Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
João Bereslavsky: a homossexualidade de Santo Agostinho, inventor do «pecado original»

 

João Bereslavsky (João do Santo Graal), filósofo russo e místico, arauto da igreja cátara do século XXI, aponta (Santo) Agostinho, bispo de Hipona, como o criador da teoria do pecado original que moldou um catolicismo com os traços diabólicos de Elohím, o deus do Antigo Testamento. Agostinho foi seguidor de Mani, que postulava o dualismo original Luz-Trevas e não atribuía a origem do mundo corporal de matéria ao verdadeiro Deus como os católicos e os judeus. Depois, Agostinho retrocedeu na espiritualidade e aderiu ao  catolicismo que fez inflectir num sentido sombrio, de pecado como lema primeiro. Escreve Bereslavsky:

 

«7. No judaísmo, com todo o seu enfoque no pecado, a lei regulava e vencia em certo grau os inícios pecaminosos. O islão até agora não crê no pecado original. A doutrina do pecado original foi imposta no século IV por Agostinho

«Em particular, cita um tal Simplício na sua carta. Diz que o pecado predomina na natureza humana desde o início. Veio com a queda dos procriadores; por isso é eternamente próprio do homem e praticamente imperdoável.» (...)

«11. Agostinho é um profeta falso. É uma raridade da diabocivilização, um herdeiro cristão dos "açores" judaicos, dos fariseus da época do Segundo templo, com a sua misantropia exacerbada. É o precursor da inquisição católica medieval que girou o eixo mundial para a malevolização.» (...) 

 

«O interior de Agostinho»

«Até agora pouco se sabe sobre o bispo de Hipona. É um personagem obscuro. Chegou o tempo de desmascarar o que não se pode ler em nenhum livro, em nenhuma página web: o interior de Agostinho.

«12. O seu traço principal é uma homossexualidade rematada que atormentava este clássico romano durante toda a sua vida e que nunca superou. Acrescido a isso um "complexo de Édipo" profundo - a relação sodómica com a sua mãe bruxa .

A sua mãe Mónica também está na sombra. As crónicas oficiais falam sucintamente dela, no limite do silêncio, enquanto que ela precisamente, com mentira calculista, sodomia e ialdabaotianismo ritual, determinou o caminho do seu filho.»

«13. Por trás de Roma está Agostinho. Por trás de Agostinho está Mónica. Por trás de Mónica, Lilith, a mulher de Satanael (Jehová Elohím) e atrás desta última está o próprio diabo! Assim é a cadeia secreta do catolicismo romano.»(...)

«Reflectindo sobre Agostinho vi cinco períodos na sua vida.

«O primeiro período é o homossexual: a juventude libertina, a depravação.»

«O segundo é o mar-mánico, a comunicação com os seguidores de Mar-Mani: a tentativa de pôr-se no caminho espiritual e libertar-se do mau costume - Odeio a palavra maniqueísmo é uma invenção católica detestável do mesmo modo que a da palavra "cátaros". Utilizarei o termo mar-manismo -(...)

 

«Mónica  enviou Agostinho à confissão do sacerdote da igreja romana. Começava assim o terceiro período - o cristão - o da vida de Agostinho que aceitou o signo de Jeová e atrás dele a rejeição do grande Mar-Mani e do Pai Bondoso.»

«Agostinho aceita a obediência eclesiástica: concebe a doutrina, segue os sacramentos, aceita o sacerdócio...mas interiormente, até à hora da sua morte, sofre do desejo homossexual. Torturam-no os constantes enamoramentos quiméricos...»

«O quarto período é o da decepção profunda. O pecado é incurável. Agostinho, desesperado, rompe relações com sua mãe. Entra em uma crise profunda de seis meses que termina com o quinto período: o de, chamemos-lhe, uma compensação neurótica.

«A mãe não o envergonha mais. Mas em Agostinho nasce outra força. Quer libertar-se do pecando...sacudindo-o sobre os demais. (!!!).»

«Assim nasce a ideia do pecado original - a projecção da sua própria homossexualidade fatal e incurável. Agostinho crê que o vício que se apodera dele é inato, que não se submete à correção, que supera o homem. Então o pecado original também o supera

«O período odioso da compensação finaliza com a sacudidela do pecado de Agostinho sobre toda a humanidade; e junto com o pecado, o complexo de culpa imperdoável. »

«16. O que aceita a doutrina do pecado original inicia-se, sem querer, na doutrina da sodomia. Mais ainda: com isto inicia-se o desprezo para com o homem: o antihumanismo.»

«O homem, segundo Agostinho, contém o mal ontológico: os únicos remédios contra o mesmo são o medo, a ameaça, a coação e a violência. O homem é, ademais, uma nulidade contaminada perigosamente. Então, tudo o que oprima o homem - o Estado, a polícia, as prisões, o exército, a igreja, a inquisição - deve ser bom!  (...)

«19. A fatalidade do pecado de Agostinho foi transferida pela igreja romana para a natureza humana em geral. Mas eu afirmo: do mesmo modo que a homossexualidade não é própria do ser humano, mas está injectada pelos humanóides dos planetas mortos, tampouco o pecado original é fatal. Não existe!

Faz falta uma nova visão do homem - com os olhos da Imaculadez Original -.

Porque perseguiam a Eufrosínia? Não por ler o saltério ou acumular o Espírito Clarosanto, não, mas por atrever-se a dizer: "Tenho todos os pecados perdoados". 

«22. Em que consiste a diferença principal entre catarismo e catolicismo? O catolicismo crê que o pecado original é fatal e imperdoável apesar de todas as confissões, indulgências e ritos. Mas então a igreja é uma armadilha! Por isso, se não há salvação do pecado, de que serve estar na "oficina" ritual? »

«O catarismo, pelo contrário, considera que o remodelado de adaptação é superável com quatro condições».

 

(Juan de San Grial, «Guan Min, la Madre Divina, Enciclopedia del Catarismo, Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2013, pp.207-209; o negrito é colocado por nós).

 

O remodelado de adaptação é o corpo do homo sapiens, adulterado por Satanás, príncipe do mundo material, no sentido da luxúria, da ganância e da violência. O Editor define assim o remodelado de adaptação: «conjunto de operações etéricas para a mudança do teo-homem em homo sapiens com a extração de uma parte dos seus compostos divinos e com o cerramento do coração e dos seus corpos espirituais, realizado pelo príncipe deste mundo ilegalmente há 7.500 anos. Apresentando-se como o Pai da Terra e utilizando a magia, a hipnose e a mistificação, o inimigo do género humano submeteu os anjos ingénuos dos céus inferiores, e levou a cabo com eles 180 operações para o suposto desenvolvimento do potencial de outro amor (a luxúria).» (Juan de San Grial, « Rosa de los Serafitas, Evangelio cátaro bogomilo», Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2015, nota de rodapé da pág. 252).

 

  www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 © (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:39
link do post | comentar | favorito

Domingo, 29 de Outubro de 2017
Cátaros do século XXI: o pecadocentrismo faz crescer a árvore do vício

Os cátaros do século XXI admitem a existência de um inferno tártaro, extraterrestre ou intraterrestre, onde jazerão aprisionadas almas que não quiseram e não querem despertar os 144 castelos interiores de bondade e sabedoria existentes em cada ser humano nas suas vidas terrestres. De acordo com a gnose cátara, o ser humano é divino (teohumanidade) é um espírito celeste aprisionado num corpo material alterado por Elohim (o remodelado de adaptação): foi Lúcifer quem modelou o actual corpo adâmico do homo sapiens, a partir do barro. O homem actual é um descendente degenerado da humanidade da Atlântida e da Hiperbórea de que falam os mitos ancestrais.

 

 O teólogo cátaro João do Santo Graal (João Bereslavsky, nascido em 1946) afirma que quanto mais o homem cai no pecadocentrismo, insistindo na sua culpa, segundo os ritos das igrejas romana e bizantina, mais preso fica de Lúcifer no inferno. Nas comunicações que a Divindade teria feito a este místico haveria a seguinte:

 

«Os fariseus mentem ao afirmar que aos pecadores lhes esperam torturas eternas. A verdade é a seguinte: desde a Terra é fácil regressar ao céu no caso de haver arrependimento e uma visão clara dos seus mistérios (das armadilhas do príncipe de este mundo) e muitas almas voltam às suas moradas celestiais. Mas o caminho de volta é quase impossível depois da estada no inframundo das seitas do tártaro, esses templitos guardados pelo cão Cerbero de três cabeças e com serpentes venenosas que se enroscam à sua volta.» 

 

«Ajudai as vítimas do inferno que habitam nos templos cristãos de ultratumba, semelhantes aos Abraãos, Moisés e Noés do Antigo Testamento que estiveram no Sheol! Ajudai-os a recuperar a visão espiritual! Hoje em dia não rezeis pelos defuntos ,mas pelos que estão atolados na terceira armadilha, a armadilha de Lúcifer. Sair desta, meu filho, é mais difícil do que sair da armadilha terrena; é quase impossível.»

«Milhões de almas são arrastadas às esferas do tártaro astral. A missa de defuntos apaga-lhes para sempre a memória mística da sua origem divina e submerge-as numa constante recordação dos seus pecados, para conveniência do maligno que, durante o modelado ilegítimo lhes introduziu o princípio pecaminoso.»

«Quanto mais medita o homem sobre os seus pecados, mais cresce a árvore do vício (o que também convém ao nosso inimigo, filho meu). Quanto mais busca o arrependimento infrutuoso nos limites das antigas instituições, mais se alimenta da maldita árvore e se perde definitivamente.»

«Segundo foi revelado aos discípulos do Grande Cálice, aqueles hebreus que cumpriam as leis de Moisés ficavam no Sheol. Não podiam regressar ao céu porque professavam a fé no amo do tártaro fúnebre, Lúcifer. O destino póstumo dos cristãos é parecido a este e inclusivamente mais terrível».

 

(Juan de San Grial, « Rosa de los Serafitas, Evangelio cátaro bogomilo», Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2015, pp. 257-258; o destaque a negrito é posto por nós).

 

E nesta passagem parece aplicar-se a lei do pensamento negativo («Se pensas que vais fracassar, fracassarás mesmo, se pensas que há inferno eterno este plasma-se, de inexistente que era, no real») o que sugere que o inferno poderia ser uma co-criação do Diabo e da alma que desespera dos seus pecados:

 

«No inferno tártaro, não há nenhuma esperança de salvação. Quanto mais se sume a alma na visão dos seus pecados, mais profundamente é consciente da sua incorrigibilidade e dá desesperadamente o seu consentimento para os sofrimentos eternos, que é precisamente o que quer o Diabo! Os seus planos perseguem levar as almas, depois de as ter arrastado do céu à Terra na sua primeira tentação, aos seus templitos e logo enviá-las às torturas eternas nos seus campos de concentração incorrigíveis do arrependimento do pecado.» (ibid, pág 259; o negrito é de nossa lavra).

 

Assim, segundo João do Santo Graal, a teologia católica e ortodoxa, pessimista e pecadocentrista. faria o jogo de Lúcifer gerando um inferno que é real e irreal, psicológico, uma vez que a mente do cristão que  morre se automortifica e alimenta esse inferno pois não vê que o verdadeiro Deus é Amor e não envia ninguém ao Inferno. É racional que o Inferno, se existe, não seja eterno e que as almas possam sair dele.

 

 www.filosofar.blogs.sapo.pt

 f.limpo.queiroz@sapo.pt

 © (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:34
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017
Teologia cátaro-bogomila: Cristo (Ammi) não morreu no Gólgota

 

O teólogo cátaro por excelência do século XXI, João Bereslavsky, russo, escreveu:

 

«Cristo não morreu no Gólgota, como o representa a versão sinodal-rabínica

«Pelo contrário, Cristo não pôde morrer de nenhum modo porque era imortal; mas sim derramou cinco litros de valioso mirró (NOTA NOSSA: mirró, na versão espanhola, é, segundo o editor,« um líquido oleoso e fragante de origem celestial, manifestado de modo misterioso no mundo material em forma de gotas e correntes que caem dos objectos sagrados e relíquias), o tesouro para divinizar o homem. E o seu sangre mírrico, multiplicado, transubstanciado voltou a ele.»

«Por isso, Cristo da segunda vinda é portador dos compostos mírricos e supracelestiais.»

«Isto é o que ensinava Cristo, chegando em corpos transfigurados.»

«Ele dizia:" De igual modo que pelo corpo humano correm os glóbulos vermelhos do sangue, também no corpo de Divino Ammi, o Mestre Divino da segunda vinda, corre o mirró fragantíssimo do Pai».

«A comunhão do Santo Graal era a comunhão de Cristo da segunda vinda. Não se comungava do sangue e do corpo, mas dos compostos mírricos do Nosso Altíssimo.»

 

(Juan de San Grial, « El Santuario del Grial en el Catarismo», Associaciò per l´estudi de la cultura càtar, 2010, pp. 382-383; o destaque a negrito é posto por nós).

 

Cristo, segundo Juan de San Grial, não gostava de usar o nome de Jesus para se demarcar do pecadocentrismo dos judeus:

 

«Cristo da segunda vinda rejeitava o nome "Jesus" e inclusive "Cristo"  por causa da intersecção com o messianismo pecadocêntrico. Cristo da segunda vinda pedia que lhe chamassem Ammi (o mestre, a divindade). »

«O seu verdadeiro destino de Messias é ser vela. Ele é o autêntico salvador dos descendentes de Adão, da teia de aranha de Elohim».

(Juan de San Grial, ibid, pp. 381-382; o destaque a negrito é nosso).

.

  www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 © (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:33
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 24 de Agosto de 2017
Teologia neocátara: sem jejuar semanalmente, ninguém entra no Reino dos Céus

O movimento político-religioso dos cátaros, cristãos dualistas pacíficos que sustentavam, na linha do maniqueísmo e do bogomilismo, na Idade Média, que o mundo terreno material tinha sido feito por Lúcifer que tinha a sua coroa no papa da igreja católica romana e na servidão feudal, espalhou-se do Languedoc e da Provença, no Sudeste de França, ao norte de Itália e à Catalunha na Alta Idade Média. Os cátaros que adoravam o Deus da Luz, o Pai do Puro Amor, e igualavam a mulher ao homem, foram massacrados pela cruzada do papa e da inquisição de 1209 a 1244 e as suas terras roubadas pela igreja de Roma e vassalos. Segundo a teologia neocátara actual, a Virgem Santíssima, através da já falecida Santa Eufrosínia, freira russa expulsa pela igreja ortodoxa dos fariseus do século XX, teria chegar as seguintes mensagens ao místico Juan de San Grial, patriarca da igreja cátara no século XXI que acentuam a importância do jejum:

 

«Os sacerdotes cristãos ensinam os livros santos mas não mantêm o jejum! Tais mestres não valem nada! Sem livros santos, mas ...colocando zelo santo no jejum, é possível transformar-se, mas sem jejum a pessoa não avançará nem um passo.»

«Só alguns poucos santos justos, guiados pelo Espírito Santo, como Padre Pío, não só jejuavam como durante semanas não comiam absolutamente nada de comida e alimentavam-se do Espírito Santo.» (...)

«O jejum é uma das doze portas do Espírito Santo Divinizador que abre o nosso Altíssimo junto à da Palavra da Revelação, à do saltério, à da oração, à das abluções e outras. E a quem desdenha esta portas se vão fechando outras pouco a pouco.»

«Do jejum procede a santa pureza, a unção virginal, o rosto do amiel (mensageiro do Céu) e a alegria dos habitantes do céu.»
«Pedi ao Altíssimo o dom de jejuar como um dom de fé - e Ele vo-lo enviará segundo os santos da Igreja solovkiana, a mártir dos tempos do Gulag vermelho.» (...)

«A primeira tentação dos que venceram a luxúria  está no ventre, a gula. Sem jejum, também a vitória sobre a fornicação se considera como nada. Hoje em dia elohím (NOTA NOSSA: Deus dos católicos e judeus) aperfeiçoou-se em milhares de falsificações químicas. O que come a gente! Veneno e imundície! As serpentes e os dragões vivem neles.» (...)

«Não um mas dezenas de Belzebús estão nos vossos ventres e tranquilamente tecem os seus ninhos hediondos. Pois com isto, que valor têm as vossas orações e glorificações ao Altíssimo? Pode, acaso, o paladino que deu consentimento de ser cova ambulante de belzebú lograr as alturas puríssimas dos habitantes celestiais? Assim como é incompatível, segundo as palavras de Cristo, o serviço ao Altíssimo e ao Seu inimigo (elohim), igualmente é impossível servir a dois senhores em simultâneo, ao Altíssimo e ao ventre». (...)

«O mundo cristão morre por falta de jejum. Elohim e os seus cúmplices introduziram na igreja o comer à farta como regra - o espírito de este mundo. Os cristãos comem carne.
«Que ninguém tenha ilusões - Lúcia de Fátima leva mais de 20 anos encarcerada com o mais austero jejum à base de pão e água e os amieles, servidores celestes, alimentam-na.» (...)

«O Pai Celestial mandou-te tantos dons do Espírito Santo Divinizador! E tu entrega-lhe em resposta o teu pequeno sacrifício, um jejum.»

(Juan de San Grial, «Madre Eufrosinia. la guia del nuevo catarismo», Associaciò per l´estudì de la cultur catàr, 2012, pp. 504-510; o destaque a negrito é posto por nós).

 

Assim, segundo a teologia neocátara, os sacerdotes, bispos e fiéis das igrejas católica romana, ortodoxa e protestante não irão ao Paraíso porque não praticam o jejum semanal e estão presos dos Diabos da gula que albergam nos seus ventres.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:14
link do post | comentar | favorito

Sábado, 19 de Agosto de 2017
Breves reflexões de Agosto de 2017

Eis algumas breves reflexões neste Agosto de 2017 marcado por grandes incêndios florestais e seca intensa em Portugal.

 

O PAPA DA CÁTEDRA DA IGREJA GRANDE DE PEDRO EM PORTUGAL E O INCÊNDIO DE PEDROGÃO GRANDE. Em 13 de Maio de 2017, o papa Francisco canonizou os pastorinhos Jacinta e Francisco em Fátima ante uma imensa multidão de católicos. Nesse mesmo dia, o Benfica sagrou-se campeão nacional de futebol  e Salvador Sobral ganhou o Festival da Canção da Eurovisão e muita gente pensou que «a vinda do papa romano a Fátima deu boa sorte a Portugal».

 

Mas como deu boa sorte se o futebol televisionado e vivido nos estádios é uma das armas de Lúcifer, do ponto de vista cátaro, para desviar as pessoas da oração ao Altíssimo e multiplicar os rancores entre claques distintas?

E como deu boa sorte ao país se, para o cristianismo cátaro oposto a Roma, Salvador Sobral não passa de um ídolo barato, um cantor não cristão que afasta massas da fé em Cristo com os seus temas musicais? Um mês e cinco dias depois do papa, o GRANDE representante da igreja de PEDRO sair de Portugal, eclodiu em 17 de Junho de 2017 o terrível incêndio de PEDROGÂO GRANDE (sugere: a GRANDE cátedra de PEDRO no Vaticano) que matou 64 pessoas e feriu centenas de outras. Não haverá uma misteriosa ligação entre estes factos foneticamente similares? E como interpretar o facto de a data de 17 de Junho distar exactamente meio ano de 17 de Dezembro, dia de aniversário de Jorge Bergoglio, o papa Francisco? Será que a vinda deste idolatrado personagem vestido de branco, promotor do deus Elhoim que preside à degenerada igreja católica, trouxe sorte a Portugal, no plano espiritual e social?

Ou trouxe o azar dos incêndios florestais que simbolizam o Inferno cujas portas se abrem, supostamente, para os adeptos da nova teologia «católica» de amar as coisas deste mundo e abandonar a vida de sacrifício, oração e jejum que marcaram as igrejas em séculos passados?

 

SINCRONISMOS ONTOFONÉTICOS- Em 16 e 17 de Agosto de 2017, as ideias de JOANA, BAR e REPÚBLICA CHECA estão em foco: no dia 16, saúdo casualmente JOANA Reis, de Ferreira do Alentejo, junto à biblioteca municipal de Beja; no dia 17, no interior da biblioteca municipal de Beja, quando converso com o professor Luciano Caetano da Rosa, intelectual de grande cultura que, apesar de admirar Álvaro Cunhal, já não crê no marxismo-leninismo, conversa essa sobre a invasão da CHECOSLOVÁQUIA pelas tropas do Pacto de Varsóvia em 21 de Agosto de 1968, surge JOANA, que vive há 6 anos na REPÚBLICA CHECA onde conclui a sua formação como MÉDICA e falamos, David Coelho, campeão nacional de BARistas (empregados de BAR), é entrevistado na RTP3, uma furgoneta tripulada por dois terroristas islâmicos atropela a multidão que circula nas Ramblas, na cidade de BARcelona (evoca: BAR) matando 13 pessoas e ferindo mais de 100 pessoas

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

francisco.limp@gmail.com

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:05
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
15
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

João Bereslavsky: a homos...

Cátaros do século XXI: o ...

Teologia cátaro-bogomila:...

Teologia neocátara: sem j...

Breves reflexões de Agost...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds