Quarta-feira, 25 de Março de 2020
Ortega y Gasset: un pueblo sin lirismo no es sujeto historico

 

José Ortega y Gasset (9 de mayo de 1883, Madrid; 18 de octubre de 1955) criticó la frase de un diputado y ex gobernador de Barcelona que clasificó de funestos todos los lirismos a propósito de la revolución de Barcelona en 1909. Se califica de Semana  Trágica a los sucesos que irrumpieron en Barcelona y  otras ciudades de Catalunya entre el 26 de julio y el 2 de agosto de 1909.

 

La causa de estos violentos acontecimientos fue el decreto del gobierno de Antonio Maura de enviar tropas de reserva a las posesiones españolas en Marruecos,  puesto que la mayoría de estos reservistas eran padres de familia de las clases obreras. Los sindicatos convocaron una huelga general. Los  disturbios de la ciudad de Barcelona provocaron un total de 78 muertos (75 civiles y 3 militares), medio millar de heridos y 112 edificios incendiados, 80 de estos  edificios religiosos.

 

El gobierno del conservador Antonio Maura, por medio de su ministro de la Gobernación Juan de la Cierva, desencadenó, el 31 de julio de 1909, una represión cruel e injusta en la que se inscribió la ejecución del intelectual anarquista Francisco Ferrer, padre de la escuela libre. Escribió Ortega en el periódico El imparcial de 10 de agosto de 1910:

 

«Pero imagine el lector que después de escuchar la lectura de algunos artículos insertos en periódicos radicales, el orador exclama: "Este lirismo revolucionario, funesto como todos los lirismos...»¿Qué le parece al lector? ¿No halla en tal frase un paradigma de esa simplicidad superabundante de ese lujo en la extravagancia a que no hallábamos disculpa? ¿Quién podía esperar entre las notícias sobre la revolución en Barcelona un juício tan rápido, comprensivo y tajante de todo un género poético? ¿Que tiene que ver la Ley de orden público con a historia de la literatura? Sólo una intervención incesante de la Providencia impide que nos volvamos locos de pronto todos los españoles. ¡Bendito sea Dios!  ¿ De modo que todo el lirismo? ¿ De modo que también la poética está a merced de los gobernadores de provincia? ¿ De suerte que decididamente funesto? »

 

«Lo grave del caso es que el autor de esta afirmación ha ejercido autoridad y es probable que otro día la ejerza; y como para un gobernador de provincia funesto es aquello susceptible de pasar por la cárcel, podemos imaginar las celdas de Montjuich henchidas de poetas con esposas en las liras.»

«¿Que sería del pobre adanita sin lirismo? Todo arte es lírico en su simiente: no hay arte sin lirismo. Y como el arte es síntoma y fruto de humanidad, el lirismo significa la potencia radical y distintiva del hombre.» (...)

 

«Donde el lirismo falta, la cultura se estanca y las razas se pudren, como se descompone el cuerpo cuya alma se ha ausentado. Y es exacta medición del valor histórico de los pueblos la fórmula de la densidad lírica. ¿Cómo no ha de ser así? Lirismo es vida interior; vida interior es personalidad; personalidad es poder plástico, energía creadora de realidades, fuerza para conformar la materia dura del mundo exterior según nuestra voluntad y nuestra idea. Un pueblo sin lirismo no es sujeto histórico, no es protagonista, no hace historia; es traído y llevado por los puntapiés del azar.» 

 

(José Ortega y Gasset, Obras completas, Tomo I, 1902/1915, Penguin Random House e Fundación Ortega y Gasset, Sabadell, Barcelona, 2017, artículo El lirismo en Montjuich, pp. 373-374; la letra negra resaltada es puesta por nosotros).

 

Ortega azota a un político ignorante de la Historia Universal y de la Historia de España, un gobernador de provincia que vacía de racionalidad y sentimiento creador las revoluciones populares, en particular la Semana Trágica de Barcelona que expresó en modo violento el lirismo de los catalanes, el dolor de los obreros en dejar a sus familias. 

 

       www.filosofar.blogs.sapo.pt

          f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Derechos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 05:49
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Erros no Exame nacional d...

Breves reflexões de Julho...

Manuel Ayllón: os partido...

Mart en 25º de Aries a la...

Júpiter em 18º de Capricó...

Marte em 25º de Carneiro ...

A morte de Pedro Lima: Ma...

Romano Amerio: o esquecim...

Júpiter nas eleições para...

El ciclo de 12 años de Jú...

arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
blogs SAPO
subscrever feeds