Quarta-feira, 30 de Março de 2016
Astrología Histórica y terremotos en Chile

 

 Los seísmos y otros accidentes notables en Chile  son producidos por esa causa lejana que es el paso de un o varios planetas o Nodo de la Luna en determinados grados del Zodíaco. Todo está escrito en la rueda del cielo, que es no solo astronómica sino también ontológica, es decir, formadora del ser y del ente terrestre (caídas de avión, revoluciones, choques de trenes, atentados, etc.). Este artículo es de Astrología Histórico-Social, disciplina muy rara que los astrólogos en general no conocen ni desarollan porque no investigan cada hecho historico bajo la luz de la posición de los planetas y el Sol en su respectivo día. Al parecer los astrónomos del desierto de Atacama, en Chile, aún no han alcanzado esta ciencia porque no basta con poseer potentes telescopios para observar las galaxias y las estrellas, es necesaria la racionalidad holística.

 

AREA 19º-22º DEL SIGNO DE ARIES:

 

El paso del Sol, de un planeta o de Quirón por el área 19º-22º del signo de Aries es condición necesaria aunque no suficiente como para engendrar un seísmo fuerte en Chile.

 

El 3 de marzo de 1985, con Venus en 20º 7´/ 29´Aries, un seísmo en Chile engendra 180 muertos; el 17 de marzo de 1985, con Venus en 22º 5´/ 21º 56´Aries, un seísmo de magnitud 6,6 en la escala de Richter sacude a Chile; el 9 de abril de 1985, con Sol en 19º 20´/ 20º 4´Aries, un terremoto en Chile mata a dos personas.

 

Las próximas fechas en las que el Sol o un planeta o Quiron o Nodo de la Luna  pasará en el area 19º-22º del signo de Aries, aumentando la probabilidad de seísmo en México, serán: 31 de marzo y 1-2 de abril de 2016 (Mercurio); del 8 al 12 de abril de 2016 (Sol); del 31 de marzo al 27 de mayo de 2016 (Úrano).

 

ÁREA  2º-6º DEL SIGNO DE CANCER:

 

:El paso del Sol, de un planeta o de Quirón por el área 2º-8º del signo de Cancer  es condición necesaria aunque no suficiente como para causar  un seísmo fuerte en Chile.

 

El 17 de agosto de 1906, con Júpiter en 3º 20´/ 30´Cancer, un terremoto en Valparaíso, Chile, origina 2.500 muertos; el 1 de diciembre de 1928, con Marte en 6º 44´/ 29´Cancer, un terremoto de magnitud 8 en la escala de Richter conmueve a Chile; el 24 de julio de 2001, con Júpiter en 2º 24´/ 37´ Cáncer, un seísmo al norte de Chile, en la zona de Jaina, mata a una persona. 

 

Las próximas fechas en las que el Sol o un planeta o Quiron o Nodo de la Luna  pasará en el area 2º-6º del signo de Cancer , aumentando la probabilidad de seísmo en Chile, serán: del 19 al 23 de Junio de 2016 (Venus); del 23 al 28 de junio de 2016 (Sol): del 30 de junio al 3 de julio de 2016(Mercurio).

 

AREA 27º-28º DEL SIGNO DE ESCORPIO

 

El paso del Sol, de un planeta o de Quirón por el área 27º-28º del signo de Escorpio  es condición necesaria aunque no suficiente como para causar  un seísmo fuerte en Chile.

 

El 25 de enero de 1939, con Marte en 27º 18´/27º 55´ de Escorpio, un fuerte seísmo sacude Concepcion, en Chile, causando 25.000 muertos; el 3 de marzo de 1985, con  Saturno en 28º 6´/ 28º 7´de Escorpio, un seísmo en Chile engendra 180 muertos; el 17 de marzo de 1985, con  Saturno en 28º 3´/ 28º 2´ de Escorpio,  un seísmo de magnitud 6,6 en la escala de Richter sacude a Chile.

 

Las próximas fechas en las que el Sol o un planeta o Quiron o Nodo de la Luna  pasará en el area 27º-28º del signo de Escorpio, aumentando la probabilidad de seísmo en Chile, serán: del 30 de mayo al 4 de junio de 2016 (Marte); del 24 al 31 de julio de 2016 (Marte); del 15 al 17 de octubre de 2016 (Vénus); los 10 y 11 de noviembre de 2016 (Mercurio); del 18 al 20 de noviembre de 2016 (Sol).

 

AREA 17º-19º DEL SIGNO DE CAPRICORNIO:

 

El paso del Sol, de un planeta o de Quirón por el área 17º-19º del signo de Capricornio  es condición necesaria aunque no suficiente como para causar  un seísmo fuerte en Chile.

 

El 1 de diciembre de 1928, con Venus en 16º 41´/ 17º 54´Capricornio, un terremoto de magnitud 8 en la escala de Richter conmueve a Chile; el 25 de enero de 1939, con Mercurio en 18º 1´/ 19º 31´Capricornio, un fuerte seísmo sacude Concepcion, en Chile, causando 25.000 muertos; el 22 de mayo de 1960, con Saturno en 17º 58´/ 55´Capricornio, un seísmo acompañado de tsunami en Lebu, Chile, hace 2.300 muertos; el 9 de febrero de 2016, con Venus en 19º 54´/ 21º 8´ de Capricornio, un terremoto de magnitud 6,4 grados se registra  en el centro do Chile, al suroeste de la localidad de Tongoy, sin causar victimas.

 

Las próximas fechas en las que el Sol o un planeta o Quiron o Nodo de la Luna  pasará en el area 17º-19º  del signo de Capricornio, aumentando la probabilidad de seísmo en Chile, serán: del 1 de abril al 3 de junio de 2016 (Plutón); del 22 al 26 de octubre de 2016 (Marte); del 26 al 29 de noviembre de 2016 (Vénus); del 2 de enero al 4 de septiembre de 2017 (Plutón).

 

PUNTO 0º 17´/ 0º 35´DE CUALQUIER SIGNO

 

El paso del Sol, de un planeta, nodo de la Luna o de Quirón por el punto 0º 17´ /0º 35´ de cualquier signo del Zodíaco es condición necesaria aunque no suficiente como para causar  un seísmo fuerte en Chile.

 

El 1 de diciembre de 1928, con Nodo Norte de la Luna en 0º 28´/ 0º 27´ Geminis, Nodo Norte de la Luna en 0º 28´/ 27´ Sagitario, un terremoto de magnitud 8 en la escala de Richter conmueve a Chile; el 25 de enero de 1939, con Pluto en 0º 18´/ 0º 16´ de Leo, un fuerte seísmo sacude Concepcion, en Chile, causando 25.000 muertos; el 30 de julio de 1995, con Venus en 0º 20´/ 1º 34´Leo, Nodo Norte de la Luna en 0º 12´/ 3´Escorpio, un terremoto en Chile mata a 3 personas; el 9 de septiembre de 1996, con Marte en 29º 29´Cáncer/ 0º 6´Leo, Plutón en 0º 35´/ 0º 36´ Sagitario, un terremoto de magnitud 6,1 hace estremecer Chile.

 

Algunas de las próximas fechas en las que el Sol o un planeta o Quiron o Nodo de la Luna  pasará en el punto 0º 17´/ 0º 35´ de cualquier signo del Zodíaco, aumentando la probabilidad de seísmo en Chile, serán:  el 6 de abril de 2016 (Mercurio); el 18 de junio 2016 (Venus); los 3 y 4 de agosto 2016 (Marte); 11 y 12 septiembre 2016 (Júpiter).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:32
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 29 de Março de 2016
Astrologia Histórica e atentados em Lisboa

 

 Os atentados em Lisboa ocorrem predestinados pela passagem de um planeta, do Sol ou de um Nodo da Lua em determinados graus do Zodíaco. Desvendamos algumas dessas leis de predestinação, através do estudo astronómico das datas.

 

ÁREA 12º-º 14º DO SIGNO DE TOURO:

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 12º-14º do signo de Touro  é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em Lisboa.

 

Em 4 de Julho de 1937,  com Úrano em 12º 49´/ 52´ de Touro,  uma bomba colocada num colector por anarquistas explode na Rua Barbosa du Bocage, em Lisboa, junto ao automóvel donde sai para assistir à missa numa capela o primeiro-ministro ditatorial Oliveira Salazar que, por grande fortuna, apenas cai para trás e escapa ileso; em 2 de Abril de 1976, com  Nodo Sul da Lua em 12º 40´ de Touro, o padre Maximino de Sousa, candidato da UDP, e a sua acompanhante Maria de Lurdes são assassinados por uma bomba do MDLP colocada na viatura em que se deslocam em Cumieira, Vila Real; em 5 de Maio de 1980, com Sol em 14º 38´/ 15º 36´ de Touro, as FP-25 de Abril abatem o soldado da GNR Henrique Hipólito, em Meirinhos, Mogadouro; em 4 de Dezembro de 1980, com Quiron em 14º 35´/ 14º 32´ de Touro, Francisco Sà Carneiro, primeiro-ministro português, Adelino Amaro da Costa, ministro da Defesa e 5 outras pessoas morrem na queda sobre uma casa de Camarate do pequeno avião CESSNA em que acabavam de levantar voo do aeroporto da Portela de Sacavém devido à explosão de uma bomba colocada a bordo com o objectivo provável de liquidar Amaro da Costa que possuiria um dossier explosivo com nomes de militares ligados ao assassínio de Ferreira Torres em 1979 e ao caso Irangate, de tráfico de armas para o Irão em que os EUA utilizariam Portugal como ponte.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron, Sol ou Nodo da Lua passa na área 12º-14º  do signo de Touro aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou a tiro em Lisboa são: de 13 a 15 de Abril de 2016 (Mercúrio); de 1 a 5 de Maio de 2016 (Sol); de 9 a 12 de Maio de 2016 (Vénus); de 18 a 26 de Maio de 2016 (Mercúrio); de 24 a 31 de Março de 2017 (Marte).

 

GRAUS 12º-18º DO SIGNO DE CARANGUEJO:

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 12º-18º do signo de Caranguejo  é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em Lisboa.

 

Em 1 de Fevereiro de 1908, com Neptuno em 12º 46´/ 44´ de Caranguejo, Nodo Norte da Lua em 14º 9´/ 7´ de Caranguejo,  ao circular em carruagem aberta, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro Luís Filipe são assassinados a tiro por membros da Carbonária, dois dos quais Alfredo Costa e Manuel Buíça, são chacinados pela guarda na confusão gerada pelo tiroteio no Terreiro do Paço, em Lisboa; em 14 de Dezembro de 1918, com Júpiter em 13º 16´/ 13º 8´ de Caranguejo, José Júlio da Costa, republicano do PRP, natural do distrito de Beja, amigo do Grão-Mestre da Maçonaria Magalhães Lima, assassina, supostamente, com 3 tiros de pistola o presidente da República Portuguesa, o protofascista major Sidónio Pais, na estação do Rossio, em Lisboa; em 4 de Julho de 1937, com Sol em 11º 35´/ 12º 32´ de Caranguejo, uma bomba colocada num colector por anarquistas, entre eles Emídio Santaba, com a colaboração de taxistas coministas, explode na Rua Barbosa du Bocage, em Lisboa, junto ao automóvel donde sai para assistir à missa numa capela o primeiro-ministro ditatorial Oliveira Salazar que, por grande fortuna, apenas cai para trás e escapa ileso; em 4 de Julho de 1945, com Saturno em 14º 0´/ 14º 8´ de Caranguejo, Alfredo Dinis (Alex), dirigente operário do PCP, é assassinado a tiro pelo inspector Fernando Gouveia e pelo chefe de brigada da PVDE José Gonçalves, na estrada de Bucelas; em 7 de Junho de 1982, com Nôdo Norte da Lua em 13º 26´/ 24´ de Caranguejo, um comando arménio mata a tiro o adido militar da embaixada da Turquia em Lisboa e fere gravemente a esposa deste, em Linda-a-Velha; em 27 de Julho de 1983, com Marte em 18º 27´ / 19º 7´ de Caranguejo, um comando militar arménio assalta a embaixada da Turquia em Lisboa e no incêndio e tiroteio produzido morrem os 5 assaltantes, um polícia português e a esposa do embaixador turco. 

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron, Sol ou Nodo da Lua passa na área 12º-18º  do signo de Caranguejo aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou a tiro em Lisboa são: de 27 de Junho a 3 de Julho (Vénus);  de 3 a 10 de Julho de 2016 (Sol); de 5 a 8 de Julho de 2016 (Mercúrio).

 

ÁREA 3º-6º DO SIGNO DE BALANÇA

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 3º-6º do signo de Balança é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em Lisboa.

 

Em 19 e 20 de Outubro de 1921, com Júpiter em 4º 57´/ 5º 21´ de Balança, , eclode em Lisboa um golpe militar radical da GNR contra o governo conservador do primeiro-ministro António Granjo, este refugia-se em casa de Cunha Leal e, sendo ambos detidos pelos revoltosos, são conduzidos ao Arsenal da Marinha onde Granjo é abatido a tiro por exaltados em que prepondera o cabo Abel Olímpio e Cunha Leal gravemente ferido, já na madrugada de 20, a camioneta da morte, vai buscar a casa o almirante Machado Santos que é assassinado tal como o comandante Freitas da Silva;em 4 de Julho de 1945, com  Neptuno em 3º 45´/ 3º 46´ de Balança, Alfredo Dinis (Alex), dirigente operário do PCP, é assassinado a tiro pelo inspector Fernando Gouveia e pelo chefe de brigada da PVDE José Gonçalves, na estrada de Bucelas; em 4 de Dezembro de 1980, com Júpiter em 6º 28´/ 6º 36´ de Balança, a deflagração de uma bomba a bordo de um Cessna que acabara de levantar voo do aeroporto da Portela e cai sobre uma casa, em Camarate, mata as sete pessoas que nele viajam, entre as quais o primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, do PSD, o ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa, do CDS, e o chefe de gabinete António Patrício Gouveia.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron, Sol ou Nodo da Lua passa na área 3º-6º  do signo de Balança aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou a tiro em Lisboa são:  de 1 a 4 de Setembro de 2016 (Vénus); de 23 de Setembro a 11 de Outubro de 2016 (Júpiter); de 25 a 29 de Setembro de 2016 (Sol); de 9 a 11 de Outubro de 2016 (Mercúrio).

 

ÁREA 20º -22º DO SIGNO DE SAGITÁRIO

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 20º-22º do signo de Sagitário é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em Lisboa e mesmo longe da capital de Portugal tal como o assassínio do general Humberto Delgado, em 1965, na província de Badajoz, Espanha.

 

Em 14 de Dezembro de 1918, com Sol em 21º 11´/ 22º 12´ de Sagitário, José Júlio da Costa, republicano radical indignado com a repressão sidonista sobre os grevistas operários de 18-21 de Novembro desse ano, abate com três tiros de pistola o presidente semifascista da República Nova, Sidónio Pais, que se preparava para tomar o comboio rumo ao Porto, na estação do Rossio em Lisboa; em 13 de Fevereiro de 1965, com  Nodo Sul da Lua em 21º 0´/ 20º 56´ de Sagitário, atraídos a uma emboscada que supunham tratar-se de um encontro com antifascistas portugueses, o general Humberto Delgado, chefe da oposição republicana insurreicionista ao regime de Salazar, e a sua secretária Arajair de Campos, são assassinados a tiros e golpes de marreta num descampado de Villanueva del Fresno, Badajoz, Espanha, por uma brigada da PIDE integrada por Casimiro Monteiro e Rosa Casaco; em 4 de Dezembro de 1980, com  Neptuno em 22º 0´/22º 2´ de Sagitário,  a deflagração de uma bomba a bordo de um Cessna que acabara de levantar voo do aeroporto da Portela e cai sobre uma casa, em Camarate, mata as sete pessoas que nele viajam, entre as quais o primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, do PSD, o ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa, do CDS, e o chefe de gabinete António Patrício Gouveia;em 6 de Dezembro de 1982, com Vénus em 21º 24´/ 22º 39´ de Sagitário, Monteiro Pereira, administrador da Fábrica de Loiças de Sacavém, é abatido a tiro por um comando das «Forças Populares 25 de Abril» em Almada; em 15 de Fevereiro de 1986, com Úrano em 21º 39´/ 21º 42´ de Sagitário, Gaspar de Queiroz de Abreu Castelo Branco, director geral dos Serviços Prisionais, é assassinado à porta de casa com dois tiros na nuca,  após comprar um queijo numa mercearia, na rua Buenos Aires, bairro da Estrela, em Lisboa,por um comando das FP 25 de Abril, grupo terrorista de extrema esquerda.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron, Sol ou Nodo da Lua passa na área 20º-22º do signo de Sagitário  aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou a tiro em Lisboa são: de 11 a 16 de Setembro de 2016 (Marte); de 3 a 6 de Novembro de 2016 (Vénus); de 25 a 27 de Novembro de 2016 (Mercúrio); de 11 a 14 de Dezembro de 2016 (Sol); de 20 de Dezembro de 2016 a 15 de Janeiro de 2017 (Saturno).

 

PONTO 12º 40´/13º 3´ DE QUALQUER SIGNO

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua no ponto 12º 40´/12º 55´ de qualquer signo do Zodíaco é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em Lisboa ou noutra localidade de Portugal.

 

Em 1 de Fevereiro de 1908, com Neptuno em 12º 46´/ 12º 44´ de Caranguejo,ao circular em carruagem aberta, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro Luís Filipe são assassinados a tiro por membros da Carbonária, dois dos quais Alfredo Costa e Manuel Buíça, são chacinados pela guarda na confusão gerada pelo tiroteio no Terreiro do Paço, em Lisboa; em 14 de Dezembro de 1918, com Júpiter em 13º 16´/ 13º 8´ de Caranguejo, Nodo Norte da Lua em 13º 3´/ 4´ de Sagitário, José Júlio da Costa, republicano do PRP, natural de Garvão, distrito de Beja, amigo do Grão-Mestre da Maçonaria Magalhães Lima, assassina com 3 tiros de pistola o presidente da República Portuguesa, o protofascista major Sidónio Pais, na estação do Rossio, em Lisboa; em 4 de Julho de 1937, com Úrano em 12º 49´/ 12º 52´ de Touro, uma bomba colocada num colector por anarquistas explode na Rua Barbosa du Bocage, em Lisboa, junto ao automóvel donde sai para assistir à missa numa capela o primeiro-ministro ditatorial Oliveira Salazar que, por grande fortuna, apenas cai para trás e escapa ileso;em 2 de Abril de 1976, com Nodo Sul da Lua em 12º 40´ de Touro, Nodo Norte da Lua em 12º 40´ de Escorpião, o padre Maximino de Sousa, candidato da UDP, e a sua acompanhante Maria de Lurdes são assassinados por uma bomba do MDLP colocada na viatura em que se deslocam em Cumieira, Vila Real, no dia em que é aprovada a Constituição da República Portuguesa emergente da revolução dos cravos de 1974-75; em 4 de Dezembro de 1980, com  Nodo Norte da Lua em 13º 4´/ 12º 53´ de Leão, Júpiter em 6º 28´/ 36´ de Balança,  Francisco Sà Carneiro, primeiro-ministro português, Adelino Amaro da Costa, ministro da Defesa e 5 outras pessoas morrem na queda sobre uma casa de Camarate do pequeno avião CESSNA em que acabavam de levantar voo do aeroporto da Portela de Sacavém presumivelmente devido à explosão de uma bomba colocada a bordo com o objectivo provável de liquidar Amaro da Costa que possuiria um dossier explosivo com nomes de militares ligados ao assassínio de Ferreira Torres em 1979 e ao caso Irangate, de tráfico de armas para o Irão em que os EUA utilizariam Portugal como ponte.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron, Sol ou Nodo da Lua passa no ponto 12º 40´/13º 3´ de qualquer signo do Zodíaco são aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou a tiro em Lisboa são:  10 de Maio de 2016 (Vénus em 12º de Touro); de 3 a 9 de Junho de 2016 (Saturno em 13º 3´/12º 37´de Sagitário); de 1 de Agosto a 20 de Setembro de 2016 (Nodo Norte da Lua em 13º 5´/12º 39´ de Virgem); de 8 a 10 de Novembro de 2016 (Júpiter em 12º 36´/ 13º 11´ de Balança).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:18
link do post | comentar | favorito
|

Astrologia e mortes de portugueses de acidente em Marrocos

 

 Os acidentes vitimando portugueses enquanto viajam em Marrocos de automóvel, autocarro, carrinha ou camião moto, comboio ou avião estão predestinados pela passagem de um planeta, do Sol ou de um Nodo da Lua em determinados graus do Zodíaco. Desvendamos uma dessas leis de predestinação, através do estudo astronómico das datas.

 

GRAUS 15º-18º DO SIGNO DE VIRGEM:

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 15º-18º do signo de Virgem  é condição necessária mas insuficiente para desencadear um acidente em que morrem portugueses em Marrocos.

 

 Em 20 de Julho de 2009, com Saturno em 18º 10´/18º 15´ de Virgem, dois portugueses, um deles o piloto, e um luso-francês morrem após o piloto terá perder o controlo do aparelho a cerca de um quilómetro da pista do aeroclube de Tit Mellil, em Casablanca, Marrocos, e o avião se despenhar; em 8 de Setembro de 2010, com Sol em 15º 15´ /16º 15´ de Virgem, cerca das 6:30 portuguesas (7:30 locais) nove portugueses morrem, oito dos quais são mulheres, e 39 ficam feridos, 14 dos quais graves, quando o autocarro de turismo onde seguem caiu numa ravina, em Ceuta, em território marroquino; em 5 de Junho de 2012, com Marte em 16º 23´/ 16º 49´de Virgem, dois motociclistas portugueses, irmãos, morrem de exaustão na região de Erfoud, no centro interior de Marrocos, quando os motociclistas estavam na sua quarta etapa, a primeira em areia. 

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Sol, Quíron ou Nodo da Lua passa na área 15º-18º do signo de Virgem, aumentando a probabilidade de morte de portugueses em acidente em Marrocos são: de 21 de Maio a 1 de Julho de 2016 (Nodo Norte da Lua de 18º a 15º de Virgem); de 14 de Jubho a 14 de Julho de 2016 (Júpiter); 17 a 21 de Agosto de 2016 (Vénus em 15º-18º de Virgem); de 7 a 11 de Setembro de 2016 (Sol); de 14 a 20 e de 23 a 29 de Setembro de 2016 (Mercúrio).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:22
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 22 de Março de 2016
Pontos 13º 4´/ 13º 20´e 16º 18´/ 16º 25´ de qualquer signo e grau 13 de Peixes: atentados e tragédias em Bruxelas

 

 Os atentados à bomba e outras tragédias mortíferas em Bruxelas e na Bélgica estão predestinados. São os planetas, colocados em certos graus da circunferência zodiacal ( os 360º da esfera celeste divididos ) que dão o tiro de partida, que dão a ordem aos terroristas para fazer explodir ou se fazerem explodir e matar dezenas de pessoas e que impelem multidões a uma violência incontrolada. Desvendamos três dessas leis de predestinação, através do estudo astronómico das datas.

 

PONTO 13º 3´/ 13º 22´ DE QUALQUER SIGNO DO ZODÍACO:

TRAGÉDIAS NA BÉLGICA

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron no ponto 13º 3´/ 13º 22´ de qualquer signo do Zodíaco é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado à bomba de grande repercussão ou outro tipo de tragédia colectiva em Bruxelas.

 

Em 27 de Março de 2001, com Mercúrio em 13º 20´/ 14º 50´ de Peixes, uma colisão frontal de dois comboios em Pecrot, a 20 quilómetros de Bruxelas, na Bélgica, causa a morte de 8 pessoas e ferimentos em outras 9; em 24 Maio de 2014, com Plutão em 13º 13´/ 13º 12´ de Carneiro, o franco-argelino Mehdi Nemmouche, de 29 anos assassina a tiro quatro pessoas, incluindo um casal de turistas israelenses, dentro no Museu Judeu de Bruxelas, na Bélgica; em 22 de Março de 2016, com  Vénus em 11º 50´/ 13º 4´ de Peixes, três explosões terroristas em Bruxelas matam 34 pessoas e ferem outras 140, sendo 20 as mortes na estação de metro de Maalbeek e 14 mortes no Aeroporto.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron ou Nodo da Lua passa no ponto 13º 3`/ 13º 22º de qualquer signo, aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou massacre por outros meios na Bélgica, em particular em Bruxelas, são: de 21 de Julho a 1 de Agosto de 2016 (Nodo Sul da Lua em 13º 24´ /13º 0´ de Peixes); em 10 e 11 de Novembro de 2016 (Júpiter em 12º 59´/ 13º 22´ de Balança).

 

PONTO 16º 18´/ 16º 25´ DE QUALQUER SIGNO:

ATENTADOS À BOMBA E MASSACRES EM BRUXELAS

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron no ponto 16º 18´/ 16º 25´ de qualquer signo do Zodíaco é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado à bomba de grande repercussão ou outro tipo de tragédia colectiva em Bruxelas.

 

Em  29 de Maio de 1985, com  Úrano em 16º 21´/ 16º 18´ de Sagitário adeptos ingleses agridem e esmagam adeptos italianos contra as paredes das tribunas do estádio de Heysel, em Bruxelas, no jogo de futebol Juventus de Turim-Liverpool, resultando 39 mortos e 600 feridos; em 22 de Março de 2016, com Saturno em 16º 24´ de Sagitário, de manhã, três explosões terroristas em Bruxelas matam 34 pessoas e ferem mais de 200 outras, sendo 20 as mortes na estação de metro de Maalbeek e 14 mortes no Aeroporto.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron ou Nodo da Lua passa no ponto 16º 18`/ 16º 25º de qualquer signo, aumentando a probabilidade de atentado à bomba ou massacre por outros meios na Bélgica, em particular em Bruxelas, são: de 23 de Março a 5 de Abril de 2016 (Saturno em 16º de Sagitário); em 17 e 18 de Junho de 2016 (Nodo Norte da Lua em 16º 31´/ 16º 9´ de Virgem); de 24 a 26 de Junho de 2016 (Júpiter em 16º 11´/ 16º 33´ de Virgem); em 18 e 19 de Novembro de 2016 (Saturno em 16º 14´/ 16º 28´ de Sagitário); em 27 e 28 de Novembro de 2016 (Júpiter em 16º 8´/ 16º 29´ de Balança). 

 

13º DO SIGNO DE PEIXES:

TRAGÉDIA NA BÉLGICA

 

A passagem de um planeta, de Quiron ou de um Nodo da Lua  em 13º de Peixes é condição necessária mas insuficiente para causar tragédias na Bélgica.

 

Em 27 de Março de 2001, com Mercúrio em 13º 20´/ 14º 50´ de Peixes, uma colisão frontal de dois comboios em Pecrot, a 20 quilómetros de Bruxelas, na Bélgica, causa a morte de 8 pessoas e ferimentos em outras 9; em 22 de Março de 2016, com  Vénus em 11º 50´/ 13º 4´ de Peixes, três explosões terroristas em Bruxelas matam 34 pessoas e ferem outras 140, sendo 20 as mortes na estação de metro de Maalbeek e 14 mortes no Aeroporto.  

 

O facto de isto ser uma teoria de probabilidades não impede que o destino já esteja escrito: a probabilidade é o modo imperfeito de conhecer, a predestinação determinista é o modo de ser das coisas.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:38
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 21 de Março de 2016
Ponto 17º 35´/ 17º 59´ de qualquer signo: atentados na Turquia

 

 Os atentados à bomba em Ancara, Istambul e outros locais da Turquia estão predestinados. São os planetas, colocados em certos graus da circunferência zodiacal ( os 360º da esfera celeste divididos em 12 partes iguais: de 0º a 30º signo de Carneiro; de 30º a 60º signo de Touro, etc.) que dão o tiro de partida, que dão a ordem inconsciente aos terroristas para fazer explodir ou se fazerem explodir e matar dezenas de pessoas. Desvendamos uma dessas leis de predestinação, através do estudo astronómico das datas.

 

PONTO 17º 35´/ 17º 59´ DE QUALQUER SIGNO:

ATENTADOS À BOMBA NA TURQUIA

 

A passagem de um planeta ou do planetóide Quiron no ponto 17º 35´/ 17º 59´ de qualquer signo do Zodíaco é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado à bomba de grande repercussão na Turquia.

 

Em 20 de Julho de 2015, com Marte em 16º 57´/ 17º 36´ de Caranguejo, um atentado à bomba na parte externa do Centro Cultural Amara, no distrito rural de Suruç, localizado na província de Şanlıurfa, na Turquia, promovido pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante tendo como alvo membros da Federação de Associações da Juventude Socialista (SGDF), braço do Partido Socialista do Oprimido (ESP), que iam dar uma declaração à imprensa sobre a reconstrução da cidade síria de Kobanîde mata 33 pessoas e fere outras 104; em 10 de Outubro de 2015, com Quiron em 17º 59´/ 17º 51´de Peixes, às 10:04 da manhã no centro de Ancara, capital da Turquia, poucos dias antes das eleições legislativas que se celebram em 1 de novembro, um duplo atentado à bomba durante a manifestação organizada pela «paz, trabalho e democracia» pró-curda (contra a guerra que grassa no leste do país entre o exército turco e os separatistas curdos do PKK) e contra as políticas do partido governante, o partido islamista moderado Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) causa 102 mortos e mais de 400 feridos; em 17 de Fevereiro de 2016, com Úrano em 17º 42´/ 17º 45´de Carneiro, na cidade de Ancara, capital da Turquia, um carro bomba explode às 18:31 (hora local), momento no qual autocarros que transportavam pessoal militar[do exército estavam à espera nos semáforos, ao pé de um edifício de habitações do pessoal militar de alto nível, resultando 28 mortos e 61 feridos; em 13 de Março de 2016, com Júpiter em 17º 43´/ 17º 45´ de Virgem, a explosão de um carro carregado de explosivos perto da praça de Kizilay", no centro da capital turca, Ancara, às 18.45 horas locais, mata pelo menos 37 pessoas e faz 125 feridos.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta, Quiron ou um Nodo da Lua passará no ponto 17º 35`/ 17º 59º de qualquer signo, aumentando a probabilidade de atentado à bomba na Turquia são: em 19 e 20 de Abril de 2016 (Vénus em 16º  25´/ 18º 53´ de Carneiro); de 1 a 4 de Junho de 2016 (Nodo Norte da Lua em 17º 59´/ 17º 30´de Virgem); de 4 a 7 de Julho de 2016 (Júpiter em 17º 29´/ 18º 4´ de Virgem): em 7 e 8 de Setembro de 2016 (Marte em 17º 22´/ 18º 33´ de Sagitário); de 29 de Novembro a 3 de Dezembro de 2016 (Saturno em 17º 30´/ 18º 5´ de Sagitário); de 4 a 8 de Dezembro de 2016 (Júpiter em 17º 19´/ 18º 7´de Balança); de 19 de Janeiro a 1 de Fevereiro de 2017 (Plutão em 17º 33´/ 18º 1´ de Capricórnio).

 

Depois da teoria da relatividade de Einstein, esta teoria de cálculo astronómico (astrologia histórica como só nós praticamos) é a maior descoberta científica na cosmologia e na história social e política dos séculos XX e XXI.

 

NOTA- Mais informação pode ser obtida no nosso livro «Astrologia histórica», um tratado de investigação histórico-astronómica de 464 páginas, de Francisco Limpo Queiroz, editado pela Esfera do Caos.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:59
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 19 de Março de 2016
Teste de Filosofia do 10º ano, turma A (Março de 2016)

 

Eis um teste de filosofia fora do estereótipo dos testes que os autores dos manuais escolares da Porto Editora, Leya, Santillana, Areal Editores, etc, divulgam. E sem questões de escolha múltipla que, frequentemente, são incorrectamente concebidas por quem não domína o método dialético e desliza para a horizontalidade da filosofia analítica vulgar.

 

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA A

3 de Março de 2016. Professor: Francisco Queiroz.

 I

  “A lei do salto de qualidade está presente na passagem da percepção empírica ao respectivo conceito empírico. O mítico Adão Kadmon possui na essência a luta entre Yang e Yin. O totaliratismo, de direita ou de esquerda, parece coadunar-se com a moral utilitarista de Stuart Mill, num certo aspeto, e com o imperativo categórico de Kant, sob outro aspeto.”

 

1) Explique, concretamente este texto.

 

2)Escolha e caracterize (qualidade, número, cor, planeta) cada uma de cinco esferas da árvore dos Sefirós e distribua-as segundo a lei da contradição principal, enunciando esta.

 

3) Construa um diálogo sobre a propriedade e a gestão das empresas e sobre a democracia parlamentar entre um anarquista, um comunista leninista, um socialista democrático, um liberal, um conservador e um fascista.

 

4) Relacione, justificando:

A) Temura, Gematria e Metafísica.

B) Realismo natural realismo crítico e idealismo.

C)  Pragmatismo e cepticismo.

 

CORREÇÃO DO TESTE COTADO PARA 20 VALORES

 

1) A lei do salto qualitativo postula que a acumulação lenta e gradual em quantidade de um dado aspecto de um fenómeno leva a um salto brusco ou nítido de qualidade nesse fenómeno. Acumulando percepções empíricas similares (ver um cavalo baio, ver um cavalo branco, ver um cavalo negro) chega-se a um salto qualitativo que é a formação da ideia ou conceito empírico de cavalo no intelecto  (VALE DOIS VALORES). O Adão Kadmon, mítico antepassado da humanidade, era andrógino, a sua metade direita era masculina e a metade esquerda feminina, por isso a sua essência é uma  luta entre Yang (fogo, luz, expansão, masculino, alto, crescimento) e Yin (água, escuridão, contração, feminino, baixo, diminuição)  (VALE DOIS VALORES). O totalitarismo, de direita (caso da ditaduras de Hitler e Mussolini) ou de esquerda (ditadura de Estaline ou de Kim Il Sung na Coreia do Norte) é todo o regime que suprime a autogestão e a democracia parlamentar, regime de liberdade de imprensa, greve, religião, associação política e sindical e impõe uma ditadura brutal de partido único, e não se coaduna com a filosofia da Stuart Mill porque este defendia que se deve agir visando proporcionar a felicidade à maioria das pessoas e a democracia é um regime de maiorias, em princípio, ao passo que o totalitarismo favorece a felicidade da elite ditatorial, uma minoria opressora da maioria. Também não se coaduna com o imperativo categórico de Kant porque este diz «Age de modo a considerares cada pessoa como um fim em si e não um meio» e o totalitarismo não respeita a individualidade de cada  um, não deixa falar e votar livremente(VALE TRÊS VALORES).

 

2) A lei da contradição principal diz que um sistema de múltiplas contradições pode ser reduzido a uma só, organizando-as em dois blocos, podendo haver uma ou outra contradição na zona neutra. Ora ao contemplarmos a árvore das 10 sefirós da Cabala podemos agrupar duas esferas do pilar direito - Chesed (Misericórdia, Júpiter, cor azul e número 4) e Netzac ( Vitória-Emoção, Vénus, cor verde e número 7) num bloco oposto a duas esferas do pilar esquerdo- Gueburah (Justiça, Marte, cor vermelha, número 5) e Hod (Intelecto, Mercúrio, cor laranja e número 8), ficando Thiphetet (Sol) na zona neutra, fora de ambos os blocos. (VALE TRÊS VALORES).

 

3) Anarquista: «A propriedade das fábricas e de todas as empresas deve ser dos trabalhadores. Instituímos a autogestão, isto é, a assembleia geral de todos os operários, engenheiros e contabilistas toma decisões sobre salários, investimentos, vendas, etc. O patrão desaparece e desaparece o Estado de democracia parlamentar que não é mais que ditadura disfarçada dos capitalistas.»

Comunista: «A propriedade de todas ou quase todas as fábricas deve ser do Estado, dirigido por um partido marxista-leninista, que impedirá os patrões de extorquirem a mais valia à classe operária. A democracia burguesa que actualmente apoiamos, concorrendo às eleições e usando as liberdades, deve ser substituída pela ditadura do proletariado onde não há eleições livres nem imprensa livre como no capitalismo liberal».

 

Socialista democrático/ social-democrata: «A propriedade da grande maioria das empresas deve ser privada, isto é, estar na mão dos patrões que, em certos casos, devem aceitar a cogestão. Mas há empresas de sectores fundamentais - siderurgia, electricidade, televisão, etc - que devem estar na mão do Estado democrático. Este deve impor impostos progressivos aos capitalistas de modo a ter serviço nacional de saúde e escolaridade pública gratuita até ao final do curso universitário. Defendo a democracia parlamentar».

 

Liberal: «A propriedade das empresas deve ser privada pois os empresários são os criadores de emprego os motores primeiros da economia. Os subsídios de desemprego e o rendimento social de inserção deviam acabar ou ser reduzidos para estimular o mercado de trabalho. Defendo as privatizações, democracia parlamentar, a liberdade de imprensa, o capitalismo puro e duro.»

 

Conservador: «A propriedade das empresas deve ser privada pois os empresários são os criadores de emprego os motores primeiros da economia. Os subsídios de desemprego e o rendimento social de inserção deviam acabar ou ser reduzidos para estimular o mercado de trabalho. Defendo as privatizações, a democracia parlamentar, a liberdade de imprensa. Mas a democracia não deve permitir o aborto livre, o casamento de gays e lésbicas, a eutanásia: deve ser guiada por bons princípios religiosos, cristãos.»

 

Fascista: «As empresas devem ser de patrões nacionais e do Estado fascista e corporativo que, através da polícia política e da censura à imprensa impedirá a luta de classes, o sindicalismo livre, a imoralidade sexual. Não deve haver democracia parlamentar mas ditadura nacionalista que expulse a generalidade dos imigrantes e tenha por princípios «Deus, pátria, família» como princípios fundamentais». (VALE QUATRO VALORES).

 

4-A) A temura é a disciplina ou método da Kaballah (ensinamento secreto de itelectuais judeus) que estabelece correspondências de ideias entre palavras diferentes alterando a posição das letras e por vezes substituindo uma ou outra dessas letras ou abolindo-a. Exemplo: ROMA equivale a AMOR; BEJA equivale a IAVE porque se transforma em JABE e depois em IABE. A gematria é a disciplina da Kaballah que estabelece a correspondência entre cada letra e um número (exemplo: A=1, B=2, C=3, D=4, E=5, F=6, G=7, H=8, I,J,Y=9, K=10, L=20, M=30, N, ~ =40) de modo a obter o número que traduz a essência de cada palavra. BEJA (B=2, E=5, J=9 e A=1) vale 2+5+9+1=17, isto é DEZASSETE. Ambas estas disciplinas, temura e gematria, são metafísicas na medida em que ultrapassam a ciência experimental e trabalham com teses especulativas, de uma racionalidade holística discutível, a raiar a mística.(VALE UM VALOR)

             

2-B)- O realismo natural é a teoria segundo a qual a matéria é real e exterior às nossas mentes e estas espelham-na como ela é (exemplo: a erva é verde, o céu é azul). Realismo crítico é a teoria segundo a qual a matéria é real e exterior às nossas mentes mas estas não espelham como ela é. O realismo crítico de Descartes é a teoria qiue sustenta que há um mundo real de matéria exterior às mentes humanas composto de uma matéria indeterminada, sem peso nem dureza/moleza, apenas formado de figuras geométricas, movimento, números (qualidades primárias, objetivas), sendo subjectivas, isto é exclusivamente mentais, as cores, os cheiros, os sabores, as sensações do tacto, o calor e frio (qualidades secundárias, subjectivas).  O idealismo é a corrente que afirma que o universo material não é real em si mesmo mas está dentro da nossa mente, como imagens e ideias.  (VALE TRÊS VALORES)

 

2.C) Pragmatismo é a teoria que diz que devemos lidar, de forma útil, com os factos empíricos palpáveis e devemos pôr de parte a metafísica, os grandes princípios morais ou políticos inaplicáveis de momento. O cepticismo é a corrente que põe tudo ou uma parte das coisas em dúvida e é usado pelo pragmatismo. (VALE DOIS VALORES)

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:02
link do post | comentar | favorito
|

Teste de Filosofia do 10º ano, turma B (Março de 2016)

 

Eis um teste de filosofia fora do estereótipo dos testes que os autores dos manuais escolares da Porto Editora, Leya, Santillana, Areal Editores, etc, divulgam. E sem questões de escolha múltipla que, frequentemente, são incorrectamente concebidas por quem não domína o método dialético e desliza para a horizontalidade da filosofia analítica vulgar.

 

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA B

3 de Março de 2016. Professor: Francisco Queiroz.

 I

  “A lei do salto de qualidade está presente no comportamento do mítico Adão Kadmon. A luta entre Yang e Yin exprime, a cada momento, a lei dos dois aspetos da contradição. A democracia parlamentar parece coadunar-se com a moral utilitarista de Stuart Mill, num certo aspeto, e com o imperativo categórico de Kant, sob outro aspeto.”

1) Explique, concretamente este texto.

 

2)Escolha e caracterize (qualidade, número, cor, planeta) cada uma de cinco esferas da árvore dos Sefirós e distribua-as segundo a lei da contradição principal, enunciando esta

 

3) Construa um diálogo sobre a propriedade e a gestão das empresas e sobre a democracia parlamentar entre um anarquista, um comunista leninista, um socialista democrático, um liberal, um conservador e um fascista.

 

 

4) Relacione, justificando

A) Valores ético-políticos de esquerda e valores ético-políticos de direita.

B)  Sensação, percepção empírica, conceito empírico e intuição inteligível.

C)Pragmatismo, cepticismo e metafísica

 

CORREÇÃO DO TESTE COTADO PARA 20 VALORES

 

1) A lei do salto qualitativo postula que a acumulação lenta e gradual em quantidade de um dado aspecto de um fenómeno leva a um salto brusco ou nítido de qualidade nesse fenómeno. Adão Kadmon, metade homem e metade mulher (Sofia, a sua parte espiritual), vivia no Paraíso e pouco a pouco (acumulação quantitativa) deixou-se seduzir pelos apelos de Lúcifer, o anjo proscrito nos Infernos, e saíu do Paraíso (salto qualitativo), perdendo Sofia, a sua esposa espiritual e ficando com um corpo material. (VALE DOIS VALORES). A luta entre Yang (fogo, luz, expansão, masculino, alto, crescimento) e Yin (água, escuridão, contração, feminino, baixo, diminuição) exprime a lei que diz que numa contradição há dois aspectos em regra  desigualmente desenvolvidos, o dominante e o dominado, que trocam de posição (exemplo: de dia o Yang domina sobre o Yin e de noite o Yin prevalece sobre o Yang) (VALE DOIS VALORES). A democracia parlamentar é o regime de liberdade de imprensa, greve, religião, associação política e sindical em que o governo do país é escolhido por um parlamento nacional eleito por sufrágio livre e universal e coaduna-se com a filosofia da Stuart Mill porque este defende que se deve agir em função de proporcionar a felicidade à maioria das pessoas e a democracia é um regime de maiorias, em princípio. Também se coaduna com o imperativo categórico de Kant porque este diz «Age de modo a considerares cada pessoa como um fim em si e não um meio» e a democracia parlamentar dá a todos os cidadãos, encarados como fins em si, o direito de votar escolhendo os governantes e a política estatal. (VALE TRÊS VALORES)

 

2) A lei da contradição principal diz que um sistema de múltiplas contradições pode ser reduzido a uma só, organizando-as em dois blocos. Ora ao contemplarmos a árvore das 10 sefirós da Cabala podemos agrupar duas esferas do pilar direito - Chesed (Misericórdia, Júpiter, cor azul e número 4) e Netzac ( Vitória-Emoção, Vénus, cor verde e número 7) num bloco oposto a duas esferas do pilar esquerdo- Gueburah (Justiça, Marte, cor vermelha, número 5) e Hod (Intelecto, Mercúrio, cor laranja e número 8), ficando Thiphetet (Sol) na zona neutra, fora de ambos os blocos. (VALE TRÊS VALORES)

 

3) Anarquista: «A propriedade das fábricas e de todas as empresas deve ser dos trabalhadores. Instituímos a autogestão, isto é, a assembleia geral de todos os operários, engenheiros e contabilistas toma decisões sobre salários, investimentos, vendas, etc. O patrão desaparece e desaparece o Estado de democracia parlamentar que não é mais que ditadura disfarçada dos capitalistas.»

Comunista: «A propriedade de todas ou quase todas as fábricas deve ser do Estado, dirigido por um partido marxista-leninista, que impedirá os patrões de extorquirem a mais valia à classe operária. A democracia burguesa, que actualmente apoiamos, concorrendo às eleições e usando as liberdades de greve e manifestação de rua, deve ser substituída pela ditadura do proletariado onde não há eleições livres nem imprensa livre como no capitalismo liberal».

 

Socialista democrático/ social-democrata: «A propriedade da grande maioria das empresas deve ser privada, isto é, estar na mão dos patrões que, em certos casos, devem aceitar a cogestão. Mas há empresas de sectores fundamentais - siderurgia, electricidade, televisão, etc - que devem estar na mão do Estado democrático. Este deve impor impostos progressivos aos capitalistas de modo a ter serviço nacional de saúde e escolaridade pública gratuita até ao final do curso universitário. Defendemos a democracia parlamentar e o Estado social».

 

Liberal: «A propriedade das empresas deve ser privada pois os empresários são os criadores de emprego os motores primeiros da economia. Os subsídios de desemprego e o rendimento social de inserção deviam acabar ou ser reduzidos para estimular o mercado de trabalho. Defendo as privatizações, democracia parlamentar, a liberdade de imprensa, o capitalismo puro e duro.»

 

Conservador: «A propriedade das empresas deve ser privada pois os empresários são os criadores de emprego os motores primeiros da economia. Os subsídios de desemprego e o rendimento social de inserção deviam acabar ou ser reduzidos para estimular o mercado de trabalho. Defendo as privatizações, a democracia parlamentar, a liberdade de imprensa. Mas a democracia não deve permitir o aborto livre, o casamento de gays e lésbicas, a eutanásia: deve ser guiada por bons princípios religiosos, cristãos.»

Fascista: «As empresas devem ser de patrões nacionais e do Estado fascista e corporativo que, através da polícia política e da censura à imprensa impedirá a luta de classes, o sindicalismo livre, a imoralidade sexual. Não deve haver democracia parlamentar mas ditadura nacionalista que expulse a generalidade dos imigrantes e tenha por princípios «Deus, pátria, família» como princípios fundamentais». (VALE QUATRO VALORES).

4-A) Os valores políticos de esquerda são: o predomínio do interesse público sobre o privado, o fortalecimento dos sindicatos e do poder da classe operária e das classes médias, havendo ou não a supressão dos patrões privados enquanto classe social, o ateísmo, o agnosticismo e a dissidência religiosa, a defesa da democracia parlamentar contra o fascismo. Os valores políticos da direita são: o predomínio do interesse privado sobre o interesse público, o fortalecimento do poder dos empresários, com aumento das privatizações e da liberdade de despedir empregados, o combate ao comunismo e ao anarquismo, a defesa da igreja católica ou de igrejas protestantes e de valores religiosos e tradicionais, a manutenção ou não (neste último caso: a extrema direita fascista) da democracia parlamentar. (VALE UM VALOR).

 

4-B) A percepção empírica é a captação visual, auditiva, táctil, olfativa daquilo que está diante de nós (a visão da árvore e da planície onde estou agora, a audição do canto dos pássaros, etc). A sensação é um fragmento da percepção empírica. Exemplo: a cor verde da erva, o som do pássaro. O conceito empírico é a ideia de uma coisa ou classe de coisas obtida por abstração de percepções empíricas similares. Exemplo: «Vi cem planícies alentejanas semelhantes a esta, fecho os olhos e tenho o conceito-imagem de planície alentejana». Intuição inteligível é a captação intelectual e a-racional de algo metafísico. Exemplo: «Sinto que há Deus ou deuses». (VALE TRÊS VALORES).

 

4-C) Pragmatismo é a teoria que diz que devemos lidar, de forma útil, com os factos empíricos palpáveis e devemos pôr de parte a metafísica, os grandes princípios morais ou políticos inaplicáveis de momento. O cepticismo é a corrente que põe tudo ou uma parte das coisas em dúvida e é usado pelo pragmatismo. (VALE DOIS VALORES).

 

                  

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:28
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Março de 2016
Teste de Filosofia do 11º ano, turma C (Março de 2016)

 

Eis um teste de filosofia fora do estereótipo dos testes que os autores dos manuais escolares da Porto Editora, Leya, Santillana, Areal Editores, etc, divulgam. E sem questões de escolha múltipla que, frequentemente, são incorrectamente concebidas por quem não domína o método dialético e desliza para a horizontalidade da filosofia analítica vulgar.

 

 

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja

Escola Secundária Diogo de Gouveia, Beja

TESTE DE FILOSOFIA, 11º ANO TURMA C

14 de Março de 2016. Professor: Francisco Queiroz.

 I

 “Bachelard afirma que «a opinião não pensa, traduz necessidades em conhecimentos» e que «na ciência nada é dado». A ciência normal e a ciência extraordinária, segundo Kuhn, são paradigmas incomensuráveis. Feyerabend, anarquista epistemológico, sustentou que, hoje, com o racionalismo fragmentário dominante, mera ideologia, « temos uma religião sem ontologia, uma arte sem conteúdos, e uma ciência sem sentido».."

1)Explique, concretamente este texto

 

2)Explique como, na ontognoseologia de Kant, se formam o fenómeno CHUVA e o juízo a priori «Os três ângulos internos de um triângulo somam 180 graus».

 

3) Relacione, justificando:

A) Positivismo lógico do círculo de Viena, por um lado, e falsificacionismo de Karl Popper, por outro lado .


B) Internalismo e externalismo nas Ciências Empírico-Formais e nas Ciências Hermenêuticas.


C) Núcleo Duro e Cinto Protector na teoria de Lakatos sobre a ciência e obstáculo epistemológico na teoria de Gaston Bachelard-


D)  Realismo crítico, fenomenologia, e idealismo em David Hume.

 

CORREÇÃO DO TESTE COTADO PARA 20 VALORES

 

1) A opinião, isto é, o senso comum, não pensa, isto é, traduz necessidades em conhecimentos, fabrica a explicação que mais lhe convém. Exemplo: a maioria das pessoas que sentem frequentes dores de cabeça não perdem tempo a investigar a causa dessas dores, tomam um comprimido de farmácia que faz desaparecer o sintoma mas não a causa que lhe está subjacente. Na ciência nada é dado porque tudo ou quase tudo é construção racional. Exemplo: a teoria do espaço-tempo de Einstein, que diz que o espaço encurva na proximidade de grandes massas não nos é dada pelos orgãos dos sentidos, é pensada na razão (VALE UM VALOR). A ciência normal é a ciência oficial, dominante, em cada época ou sociedade, o paradigma (modelo teórico ou teórico-prático) aceite pela grande maioria . Nos séculos XV-XVI era, na astrofísica europeia, o geocentrismo. A ciência extraordinária é a ciência dos dissidentes, que combate a ciência oficial e procura tomar o lugar desta. No século XVI, na cosmologia, era o heliocentrismo de Copérnico e Galileu. A incomensurabilidade dos paradigmas é a impossibilidade de medir exactamente o valor de cada doutrina científica e das suas rivais: não se pode dizer que o heliocentrismo é melhor que o geocentrismo, em termos globais, ainda que se possa dizer que, neste ou naquele aspecto (exactidão/experimentação, fecundidade, etc) um deles é superior ao outro  (VALE DOIS VALORES). Segundo Feyerabend as actuais universidades funcionam como igrejas dotadas de «infalibilidade ciêntífica». Ele critica os filósofos e académicos que acham que a ciência é a nossa religião, o que  significa que a mentalidade científica actual é dogmática como a teologia, acreditando em dogmas que não podem ser postos em causa, como por exemplo, « O Big Bang deu-se há 15 000 milhões de anos e foi o começo do universo», «as vacinas conferem imunidade», «os astros não comandam o comportamento humano». Os cientistas de hoje são os bispos e papas da nova religião da ciência. Por isso, Feyerabend proclama-se anarquista epistemológico: no anarquismo não há chefes e assim devia ser no campo das ciências, a astrologia, a medicina hopi, a cura através dos cristais, a dança da chuva deveriam ser disciplinas universitárias a par da física, da medicina alopática, da biologia molecular. As ciências actuais nasceram com o emergir da burguesia industrial e financeira actual e por isso estão impregnadas de ideologia - sistema de ideias e valores de uma classe social- neste caso, a burguesia. A ciência e a tecnologia do automóvel como veículo de transporte individual ou familiar insere-se na ideologia individualista da burguesia: «Enriquece, compra um carro próprio, viaja livremente».

Que significa dizer que hoje temos uma religião sem ontologia?  Significa que temos um conjunto de ritos cujo simbolismo profundo já perdemos, em cuja filosofia original já não penetramos. Por exemplo, ignoramos que o facto de a pia de baptismo de antigas igrejas e catedrais ser octogonal é porque o oito significava a oitava esfera que, em alguma gnose, era a esfera de Sofia, a Virgem Maria do cristianismo, a Stela Maris representada na rosa dos ventos ou estrela de oito pontas que orientava os navegantes (as almas) perdidos . Constroem-se hoje igrejas com uma arquitectura moderna ignorando o número de oiro (1,618), número mágico de proporção entre o comprimento e a largura e a altura de um compartimento. Que significa dizer que hoje impera uma arte sem conteúdos? Significa, por exemplo, que uma tela branca salpicada de pontos vermelhos é um quadro sem conteúdo, um significante sem significado. A arte abstracta é sem conteúdo. Que significa dizer que há uma ciência sem sentido? Significa, por exemplo, que há uma medicina que não percebe o sentido da febre - acção de autodefesa do organismo, expulsando as toxinas através do suor ou de urinas escuras - e manda reprimir os sintomas, tomando anti piréticos. (VALE QUATRO VALORES).

 

2-A)  Segundo a gnoseologia de Kant, o fenómeno chuva forma-se na sensibilidade, no espaço exterior ao meu corpo físico, do seguinte modo: de '«fora» da sensibilidade, os númenos afectam esta fazendo nascer nela um caos de matéria (exemplo: água, ferro, areia, etc, em um magma) que as duas formas a priori da sensibilidade, o espaço (com figuras geométricas) e o tempo (com a duração, a sucessão e a simultaneidade) moldam, fazendo nascer uma ou mais fenómenos de chuva. O entendimento, com as categorias de unidade, pluralidade, necessidade, confere consistência ao fenómeno galo. Não existe númeno «chuva», «chuva» é fenómeno na sua totalidade.(VALE UM VALOR E MEIO).

O juízo a priori «A soma dos três ângulos de um triângulo é 180 graus» forma-se no entendimento por acção das categorias de unidade, pluralidade, totalidade com dados a priori vindos da sensibilidade. a imagem de triângulo vinda da forma a priori do espaço, os números (180, etc) vindos da forma a priori do tempo. (VALE UM VALOR E MEIO)

 

                  

3. A) O positivismo lógico do círculo de Viena considera sem sentido a metafísica e afirmações desta como «Deus criou o Paraíso e o Inferno e pune os maus» porque não podem ser comprovadas empiricamente. Para este positivismo, só os factos empíricos ( exemplo: maçã, tornado, etc) e as suas relações lógico-matemáticas são verdade e a indução amplificante - generalização segundo uma lei necessária de alguns casos empíricos semelhantes entre si - é perfeitamente legítima. Karl Popper opõe-se ao positivismo lógico pois, na linha de David Hume, duvida da indução amplificante, achando que há sempre excepções a uma dada lei da natureza e considera ser impossível verificar essa lei pois teríamos de estudar centenas de milhar ou milhões de exemplos concretos. Popper diz que só é possível a corroboração ou confirmação de alguns exemplos através da testabilidade, isto é, realização de testes experimentais. Falsificacionismo de Popper significa que as teorias científicas não passam de conjecturas, hipóteses, falsificáveis, isto é potencialmente falsas.(VALE TRÊS VALORES).  

 

3-B)  O internalismo, posição sustentada por Lakatos, é a doutrina segundo uma teoria já é ciência mesmo que confinada a um só cientista, o seu autor, desde que apresente coerência interna e a experimentação a confirme, ao passo que o externalismo diz que uma teoria só é ciência se obtiver o assentimento externo do resto da comunidade científica, do governo e ministério da ciência, das revistas da especialidade, dos fóruns televisivos, do grande. As ciências empírico-formais são as ciências da natureza biofísica - química, física, astronomia, biologia, geologia - e baseiam-se em leis necessárias ou tendencialmente necessárias e por isso assentam na indução amplificante. As ciências hermenêuticas, ou seja, as que se baseiam em interpretações mais ou menos subjectivas e leis estatísticas - psicologia, sociologia, história, economia, - não recorrem ou recorrem pouco à indução amplificante. Mas tanto umas como outras podem ser validadas segundo o internalismo ou segundo o externalismo, ainda que a tendência mais frequente seja ligar o internalismo às hermenêuticas, subjectivas, e o externalismo às empírico-formais, objetivas (VALE TRÊS VALORES)

 

3-C) Imre Lakatos, epistemólogo, defendeu que a ciência se estrutura em Programas de Investigação Científica (PIC). Cada um destes tem três níveis: o núcleo duro, conjunto das teses imutáveis; o cinto protector, conjunto das teses revisíveis, que podem ser rectificadas ou substituídas; a heurística, conjunto dos métodos de investigação livre, teórica e prática, que pode confirmar ou anular o PIC. O obstáculo epistemológico em Bachelard é todo o entrave ao conhecimento científico: a primeira impressão,  o realismo natural ( o mundo exterior como parece ser: o céu é azul, o mármore é frio, etc, o preconceito do senso comum, a falta de tecnologia apropriada (exemplo: a falta de telescópios, microscópios, reagentes químicos, máscaras antigás, fatos de amianto, bússolas, aparelhos de refrigeração, etc.). Pode dizer-se que o racionalismo enfrenta o obstáculo epistemológico que, muitas vezes, é um facto bruto, uma primeira impressão sensorial. Como o obstáculo epistemológico leva, dialeticamente, à rectificação parece relacionar-se com o cinto protector em Lakatos, isto é, com as teses revisíveis (VALE DOIS VALORES) . .

 

.

3-D- O realismo crítico é a teoria segundo a qual a matéria é real e exterior às nossas mentes mas estas não espelham como ela é. O realismo crítico de Descartes é a teoria qiue sustenta que há um mundo real de matéria exterior às mentes humanas composto de uma matéria indeterminada, sem peso nem dureza/moleza, apenas formado de figuras geométricas, movimento, números (qualidades primárias, objetivas), sendo subjectivas, isto é exclusivamente mentais, as cores, os cheiros, os sabores, as sensações do tacto, o calor e frio (qualidades secundárias, subjectivas). A fenomenologia é a ontologia que sustenta não saber se o mundo material subsiste ou não fora das mentes humanas. O idealismo é a corrente que afirma que o universo material não é real em si mesmo mas está dentro da nossa mente, como imagens e ideias. Por exemplo, o"eu" em David Hume não é uma realidade, mas uma ideia ilusória, uma vez que somos apenas uma corrente de percepções empíricas a que a memória e a imaginação atribuem um núcleo invariável chamado «eu». Do mesmo modo, a   substância (exemplos: as substâncias cadeira ou nuvem) é uma ideia fabricada pela nossa imaginação servindo-se das sete relações filosóficas que são disposições sensório-intelectuais a priori da mente humana: semelhança, identidade, relações de tempo e lugar, proporção de quantidade ou número, graus de qualidade, contrariedade e causação. (VALE DOIS VALORES)

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 09:45
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 13 de Março de 2016
Phenomenon and Empirical intuition: something confused in Kant´s theory

 

Despite his brilliance in reasoning, Kant went down into the magma of some confusion of ideas on defining phenomenon and empirical intuition.

The German philosopher  defined phenomenon this way:

"The undetermined object of an empirical intuition is called phenomenon." (Kant, Critique of Pure Reason, Calouste Gulbenkian Foundation, Portuguese edition, page. 61).


It is obvious that Kant distinguishes between phenomenon - for example, chair - and intuition of the phenomenon - to see or to touch the chair, in this example. But what is the phenomenon? In Kant´s theory, the phenomenon is composed by empirical intuitions, and essentially, by pure intuitions: figure and extension. And by some a priori concepts.The phenomenon, such as bicycle, dog or cloud is nothing in itself: it's just a figure without color, without sound,  without smell, without defined matter, enclosed in a space that is unreal, as space is only a priori intuition. Kant is an ontological idealist: the material objects do not exist outside the human mind, they are complexes of sensations and three-dimensional intuitions. There is not, for example, horse-noumenon and horse-phenomenon, and this is not perceived by  the great majority of academic teachers and philosophers. The phenomenon horse is only representation of something unknowable. Kant wrote:

 

«Thus, when I separate from the representation of a body what understanding thinks about it, such as substance force, divisibility, etc., and also what belongs to the sensitivity such as impenetrability, hardness, color, etc., something still remains of that empirical intuition: the extension and figure. These belong to pure intuition which exists a priori in the spirit, even independent of a real object of the senses or of a sensation, as a simple form of sensibility. »(Kant, Critique of Pure Reason, Calouste Gulbenkian Foundation, p. 61).


Now, this text dismantles the real object of the senses or phenomenon, showing that it is no more than a complex of formal intuitions (figure, space) and concepts. The color, the hardness do nor belong to the bike: they are sensations, empirical intuitions,  illusionary modes to perceive this vehicle which is a phenomenon. The unitary character of the bicycle as cluster of metal parts is a concept of the understanding, it is the category of substance and accident, is not on the bike. And the problem arises: when we see a bike that is beyond our physical body but within our mind that surrounds it and forms the space, we have a set of empirical intuition and sensation (colorvision, feeling of hardness of the metal or of the saddle, etc.) of a phenomenon that is reduced to the geometric empirical intuitions (the bicycle lines), an indeterminate matter (something that has no color, no weight, no smell, no ductility) and concepts (only substance divisible into parts).

 

Thus, the notion of empirical intuition is treated ambiguously in Kant: it is the matter of the phenomenon ( "I give the name of matter to which in the phenomenon corresponds to the sensation" says Kant; but an absolutely abstract matter, as the Hyle of Aristotle, because the color , the smell, the sound, the feeling of hardness are mere sensations, appearance), the objectively "real to us" and is the perception of matter of this phenomenon, perception that already includes color, sound, smell, hardness, etc. You must note also that, following the theory of primary and secondary qualities of Descartes, Kant establishes two types of empirical intuition as perception, distinguishing sensation (subjective quality, illusory) from intuition (objective quality):

 

«The pleasant taste of a wine does not belong to the objective properties of this wine,thus to an object even considered as a phenomenon, but belongs to the special nature of the sense of the subject who relishes it. The colors are not the property of bodies, to the intuition of which they relate, but simply changes of the sense of vision of the  that is affected by the light in a certain way. The space on the contrary, as a condition of outer objects, necessarily belongs to the phenomenon or to the intuition of the phenomenon. " (Kant, Critique of Pure Reason, Calouste Gulbenkian Foundation, page 69, footnote; the highlight in bold is my own).


In this case, the flavor and the color of the wine would  be the subjective intuition and the wine itself would be the objective  intuition and the phenomenon. But what is the wine without color or taste?

 

In short, the contradiction of Kant is that he expels the phenomenon to the field of sensations (subjective intuitions of the phenomenon) and to the field of concepts what really characterizes it: the color, the taste, the hardness, the concrete matter that it is made (in the case of the tree: wood and leaves), transforming the phenomenon in a ghost figure, a meatless skeleton, pure form in a given time.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (All rights reserved to Francisco Limpo de Faria Queiroz, in Portugal)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:07
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 9 de Março de 2016
Notas pessoais, filosóficas ou não, de Março de 2016

 

 

Eis algumas notas de vida pessoal com reflexões avulsas que só interessarão a uma parte dos leitores deste blog.

 

NÃO HÁ O «FAZER AMOR»-O amor não se faz: sente-se, como contemplação estética de outrém ou como comunhão espiritual com outrém. Aquilo que se «faz» com uma parceira ou um parceiro é troca física de carícias, manipulação do corpo da/o outra/o de modo a atingir o orgasmo e isso não é fazer amor, mas fazer actos sexuais que são, sobretudo,amor-próprio

 

O AMOR É, DE CERTO MODO, UMA EXPLORAÇÃO DE ALGUÉM. Não «exploração» no sentido de descobrir ou percorrer o corpo ou a alma do ser amado. Exploração no sentido de apropriação do que não é nosso, da beleza, do corpo, da personalidade da outra pessoa, no sentido de extração de mais valia: amo-te mas quero que me sejas fiel, que me beijes e acaricies e ajudes na lida da casa, no prestígio social (estar casado dá estatuto) ou no aumento da conta bancária. Estou a desfrutar-te e a explorar-te subtilmente.

 

O VERDADEIRO AMOR É NÃO GOSTARES DE MIM MAS VIVERES COMIGO E EU TER DESEJO SEXUAL DE TI. E assim continuarmos pelos anos fora, deitando fora essas baboseiras do «amo-te muito». Eu amo o teu corpo - a ti não sei se amo porque és invisível. Onde está a tua alma? Mas sou-te leal e apoio-te sempre.

 

O QUE MAIS ME ATRAI NA MULHER? O rosto e os seios.

 

AMO-TE TANTO QUE O AMOR DESAPARECEU. O ser e o nada remetem um para o outro.

 

O DUPLO CARÁCTER DO CASAMENTO. Para as feministas, defensoras da mais radical liberdade individual, o casamento é uma capitulação da mulher face ao homem que, assim, a aprisiona e submete ao seu capricho (os homens são porcos, só pensam em sexo físico). Para os noivos apaixonados, o casamento é o alicerce de uma relação de «amor eterno» e não carece de ser alvo de ironia ou desmontagem - mas Saturno ou Cronos, senhor do tempo, acaba por enrugar a relação entre os cônjugues e introduzi-la no deserto da monotonia.

 

AS MULHERES BELAS SÃO COMO OS CASTELOS ALTANEIROS. Inconquistáveis. Podes conquistar-lhes o corpo mas nunca a alma, a não ser temporariamente, no momento do riso, do beijo ou do orgasmo. Elas são superiores a nós, homens, em engenho e arte de sedução. O Don Juan, o mais feminino dos homens, é capaz de conquistar muitas mas no final sai derrotado. As mulheres só se deixam conquistar por homens com algo de feminino na alma - e um orgão sexual masculino, claro.

 

QUANDO FORES VELHA E FEIA DEIXAREI DE AMAR-TE. Mas isso nunca acontecerá porque te escolhi, mulher, dezenas de anos mais nova que eu. Assim o amor não falhará porque o amor é sempre o amor da forma bela e da harmonia de carácter

 

É TÃO BOM TER UM CORPO JOVEM DE MULHER NA NOSSA CAMA. E quando não se tem? Há uma sensação de privação estética e orgástica. Mas isso não significa que valha a pena arrastar qualquer mulher para a cama. Afinal o acto sexual é anti higiénico e só pode levar-se a cabo mediante uma alta emoção estética, um encantamento. É por isso que rejeito sexo com mulheres da minha idade ou até 10-15 anos mais novas. A carne deve ser o mais espiritual possível e para isso o adequado é uma jovem de 25 a 30 anos de idade. Rejeito também comer carne: é um caldo de purinas e cadaverinas. Rejeito, na minha vida pessoal, qualquer acto homossexual entre homens, é repulsivo biologicamente - mas defendo os gays e as lésbicas, o direito a serem como são, felizes ou em busca da felicidade. Só gosto da mulher que me habita interiormente. E de algumas mulheres exteriores fisicamente. E hoje, às 7 horas da manhã, havia uma circunferência luminosa projectada na parede do meu quarto pela luz solar vinda da janela de um outro quarto..sinal de quê?

 

DOIS DIAS E MEIO NO PORTO POR CAUSA DO MEU FILME NO FANTASPORTO. À 1.40 da madrugada, de sexta feira, 4 de Março de 2016, chego ao Porto, após 8 horas de viagem desde Beja por autoestrada - eu guio a 80-90 km por hora, poupo o carro antigo e paro em locais diversos para comer algo, tomar café e descontrair. Na sexta de tarde, pelas 16 horas e pico entro no cineteatro Rivoli onde decorre, desde 26 de Fevereiro, o Festival Internacional de Cinema do Porto denominado Fantasporto. Um grande festival com mais de uma centena de filmes a ser exibidos ora no grande auditório ora no pequeno auditório.

 

A minha curta-metragem de 11 minutos «Adão Andrógino no Alentejo» feita com a magnífica equipa da Videoplanos ( Frederico e Nelson) é exibida cerca das 18 horas em competição com outras 10 curtas metragens portuguesas selecionadas: «O que é feito dos dias na cave», de Rafael Almeida ; «Quarto em Lisboa» de Francisco Carvalho ( vencedor; inclui a actriz conhecida Custódia Galego); «Cinestesias» de Luís Miranda; «A peça» de Bruno Canas; «Nature experiences» de Martin Dale; «São João» de Maria Nery; «Motorphobia», de Isabel Pina e Ricardo Figueira; «Senhor Jaime» de Cláudio Sá; «Esta noite vi dois marcianos de smoking» de Filipe Canêdo e «Palhaços» de Pedro Crispim. Fui chamado ao palco, frisei que nasci no Porto e sou mais de Beja onde vivo e trabalho há 28 anos. Ser selecionado já é uma vitória, um reconhecimento de qualidade.

 

No final da exibição, Josep C, fotógrafo do festival, intelectual catalão, do bairro de Graciá em Barcelona vem ter comigo e diz-me: «O teu filme encantou-me quando começas a cantar uma canção a Buenaventura Durruti, o grande líder anarquista espanhol, morto em 19 de Novembro de 1936, em Madrid. Durruti é venerado na Catalunha pelas esquerdas revolucionárias. Em Portugal ninguém o conhece». E falamos do Partido Obrero de Unificación Marxista (POUM), de que fui simpatizante, esmagado em Junho-Agosto de 1937 pelos estalinistas que assassinaram Andreu Nin, o líder poumista. Josep narra que na comemoração dos 60 anos da fundação do POUM, portanto em 1995, na sede do Parti Socialista de Catalunya, em Barcelona, um velho militante do POUM octogenário emocionou-se ao evocar um camarada e morreu de ataque cardíaco. Enfim, se há vidas anteriores eu creio que posso ter combatido nas fileiras da 83ª Brigada Mista do Exército Popular da República Espanhola , criada no sector Este da frente de Teruel, em 1937, com base nos batalhões anarquistas da antiga Coluna de Ferro saída de Valencia...

 

Janto em casa de um irmão, no Porto, e, já na madrugada de domingo, saio com o irmão e um primo e respetivas consortes para a zona dos Clérigos, na baixa do Porto, onde há centenas de bares abertos e milhares de pessoas a divertir-se, apesar do frio da noite. Entramos na «Galeria de Paris» e depois no grande bar «Destilaria», na Rua Cândido Reis, com dois grandes espelhos em duas paredes uma em frente da outra. Muito agradável estar ali. Ao fim de semana, o Porto supera Beja para quem precisa de música entre a multidão. Mas tudo é relativo. Ser jovem, audaz e optimista é que é bom. Os jovens é que beijam bem, não usam placas dentárias...Almoço com a filha, neste domingo, uma querida que põe reticências às incursões cinematográficas do pai, e volto a Beja às 16,30 horas, guiando, orando e cantando fados. Só nesta madrugada de 7 de Março entro em casa. Para levantar às 7.30 horas da manhã e voltar às aulas. Tudo correu bem 

 

OS MACHOS LATINOS- Há pouco eu disse a uma amiga: os machos latinos sao apenas mulheres musculadas viradas do avesso. Mantenho esta tese.

 

GOSTAVA DE VIVER MARITALMENTE COM DUAS MULHERES JOVENS E BELAS (20-25 ANOS) NA MESMA CASA.  Seria amor a três. Assim, o ciúme diminuiria. Seria possível um diálogo não asfixiante, a constituição de alianças táticas no plano afectivo. Seria a Trindade: a Mãe, a Filha e o Santo Espírito. E Deus proibe isto? Afinal amar duas mulheres ao mesmo tempo, uma em presença da outra, não é trair, nem cometer adultério. É sinceridade, generosidade no amor. A fidelidade exclusiva a uma parece ser demasiado egoísta. Somos gnósticos, não católicos romanos. Não cremos no papa Francisco mas sim nos Eóns do Pleroma, no Deus da Luz. A única lei divina é a Lei do Amor: ama como quiseres desde que não oprimas os seres a quem amas e lhes permitas devolver-te livremente o amor e ser feliz.

 

VIVER COM UMA «MIÚDA» DE 20 A 27 ANOS DE IDADE FAZ BEM. Porque ela está no auge da beleza física e esta corresponde, muitas vezes, a maior beleza espiritual. Porque não tem «pneus» nem teve muitos homens a conhecer-lhe o corpo. Porque não tem filhos. Porque acredita, moderadamente, no amor romântico, o amor de toda a vida. Porque ainda tem os pulmões pouco poluídos do fumo do tabaco. Porque é gentil e ardente a fazer amor. Porque usa sutiã que lhe realça os seios firmes. Porque a mãe dela critica; «Ai filha foste juntar te com um homem que podia ser teu pai, pela idade»

 

DEUS AMA MAIS AS PROSTITUTAS E OS TRAVESTIS DO QUE AS MULHERES CASADAS E OS HOMENS NÃO TRAVESTIS. Porque as prostitutas e os travestis correm riscos e são perseguidos por grupos violentos e homófobos ao passo que as mulheres casadas e os homens vestidos no masculino, como eu, estamos tranquilos no redil da normalidade dos costumes sociais felizes.

 

O PROBLEMA É O CORPO. Estive sentado na esplanada do «Luís da Rocha». Uma senhora de uns 70 anos, magra, muito enrugada senta-se na mesa ao lado. Era certamente bela, aos 20 ou 22 anos, as idades da B., da K., da M., etc. E penso: «O problema é o corpo, no amor conjugal. Um corpo de mulher jovem é sempre preferível ao de uma mulher velha. Isto é incontornável. Coitada ou coitado de quem transporta as marcas do envelhecimento visível e real. Já não pode amar como os jovens. Não me venham dizer que a idade não conta.»

 

NÓS, OS VIVOS, SOMOS UM BANDO DE REFUGIADOS que atravessamos o continente da existência para escapar à morte.

 

PARA QUE EXISTE A BELEZA? Para suportar a dureza, a crueldade sem limites da existência. A beleza é o véu de Maya, a deusa da ilusão das formas, como diria Nietzsche. A beleza do bebé e da criança dão alento e recompensa a quem cuida deles. A beleza da mulher jovem atrai os homens, leva-os a lutar por conquistá-la com um comportamento adequado, automóveis, jantares, bailes, idas ao cinema - onde a vida flui e palpita. A beleza é aliada da vida mas a desigualdade existe: há mulheres muito belas e há mulheres feias (as muito velhas em especial). As mulheres maquilham-se porque sabem que isso acrescenta beleza ao seu ser exterior.

 

UMA SIMPLES FOTO PODE DISSIPAR UMA PAIXÃO. Gostamos das mulheres por causa da sua beleza física, revestida de simpatia e graciosidade. Mas uma simples foto delas, desfavorável - sobretudo quando não conhecemos ao vivo essa mulher por quem nos apaixonamos idealmente - pode destruir a paixão. Porque esta obedece a estritos cânones de beleza

 

BEJA VERSUS LISBOA- Em Beja, há uma calma e uma qualidade ecológica superior a Lisboa. Encontro na rua a S. que me diz: «Agora trabalho em Lisboa. Não tem nada a ver com Beja. Nunca acontece nada em Beja, há um controlo social grande, as pessoas olham-nos como se estivessem a cobrar-nos algo. Em Lisboa, somos livres, ninguém nos conhece. Podemos ir aqui e ali, ter aventuras amorosas, ninguém nos vai pedir satisfações.» E não será verdade?

 

SUICÍDIO - 15 de Março de 2015. Em final de período, os alunos do 11º pedem-me um tema livre para discutir na aula inteira. Escolhem: o suicídio. O Miguel acha que suicidar-se é uma cobardia. Pergunto: e os samurais japoneses que, por se sentirem desonrados, espetam uma espada no seu próprio ventre, são cobardes? Falamos do suicídio por amor: «é uma estupidez» dizem os alunos, significa que «a pessoa se fechou obsessivamente no afeto a uma só pessoa». A Claire diz: «Bom é não estar preso amorosamente a ninguém e viver a adrenalina de se interessar, no momento, por esta ou por aquela pessoa»....Fora da escola, alguém me diz que num estabelecimento de ensino X, um aluno fala em suicidar-se por ter tido notas baixas e não se sentir bem tratado por alguém docente. Preocupante. Os adolescentes escolares são a nossa razão de ser enquanto professores. Temos de falar, sem culpar ninguém.

 

NICOLAU BREYNER E O AZAR DE CORAÇÃO EM SERPA-Em 13 de Março de 2016, discuti com uma mulher que amo, originária do concelho de SERPA, e ficamos um pouco «azedados» de CORAÇÂO (eu não, porque tenho sentimentos firmes de amor terno e eterno, já não sou adolescente). Em 14 de Março de 2016, o célebre ator Nicolau Breyner, originário de SERPA, morreu de ataque de CORAÇÂO. Fui eu ou ela quem matou telepaticamente Nicolau Breyner? Ou fomos ambos? Se não tivessemos discutido - ela uma SERPENSE - teria Nicolau (SERPENSE) morrido no dia seguinte?.

 

BEBER ALHO FERVIDO EM LEITE CURA. Uma amiga enviou-me a seguinte mensagem: «Venho informa-lo de um argumento para a sua tese de que os medicamentos não prestam. Como sabe, tenho estado doente e receitaram-me um xarope e um spray, que apenas me fizeram ficar pior. No entanto, soube de uma receita que é ferver alho em leite e beber tudo, incluindo o alho. Apenas bebi 3 vezes e melhorei quase que instantaneamente. O que acha?».

 

O que acho? Penso, de acordo com Ivan Ilich e outros, que a medicina oficial alopática é uma indústria do lucro, que mantém artificialmente a multiplicidade de doenças em toda a humanidade ao não proibir o consumo de carne, alcool, tabaco, açúcar refinado, fármacos iatrogénicos, vacinas, pão branco e cereais refinados.

 

ACREDITAR QUE UM VÍRUS ATENUADO OU UMA TOXINA INJECTADA NO CORPO ATRAVÉS DA VACINA ENSINA O CORPO A DEFENDER-SE CONTRA UMA DOENÇA É UMA ENORME INGENUIDADE... OU UMA ENORME ESTUPIDEZ. Um tóxico (vacina) introduzido no corpo só acrescenta mais toxicidade ao sangue e envenenamento lento aos orgãos internos. Mas a medicina oficial que temos, herdeira das «poções mágicas» de feiticeiros, acredita na imbecil doutrina da vacinação. Não vacines os teus filhos. Muita gente nos EUA se está a revoltar contra a vacinação que o Estado quer tornar obrigatória ou semi obrigatória.. Luta! O corpo é teu! Ninguém tem direito de o infectar com a picada mórbida da linfa de animais doentes.

 

SINCRONISMO CAVACO SILVA-PERDA DE RELÓGIO. Em 9 de Novembro de 1995, o candidato presidencial Aníbal CAVACO SILVA visitou a sua sede de candidatura na cidade de Beja. Eu passei no local com minha filha mais nova e peguei nela ao colo para ver, de entre a multidão, o político em causa. Ao chegar a casa, notei que PERDERA O RELÓGIO que tinha no pulso. Voltei ao local de onde a pequena multidão se evaporara e, perguntando, consegui que alguém me devolvesse o RELÓGIO.  

Em  9 de Março de 2016, CAVACO SILVA foi substituído por Marcelo Rebelo de Sousa como presidente da República Portuguesa. Horas depois fui à pastelaria O RELÓGIO, na vila da Vidigueira, ver na TV o jogo de futebol Zenit-Benfica e a PULSEIRA METÀLICA DO MEU RELÓGIO DE PULSO quebrou.

 

Que significa este sincronismo entre destaques de CAVACO SILVA e PERDA OU DANO DO RELÓGIO que levo no pulso esquerdo? Que Cavaco Silva «é» um relógio, um autómato? Que acelera ou atrasa a marcha do tempo?

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:43
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito (1)
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
17

19
21
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Áreas 21º-24º de Carangu...

Ponto 27º 37´/ 27º 44´ de...

Equívocos no Exame Nacion...

25 a 30 de Junho de 2017:...

28 de Junho a 1 de Julho ...

Breves reflexões de Junho...

Areas 14º-18º of Aries, 2...

Identidade de género, uma...

Teste de filosofia do 10º...

Teste de Filosofia do 11º...

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds