Domingo, 26 de Julho de 2015
Erros na prova 714 do exame Nacional de Filosofia de 21 de Julho de 2015

 

A prova 714 de exame nacional de filosofia, 2ª fase, de 21 de Julho de 2015, padece dos erros habituais nas questões de escolha múltipla. É o espelho da indigência teórica dos partidários da filosofia analítica que dominam a Sociedade Portuguesa de Filosofia e diversas cátedras em muitas universidades portuguesas. Vejamos alguns exemplos de perguntas mal construídas em que se garante haver apenas uma hipótese correcta entre quatro.

 

«2. Para um relativista, a liberdade de expressão será um valor:
(A) se tiver uma justicação objetiva.
(B) se resultar de uma escolha imparcial.
(C) se gozar de aprovação social.
(D) se for uma preferência informada.

 

Crítica minha: a questão está em absoluto mal formulada. Dependendo do que se entende por relativista, todas as respostas estão correctas, não são incompatíveis. Não há uma definição unânime de relativismo, entre os filósofos e os professores de filosofia. O que é relativismo? Para Simon Blackburn, Peter Singer, Luís Ribeiro e os pensadores analíticos relativismo é um cepticismo, uma doutrina segundo a qual, por exemplo, o catolicismo, o islamismo, o budismo e o ateísmo valem o mesmo no plano do valor de verdade, e um dogmatismo nacional, por exemplo, o valor «o capitalismo liberal é mau» é verdadeiro em todas as camadas sociais na Coreia do Norte, marxista-leninista, mas é falso nos EUA.. A frase «se for uma preferência informada» é uma expressão técnica dos analíticos que não é obrigatório os alunos saberem. Se eu fosse convidado a elaborar uma prova de exame nacional da filosofia que incluísse a teoria de Platão com conceitos como os três mundos de Platão, arquétipo, reminiscência, ascese, indicaria previamente o significado destes termos. O autor desta prova evidencia uma visão sectária e confusa. Uma coisa é ensinar a pensar com clareza outra é propagar a estupidez com pseudo-raciocínios.

 

Vejamos outra questão, cotada em 5 pontos.

 

«3. A maximização da utilidade, defendida por Mill, obriga a:
(A) dar prioridade às pessoas que nos são mais próximas.
(B) considerar imparcialmente o bem de cada pessoa.
(C) valorizar mais a comunidade do que o indivíduo.
(D) satisfazer apenas o nosso interesse próprio racional.»

 

Crítica minha: há duas respostas correctas, a B e a C, e não uma só como apontam os critérios de correção da prova. De facto, Mill teoriza que se considere imparcialmente o bem de cada pessoa: «Porque o utilitarismo exige a cada um que, entre a sua própria felicidade e a dos outros, seja um espectador tão estritamente imparcial como desinteressado e benevolente- No aureo preceito de Jesus de Nazaré lemos todo o espírito da ética da utilidade. Proceder como desejaríamos que procedessem connosco e amar o próximo como a nós mesmos - eis o ideal de perfeição da moral utilitarista ». (John Stuart Mill, Utilitarismo, Editora Atlântida, Coimbra, 1961, pág. 34).

 

Passemos à questão 4.

 

«4. A perspetiva ética de Mill enfrenta a objeção seguinte.
(A) Temos de ser responsáveis pelas consequências do que fazemos.
(B) Dar sempre prioridade à felicidade geral é demasiado exigente.
(C) É errado não dar prioridade aos interesses da maioria das pessoas.
(D) A felicidade não pode ser uma questão meramente quantitativa.»

 

Crítica minha: há duas respostas correctas, a B e a D, e não apenas uma como pretende o autor da prova (Luís Rodrigues? Ricardo Santos? Pedro Galvão? Outro?). De facto uma das objeções ao princípio de Mill de que a felicidade deverá ter um carácter de satisfação da maioria é a dos anti utilitaristas liberais, dos existencialistas defensores do individualismo radical que proclamam que «dar sempre prioridade à felicidade geral é demasiado exigente, há que respeitar a prioridade do egoísmo pessoal».

 

(artigo em construção: continua) 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:40
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 23 de Julho de 2015
As eleições de 4 de Outubro de 2015 e a conjunção de Marte e Júpiter em Virgem

 

 

O resultado das eleições de 4 de Outubro de 2015 está escrito à partida no Zodíaco pelas posições planetárias nos 360º do círculo do Zodíaco. Durante séculos, os filósofos, os cientistas e os líderes políticos e religiosos, por estupidez ou aleivosia, esconderam que o destino existe até nos pormenores mais ínfimos e está traçado à partida nos graus do Zodíaco pela passagem de Marte, Júpiter, Vénus , Saturno, Mercúrio, Sol e outros planetas neste ou naquele grau do Zodíaco. O céu manda na terra, o Yang submete o Yin, os planetas gigantescos do sistema solar manobram os cordelinhos das marionetas que somos nós, os partidos políticos e as grandes massas populares que obedecem a oscilações de humor e rumos de acção vindas do céu. A Terra, com as suas mutações sociais, políticas e biofísicas, é um gigantesco espelho das movimentações planetárias que ocorrem no firmamento imenso.

 

A CONJUNÇÃO MARTE-JÚPITER NOS PRIMEIROS ONZE GRAUS DE VIRGEM:

A VITÓRIA DA ALIANÇA DEMOCRÁTICA EM 2 DE DEZEMBRO DE 1979 E A ELEIÇÃO DE 4 DE OUTUBRO DE 2015...

  

Em 2 de Dezembro de 1979, com Marte em  5º 7´/ 5º 31´ do signo de Virgem e Júpiter em 9º 17´/ 9º 22´do signo de Virgem, a Aliança Democrática ( PSD, CDS, PPM e reformadores) vence com 121 deputados num total de 250 e constitui com o PSD insular que elege 7 deputados uma maioria absoluta de direitas e centro que irá governar com Sá Carneiro a primeiro-ministro.  

 

Ora, em 4 de Outubro de 2015, data das próximas eleições legislativas em Portugal, Marte estará em 5º 33`/ 6º 11´do signo de Virgem ( o mesmo grau 5 ou grau 155 da eclíptica em que esteve em 2 de Dezembro de 1979!) e Júpiter estará em 11º 27´/ 11º 39´ do signo de Virgem.

 

Uma conjunção similar Júpiter-Marte na área 5º-11º  de Virgem em duas eleições em Portugal - a de 2 de Dezembro de 1979 e a de 4 de Outubro de 2015 - deverá dar resultados similares: vitória das direitas. Prognóstico: António Costa e o PS serão derrotados nas urnas, em Outubro de  2015, por uma AD que, provavelmente, formará maioria parlamentar de deputados, sozinha ou coligada com um pequeno partido.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:44
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 16 de Julho de 2015
Atentados na Tunísia na Astrologia Histórica

 

Todos os  acontecimentos no mundo estão predestinados pelos movimentos regulares dos planetas, nodos da Lua e Sol nos 360º do círculo do Zodíaco. Vejamos algumas leis astronómicas que regem os atentados e acidentes notáveis ou revoltas político-sociais na Tunísia.  

 

ÁREA 20º-21º  DE CARNEIRO:

ATENTADO NA TUNÍSIA

  

A passagem do Sol, de um planeta de nodos da Lua ou de Quíron em 20º-21º do signo de Carneiro é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado selectivo ou em grande escala na Tunísia.

 

Em 16 de Abril de 1988, com Mercúrio em 21º 6´/ 23º 9´ de Carneiro, Khalil Wazir, conhecido como Abu Jihad, chefe militar da OLP é assassinado na Tunísia por comandos israelitas; em 11 de Abril de 2002, com Sol em 20º 55´/ 21º 54´ de Carneiro,  um camião-cisterna de gás conduzido por um suicida da Al-Qaeda explode diante da sinagoga de Ghriba em Djerba, Tunísia, causando 19 mortos, dos quais 14 alemães, 2 franceses e 3 tunisinos, e múltiplos feridos; em 18 de Março de 2015, com Marte em 19º 45´/ 20º 32´ de Carneiro, 21 turistas de nacionalidade espanhola, italiana, polaca, sul-africana, colombiana e brasileira. e dois tunisinos são assassinados por dois homens armados com metralhadoras Kalashnikov e vestidos com uniformes militares que irrompem no museu de Bardo, em Túnis, junto ao edifício do parlamento nacional, e disparam indiscriminadamente sendo os dois atacantes mortos após o assalto policial que provoca a morte de um polícia; em 26 de Junho de 2015, com Úrano em 20º 8´/ 20º 9´ de Carneiro, o soldado do califado dito Estado Islâmico,  instalado no Iraque e na Síria, Abou Yahya al-Qayrawani  assassina a tiro de metralhadora 39 pessoas, “no hotel Imperial”, em Sousse, na Tunísia, visando punir “antros [de] fornicação, vício e apostasia na cidade de Sousse”.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta desliza em 20º -21º do signo de Carneiro propiciando atentados na Tunísia são: de 16 de Julho a 31 de Agosto de 2015 (Úrano); em 31 de Março e 1 de Abril de 2016 (Mercúrio); de 1 de Abril a 7 de Maio de 2016 (Úrano); em 21, 22 e 23  de Abril de 2016 (Vénus).

 

ÁREA 3º-5º DE BALANÇA:

ATENTADOS NA TUNÍSIA

 

A passagem do Sol, de um planeta de nodos da Lua ou de Quíron em 3º-5º do signo de Balança  é condição necessária mas insuficiente para desencadear um atentado em grande escala na Tunísia.

 

Em 2 de Agosto de 1987, com Nodo Sul da Lua em 3º 49´/ 3º 49´ de Balança, ocorrem atentados da Jihad Islâmica en 4 hotéis, em Sôusse e Monastir, na Tunísia, ferem 12 turistas; em 26 de Junho de 2015, com  Nodo Norte da Lua em 5º 45´/ 5º 43´ de Balança, o soldado do califado dito Estado Islâmico, instalado no Iraque e na Síria, Abou Yahya al-Qayrawani assassina a tiro de metralhadora 39 pessoas, “no hotel Imperial”, em Sousse, na Tunísia, visando punir “antros [de] fornicação, vício e apostasia na cidade de Sousse".

 

Algumas das próximas datas em que um planeta desliza em 3º-5º  do signo de Balança  propiciando atentados na Tunísia são: de 15 a 25 de Julho de 2015 (Nodo Norte da Lua); em 30 e 31 de Agosto e 1 de Setembro de 2015 (Mercúrio); de 26 a 29 de Setembro de 2015 (Sol); de 1 a 4 de Outubro de 2015 (Mercúrio); de 14 a 17 de Outubro de 2015 (Mercúrio); de 11 a 14 de Novembro de 2015 (Vénus).

 

ÁREA 2º-4º DE SAGITÁRIO:

INDEPENDÊNCIA, REVOLTAS E ATENTADOS NA TUNÍSIA

 

A passagem do Sol, de um planeta de nodos da Lua ou de Quíron em 2º.4º do signo de Sagitário é condição necessária mas insuficiente para desencadear uma cerimónia de soberania nacional,  uma revolta  social ou um atentado em grande escala na Tunísia.

 

Em 20 de Março de 1956, com Saturno em 2º 46´/ 2º 45´ de Sagitário, a Tunísia ascende formalmente à independência, deixando de ser colónia francesa; em 3 de Janeiro de 1984, com Vénus em 2º 18´/ 3º 31´ de Sagitário, rebenta a «revolta do pão» em Kasserine, no centro da Tunísia, e em Gafsah e Gàbes, no sul do país, produzindo 99 mortos;.em 18 de Março de 2015, com Saturno em 4º 55´  de Sagitário, 21 turistas de nacionalidade espanhola, italiana, polaca, sul-africana, colombiana e brasileira. e dois tunisinos são assassinados por dois homens armados com metralhadoras Kalashnikov e vestidos com uniformes militares que irrompem no museu de Bardo, em Túnis, junto ao edifício do parlamento nacional, e disparam indiscriminadamente sendo os dois atacantes mortos após o assalto policial que provoca a morte de um polícia.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta desliza em 2º-4º  do signo de Sagitário  propiciando atentados na Tunísia são: de 11 de Outubro a 9 de Novembro de 2015 (Saturno); de 22 a 24 de Novembro de 2015 (Mercúrio); de 1 a 3 de Janeiro de 2016 (Vénus).

 

ÁREA 11º-13º DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO.

INDEPENDÊNCIA DA TUNÍSIA

 

A passagem do Sol, de um planeta de nodos da Lua ou de Quíron em 11º- 13º do signo de Capricórnio  é condição necessária mas insuficiente para exaltar a soberania nacional da Tunísia.

 

Em 12 de Fevereiro de 1943, com Marte em 11º 50´/ 12º 34´ de Capricórnio,  as tropas britânicas penetram na Tunísia;  em 20 de Março de 1956, com  Marte em 13º 11´/ 13º 51´ de Capricórnio, a Tunísia ascende formalmente à independência, deixando de ser colónia francesa; .

  

Acusamos de mediocridade as universidades portuguesa e brasileira, incluindo todos os seus professores catedráticos e agregados, e os grandes media ao seu serviço, por troçarem da astrologia, a proclamarem «anti-científica» e censurarem a astrologia histórica que praticamos e desenvolvemos. Acusamos Descartes, Hume, Kant, Marx, Feuerbach, Husserl, Heidegger, Sartre, Badiou, Zizeck, John Rawls, Peter Singer e a generalidade dos filósofos de mediocridade, por não possuirem a intuição do fatalismo planetário nem o conhecimento das leis zodiacais que impossibilitam o livre-arbítrio e regem por completo a vida no planeta Terra.

  

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:10
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 13 de Julho de 2015
Pequenas reflexões em Julho de 2015

 

 

 

Alguns de nós, no seu pequeno e insignificante quotidiano,  estão em perfeito sincronismo com os acontecimentos mais relevantes do dia a dia. É a teoria dos sincronismos ontofonéticos, que desenvolvo há anos, como variante da doutrina da sincronicidade. Exponho aqui algumas reflexões, mais ou menos banais, que ocorrem neste verão.

 

O QUE ME ACONTECE A CADA DIA É UM BÁROMETRO DO MUNDO? Ontem, 12 de Julho de 2015, fui tomar banho à praia do CARVOEIRO, Algarve, como já descrevi. Hoje, 13 de Julho, a embarcação de pesca “Cavaleiro” encalha nas proximidades do Cabo CARVOEIRO, Peniche, e os seis tripulantes são resgatados por um helicóptero da Força Aérea Portuguesa. Fui eu a causa metafísica e sincrónica deste NAUFRÁGIO  no cabo CARVOEIRO por ter ido ontem BANHAR-ME NA PRAIA DO CARVOEIRO? E o CARBURADOR (sugere: CARVÃO, CARVOEIRO) do meu carro está a funcionar mal, apurou-se hoje. Bem, sei que ides dizer que sou «vaidoso», «megalómano», «autocentrado» etc. - mas esta coincidência é real e soma-se a muitas outras. E sou um humilde servo de Jabulon, o Supremo Arquitecto do Universo (GADU)....

 

ESTAMOS MUITAS VEZES MELHOR NA COMPANHIA DOS DEUSES DO QUE NA DOS HOMENS E MULHERES - Precisamos de horas de solidão e de meditação e aí os deuses manifestam-se. Escrevo diante de um pequeno altar que coloquei na minha sala de estar, altar multifacetado onde há estátuas do dragão azul, de Buda Sorridente, da Fada A, da Virgem Santa Maria, etc. E aí oro, de diferentes maneiras: para a sensualidade, para a espiritualidade pura,etc. Que seríamos nós se não houvesse deuses? Que seria do amor se não houvesse sutiãs, ligas, corsés, meias de rede, botas de couro negro, perucas loiras e, sobretudo, mulheres reais, de corpos esculturais? As formas belas preenchem o vazio da existência.

 

SE O DEUS ESPÍRITO PURO NÃO TE PUDER ATENDER É PORQUE OS ASTROS SÃO DEUSES, deuses inferiores, que fabricam ferreamente o teu destino a partir dos seus tronos que são os graus do Zodíaco. Que podes fazer, irmã, irmão, senão louvar a ordem cósmica ou protestar gnosticamente contra ela?

 

COMO PODES AMAR MULHERES SE GARANTES QUE NÃO TENS NADA DE FEMININO EM TI? Não é pela semelhança - ou alguma semelhança - que amamos os outros?

 

O VERDADEIRO AMOR ESTÁ ACIMA DO BEIJINHO E DA MERA SENSUALIDADE. Vejo-as às vezes, insatisfeitas, porque sabem que são pouco mais que um pedaço de carne apetecível para o namorado ou o marido. O seu amor é incompleto: é pura sensualidade, com algum sentimento à mistura. Mas o verdadeiro amor comporta mais que isso: uma dimensão espiritual. É preciso que ambos se vejam como encarnação do Deus e da Deusa e se considerem a realização da união dos dois princípios, o Yang e o Yin. Sem a divinização da mulher e das operações mágicas dos Fiéis do Amor o verdadeiro amor não desabrocha plenamente

 

A PROVA DE QUE DEUS FALHOU AO CONSTRUIR O MUNDO é a de que os amores falham e estão trocados: muitas vezes, amamos pessoas que não nos amam e somos amados por pessoas a quem não amamos. Em última análise é o interesse (estético, sexual, monetário, social, cultural, etc) que comanda o amor. Todos os amores são interesseiros - ou por interesses nobres ou por interesses mesquinhos.

 

DEUS É INSTANTÂNEO COMO A PAIXÃO - O verdadeiro deus, a verdadeira deusa trazem-nos momentos de paixão, absoluta. O outro, o Ialdabaoth, o demiurgo, o «criador de todas as coisas materiais, visíveis e invisíveis» traz-nos o esforço, a amargura, a doença, o envelhecimento, a censura social opressiva, etc. A Lei do Amor é: ama quem quiseres, como quiseres.

 

APAIXONAS-TE POR UMA MULHER AO LONGE, DESAPAIXONAS-TE AO PERTO. É tão linda à distância aquela mulher jovem... Aproximas-te, seduzido, mas notas que tem uma tatuagem com uma caveira ou outra figura ou inscrição que te desagrada na pele. E notas, se for na praia, quando ela se põe em bikini que tem uma verruga no tronco que achas anti estética ou que tem as ancas demasiado largas e «pneus» e isso te repele ... O amor desaparece, porque a paixão, fundada na emoção estética visual, é a chave de ignição do amor. Que aborrecimento isto acontecer na vida! Que imperfeição, a do deus-demiurgo que moldou a matéria! Só a juventude é bela e mesmo essa é castigada pelo deus da Fealdade, o velho Cronos, que nos condena a ser eremitas perfecionistas.

 

O AMOR É UMA GRANDE COMÉDIA E QUANDO PENSAMOS A FUNDO DESCOBRIMOS QUE NINGUÉM NOS AMA, AS PESSOAS USAM-NOS SEXUAL, SOCIAL OU FINANCEIRAMENTE. É por isso que os nossos maiores amigos são o elevado nível de saúde, juventude e beleza e o dinheiro e bens materiais que possuímos (são o que inconscientemente chamamos Deus). É terrível estar lúcido acerca disso. Entretanto a beleza da natureza, pessoas incluídas, e das formas arquitetónicas e artísticas das cidades vão-nos consolando e dando alento para viver num mundo em que ninguém ama ninguém

 

.O AMOR PAIS FILHOS É O ÚNICO VERDADEIRO - O telejornal da SIC mostrou, em 21 de Julho de 2015, David Ferreira, de 39 anos, em cadeira de rodas, atingido desde Janeiro de 2013 por esclerose lateral amiotrófica. A mulher abandonou-o, levando as duas filhas. Só os pais dele cuidam dele. Conclusão: o amor homem-mulher como casal é uma mistificação, desaparece logo que um dos dois fica inválido. Só o amor de um pai ou de uma mãe por um filho é verdadeiro porque é biológico: sangue do meu sangue. Mas já os filhos não amam os pais: servem-se deles, tiram-lhes o dinheiro da reforma, metem-nos em lares de terceira idade. E Deus, se é Pai ou Mãe, que papel joga no meio disto tudo?

 

SER NOVO E SAUDÁVEL É O MELHOR DO MUNDO. Um empresário de discotecas ou de grandes fábricas e armazéns com 40, 50 ou 60 anos de idade ou um escritor laureado com o Prémio Nobel , de 40. 50 ou 80 anos, é menos rico que um jovem ou uma jovem de 20 anos, cheio de saúde e energia e beleza. Porque a juventude é tudo - e dispensa a religião, que é «coisa de velhos», aparentemente.

 

 

.NÃO OFEREÇAS ROSAS A UMA MULHER - Porque a rosa tem espinhos. A última vez que ofereci uma rosa a uma mulher linda, correu mal. Os espinhos sobrepuseram-se às pétalas. E Maria, a Rosa Mística, tem espinhos: os sofrimentos que Nela a humanidade crava com lancinantes pedidos ou protestos. Há outras flores sem espinhos que simbolizam o amor.

 

CRITICAMOS AS MULHERES PORQUE SE TORNARAM DEMASIADO INDEPENDENTES E «TROCAM DE PARCEIROS, COMO DON JUAN NO FEMININO» - Mas esquecemos que elas vêm de séculos e séculos em que sofreram a opressão do homem, das igrejas católica, judaica, islâmica, hindu, dos Estados com suas leis machistas... Compreendamos as mulheres.

 

A TUA NAMORADA OU O TEU NAMORADO... em que diferem daquela outra rapariga ou daquele rapaz que estão ali a olhar-te? Nem sabes bem. Acontece que conheces ou julgas conhecer a namorada ou o namorado porque estão próximos de ti, já conheces as suas ideias, o seu toque de acariciar e por isso os escolhes, em detrimento de quem não conheces. Mas os estranhos... será que não os amas?

 

NÃO AMAMOS AS PESSOAS MAS AS QUALIDADES QUE VEMOS NELAS, DIZIA PASCAL. Assim, o deus que nos fez é o responsável das traições, das neuroses, dos desequilíbrios, da fome e da miséria que contaminam a humanidade: nós só amamos uma mulher enquanto a Beleza, a Doçura e a Juventude residirem nela, só amamos os desportistas enquanto a Força e a Capacidade de Vencer Competições pousarem neles , só amamos o nosso pai ou a nossa mãe enquanto neles estiver o Instinto Protector para com os Filhos, a Bondade, o Dinheiro, porque se se tornassem diabólicos assassinos já não os amaríamos...Não temos culpa de ser assim, são os deuses /Deus e não os homens que estão sob acusação.

 

A PROSTITUTA É MAIS DIGNA DO QUE A MULHER CASADA FIEL A UM SÓ HOMEM. Custa dizê-lo mas é a verdade. A prostituição é o socialismo sexual. A prostituta partilha o seu corpo com vários homens e mulheres, socializa o prazer orgástico a dois ou mais, atende os jovens anti-sociais incapazes de conquistar namorada, os doentes em cadeira de rodas ou os idosos viúvos ou divorciados sós. Sendo o acto sexual sagrado, ela é uma sacerdotisa que merece mais respeito do que o padre: porque ela oferece o seu corpo num «Tomai e comei, isto é o meu corpo». Ela é, de certo modo, o Cristo em versão feminina. Cobra dinheiro? E que mal tem isso? Ela precisa de comer, vestir, maquilhar-se.

 

O ACTO SEXUAL É SAGRADO E MUITAS VEZES É PREFERÍVEL SER FEITO COM UMA PROFISSIONAL COM «CLASSE» DO QUE COM A ESPOSA- O acto sexual entre homem e mulher reveste-se de enorme sacralidade. Se ele não vir nela a própria Deusa refletida e ela não vir nele o próprio Deus refletido, o acto é pura e simplesmente de prazer sensual e está condenado à monotonia, opera um corte instantâneo numa relação que tende a tornar-se enfadonha e nada mais. É por isso que a operação sexual do amor homem-mulher se realiza muitas vezes melhor com uma acompanhante profissional, uma mulher disposta a cumprir o ritualismo dos Fiéis do Amor, do que com a própria esposa: sentar-se como deusa com a adequada lingerie, receber a homenagem do homem vestido sacerdotalmente, com vestes brancas, douradas e vermelhas, venerar a estátua da deusa Vénus que preside à cerimónia. A oração à Deusa é um pré-requisito para ambos. A noção de fidelidade do casamento é superada pela de fidelidade à Deusa.

 

HETEROSSEXUAL DE FRONTEIRA- Somos heterossexuais de fronteira: apreciamos o crossdressing (travestismo ocasional), amamos a Deusa e as mulheres em geral, não temos complexos em vestir de mulher em público, porque seguimos a igreja católica gnóstica («Veste-te como quiseres») mas tratamos à bofetada os homens que nos quiserem apalpar ou violentar porque não somos gays nem pouco mais ou menos. Defendemos o direito de gays e lésbicas serem livres de se manifestar publicamente e não serem discriminados.

 

EU GOSTO DE VESTIR-ME DE MULHER. E daí? Sou mais homem do que tu que nunca te vestes de mulher, nem no carnaval, e esboças risos de troça relativos à minha fantasia. E sou mais activo com as mulheres do que tu és, provavelmente. Vestir de mulher não é, em princípio, gostar de homens: é gostar de mulheres, duplamente, como homem biológico e como mulher lésbica psicológica. Isto não o podes entender. Terias de começar a pensar e concluirias que usar tal ou qual vestuário não é opção sexual na essência. Afinal grande parte dos gays vestem sempre de homens. Como tu.

 

NA CAMA, NÃO HÁ PROGRAMA, dizia o poeta brasileiro Carlos Drumond de Andrade. Quer dizer que se uma mulher enfiar o dedo ou um dildo num dado sítio do corpo do namorado, do marido ou amante não há que classificar estes como «gays», «bissexuais», etc., nem há que sentirmo-nos superiores só porque «não praticamos esses actos indignos de verdadeiros machos». Mentalmente, a totalidade dos homens é bissexual: não há nenhum homem que nunca tenha tido um pensamento homossexual alguma vez na vida. Ironizando poderíamos dizer que todos os homens são um pouco gays e se dividem em duas classes: os gays praticantes (uns 10% ou 15%) e os gays não praticantes (uns 90% ou 85%). Todos os homens possuem rabo e isso gera inevitavelmente neles uma inclinação, muito pequena, média ou muito grande, à homossexualidade. É assim e os que negam isto são, consciente ou inconscientemente, hipócritas.

 

Sigmund Freud tinha razão: a simples amizade entre duas pessoas do mesmo sexo é uma forma sublimada, espiritualizada, de homossexualidade. De um modo geral, as religiões ignoram estas verdades fundamentais como se fosse possível ao homem transcender o seu lado animal-sexual e pensar e sentir apenas no plano das divindades, etc. Os ascetas merecem respeito mas há que não esquecer que, segundo Wilhelm Reich, foram os missionários católicos dos séculos XVI e XVII quem fez surgir a homossexualidade entre as tribos índias da América do Sul ao imporem a estas uma rígida separação dos sexos, fazendo das mulheres seres «castos e protegidos dos homens» e dos homens «pessoas auto castradas psicologicamente que não podiam ter acesso livre às mulheres». Perdoemos à igreja católica ser uma fonte de homossexualidade - muitos dos novos padres são gays - mas saibamos demarcar-nos da sua moral convencional e parcialmente falsa que esconde a natureza essencialmente sexual de quase todos os actos humanos. Não deixes nunca o teu filho pequeno, de 4, 7, 10 ou 14 anos fechado na sacristia ou no dormitório a sós com o padre! Eros (princípio de vida e desejo sexual) e Tanatos (princípio da morte e destruição) são os governantes do psiquismo humano..

 

UMA CADELA DEU A VIDA PELO SEU VIZINHO?- A história é verdadeira e passou-se em 24 de Julho de 2015 numa vila do Alentejo. Um jovem de 31 anos estava sozinho em casa a tomar banho após uma partida de futebol e sente o coração bater aceleradamente sem parar. Aflito, pressentindo que podia morrer, sai para a rua a fim de que o vejam e ouve a vizinha da frente dizer: «Ai, vizinho, imagine o alvoroço que aqui vai. A cadela dos vizinhos de cima acaba de morrer com um ataque de coração». Os bombeiros da vila levam, na ambulância do INEM, o nosso jovem amigo de 31 anos para o hospital da cidade mais próxima e aqui o médico verifica que o coração do jovem bate a 200 pulsações por minuto. Como é possível? Ouvi falar de casos em que as pessoas morrem quando o coração insiste em bater a 140 ou 160 pulsações por minuto...É um milagre estar vivo com essa pulsação de 200, louca e persistente.A companheira do jovem alvitra uma hipótese: «Acredita-se que os animais dão a vida pelos seus donos ou pelos amigos dos seus donos. A cadela terá dado a vida para que o meu companheiro sobrevivesse.». Magia natural, metafísica... Há leis no universo desconhecidas - estamos todos ligados num psiquismo universal, um pampsiquismo. E que deus é esse a quem a cadela se ofereceu em sacrifício? Ou é pura Energia Cósmica que elimina certos seres e conserva outros? .

 

A DITADURA DO PROLETARIADO - Vivemos sob ditaduras das burguesias, uma vez que os Estados democráticos vivem sob a lei do capitalismo e as polícias agem a favor dos patrões, dos ricos contra os pobres. Há, alguma liberdade individual e nisso a democracia burguesa se distingue da ditadura fascista ou da ditadura teocrática ou da ditadura stalinista - nesta última o partido comunista proíbe os operários de fazerem greves e livres manifestações de rua . A ditadura do proletariado é o Estado anarquista - expressão contraditória porque os anarquistas proclamam o fim do Estado- em que os operários são donos das empresas e os moradores dos respectivos bairros mediante o sistema de autogestão, em que as assembleias amplas de trabalhadores decidem tudo. Há que estar atento a que estas não sejam manipuladas por oradores hábeis e destituídos de equidade socialista.

 

DIREITAS E ESQUERDAS - O que caracteriza as direitas é apoiarem os empresários privados, os capitalistas e os latifundiários, como motores do desenvolvimento económico e estimularem as privatizações, a liberalização da economia, baixando os impostos sobre o capital e impondo austeridade à classe operária, diminuindo ou fazendo desaparecer o subsídio de desemprego, o rendimento social de e outras prestações sociais, o serviço nacional de saúde gratuito ou quase gratuito. As direitas ligam-se, mais ou menos, à igreja católica romana e a outras a fim de anular a luta de classes, o espírito revolucionário do povo trabalhador com missas, procissões, comunhão e ideologia da salvação individual da alma sem levantar ondas de protesto social. O que caracteriza as esquerdas é apoiarem o sector nacionalizado do Estado (o capitalismo de Estado) e um sistema de impostos altos sobre os empresários embora defendendo alguma esquerda a propriedade privada dos meios de produção e troca (social-democracia: PS e Internacional Socialista) e, defendendo as modalidades mais vincadas de esquerda operária, a nacionalização da banca e todas as grandes empresas em governo de hegemonia comunista (PCP ou Bloco de Esquerda) ou a autogestão generalizada ou tomada de poder em cada fábrica pelos operários com supressão do parlamento burguês, do exército e da polícia (anarquismo e anarco-sindicalismo). O PS é uma esquerda muito ténue, mais centro do que esquerda, que no essencial se une com a direita capitalista para manter a economia de mercado e a democracia parlamentar. É, de certo modo, o centro.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Quinta-feira, 9 de Julho de 2015
Apontamentos sobre o Feng Shui: o Dragão Azul versus Tigre Branco

 

O Feng Shui (em chinês: Vento- Água) ou ciência e mística chinesa das correspondências entre os pontos cardeais e os diversos planos da vida de cada pessoa e as divisões de uma casa baseia-se na dualidade Yang (Verão, Luz, Sul, Movimento, Alto) / Yin (Inverno, Escuridão, Norte, Imobilidade, Baixo).

 

ACHAR O DRAGÃO E O TIGRE EM UM TERRENO

 

Escreve o estudioso de Feng Shui Ernest J. Eitel :

«Em primeiro lugar, deve ser entendido que há na crosta terrestre duas correntes diferentes, que eu chamarei de magnéticas: uma masculina, outra feminina; uma positiva, outra negativa; uma favorável, a outra desfavorável. Uma é alegoricamente chamada de dragão azul, e a outra, tigre branco. O dragão azul deve sempre ficar à esquerda; e o tigre branco sempre à direita de qualquer lugar considerado de bom agouro. Assim sendo, esse é o primeiro afazer do geomante: procurar um local propício, achar um bom dragão, e seu complemento, o tigre branco, ambos discerníveis por certas elevações do solo.»

 

«Outra regra é que em terreno profundamente monótono, numa planície perfeitamente nivelada, ou em declives constantes, onde não há sinal de dragão ou tigre, não será possível encontrar nenhum bom sítio. »

«Uma terceira regra é observar a diferença entre terreno masculino e terreno feminino. As fortes elevações são chamadas masculinas, ao passo que o terreno irregular de ondulação suave é feminino. Em terreno onde as características masculinas prevalecem, o lugar favorável é no ponto com características femininas, visíveis ao olho ou indicadas pela bússola, ao passo que num local globalmente classificado como feminino, o melhor lugar para um túmulo ou casa deve ter indicações de predomínio masculino. Mas os prognósticos mais favoráveis pertencem ao ponto onde haja uma transição de masculino para feminino ou de feminino para masculino, e onde as vizinhanças combinam - como indicado pela bússola - características masculinas e femininas na proporção certa, que os livros de Feng Shui afirmam ser 3 / 5 masculino para 2 / 5 feminino. Onde, porém, as indicações femininas  excedem as masculinas, há influências malignas, contrapondo-se a quaisquer outras configurações favoráveis»

(Ernest J. Eitel, Feng-Sui, A Ciência do Paisagismo Sagrado na China Antiga, Editora Ground, 5ª edição, São Paulo, pags 36-37; o destaque a negrito é posto por mim).

 

 

OS DOIS SOPROS DA NATUREZA, A MÁ INFLUÊNCIA DAS ROCHAS E A BOA INFLUÊNCIA DOS ARBUSTOS

 

Depois de abordar o misterioso «livro» do céu, feito de planetas e constelações, onde está escrito o destino dos indivíduos e de abordar  as proporções numéricas da natureza, Eitel sublinha que há dois sopros da natureza, o benéfico, vindo do dragão, e o maléfico, vindo do tigre branco, que as linhas curvas e sinuosas são boas, em geral, e as linhas rectas são más, em geral:

«Agora chegamos à terceira divisão do sistema de Feng-shui, a doutrina do sopro da natureza. A natureza, como já tive oportunidade de apontar antes, é vista pelo observador chinês como um organismo vivo e que respira, e não nos podemos surpreender, portanto, ao encontrar os chineses discutindo a inalação e a exalação do alento da natureza. De facto, com a distinção destes dois sopros, o de expansão, como o chamam, e o de reversão, explicam quase todo o tipo de fenómeno da natureza. (....) 

«Sempre que houver uma colina ou montanha elevando-se abruptamente do solo, e erguendo-se em linhas rectas, ou mostrando um aspecto extremamente anguloso, sem encostas graduais, haverá aí um sopro perigoso. Falando genericamente, todas as linhas rectas aão maus sinais, mas mais especialmente quando uma linha recta aponta directamente para o ponto em que um local foi escolhido.» (...)

«Como as linhas rectas das serras são causadoras de más influências, o mesasos mo se dá com as correntes de água que correm em linha recta. A água, no sistema de Feng- Shui é sempre vista como símbolo da riqueza e da abundância. Sempre que a água correr em linha recta, fará com que as propriedades das pessoas que vivem perto dela se escoem depressa, da mesma maneira que a água. As linhas tortuosas são indicações de sopros benéficos e servirão para reter o sopro vital, onde quer que ele exista.»

«Outra indicação da existência de um sopro maligno são as rochas destacadas, a menos que sejam protegidas por árvores e arbustos. Há muitos casos, dados nos livros de geomancia, de túmulos situados perto de rochas, mas estando estas protegidas por vegetação densa; o túmulo em questão exercendo ao longo de várias gerações a mais benéfica influência, acumulando honrarias, riqueza, longevidade, progénie, e tudo o mais sobre as famílias cujos ancestrais foram enterrados ali. Mas aos poucos, a descrença no Feng-Shui, ou a avidez, ou o ódio de um inimigo malicioso, fez com que as árvores caíssem e os arbustos que protegiam as rochas fossem cortados, causando imediatamente a desgraça e a pobreza a estas famílias; foram privadas de suas honrarias, seus emolumentos, sua riqueza dispersou-se, e seus descendentes foram lançados às agruras da vida para passar fome.»

 

(Ernest J. Eitel, Feng-Sui, A Ciência do Paisagismo Sagrado na China Antiga, Editora Ground, 5ª edição, São Paulo, pags 55-59; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Esta correlação pode ou não ser considerada superstição mas respeita o princípio das correspondências macrocosmo-microcosmo em que tudo está ligado segundo leis especiais: a boa sorte da família liga-se ao estado dos túmulos dos antepassados, os arbustos ligam-se à boa energia espiritual, as rochas à má energia.

 

A FORMA DO TERRENO E DA CASA E A POSIÇÃO DE MOBILIÁRIO DESTA

 

 

Também a forma do terreno e da casa nele construída podem ter um bom chi ou um mau cha.

 

«Um terreno que possui o seu lado direito (Tigre) menor que o lado esquerdo (Dragão) é considerado como possuidor de um aspecto desfavorável de Feng ShuiA forma mais favorável de uma casa, em Feng-shui, é a retangular, dentro da qual o chi pode fluir suavemente através da casa toda. Casas que possuem porções vazias como uma casa em forma de H tendem a ter uma influência adversa sobre eventos futuros e sobre alguns de seus ocupantes, dependendo da parte da casa que está "faltando".

(Victor L. Dy, Feng Shui Básico, manual completo da milenar ciência chinesa aplicado à vida moderna, Editora Ground, São Paulo, págs 120).

 

O fogão é o símbolo da riqueza da família. O seu posicionamento na cozinha influi, segundo o Feng Shui, no destino da família.

 

«Uma janela atrás do fogão não fornece rectaguarda. Pior se houver um poço em linha com a janela (em áreas rurais). (...) Aqui se aplica o princípio de que cada elemento importante de uma casa deve ter uma rectaguarda

«Veremos agora como o adágio "Como em frente, assim atrás" se aplica a um fogão. Actualmente, a taxa de divórcios está subindo e há inúmeros casos de famílias desagregadas. Uma das causas de tais tragédias familiares pode ser traçada pela localização do fogão. A Fig. 135 mostra uma pia colocada em frente ao fogão. O chi da água , proveniente da pia, e o chi do fogo. proveniente do fogão, possuem frequências opostas. As energias conflituantes afectarão o temperamento da mulher, que geralmente cozinha.»

 

(Victor L. Dy, Feng Shui Básico, manual completo da milenar ciência chinesa aplicado à vida moderna, Editora Ground, São Paulo, págs 196).

 

Por que razão os autores dos manuais escolares de filosofia não reproduzem textos como estes, sobre o Feng Shui, textos que se revestem de grande interesse como matéria de reflexão? Porque na área da filosofia mundial institucional vivemos sob uma ditadura ideológica - uma estreita democracia que vai do liberalismo de direita de Robert Nozick ao liberalismo de centro-esquerda de John Rawls, tudo muito bem delimitado nos arames da democracia liberal, a mais favorável aos livre-pensadores, diga-se. Porque a ignorância da vastidão filosófica é a marca destas universidades portuguesas, brasileiras, francesas, alemãs, britânicas, norte-americanas, etc, da  pós-modernidade, a marca destes catedráticos de fraca qualidade, muitos deles jovens, arrivistas e arrogantes, de 30, 35 e 45 anos de idade que se julgam investidos de um «saber sobrenatural» só porque fizeram um «doutoramento» (equivalente a obter um título de sacerdote na igreja católica) . Porque o Feng Shui, utilizando a lei da analogia e o princípio de que tudo se relaciona com tudo segundo leis específicas, incomoda os medíocres que mandam na nossa sociedade.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 11:16
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Teologia cátaro-bogomila:...

Ponto 23º 7´/23º 15´de qu...

Erros na tradução portugu...

O sublime moral para Scho...

Seísmos en México en Astr...

Área 9º-10º do signo de T...

Neocátaros versus budismo...

Teologia neocátara: sem j...

Herbert Marcuse: o caráct...

Breves reflexões de Agost...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds