Segunda-feira, 23 de Março de 2015
Teste de filosofia do 11º A (Março de 2015)

 

Eis um teste de filosofia do 11º ano de  escolaridade em Portugal, evitando as perguntas de escolha múltipla em que o aluno coloca um X na hipótese que supõe estar certa e fica dispensado de explanar as suas ideias num corpo discursivo coerente.

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 11º ANO TURMA A
16 de Março de 2015. Professor: Francisco Queiroz

 

.”. As ciências empíricas reduzem a qualidade à quantidade, o múltiplo ao uno. Feyerabend criticou o conjecturalismo de Popper pela posição deste face à astrologia e declarou que os homens da idade da pedra, inventores dos mitos, «livres do jugo da especialização, estavam conscientes da grande quantidade de relações entre os homens e entre estes e a natureza» e que, hoje, com o racionalismo actual, mera ideologia, « temos uma religião sem ontologia, uma arte sem conteúdos, e uma ciência sem sentido».(Paul Feyerabend, Diálogo sobre o método)

 

1) Explique estes pensamentos.

2) Relacione, justificando:

 

A) Fundacionismo e Coerentismo .
B) Fenómeno, númeno, espaço e tempo em Kant.
C) Fenomenologia e idealismo não solipsista subjectivo.
D) Positivismo lógico do círculo de Viena, metafísica e indução amplificante

 

CORRECÇÃO DO TESTE ESCRITO (COTADO PARA 20 VALORES)

1)«As ciências empíricas, como a física, a biologiia, a geologia, reduzem a qualidade, ou seja, as percepções empíricas plenas de cores, sons, cheiros e outras qualidades - exemplo: a percepção visual e táctil da água que corre, límpida ou barrenta -à quantidade, isto é, a fórmulas de carácter matemático - exemplo: a fórmula química da água é H2O . Galileu já no séxulo XVII escrevera que o grande livro da natureza está escrito em caracteres matemáticos. As ciências reduzem o múltiplo ao uno porque uma simples definição ou um só conceito representa milhões ou biliões de fenómenos similares entre si: por exemplo, o conceito de átomo de hidrogénio, com um único, electrão é uno e refere-se a biliões de átomos de hidrogénio espalhados pelo universo. (VALE DOIS VALORES). Feyerabend criticou a teoria das conjecturas e refutações de Sócrates segundo a qual as teses da ciência são todas duvidosas, simples conjecturas e hipóteses, e devem ser constantemente sujeitas a testes de falsificação que permitam encontrar as excepções a uma lei e  mostrar as incoerências. Os homens do mito estavam livres do jugo da especialização que hoje impera: um engenheiro civil, especializado, só sabe temas de engenharia civil, nada sabe sobre a cura pelas plantas dos seus cálculos renais e de outras doenças e nada sabe sobre as fases da lua e os seus efeitos sobre as sementeiras e colheitas. As ciências actuais, baseadas num racionalismo fragmentário - teoria que afirma ser a razão a principal fonte de conhecimento, mas não a razão holística que tudo abarca como por exemplo movimentos dos astros e deuses -  nasceram com o emergir da burguesia industrial e financeira actual e por isso estão impregnadas de ideologia - sistema de ideias e valores de uma classe social- burguesa. A ciência e a tecnologia do automóvel como veículo de transporte individual ou familiar insere-se na ideologia individualista da burguesia: «Enriquece, compra um carro próprio, viaja livremente».

Que significa dizer que hoje temos uma religião sem ontologia?  Significa que temos um conjunto de ritos cujo simbolismo profundo já perdemos, em cuja filosofia original já não penetramos. Por exemplo, ignoramos que o facto de a pia de baptismo de antigas ser octogonal porque o oito significava a oitava esfera . Constroem-se hoje igrejas com uma arquitectura moderna ignorando o número de oiro (1,618), número mágico de proporção entre o comprimento e a largura e a altura de um compartimento. Que significa dizer que hoje impera uma arte sem conteúdos? Significa, por exemplo, que uma tela branca salpicada de pontos vermelhos é um quadro sem conteúdo, um significante sem significado. Que significa dizer que há uma ciência sem sentido? Significa, por exemplo, que há uma medicina que não percebe o sentido da febre - acção de autodefesa do organismo, expulsando as toxinas através do suor ou de urinas escuras - e manda reprimir os sintomas, tomando anti piréticos. (VALE SEIS VALORES).

 

2)A) Fundacionismo é toda a doutrina cujas teses se erguem a partir de um alicerce, em regra, um facto ou conjunto de factos empíricos situados fora do raciocínio teórico. Exemplo: a teoria química sobre o cloreto de sódio funda-se no corpo material conhecido como sal marinho que está nas nossas cozinhas. Coerentismo é toda a doutrina que, não encontrando alicerce em factos empíricos exteriores, se baseia na lógica interna, isto é na coerência ou coesão lógica entre todas as suas teses. Exemplo: os cálculos matemáticos que «demonstram» a existência de universos paralelos ao nosso . (VALE DOIS VALORES)

 

2) B) Segundo a gnoseologia de Kant, o espaço é uma forma a priori da sensibilidade, isto é, uma estrututa subjectiva vazia onde se inserem os corpos materiais e que está antes de os objectos materiais nascerem com a experiência. O espaço é a parede externa e o grande reservatório externo da sensibilidade onde cabe o universo inteiro com planetas, galáxias e mares. Por isso, não é empírico, mas sim puro, anterior a toda a experiência. O fenómeno físico, isto é, o objecto que vemos e tocamos e  nos parece real, como por exemplo, casa, rio, cão, forma-se na sensibilidade, no espaço exterior ao meu corpo físico, por influência do númeno, do seguinte modo: de '«fora» da sensibilidade, os númenos ou objectos metafísicos incognoscíveis ( Deus, alma imortal, mundo como totalidade) afectam esta fazendo nascer nela um caos de matéria (exemplo: madeira, ferro, areia, etc, em um magma) que as duas formas a priori da sensibilidade, o espaço (com figuras geométricas) e o tempo (com a duração, a sucessão e a simultaneidade) moldam, fazendo nascer uma ou mais casas, rios, cães. O entendimento, com as categorias de unidade, pluralidade, necessidade, confere consistência ao fenómeno casa, rio, cão, etc.. (VALE QUATRO VALORES)

 

2) C) A fenomenologia, como ontologia, é a doutrina, céptica no seu fundo, que não sabe se o mundo de matéria existe ou não como real em si mesmo. O idealismo não solipsista subjectivo é a doutrina que diz que o mundo de matéria que vemos fora de nós é irreal em si mesmo, é uma ilusão de um conjunto de mentes humanas - as únicas realidades existentes -  e cada uma dessas mentes fabrica um mundo de matéria diferente dos das outras mentes. (VALE TRÊS VALORES).

 

2) D) O positivismo lógico do círculo de Viena considera sem sentido a metafísica e afirmações desta como «Deus criou o Paraíso e o Inferno e pune os maus» porque não podem ser comprovadas empiricamente. Para este positivismo, só os factos empíricos ( exemplo: maçã, tornado, etc) e as suas relações lógico-matemáticas são verdade e a indução amplificante - generalização segundo uma lei necessária de alguns casos empíricos semelhantes entre si - é perfeitamente legítima. (VALE TRÊS VALORES).

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:28
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
14
15

18
20
22

24

30


posts recentes

Aristóteles en contra del...

Crítica a Aristóteles: nã...

Áreas 2º-4º de Carneiro e...

Área 16º-18º de Touro: Pr...

Área 8º-11º de Gémeos: Ru...

Área 5º-9º de Gémeos: Bai...

Área 5º-9º do signo de Gé...

Francisco George, ao serv...

Área 5º-9º de Gémeos: Pin...

Área 4º-6º de Gémeos: Ame...

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds