Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2017
Astrologia e desastres de viação com morte de portugueses no estrangeiro

 

Os acidentes vitimando portugueses enquanto viajam de automóvel, autocarro, carrinha ou camião fora de Portugal estão predestinados. São os planetas, colocados em certos graus da circunferência zodiacal ( os 360º da esfera celeste divididos em 12 partes iguais: os signos do Zodíaco) que determinam o dia, a hora e o local dos acidentes Desvendamos algumas  dessas leis de predestinação, através do estudo astronómico das datas.

 

ÁREA 2º-5º DO SIGNO DE CARNEIRO

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 2º-5º do signo de Carneiro é condição necessária mas insuficiente para provocar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 18 de Agosto de 2010 , com Júpiter em 2º 54´/ 2º 51´ de Carneiro, uma colisão frontal entre o veículo ligeiro e o camião acontece por volta das 06h00 (hora local), ao km 254 na estrada N1. em Quintanapalla, perto de Burgos, mata quatro portugueses que viajam no Opel Corsa, e regressavam a Portugal, depois de uma viagem à Alemanha; em 24 de Março de 2016, com Mercúrio em 3º 56´/5º 57´ de Carneiro, por volta das 23h45 de quinta-feira na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), a quase 200 quilómetros perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, um minibus que transportava 13 emigrantes portugueses, vindo de Lausana, Suíça, sai da sua faixa de rodagem e choca frontalmente com um camião, morrendo os 12 passageiros portugueses.

 

Algumas das datas em que a área 2º-5º de Carneiro será activada pela passagem de Sol ou planetas são: de 30 de Janeiro a 5 de Fevereiro de 2017 (Marte); de  6 a 12 de Fevereiro de 2017 ( Vénus); de 14 a 16 de Março de 2017 (Mercúrio); de 22 a 26 de Março de 2017 (Sol).

 

ÁREA 20º-22º DO SIGNO DE GÉMEOS:

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 20º-22º do signo de Gémeos é condição necessária mas insuficiente para provocar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 12 de Junho de 2006, com Sol em 20º 54´/ 21º 52´ de Gémeos, às 6:20 na auto-estrada A6, que liga Madrid à Corunha, em Espanha,junto a Valladolid, um carro com quatro trabalhadores portugueses despista-se morrendo dois deles e dois outros ficaram feridos; ; em 11 de Junho de 2015, com Sol em 19º 47´/ 20º 44´ de Gémeos, Marte em 20º 48´/ 21º 28´ de Gémeos,  cerca das 21 horas, um camionista português ao serviço da empresa Transneiva, de Viana do Castelo,morre carbonizado na sequência de um embate do seu camião com a traseira de um pesado ao quilómetro 195 da auto estrada no sentido Barcelona-Madrid.

 

ÁREA 4º-5º DO SIGNO DE LEÃO

 

A passagem de um planeta, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 4º-5º do signo de Leão é condição necessária mas insuficiente para originar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 12 de Junho de 2006, com Marte em 4º 58´/ 5º 34´ de Leão, às 6:20 na auto-estrada A6, que liga Madrid à Corunha, em Espanha,junto a Valladolid, um carro com quatro trabalhadores portugueses despista-se morrendo dois deles e dois outros ficaram feridos; em 11 de Junho de 2015, com Vénus em 5º 4´/ 5º 59´ de Leão, cerca das 21 horas, um camionista português ao serviço da empresa Transneiva, de Viana do Castelo,morre carbonizado na sequência de um embate do seu camião com a traseira de um pesado ao quilómetro 195 da auto estrada no sentido Barcelona-Madrid.

  

ÁREA 24º-25º DO SIGNO DE LEÃO

 

A passagem de um planeta, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 24º-25º do signo de Leão é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 17 de Agosto de 2009, com Sol em 24º 14´ / 25º 11´ de Leão, cerca das 02:30 horas da madrugada no quilometro 63 da autoestrada A6 na zona de El Espinar (Segóvia) antes de chegar à portagem, uma carrinha com portugueses trabalhadores de uma empresa de construção na localidade de Ceceña (Toledo), despista-se morrendo quatro operários um ucraniano de 38 anos (que vivia em Viana do Castelo), um angolano de 43 (que vivia em Rio Tinto), um brasileiro de 31 (que vivia em Barcelos) e um português de 45; em 18 de Agosto de 2010 , com Sol em 24º 58´/ 25º 55´ de Leão, uma colisão frontal entre o veículo ligeiro e o camião acontece por volta das 06h00 (hora local), ao km 254 na estrada N1. em Quintanapalla, perto de Burgos, mata quatro portugueses que viajam no Opel Corsa, e regressavam a Portugal, depois de uma viagem à Alemanha.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, o Sol, Quiron ou Nodo da Lua passa na área 24º-25º do signo de Leão aumentando a probabilidade de mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal são: de 6 de Junho a 5 de Julho de 2017 (Nodo Norte da Lua); de 21 a 23 de Julho de 2017 (Mercúrio); de 26 a 30 de Agosto de 2017 (Marte); de 15 a 17 de Setembro de 2017 (Vénus).

 

ÁREA 25º-26º DO SIGNO DE BALANÇA:

 

A passagem de um planeta, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 25º-26º do signo de Balança  é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 8 de Setembro de 2010, com Marte em 25º 23´/ 26º 3´ de Balança, Plutão em 2º 48´ de Capricórnio, cerca das 6:30 portuguesas (7:30 locais) nove portugueses morrem, oito dos quais são mulheres, e 39 ficam feridos, 14 dos quais graves, quando o autocarro de turismo onde seguem caiu numa ravina, em Ceuta, em território marroquino;em 4 de Setembro de 2012, com Saturno em 26º 36´/ 26º 38´ de Balança, um automóvel que circulava na estrada de Broye, em direção a Grolley, Suíça, despista-se, caiu de uma altura de dez metros e embate frontalmente numa árvore, imobilizando-se depois a cerca de 20 metros, morrendo os seus 4 ocupantes que residiam no cantão de Friburgo: o condutor, um suíço, de 26 anos, pintor na construção civil, com carta desde 2011, um italiano, de 18 anos, uma suíça de 20 anos, e uma portuguesa, de 18 anos, residente em Courtepin; em 19 de Outubro de 2014, com Sol em 25º 31´/ 26º 31´ de Balança, perto de Torquemada, na auto-estrada A-62, de Burgos, Espanha, cerca das 21h (20h em Portugal) dois autocarros da empresa Andrade Voyages, um de matrícula portuguesa e outro de matrícula francesa, que rumavam a França, ambos com 59 passageiros, todos portugueses, chocam entre si quando um dos autocarros, o de matrícula francesa, desacelera na via de acesso à auto-estrada e o outro, de matrícula portuguesa, que vinha atrás não consegue evitar o choque, morrendo três portugueses.

 

ÁREA 4º-5º DO SIGNO DE SAGITÁRIO:

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 4º-5º do signo de Sagitário é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 3 de Janeiro de 2016, com Vénus em 4º 29´/ 5º 42´ de Sagitário, um camião de transporte de laranjas sai da estrada no quilómetro 41 da AP-1, em Briviesca, em Burgos, cerca das 5h30 da manhã (hora local), cai de uma ponte e incendeia-se matando dois homens portugueses que nele viajavam; em 24 de Março de 2016, com Marte em 5º 37´/ 5º 51´ de Sagitário, por volta das 23h45 na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), a quase 200 quilómetros perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, um minibus que transportava 13 emigrantes portugueses, vindo de Lausana, Suíça, sai da sua faixa de rodagem e choca frontalmente com um camião, morrendo os 12 passageiros portugueses.

 

ÁREA 16º-17º DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO:

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 16º-17º do signo de Capricórnio é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

em 24 de Março de 2016, com Plutão em 17º 19´/ 17º 20´ do signo de Capricórnio, por volta das 23h45 na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), a quase 200 quilómetros perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, um minibus que transportava 13 emigrantes portugueses, vindo de Lausana, Suíça, sai da sua faixa de rodagem e choca frontalmente com um camião, morrendo os 12 passageiros portugueses; em 22 de Outubro de 2016, com Marte em 16º 30´/ 17º 33´ de Capricórnio, por volta das 17 horas, na N26 entre Schumannseck e Wiltz, um indivíduo, de nacionalidade portuguesa e residente na Bélgica, de 28 anos, perde o controlo da sua viatura numa longa curva à direita, saíndo da estrada e indo embater numa árvore acabando por falecer ainda no local do acidente; em 8 de Janeiro de 2017, com Plutão em 17º 11´/ 17º 13´ do signo de Capricórnio, quatro portugueses morrem, de madrugada e 28 resultam feridos em Saône-et-Loire, França, na sequência de um despiste de um autocarro  da empresa Rota das Gravuras na estrada nacional 79 que levava os emigrantes de volta à Suíça.

 

GRAUS 14º-17º DO SIGNO DE PEIXES:

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 14º-17º de Peixes é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 20 de Janeiro de 2001, com Vénus em 17º 3´/18º 3´ de Peixes, o português Manuel Cardoso, de 58 anos, morre ao ser abalroado no seu carro por uma locomotiva no porto de Elizabeth, New Jersey, ao dirigir-se para a empresa Nissan onde trabalhava há seis anos, no centro portuário; em 12 de Junho de 2006, com Úrano em 14º 42´ /14º 43´ de Peixes, às 6:20 na auto-estrada A6, que liga Madrid à Corunha, em Espanha,junto a Valladolid, um carro com quatro trabalhadores portugueses despista-se morrendo dois deles e dois outros ficaram feridos; em 29 de Março de 2014, com Mercúrio em 14º 37´/16º 7´ de Peixes, cerca das 18 horas, um homem na casa dos 40 anos, funcionário do serviços de Águas da câmara de Miranda do Douro, uma jovem de 17 anos e uma menina de 8 morrem, na sequência de um choque entre um automóvel ligeiro em que viajam e um camião, em Travassos, Espanha, a cinco km da fronteira  de Quintanilha, distrito de Bragança; em 7 de Fevereiro de 2015, com Vénus em 12º 54´/ 14º 8´ de Peixes, dois portugueses, de 48 e 56 anos, morrem num choque frontal do seu automóvel com outro em La Rioja, no norte de Espanha, e outras duas pessoas, ambas de nacionalidade espanhola, ficam gravemente feridas; em 24 de Março de 2016, com Vénus em 14º 18´/ 15º 32´de Peixes, por volta das 23h45 na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), a quase 200 quilómetros perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, um minibus que transportava 13 emigrantes portugueses, vindo de Lausana, Suíça, sai da sua faixa de rodagem e choca frontalmente com um camião, morrendo os 12 passageiros portugueseses; em 8 de Janeiro de 2017, com Marte em 14º 48´/ 15º 34´ de Peixes, quatro portugueses morrem, de madrugada e 28 resultam feridos em Saône-et-Loire, França, na sequência de um despiste de um autocarro  da empresa Rota das Gravuras na estrada nacional 79 que levava os emigrantes de volta à Suíça.

 

Próximas datas da passagem de planetas ou do Sol em 14º-17º do signo de Peixes são: de 16 a 20 de Março de 2017 (Vénus); de 4 a 8 de Março de 2017 (Sol ); de 5 a 7 de Março de 2017 (Mercúrio).

 

 

 

 

PONTO 2º 40´/ 2º 59´DE QUALQUER SIGNO

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  no ponto 2º 40´/ 2º 59´de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 18 de Agosto de 2010 , com Plutão em 2º 58´de Capricórnio, uma colisão frontal entre o veículo ligeiro e o camião acontece por volta das 06h00 (hora local), ao km 254 na estrada N1. em Quintanapalla, perto de Burgos, mata quatro portugueses que viajam no Opel Corsa, e regressavam a Portugal, depois de uma viagem à Alemanha; em 8 de Setembro de 2010, com , Plutão em 2º 48´ de Capricórnio, cerca das 6:30 portuguesas (7:30 locais) nove portugueses morrem, oito dos quais são mulheres, e 39 ficam feridos, 14 dos quais graves, quando o autocarro de turismo onde seguem caiu numa ravina, em Ceuta, em território marroquino;em 7 de Fevereiro de 2015, com Mercúrio em 2º 42´/ 2º 9´ de Aquário, dois portugueses, de 48 e 56 anos, morrem num choque frontal do seu automóvel com outro em La Rioja, no norte de Espanha, e outras duas pessoas, ambas de nacionalidade espanhola, ficam gravemente feridas; em 8 de Maio de 2015, com Saturno em 2º 44´/ 2º 40´ de Sagitário, às 5.40 horas da madrugada, três portugueses, de entre 44 e 51 anos de idade, morrem e outros quatro ficaram feridos com gravidade no norte de Espanha, na sequência do despiste e capotamento da carrinha em que viajam desde França, em Quintanapalla, ao quilómetro 14, na autoestrada que liga Vitória a Burgos, AP-1.

 

PONTO 16º 21´ /16º 31´DE QUALQUER SIGNO ZODIACAL

 

A passagem de um planeta, do Sol, de Quiron ou de um Nodo da Lua  no ponto 16º 21´/ 16º 31´de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas insuficiente para causar mortes de portugueses em acidentes de viação fora de Portugal.

 

Em 7 de Abril de 1996, com Júpiter em 16º 29´ /16º 34´ de Capricórnio, um autocarro transportando 40 estudantes portugueses despista-se e embate numa árvore no percurso entre Havana e a praia de Varadero, morrendo 3 raparigas e sendo hospitalizados outros 7 jovens; em 13 de Agosto de 1997, com Júpiter em 16º 33´/ 16º 25´ de Aquário, um acidente com a carrinha que transportava o Grupo Folclórico de Mouriscas do Vouga causa 8 mortos e 24 feridos, perto de Bordéus, em França; em 20 de Janeiro de 2001, com Marte em 15º 53´/ 16º 27´ de Escorpião, o português Manuel Cardoso, de 58 anos, morre ao ser abalroado no seu carro por uma locomotiva no porto de Elizabeth, New Jersey, ao dirigir-se para a empresa Nissan onde trabalhava há seis anos, no centro portuário; em 24 de Março de 2016, com Saturno em 16º 24´ de Sagitário, por volta das 23h45 na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), a quase 200 quilómetros perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no departamento de Allier, no centro de França, um minibus que transportava 13 emigrantes portugueses, vindo de Lausana, Suíça, sai da sua faixa de rodagem e choca frontalmente com um camião, morrendo os 12 passageiros portugueseses.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Sol, Quiron ou um Nodo da Lua passará no ponto 16º 21`/ 16º 31º de qualquer signo, aumentando a probabilidade de mortes de portugueses em acidentes de viação no estrangeiro são: 28 de Janeiro de 2017 (Marte); 18 a 20 de Março de 2017 (Saturno); 21 a 23 de Abril de 2017 (Júpiter).

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Domingo, 30 de Outubro de 2016
Área 5º-9º do signo de Sagitário e sismos em Itália

Os graus 5, 6, 7, 8 e 9 do signo de Sagitário são cinco graus do Zodíaco ou circunferência celeste responsáveis pela eclosão de sismos notáveis em Itália. A passagem de  um planeta, Sol ou Nodo da Lua na área 5º-9º do signo de Sagitário - área onde se situa a estrela Antares da constelação de Escorpião; signos são diferentes de constelações do mesmo nome -  é condição necessária mas insuficiente para gerar sismos relevantes em Itália. Não é somente esta área a causadora dos sismos em Itália. Há outras que concorrem para a produção de cada terramoto. Vejamos exemplos.

 

Em 28 de Dezembro de 1908, com Vénus em 6º 24´/ 7º 39´de Sagitário, um sismo em Messina, na Sicília, Itália, causa a morte de 84 000 pessoas.

 

Em 13 de Janeiro de 1915, com  Vénus em 7º 54´/ 8º 39´ de Sagitário,  eclode um terrível sismo em Itália, na região dos Abruzes e na cidade de Roma, onde na catedral de San Giovanni a estátua de São Pedro tomba do pedestal e no Campo dei Giori carros carregados de fruta viram-se, provocando a morte de 29 978 pessoas fora da capital. 

 

Em 7 de Outubro de 1997, com  Marte em 5º 41´/6º 23´ de Sagitário, dois novos sismos, o mais intenso de 4,9 na escala de Richter, abalam a região central da Itália, abrindo duas novas fendas na parede da Basílica católica de Assis.

 

Em 21 de Março de 1998, com  Plutão em 8º 2´de Sagitário,  três sismos abalam a região central da Itália, a Umbria e Marche, o mais forte dos quais de magnitude 4,1 na escala de Richter.

 

Em 20 de Maio de 2012, com Nodo Norte da Lua em 5º 2´ de Sagitário,   na região à volta de Bolonha, em Itália,entre Modena e Mantova, cerca de 35 quilómetros do Nordeste de Bolonha, eclode de madrugada um tremor de terra de magnitude 6.0 com um epicentro de profundidade de 5 quilómetros, morrendo 7 pessoas, 4 delas operários que trabalhavam durante a noite numa fábrica de cerâmica que colapsou em Sant’Agostino, Ferrara, ficando feridas 50, escreve o Corriere della Será, vários telhados colapsam, torres de igreja ficam em pedaços e muitos tijolos de fachadas ficam caídos pelas ruas

 

 Em 29 de Maio de 2012, com Nodo Norte da Lua em 5º 3´ de Sagitário, um sismo de magnitude 5.8 com  epicentro  na província de Modena, na região de Emília-Romanha, a  40 quilómetros de Bolonha e a 60 quilómetros de Parma.abala às 9 horas locais o norte de Itália, havendo quatro réplicas até às das 13 horas locais, sendo 15 o número de mortes confirmadas.

 

Em 3 de Junho de 2012, Nodo Norte da Lua em 5º 4´ de Sagitário, eclode um sismo com epicentro na cidade de Nova Modena, na região de Emília-Romana, a mesma onde os dois sismos anteriores (a 20 e a 29 de Maio deste ano) mataram mais de 20 pessoas e obrigaram mais de 14.000 pessoas a deixar as casas, sentido até cerca de 200 quilómetros, em Milão, colapsando a torre da igreja de Nova Modena, já danificada com os abalos das últimas semanas.

 

Em 24 de Agosto de 2016, com Saturno em 9º 52´/ 9º 53´de Sagitário, um terramoto de magnitude 6,2 atinge a região central da Itália às 3h36min CEST (1h36min GMT), próximo ao município de Nórcia, 75 km a sudeste de Perúgia e 45 km ao norte de Áquila, em uma área de tríplice fronteira entre as regiões da Úmbria, do Lácio e das Marcas havendo ao menos 291 mortos (só em Amatrice, completamente destruída, na província de Reiti são encontrados 224 corpos) e cerca de 368 feridos, havendo dezenas de mortos na província de Ascoli, sobretudo em Arquata de Tronto e Pescara e Tronto, sendo o sismo maior seguido por mais 159 tremores de terra com magnitude entre os 3,0 e os 4,0 e um na zona de Nórcia, Perugia, com 5,4 de magnitude.

 

Em 26 de Outubro de 2016, com Vénus em 9º 19´/ 10º 31´de Sagitário, dois sismos no centro de Itália causam um morto por ataque cardíaco, o primeiro sismo com magnitude de 5,4 na escala de Richter e às 18h11 de Lisboa, mais uma hora em Roma, com o epicentro em Marcas (província de Macerata, na fronteira este do país) e atingindo a capital, Roma, bem como as cidades deL’Aquila, Perugia, Terni, Nápoles e Florença, sem vítimas registadas mas causando danos materiais, e o hipocentro a apenas nove quilómetros de profundidade. região, entre Terni e Perugia, que foi a mesma onde se registou o epicentro que devastou Amatrice em agosto de 2016 e o segundo sismo por volta das 21h18 locais (mais uma hora do que em Portugal) na mesma zona com uma magnitude a rondar os 6,1.

 

Eis algumas datas em que um planeta, Nodo da Lua ou o Sol passarão em 5º- 6º-7º-8º-9º do signo de Sagitário - ou graus 245- 246-247-248-249 de longitude eclíptica - elevando a probabilidade de ocorrerem sismos em Itália: de 15 a 19 de Novembro de 2016 (Mercúrio); de 26 a 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2016 (Sol); de 9 a 12 de Novembro de 2017 (Mercúrio); de 27 a 30 de Novembro e 1 e 2 de Dezembro de 2017 (Sol); de  a 9 de Dezembro de 2017 (Vénus); de 3 a 11 de Fevereiro de 2018 (Marte).

 

Creias ou não, amiga/o, tudo está predestinado pelos movimentos planetários no Zodíaco. Baseamo-nos em factos histórico-astronómicos indesmentíveis e induzimos leis parcelares ou gerais. Isto é ciência histórica e astronómica. Fizemos avançar a astrologia como ciência, destronando o dogmatismo anti determinismo astral de Popper, o preconceito anti-astrologia da filosofia analítica, da fenomenologia  e das universidades em geral. Repara como eles evitam debater o que escrevemos: estão derrotados, recorrem à censura do silenciamento.

 

Se és professor de filosofia ou cientista e atacas a predestinação planetária de todos os acontecimentos sociais, políticos e biofísicos, só posso desejar que te livres da tua errónea posição, fundada na ignorância, e que a tua inteligência se torne holística sem perderes o pé na terra dos factos históricos.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 11:45
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 20 de Julho de 2016
Nietzsche e a Astrologia

 

Nietzsche não acreditava, ao contrário de filósofos estóicos como Marco Aurélio, no determinismo astral, ainda que algo paradoxalmente, também não acreditasse no livre-arbítrio. Escreveu sobre astrologia:

 

«300- Prelúdios da ciência - Julgais então que as ciências teriam nascido, julgais que teriam crescido, se não tivesse havido antes estes mágicos, estes alquimistas, astrólogos e feiticeiros que foram primeiro obrigados, por meio da isca de miragens e promessas, a criar a fome, a sede, o gosto pelas forças escondidas, pelas forças proibidas?  Julgais que não foi necessário prometer muito mais que aquilo que alguma vez se poderá cumprir para poder fazer a mais insignificante coisa no domínio do conhecimento? Nós vemos nisso simples prelúdios da ciência, exercícios preparatórios que não se sentiam, que não se executavam como tais; talvez da mesma forma, qualquer idade distante veja, em qualquer religião, também um simples exercício, um prelúdio.» (Nietzsche, A Gaia Ciência)

 

Assim, Nietzchze, inimigo dos sistemas ordenadores da história - excepto do dele, claro - à semelhança da generalidade dos pensadores contemporâneos, considerou a astrologia uma pseudo-ciência, um esforço mágico-intelectual no sentido de progredir para a ciência ainda desconhecida. Se conhecesse a movimentação dos planetas no céu e tivesse tido a intuição genial de a aplicar à história da França e da Alemanha, inclinar-se-ia no sentido da verdade, constatando que os ciclos planetários determinam os acontecimentos históricos.

 

 

Mas Nietzsche era um ignorante nesta matéria: não era suficientemente racional e sagaz para conceber o universo como uma máquina, com a aparência de ser vivo, em que todos os acontecimentos são desenhados pelo compasso das translações planetárias, solares e lunares sobre a coroa de 360º  denominada Zodíaco, dividida em doze partes iguais chamadas signos, e, obviamente,  todas presentes no céu a cada instante.

 

Só os grandes pensadores em todos os campos são capazes de conceber isso. Eduardo Lourenço e José Gil não têm essa amplitude de pensamento essa inteligência superior, tal como não a possuem os filósofos analíticos e os positivistas lógicos que dominam e afogam as universidades no cretinismo anti-determinismo astral que se serve da pseudo-astrologia dos jornais e dos programas de TV para denegrir a ciência astrológica real.

Fernando Pessoa, esse sim, possuía uma inteligência holística, bastante mais alta que José Gil, Eduardo Lourenço e qualquer outro catedrático de filosofia em Portugal, e sem embargo de não se ter libertado da tradição astrológica, da fantasiosa teoria das 12 casas, avançou minimamente na direção da Astrologia Histórico-Social, - que André Barbault, e eu, em especial desde 1996, com a publicação de quatro livros capitais ( «Leis planetárias em eleições gerais», 1996; «Sincronismos, cabala e graus do Zodíaco», 2001; «Astrología y guerra civil de España», 2006; «Os acidentes em Lisboa na astronomia-astrologia,  elevamos à condição de  ciência histórica.

 

Se Nietzsche tivesse feito um estudo astronómico da história saberia, por exemplo, que a passagem de Júpiter no signo de Virgem ( graus 150 a 180º da eclíptica ou trajectória aparente do Sol no Zodíaco, o que sucede durante um ano em cada 12 anos, aproximadamente, exalta a Alemanha, como o atestam os seguintes exemplos :

 

A) Em 31 de Outubro de 1517, com Júpiter em 17º do signo de Virgem, Lutero afixa na porta da igreja do castelo de Wittenberg as 95 Teses contra o abuso da absolvição ou indulgências, preconizado sobretudo pelo monge dominicano Johann Tetzel.

 

B) Em 3 de Agosto de 1529, com Júpiter em 2º do signo de Virgem, celebra-se o Tratado de Cambrai (Paz das Damas). negociado por Margarida de Áustria, tia de Carlos V, e Luisa de Sabóia, duquesa de Angoulême, mãe de Francisco I, pelo qual este rei da França paga dois milhões de coroas e renuncia às suas pretensões em Itália, na Flandres e no Artois e Carlos V, imperador dos Estados alemães, promete desistir da sua pretensão à Borgonha por algum tempo, libertando os príncipes franceses que estavam reféns.

 

C) De 30 de Janeiro a de 1933, com Júpiter em 22º -  13º- 17º   do signo de Virgem,  Hitler ascende a primeiro-ministro da Alemanha (30 de Janeiro) e leva  a cabo a destruição da república parlamentar, com o incêndio nocturno do parlamento em Berlim (27 de Fevereiro) e a subsequente suspensão das liberdades democráticas e detenção de mais de 4000 membros do Partido Comunista Alemão, a votação no novo parlamento do decreto que confere plenos poderes a Hitler por 441 votos a favor e 91 votos socialistas contra (23 de Março), a dissolução dos sindicatos (21 de Abril) e criação da Gestapo (26 de Abril), a dissolução do partido social-democrata alemão (22 de Junho) e dos partidos de direita (27-29 de Junho).

 

 

D) De 30 de Abril a 7 de Maio de 1945, com Júpiter 17º de Virgem, desmorona-se por completo o III Reich nazi, com o suicídio do chefe de Estado Adolf Hitler (30 de Abril) e a rendição formal da Alemanha ante os Aliados (7 de Maio).

 

Quanto ao silêncio da universidade portuguesa sobre astrologia histórica é revelador da ignorância dos «sumos sacerdotes do conhecimento» que são os catedráticos: atribuem doutoramentos uns aos outros sem a humildade de reconhecerem o determinismo planetário, são o Tribunal da Santa Inquisição Científica dos nossos dias.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 4 de Junho de 2016
Inglaterra e Hungria, entre os quatro finalistas e semifinalistas do Europeu de Futebol 2016?

 

A previsão astrológica de jogos isolados e de vencedores ligas de futebol é muito complexa. Exige o conhecimento de múltiplas leis planetárias e da sua conjugação num dado dia. Não é a área que estudo sistematicamente. Mas vou ressaltar algumas efemérides astronómico-desportivas ou astronómico-políticas que talvez ajudem a decifrar o vencedor predestinado deste Europeu. A final do Campeonato da Europa de 2016 será no dia 10 de Julho e terá as seguintes posições astronómicas zodiacais:

Sol em 18º 10´/ 19º 7´ do signo de Caranguejo

Vénus em 27º 15´/ 28º 29´ do signo de Caranguejo.

Marte em 23º 46´/23º 52´ do signo de Escorpião.

Neptuno em 11º 51´/ 11º 52´ do signo de Peixes.

 

MARTE EM 23º DO SIGNO DE ESCORPIÃO:

HUNGRIA

 

Em 15 de Novembro de 2015, com Sol em 22º 17´/ 23º 17´ de Escorpião, a Hungria apura-se para a fase final do Europeu ao vencer por 2-1 a Noruega, em Budapeste.

 

NEPTUNO EM 11º 51´/11º 53´ DO SIGNO DE PEIXES:

HUNGRIA EM DESTAQUE 

Em 20 de Maio de 2016, com Neptuno em 11º 53´ de Peixes, a Hungria empata 0-0 com a Costa do Marfim..

VÉNUS EM 27-28º DO SIGNO DE CARANGUEJO:

INGLATERRA EM FOCO

A área 27º-28º do signo de signo de Caranguejo, adjacente à estrela Procyon da constelação do Cão Menor, em 26º de Caranguejo, vincula-se à Inglaterra.

 

Em 28 de Julho de 1944, com Nodo Norte da Lua em 27º 37´/ 27º 36´ de Caranguejo, duas bombas voadoras alemãs causam graves danos em Londres, a primeira matando 51 pessoas ao cair numa zona comercial de grande movimento em Lewisham e a segundo matando 55 pessoas ao destruir uma casa de chá na esquina de Earl´s Court Road e Knightsbridge; em 17 de Agosto de 1944, com Nodo Norte da Lua em 27º 37´/ 27º 36´ de Caranguejo, uma bomba voadora cai em Lavender Hill, no subúrbio londrino de Battersea, matando 14 pessoas que seguiam num autocarro e outras 14 nas ruas e casas circundantes; em 5 de Setembro de 1975, com Saturno em 28º 47´/ 28º 53´ de Caranguejo, uma bomba explode no átrio do hotel Hilton, em Londres, matando 2 pessoas e ferindo outras 50; em 8 de Janeiro de 1991, com Nodo Sul da Lua em 28º 7´ de Caranguejo, um comboio choca contra os amortecedores de uma estação em Londres, produzindo 1 morto e 250 feridos; em 7 de Fevereiro de 1991, com Nodo Sul da Lua em 27º 53´ de Caranguejo, um rocket disparado pelo IRA cai nos jardins do nº 10 de Downing Street, às 9. 45 horas, e às 10.00 uma explosão dá-se frente ao Ministério da Defesa em Londres, havendo 4 mortos calcinados e alguns feridos; em 24 de Abril de 1993, com Marte em 28º 8´/ 28º 36´ de Caranguejo, uma bomba explode na City de Londres, produzindo um morto e cerca de 40 feridos; em 7 de Julho de 2005, com Saturno em 28º 47´/ 28º 55´ de Caranguejo, 3 explosões de bombas da Al-Qaeda na linha 30 do metropolitano de Londres, uma na estação de King´s Cross, outra na de Aldgate East e outra no túnel entre Moorgate e Liverpool Street, e uma quarta explosão num autocarro em Woburn Square produzem 52 mortos, 13 dos quais no autocarro, e 700 feridos.

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:40
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 10 de Novembro de 2015
Breves reflexões de Outubro e Novembro de 2015

 

 

Eis algumas breves reflexões, mais ou menos banais, que afloram à nossa consciência em  Outubro e Novembro de 2015.

 

COMO PODEMOS CONFIAR NO AMOR E NA AMADA se todos os dias o tempo, o velho e maldito deus Cronos, nos vai devorando imperceptivelmente, fazer ganhar mais uma ruga,uma variz, flacidez neste ou naquele músculo, etc? Os deuses são os culpados da destruição lenta dos amores e da irrupção da indiferença e dos ódios, da velhice e da doença. Abaixo os deuses? Abaixo alguns dos deuses, não todos!

 

OS CASAMENTOS PERFEITOS TAMBÉM SE DESFAZEM. O senso comum costuma dizer: «Tal casamento desfez-se. Ela fugiu com outro ou ele fugiu com outra e isso é sinal que o casamento não ia bem, não era perfeito. O que foi abandonado ou aquela que foi abandonada teve culpas...» Ora isto é verdade em muitos casos, mas não em todos. Há casamentos perfeitos em que o marido se deixa seduzir, de repente, por uma moradora nova no prédio ou em que a a esposa se deixa seduzir por um colega de trabalho. No casamento perfeito surge, por instinto, a necessidade de trair o outro, a adrenalina de fazer sexo com alguém «proibido» e.. o casamento desfaz-se. Portanto, não há imunidade matrimonial: os beijos não imunizam contra as traições, tal como as vacinas não imunizam contra doença nenhuma. Os sistemas são instáveis. Só uma vontade racional férrea de cada cônjugue, remando contra o instinto, pode manter a fidelidade no casal.

 

O MEU AMOR POR ELA É ABSOLUTAMENTE PERVERSO. Amo-a de forma holística, total: como homem e como mulher, como travesti e como anjo de luz. Como cavalo. Como dinossauro. E até como protozoário das milhões de vidas que tive.

 

MAS EU AMEI AQUELA MULHER OU AMEI APENAS OS SEIOS, O ROSTO E OS BEIJOS DELA? - Este problema metafísico perseguir.me-á toda a vida..

 

AMO AQUELA MULHER só por questão de estética. Porque é a mais bela mulher do mundo. Se fosse loira e burra amá-la-ia na mesma mas não é...

 

AO DESEJAR AQUELA MULHER O QUE QUERIA EU DELA? O rosto, que eu considero o grande factor de atração? Os seios? O sutiã e os seios? O corpo, com as suas enseadas de prazer onde o meu barco se poderia afundar? A alma? Ou ela não enquanto ela mas enquanto individuação da deusa Vénus? Não sei. Metafísica...

 

PARA AMAR NÃO PODES PARAR PARA PENSAR. Porque se pensas o amor desaparece já que não passa de um fantasma luminoso ou de uma aparição da Virgem Maria. E fica só corpo, a pele debaixo da qual os ossos rangem e a máquina hormonal do desejo opera...

 

O MEU AMOR POR TI ATINGIU O PONTO MAIS ALTO: AGORA NÃO ME INTERESSAS, POSSO DESLIGAR-ME POR COMPLETO DE TI. Descansa: como tudo o que sobe desce, daqui a semanas telefonar-te-ei demonstrando interesse em ti.

 

EU AMAVA O ROSTO DELA, SEXY E DE GRANDE BELEZA, E AMAVA-A A ELA MAS QUANDO ELA SE DESMAQUILHOU SENTI QUE NÃO AMAVA O ROSTO DELA. Então, o meu amor por ela cessou...

 

NÃO AMAMOS AS MULHERES. AMAMOS O PRAZER E O CARINHO QUE ELAS NOS DÃO.

 

TU NÃO O AMAS. EMBRIAGAS-TE COM OS BEIJOS E AS CARÍCIAS DELE. O que ele tem não é amor, é técnica de sedução da mulher. É luxúria, puro desejo sexual. Leva-te para a cama ou para o banco traseiro do automóvel...

 

A LUTA DE CLASSES NA SEXUALIDADE. Se compras os serviços de uma acompanhante estás a entrar no mercado capitalista. Se conquistas uma mulher por teres um belo automóvel ou uma recheada conta bancária estás a participar, do lado da burguesia, no negócio do sexo...O sexo que a burguesia te oferece é um escape, eles temem que te consciencializes e te tornes um Buda, um iluminado.

 

O INTERESSANTE NAS MULHERES É ELAS NÃO SEREM EXCLUSIVAMENTE MULHERES mas também anjos, demónios, gatas felinas com botas de couro negro (as Gatas das Botas), deusas, mães e esposas capazes de uma incalculável fidelidade, dragões de oiro que habitam o interior da Terra ou dos lençóis de uma cama limpa

 

CONCORDO COM FREUD. A sexualidade é polimorfa, a amizade entre pessoas do mesmo sexo não é mais que homossexualidade sublimada, todos os homens são, no seu íntimo, bissexuais, ainda que não em actos físicos práticos (80 por cento são objetivamente heterossexuais).

 

A UNIÃO SEXUAL ENTRE DOIS SERES é a base do amor a Deus. A igreja católica lida mal com a sexualidade porque não consegue integrar o culto a Afrodite-Vénus, a deusa do Amor carnal, com o culto à Virgem Maria, a deusa do Amor ascético-espiritual.

 

CRISTIANISMO E VAMPIRISMO ESPIRITUAL - No Evangelho de São João, capítulo VI, 53-56 lê-se:

«Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos.; 54 Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.55 Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida.56 Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim, e eu, nele.»

Esta passagem controversa do evangelho, que sugere o carnivorismo, merece de teólogos islâmicos a acusação de que «o cristianismo é um canibalismo» porque se come a carne de Cristo. Isto remete igualmente para vampirismo: os vampiros humanos alimentam-se, supostamente, de sangue bebido no pescoço das vítimas para «terem a vida eterna».
Não conheço no budismo, religião ou filosofia assente no vegetarianismo, qualquer alusão à santificação pela ingestão de carne e sangue do profeta ou de uma divindade. Vale mais ser vegetariano!

 

A BRUTALIDADE DO CARNIVORISMO. Vais comer um bife ou ensopado de borrego, mais um? Por tua causa, uma vaca, um porco, um borrego foram mortos. E vais comer a sua carne, rica em proteínas,,... e em cadaverinas, toxinas de cadáver. Porque não substituis por feijão ou grão de bico, por tofu ou hamburguer de soja? O carnivorismo é uma brutalidade, uma falta de delicadeza para com os animais. O homem é um ser imundo - nem todos, claro. Não participes no morticínio geral das espécies. E a igreja católica porque se cala ante esta brutalidade?


A igreja invoca esta discutível tese do Evangelho de Marcos 7,18-19: E ele (Jesus) disse-lhes: “Então, nem vós tendes inteligência? Não entendeis que tudo o que vem de fora, entrando no homem, não pode torná-lo impuro, porque nada disso entra no coração, mas no ventre, e sai para a fossa?” (Assim, ele declarava puros todos os alimentos.).»

 

Creio ser impossível que Jesus tenha santificado o carnivorismo, e advogado um regime alimentar sem cuidados higiénicos.
Faz te vegetariana antes que seja tarde. Escapa à corrupção do mundo, tanto quanto possível.

 

PARTICIPAR NA MISSA CATÓLICA SEM SER CATÓLICO.É como uma espécie de frente popular, unidade das esquerdas em que os anarquistas votam, por tática, no candidato socialista mais votado na primeira volta da eleição: somos gnósticos, dualistas, herdeiros do mazdaísmo de Zoroastro (há dois deuses: o da Luz e o das Trevas), do maniqueísmo, dos cátaros trucidados pela igreja feudal, dos templários (dois cavaleiros no mesmo cavalo), dos alquimistas (o mercúrio feminino e o enxofre masculino), da franco-maçonaria (sem sermos maçons: as duas colunas, Joaquin e Boaz), rejeitamos a filosofia católica do deus único criador do universo, uma confusa filosofia, mas aceitamos o carácter sacro da missa católica enquanto homenagem ao Deus da Luz, não ao demiurgo Iavé, mas aos deuses do Pleroma ou mundo divino.

 

AMAMOS OS NOSSOS PAIS QUANDO JÁ MUITO VELHOS E DOENTES? Creio que não. O amor radica numa carência de quem ama, um completar-se no ser ou objeto amado. Ora a generalidade dos filhos olhando um pai de 85-92 anos muito fraco, envelhecido, já destituído de faculdades de memória e outras sente pena e sente responsabilidade por lhe proporcionar um fim digno. Alguns até desejam, em segredo, que «o velho morra depressa, porque já não está cá a fazer nada». Mas a esse cuidado com o pai idoso não pode chamar-se amor mas compaixão...

 

TOMA SUMO DE LIMÃO E CURARÁS QUALQUER DOENÇA. EVITA A VACINAÇÃO. A questão está em descobrires a dose exacta de limão de que necessitas. Toma dois a três limões por dia e o sumo de cada um deles dissolvido num copo cheio de água. «O limão começa por actuar como um excelente DISSOLVENTE; e depois como um RECONSTITUINTE de primeira ordem» - diz o professor Romolo Mantovani em «A arte de se curar a si próprio». Destrói os sais de ácido úrico, causa do reumatismo, dores na coluna, dores de cabeça, artroses, etc. Destrói as células cancerosas, vence a bronquite, a anemia, a arterioesclerose, etc.

 

Se nas escolas não se ensina o valor das curas pelo limão é porque os programas de ensino estão enfeudados à burguesia capitalista dos laboratórios e farmácias, que não está interessada em que a classe operária saiba os métodos de cura natural. Em troca, a burguesia e os seus catedráticos e jornalistas vendem a ideia pseudocientífica da vacinação - uma inoculação de vírus e toxinas não pode nunca garantir imunidade, a vacina é uma colossal mentira! A saúde reside em formar sangue puro o que se consegue ingerindo muitos frutos e saladas - o homem é um frugívoro - gemas de ovo cruas, algum queijo fresco, feijãio e grão de bico, arroz integral, etc.

 

O GOVERNO DE DIREITA CAI NO ANIVERSÁRIO DE ÁLVARO CUNHAL. Se Cunhal, o histórico secretário-geral do PCP falecido em 13 de Junho de 2005, fosse vivo, faria hoje, 10 de Novembro de 2015, 102 anos de idade. Ora não deixa de ser curioso que hoje mesmo os votos dos deputados do PS, PCP, BE e PEV (123) derrubem no parlamento o governo das direitas PSD-CDS, antagónico aos ideais de Cunhal...E dentro de 2 dias, a 12 de Novembro, Francisco Louçã, fundador do BE, completará 59 anos de idade...

 

PORTO E FRANÇA, O AZUL E BRANCO QUE OS LIGA- Em 11 de Novembro de 2015, Paulo Cunha e Silva, de 53 anos, vereador da câmara municipal do PORTO, cidade ligada às cores AZUL e BRANCO da bandeira de D.Pedro IV e da camisola do Futebol Clube do Porto, morre subitamente, espalhando a consternação na cidade. Em 13 de Novembro de 2015, seis atentados à bomba e de rajadas de metralhadora, quase simultâneos, cometidos por militantes suicidas do Estado Islâmico, no teatro Bataclan, na rua de Charonne e em outros locais de Paris, FRANÇA, país cuja bandeira possui uma faixa AZUL e outra BRANCA, como o FC Porto, matam, no mínimo, 128 pessoas e ferem mais de 200, 99 das quais em estado grave.
 Parece, pois, haver um sincronismo entre o Porto e Paris e a França: na mesma altura, o desaire atinge um e o outro,,,
 

 

ESCREVO LIVROS DE ASTROLOGIA HISTÓRICO-SOCIAL porque não há mais nada para fazer na vida além de trabalhar no ensino, namorar, fazer a revolução proletária, internacional situacionista, escrever poesia, ir ao campo alentejano, conviver com amigas e amigas, escrever no facebook e ir às compras. A vida é tudo isto e é tão pouco. Mas não te queixes... A propósito o livro que escrevi intitulado «Astrologia Histórica», edição da Esfera do Caos, desvenda mais de um milhar de leis astronómico-sociais e, neste sentido, é superior à teoria de Einstein e à física quântica mas só tu, eu e muito poucos nos apercebemos disso. A multidão, obtusa, só olha para os ídolos que vão à televisão e são lançados pelos grandes grupos económicos e pelos corruptos lobbies universitários...

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 15:54
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito (1)
|

Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2015
Teste de filosofia do 10º C (Fevereiro de 2015)

 

Os temas de alquimia incluídos neste texto conexionam-se com a visita de estudo a Sevilha que o liceu de Beja (ESDG) realiza anualmente. Nenhum manual do 10º ano de filosofia do ensino secundário em Portugal inclui textos sobre alquimia, filosofia hermética, astrologia - temas obrigatórios para quem queira pensar a sério filosofia. Um professor  de filosofia que não conheça os princípios da alquimia (o enxofre, o mercúrio e o sal), o dualismo yang-yin do taoísmo, as leis da dialética, o princípio das correspondências macrocosmos-microcosmos é um sujeito inculto, de mente quadrada, muito mais inculto que o empregado de escritório Fernando António Nogueira Pessoa, genial poeta e pensador, falecido em 30 de Novembro de 1935, em Lisboa. Hoje, vive-se um clima de censura na universidade portuguesa e mundial, pretensamente racionalista, comparável à censura da inquisição.

 

A esmagadora maioria dos actuais professores liceais e universitários de filosofia e sociologia são incompetentes, anti filosóficos. A universidade está infiltrada de doutorados que são alunos «marrões» que fizeram «copy paste» de trabalhos dos «mestres», fizeram o «beija-mão», pagaram milhares em propinas e foram cooptados. Os doutoramentos em filosofia enfermam de erros graves, em regra, e superabundam em verniz retórico. É um show-off. Vamos ao nosso teste que, certamente, ensina algo a muitos desses ignorantes donos de cátedras, agentes da burguesia inculta, superficial e endinheirada que domina o Estado e o sistema de ensino.

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA C
11 de Fevereiro de 2015. Professor: Francisco Queiroz

 

.”A queda de Adão levou Deus, segundo alguns filósofos, a criar a hebdómada fora do pleroma e assim passou a haver três mundos, uma vez que o inferno de Lúcifer já existia no kenoma. O templo cristão na idade média foi construído segundo o princípio das correspondências microcosmo-macrocosmo, que exprime a lei dialética do uno. Solve e coagula, divisa dos alquimistas, tal como o fluxo e refluxo da onda ou o par dogmatismo-cepticismo podem ser classificados de acordo com o dualismo Yang-Yin

 

1) Explique, concretamente este texto.

2) Relacione, justificando:

A) As quatro fases do processo alquímico e respectivas aves- símbolos, por um lado, e os quatro arkês segundo Pitágoras de Samos, por outro lado.

B) O imperativo categórico em Kant e o princípio moral do utilitarismo de Stuart Mill.

3) Enuncie a lei dialética da contradição principal e aplique-a a três ou quatro esferas (sefirós) da Árvore da Vida da Cabala judaica.

 

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE ESCRITO (COTADO PARA 20 VALORES)

1) A queda de Adão, que a bíblia apresenta como resultado de ter provado a maçã da árvore do conhecimento, consiste na perda do seu corpo glorioso, metade masculino metade feminino (Sofia, a sua parte feminina), que atravessaria as pedras e a matéria em geral: Deus tê-lo-ia expulsado do Paraíso Terrestre, na periferia do Pleroma ou mundo da Luz divina. Para evitar que Adão caísse no inferno de Lúcifer, no Kenoma ou mundo do Vazio, das trevas da matéria, Deus - ou segundo alguns; o demiurgo, um deus inferior - criou um mundo material com sete esferas planetárias, chamado Hebdómada  (a de Mercúrio, a de Vénus, a do Sol, a de Marte, a de Júpiter e a de Saturno) em redor da Terra onde ficou a viver Adão com a sua nova companheira, Eva, sujeitos às leis da matéria, da doemça e do envelhacimento e morte.  Ficou pois a haver três mundos: o Pleroma divino, a Hebdómada com a Terra no centro, e o Inferno de Lúcifer (VALE TRÊS VALORES).O templo cristão da idade média obedecia ao princípio hermético das correspondências «o que está em baixo é como o que está em cima, o microcosmo espelha o macrocosmo»: o templo é um microcosmo que espelha o macrocosmo, o corpo gigantesco de Cristo que atravessa o universo. Na planta da catedral, a  abside corresponde à cabeça de Cristo, o transepto aos braços abertos, o altar ao coração, as naves ao tronco e pernas. A catedral tinha a abside virada a Leste, onde nasce o Sol, símbolo de Cristo. A lei do uno diz que tudo se relaciona: Cristo com o Sol e com o templo em pedra, por exemplo. Outra expressão deste princípio é a correspondência entre a catedral e a natureza física envolvente: o altar equivale à montanha sagrada, as colunas às árvores, as abóbadas ao céu, as janelas de vitrais às estrelas e planetas, as paredes aos desfiladeiros, a pia baptismal aos lagos e mares (VALE  TRÊS VALORES). Solve e coagula é a divisa dos alquimistas (químicos metafísicos da antiguidade clássica e da idade média) e quer dizer dizer dissolver o masculino, sólido, o enxofre e coagular o feminino, líquido e gasoso, o mercúrio, a fim de obter o lapis ou pedra filosofal, vermelha. Os dois princípios de que os alquimistas falavam são o princípio masculino, representado pelo enxofre e pelo salitre, sólidos, designado de «homem vermelho» e o princípio feminino, o mercúrio filosófico, líquido e volátil, designado de «mulher branca». No taoísmo, yang significa princípio masculino, dilatação, calor, verão, vermelho, som e yin significa princípio feminino, contração, inverno, azul ou branco, silêncio. Embora o yang corresponda de modo geral ao enxofre e o yin ao mercúrio, a correspondência não é perfeita porque no taoísmo o sólido é o feminino e na alquimia o sólido é o masculino. O dogmatismo é a corrente filosófica que afirma existir certezas, expansão do conhecimento - nesse sentido pode equparar-se ao Yang e ao fluxo da onda - e o cepticismo é a posição filosófica que proclama a dúvida quase sobre tudo, contracção do conhecimento que se reduz ao visível e palpável imediato - neste sentido pode equiparar-se ao Yin e ao refluxo da onda(VALE TRÊS VALORES).

 

2- A) As quatro fases do processo alquímico e respectivas correspondências com a teoria de Pitágoras - esta é uma interpretação entre outras - são:

NIGREDO ou fase negra, da putefração do cadáver. A ave é o corvo. Pode equiparar-se ao ponto que em Pitágoras representava o número um (Do vazio veio um ponto).

ALBEDO ou fase branca, da separação das impurezas.A ave é o cisne. Pode equiparar-se à linha recta que representa o número dois e se forma da separação em dois do ponto, pontos que se vão afastando.

 

CITREDO ou fase amarela e polícroma. A ave é o pavão. Pode equiparar-se ao plano, número três segundo Pitágoras, que se formou quando um ponto se destaca da recta e . É esta multiplicidade, onde existe Sol e Lua, que irá originar o lapis da última fase.

 RUBEDO ou fase vermelha na qual se produz o lápis ou elixir da longa vida ou pedra filosofal que permite ao homem regressar ao estado adâmico, adquirir um corpo andrógino que atravessaria as pedras e a matéria densa e viveria no Paraíso Terrestre. A ave é o pelicano ou a fénix. Pode equiparar-se ao tetraedro ou pirâmide de três lados, porque este sólido é o mais completo dos arkhês.  (VALE QUATRO VALORES)

 

2-B) O imperativo categórico é a verdadeira lei moral em Kant, é formado na razão ou eu numénico, que se opõe aos instintos corporais e ao eu fenoménico ou inferior. Enuncia-se assim: «Age de modo a transformares a tua máxima em princípio universal, como se fosse uma lei universal da natureza que não beneficia em particular ninguém, nem sequer a ti mesmo». Este imperativo é formal e autónomo, varia de pessoa a pessoa no seu conteúdo concreto.

O princípio moral de Stuart Mill é o da maximização social do prazer: é bem promover a felicidade da maioria dos envolvidos numa situação, mesmo à custa da infelicidade da maioria ou do próprio autor da acção.

Teoricamente,  é imoral, na doutrina de Kant, expropriar 20 famílias que vivem em casas de um bairro que a câmara municipal da cidade quer destruir para aí fazer uma circular rodoviária exterior para satisfazer 20 000 famílias que vivem nessa cidade porque cada pessoa é um fim em si mesma e deve-se aplicar a todas a mesma lei. Mas segundo a ética de Stuart Mill seria legítimo destruir esse bairro porque o interesse da maioria (20 000 famílias) se sobrepõe ao interesse da maioria (20 famílias). Ainda que se classifique habitualmente a moral de Kant como «deontológica», centrada no dever («déon») e a de Mill como «teleológica», centrada nos resultados da acção, a verdade é que esta última é igualmente «deontológica» porque para Mill os fins não justificam qualquer meio, há princípios morais a respeitar. (VALE QUATRO VALORES)

 

C) A lei dialética da contradição principal consiste em reduzir um conjunto de contradições a uma só composta por dois blocos. Exemplo: na 2ª Guerra Mundial, a URSS aliou-se à Inglaterra, aos EUA, ao Canadá, Brasil e formaram o bloco dos Aliados, e a Alemanha aliou-se à Itália e Roménia fascistas e ao Japão formando o bloco do Eixo. A árvore da Vida, cabalística é composta por dez esferas ou sefirós que exprimem as qualidades conhecidas de Deus. A forma da árvore é um hexágono tendo por baixo um triângulo de vértice para baixo e no final, abaixo do triângulo,  uma esfera isolada. Podemos escolher três esferas, duas do lado direito da árvore - a Sabedoria (Hocmah) e a Misericórdia (Chesed) - e uma do lado esquerdo - a Justiça- Severidade (Gueburah).. Neste caso a Justiça, de um lado, opõe-se à Sabedoria e à Misericórdia, do outro. (VALE TRÊS VALORES)

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:39
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 3 de Junho de 2014
Equívocos no manual «Ousar Saber, Filosofia 11º ano» da Porto Editora (Crítica de Manuais Escolares- LXV)

 

Diversos equívocos caracterizam o manual do professor da Porto Editora «Ousar saber, filosofia 11º ano» de João Simas, Luís Salvador, Artur Morão, André da Silva Costa, José Manuel Moreira, com revisão científica de Mendo Castro Henriques, sem embargo de possuir alguns textos de boa qualidade.

 

AMBIGUIDADE E ERRO EM PERGUNTAS DE ESCOLHA MÚLTIPLA

 

Diversos erros pautam exercícios com questões de escolha múltipla neste manual. Vejamos exemplos:

 

«Assinala com uma cruz a opção correcta.»

 

«1. Um argumento por analogia é um argumento...

 

A) dedutivo que faz uma comparação entre realidades diferentes.

B) não dedutivo que parte de diferenças significativas entre realidades análogas.

C) dedutivo que parte de um certo número de parecenças entre realidades díspares.

D) não dedutivo que parte de parecenças entre realidades dispares.»

 

 (João Simas, Luís Salvador, Adelino Cardoso, Artur Morão, André da Silva Costa, José Manuel Moreira, «Ousar saber, filosofia 11º ano», Parte 2, com revisão científica de Mendo Castro Henriques, Porto Editora, p. 74).

 

 O manual não indica «a única resposta correcta»... Porquê?  Receio de revelar a fragilidade de um pensamento hiper-analítico e deformador da realidade?

 

Crítica minha: Há duas respostas correctas: B e D. São quase indistinguíveis uma da outra: a analogia é uma semelhança intuída superiormente (ana, para cima) entre dois entes ou situações diferentes entre si. Por exemplo: o homem é análogo ao chimpanzé, possuem dentição e tubo digestivo de 6 a 8 metros de comprimento, mãos, nariz, etc. Portanto, a pergunta está mal construída.

 

Vejamos outro exemplo.

 

«Assinala com uma cruz a opção correcta.»

3. A manipulação pode ser definida como...

(A) a imposição de uma tese a um dado auditório.

(B) o contrário da sedução.

(C) a livre aceitação de uma tese por parte de um auditório.

(D) o contrário de demagogia.»

 

(João Simas, Luís Salvador, Adelino Cardoso, Artur Morão, André da Silva Costa, José Manuel Moreira, «Ousar saber, filosofia 11º ano», Parte 2, com revisão científica de Mendo Castro Henriques, Porto Editora, p. 105 )

 

Segundo os autores do manual, só uma  resposta está correcta mas não dizem qual.

 

Crítica minha: ao contrário deste manual que sustenta só uma hipótese correcta, há duas respostas correctas: A, C. De facto, a manipulação pode ser uma imposição do tipo «Ou aceitam um corte de 20% nos vossos salários ou eu, empresário, serei forçado a despedir dois terços dos trabalhadores». Mas também pode ser ou incluir a «livre aceitação de uma tese por parte de um auditório» como, por exemplo, o argumento manipulatório pró-vacinação «Deves vacinar-te porque os vírus atenuados e as toxinas da vacina ensinam o teu corpo a defender-se contra uma versão maior dessa doença». A apologia da vacinação é uma manipulação de milhões de pessoas com aceitação livre dos argumentos por parte desses milhões.

Persuasão racional não se opõe a manipulação porque esta inclui, muitas vezes, a persuasão racional. Manipulação opõe-se a não manipulação ou seja, a aleteia (desvelação da verdade) e heurística, descoberta da verdade por si mesmo.

 

HIPER-ANALITISMO NA DESCRIÇÃO DO ACTO COGNTIVO

 

A descrição do acto cognitivo neste manual padece de hper-analitismo, isto é, fragmentação excessiva de aspectos de um mesmo conceito, uma vez que oferece nove determinações ou momentos daquele acto, sem distinguir a substância do acidente, o sujeito do predicado:

 

«Momentos intrínsecos à actividade cognitiva

Imaginemos uma cena de laboratório (de física, de química, de biologia, erc).

 

a) Nos que ali trabalham, com empenho, concentração e entusiasmo, conseguimos reconhecer, em primeiro lugar, o momento psicológico: vibra no esforço e no desejo de entender, umas vezes no desânimo (...)

 

c) também lá se agita o momento pessoal, que muitos filósofos olham com desconfiança no plano cognitivo (...)

 

h) E, claro, da faina científica não podia estar ausente o momento metafísico que, de certo modo, está subjacente a todos os outros (...)

 

i) Rematando o processo cognitivo, emerge finalmente o momento transcendental: constitui o cerne da consciência (do cientista enquanto homem pleno) (...)

 

(João Simas, Luís Salvador, Adelino Cardoso, Artur Morão, André da Silva Costa, José Manuel Moreira, «Ousar saber, filosofia 11º ano», Parte 2, com revisão científica de Mendo Castro Henriques, Porto Editora, pp. 239-242 )

 

Há certa confusão neste texto. Se, ao contrário do que o texto indica, o momento psicológico está contido no momento pessoal, porque hão-de estar separados nesta divisão como alíneas distintas? A pessoa é substância e a sua  psique, um estado de alma, é qualidade, acidente dessa substância.

O momento transcendental está contido no momento metafísico, é por assim dizer, a metafísica interna do sujeito, - se por transcendental entendermos não o transcendente, o que está além de e fora de, mas a estrutura originária, a priori, do sujeito ou da relação sujeito-objecto. Não há pois razão para colocar metafísico e transcendental como momentos do conhecimento com igual estatuto, em alíneas separadas.

 

 

OCULTAÇÃO DA ESSÊNCIA DO PENSAMENTO DE PAUL FEYERABEND

 

Este manual refere o filósofo Paul Feyerabend, maior em amplitude pensante que Karl Popper e Thomas Khun, de forma superficial e parcelar:

 

«...o filósofo austríaco Paul K. Feyerabend (1924-1994) . Diz ele: "a ciência é uma empresa essencialmente anarquista, "houve teorias científicas que se impuseram apesar de numerosas incoerências", "todas as metodologias têm os seus limites, e a única regra que sobrevive é: tudo serve!" E juntamente com Kuhn partilha a ideia da incomensurabilidade das teorias, ou seja, que elas não são comparáveis...»

 

(João Simas, Luís Salvador, Adelino Cardoso, Artur Morão, André da Silva Costa, José Manuel Moreira, «Ousar saber, filosofia 11º ano», Parte 2, com revisão científica de Mendo Castro Henriques, Porto Editora, p. 236 )

 

Não é verdade que Paul Feyerabend defendesse a incomensurabilidade das teorias tal como Thomas Khun. No seu livro «Diálogo sobre o método», Feyerabend afirma, ao contrário de Kuhn e de Popper, o carácter científico da astrologia (não da astrologia comercial, degradada). Por isso, entre o paradigma astrológico, determinista, e o paradigma anti-astrológico, indeterminista, ele optou a favor do primeiro, porque é mensurável e não incomensurável. Escreveu, para demonstrar o princípio de que os astros (em cima) influenciam decisivamente os fenómenos terrestres (em baixo):

 

«Tomemos a ideia de que os cometas anunciam guerras .(..) Acreditava-se que os cometas eram fenómenos atmosféricos, uma espécie de incêndio nas camadas superiores da atmosfera. (...) Ademais a excessiva quantidade de fogo e os movimentos da atmosfera alterariam a normal composição de esta e afectariam o metabolismo de homens e animais. (...) As pragas propagar-se-iam mais facilmente, o sobreaquecimento do ar originaria também um sobreaquecimento dos cérebros que, por sua vez, provocaria um aumento de decisões irresponsáveis entre os homens poderosos, o que significaria em uma palavra, a guerra. É possível que a aparição de quatro ou cinco cometas se tenha visto acompanhada dos fenómenos descritos anteriormente. De facto, Kepler, que acumulou uma grande quantidade de material importante, advertiu sobre estas relações e utilizou-as quando tratou de edificar uma astrologia empírica.» (Paul Feyerabend, Diálogo sobre el método, Ediciones Cátedra, Madrid, pág. 90).

 

De igual modo, entre as medicinas alternativas e naturais (acupunctura, naturopatia, ervanária, etc) e a medicina ultramoderna das biópsias, raios X, medicação quínica, Feyerabend pronunciou-se a favor da superioridade das primeiras e da perigosidade das segundas e do tratamento em hospitais. Criticando o erro ( a ) da medicina universitária actual encontrar uma causa local específica para cada tipo de doença e recusar a ideia de Hipócrates de que a causa de todas as doenças é geral e uma só (a intoxicação dos humores, líquidos que banham os orgãos corporais), Feyerabend escreveu:

 

« Outro exemplo é a fé de que a investigação científica, não a experiência clínica, leva a descobrir os melhores tratamentos. Estreitamente relacionada com esta fé se encontra a ideia de que toda a doença tem uma causa próxima, que é altamente teórica e que se deve descobrir. Como se supõe que o diagnóstico revela a causa próxima, eis que se fazem radiografias, explorações cirúrgicas, biópsias e outras estupidezes do estilo.»

(Paul Feyerabend, Diálogo sobre el método, Ediciones Cátedra, Madrid, pág. 41).

 

Este conteúdo essencial do pensamento de Feyerabend , isto é, apologia da astrologia e da medicina natural, é ocultado neste manual, como em  todos os outros manuais de filosofia do ensino secundário, porque fere a ideologia dominante dos interesses dos grandes laboratórios e das classe médicas, académico-catedrática  e política que os representa. A universidade é, com a alta-roda da política, serva da indústria e do poder da finança. Não existe neutralidade nos currículos da universidade, em termos globais. Os manuais de filosofia em vez de serem contrapoderes teoréticos são vergonhosos agentes de doutrinação da ideologia dominante da democracia formal em que vivemos, democracia sequestrada.

 

A filosofia analítica contemporânea, juntamente com a fenomenologia, mais uma vez o dizemos, não é neutra: é a ideologia universitária da burguesia mundialista, está a monitorizar o ensino da filosofia, expurgando-o de astrologia, anarquismo, marxismo, esoterismo tradicional (Julius Évola, René Guenon, Jean Hanu, etc), sociologia holística (Ivan Ilich, etc), antroposofia, e de todo o pensamento metafísico livre ou não alinhado em geral. Vivemos, pois, sob um criptofascismo académico que proibe pensar em modo holístico livre e em certas áreas do conhecimento.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:10
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 6 de Abril de 2014
Sismos no Chile na Astrologia Histórica

 

O sismo de 2 de Abril de 2014 (TUC) no Chile resultou da convergência das radiações de vários graus do Zodíaco ou circunferência celeste de 12 signos de 30º de arco cada um: as áreas 11º-12º de Carneiro, 26º-28º  de Aquário e 16º-19º de Peixes e, eventualmente, outras ainda não detectadas. Fruto da minha investigaçao sistemática da história, exponho aqui algumas leis planetárias que são concausas de cada sismo forte no Chile.

 

ÁREA 11º- 12º DE CARNEIRO:
SISMO NO CHILE

 

 

A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua na área 11º-12º do signo de Carneiro é condição necessária mas não suficiente para produzir um sismo notável no Chile.

 

Em 26 de Janeiro de 1939, com Saturno em 12º 44´/ 12º 48´ de Carneiro, um sismo no sul do Chile, principalmente em Concepción e Chillon, mata 30 000 pessoas e devasta uma área de 50 000 quilómetros quadrados; em 16 de Março de 2011, com Mercúrio em 11º 10´/ 12º 46´ de Carneiro, um sismo de 5.6 de intensidade na escala de Richter sacode Valparaíso, Santiago e outras zonas do Chile; em 2 de Abril de 2014, com Úrano em 12º 27´/ 12º 30´ de Carneiro, um forte sismo de 8, 2 de magnitude abala as regiões de Iquique, Paricanota, Tarapacá, Antofagasta e Arica, no extremo norte do Chile, matando 6 pessoas e fazendo-se sentir no Perú e na Bolívia, pondo 900 000 pessoas a pernoitar nas ruas por insegurança.

 

Próximas datas em que um planeta ou o Sol estarão em 11º-12º de Carneiro, elevando a probabilidade de ocorrência de sismo no Chile: em 13 e 14 de Abril de 2014 (Mercúrio), de 12 a 14 de Maio de 2014 (Vènus), de 19 de Novembro de 2014 a 22 de Janeiro de 2015 (Úrano).

 

ÁREA 26º-28º DE AQUÁRIO:
SISMO NO CHILE

 

A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua na área 26º-28º do signo de Aquário é condição necessária mas não suficiente para materializar um sismo notável no Chile.

 

 

Em 2 de Janeiro de 2011,com Neptuno em 26º 44´/ 26º 48´ de Aquário,um terramoto, com uma magnitude de 7,1 na escala de Richter ocorre uns 70 quilómetros da comunidade costeira de Tirua, na região de Araucaria, e a quase 600 da capital do país, Santiago do Chile, provocando fugas de milhares de pessoas; em 12 de Fevereiro de 2011, com Neptuno em 28º 11´/ 28º 13´ de Aquário, um forte sismo 6.8 na escala de Richter e epicentro no mar, a norte de Concepcion, abala o Chile e gera uma onda de pânico; em 2 de Abril de 2014, com Vénus em 25º 56´/ 26º 59´ de Aquário, um forte sismo de 8, 2 de magnitude abala as regiões de Iquique, Paricanota, Tarapacá, Antofagasta e Arica, no extremo norte do Chile, matando 6 pessoas e fazendo-se sentir no Perú e na Bolívia, pondo 900 000 pessoas a pernoitar na rua por insegurança.

 

Próximas datas em que um planeta ou o Sol percorrerrá a área 26º-28º  de Aquário: 7-11 de Janeiro de 2015 (Marte); 24-26 de Janeiro de 2015 (Vénus); 15-18 de Fevereiro de 2015 (Sol); 10-12 de Março de 2015 (Mercúrio).

 

16º-20º  DE PEIXES
SISMO NO CHILE

 

A passagem do Sol ou de um planeta ou Nodo da Lua na área 16º-20º do signo de Peixes é condição necessária mas não suficiente para gerar um sismo notável no Chile.

 

Em 28 de Março de 1965, com Quiron em 19º 28´/ 19º 31´ de Peixes, um sismo no Chile mata mais de 400 pessoas; em 27 de Fevereiro de 2010, com Vénus em 19º 23´ / 20º 37´ de Peixes, um sismo de magnitude 8,8 Richter seguido de maremoto, sacode a costa de Maule, no Chile, provocando incêndios e destruições em Concepción e 802 mortos confirmados e centenas de desaparecidos, sentindo-se ainda em Buenos Aires, Córdoba e outros lugares da Argentina e em Iça, Peru; em 6 de Março de 2011, com Sol em 15º 3´/ 16º 3´ de Peixes, um sismo sacode a província de Tarapaca, norte do Chile, ocorrendo o epicentro do sismo no Peru a 93 quilómetros da cidade de Tacna; em 16 de Março de 2011, com Marte em 16º 32´/ 17º 19´ de Peixes, um sismo de 5.6 de intensidade na escala de Richter sacode Valparaíso, Santiago e outras zonas do Chile; em 2 de Abril de 2014, com Mercúrio em 20º 43` /22º 18´ de Peixes, um forte sismo de 8, 2 de magnitude abala as regiões de Iquique, Paricanota, Tarapacá, Antofagasta e Arica, no extremo norte do Chile, matando 6 pessoas e fazendo-se sentir no Perú e na Bolívia, pondo 900 000 pessoas a pernoitar nas ruas por insegurança.

 

Próximas datas em que haverá um planeta ou o planetóide Quiron em 16º-20º de Peixes, elevando a probabilidade de sismo no Chile: 20 a 25 de Abril de 2014 (Vènus); de 7 de Abril a 26 de Agosto de 2014 (Quiron); de 1 a 8 de Fevereiro de 2014 (Marte); de 15 de Fevereiro a 19 de Maio de 2015 (Quiron).

 

Este tipo de estudo é de enorme importância para a humanidade. Surpreendente é o facto de as editoras portuguesas, brasileiras e de outras nacionalidades não solicitarem ao autor deste blog os seus manuscritos de astrologia histórica com vista a publicá-los.

 

NOTA- Pode adquirir as nossas obras de astrologia histórica em  www.astrologyandaccidents.com.  Este blog, criador de muitas ideias e conexões filosóficas e astrológico-históricas, úteis à comunidade filosófica, custa muito trabalho de elaboração intelectual. Para ajudar a mantê-lo faça um donativo na conta com o NIB  0019 0072 00200007919 49.

 

Afinal esta teoria é tão ou mais importante quanto a teoria da relatividade de Einstein e, paradoxalmente, não tem, dentro da universidade, filósofos ou catedráticos à altura que a saibam julgar com conhecimento de causa e validar, nem goza de apoios institucionais por desafiar o senso comum «científico».

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:13
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 31 de Março de 2014
Teste de filosofia do 11º B (Março de 2014)

 

Eis um teste de filosofia, o segundo do segundo período lectivo, para o 11º B. O teste centra-se na epistemologia e demonstra, em certa medida, que é possível relacionar autonomamente a filosofia com as diversas ciências - com a astrofísica (teoria da relatividade), com a química (princípio da incerteza de Heisenberg), com a medicina (anarquismo epistemológico de Feyerabend) - superando os néscios que dizem que «a filosofia não pode intervir na área das ciências» como se estas fossem textos sagrados, intocáveis. Evitaram-se as escorregadias questões de escolha múltipla que, em muitos casos, não permitem ao aluno exibir e desenvolver o seu saber filosófico.

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia , Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 11º ANO TURMA B
28 de Março de 2014. Professor: Francisco Queiroz

 


I

 

“O princípio da incerteza de Heisenberg não implica necessariamente fenomenologia ou idealismo solipsista cartesiano. Imre Lakatos equacionou as perspectivas internalista e externalista na validação das ciências e dividiu em três níveis cada Programa de Investigação Científica.“

1-A) Explique, concretamente, cada uma destas frases                                                       

 

II

 

 

2) Relacione, justificando:
2-A) Realismo crítico e teorias da relatividade geral e da relatividade especial de Einstein.

 

2-B) Fenómeno, númeno, juízos analíticos e juízos sintéticos na doutrina de Kant.

 

2-C) Princípios da falsificabilidade e da testabilidade em Karl Popper e ciência normal/ciência extraordinária e incomensurabilidade dos paradigmas em Thomas Kuhn.

 

2-D) Anarquismo epistemológico em Paul Feyerabend e indução amplificante

 

 

 

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE DE FILOSOFIA (COTADO PARA 20 VALORES)

 

1) O princípio da incerteza de Heisenberg estabelece ser impossível conhecer em simultâneo a velocidade e a posição de um electrão ou partícula do mesmo género microfísico: ou se conhece a velocidade ou se conhece a posição, o que sugere a nuvem electrónica, uma «fotografia» de um turbilhão. Isto não implica fenomenologia, corrente céptica da interdependência sujeito-mundo exterior (exemplo: o electrão, embora fora do meu corpo,  é correlato a mim, existe enquanto eu existir e não sei se subsiste sem eu existir) nem implica o idealismo solipsista de Descartes segundo o qual só a minha mente existe e todo o mundo material, electrões incluídos, é ilusão, sensação dentro da minha mente englobante do cosmos. O princípio da incerteza é compatível com o realismo ontológico, que sustenta que os electrões e a matéria em geral podem subsistir sem haver seres humanos (VALE TRÊS VALORES). Imre Lakatos, epistemólogo, defendeu que a ciência se estrutura em Programas de Investigação Científica (PIC). Cada um destes tem três níveis: o núcleo duro, conjunto das teses imutáveis; o cinto protector, conjunto das teses revisíveis, que podem ser rectificadas ou substituídas; a heurística, conjunto dos métodos de investigação livre, teórica e prática, que pode confirmar ou anular o PIC. O internalismo, posição sustentada por Lakatos, é a doutrina segundo uma teoria já é ciência mesmo que confinada a um só cientista, o seu autor, desde que apresente coerência interna e a experimentação a confirme, ao passo que o externalismo diz que uma teoria só é ciência se obtiver o assentimento externo do resto da comunidade científica, do governo e ministério da ciência, das revistas da especialidade, dos fóruns televisivos, do grande público (VALE TRÊS VALORES).

 

 

2) A) A teoria da relatividade geral de Einstein diz que espaço e tempo são uma só realidade, o espaço-tempo, que o universo é esférico, fechado, ainda que um raio de luz possa girar em círculo infinitamente dentro dele dado que a luz encurva na proximidade de grandes massas. Não há, portanto, rectas e planos infinitos como na geometria euclidiana mas o espaço é ondulado, «torcido», e essa visão é realismo crítico já que esta doutrina afirma que há um mundo real de matéria mas os olhos humanos e o senso comum não o captam tal como ele é. A teoria da relatividade especial sustenta, entre outras coisas, que um corpo que atinja a velocidade da luz (300 000 quilómetros por segundo) viaja para o passado, o que é realismo crítico, contrário ao realismo natural que afirma que é impossível viajar ao passado. (VALE TRÊS VALORES).

 

2) B) Fenómeno, em Kant, é "o objecto indeterminado de uma intuição empírica", isto é, um objecto material irreal como uma mesa, árvore, flor, corpo humano, etc, gerado na sensibilidade do sujeito, em particular no sentido externo desta, o espaço, graças às formas a priori, espaço e tempo. O fenómeno é uma aparência muito consistente (realismo empírico). Por detrás do fenómeno, numa outra dimensão, sem espaço nem tempo, está o númeno ou objecto real incognoscível (exemplo: Deus, liberdade, alma imortal).   O fenómeno é a máscara do númeno. O juízo analítico, segundo Kant, é aquele em que o predicado não acrescenta nada de novo ao sujeito (exemplo: «A esfera é redonda») e o juízo sintético é aquele em que o predicado acrescenta algo novo ao sujeito (exemplo: «A esfera é azul»).(VALE TRÊS VALORES).

 

2) C) O princípio da falsificabilidade de Popper estabelece que as ciências são conjuntos de conjecturas, isto é, as suas leis ou teses são potencialmente falsas, falsificáveis, refutáveis. Isso exige aplicar permanentemente o princípio da testabilidade: há que submeter a constantes testes experimentais as teses de uma ciência. Entre as várias teorias na mesma área científica ( exemplo: vacinar ou não vacinar na medicina preventiva; heliocentrismo versus geocentrismo na astrofísica) Popper defende que se deve escolher a mais verosímil, a que dá mais garantias, sublinhando que a ciência é uma aproximação incessante à verdade sem nunca abarcar o todo desta.

Thomas Kuhn discorda da hierarquização das ciências segundo o seu grau de verdade e diz que os paradigmas (modelos teóricos ou teórico-práticos que vertebram as ciências e os mitos) são incomensuráveis, não podem comparar-se entre si. Neste ponto opõe-se a Popper embora ambos coincidam na desvalorização do método hipotético-dedutivo. Kuhn sustenta o descontinuísmo na história das ciências: há longos períodos de lenta evolução ou estagnação do paradigma de uma ciência, chamado ciência normal, durante décadas ou séculos, subitamente as anomalias acumulam-se e originam um paradigma contrário, dito ciência extraordinária, que acabará por destronar a ciência normal e substitui-la mediante uma revolução epistemológica (VALE QUATRO VALORES).

 

2) D)- Anarquismo epistemológico de Feyerabend é a filosofia que nega autoridade às ciências institucionais dominantes - a medicina química ou alopática com as transfusões de sangue, vacinas, exames radiológicos, biópsias e outras «estupidezes»; a física quântica; a psiquiatria com recurso a drogas, etc - e pretende derrubá-las e abrir campo a uma larga democracia de base, tal como a autogestão dos anarquistas, elevando ao mesmo estatuto que as ciências universitárias a medicina natural, a medicina hopi, a ervanária, a acupunctura, a astrologia, os rituais religiosos eficazes na cura, a dança da chuva, etc. Feyeraband considera o homo sapiens das tribos e civilizações primitivas, que sabe usar o ciclo da lua e a energia cósmica, mais inteligente do que o cientista racionalista fragmentário do século XX e XXI que não crê no determinismo planetário nem no mundo dos espíritos supraterrenos.

A indução amplificante é a generalização de alguns exemplos empíricos similares de modo a formar uma lei necessária, infalível. Exemplo: « duzentas pessoas cancerosas ingeriram dia a dia, durante sete semanas, "chás" de Erva de São Roberto e em todos os casos se verificou redução dos tumores ou mesmo a desaparição destes, logo induzimos, de modo amplificante, que a Erva de São Roberto destrói as células malignas do cancro». Feyerabend, ao contrário de Popper, parece ter aceite a indução amplificante que se aplica a tudo: à acupunctura, à ervanária, à astrologia, à dança da chuva,às bençãos religiosas. Desde que estes métodos dêem frutos bons em centenas, milhares ou dezenas de milhares de casos induz-se a universalidade das suas teses, sob certas condições: por exemplo, a dança da chuva só resulta no seu contexto de povos indígenas da América Latina ou dos índios norte-americanos, vestidos a preceito, executando os seus rituais segundo a tradição, não resulta feita, como uma paródia,  por europeus que não acreditem nesses deuses e pratiquem o rito sem o espírito, a forma sem o conteúdo. (VALE QUATRO VALORES)..

 

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:39
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 24 de Março de 2014
Teste de Filosofia do 11º C (segundo período lectivo, Março de 2014)

 

Eis um teste de filosofia, o segundo do segundo período lectivo, para o 11º C. O teste centra-se na epistemologia e demonstra, em certa medida, que é possível relacionar autonomamente a filosofia com as diversas ciências - com a astrofísica (teoria da relatividade), com a química (relógio químico de Prigogine), com a medicina (anarquismo epistemológico de Feyerabend) - superando os néscios que dizem que «a filosofia não pode intervir na área das ciências» como se estas fossem textos sagrados. Evitaram-se as escorregadias questões de escolha múltipla que, em muitos casos, não permitem ao aluno exibir e desenvolver o seu saber filosófico.

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia com 3º Ciclo, Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 11º ANO TURMA C
21 de Março de 2014. Professor: Francisco Queiroz

 

 

 
“O relógio químico (modelo de Bruxelas) exprime pelo menos duas leis da dialéctica. Em Kant, o entendimento é condicionado e faz a síntese do diverso da intuição empírica. Imre Lakatos equacionou as perspectivas internalista e externalista na validação das ciências e dividiu em três níveis cada Programa de Investigação Científica.“

 

1) Explique, concretamente, cada uma destas frases                                                       

 

II

 

2) Relacione, justificando:
2-A) Realismo crítico e teorias da relatividade geral e da relatividade especial de Einstein.
2-B) Yang/ Yin e quatro forças fundamentais da natureza.
2-C) Princípios da falsificabilidade e da testabilidade em Karl Popper e ciência normal/ciência extraordinária e incomensurabilidade dos paradigmas em Thomas Kuhn.
2-D) Anarquismo epistemológico em Paul Feyerabend e dúvida hiperbólica em Descartes

 

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE DE FILOSOFIA (COTADO PARA 20 VALORES)

 

1) O relógio químico também chamado bruselator ou modelo de Bruxelas, testado por uma equipa dirigida por Ilya Prigogine, é um modelo de comportamento das moléculas de um gás: supondo que há dois tipos de moléculas, umas azuis e outras vermelhas, movendo-se ao acaso, num caos, isso não conduz a uma distribuição irregular das moléculas, mas a uma alternância bem ordenada, o sistema ora é todo azul ora é todo vermelho. Isto revela a lei dialética dos dois aspectos da contradição: numa contradição há dois aspectos, sendo em regra um o dominante e o outro o dominado, podendo a situação inverter-se. Revela ainda a lei do uno: todas as moléculas, por diferentes que sejam entre si, comunicam entre si e mudam de cor ao mesmo tempo, formando um Uno, um Todo (VALE TRÊS VALORES). Para Kant, o entendimento é condicionado pela sensibilidade porque recebe dela os conteúdos materiais (as imagens de árvore, rio, voo de pássaro, incêndio, etc). O entendimento sintetiza através das categorias de totalidade, unidade, pluralidade e outras os diversos dados empíricos da sensibilidade, unificando estes sob a forma de conceitos empíricos. Exemplo: depois de receber dezenas ou centenas de imagens de galos (fenómenos), o entendimento abstrai dos pormenores destes e redu-los à unidade, formando o conceito empírico de galo.(VALE TRÊS VALORES). Imre Lakatos, epistemólogo, defendeu que a ciência se estrutura em Programas de Investigação Científica (PIC). Cada um destes tem três níveis: o núcleo duro, conjunto das teses imutáveis; o cinto protector, conjunto das teses revisíveis, que podem ser rectificadas ou substituídas; a heurística, conjunto dos métodos de investigação livre, teórica e prática, que pode confirmar ou anular o PIC. O internalismo, posição sustentada por Lakatos, é a doutrina segundo uma teoria já é ciência mesmo que confinada a um só cientista, o seu autor, desde que apresente coerência interna e a experimentação a confirme, ao passo que o externalismo diz que uma teoria só é ciência se obtiver o assentimento externo do resto da comunidade científica, do governo e ministério da ciência, das revistas da especialidade, dos fóruns televisivos, do grande público (VALE TRÊS VALORES).

 

 

 

2) A) A teoria da relatividade geral de Einstein diz que espaço e tempo são uma só realidade, o espaço-tempo, que o universo é esférico, fechado, ainda que um raio de luz possa girar em círculo infinitamente dentro dele dado que a luz encurva na proximidade de grandes massas. Não há, portanto, rectas e planos infinitos como na geometria euclidiana mas o espaço é ondulado, «torcido», e essa visão é realismo crítico já que esta doutrina afirma que há um mundo real de matéria mas os olhos humanos e o senso comum não o captam tal como ele é.  A teoria da relatividade especial sustenta, entre outras coisas, que um corpo que atinja a velocidade da luz (300 000 quilómetros por segundo) viaja para o passado, o que é realismo crítico, contrário ao realismo natural que afirma que é impossível viajar ao passado. (VALE TRÊS VALORES).

 

2) B) Yang significa dilatação, movimento, crescimento, som, fogo, verão, na filosofia do taoísmo. Yin significa contracção, repouso, diminuição, água, inverno. Das quatro forças fundamentais, duas são Yang porque expandem, são centrífugas: o electromagnetismo ( luz, microondas, raio X) e a força nuclear fraca que desagrega o núcleo do átomo e produz radioactividade. As outras duas forças fundamentais sáo Yin porque contraem, contrariam a expansão do universo: a gravidade  e a força nuclear forte que mantém unidos os protões no núcleo do átomo (VALE DOIS VALORES).

 

2) C) O princípio da falsificabilidade de Popper estabelece que as ciências são conjuntos de conjecturas, isto é, as suas leis ou teses são potencialmente falsas, falsificáveis. Isso exige aplicar permanentemente o princípio da testabilidade: há que submeter a constantes testes experimentais as teses de uma ciência. Entre as várias teorias na mesma área científica ( exemplo: vacinar ou não vacinar na medicina preventiva; heliocentrismo versus geocentrismo na astrofísica) Popper defende que se deve escolher a mais verosímil, a que dá mais garantias, sublinhando que a ciência é uma aproximação incessante à verdade sem nunca abarcar o todo desta.

Thomas Kuhn discorda da hierarquização das ciências segundo o seu grau de verdade e diz que os paradigmas (modelos teóricos ou teórico-práticos que vertebram as ciências e os mitos) são incomensuráveis, não podem comparar-se entre si. Sustenta o descontinuísmo na história das ciências: há longos períodos de lenta evolução ou estagnação do paradigma de uma ciência, chamado ciência normal, durante décadas ou séculos, subitamente as anomalias acumulam-se e originam um paradigma contrário, dito ciência extraordinária, que acabará por destronar a ciência normal e substitui-la mediante uma revolução epistemológica (VALE TRÊS VALORES).

 

2) D)- Anarquismo epistemológico de Feyerabend é a filosofia que nega autoridade às ciências institucionais dominantes - a medicina química ou alopática com as transfusões de sangue, vacinas, exames radiológicos, biópsias e outras «estupidezes»; a física quântica; a psiquiatria com recurso a drogas, etc  - e pretende derrubá-las e abrir campo a uma larga democracia de base, tal como a autogestão dos anarquistas, elevando ao mesmo estatuto que as ciências universitárias a medicina natural, a medicina hopi, a  ervanária, a acupunctura, a astrologia, os rituais religiosos eficazes na cura, a dança da chuva, etc.

A dúvida hiperbólica de Descartes formula-se assim: «Se quando durmo me parecem verdadeiros os sonhos que tenho, quem me garante que acordado não continuo a sonhar? Assim, duvido de tudo o que vejo e ouço, da existência do mundo exterior, dos deuses, das ciências e da existência do meu próprio corpo e espírito. Nenhuma certeza tenho.»

Feyerabend duvida da verdade das ciências oficiais, que considera uma emanação dos interesses materiais e do desejo de prestígio dos industriais e comerciantes, dos médicos, dos jornalistas, dos filósofos e cientistas e nesse ponto tem algo em comum com a dúvida de Descartes (VALE TRÊS VALORES).

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:14
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Astrologia e desastres de...

Área 5º-9º do signo de S...

Nietzsche e a Astrologia

Inglaterra e Hungria, ent...

Breves reflexões de Outub...

Teste de filosofia do 10º...

Equívocos no manual «Ousa...

Sismos no Chile na Astrol...

Teste de filosofia do 11º...

Teste de Filosofia do 11º...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds