aluguer, o «casamento» gay. Rejeita usar mini saia, decotes ousados, camisas de manga curta, maquilhagem provocante, comungar na mão, comungar sem ajoelhar previamente. Rejeita enganar os outros para ficares rico/a. O mundo actual é obra do Diabo. Este só se revela aos santos e é uma entidade verdadeiramente horrível que podes vencer com a oração permanente a Deus.

 

ESTALINE ACREDITAVA EM DEUS? Uma georgiana da antiga União Soviética disse-me há anos que Estaline como generalíssimo da URSS tinha um quarto secreto onde estavam os ícones da religião católica ortodoxa. Recentemente, dizem-me que na II Guerra Mundial Estaline enviou um avião de reconhecimento das posições militares do exército alemão invasor e dentro do avião um ícone da Virgem de Kazan, a mãe de Deus que, segundo a tradição, cobriu de neblina, séculos antes, a cidade de Kazan impedindo o exército mongol de localizar e  penetrar nela. Isto não invalida que Estaline fosse um ditador criminoso, quase tão terrível como o diabólico Hitler. 

 

O PADRE PIO DE PIETRELCINA, A VITÓRIA DO PORTO SOBRE O SPORTING, E A ESTATUÁRIA MAÇÓNICA NO SANTUÁRIO DE FÁTIMA. 5 de Janeiro de 2020. Faço a viagem de automóvel entre Porto (13.45 horas) e Beja (22.35 horas), com paragens diversas pelo caminho, nomeadamente em Fátima. Aqui evito entrar na basílica da Santíssima Trindade, a nova igreja monumental frente ao santuário de Fátima, para não ver o rosto monstruoso, feio, do Cristo crucificado, escultura satanista da autoria da irlandesa Catherine Green. O que me surpreende é o facto de o reitor do santuário e o bispo de Leiria -Fátima consentirem esta fealdade de inspiração maçónica e satânica. Terão de dar contas a Deus desta profanação. Rezo ante os túmulos de Jacinta e Francisco e Lúcia dos Santos.

 

Na livraria católica, folheio o livro «Padre Pio, o estigmatizado» de Maria Winowska. Coincidência ou não, vejo a seguir na TV, numa confeitaria, o jogo de futebol Sporting 1, FC Porto 2. O FC Porto é protegido por São Pio de Pietrelcina: este frade santo nasceu em 25 de Maio de 1887 e 100 anos depois quase exactos a 27 de Maio de 1987, o FC Porto conquista a sua primeira Taça dos Campeões Europeus de futebol ao vencer por 2-1, em Viena de Áustria, o Bayern de Munique. O meu gesto de folhear o livro sobre São Pio de Pietrelcina, o franciscano italiano, taumaturgo,grande defensor da missa em latim e da comunhão de joelhos, inspirador da igreja ultracatólica de El Palmar de Troya (Utrera, Sevilha), em 1970-1978, abriu a porta à vitória do FC Porto? Não pretendo dizer isso. Ajo movido por algo superior, às vezes. Sou apenas um instrumento modesto, um nada em devir.

 
 

       www.filosofar.blogs.sapo.pt

          f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 
 


publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:57
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 25 de Novembro de 2019
O Bloco de Esquerda serve a Cristo ou a Satã?

O Bloco de Esquerda, que oscila entre a social-democracia, o trotskismo e o anarquismo, tem uma intervenção meritória no campo da defesa dos direitos dos trabalhadores: Alberto Matos, coordenador do BE no Baixo Alentejo, faz um trabalho notável de integração de imigrantes islâmicos e hindus, africanos ou asiáticos, em Beja, a deputada do BE, Isabel Pires, esteve com os mineiros da Somincor, Castro Verde, em 6 de Novembro de 2017, numa greve que teve como objetivo central a humanização dos horários de trabalho, para os dois grandes grupos de trabalhadores, os mineiros e os operadores de lavarias e adstritos.

 

Mas no plano da moral sexual individual o Bloco de Esquerda é uma lástima: é o principal promotor da ideologia de igualdade de género em Portugal, enfeudado que está à LGBTI. A propaganda do homossexualismo leva muitas almas a cair no inferno e é contra-revolucionária: o homossexual pode ser, artística e literariamente, muito criativo mas não é, em regra, suficientemente forte para adoptar posições revolucionárias que passam por desligar o país da União Europeia e da Nova Ordem Mundial. Ao promover com o PS, dominado pela maçonaria, e com o PCP, as leis do aborto livre, do casamento de gays e lésbicas e da adopção de crianças por casais gays, o BE serve Lúcifer, o príncipe deste mundo, que nos quer enganar a todos com uma falsa felicidade passageira. Os nossos adolescentes estão profundamente corrompidos: aos 12 ou 13 anos, há já bastantes rapazes e raparigas aqui no Alentejo que participam em orgias bissexuais, se fazem fotografar nus e difundem essas fotos na internet.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:01
link do post | comentar | favorito

Sábado, 23 de Fevereiro de 2019
Reflexões breves de Fevereiro de 2019

 

 

1-O PROGRAMA «FIRST DATES , O PRIMEIRO ENCONTRO », DE FÁTIMA LOPES, PROMOVE O «ENGATE» GAY. É a cópia de um programa televisivo espanhol em que duas pessoas, em regra um homem e uma mulher que não se conhecem (supostamente), se encontram em um restaurante jantam um frente ao outro e iniciam uma relação de conquista mútua ou quase namoro.

 

 

Em 21 de Fevereiro de 2019, Fátima Lopes, neste novo programa da TVI, junta dois jovens gays barbudos, o português Celso e o brasileiro Juracy, e mostra como se «engatam» mutuamente. Há dezenas, talvez centenas de milhar de crianças e adolescentes a ver este programa que induz à homossexualidade e, previsivel e indirectamente, ao sexo anal, uma modalidade antibiológica e doentia do sexo gay e não só do sexo gay. Fátima Lopes está em risco de ir parar ao Inferno onde, segundo místicos cristãos, os perversos sexuais sofrem terríveis tormentos eternos, com cobras a sairem do seus intestinos e orgãos sexuais, no meio das chamas... Há uma operação em curso dos iluminatti que controlam as televisões e os sistemas de ensino para espalhar no mundo a homossexualidade e a bissexualidade, em nome do «humanismo» da «igualdade de género»...

 

2-PORTUGAL ENDIVIDADO PELA ELITE CORRUPTA. 21 de Fevereiro de 2019. Fernando diz-me: «Cada português deve
35 000 euros à União Europeia. Nem nas próximas três gerações (30 anos) se conseguirá pagar isso. A UE fez perdão de dívida à Grécia, país ainda mais corrupto que Portugal, onde as pessoas se regormavam bastante cedo e os gastos orçamentais eram excessivos, e a Grécia ainda ficou pior. A Caixa Geral de Depósitos fez empréstimos ruinosos, com Santos Ferreira (PS), Faria de Oliveira (PSD) como administradores máximos... E quem condena estes senhores e outros a quem há juízes que estão ligados?»

 

3-SINCRONISMO ONTOFONÉTICO- Em 19 e 20 de Fevereiro de 2019, a ideia de JACINTA está em destaque: no dia 19, um telejornal noticia que uma praga de JACINTOS-de.água, uma planta invasora que mata comunidades aquáticas, se manifesta no rio Guadiana do lado espanhol, ameaçando o lago enorme de Alqueva no Alentejo; no dia 20, passam 99 anos sobre a morte de JACINTA Marto, de 9 anos de idade, pastorinha de Fátima, vidente de Nossa Senhora.

 

 
4-SINCRONISMO ONFONÉTICO -Em 16 e 17 de Fevereiro de 2019, as ideias de AMARELO, CARA e PEDRA estão em foco: no dia 16, 41 000 coletes AMARELOS manifestam-se por toda a França contra a política do presidente Macron, um PEDREGULHO enorme rola por uma encosta na Calheta, Madeira, e destrói a cozinha do restaurante ROCHA do Mar matando a jovem cozinheira CARINA Marlene (evoca: CARA), o Vaticano expulsa o cardeal pedófilo MC CARRICK (evoca: CARA) da igreja católica, PEDRO Marques ( evoca: PEDRA) é apresentado como cabeça de lista do PS às eleições europeias; no dia 17, encontro um casal de franceses, ele de casaco AMARELO, na rua dos Infantes em Beja e diz-me que adoraram visitar Castro Verde, desenrola-se uma marcha popular cheia de guarda chuvas AMARELOS, em San Sebastian, Euskadi, a favor da libertação dos presos políticos catalães julgados rem Madrid.
 

 

5-VISITA DE ESTUDO DE 77 ALUNOS DA ESDG A ITÁLICA (SANTIPONCE) E A SEVILHA. Em 22 de Fevereiro de 2019, abalamos em dois autocarros desde o liceu de Beja (Escola Secundária Diogo de Gouveia), às 6.40 horas, e vemos o céu transitar da escuridão à esfera dourada do Sol de um amanhecer em Serpa, Ficalho, Rosal de la Frontera. Paragem no bar de estrada de Valdeflores. Café excelente. Como uma tostada: torrada com azeite. Ás 10 horas de Portugal estamos na cidade romana de Itálica, dotada de um belo anfiteatro de antigas lutas entre gladiadores e feras ou gladiadores e retiaris (os lutadores com uma rede e um tridente). Visto de soldado romano para dar vivacidade à descrição histórica. O professor David Argel lê frases de Marco Aurélio, filósofo estóico («Aguenta e abstém-te»). Frederica lê trechos sobre a civilização de Roma. Almoçamos no Parque Maria Luísa, junto a um tanque de patos, lindo. Vamos a pé aos Reales Alcázares que, este ano, não nos deram entrada gratuita e obrigaram todos os alunos com 17 anos ou mais a pagar 3 euros cada para entrar pela porta principal onde uma longa fila de turistas nos demora mais de meia hora. Salões de arquitectura árabe lindíssimos. Às 18.20 entro na igreja de Santo Antón Abad em Sevilha e rezo pelo bom êxito da viagem. Regressamos a Beja às 19.15 portuguesas desde Sevilha, paragem na Venta del Alto para jantar sandes e outras comidas, chegada a Beja às 22.50. Um dia feliz, com um sol quente como em Maio.

 

 

6-O OLIVAL INTENSIVO E SUPERINTENSIVO FEZ DISPARAR O NÚMERO DE LINFOMAS E OUTROS CANCROS NO ALENTEJO E DESTRÓI AVES, RIBEIRAS, RÃS, PATRIMÓNIO ARQUEOLÓGICO. E NÃO DÁ EMPREGO. 24 de Fevereiro de 2019. Jornadas sobre Monocultura Superintensiva no Alentejo e na Andaluzia, promovidas pelo Bloco de Esquerda na Escola Superior Agrária de Beja com a presença do grande militante Alberto Matos e da eurodeputada Marisa Matias. Brígido Sanchez, o olivicultor espanhol que tem causado com a agroquímica, desde 2001, imensa devastação dos solos do Baixo Alentejo, criador na herdade de Fontes Frades, no concelho de Beja, do maior lagar de azeite a nível nacional, que dispõe da mais recente tecnologia espanhola e alemã, não esteve presente. É óbvio...Só pensa nos lucros e não nas doenças que as pulverizações dos seus olivais causam nos alentejanos. Uma enfermeira presente declarou que o IPO regista um aumento anómalo de linfomas e leucemias entre os alentejanos, o que pode ser atribuído ao uso e abuso de pesticidas e herbicidas cujas partículas andam no ar e nos alimentos.

 

Paco Martín, de Ecologistas en Acción, de Granada, diz na sua comunicação: «40% do solo da Catalunha está contaminado por agroquímicos. Os criadores de gado passaram a ser meros empregados das megagranjas que lhes fornecem os alimentos e os antibióticos para o gado. Espanha é a terceira maior potência do mundo produtora de carne, depois dos EUA e da China. Algumas das macrogranjas podem chegar a produzir 200 000 porcos por ano. Em 100 dias engordam até pesar 100 quilos, um leitão, sempre preso numa jaula de 65 cm.» Ana Carla diz: «Ser vizinha de um olival superintensivo é não conseguir dormir de noite pois aí se fazem imensos trabalhos nocturnos . E é sofrer inundações uma vez por semana. E o pior, na agroquímica, não é a contaminação dos solos mas a dos aquíferos, da água que todos bebemos e alimenta a agricultura».

 

7- SÓ O BEIJO É AMOR, O ORGASMO É O PRAZER EGOÍSTA. Quando nós, homens, abrimos a blusa da mulher, lhe beijamos os seios e a reclinamos no sofá ou na cama para copular removendo o obstáculo das calças ou da saia que veste, não a amamos - estamos a usá-la como um instrumento para atingirmos o orgasmo, que não é amor mas prazer egoísta. É mais puro ficar só pelo beijo na face ou nos lábios e pelo abraço - isso sim, já pode comportar o amor.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 07:36
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 18 de Julho de 2018
A confusão de transformismo com homossexualidade e transexualidade

A TVI exibiu em 17 de Julho de 2018, a reportagem «Senhor Traveca» que apresenta as figuras e depoimentos de três artistas de Drag Queen, Bruno Cunha (Camel Toe), do Porto, que usa barba nos shows travestis, Ricardo Magalhães (Luna), Drag Queen em Setúbal, e José Coelho (Rebbeca Bunny), de 21 anos, transformista em Lisboa. A reportagem é interessante, os três declaram ser gays, relatam os dramas das suas vidas. Merecem respeito pela coragem. Mas o defeito desta reportagem é o de, na linha dos sectários da LGBT, apresentar a falsa ideia de que todos os transformistas, isto é, todos os homens que se vestem ocasionalmente ou profissionalmente de mulheres são gays.

 

A LGBT censura a existência de um sector crossdresser heterossexual, isto é, de um número considerável de homens que gosta de vestir de mulher em solitário ou na companhia das esposas e namoradas e que rejeita liminarmente a homossexualidade e a bissexualidade físicas por achar repulsivo o corpo masculino. Os herejes, que são os crossdresser hetero, são excomungados pela igreja LGBT que quer integrar todo o travestismo dentro da homossexualidade e da transexualidade.

 

Também pelo campo sócio-sexual passa a luta de classes. A LGBT que funciona como uma espécie de representante dos oprimidos e excluídos sexuais, socialmente falando,  marginaliza e censura os que assumindo aparências andróginas ou femininas estão irredutivelmente no campo da heterossexualidade. Os comentários explicando o que é ser crossdresser heterossexual são banidos das páginas do portal da LGBT na internet.

 

NOTA: COMPRA O NOSSO «DICIONÁRIO DE FILOSOFIA E ONTOLOGIA», 520 páginas, 20 euros (portes de correio para Portugal incluídos), CONTACTA-NOS.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

  f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 07:11
link do post | comentar | favorito

Domingo, 17 de Junho de 2018
Charles Taylor: a homossexualidade faz desaparecer os horizontes de inteligibilidade

 

Charles Margrave Taylor, nascido em 5 de Novembro de 1931, na cidade de Montreal, no Canadá, professor emérito de Filosofia e Ciência Política na Universidade de McGill, é um filósofo que faz uma crítica subtil à filosofia igualitarista em voga - a que chamaremos relativismo nivelador e Taylor designa por relativismo brando - que eleva a homossexualidade a um estatuto científico e social idêntico ao da heterossexualidade.

 

Escreve Taylor:

«O termos certa impressão das coisas nunca pode constituir base suficiente para respeitar a nossa posição, porque a nossa impressão não pode determinar o que é significativo. O relativismo brando autodestrói-se.»

«As coisas adquirem importância contra um fundo de inteligibilidade. Chamaremos a isto horizonte. Deduz-se que uma das coisas que não podemos fazer, se temos de nos definir significativamente, é suprimir ou negar os horizontes contra os que as coisas adquirem significado para nós. Este é o tipo de passo contraproducente que se dá com frequência na nossa civilização subjectivista. Ao acentuar a liberdade de escolha entre certas opções, muito frequentemente deparamos com o facto de que privamos as opções do seu significado. Existe, por exemplo, um certo discurso de justificação de orientações sexuais não convencionais. Há pessoas que desejam sustentar que a monogamia heterossexual não é a única forma de conseguir a realização sexual, que aqueles que se inclinam pelas relações homossexuais, por exemplo, não deveriam ter a impressão de que empreendem um caminho secundário, menos digno de recorrer. Isto encaixa bem na moderna compreensão da autenticidade, com a sua noção de diferença, de originalidade, de aceitação da diversidade. Tentarei ampliar estas conexões mais adiante. Mas por mais que o expliquemos, está claro que esta retórica da "diferença", da "diversidade" (inclusive do "multiculturalismo") resulta central para a cultura contemporânea da autenticidade

«Mas em algumas das suas formas, este discurso desliza para uma afirmação da própria escolha. Toda a opção é igualmente valiosa, porque é fruto da livre escolha, e é a livre escolha a que lhe confere valor. O princípio subjectivista que subjaz ao relativismo débil está aqui presente. Ainda que isto nega explicitamente a existência de um horizonte de significado, pelo qual algumas coisas valem a pena e outras algo menos, e outras não valem a pena em absoluto, muito antes da escolha. Mas nesse caso a escolha da orientação sexual perde todo o significado especial.»

 

(Charles Taylor, Horizontes ineludibles, em  Carlos Gómez (ed.), Doce Textos Fundamentales de la Ética del siglo XX, Alianza Editorial, pp 234-235, extraido do livro de Taylor La ética de la autenticidad, Barcelona, Paidós, 1994, capítulo 4, pp. 67-76, o bold é destaque posto por nós).

 

E defendendo a existência de valores sociais como o primado da heterossexualidade, da solidariedade, etc., Taylor, classificando tacitamente de "narcísica" e "inautêntica"  a homossexualidade, escreve:

 

«O agente que busca significado para a vida, tratando de defini-la, dando-lhe um sentido, há-de existir em um horizonte de questões importantes. É isto que resulta contraproducente nas formas de cultura contemporânea que se concentram na auto-realização por oposição às exigências da sociedade, ou da natureza, que se fecham à história e aos laços de solidariedade. Estas formas "narcisistas" e egocêntricas são desde logo superficiais e trivializadas; são "estreitas e planas", como diz Bloom. Mas isto não sucede assim porque pertençam à cultura da autenticidade. Ocorre, pelo contrário, porque fogem das suas estipulações.»

 

(Charles Taylor, Horizontes ineludibles, em  Carlos Gómez (ed.), Doce Textos Fundamentales de la Ética del siglo XX, Alianza Editorial, pág 37, extraido do livro de Taylor La ética de la autenticidad, Barcelona, Paidós, 1994, capítulo 4, pp. 67-76, o bold é destaque posto por nós).

 

 

A lei da atração dos contrários inteligível na heterossexualidade, no par homem-mulher, torna-se ininteligível no plano físico-visual na homossexualidade, com o par homem-homem. Se ensinarmos na escola do primeiro ciclo que tanto faz um menino beijar na boca uma menina como beijar na boca um menino, criamos uma ideologia e uma educação perversas, que não distinguem entre valores superiores e valores inferiores.

 

É óbvio que a homossexualidade masculina representa um desiquilíbrio psíquico e fisiológico: um homem que se submete sexualmente a outro homem perde a confiança em si mesmo e, ademais, a relação homossexual comporta geralmente penetração anal e o ânus é um orgão excretor de resíduos fecais, absolutamente impróprio para sexo.  Freud, Jung e Adler não estão ultrapassados na ciência do psiquismo ao classificarem a homossexualidade como desvio, distorsão do Eros. Todos os psiquiatras e teóricos modernos adeptos da tese de que «é tão normal ser heterossexual como ser homossexual» estão errados, fazem o discurso do "politicamente correcto". Nenhum médico ousaria dizer que "é tão normal ser diabético com 140 mg/ dl de glucose no sangue como não ser diabético com 85 mg/dl de glucose no sangue"...

 

O argumento hedonista de que «sexo anal dá prazer» não tem solidez face aos danos corporais, visíveis ou não, que provoca nos esfíncteres, na parede intestinal  e no coração.

 

Demonstrou-se que a frição do pénis ou de um objecto similar dentro do intestino recto faz migrar as bactérias fecais para o coração criando neste uma doença chamada endocardite bacteriana, comum à generalidade dos homossexuais - e também às mulheres que consentem relações sexuais anais. Este é um argumento muito forte a favor da superioridade das relações heterossexuais pénis-vagina.

 

No entanto, o direito à  homossexualidade é inquestionável, juridicamente falando, e os homossexuais devem ser defendidos contra agressões homófobas, estimados,  compreendidos, sem embargo de a homossexualidade ser criticada. Mas não deveriam ter o direito de adoptar crianças.

 

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

 f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz

 

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:44
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018
Assexualidade: confusões teóricas

 

Em 25 de Junho de 2016, encontrava.me em Lisboa por causa de uma manifestação nacional de professores e pude assistir ao comício que finalizou a manifestação da LGBT que, paralelamente, decorreu nesse dia internacional dos direitos dos gays, lésbicas, bissexuais e transexuais. Dei conta da bandeira do movimento das /dos assexuais e constatei, com surpresa, que aí pontificavam algumas jovens de comportamento lésbico. Há algo incoerente na classificação da assexualidade: lésbicas assumidas proclamando-se assexuais?

 

A Wikipedia fornece as seguintes definições:

«Assexualidade[ é a falta de atração sexual a qualquer pessoa, ou pequeno ou inexistente interesse nas actividades sexuais humanas.  Pode ser considerada a falta de uma orientação sexual ou uma de suas variações, ao lado da heterossexualidade, da homossexualidade, da bissexualidade e da pansexualidade. Também é considerado uma palavra-autocarro para caracterizar um espectro mais amplo de diferentes sub-identidades assexuais. Um estudo de 2004 descobriu que a prevalência de assexuais na população britânica era de 1%.»

A assexualidade difere da abstinência sexual e do celibato que são comportamentais e geralmente motivados por fatores como crenças pessoais ou religiosas. Acredita-se que a orientação sexual, ao contrário do comportamento sexual, é "duradoura".[Algumas pessoas assexuais engajam em atividades sexuais, mesmo não tendo desejo por sexo ou atração sexual, por uma variedade de razões, como a vontade de obter ou dar prazer e a aspiração de ter filhos.»

 

«Alguns assexuais usam um sistema de classificação desenvolvido (e então aposentado) pelo fundador da Asexual Visibility and Education Network.  Nesse sistema, assexuais são divididos em tipos de A a E:

  1. Assexual tipo A: possui atração romântica por indivíduos do sexo oposto (heterorromântico).
  2. Assexual tipo B: possui atração romântica por indivíduos do mesmo sexo (homorromântico).
  3. Assexual tipo C: possui atração romântica por indivíduos de ambos os sexos (birromântico).
  4. Assexual tipo D: possui atração romântica por todos os tipos de indivíduos (panromântico).
  5. Assexual tipo E: sem atração romântica e direção sexual (arromântico).

Note que a assexualidade não é o mesmo que celibato que é a abstinência deliberada de atividade sexual; muitos assexuais fazem sexo, e a maioria dos celibatários não são assexuais. A AVEN não utiliza mais esse sistema por se tratar de algo muito exclusivo.» (in Wikipedia)

 

Quem quer que pratique sexo físico, como aparentemente sucede com dirigentes do movimento das assexuais portuguesas, não pode, em rigor, ser classificada como assexual. Assexual significa: pessoa com ausência de desejo sexual (assexualidade hormonal) e pessoa com ausência de quaisquer práticas de sexo físico (assexualidade comportamental, imposta muitas vezes por razões morais). Tudo o que transcende esta definição é falsa assexualidade. Mas as confusões teóricas imperam e dão jeito a algumas pessoas que procuram obter visibilidade social.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 06:59
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
João Bereslavsky: a homossexualidade de Santo Agostinho, inventor do «pecado original»

 

João Bereslavsky (João do Santo Graal), filósofo russo e místico, arauto da igreja cátara do século XXI, aponta (Santo) Agostinho, bispo de Hipona, como o criador da teoria do pecado original que moldou um catolicismo com os traços diabólicos de Elohím, o deus do Antigo Testamento. Agostinho foi seguidor de Mani, que postulava o dualismo original Luz-Trevas e não atribuía a origem do mundo corporal de matéria ao verdadeiro Deus como os católicos e os judeus. Depois, Agostinho retrocedeu na espiritualidade e aderiu ao  catolicismo que fez inflectir num sentido sombrio, de pecado como lema primeiro. Escreve Bereslavsky:

 

«7. No judaísmo, com todo o seu enfoque no pecado, a lei regulava e vencia em certo grau os inícios pecaminosos. O islão até agora não crê no pecado original. A doutrina do pecado original foi imposta no século IV por Agostinho

«Em particular, cita um tal Simplício na sua carta. Diz que o pecado predomina na natureza humana desde o início. Veio com a queda dos procriadores; por isso é eternamente próprio do homem e praticamente imperdoável.» (...)

«11. Agostinho é um profeta falso. É uma raridade da diabocivilização, um herdeiro cristão dos "açores" judaicos, dos fariseus da época do Segundo templo, com a sua misantropia exacerbada. É o precursor da inquisição católica medieval que girou o eixo mundial para a malevolização.» (...) 

 

«O interior de Agostinho»

«Até agora pouco se sabe sobre o bispo de Hipona. É um personagem obscuro. Chegou o tempo de desmascarar o que não se pode ler em nenhum livro, em nenhuma página web: o interior de Agostinho.

«12. O seu traço principal é uma homossexualidade rematada que atormentava este clássico romano durante toda a sua vida e que nunca superou. Acrescido a isso um "complexo de Édipo" profundo - a relação sodómica com a sua mãe bruxa .

A sua mãe Mónica também está na sombra. As crónicas oficiais falam sucintamente dela, no limite do silêncio, enquanto que ela precisamente, com mentira calculista, sodomia e ialdabaotianismo ritual, determinou o caminho do seu filho.»

«13. Por trás de Roma está Agostinho. Por trás de Agostinho está Mónica. Por trás de Mónica, Lilith, a mulher de Satanael (Jehová Elohím) e atrás desta última está o próprio diabo! Assim é a cadeia secreta do catolicismo romano.»(...)

«Reflectindo sobre Agostinho vi cinco períodos na sua vida.

«O primeiro período é o homossexual: a juventude libertina, a depravação.»

«O segundo é o mar-mánico, a comunicação com os seguidores de Mar-Mani: a tentativa de pôr-se no caminho espiritual e libertar-se do mau costume - Odeio a palavra maniqueísmo é uma invenção católica detestável do mesmo modo que a da palavra "cátaros". Utilizarei o termo mar-manismo -(...)

 

«Mónica  enviou Agostinho à confissão do sacerdote da igreja romana. Começava assim o terceiro período - o cristão - o da vida de Agostinho que aceitou o signo de Jeová e atrás dele a rejeição do grande Mar-Mani e do Pai Bondoso.»

«Agostinho aceita a obediência eclesiástica: concebe a doutrina, segue os sacramentos, aceita o sacerdócio...mas interiormente, até à hora da sua morte, sofre do desejo homossexual. Torturam-no os constantes enamoramentos quiméricos...»

«O quarto período é o da decepção profunda. O pecado é incurável. Agostinho, desesperado, rompe relações com sua mãe. Entra em uma crise profunda de seis meses que termina com o quinto período: o de, chamemos-lhe, uma compensação neurótica.

«A mãe não o envergonha mais. Mas em Agostinho nasce outra força. Quer libertar-se do pecando...sacudindo-o sobre os demais. (!!!).»

«Assim nasce a ideia do pecado original - a projecção da sua própria homossexualidade fatal e incurável. Agostinho crê que o vício que se apodera dele é inato, que não se submete à correção, que supera o homem. Então o pecado original também o supera

«O período odioso da compensação finaliza com a sacudidela do pecado de Agostinho sobre toda a humanidade; e junto com o pecado, o complexo de culpa imperdoável. »

«16. O que aceita a doutrina do pecado original inicia-se, sem querer, na doutrina da sodomia. Mais ainda: com isto inicia-se o desprezo para com o homem: o antihumanismo.»

«O homem, segundo Agostinho, contém o mal ontológico: os únicos remédios contra o mesmo são o medo, a ameaça, a coação e a violência. O homem é, ademais, uma nulidade contaminada perigosamente. Então, tudo o que oprima o homem - o Estado, a polícia, as prisões, o exército, a igreja, a inquisição - deve ser bom!  (...)

«19. A fatalidade do pecado de Agostinho foi transferida pela igreja romana para a natureza humana em geral. Mas eu afirmo: do mesmo modo que a homossexualidade não é própria do ser humano, mas está injectada pelos humanóides dos planetas mortos, tampouco o pecado original é fatal. Não existe!

Faz falta uma nova visão do homem - com os olhos da Imaculadez Original -.

Porque perseguiam a Eufrosínia? Não por ler o saltério ou acumular o Espírito Clarosanto, não, mas por atrever-se a dizer: "Tenho todos os pecados perdoados". 

«22. Em que consiste a diferença principal entre catarismo e catolicismo? O catolicismo crê que o pecado original é fatal e imperdoável apesar de todas as confissões, indulgências e ritos. Mas então a igreja é uma armadilha! Por isso, se não há salvação do pecado, de que serve estar na "oficina" ritual? »

«O catarismo, pelo contrário, considera que o remodelado de adaptação é superável com quatro condições».

 

(Juan de San Grial, «Guan Min, la Madre Divina, Enciclopedia del Catarismo, Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2013, pp.207-209; o negrito é colocado por nós).

 

O remodelado de adaptação é o corpo do homo sapiens, adulterado por Satanás, príncipe do mundo material, no sentido da luxúria, da ganância e da violência. O Editor define assim o remodelado de adaptação: «conjunto de operações etéricas para a mudança do teo-homem em homo sapiens com a extração de uma parte dos seus compostos divinos e com o cerramento do coração e dos seus corpos espirituais, realizado pelo príncipe deste mundo ilegalmente há 7.500 anos. Apresentando-se como o Pai da Terra e utilizando a magia, a hipnose e a mistificação, o inimigo do género humano submeteu os anjos ingénuos dos céus inferiores, e levou a cabo com eles 180 operações para o suposto desenvolvimento do potencial de outro amor (a luxúria).» (Juan de San Grial, « Rosa de los Serafitas, Evangelio cátaro bogomilo», Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2015, nota de rodapé da pág. 252).

 

  www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 © (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:39
link do post | comentar | favorito

Domingo, 9 de Julho de 2017
Breves reflexões de Julho de 2017

 

Eis algumas reflexões relativamente banais, porque circunstanciais, que afloram neste Julho de 2017.

 

A MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL. A meditação transcendental suspende a mente e entreabre o vazio mental. Desliga-nos, por momentos, das preocupações da mente raciocinante («Tenho de ganhar dinheiro, tenho que apresentar um projecto, tenho que estimular o meu filho a tirar melhores notas, tenho de queixar-me do roubo de que fui vítima») e conduz alguns ao nirvana, ao repouso espiritual absoluto, mas não resolve o facto de estarmos vivos, de termos de nos alimentar e sobreviver. Porque cada um de nós é corpo, ao menos enquanto estivermos vivos. A meditação não cria casas nem alimentos nem acaba com a exploração capitalista (EUA, Europa, Portugal, etc.) e comunista (China, Coreia do Norte, etc.) do proletariado. É um comprimido para baixar a «tensão alta» da vida.

 

Também ter uma namorada ou uma esposa bela é um «comprimido» que, através do erotismo, nos leva ao orgasmo, mas não resolve o problema de sermos corpo individual, sujeito a morrer ou a ser abandonado.

 

DUAS PROVAS DE QUE AS ACTUAIS MISSAS CATÓLICAS ESTÃO CORROMPIDAS. Uma: a comunhão é dada na mão e muitas vezes por leigos, o que dessacraliza a hóstia como sede do Corpo Místico de Cristo (lembro-me que em 14 de Abril de 2009 comunguei das mãos de uma freira e, no dia seguinte, um familiar meu muito próximo faleceu de repente). Outra: o vestuário sexy que mulheres e homens podem usar na missa (decotes e saias curtas nelas, maquilhagem, t-shirts e calças de ganga neles e nelas). A missa perdeu o carácter sacro, centrado na morte do Senhor, é um convívio mais ou menos alegre, é só «Amor sem Temor». É, pois, de influência luciferina: o amor do corpo, a sensualidade, é a base desta ideologia e rito modernistas e ecuménicos (o objectivo é a religião única mundial, de recorte maçónico).

 

OS HOMENS, COM O PASSAR DA IDADE, GOSTAM SEMPRE DE «MIÚDAS» NOVAS (23-31 ANOS DE IDADE). É o normal: gostar do corpo perfeito da mulher, da sua pele lisa e macia, dos seus olhos sonhadores e vivos. Se os homens envelhecem com esposas da mesma idade é porque amam estas sem paixão, com uma grande componente de companheirismo. Há uns bons 17 anos, um editor meu amigo, que teria 56 ou 58 anos confidenciou-me: «A filha da minha actual esposa (era casado em segundas núpcias) tem 15 anos, é um encanto, é a mulher da minha vida». Era um amor platónico, ele respeitava a adolescente, claro.

 

COPULAMOS, COPULAMOS, COPULAMOS ATÉ DESCOBRIR O GRANDE VAZIO DA EXISTÊNCIA, QUE É O VAZIO DA VAGINA DA MULHER. E depois percebemos que o amor não existe, que estamos infinitamente sós neste universo e temos que chamar em nosso auxílio os deuses ou inventá-los. Só a conversa ou a palavra escrita nos aligeira a solidão. De repente, o mundo tornou-se instável e opaco. Vamos amar quem? Para quê?

 

AFINAL, VIVES PARA QUÊ? PARA TRABALHAR, JUNTAR DINHEIRO, IRES A BARES, LEVAR PARA A CAMA MULHERES (OU HOMENS)? Vê o vazio da tua vida: vazio porque não crês no poder da oração e da redenção por Cristo. Que é um corpo belo de mulher comparado com a beleza do teu Anjo da Guarda ou de Jesus? Nada. A vida é muito mais do que o trabalho, a diversão sem fim, o culto do dinheiro e das vaidades da roupa. Renuncia a muitos dos prazeres do mundo, reza constantemente a Deus (não com pedidos mesquinhos do tipo «dá-me aquela mulher, dá-me um automóvel novo, torna-me famoso indo à televisão», etc). Reza por amor do próximo, para que tais pessoas deixem de fumar, de se drogar, de sofrer cancros e outras doenças, desemprego, fome, humilhações, etc. Une-te a Jesus na luta contra Satanás que está a criar um mundo perverso onde a boa educação e os bons princípios de honestidade, respeito pela vida, etc., estão a desaparecer, e o ódio, a inveja, a intoxicação alimentar e moral da população aumentam sem cessar.

 

CONSELHOS DO PADRE PIO DE PIETRELCINA, GRANDE MÍSTICO ITALIANO (1887-1968) QUE TINHA OS DONS DA BILOCAÇÃO E DA CURA .

1.«A mentira é filha do diabo. A humildade é verdade; verdade é humildade.»
2.«Rezai, mesmo contra vontade. Quem reza muito salva-se, quem reza pouco está em perigo, quem não reza condena-se. A vontade conta e é recompensada, mas o sentimento não.»
3. «Que a Virgem Maria seja o vosso refúgio e o vosso conforto nas horas tristes da vida.»
4. «Amo o sofrimento. Não pelo sofrimento em si. Peço a Deus para poder sofrer e desejo-o pelos frutos que daí advêm e pela glória que dá a Deus. Pelo sofrimento, os meus irmãos são salvos e os sofrimentos das almas do purgatório encurtados. Que mais posso desejar?»

 

PADRE PIO VERSUS OSHO, MARX E GUY DEBORD. O padre Pio estigmatizado dizia: «Eu amo-te e peço a Jesus que te faça conhecer o amor porque pelo amor chegamos ao sofrimento. Nós nascemos para sofrer.» Esta visão, de que este mundo é lugar de sofrimento que devemos aceitar, é combatida por Osho que disse que Deus era o universo, não há paraíso nem inferno nem é necessário sofrer. E Marx, pai do comunismo do século XIX, e Guy Debord, teórico do internacional situacionismo, defenderam também que esta vida é para desfrutar dos prazeres materiais e não para sofrer e aceitar o sofrimento.
 

PADRE PIO DE PIETRELCINA, O ESTIGMATIZADO, E AS CRÍTICAS AO ABORTO, À HOMOSSEXUALIDADE E ÁS MODAS.

Sobre o místico franciscano Pio de Pietrelcina, santo católico (1887-1968), escreveu o seu biógrafo P. Nello Castelo:

 

«Contraceptivos, pilulas, abortos: são argumentos infernais, sobre os quais não admitia discussão.
Logicamente, era inimigo acérrimo do divórcio. São palavras suas: «É a estrada mestra que leva ao inferno. É a criação...pelo homem destruída». (...)
«Recordo os episódios de pecados de masturação, homossexualidade, a que inexoravelmente negava a absolvição, aos quais dizia: «Não vos emporcalheis», «Precisamente porque não reza, cai neste pecado». (...)

A imprensa várias vezes falou dele (Padre Pio, franciscano de Itália, 1887-1968) como o único sacerdote, na cristandade, firme na luta contra a moda, em defesa do pudor. Se a sua não tivesse sido «voz no deserto» não teríamos chegado ao cataclismo hodierno, que foi iniciado pela mini-saia.» (...)
«Queria a saia até à barriga da perna. Despedia sem absolvição e nem sequer permitia que se avizinhassem do confessionário Era inexorável, tinha palavras de fogo:
«Vai vestir-te! Incivil! Porcalhona! Despudorada!». Um dia a uma filha: «Serrar-te-ei os braços...porque sofrerias menos do que sofrerás no Purgatório». A uma outra: «As carnes nuas serão queimadas».
Às suas filhas (espirituais) explicava: «Deves vestir-te segundo a própria condição social. Tu deves vestir-te de modo a agradar aos anjos e aos homens. O Senhor condena a moda indecente e escandalosa que tantas almas leva à ruína».

(P. Nello Castelo, «Jesus crucificado no padre Pio», Editorial Cavaleiro da Imaculada, pp. 129-130; o bold é posto por nós).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

francisco.limpo@gmail,com

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:24
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2015
Pequenas reflexões de Dezembro de 2015

 

 Eis algumas reflexões avulsas, várias delas banais,  que surgiram no meu espírito neste Dezembro de 2015 .

 

O ANTI-SEXO- Quando pensamos racionalmente de forma muito aguda, descobrimos que o acto sexual entre duas ou mais pessoas é anti-higiénico. Sexo anal? Tem um aspecto nojento, ainda que possa ser agradável a uma parte dos que o praticam. Sexo bucal? Só de pensar que a rapariga que desejo beijar já teve a sua boca numa protuberância masculina do baixo ventre impede-me de a beijar. Gangbang? Que porcaria tão promíscua, casais na mesma sala a fazer sexo em grupo. Mesmo o sexo vaginal, o menos anti higiénico, comporta riscos, inconvenientes. A natureza criou a beleza nos corpos para os levar a cometer essa coisa anti-higiénica chamada acto sexual. Poder-se-á chamar a isso amor biológico, que quase nada tem a ver com o amor espiritual. O sexo menos viral, mais puro, ainda é o auto.sexo. Para nós, homens, era mais tranquilizante quando as mulheres chegavam, em grande quantidade, virgens ao casamento e não conheciam a inquietante promiscuidade de hoje em que as jovens são quase todas muito «rodadas»...Enfim, é a liberdade delas e longe de mim impedi-las.

 

AVALON E ABALOU. No Alentejo, costumamos dizer em vez de «ela/ele foi-se embora» a expressão «ela/ele ABALOU». Ora, foneticamente, ABALOU sugere AVALON, a ilha mítica da MAÇÃ, onde se dava culto à Deusa Mãe da Natureza, fomentando o matriarcado, a sociedade das mulheres livres e hegemónicas face ao homem. Talvez o Alentejo, agora com as albufeiras de Alqueva que possuem ilhas no meio, seja a Avalon de Portugal...

 

AVALON, BABALON, BABILÓNIA -O nome Avalon, a ilha mágica onde se daria culto à grande Deusa Mãe, do matriarcado, das mulheres sacerdotisas e das mulheres livres sexualmente, lembra Babalon, a deusa da luxúria, a Vénus libertina, e lembra Babilónia.

 

A HISTÓRIA BÍBLICA DE EVA E A MAÇÃ. Segundo o livro do Génesis, no Paraíso Terrestre, a serpente . isto é o dragão, símbolo dos poderes celestes - teria dado a Eva a MAÇÃ e esta a teria dado a provar a Adão, o que teria desagradado a Deus que os expulsou do Paraíso. A MAÇÃ simboliza a ilha de Avalon ou Thule, suposta sede de culto à Grande Deusa da Natureza, fonte da liberdade da mulher, da sexualidade livre e da magia natural, e esta mitologia matriarcal é condenada pelo judaísmo, religião dos patriarcas e da opressão da mulher. Segundo o catolicismo e o protestantismo, «Eva introduziu o pecado» no mundo. Mas que pecado é esse? O da sexualidade livre, o da sensualidade feminina? E que Deus é esse senão o Deus masculino, Iavé, que se opõe à Grande Deusa?

 

E TU, HOMEM, QUE, COM RISO TROCISTA, ATACAS COM VIRULÊNCIA OS HOMOSSEXUAIS (GAYS E LÉSBICAS), LEMBRA-TE que estás apenas a atacar o homossexual escondido que existe na tua alma e cuja existência não queres admitir.

 

AS VIAGENS INÚTEIS. Ir de Beja a Lisboa é uma viagem inútil, espiritualmente falando. Lisboa é bela mas entediante, está cheia de comerciantes, de intelectuais superficiais, de filósofos de meia tigela que elogiam Karl Popper e Peter Singer e proclamam que «os astros não podem determinar o destino dos homens», Lisboa está cheia de bares, cafés e hostels...Essa viagem será útil, no sentido físico e monetário do termo, se trabalhas em Lisboa e aí recebes o teu salário ou se lá vais fazer compras. De resto, as grandes viagens, as substanciais, fazem-se dentro do centro histórico de Beja: do liceu para a esplanada do Luís da Rocha onde te sentas às 11,30 da manhã de sábado, corriges alguns testes escritos e vais observando a sociedade bejense que desfila na rua, os casais, os bebés, os reformados, depois vais a pé ao Jardim do Bacalhau, podes ir à Praça da República, algo vazia a esta hora, e ao castelo com a grande torre de menagem. Em Beja, há de tudo e tens tudo - ires para Lisboa é fugires a ti mesmo. Beja é familiar, ama-te e protege-te, com os seus campos de trigo, oliveiras e girassóis em redor. Quando o degelo fizer subir as águas do mar estas cobrirão Faro, Lisboa, Porto mas Beja ficará acima do nível das águas... Somos Camelot, a cidade mágica do Graal (GRANDE ALENTEJO)...Beja!

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:01
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

Reflexões breves de Fever...

Breves reflexões de Janei...

O Bloco de Esquerda serve...

Reflexões breves de Fever...

A confusão de transformis...

Charles Taylor: a homosse...

Assexualidade: confusões ...

João Bereslavsky: a homos...

Breves reflexões de Julho...

Pequenas reflexões de Dez...

arquivos

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
blogs SAPO
subscrever feeds