Domingo, 25 de Janeiro de 2015
Ambiguidade de Hannah Arendt sobre o «ser»

 

Hannah Arendt (14 de Outubro de 1906- 4 de Dezembro de 1975), judia alemã, discípula de Heidegger, usou, como este, a palavra «ser» com uma certa ambiguidade:

 

«A destruição do conceito antigo de ser só foi levada até ao meio. Kant destruiu a velha identidade do ser e do pensamento e com ele a ideia da harmonia préestabelecida entre o homem e o mundo. O que não destruiu, o que implicitamente preservou, foi o não menos antigo conceito, intimamente ligado à ideia de harmonia do ser preexistente cujas leis, em todos os casos, se impõem aos homens. » (Hannah Arendt, Compreensão política e outros ensaios, Antropos, Outubro de 2001, pág. 52; o destaque a negrito é posto por mim.)

 

Por que razão Kant só "destruiu metade do velho conceito de ser"? A que ser se refere Hannah Arendt: ao mundo material com suas leis? A Deus, espírito primordial? Não esclarece. Ambígua, tal como o seu mestre Martin Heidegger...É este o tipo de discurso habitual dos retóricos que triunfam entre as nuvens da imprecisão no céu institucional da filosofia.

 

A visão germanófila da filosofia, que Heidegger e Hannah Arendt possuíam,  apaga o papel do bispo irlandês George Berkeley, predecessor de Kant, e verdadeiro autor, no século XVII, da revolução idealista que destruiu a exterioridade do ser, entendido como mundo de matéria, face ao pensamento, incluindo-o dentro deste último, reduzindo-o a ideia.

Kant é um imitador de Berkeley que desdenha este, falsificando o seu pensamento.

 

Prossegue H. Arendt:

« Sem dúvida, o homem de Kant tem a possibilidade de determinar os seus actos na base da sua boa vontade; ora esses actos encontram-se, eles próprios, submetidos à lei da causalidade, uma esfera essencialmente estranha ao homem. A partir do momento em que um acto do homem sai da esfera subjectiva, entra na esfera objectiva que é a causalidade, perdendo assim a sua qualidade de liberdade (...)»

«Quando Kant fez do homem o senhor e a medida do homem, rebaixou-o simultaneamente à condição de escravo do Ser. Cada um dos filósofos que se lhe seguiram a partir de Schelling, protestou contra esta degradação. A filosofia moderna ocupa-se ainda hoje com esta humilhação do homem acabado de se emancipar. É como se ainda o homem nunca se tivesse elevado tanto nem caído tão baixo...» (Hannah Arendt, Compreensão política e outros ensaios, Antropos, Outubro de 2001, pág. 93.o destaque a negrito é posto por mim. ) 

 

Há vários erros de Hannah Arendt nestes textos. 

 

Um deles consiste em que a liberdade não se limita à esfera subjectiva, como diz Hannah, mas objectiva-se em acções políticas, económicas, etc., da esfera exterior: um sinal da liberdade, relativa, do povo grego, é a votação de 25 de Janeiro de 2015 que dá a vitória ao Syriza. Portanto, a liberdade entra na lei da causalidade social, exterior, e influi ou retorce esta enquanto lhe for possível.

 

Ao definir a lei da causalidade, como «uma esfera essencialmente estranha ao homem» Hannah Arendt equivoca-se: sendo o homem composto por dois «eu», o numénico e o fenoménico, encontra-se, este último, isto é, o eu corpóreo, físico, sujeito às leis de causalidade da fome, da sede, respiração, sono e vigília. Portanto, a causalidade necessária é inerente ao corpo humano que é parte integrante do homem. Não é estranha ao homem, como sustenta H.Arendt.

 

A afirmação «Quando Kant fez do homem o senhor e a medida do homem, rebaixou-o simultaneamente à condição de escravo do Ser.» é absolutamente ambígua, inconsistente. Que Ser é este? A natureza física? Deus? Ou nem um nem outro, como sustentava o seu mestre Heidegger, sem contudo definir o ser que caracterizava como «o mais próximo e o mais distante»? Arendt não é clara, joga na ambiguidade do termo.

 

Hannah Arendt não passa de uma vulgar filósofa de segunda categoria, ao alcance dos medianos que hoje dominam a quase totalidade das cátedras de filosofia.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:10
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2015
Confusões de Dan O´Brien sobre realismos directo e indirecto, adverbialismo e intencionalismo

 

Em «Introdução à Teoria do Conhecimento» o filósofo analítico Dan O´Brien, da Oxford Brookes University,  explana uma visão algo equívoca sobre a teoria do conhecimento, que divide em cinco correntes essenciais: realismo directo, realismo indirecto, idealismo, fenomenismo, intencionalismo.

 

 

O REALISMO CRÍTICO (QUALIDADES PRIMÁRIAS E SECUNDÁRIAS) É REALISMO DIRECTO?

 

O´Brien considera o realismo directo divisível em realismo natural e realismo crítico. 

 

«1. Realismo directo.

«O realismo perceptual é a visão do senso comum de que mesas, molas para papel existem independentemente dos sujeitos que as percepcionam. Os realistas directos também afirmam que são esses objectos que percepcionamos directamente, podemos ver, cheirar, tocar, provar e ouvir estas coisas que nos são familiares. Há, no entanto, duas versões do realismo directo: o realismo directo ingénuo e o realismo directo científico. Estas concepções diferem quanto às propriedades que se admite que os objectos da percepção possuem quando não estão a ser percepcionados. Os realistas ingénuos afirmam que esses objectos podem continuar a ter todas as propriedades que normalmente percepcionamos, tais como a vermelhidão, a macieza e a tepidez. Os realistas científicos defendem que algumas das propriedades que um objecto possui quando percepcionado dependem do sujeito perceptual, e que os objectos não percepcionados não devem ser concebidos como se conservassem essas propriedades (...) O realismo científico é muitas vezes considerado nos termos da distinção lockeana entre qualidades secundárias e primárias (...) A chávena em si mesma não é vermelha mas a concepção física da sua superfície e a forma particular como esta superfície reflecte os raios de luz nos nossos olhos provoca em nós a experiência de ver vermelho (Dan O´Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento, Gradiva, pág. 80-81; o destaque a negrito é colocado por mim).

 

E sobre o realismo indirecto escreve:

«Os realistas indirectos aceitam que a minha chávena de café existe independentemente de mim. Consideram, no entanto, que eu não tenho uma percepção directa desta chávena. O realismo indirecto afirma que a percepção envolve imagens mediadoras. Quando olhamos para um objecto não é esse objecto que vemos directamente mas um intermediário perceptual. Estes intermediários têm recebido várias designações: "dados dos sentidos", "sensa", "ideia", "sensibilia", "perceptos", "aparências" (Dan O´Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento, Gradiva, pág. 82).

 

É evidente que há uma duplicação falaciosa nestas definições: como se pode chamar "realismo directo" à teoria das qualidades primárias e secundárias de Descartes e Locke se, em parte, não vemos directamente os objectos como são e lhes atribuímos cores, sons, cheiros, graus de dureza que não possuem mas que apenas são modos subjectivos de os percepcionarmos? Neste caso a cor vermelha que atribuo à chávena não existe nesta mas apenas nos meus olhos, na minha imaginação, e constitui um «sensa», «sensibilia», um «percepto» - e estamos dentro da definição de realismo indirecto, facto de que O´Brien não se dá conta.

 

O erro de Dan O´Brien consiste em classificar o realismo científico ou crítico como um realismo directo quando se trata, sobretudo, ou na totalidade de um realismo indirecto que salienta nitidamente a ruptura, a não correspondência exacta entre o objecto material exterior e a representação (percepção, ideia) que dele fazemos. Assim o conceito de realismo directo deveria limitar-se ao realismo natural ou ingénuo que afirma que o céu é azul, a erva é verde, o mármore é frio, a lã em quente, isto é, à corrente que, de um modo geral, não duvida da veracidade das percepções empíricas. Se há um realismo que declara que o mármore não é frio e a lã não é quente e que o quente e o frio não existem fora de nós mas são apenas sensações subjectivas, "sensibilia" então isso é realismo indirecto.

 

O INTENCIONALISMO É AUTÓNOMO FACE AO REALISMO E AO IDEALISMO?OU É UMA CARACTERÍSTICA GERAL DESTES?

 

Dan O´Brien escreve ainda sobre o intencionalismo, uma posição que, confusamente, situa no mesmo plano que o idealismo, o realismo e o fenomenismo:

«4. A teoria intencionalista da percepção.

«A última posição que iremos examinar nega que os dados dos sentidos estejam envolvidos na percepção e afirma, ao invés, que estamos em contacto perceptual directo com o mundo. Voltamos assim ao realismo directo com que este capítulo começou.» (Dan O´Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento, Gradiva, pág. 92).

«Os intencionalistas acentuam certos paralelos entre a experiência perceptual e as crenças. As crenças são representações do mundo. A intencionalidade é uma característica essencial da mente e descreve a propriedade que têm certos estados mentais de representarem - ou de serem acerca de - certos aspectos do mundo(...) O intencionalista defende que a percepção também envolve estados representacionais (o intencionalismo é por vezes designado "representacionismo"). (Dan O´Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento, Gradiva, pág. 93-94; o destaque a negrito é colocado por mim).

 

Mais uma vez a nuvem da confusão intelectual impede O´Brien de situar correctamente, espacio-mentalmente, os conceitos. O´Brien separa o intencionalismo. como se fosse autónomo, do realismo, do fenomenismo e do realismo, pondo todos ao mesmo nível, ignorando que todo o realismo é um intencionalismo ou representacionismo: a intentio ou representação, imagem ou conceito, espelha, de certo modo, um mundo de objectos exteriores. O´Brien confunde género e espécies distintos: intencionalismo é género que engloba os realismos, o idealismo e o fenomenismo. Em todas estas correntes se postula haver imagens ou ideias que representam algo.  Intencionalismo pertence ao género gnosiológico (modo de conhecer) mas realismo, idealismo e fenomenismo pertencem ao género ontológico ou ontognosiológico (modos de ser).

 

 UMA CONFUSÃO INTITULADA ADVERBIALISMO

Escreve O´Brien, introduzindo o conceito de adverbialismo:

«4.1  Adverbialismo

«Uma maneira de rejeitar o pressuposto de que temos de estar cientes de algum objecto é fazer a chamada "manobra adverbial". Esta estratégia pode ser ilustrada virando-nos para outros exemplos onde não se apliquem tais pressupostos ontológicos. "David Beckham tem um magnífico pontapé de livre" não implica que ele possua um certo tipo de objecto - um pontapé - como coisa que ele pudesse dar ou vender como o seu magnífico carro. Em vez disso, compreendemos que esta frase significa que ele executa os pontapés magnificamente. "Magnífico" não deve ser tomado como um adjectivo que descreve a propriedade de um objecto; deve ser visto como um adjectivo que desempenha a função de um advérbio, descrevendo como uma dada acção é executada (...) O argumento dos adverbialistas no que concerne à percepção é que quando percepcionamos o vermelho estamos a percepcionar de modo vermelho ou vermelhamente (...) Ao levar a chávena de café à boca, vejo de modo castanho (castanhamente); não tenho a percepção dos dados dos sentidos castanhos e amargos, que são os análogos internos das propriedades do café debaixo do meu nariz.»

(Dan O´Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento, Gradiva, pág. 92-93; o destaque a negrito é colocado por mim).

 

Adverbialismo (ponto 4.1) misturado com intencionalismo (ponto 4)? Como se relacionam? O´Brien é confuso, não hierarquiza estas noções entre si de maneira clara. Não está o adverbialismo - subjectivismo ou intersubjectivismo, assim o deveria caracterizar O´Brien - contido no realismo crítico ou científico das qualidades secundárias e primárias (exemplo: o perfume não existe fora do nosso nariz e da nossa mente, perfumadamente é um modo adverbial de captação subjectiva da realidade exterior que nos dá a ilusão do perfume da rosa ou do odor do café)? É óbvio que está mas Dan O´Brien não percebe essa inclusão e considera «adverbialismo» um modo de percepção aparte do realismo...

 

Como é típico dos medíocres filósofos analíticos eruditos (Nigel Warburton, John Searle, Simon Blackburn, etc.) O´Brien multiplica os «ismos» (adverbialismo, intencionalismo, realismo, etc) sem distinguir o que é ontológico do que é meramente gnoseológico e sociológico.  Estas definições são grosseiramente justapostas - lembremos o quadrado em que, no seu livro  "A Guide for the Perplexed", Penguin Books, página 113, Simon Blackburn mistura, nivelando-as, quatro teorias de géneros diferentes: realismo, eliminativismo, construtivismo, quietismo) e assim se ergue um desconexo edifício de definições filosóficas que mantém numa relativa escuridão os estudantes e os amantes da filosofia.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:15
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 18 de Janeiro de 2015
Astrologie et attentats en Belgique

 

Les attentats en Belgique sont régis par différentes lois planétaires. Nous irons exposer certaines lois, selon la théorie des petites zones du zodiaque et leurs significations politiques, géographiques et biologiques et la théorie des degrés et minutes de signes différents numériquement homologues entre uns et les autres que nous avons découvert. Nos theories de Astrologie Historique,  que vont bien au-delà de l´ astrologie traditionnelle, sont bien plus importantes que celle de Stephen Hawkins sur l´origne de l´univers, mais, pour le moment, nos idées sont méprisées par l'opinion publique irréfléchie et par les universités «rationalistes» effrayés par notre découverte.

 

ZONE 24º-28º DU SIGNE DE BALANCE:

FUSILLADE À LIÈGE ET BRUXELLES

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 24º-28º du signe de Balance ( degrés 204-208 de l´ecliptique car le signe de Balance est l´arc du ciel que va de 180º à 210º  du cercle zodiacal) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement de fusillades, en particulier d'attaques terroristes en Belgique.

 

Le 13 décembre 2011, avec Saturne en 26º 51´/ 26º 56´ de Balance, peu avant 12h30, Nordine Amrani a ouvert le feu Place Saint-Lambert, à Liége, il  lance plusieurs engins explosifs en direction de la place et s'est ensuite donné la mort en se tirant une balle dans la tête.

 

Le 23 mars 2014, avec Mars en 24º 40´/ 24º 34´ de Balance, Noeud Nord de la Lune en 28º 36´ de Balance, dimanche soir, vers 18 heures, une fusillade a eu lieu dans le quartier de Burenville, à Liège, quand deux hommes ont tirent en direction de deux autres personnes, mais il n’y a pas  de blessé y les deux tireurs prenent la fuite.

 

Le 24 mai 2014, avec Noeud Nord de la Lune en 28º 1´/ 28º 2´ de Balance, une fusillade éclate dans le musée juif de Bruxelles, quatre personnes sont mortes, dont un couple de touristes israéliens.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 24 a 28 degrées  du signe de Balance, propiciant des fusillades ou attaques terroristes en Belgique sont: 17 à 22 octobre 2015 (Soleil); 30-31 octobre et 1 novembre 2015 (Mercure); 30 novembre et 1-4 décembre 2015 (Venus); 23 à 31 décembre 2015 (Mars).  

 

ZONE 24º-25º DU SIGNE DE CAPRICORNE:

FUSILLADE A VERVIERS

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 24º-25º du signe de Capricorne ( degrés 294-295 de l´ecliptique car le signe de Capricorne est l´arc du ciel que va de 270º à 300º  du cercle zodiacal) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement de fusillades, en particulier d'attaques terroristes en Belgique.

 

Le 2 janvier 2015, avec Mercure en 25º 14´/ 26º 49´ de Capricorne, une fusillade, resultant dún drame familial,  éclate à Petit-Rechain, dans les environs de Verviers, Belgique, deux personnes sont décédées et une autre est grièvement blessée.

 

Le 15 janvier 2015, avec Soleil en 24º 29´ / 25º 30´ de Capricorne, deux islamistes, qui revennaient de Syrie sont abattus par la police féderale dans une opération a Verviers, Belgique, que a lieu en deux temps, d’abord au 16 rue de la Colline vers 17 h 45, à l’ancienne boulangerie "Le Croissant d’or", puis dans une perquisition vers 21 h 15 à la rue des Palais toute proche, puisque les militants radicaux disposaient "d’armes de guerre et d’armes de poing" selon le parquet fédéral, et ont tiré sur les policiers à l’arme automatique.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 24 a 25 degrées  du signe de Capricorne, propiciant des fusillades ou attaques terroristes en Belgique sont: 26-28 décembre 2015 et 12-14 janvier 2016 (Mercure); 14-16 janvier 2016 (Soleil); 12-13 février 2016 (Venus).

 

ZONE 13º-15º DU SIGNE DE VERSEAU:

ATTENTATS EN 2014 ET 2015

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 13º-15º du signe de Verseau ( degrés 313-315 de l´ecliptique car le signe de Verseau est l´arc du ciel que va de 300º à 330º  du cercle zodiacal) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroriste en Belgique.

 

Le 23 mars 2014, avec Venus en 14º 46´/ 15º 45´ de Verseau, dimanche soir, vers 18 heures, une fusillade a eu lieu dans le quartier de Burenville, à Liège, quand deux hommes ont tirent en direction de deux autres personnes, mais il n’y a pas  de blessé y les deux tireurs prenent la fuite.

 

Le 15 janvier 2015, avec Mercure en 13º 24´/ 14º 21´ de Verseau, deux islamistes, qui revennaient de Syrie sont abattus par la police féderale dans une opération a Verviers, Belgique, que a lieu en deux temps, d’abord au 16 rue de la Colline vers 17 h 45, à l’ancienne boulangerie "Le Croissant d’or", puis dans une perquisition vers 21 h 15 à la rue des Palais toute proche, puisque les militants radicaux disposaient "d’armes de guerre et d’armes de poing" selon le parquet fédéral, et ont tiré sur les policiers à l’arme automatique.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 13 a 15 degrées  du signe de Verseau, propiciant des fusillades ou des attaques terroristes en Belgique: 26-28 janvier 2015 (Mercure); 2-5 février 2015 (Soleil); 28 février et 1-2 mars 2015 (Mercure).

 

POINT 15º 9´/ 15º 14´  DE QUELQUE SIGNE:

FUSILLADES À BRUXELLES ET VERVIERS  

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, la Lune ou Node planétoïde Chiron au point 15º 9 '/ 15º 14'  de quelque signe zodiacal est condition nécessaire mais non suffisante pour engendrer des attaques terroristes en Belgique.

 

Le 24 mai 2014, avec Urane en 15º 10´ / 15º  12´ de Bélier, une fusillade éclate dans le musée juif de Bruxelles, quatre personnes sont mortes, dont un couple de touristes israéliens.

 

Le 2 janvier 2015, avec Noeud Sud de la Lune en 15º 19´/ 15º 9´ de Bélier, une fusillade, resultant dún drame familial,  éclate à Petit-Rechain, dans les environs de Verviers, Belgique, deux personnes sont décédées et une autre est grièvement blessée.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou le soleil ou un Noeud de la  lune se positionera au point 15 9 '/  15º 14'  de  signe, inclinant a  des attaques terroristes en France sont:: 8-14 mars 2015 (Plutón en 15º du Capricorne); 11-12 mars 2015 (Mars en 15º de Capricorne); 14-16 mars 2015 (Úrane en 15º de Bélier).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Droits d´ auteur pour Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:16
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 17 de Janeiro de 2015
Astrologie Historique et attentats a Nice

 

Les attentats a Nice, France, sont régis par différentes lois planétaires. Nous irons exposer certaines lois, selon la théorie des petites zones du zodiaque et leurs significations politiques, géographiques et biologiques et la théorie des degrés et minutes de signes différents numériquement homologues entre uns et les autres que nous avons découvert. Nos theories,  que vont bien au-delà de l´ astrologie traditionnelle, sont bien plus importantes que celle de Stephen Hawking sur l´origne de l´univers, mais, pour le moment, nos idées sont méprisées par l'opinion publique irréfléchie et par les universités «rationalistes» effrayés par notre découverte.

 

ZONE 26º.28º DU SIGNE DE TAUREAU:

ATTENTATS A NICE EN 2003 ET 2014

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 26º-28º du signe de Taureau ( degrés 56-58 de l´ecliptique car le signe de Taureau est l´arc du ciel que va de 30º à 60º  du cercle zodiacal) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroriste à Nice.

 

Le 20 juillet 2003, avec le Noeud Nord de la Lune en 27º 34´/ 27º 33´  de Taureau, un double attentat contre la direction régionale des Douanes et de la Trésorerie générale à Nice, cause 16 blessés légers et est revendiqué par le FLNC UC

 

Le 6 mai 2014, avec Mercure en 26º 45´/ 28º 46´ de Taureau, en sortant en voiture du parking de l’hôpital L’Archet, où elle avait rendu visite à son fils hospitalisé, Gildo Pallanco Pastor,   PDG du constructeur de voitures de sport électriques Venturi Automobile,.Hélène Pastor, sœur de l’ancien homme d’affaires monégasque Michel Pastor et membre de l’une des plus riches familles de la principauté, es grièvement blessée par balles ainsi que son chauffeur dans une fusillade declenchée par deux hommes en embuscade devant un hôpital de Nice.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone  26 a 28 degrées  du signe de Taureau, propiciant des attaques terroristes à Nice sont: 8-10 avril 2015 (Venus); 28-30 avril 2015 (Mercure); 6-10 mai 2015 (Mars); 17-20 mai 2015 (Soleil).

 

 

AREA 11º-12º DU SIGNE DE LION:

ATTENTATS À NICE

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 11º-12º du signe de Lion ( degrés 131 et 132 de l´ecliptique car le signe de Lion est l´arc du ciel que va de 120º à 150º  du cercle zodiacal) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroriste à Nice.

 

Le 25 septembre 2002, avec Jupiter en 11º 6´/ 11º 16´ du Lion, se produise un attentat raté contre la trésorerie générale à Nice, revendiquée par le FLNC.

 

Le 20 juillet 2003, avec Mercure en 12º 26´/ 14º 14´ du Lion, un double attentat contre la direction régionale des Douanes et de la Trésorerie générale à Nice, cause 16 blessés légers et est revendiqué par le FLNC UC.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 11 a 12 degrées  du signe de Lion, propiciant des attaques terroristes à Nice sont: du 23 mars au 24 avril 2015 (Jupiter); du 17 au 19 juin 2015 (Venus); les 28 et 29 juillet 2015 (Mercure); du 3 au 5 aout 2015 (Soleil); du 26 au 29 aout 2015 (Mars).

 

ZONE 11º-12º DU SAGITTAIRE:

ATTENTATS À NICE

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans la zone 11º-12º du signe de Sagittaire ( degrés 251 et 252 de l´ecliptique car le signe de Sagittaire est l´arc du ciel que va de 240º à 270º  du cercle zodiacale) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes à Nice.

 

Le 25 septembre 2002, avec Noeud Nord de la Lune en 11º 19´/ 11º 9´ du Sagittaire, se produise un attentat raté contre la trésorerie générale à Nice, revendiquée par le FLNC.

 

Le 10 février 2012, avec Noeud Nord de la Lune en 11º 35´/ 11º 25´ de Sagittaire, arrivé en moto, un homme cagoulé ouvre feu à l'arme longue et pratiquement à bout portant sur deux hommes et les tue dans les boxes 75 et 77 (Cash Fruits) des MIN dans l'allée des maraîchers, au marché d'intérêt national de Nice, à proximité du bar du commerce et prend la fuite à moto avec un complice.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 11-12 degrées  du signe de Sagittaire, propiciant des attaques terroristes à Nice sont: 27-29 novembre 2015 (Mercure); 3-5 décembre 2015 (Soleil); 30-31 décembre de 2015, 1 à 19 janvier de 2016 (Saturne); 8-9 janvier 2016 (Venus).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:05
link do post | comentar | favorito
|

Astrologie et attentats au Champs-Elysées et à la Bourse à Paris

 

Les attentats au Champs-Elysées et à  la bourse de Paris, France, sont régis par différentes lois planétaires. Nous irons exposer certaines lois, selon la théorie de petites zones du zodiaque et leurs significations politiques, géographiques et biologiques et la théorie des degrés et minutes de signes différents numériquement homologues entre uns et les autres que nous avons découvert. Theorie bien plus importante que celle de Stephen Hawkins sur l´origne de l´univers, mais méprisée par l'opinion publique irréfléchie.

  ZONE 17º-18º DU SIGNE DE SAGITTAIRE:

ATTENTATS AU CHAMPS-ELYSÉES

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 17º-18º degrés du signe de Sagittaire (dans 257 à 258 degrés de l'écliptique puisque le signe de Sagittaire se prolonge de 240º a 270º  du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes ou un gran accident à l´ avenue des Champs-Elysées, à Paris.

 

Le 25 octobre 1981, avec Venus en 17º 44´/ 18º 50´ de Sagittaire, a lieu un double attentat sur les Champs-Élysées. 

 

Le 14 septembre 1986, avec Urane en 18º 29´/ 18º 30´ de Sagittaire, une bombe est découverte au Pub Renault avenue des Champs-Élysées à Paris, tuant deux personnes.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 17º-18º  du signe de Sagittaire, propiciant d'attaques terroristes aux Champs-Elysées sont: 1-2 décembre 2015 (Mercure); 9-11 décembre 2015 (Soleil); 13-14 janvier 2016 (Venus).

 

 

POINT 5º 32´/ 5º 44´ DE QUELQUE SIGNE:

ATTENTAT AU CHAMPS-ELYSÉES

 

.Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 5º 32´ / 5º 44´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroriste à l´avenue des Champs-Elysées, à Paris.

 

Le 20 mars 1986, avec Neptune en 5º 43´/ 5º 44´ de Capricorne, une bombe explose dans la galerie Point Show des Champs-Élysées à Paris faisant 2 morts et 29 blessés.

 

Le 14 septembre 1986, avec Pluton en 5º 32´/ 5º 34´ de Scorpion, une bombe est découverte au Pub Renault avenue des Champs-Élysées à Paris, tuant deux personnes.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans le point 5º 32´/ 5º 44´ de quelque signe en inclinant a  d'attaques terroristes à la avenue des Champs-Elysées sont: le 19 janvier 2015 (Mars en 5º de Poissons);  le 1 février 2015 ( Venus en 5º de Poissons); du 26 au 29 juin 2015 (Noeud Nord de la Lune en 5º de Balance).

 

POINT 21º 54´/ 21º 56´ DE QUELQUE SIGNE:

ATTENTATS À LA BOURSE ET Á ORLY

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 21º 54´ / 21º 56´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroriste à la Bourse à Paris ou a l´aéroport d´ Orly.  

 

Le 4 avril 1961, avec Urane en 21º 56´/ 21º 55´ de Lion, une bombe éclate à la Bourse de Paris génerant 4 blessés.

 

Le 12 juin 1980,  avec Noeud Nord de la Lune en 22º 3´ / 22º 54´ de Lion, le grupe Action Directe commet un attentat contre la consigne de l'aéroport d´Orly, blessant 8 personnes.

 

Le 20 octobre 1980, avec Pluton en 21º 54´ /21º 56´ de Balance, une bombe est désamorcée à la Bourse de Paris.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans le point 21º 54´/ 21º 56´ de quelque signe en inclinant a  d'attaques terroristes à la Bourse de Paris ou a Orly sont: le 21 janvier 2015 (Venus en 21º de Verseau); le 9 février 2015 (Mars en 21º de Poissons); le 20 mars 2015 (Mars en 21º de Bélier).

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:49
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2015
Astrologie et attentats à la Gare de L´Est à Paris et à l´aéroport d´Orly

 

Chaque attaque a la Gare de L Ést à Paris ou à l´aéroport d´Orly, France, est régi par différentes lois planétaires. Nous irons exposer certaines lois, selon la théorie de petites zones du zodiaque et leurs significations politiques, géographiques et biologiques et la théorie des degrés et minutes de signes différents numériquement homologues entre uns et les autres que nous avons découvert.

 

POINT 25º 56´/25º 58´  DE QUELQUE SIGNE:

TROUBLE  DE AVION À ORLY

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 25º 56´ / 25º 58´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour l´aparition de troubles avec un avion a l´aéroport d´Orly. 

 

Le 24 février 1971, avec Mercure en 25º 55´ / 27º 40´ de Verseau, la construction d'Orly Ouest, lancée en 1967, est inaugurée.

 

Le 22 octobre 1993, avec Jupiter en 25º 50´/ 26º 3´  de Balance, un Airbus A320 d'Air Inter décolle avec précipitation pour échapper à des manifestants grévistes en zone réservée d'Orly et dans la confusion, l'équipage oublie de rentrer le train d'atterrissage et ressent rapidement des vibrations sur l'avion, l'équipage croit à une défaillance des moteurs et les coupe  successivement transformant l'Airbus en planeur,  le pilote redémarre les moteurs à moins de 500 m du sol et rentre à Orly.

 

Le 24 septembre 1994, avec Pluton en 25º 57´ / 25º 58´ de Scorpion, un Airbus A310 en provenance de Bucarest, en fin d'approche d'atterrissage sur la piste 26 d'Orly effectue une montée brutale suivie d'un décrochage et d'un piqué vers le sol que le pilote rattrape à 240 m du sol seulement, les 186 passagers et membres d'équipage s'en tirent sans blessure.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans le point 25º 56´/ 25º 58´ de quelque signe propiciants des troubles dans le vol à l´aéroport d´ Orly sont: 25 janvier 2015 (Venus en 25º de Verseau); le 14 février 2015 ( 26 mars 2015 (Mars en 25º de Bélier); 23 juillet 2015 (Jupiter en 25º de Lion).

 

POINT 27º 52´/ 27º 58´ DE QUELQUE SIGNE:

ATTENTATS À LA GARE DE L´EST ET A L´AÉROPORT D´ORLY

 

Le passage du Soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 27º 52´ / 27º 58´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes ou des accidents à la Gare de L´Est a Paris ou a l´aéroport d´Orly.

 

Le 19 janvier 1975, avec Mars en 27º 58´/ 28º 42´ de Sagittaire, l´attaque d'un commando palestinien à l'aéroport d'Orly contre un avion israélien fait 20 blessés.

 

Le 9 mars 1975, avec Jupiter en 27º 39´/ 27º 54´ du signe de Poissons, une bombe explose à la gare de l'Est, génerant 1 mort et 6 blessés. 

 

Le 20 mai 1978, avec Venus en 27º 29´/ 28º 42´ de Gémeaux, une fusillade éclate dans la zone internationale de l'aérogare Sud, dans l´aéroport d ´Orly, au comptoir d'El Al, tuant quatre personnes, dont les trois terroristes.

 

Le 16 novembre 1981, avec Jupiter en 27º 46´ / 27º 58´ du signe de Balance, un attentat d'un groupe arménien à la Gare de l'Est fait 2 blessés.

 

Le 15 juillet 1983, avec Saturne en 27º 52´/27º 54´ du signe de Balance, une bombe explose à l'aéroport d'Orly, placée par l'ASALA  provoquant 8 morts, plus d'une cinquantaine de blessés

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans le point 27º 52´/ 27º 58´ de quelque signe en inclinant a  d'attaques terroristes à la Gare d´Est et à l´aéroport d´ Orly sont: le 17 février 2015 (Mars en 27º de Poissons); le 15 mars 2015 (Venus en 27º de Bélier); le 21 juin 2015 (Mars en 27º Gémeaux); le 1 aout 2015 (Jupiter en 27º du Lion); le 6 aout (Venus en 27º du Lion); le 21 octobre 2015 (Sol); le 1 novembre 2015 (Mercure en 27º de Balance); le 3 décembre 2015 (Venus en 27º de Balance); 30 décembre 2015 (Mars en 27º de Balance). 

 

ZONE 11º-14º DU SIGNE DE CANCER:

ATTENTATS À L´AÉROPORT D´ORLY

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 11º-14º degrés du signe de Cancer (dans 101 à 104 degrés de l'écliptique puisque le signe de Cancer se prolonge de 90º a 120º  du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes à l´aéroport d´Orly. 

 

Le 13 janvier 1975, avec Saturne en 14º 53´/ 14º 58´ de Cancer, un attaque à la roquette d'un commando palestinien mené par Carlos contre El Al à l'aéroport d'Orly, résultant 3 blessés. 

 

Le 19 janvier 1975, avec Saturne en 14º 24´/ 14º 19´ de Cancer, attaque d'un commando palestinien à l'aéroport d'Orly contre un avion israélien fait 20 blessés.

 

Le 15 juillet 1983, avec Mars en 10º 32´/ 11º 11´ de Cancer, une bombe explose à l'aéroport d'Orly, placée par l'ASALA  provoquant 8 morts, plus d'une cinquantaine de blessés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 10 a 14 degrées  du signe de Cancer, propiciant d'attaques terroristes à l´aéroport d´Orly en France sont: 17-21  mai 2015 (Vénus); 2-7 juillet 2015 (Soleil); 9-16 juillet 2015 (Mars); 14-17 juillet 2015 (Mercure).

 

AREA 24º-28º DU SIGNE DE SAGITTAIRE:

ATTENTATS À L´AÉROPORT D´ORLY

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 24º-28º degrés du signe de Sagittaire (dans 264 à 268 degrés de l'écliptique puisque le signe de Sagittaire se prolonge de 240º a 270º  du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes où des accidents à l´aéroport d´Orly.

 

Le 13 janvier 1975, avec Mars en 23º 37´/ 24º 20´ de Sagittaire, un attaque à la roquette d'un commando palestinien mené par Carlos contre El Al à l'aéroport d'Orly, résultant 3 blessés.

 

Le 19 janvier 1975, avec Mars en 27º 58´/ 28º 42´ de Sagittaire, l´attaque d'un commando palestinien à l'aéroport d'Orly contre un avion israélien fait 20 blessés.

 

Le 15 juillet 1983, avec Noeud Siud de la Lune en 24º 48´/ 24º 46´ de Sagittaire, une bombe explose à l'aéroport d'Orly, placée par l'ASALA  provoquant 8 morts, plus d'une cinquantaine de blessés

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 24 a 28 degrés  du signe de Sagittaire, propiciant d'attaques terroristes à l´aéroport d´Orly en France sont: du 6 au 9 décembre 2015 (Mercure); du 16 au 21 décembre 2015 (Soleil).

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Droits d´ auteur pour Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:14
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 11 de Janeiro de 2015
A manifestação de Paris, manipulação a favor dos bombardeamentos anti-árabes na Síria e no Iraque

 

A manifestação de cerca de um milhão de pessoas em Paris, neste dia 11 de Janeiro de 2015, tem um duplo carácter: por um lado, defende a liberdade de imprensa aparentemente posta em causa pelo massacre de cartoonistas que nos seus desenhos despiam o profeta Maomé e o punham «de quatro» com uma estrela no rabo, sugerindo homossexualidade física; por outro lado, é um incitamento à exterminação implacável do Estado islâmico, que se expande na Síria e no Iraque, dissidência «filosófica» no consenso «democrático» internacional de que o radicalismo árabe e palestino é «mau, criminoso» e de que «o Estado de Israel é bom, civilizado, democrático e o Ocidente defende a liberdade». É pois uma manifestação com um lado revolucionário e um lado contra-revolucionário.

 

Julgo que, se estivesse em Paris, eu só participaria na grande manifestação de repúdio ao atentado de militantes árabes  contra o jornal satírico anti-islâmico «Charlie Hebdo» em 7 de Janeiro de 2015, se pudesse levar uma grande faixa de pano visível com os dizeres «Imperialistas franceses e norte-americanos, deixem de bombardear o Estado Islâmico que vós mesmos criastes! » A manifestação é completamente manipulada pelo grupo de Bilderberg e os sionistas...François Holande, David Cameron, Angela Merkel, Passos Coelho, Rajoy e outros farsantes, agentes da globalização anti operária, lado a lado a gritar «Pela liberdade» (deles, claro)! A democracia liberal europeia é imperialista...

 

 Onde estava o 1 milhão de pessoas que hoje se manifestou em Paris contra o massacre de 10 jornalistas do «Charlie Hebdo« e 7 outras pessoas - um simples acto de guerra - quando Israel, de 8 de Julho a 26 de Agosto de 2014, bombardeou sistematicamente Gaza, invadiu esta por terra, destruindo edificios de apartamentos, escolas, etc, matando 2.104 palestinos, incluindo famílias inteiras de civis, e morrendo 73 israelenses? Onde estavam François Holande e a nata dos eurocratas nesses 51 dias de terror em Gaza? Nos seus gabinetes e cerimónias protocolares, apoiando, discretamente, Israel. E agora proclamam «Je suis Charlie»? Deixem-se de hipocrisias! O «Charlie Hebdo», ao serviço da Mossad israelita, ridicularizava o profeta Maomé, desnudando-o e pondo-o «de quatro» nas caricaturas, a fim de desmoralizar os islâmicos e a sua resistência no Iraque e na Síria aos bombardeamentos da aviação francesa e norte-americana. Por isso, os cartoonistas foram executados por militantes da Jihad: olho por olho, dente por dente. O islamismo é hoje uma ideologia revolucionária na medida em que preconiza o fim do papel moeda e do sistema financeiro ocidental e a sua substituição por moeda metálica - Sadam Hussein quis abolir o dólar como meio de pagamento na esfera económica petrolífera do Iraque e pagou com a invasão militar norte-americana do seu país, em Março de 2003, e a morte por enforcamento, meses depois. A Reserva Federal dos EUA, o seu presidente na Casa Branca de Washington e o lobby judaico não perdoam...

 

Se não está a servir Israel e os EUA, facto que importa apurar, o Estado islâmico parece ser um instrumento de defesa autoritária, militar, dos árabes mais extremistas face ao imperialismo ocidental tal como o Estado bolchevique o foi, em 1918-1921, contra os exércitos estrangeiros. E na guerra, os direitos humanos à vida e à liberdade desaparecem frequentemente...

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:37
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 10 de Janeiro de 2015
Reflexões do quotidiano em Janeiro de 2015

 

 

Exponho algumas reflexões avulsas sobre o quotidiano deste Janeiro de 2015. 

 

A HIPOCRISIA DOS COMENTADORES DA RTP SOBRE O TERRORISMO ÁRABE- Fernando de Sousa, professor universitário, comentou na RTP, a propósito do massacre no «Charlie Hebdo»: «Não se percebe por que razão esses atentados são todos islamistas.» E frei Fernando Ventura, franciscano, exclamou indignado sobre os irmãos franco-argelinos Kouachi que executaram o massacre: «Isto não é uma guerra de religião, é um grupo de criminosos...»

Tanto um como outro destes comentadores escondem os crimes do imperialismo norte-americano e europeu contra os povos árabes: a invasão norte-americana do Iraque em 19 de Março de 2003 ou a invasão da faixa de Gaza pelas tropas de Israel a partir de 16 de Julho de 2014 foram muitíssimo mais criminosas do que o ataque ao «Charlie Hebdo» de 7 de Janeiro de 2015. Os árabes defendem-se e são taxados de «terroristas». O Ocidente invade, mata milhares e é classificado como «democrático», «civilizado»... Ideologia, só ideologia partidária...Os irmãos Kouachi classificaram o «Charlie Hebdo» como um clube de propaganda ideológica anti-árabe e os seus cartonistas como soldados e não como civis e, nesse sentido, os executaram. É a guerra, a luta de classes

 

.LUTA DE CLASSES - O terrorismo árabe em França insere-se na luta de classes à escala internacional: os povos árabes, em particular os palestinianos, movidos por uma ideologia religiosa intolerante, explorados no seu petróleo e invadidos no seu espaço natural por tropas norte americanas e pelo sionismo do Estado de Israel, de um lado, contra o Ocidente (EUA, UE, Israel) rico mas em crise, do outro lado. Em 7 de Janeiro de 2015, os terroristas erraram - ou não? - o alvo ao massacrarem a redação do «Charlie Hebdo», em Parios, um jornal satírico de esquerda que até apoiava a Palestina livre da ocupação sionista, embora ridicularizasse o Islão e as religiões em geral....
A questão que se levanta é: o islamismo, radical ou não, expandindo-se na Europa levará à fascização religiosa gradual desta? Ou tornar-se-á tolerante com as outras religiões, por adquirir uma posição hegemónica? O Islão não é o nazismo: pune ou mata em nome de Deus, ao passo que Hitler e as SS e as SA alemãs, em 1933-1945, puniam e matavam em nome de si mesmas e do III Reich.

 

O ATENTADO QUE PAGOU AS DÍVIDAS- O jornal satírico francês «Charlie Hebdo» estava prestes a fechar, no início de 2015. Não pagara sequer os salários de Dezembro de 2014 aos cartoonistas e outros membros. Mas o atentado de 7 de Janeiro de 2015, com o massacre de 10 jornalistas, salvou o «Charlie Hebdo» de fechar: com a venda de 5 milhões de exemplares arrecadou 10 milhões de euros e vai sobreviver. Há qualquer coisa de estranho nisto- para além da sacralização que constitui a corrida às bancas de jornais de centenas de milhar de pessoas para comprar a «relíquia» dos santos, o último exemplar do «Charlie»...

 

ASTROLOGIA HISTÓRICA E TEORIA DE EINSTEIN- A teoria de Astrologia Histórica que neste blog exponho e é de minha autoria é epistemicamente muito superior à Astrologia Tradicional e é superior à teoria de Einstein e à teoria de Hawking e Penrose. O espantoso é constatar a estupidez das «nossas» universidades, editoras de livros, estações de televisão e jornais: nunca me pedem colaboração teórica, artigos, estudos, exposição destas teses geniais, fundadas em factos históricos indiscutíveis, que revelam o determinismo zodiacal absoluto dos factos sociais na máquina mundi. Medíocres catedráticos, medíocres editores, medíocres jornalistas, medíocres políticos, temerosos da verdade, de quem viu muito mais além do que eles. Somos governados por uma canalha intelectual sem coragem, que opera em rede para abafar a dissidência.

 

SYRIZA, A CEREJA (SYREZA) NO TOPO DO BOLO EUROPEU- A cereja é vermelha tal como a cor do Syriza, uma coligação da classe operária e de classes médias na Grécia, que ontem venceu as eleições legislativas na Grécia, com 149 deputados eleitos num total de 300. É um sismo político na Europa: uma força marxista que se opõe à política monetarista da banca que empresta a juros demolidores para os bolsos dos pobres e remediados, sobe ao poder na Grécia e levanta a bandeira anti-usura da troika.

 

A FESTA DOS FINALISTAS DO LICEU DE BEJA EM 23-24 DE JANEIRO DE 2015 DESPOLETOU A VITÓRIA DO SYRIZA NA GRÉCIA?

O tema da festa dos alunos finalistas do 12º ano da Escola Secundária Diogo de Gouveia (vulgo: Liceu de Beja), na noite de 23 para 24 de Janeiro de 2015, foi «Morangos com Açúcar»...Creio que os MORANGOS por serem vermelhos «arrastaram» a vitória, simbolizada no Açúcar (a vitória é doce), da CEREJA, também vermelha - isto é do SYRIZA grego, cujas bandeiras são VERMELHAS; Cereja transforma-se cabalisticamente em CERISE, em francês, e CEREJA, em português - no dia 25 de Janeiro de 2015, dia que se seguiu a esta festa do LICEU (palavra que trocando as letras, sugere ULICE ou ULISSES herói da Grécia antiga) ...

 

Também não é coincidência fortuita o facto de, em 25 de Janeiro de 2015, falecer o cantor GREGO Demis Roussos, aos 68 anos de idade, nascido em ALEXandria e no mesmo dia, ALEXIS Tsipras adquirir o direito a governar a GRÉCIA dado que o seu partido, o Syriza, vence as eleições legislativas com 149 deputados em um total de 300: quando um ALEX (Roussos, de ALEXANDRIA) desaparece, outro ALEX emerge... lei da compensação.

 

VIVER SÓ TEM EXTRAORDINÁRIA BELEZA- Há uma grande beleza em viver só, desde que se tenha saúde, dinheiro e uma casa condigna. O pensamento desenvolve-se, desliga-se das sensações eróticas e gastronómicas ou materiais em geral por algumas horas em cada dia. Não aturamos mulher, que só às vezes é verdadeiramente interessante, como quando está no quarto ou na sala de estar em lingerie. Basicamente, as mulheres servem o nosso objectivo de satisfação sexual mútua: a principal utilidade da mulher é ser a nossa mesa erótica, o corpo que beijamos e «devoramos», conversar e ajudar na lida da casa. O resto é poesia, entreajuda espiritual - ah, mas elas são muito úteis na lida da casa, mais perfeitas que nós. E sendo nossas filhas são maravilhosas companhias, em regra, que, de tempos a tempos, vêem o pai.

O ideal é ter uma amiga colorida (amante de ocasião, amiga de há anos) que venha a nossa casa, uma ou duas vezes por semana, para realizarmos o êxtase sexual propiciatório à deusa Vénus - com sutiãs, ligas, saias tigresas, etc. E essa relação com a mesma amiga pode durar anos, se houver amor, e não implica viver permanentemente juntos. É o melhor a que se pode aspirar.

 

NÃO SOMOS NADA, NEM NINGUÉM- Enquanto estamos visíveis e somos úteis, de um modo ou outro, a pessoas, conhecidas ou desconhecidas, parece que somos reais, que temos quem goste de nós ou se impressione com o nosso poder social, económico, político ou biofísico. «Olá, professor, não se esqueça do teste» - diz o aluno. «Liga-me» - diz a mulher sexualmente interessada. «Estava boa a comida?»- pergunta o empregado do restaurante. Mas é tudo transitório. Só enquanto tens presença e poder te ligam, te respeitam.
Se mergulhares numa doença grave de longa duração, no desemprego de longa duração e na pobreza, se não apareceres nos cafés, nas praças públicas, no facebook ou no círculo de amigos profissionais, se deixares de ter automóvel ou uma casa condigna  já ninguém ou quase ninguém se importa contigo e quase ninguém te contacta ou ajuda. Alguém liga a Fernando Pessoa ou a Saramago? Não. Já morreram. Alguém liga a Mário Soares, com 90 anos de idade e frágil? Alguns, mas não milhões de pessoas como sucedeu quando era 1º ministro ou presidente da república em Portugal. Mesmo os teus filhos ou os teus pais só te ligam enquanto tiverem de ti uma presença agradável, uma memória positiva de pessoa activa, mais ou menos jovem e bela. Se ficares desfigurado, com cara de monstro, todos fugirão de ti. O interesse, a busca do prazer, nas suas várias modalidades, governam o agir de cada indivíduo e todas as pessoas te são estranhas, em graus diversos

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:06
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2015
O massacre do «Charlie Hebdo» e atentados em França na Astrologia Histórica

 

Cada atentado terrorista em França, como, por exemplo, o massacre de 10 jornalistas no jornal satírico «Charlie Hebdo» em Paris, em 7 de Janeiro de 2015,  é regido por várias leis planetárias. Vamos expor algumas, de acordo com a teoria das pequenas áreas do Zodíaco e seus significados políticos, geográficos e biológicos e a teoria dos graus e minutos de diferentes signos numericamente homólogos entre si que o destino nos permitiu descobrir há mais de 12 anos.

 

ÁREA 2º-5º DO SIGNO DE BALANÇA:

ATENTADOS FERROVIÁRIOS E NOS ARMAZÉNS TATI

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron em 2º-5º do signo de Balança (isto é nos graus 182º a 185º da eclíptica já que os 30º de arco do céu que é o signo de Balança vão de 180º a 210º do círculo celeste) é condição necessária mas não suficiente para a irrupção de atentados terroristas.

 

Em 17 de Setembro de 1986, com Mercúrio em 3º 16´/ 4º 58´ de Balança,  um atentado bombista em frente aos armazéns 'Tati', em Paris, faz sete mortos e 55 feridos. sendo esta acção um dos 15 ataques (incluindo três fracassados) perpetrados pela rede terrorista pró-iraniana de Fouad Ali Saleh, em 1985 e 1986.

 

Em 25 de julho de 1995, com Marte em 2º 8´/ 2º 44´ de Balança, uma bomba explode numa linha da Rede Expresso Regional (RER), na estação de Saint-Michel, em pleno coração de Paris, e causa oito mortos e 119 feridos.

 

Em 3 de dezembro de 1996, com Nodo Norte da Lua em 5º 34´ de Balança,  um atentado na estação de Port-Royal, no sul de Paris, causa quatro mortos e 91 feridos.

 

Em 13  de Novembro de 2015, com Vénus em 4º 45´/ 5º 51´de Balança,  uma série de atentados perpetrados por sete terroristas de tonalidade islamista, consistindo em seis fuzilamentos em massa e três explosões de bombas,  ocorrem de noite em Paris e Saint-Denis, na França sendo o ataque mais mortal no teatro Bataclan, em Paris, onde os terroristas fuzilam várias pessoas e fazem reféns até ao início da madrugada de 14 de Novembro, resultando 137 pessoas mortas (incluindo os 7 terroristas que perpetraram os ataques) sendo 89 delas no teatro Bataclan e havendo mais de  de 350 pessoas feridas incluindo 99 pessoas em estado grave. 

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará na área de 2º-5º do signo de Balança, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: de 31 de Agosto a 3 de Setembro de 2016 (Vénus); de 18 de Setembro a 7 de Outubro de 2016 (Júpiter); de 24 a 28 de Setembro de 2016 (Sol); de 5 a 8 de Outubro de 2016 (Sol); de 8 a 10 de Outubro de 2016 (Mercúrio).

 

ÁREA 13º-15º DO SIGNO DE BALANÇA:

ATENTADOS ÀS TORRES GÉMEAS EM 2001 E AO «CHARLIE HEBDO» EM 2015

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron em 13º-15º do signo de Balança (isto é nos graus 193º a 195º da eclíptica já que os 30º de arco do céu que é o signo de Balança vão de 180º a 210º do círculo celeste) é condição necessária mas não suficiente para a irrupção de atentados terroristas não apenas em França mas em outros países.

 

Em 20 de Maio de 1978, com Plutão em 14º 14´ / 14º 13´ de Balança, militantes palestinianos disparam, no aeroporto parisiense de Orly, contra um grupo que embarcava para Telavive. resultando oito mortos (três membros do comando, dois polícias e três passageiros) e três feridos.

 

Em 12 de Outubro de 1990, com Vénus em 13º 6´/ 14º 21´ de Balança,  um perturbado dispara contra o político democrata-cristão Wolfang Schaüble na Alemanha deixando-o paralítico para se mover em cadeira de rodas doravante;

 

Em 11 de Setembro de 2001, com Mercúrio em 13º 38´/ 14º 41´ de Balança, num atentado múltiplo executado pela Al-Qaeda, manipulado presumivelmente pela cúpula da CIA e pela Administração Bush para lançar depois uma cruzada dos EUA no Médio Oriente, dois aviões de passageiros sequestrados por pilotos islâmicos esmagam-se contra as Torres Gémeas do World Trade Center de Nova Iorque que, cerca de uma hora depois ruem, morrendo 2 749 pessoas, um outro avião sequestrado esmaga-se num campo em Shanksville, Pensylvania, morrendo 40 pessoas, e um míssil atravessa uma parede do Pentágono, perecendo 148 pessoas.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Nodo Norte da Lua em 14º 14´/ 14º 2´ de Balança, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Nicola Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará na área de 13º-15º do signo de Balança, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: 9 a 12 de Setembro de 2016 (Vénus); de 14 a 16 de Outubro de 2016 (Mercúrio); de 10 a 26 de Novembro de 2016 (Júpiter).

 

ÁREA 0º-1º DO SIGNO DE SAGITÁRIO:

ATAQUE TERRORISTA AO «CHARLIE HEBDO»

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron em 0º-1º do signo de Sagitário (isto é nos graus 240º e 241º da eclíptica já que os 30º de arco do céu que é o signo de Sagitário vão de 240º a 270º do círculo celeste) é condição necessária mas não suficiente para a eclosão de atentados terroristas contra o jornal francês «Charlie Hebdo» e alvos judeus em França.

 

Em 9 de agosto de 1982, com Úrano em 0º 35´ de Sagitário,  um comando de cinco homicidas dispara e lança granadas para o interior do restaurante 'Goldenberg', em pleno bairro judaico em Paris, gerando seis mortos e 22 feridos, ataque atribuído durante muito tempo ao grupo palestiniano Abu Nidal.

 

Em 2 de Novembro de 2011, com Vénus de 29º 32´ de Escorpião a 0º 47´ de Sagitário, de madrugada, os escritórios do semanário satírico "Charlie Hebdo" no número 62 da Boulevard Davout, em Paris, são  incendiados com coquetéis molotov  depois de que o periódico publicou uma edição sobre a vitória dos islamitas nas eleições realizadas na Tunísia.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Saturno em 1º 27´/ 1º 33´ de Sagitário, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Nicola Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará na área de 0º-1º do signo de Sagitário, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: de 2 a 7 de Agosto de 2016 (Marte); em 18 e 19 de Outubro de 2016 (Vénus); em 12 e 13 de Novembro de 2016 (Mercúrio); de 21 a 23 de Novembro de 2016 (Sol).

 

PONTO 1º 14´/ 1º 46´ DE QUALQUER SIGNO DO ZODÍACO:

ATENTADOS EM PARIS (1980, 1983, 1985), EM TOULOUSE (2012), NO CHARLIE HEBDO (PARIS) EM 2015

 

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron no ponto 1º 14´/1º 46´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas não suficiente para a eclosão de atentados terroristas em França.

 

Em 3 de Outubro de 1980, com Saturno em 1º 26´/ 1º 33´ de Balança, uma bomba escondida no saco de uma motorizada explode em frente à sinagoga da rua Copérnico, em Paris, à hora das orações, e causa quatro mortos e cerca de 20 feridos.

 

Em 15 de Julho de 1983, com Júpiter em 1º 23´/ 1º 20´ de Sagitário, a explosão de uma bomba activada por três arménios, perto dos balcões de 'check-in' da companhia turca Turkish Airlines, no aeroporto de Orly (Paris) faz oito mortos e 54 feridos.

 

Em 31 de Dezembro de 1983, com Plutão em 1º 46´ / 1º 47´ de Escorpião, uma  explosão causa três mortos e três feridos a bordo do TGV Marseille-Paris, na zona de Tain-l'Hermitage (sul), e minutos depois, na estação Saint-Charles de Marseille (sul), a explosão de uma bomba colocada perto dos cacifos automáticos faz dois mortos e 34 feridos, atentados reivindicados pela "Organização da luta armada árabe".

 

Em 25 de julho de 1995, com Nodo Norte da Lua em 1º 14´/ 1º 2´ de Escorpião, uma bomba explode numa linha da Rede Expresso Regional (RER), na estação de Saint-Michel, em pleno coração de Paris, e causa oito mortos e 119 feridos.

 

Em 11 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 22´/ 1º 24´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro um militar paraquedista, na cidade de Hers, em Toulouse, e foge numa motorizada.

 

Em 15 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 30´/ 1º 33´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro três paraquedistas junto da caserna Doumerc, em Montauban, e foge numa motorizada.

 

Em 19 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 39´/ 1º 41´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro três crianças e um professor num colégio judeu em Toulouse.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Saturno em 1º 27´/ 1º 33´ de Sagitário, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará no ponto 1º 14´/1º 46´ de qualquer signo, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: de 5 a 7 de Agosto de 2016 (Marte em 1º de Sagitário); de 22 a 24 de Maio de 2016 (Marte em 1º de Sagitário); em 8 de Outubro de 2016 (Vénus em 1º de Balança); de 15 a 26 de Abril de 2017 (Nodo Norte da Lua em 1º de Virgem).

 

PONTO 4º 26´/ 4º 33´  DE QUALQUER SIGNO:

ATENTADOS EM 1978, 1982 E 2015

 

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron no ponto 4º 26´/ 4º 33´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas não suficiente para a eclosão de atentados terroristas em França.

 

 

Em 20 de Maio de 1978, com Nodo Norte da Lua em 4º 37´/ 4º 33´ de Balança, militantes palestinianos disparam, no aeroporto parisiense de Orly, contra um grupo que embarcava para Telavive. resultando oito mortos (três membros do comando, dois polícias e três passageiros) e três feridos.

 

Em 29 de março de 1982, com Úrano em 4º 28´/ 4º 27´ de Sagitário, um atentado contra o comboio Toulouse-Paris, o 'Capitole', a bordo do qual devia estar o então presidente da câmara de Paris Jacques Chirac, faz cinco mortos e 77 feridos, ataque  perpetrado por Illich Ramirez Sanchez, conhecido como 'Carlos', após a detenção de dois membros da sua rede, o suíço Bruno Breguet e a futura companheira de 'Carlos', Magdalena Kopp.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Mercúrio em 2º 57´/ 4º 27´ de Aquário,  dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará no ponto 4º 26´/4º 33´ de qualquer signo, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: de 12 a 14 de Agosto de 2016 (Marte em 4º de Sagitário); em 30 de Setembro de 2016 (Júpiter em 4º de Balança); em 15 de Novembro de 2016 (Marte em 4º de Aquário).

 

 

PONTO 21º 1´/ 21º 12´ DE QUALQUER SIGNO:

ATENTADOS EM PARIS EM 1986 E 2015

 

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron no ponto 21º 1´/21º 12´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas não suficiente para a eclosão de atentados terroristas em França.

 

Em 17 de Setembro de 1986, com Nodo Norte da Lua em 21º 2´ / 20º 59´ de Carneiro,  um atentado bombista em frente aos armazéns 'Tati', em Paris, faz sete mortos e 55 feridos. sendo esta acção um dos 15 ataques (incluindo três fracassados) perpetrados pela rede terrorista pró-iraniana de Fouad Ali Saleh, em 1985 e 1986.

 

Em 27 de Março de 2002, com Nodo norte da Lua em 21º 5´/ 20º 54´ de Gémeos, Richard Durn, de 33 anos, com 2 pistolas automáticas «Glock» realiza um massacre colectivo na câmara municipal de Nanterre, França, no final de uma reunião, matando 4 conselheiros comunistas, um ecologista e 3 da direita; 

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Júpiter em 21º 12´/ 21º 11´ de Leão, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

Em 13  de Novembro de 2015, com Sol em 20º 16´/ 21º 17´ de Escorpião,  uma série de atentados perpetrados por sete terroristas de tonalidade islamista, consistindo em seis fuzilamentos em massa e três explosões de bombas,  ocorrem de noite em Paris e Saint-Denis, na França sendo o ataque mais mortal no teatro Bataclan, em Paris, onde os terroristas fuzilam várias pessoas e fazem reféns até ao início da madrugada de 14 de Novembro, resultando 137 pessoas mortas (incluindo os 7 terroristas que perpetraram os ataques) sendo 89 delas no teatro Bataclan e havendo mais de  de 350 pessoas feridas incluindo 99 pessoas em estado grave. 

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará no ponto 21º 0/´21º 12´ de qualquer signo, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: em 5 de Julho de 2016 (Vénus em 21º de Caranguejo); em 16 de Agosto de 2016 (Mercúrio em 21º de Virgem); de 30 de Dezembro de 2016 a 1 de Janeiro de 2017 (Júpiter em 21º de Balança).

 

Como podem as universidades e os grandes media ignorar estas leis da astrologia histórica que descobrimos e desenvolvemos ancoradas em factos empíricos? É preciso ser-se néscio e arrogante para permanecer na recusa da correlação necessária entre acontecimentos sociais e movimentos planetários no Zodíaco.

 

Os pseudointelectuais das cátedras universitárias das universidades de Lisboa, Porto, Coimbra, Évora, Faro, Minho, etc., do «Expresso», do «Público», do «Sol» da «Visão» e de outros mass media como a TV (programas «Quadratura do Círculo», «Prós e Contras», etc) negam que haja determinismo planetário nos atentados terroristas e na vida social e política em geral. Como pode a sociedade do século XXI ser dominada por pseudointelectuais que censuram o tipo de estudos que realizamos, estudos que ultrapassam de longe as fantasias dos semi-astrólogos da televisão como Paulo Cardoso, Luís Resina, Vera Xavier, Cristina Candeias, Flávia Monsaraz, Helena Avelar, etc. ?  Que liberdade existe, realmente, quando se oculta a verdade?

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:29
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2015
Equívocos da «Nova teoria da felicidade» de Miguel Reale

 

 Em «Nova Teoria da Felicidade», o filósofo Miguel Reale brinda-nos com teses que merecem uma reflexão cuidada. 

 

A FELICIDADE É UM VALOR RACIONAL?

 

Escreve Miguel Reale:

 

«1. A felicidade é um valor racional que se fundamenta em sentimentos de ordem e equilíbrio e em vivências harmónicas de carácter psíquico e social. Não em estados eufóricos e jubilosos momentâneos» ( Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 25).

«3. A felicidade procede de uma decisão racional, de um juízo deliberativo, pelo qual a consciência conclui (emotiva, mas sobretudo logicamente) ser feliz ou estar em estado de felicidade. »( Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 91).

 

Esta é uma posição intelectualista sobre a felicidade, de raíz aristotélica e estóica. Discordo: a felicidade é essencialmente, o prazer que comporta uma grande dose de irracionalidade, isto é, uma harmonia com o instinto não com a razão. Reale opõe-se a Freud e a Nietzsche na medida em que estes sustentaram que a felicidade deriva dos sentidos, da realização dos instintos básicos do homem - a vontade de poder sobre os outros em Nietzsche: fazer a guerra, vencer os outros através da força; o id ou infra-ego, em Freud, incluindo os instintos de comer, beber e, sobretudo, o instinto sexual, a pulsão de Eros. A felicidade do filósofo é a felicidade tranquila, a eudaimonia. Mas há uma outra felicidade, dionisíaca, orgíaca, gastronómica, sensual que Reale apaga ou rejeita: é o sensualismo, o prazer físico ou psicofísico puro.

 

O OUTRO É O PONTO ÉTICO CENTRAL DA FELICIDADE?

 

E prossegue Miguel Reale:

 

«15. No futuro, o outro, como ponto ético central, será estabelecido como critério primeiro, último da felicidade pessoal. Neste sentido,  resgatam-se igualmente de modo pacífico ( é o único modo de o fazer sem a contestação radical de Nietzsche, de Freud e de Foucault), sem revoluções violentas, apenas acompanhando as mudanças sociais provocadas pela terceira revolução industrial (tecnologias da informação), os antigos valores éticos (sem carga religiosa, apenas humana) que fizeram da Europa o continente mais importante dos últimos 3.000 anos: o valor da solidariedade, do companheirismo, da amizade desinteressada, da cooperação inter-pares, da lealdade e fidelidade, mas também os antigos e sempre actuais valores humanistas cristãos da misericórdia, da caridade e da piedade, hoje mais propriamente designados como assistência, solidariedade e cooperação sociais, os valores comunitários vicinais da fraternidade e interajuda, os valores confucionistas de respeito e veneração pelos ancestrais e pela hierarquia não imposta do mérito e da competência, e os valores budistas vinculados à compaixão como comoção própria pelo destino do outro.»( Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 25; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Ora, é falso que o critério primeiro e último da felicidade pessoal seja o outro. Não é. É o eu, o id (instintos primordiais) de cada pessoa. Por muito bem que façamos aos outros, fazemo-lo porque isso satisfaz o nosso ego ou o nosso id (instintos de conservação e reprodução). Isto é de uma evidência elementar. O combatente da democracia que combate as forças da reacção e do totalitarismo fá-lo, antes de mais, por si mesmo e em segundo lugar, pelos outros: ele deseja ser livre e que todos sejam livres e sente prazer em abater o poder de fascistas, nazis ou burocratas comunistas. Mas proclamará que se bate a favor do povo e não do seu ego pessoal singular. Miguel Real não desmonta esta ilusão altruísta e aliocêntrica. Recusa a psicologia das profundidades, que revela o egocentrismo essencial como mola da ética.

 

O homem que ama apaixonadamente a sua esposa ou namorada e lhe oferece jantares e estadia de luxo em hotéis, jóias, roupas lindíssimas, viagens a lugares maravilhosos, quantias avultadas em dinheiro, beijos e prazeres eróticos frequentes,  ama-se a si mesmo. O seu cônjugue, isto é, o outro é a mediação (no  sentido temporal de, como antítese ser o segundo momento da tríade dialéctica), porque o amor dirige-se ao outro com bilhete de retorno, a síntese hegeliana.  Só se pode tornar felizes os outros se nós próprios o formos - esta é a regra geral, que comporta algumas excepções.

 

Portanto, o ponto central da ética é a felicidade de cada indivíduo sem destruir ou menorizar a felicidade de outros - objectivo que é, ao menos em parte impraticável. A felicidade dos escritores triunfantes no mercado e nas idas à televisão acarreta a infelicidade dos escritores rejeitados e ignorados.

 

A FELICIDADE NÃO EXISTE?

Miguel Reale sustenta que a felicidade não existe a não ser mentalmente, como ilusão:

 

«1. A felicidade, como ser ético, não tem existência concreta.

«2. A felicidade, como ser ético, estatui-se unicamente como ser mental. Possui existência mental.»

«3. Neste sentido, a felicidade ´é uma ilusão, uma construção mental. »

«4. Enquanto construção mental, a felicidade não corresponde, porém, a um flatus mentis. A felicidade está para a mente como a miragem para a visão. Não existe oásis naquela zona do deserto mas o viajante vê-o, objectivamente.»

 

( Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 92-93; o destaque a negrito é posto por mim).

 

É uma visão errada de Reale, unilateral, intelectualista, da felicidade, que é prazer (hedoné, em grego). O que é a «felicidade como ser ético»? Isto não é esclarecido. Miguel Reale parece não detectar que a saúde física - respirar e mover-se saudavelmente, saborear e digerir maçãs ou outros alimentos agradáveis ao paladar - é felicidade, isto é, prazer continuado. Parece ignorar que o acto sexual entre dois parceiros que se amam ou desejam intensamente é dez ou vinte ou trinta minutos de felicidade psicofísica que culmina no orgasmo. A felicidade existe a cada momento, misturada com um certo grau de infelicidade. É isso que Miguel Reale não consegue ou não quer ver.

 

Um amoroso não correspondido por uma mulher sente-se, afectivamente infeliz, e simultaneamente é feliz ao contemplar a bela paisagem de sobreiros ou ao beber uma cerveja ou comer uma iguaria e é sempre feliz - ainda que não se dê conta- a cada minuto que respira e se move com saúde. Para muitas pessoas, especialmente para os adolescentes, a saúde física não é uma ilusão, uma miragem,  mas um oásis permanente no deserto da vida.

 

O MAL É O ÚNICO CONCEITO ONTOLÓGICO REAL?

 

«10. Com excepção do mal, único conceito ético real, ontológico, todos os restantes conceitos éticos se estatuem como construções mentais culturais e civilizacionais (humanas, portanto). Bem, responsabilidade, dever moral, liberdade, justiça, culpa e perdão são meros flatus mentis, sem outra existência ôntica que a de prevenirem o domínio do mal no seio das sociedades.» 

(Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 94; o destaque a negrito é posto por mim).

 

A visão antidialética de Miguel Reale é patente. Segundo ele, o ser é o mal e tudo o resto (regras morais, tribunais e sistema de justiça, etc.) é não-ser. Se há o mal, há igualmente o seu contrário, o bem, ao nível ontológico, profundo e principial. Se uma pessoa ajuda outra sem nada esperar em troca a não ser um sorriso isso prova que o bem é ontológico, tanto quanto o mal.

 

NÃO EXISTE SENTIDO ÚLTIMO DA VIDA?

Miguel Reale escreve:

«17. A máxima ilusão social: ser feliz.»

«18  Caracterizada desde Aristóteles como o sentido último da vida.»

«19. Porém, não existe sentido último da vida.».»

( Miguel Reale, Nova Teoria da Felicidade, Editora Dom Quixote, Março de 2013, pág. 98; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Ao contrário de Reale, sustento que há um duplo sentido último da vida:

1) Ser feliz, realizar a felicidade, motor e sentido subjectivo de todos os seres humanos ( vivemos porque temos esperança de ser felizes amanhã e nos anos vindouros, felizes no amor, na saúde, no dinheiro, nas visitas ao estrangeiro, no trabalho; e se somos religiosos, vivemos para nos elevarmos a um mundo divino).

2) Cumprir a vontade do Zodíaco e da movimentação planetária que tudo comanda, motor objectivo, científico, dos estados de espírito e   actos humanos, e este segundo sentido escapa à vontade e à intencionalidade humana racional porque é pura predestinação em que se misturam a busca da felicidade e da infelicidade.

 

Como desconhece a astrologia científica a partir da qual se induz que tudo está predestinado, Miguel Reale ignora, como todos os académicos, o sentido real imanente da vida: ordem cósmica, em que uns (pessoas singulares, classes sociais, países, religiões, etc) sobem num prato da balança cósmica e outros (pessoas singulares, classes sociais, países, religiões, etc) descem no outro prato da mesma balança conforme a revolução dos planetas no círculo celeste.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:03
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Teologia cátaro-bogomila:...

Ponto 23º 7´/23º 15´de qu...

Erros na tradução portugu...

O sublime moral para Scho...

Seísmos en México en Astr...

Área 9º-10º do signo de T...

Neocátaros versus budismo...

Teologia neocátara: sem j...

Herbert Marcuse: o caráct...

Breves reflexões de Agost...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds