Terça-feira, 26 de Abril de 2022
Budismo tibetano en contra de la mujer

 

José María Carrera escribió: 

«La opinión de la historiadora, instructora de yoga y reikista Katherine Subriabre es representativa de una amplia creencia de que «el yoga puede ser una herramienta altamente feminista, porque es una práctica que empodera, que vigoriza, que permite deconstruirnos y reconstruirnos».

Sin embargo, Highton afirma en base al Dalai Lama que «el yoga es la máxima expresión de la practica budista» y éste «alcanza su cumbre en el femicidio ritual».

¿De qué modo? El sacerdote recoge decenas de ejemplos de cómo la misoginia cósmica y este femicidio ritual prueban que, «históricamente hablando, prender fuego a una mujer en el mundo indio no es algo horripilante«.

Y es que, para el budismo, la femineidad se define por ser «un castigo», «una amenaza» y «un botín» que se obtiene «matando a la mujer -en principio, simbólicamente-«, y que lleva al femicidio ritual. «Según el budismo tántrico, el abuso sexual cometido por los monjes no es abuso, sino una bendición y una especial conexión con el maestro que conduce a la iluminación», denuncia Highton. Es algo que no pocas mujeres se esfuerzan en alcanzar, pese a implicar la muerte.

En este sentido, Highton cita al lama Gedün Chöpel para referirse al coito ritual con niñas vírgenes, denominado kumari-puja : «hacerlo forzadamente con una niña pequeña produce severos dolores y lastima sus genitales». La «pedofilia brutal», expone Highton, «es aceptada por el budismo tibetano como un medio óptimo para que el monje alcance la iluminación«.  

5º ¿Es el budismo proselitista?

También se encuentra ampliamente extendida la creencia de que el budismo «es una creencia inofensiva que no trata de refutar a nadie«.

Una afirmación que contrasta con la realidad del importante yogui tibetano Tsongkhapa, que dijo que «los tratados de lógica y epistemología budistas son útiles para refutar a los no budistas».

«Los discursos largos de la `biblia budista´ están destinados a atraer convertidos mostrando la superioridad del buda y su doctrina», añade.

«Tenemos ejemplos de muchísimos monjes tibetanos que están invadiendo desde hace décadas el Occidente difundiendo el budismo, el yoga, los mandalas o el reiki», menciona Highton.

Y en algunos casos, la cruz se ve sustituida por el buda, como en Cáceres, que contará con próximamente con el mayor centro budista de Occidente al tiempo que en la ciudad se retiran  y símbolos católicos.»



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:58
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 15 de Abril de 2022
O microndas, os laticínios, o pão e o açúcar são causas de cancro?

Um médico especialista em bromatologia diz-me: «Nunca use o micro ondas nem para aquecer um simples copo de água. Eu usei durante anos o microondas para aquecer comida e fiquei sexualmente impotente. Depois recuperei a potência à medida que ia abolindo o uso do microondas. Diariamente beba o sumo de um limão com água. Não consuma laranjas, são um veneno, fazem disparar a insulina no organismo. Não consuma, leite, iogurtes, queijos, O pão e os cereais causam cancro porque inflamam o intestino e outros orgãos. Também o chocolate, porque contém sempre adoçante, pode causar cancro, tal como o açúcar branco e amarelo e toda a doçaria. O alcool é também nocivo, tal como o tabaco. Não consuma peixe em latas de conserva porque o metal produz um ácido. Não consuma carnes vermelhas (vaca, porco, borrego, etc). Frango, perú, amendoins, nozes (nunca mais de 5 pordia) são recomendáveis  Siga os vídeos do Dr. Lair Ribeiro que preconiza a dieta paleolítica, sem açúcares nem hidratos de carbono. Comer bróculos crús vence o cancro. As vacinas são nocivas ao organismo, contêm partículas abortivas e causam danos irremediáveis, deve recusar a vacinação organizada mundialmente pelos illuminati, agentes de Satanás»



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:22
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 5 de Abril de 2022
Drogas com metformina conduzem à morte

 

O Dr. Alexandre Rafael, é um endocrinologista português. É considerado o melhor especialista no tratamento de diabetes do país. Todas as personalidades conhecidas que sofrem de diabetes  procuram uma consulta com ele. Isso engloba  pacientes da França, Alemanha, Reino Unido e outros países. É um dos principais endocrinologistas da UE. Ele escreveu 32 livros científicos e tem 3 vezes mais publicações científicas em revistas no seu reportório. O Dr. Alexandre Rafael denuncia  a metformina, «uma biguanida oral universalmente utilizada no tratamento da diabetes mellitus tipo 2, cuja  depuração é maioritariamente renal e por isso deve ser usada com precaução nos doentes com doença renal  já que elevadas concentrações plasmáticas de metformina podem levar a acidose láctica grave e à morte» : 

«Até agora, os produtos à base de metformina são quase base da maioria dos tratamentos. No entanto, é um equívoco para pacientes e médicos analfabetos. A metformina é um caminho para doenças e morte precoce. Não se trata de cura. Se você consultar um médico com diabetes tipo 2 e ele prescrever um tratamento baseado nessas drogas, fuja desse médico.»

Drogas cuja principal substância é a metformina: Bagomet, vero-metformina, Glicômetro, Glicona, Gliminformina,« Glicoforma, Glucofage, Glucofage Long, Dianormet, Diaformina, Langerina, Metadien, Metospanina, Metfogamma, metformina, Novamet, Novoformina, Orabet, Siophor, Sofamet, Formetina.

Tudo o que essas drogas fazem é aumentar os níveis de insulina no sangue para valores críticos. Devido a essa quantidade de insulina, o sangue fica espesso como o leite condensado. Em grandes quantidades, a insulina causa enormes danos ao corpo. Literalmente destrói o fígado, rins e outros órgãos. Em sua consistência e ação, a insulina é semelhante ao ácido estomacal. Imagine o que aconteceria se o ácido estomacal preenchesse os órgãos internos. Eles vão queimá-los com ácido!»

Altos níveis de insulina, destruindo as células, contribuem para sua divisão anormal, e isso já é oncologia. Por esse motivo, o cancro se desenvolve em 28% dos diabéticos, de acordo com as estatísticas.»



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:03
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 4 de Abril de 2022
Equívocos de Paul Kleinman sobre Kant

Paul Kleinman, norte-americano formado na universidade de Wisconsin em 2009 com especialização em comunicação e artes nas áreas de rádio, televisão e cinema,  não entendeu com precisão o idealismo transcendental de Kant. Autor muito vendido, escreveu as seguintes definições: 

«Fenómenos: Segundo  Kant, os fenómenos são as realidades ou aparências que são interpretadas pelas nossas mentes.»

«Númenos: Segundo Kant, são as coisas que existem independentemente das interpretações das nossas mentes»

(Paul Kleinman, Filosofia, tudo o que precisa de saber, Jacarandá, pág. 83).

Os fenómenos não são realidades. Árvore, pedra, cão, céu são fenómenos físicos, feitos de matéria (que é pura ilusão) construídos dentro da nossa sensibilidade exterior e interior ou seja nas formas a priori do espaço e do tempo, subjectivas. São, pois, realidades aparentes, coisas para nós. Se o nosso espírito morrer, o mundo material morre com ele, segundo o idealismo. O fenómeno não é apenas uma interpretação de uma realidade, é uma criação desta pela união da sensibilidade (figuras, momentos, etc) com o entendimento (categorias de unidade, pluralidade, totalidade, etc).

Os númenos são objectos ideais, não físicos, incognoscíveis (Deus, Alma Imortal, Liberdade). Kleinman não destaca o carácter físico do fenómeno e o carácter metafísico incognoscível do númeno. Além do mais,  ao contrário do que supõe Kleinman, os númenos são susceptíveis de interpretações como se verifica na antinomia da razão «Deus existe, Deus não existe».



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:08
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 1 de Abril de 2022
Fenomenismo e idealismo na filosofia inglesa

 

Ayer era, como Stuart Mill, um adepto do fenomenismo. E este, bebido em David Hume, não é senão idealismo ( os objectos físicos são ideias, criações mentais nossas que não passam disso mesmo) tal como em Kant que copiou Hume em alguns aspectos essenciais.

«No sentido em que é compatível com o realismo ingénuo a teoria causal é compatível também com o fenomenismo, isto é, com a tese de que os objectos físicos são construções lógicas de dados sensoriais..

(A.J. Ayer, O Problema do Conhecimento, Editora Ulisseia, pág. 98; o destaque a negrito é posto por mim).

Quanto à impropriamente designada teoria causal esta é um realismo crítico (os objectos físicos estão fora de nós mas não têm algumas ou todas as cores, não produzem sons, não são quentes nem frios, etc, isto é, as suas aparência enganam). 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:19
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
19

20
21
22
23
24
25

27
28
29
30


posts recentes

24 a 26 de Novembro de 20...

Astrologia: Portugal venc...

A nova esquerda e a colon...

As lectinas da carne de v...

O flúor/ alumínio é um ve...

O flúor/ alumínio é um ve...

Meditação sobre a Letra A

Maurice Caillet: não se p...

Água em garrafas de plást...

Comer três ou mais vezes ...

arquivos

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Julho 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
blogs SAPO
subscrever feeds