Sábado, 29 de Novembro de 2014
Teste de Filosofia do 10º C (Novembro de 2014)

 

 Eis um teste de Filosofia do 10º ano da escolaridade, em final do primeiro período lectivo do ensino secundário em Portugal. As leis da lógica dialética, que figuram neste teste,  são ignoradas pela generalidade dos autores de manuais escolares e, no entanto, estão contidas virtualmente no ponto 1.2 do programa de filosofia do 10º ano «Quais são as questões da filosofia?» e no ponto 1.3 «A dimensão discursiva do trabalho filosófico».  Por que razão a grande maioria dos docentes lecionam aos alunos os princípios da lógica formal (identidade, não contradição e terceiro excluído)  e não leccionam as leis da lógica dialética (uno, devir, contradição principal, etc) geradas no taoísmo, em Heráclito, Hegel, Marx, Althusser?  Porque não sabem lógica dialéctica, deixando-se submergir, no seu limitadíssimo saber, pela maré sectária da chamada filosofia analítica com a sua lógica proposicional .

 

:Agrupamento de Escolas nº 1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia , Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA C
26 de Novembro de 2014.            Professor: Francisco Queiroz

 I

 

“Nalguns casos, a filosofia em acto é ciência em potência e vice-versa. As percepções empíricas originam os conceitos mediante a lei do salto qualitativo. É costume dizer que a metafísica se situa na transcendência mas as essências, na visão de Aristóteles, são metafísica na imanência. »

 

1) Explique concretamente este texto.

 

2) Defina determinismo com livre-arbítrio («moderado»), determinismo sem livre-arbítrio («radical»), indeterminismo (biofísico) sem livre-arbítrio e fatalismo indeterminista e aplique a estas quatro correntes a lei da contradição principal, lei que deve também definir.

 

3) Defina e aplique a lei dialéctica da luta de contrários à sua vida pessoal. como estudante adolescente em Beja, e às matérias da Biologia, da Química, da Matemática, do Português.
 

4)   Relacione, justificando:

 

A) Proté Ousía, Forma Eterna (Eidos) e Hylé, em Aristóteles, e lei da tríade.
     

B)  Esfera dos valores espirituais na teoria de Max Scheler, e Mundo do Mesmo em Platão.

 

CORRECÇÃO DO TESTE DE AVALIAÇÃO (COTADO MAXIMAMENTE PARA 20 VALORES)

 

1) Aquilo que hoje é  filosofia, isto é, interpretação especulativa do mundo, em acto, ou seja, na realidade presente, é ciência em potência, isto é, no futuro previsível. Assim aconteceu com a filosofia atomista de Demócrito e Leucipo na antiguidade grega: converteu-se em ciência detalhada nos séculos XIX e XX, desenvolvendo as noções de protão, electrão, neutrão, núcleo, órbitas e outras. Inversamente, uma ciência em acto, como por exemplo, a vacinação pode vir a reduzir-se a uma mera filosofia no futuro - em potência - quando se descobrir que a «imunização não existe, é uma tentativa de falsear a lei biológica de causa-efeito, lei que inclui o facto de que vírus ou toxinas inoculados no organismo humano prejudicam sempre este criando anticorpos» (VALE DOIS VALORES). A percepção empírica, isto é, um conjunto de sensações visuais, auditivas, tácteis, etc - exemplo: ver uma árvore - origina o conceito, isto é, a ideia de uma classe de coisas - exemplo: a ideia de árvore, que se tem de olhos fechados - através da lei do salto de qualidade que teoriza que a acumulação gradual e lenta, em quantidade, de um certo factor num fenómeno gera, em dado instante, um salto nítido de qualidade nesse fenómeno: vejo um pinheiro, depois um sobreiro, depois uma macieira e abstraindo (salto qualitativo) nasce em mim o conceito ou ideia de árvore (VALE DOIS VALORES). Diz-se que a metafísica, isto é, o reino das essências (formas) ou entes invisíveis, impalpáveis, que está além do mundo físico visível e palpável se situa na transcendência, isto é no Além - no Mundo Inteligível, acima do céu visível, em Platão - mas Aristóteles sustentou que as essências ou formas eternas estão inerentes aos objectos físicos (exemplo: a essência cavalo existe apenas em todos os cavalos físicos, reais) por isso são metafísica (formas imóveis, além da phisis ou região do movimento) na imanência, isto é, dentro das coisas físicas (VALE DOIS VALORES).

 

2) Determinismo com livre-arbítrio (vulgo: determinismo moderado) é a teoria segundo a qual, na natureza, as mesmas causas produzem sempre os mesmos efeitos e o homem dispõe de liberdade racional de escolha (livre-arbítrio). Exemplo: um homem decide, racionalmente, atirar-se do alto de um avião em páraquedas, sabendo que se sujeita ao determinismo na lei da gravidade, que o faz cair para a Terra. Determinismo sem livre-arbítrio (vulgo: determinismo radical) é a teoria segundo a qual, na natureza, as mesmas causas produzem sempre os mesmos efeitos e o homem não dispõe de liberdade racional de escolha (livre-arbítrio). Exemplo: movido por uma força irracional, sem liberdade de escolha,  um homem atira-se do alto de um arranha-céus, sujeitando-se determinismo na lei da gravidade, que o faz cair para a Terra e morrer esmagado. Indeterminismo sem livre-arbítrio  é a teoria segundo a qual, na natureza, as mesmas causas não produzem sempre os mesmos efeitos e o homem não dispõe de liberdade racional de escolha (livre-arbítrio). Exemplo: beber água nem sempre faz funcionar os rins, às vezes paralisa-os (indeterminismo) e um grupo de pessoas ingere água por motivo de uma sede abrasadora, sem decisão livre e meditada. Fatalismo indeterminista é a teoria segundo a qual tudo na vida está predestinado segundo forças do capricho, incompreensíveis, e os homens não dispõem de livre-arbítrio. Exemplo: tudo estava e está predestinado, incluindo que Hitler escapasse com vida no atentado à bomba de 20 de Julho de 1944 e em outros e não há explicação racional, determinista, para esses «acasos» predestinados. A lei da contradição principal estabelece que um sistema de múltiplas contradições (em rigor deveria dizer-se: contrariedades; exemplo: a contrariedade entre a URSS e os EUA, a contrariedade entre a França e a Espanha, etc.) pode ser reduzido a uma só grande contradição, formada por dois grandes blocos ou pólos, denominada contradição principal. Assim, no caso das quatro correntes acima definidas a contradição principal pode ser a que opõe as correntes deterministas (determinismos com e sem livre-arbítrio) às correntes indeterministas (indeterminismo sem livre-arbítrio, fatalismo indeterminista) (VALE CINCO VALORES).

 

3) A lei dialéctica da luta de contrários diz que cada ente ou fenómeno se compõe de um par de contrários que lutam entre si e constituem uma unidade instável que é a essência e o motor de desenvolvimento desse ente ou fenómeno. Na vida de estudante, a luta entre a consagração ao estudo das disciplinas escolares e comparência nas aulas, por um lado, e a diversão extraescolar e faltas às aulas, por outro lado. Na Biologia, a luta entre as células procariontes, que carecem de membrana nuclear e as células eucarióticas, que possuem essa membrana, a luta entre assimilação e a desassimilação nos organismos, a luta entre genótipo e fenótipo. Na Química, a luta entre ácidos e bases, electrões e protões, metais e não metais. Na Matemática, a luta entre números negativos e números positivos, entre multiplicação e divisão, etc. No Português, a oposição entre prosa e poesia, substantivo e adjectivo, voz activa e voz passiva. (VALE TRÊS VALORES).

 

4) A) A lei da tríade diz que um processo dialéctico se divide em três momentos: a tese ou afirmação, a antítese ou negação e a síntese ou negação da negação, sendo a síntese não a soma das duas anteriores mas um resumo, um termo intermédio e convertendo-se em tese de um novo processo. Aplicando à teoria de Aristóteles temos o seguinte: as formas eternas ou eidos são a tese, a hylé ou matéria-prima universal ( eis uma imagem imperfeita da hylé: uma espécie de nevoeiro que não existe e espera condensar-se nas formas eternas) é a antítese e a proté ousía ou substância primeira, coisa individualizada, é a síntese já que nasce da união do eidos e da hylé (VALE TRÊS VALORES).

 

4) B) A esfera dos valores espirituais em Max Scheler engloba os valores éticos (bem, mal, justo, injusto), estéticos (belo, feio), filosóficos (verdade, falsidade) e os valores de referência das ciências empíricas (verdade e falsidade utilitárias) e do direito (legal, ilegal, etc.). Parte destes valores figuram no Mundo do Mesmo ou Mundo Inteligível de Platão como arquétipos ou essências perfeitas e imóveis: o Bem, o Belo, o Justo, o Triângulo, o Círculo, o Número (VALE TRÊS VALORES).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:01
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014
Accidentes en Sevilla en la Astrología Histórica (Historia Astronómica)

 

 Los accidentes y todo tipo de hechos que acaecen en Sevilla capital o Sevilla provincia son provocados por los transitos de planetas, Sol o Nodos de la Luna por ciertas areas del Zodíaco (círculo del cielo de 360º grados o 12 signos de 30º cada uno). Vamos a exponer algunas de estas areas, demostrando que nada sucede al azar, todo está predestinado. Este saber se prohíbe  en las universidades, que no poseen suficiente inteligencia como para descubrir las correlaciones entre hechos sociales y hechos astronómicos.

 

ÁREA 0º-8º DE ARIES (Y CON FRECUENCIA 22º-24º DE TAURO, 11º-24º DE CAPRICORNIO):
BOMBARDEO AÉREO O TERRESTRE DE SEVILLA CAPITAL

 

El paso del sol, de un planeta, de Quirón o de un nodo de la Luna en el area 0º-8º del signo de Aries y a la vez, con frecuencia, en las áreas 22º-24º de Tauro y 11º-24º de Capricornio es condición necesaria pero no suficiente como para generar bombardeo aéreo o terrestre de Sevilla capital.

 

El 23 de julio de 1931, con Nodo Norte de la Luna en 8º 5´/ 8º 3´ de Aries, Quirón en 22º 57´/ 22º 59´ de Tauro, Saturno en 19º 15´/ 19º 11´ de Capricornio, el edificio donde se encuentra el bar-tienda Cornelio, propiedad de la viuda e hijos de Cornelio Mazón, bar y tienda de comestibles donde se reunían comunistas y anarcosindicalistas de CNT impulsadores de la huelga general en curso, en el barrio de la Macarena, Sevilla, es bombardeado y destruido por la Artillería bajo órdenes del capitán general de Sevilla, Leopoldo Ruiz Trillo, y el beneplácito del Gobernador Civil de Sevilla, el derechista José Bastos Ansart; el 1 de julio de 1937, con Saturno en 4º 55´/ 4º 56´ de Aries, Venus en 23º 7´/ 24º 6´ de Tauro, Júpiter en 24º 13´/ 24º 6´ de Capricornio, siete aviones republicanos bombardean los hoteles del Guadalquivir en Sevilla capital; y las bombas destruyen parcialmente chalés en los números 4,6 y 8 de la calle Panamá del barrio de Heliópolis, muriendo 4 mujeres (dos españolas y dos suizas) en el chalé de Francisco Chico-Ganga y resultando heridas otras 10 personas; el 25 de enero de 1938, con Saturno en 0º 51´/ 0º 56´ de Aries, Mercurio en 10º 26´/ 11º 37´ de Capricornio, diez aviones republicanos realizan una incursión sobre Sevilla, lanzando más de 5 toneladas de bombas sobre la capital andaluza, sin que la aviación ni la artillería fascista pudieran derribarlos o damnificarlos.

 

AREA 12º-14º DE GÉMINIS (Y FRECUENTEMENTE 8º-9º DE CAPRICORNIO):

CALLE FERIA

 

El paso del Sol, Quirón un planeta o nodo lunar en el área 12º-14º del signo de Géminis, y, con frecuencia en el área 8º-9º de Capricornio es condición necesaria pero no suficiente como para generar accidentes, incidentes y actos públicos en la calle Feria de Sevilla.

 

El 26 de abril de 2001, con Júpiter en 12º 26´/ 13º 39´ de Géminis, Nodo Sur de la Luna en 8º 7´/ 8º 3´ del signo de Capricornio, Francisco Javier S.N., su compañera Valentina M.E. y su hijo de 16 años roban a mano armada 1.300.000 pesetas en la sucursal de la Caja San Fernando, en la calle Feria de Sevilla; el 25 de septiembre de 2001, con Saturno en 14º 58´ de Géminis, Marte en 8º 58´/ 9º 39´ de Capricornio, Manuel C.G. entra en la oficina de la Asociación de Voluntariado Social y Ecuménico «Cristo Vive», en la calle Feria de Sevilla, asesina a puñaladas a Miguel O.R., de 71 años administrador del centro de rehabilitación del Castillo de las Guardas donde el atacante reside, se marcha del edificio y propina un corte en el brazo izquierdo a un hombre.

 

 

ÁREA 14º-16º DE GÉMINIS (Y CON FRECUENCIA 20º-24º DE TAURO, 25º-29º DE GÉMINIS):
HELIÓPOLIS

 

El paso del Sol, Quirón un planeta o nodo lunar en el área 14º-16º del signo de Géminis, y, con frecuencia en las áreas 20º-24º de Tauro y 25º-29º de Géminis es condición necesaria pero no suficiente como para concretar accidentes, incidentes y actos públicos en Heliópolis, Sevilla.

 

El 25 de mayo de 1934, con Mercurio en 16º 45´/ 18º 41´ de Géminis, Marte en 23º 47´/ 24º 30´ de Tauro, Saturno en 27º 54´/ 28º 1´ de Géminis, intentan incendiar el chalet del diputado republicano Ramón González Sicilia, en Heliópolis, Sevilla; el 1 de julio de 1937, con Nodo Sur de la Luna en 14º 53´ de Géminis, con Venus en 23º 7´/ 24º 6´ de Tauro,  Mercurio de 29º 48´ del signo de Géminis al 1º 54´ del signo de Cáncer, siete aviones republicanos bombardean los hoteles del Guadalquivir en Sevilla capital; y lanzan bombas que destruyen parcialmente chalés en los números 4,6 y 8 de la calle Panamá del barrio de Heliópolis, muriendo 4 mujeres (dos españolas y dos suizas) en el chalet de Francisco Chico-Ganga y resultando heridas otras 10 personas; el 4 de junio de 1944, con Sol en 13º 14´/ 14º 11´ de Géminis, con Mercurio en 19º 27´/ 20º 42´ de Tauro, Saturno en 27º 54´/ 28º 1´ de Géminis, se inaugura la línea de tranvías al barrio de Heliópolis de Sevilla.

 

ÁREA 14º-15º DE SAGITARIO (Y CON FRECUENCIA 15º-16º DE CÁNCER):
SAN BERNARDO

 

El paso del Sol, Quirón un planeta o nodo lunar en el área 14º-15º del signo de Sagitario, y, con frecuencia en el area 15º-16º del signo de Cáncer es condición necesaria pero no suficiente como para impulsar accidentes, incidentes y actos públicos en el barrio de San Bernardo, en Sevilla.

 

El 20 de julio de 1936, con Júpiter en 15º 22´/ 15º 18´ de Sagitario, Marte en 16º 2´/ 16º 42´ de Cáncer, las tropas de Queipo de Llano conquistan el barrio sevillano de San Bernardo y llegan al aeródromo de Tablada los primeros legionarios con el comandante Castejón; el 12 de noviembre de 2001, con Plutón en 14º 9´/ 14º 12´ de Sagitario, Júpiter en 15º 33´/ 15º 31´ de Cáncer, se derriba ilegalmente el penúltimo corral que quedaba en pie en el sevillano barrio de San Bernardo, en los números 8 y 10 de la calle que lleva el mismo nombre, que era la casa natal del torero Pepe Luís Vázquez.

 

ÁREA 17º-19º DE SAGITARIO (Y CON FRECUENCIA 14º-22º DE VIRGO):
PLAZA DE LA ALFALFA

 

El paso del Sol, Quirón un planeta o nodo lunar en el área 14º-15º del signo de Sagitario, y, con frecuencia en el area 15º-16º del signo de Cáncer es condición necesaria pero no suficiente como para implementar accidentes, incidentes y actos públicos en la plaza de la Alfalfa en Sevilla.

 

El 24 de julio de 2002, con Nodo Sur de la Luna en 17º 13´/ 17º 6´ de Sagitario, Venus en 14º 36´/ 15º 42´ de Virgo, una anciana de 102 años muere calcinada, en la madrugada, a causa de registrarse un incendio en el colchón donde dormía en la habitación 309 en la residencia de ancianos situada en el número 7 de la calle Pérez Galdós, de Sevilla, junto a la céntrica plaza de la Alfalfa y gestionada por «Habitat Geriátrico»; el 2 de diciembre de 2006, con Venus en 18º 25´/ 19º 40´ de Sagitario, Nodo Sur de la Luna en 22º 10´/ 22º 2´ de Virgo, una persona es detenida en la plaza de la Alfalfa de Sevilla por resistencia a la autoridad e intento de agresión a un agente,  

 

Qué estúpidos eran Karl Popper, Bertrand Russell, Heidegger, John Rawls y qué nescios eran y son la práctica totalidad de los filósofos, historiadores y sociologos, desprovistos de pensamiento racional-holístico, al burlarse de la investigación astrológica en general, al negar que hay determinismo planetario en la modelación de la historia humana y biofísica !

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 13:56
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014
Ataques contra intereses Israelíes y áreas del Zodíaco

 

 

 Los ataques contra embajadas, agentes secretos, colonos israelíes y sinagogas, conducidos, por regla general, por militantes palestinos y árabes, obedecen a las leyes planetarias, a la presencia de un planeta o el Sol en ciertos grados del Zodíaco . Vamos a exponer algunas de estas areas, demostrando que nada sucede al azar, todo está predestinado.

 

AREA 26º-29º DE ARIES:

ATENTADO CONTRA SINAGOGA O CEMENTERIO

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 26º-29º  del signo de Aries es condición necesaria pero no suficiente como para generar un ataque contra sinagogas o cementerio judíos. 

 

El 11 abril 2002, con Mercurio en 24º 55´/ 27º 1´ de Aries, un camión de gas se estrelló contra una sinagoga de Yerba (Túnez), causando la muerte de 19 personas, de ellas 14 alemanes y 2 franceses, atentado reivindicado por Al Qaeda; el 16 mayo 2003, con Venus del 29º 27´ de ArIes al 0º 39´ de Tauro, una bomba estalla junto a un antiguo cementerio judío en Casablanca (Marruecos) sin causar víctimas, siendo uno de los cinco atentados registrados ese día en la ciudad, que causaron un total de 45 muertos.

 

AREA 28º-29º DE TAURO:

ATAQUE CONTRA SINAGOGA O CEMENTERIO JUDÍO

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 28º-29º  del signo de Tauro es condición necesaria pero no suficiente como para cuajar un ataque contra sinagogas o cementerio judíos.

 

El 11 abril 2002, con Marte en 28º 8´/ 28º 49´ de Tauro, un camión de gas se estrelló contra una sinagoga de Yerba (Túnez), causando la muerte de 19 personas, de ellas 14 alemanes y 2 franceses, atentado reivindicado por Al Qaeda; el 16 mayo 2003, con Nodo Norte de la Luna en 29º 28´ de Tauro,  una bomba estalla junto a un antiguo cementerio judío en Casablanca (Marruecos) sin causar víctimas, siendo uno de los cinco atentados registrados ese día en la ciudad, que causaron un total de 45 muertos.

 

AREA 21º-27º DE CANCER:

ATAQUES CONTRA SINAGOGAS O RESTAURANTES JUDÍOS

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 21º-27º  del signo de Cancer es condición necesaria pero no suficiente como para engendrar un ataque contra sinagogas o restaurantes judíos o sedes de asociaciones israelíes.  

 

El 5 septiembre 1972, con Nodo Sur de la Luna en 25º 14´/ 24º 58´ de Cáncer, un comando palestino toma por asalto el pabellón donde se alojaba el equipo israelí que participaba en los Juegos Olímpicos de Munich, dos atletas mueren en el ataque y otros nueve fallecen dos días después, cuando la policía alemana frustra la huida de los guerrilleros; el 29 agosto 1981, con Marte en 27º 37´/ 28º 2´ de Cáncer,  tres presuntos miembros de una facción radical de la OLP, atacan una sinagoga de Viena y matan a  los dos policías que la custodiaban, resultando 17 heridos; el 9 agosto 1982, con Vénus en 23º 21´/ 24º 34´ de Cáncer, un grupo terrorista abre fuego contra el restaurante Goldenberg, en el barrio judío de París (Francia) y mata a seis personas; el.19 julio 1994,  con Sol en 26º 6´/ 27º 4´ de Cáncer, un atentado suicida con coche-bomba lanzado contra la sede de la Asociación Mutual Israelita Argentina (AMIA), en Buenos Aires causa ochenta y cinco muertos y 231 heridos; el 29 de julio de 1994, con Mercurio en 20º 2´ / 21º 50´ de Cancer, resultan veinte heridos en dos atentados perpetrados contra la embajada israelí y un centro judíos en Londres (Reino Unido); el 4 julio 2002, con Marte en 23º 47´/ 24º 26´ de Càncer, un ciudadano egipcio dispara contra varias personas frente al mostrador de la aerolínea israelí El Al en el aeropuerto de Los Ángeles (EEUU), matando a tres de ellas; el 7 octubre 2004, con Saturno em 26º 23´/ 26º 27´ de Cáncer, al menos 26 personas mueren y unas 130 resultan heridas, muchas de ellas israelíes, en tres atentados contra alojamientos turísticos en el este de la península de Sinaí. 

 

ÁREA 5º-8º DE LEO:

ATENTADO CONTRA EMBAJADA O ASOCIACIÓN ISRAELÍ O AEROLÍNEA

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 5º-8º del signo de Leo es condición necesaria pero no suficiente como para implementar un ataque contra embajada o asociación israelí.

 

El.29 julio 1994, con Sol en 5º 39´/ 6º 37´ de Leo,  un atentado suicida con coche-bomba lanzado contra la sede de la Asociación Mutual Israelita Argentina (AMIA), en Buenos Aires causa ochenta y cinco muertos y 231 heridos; el 4 julio 2002, con Marte en 6º 23´/ 7º 1´ de Leo,  un ciudadano egipcio dispara contra varias personas frente al mostrador de la aerolínea israelí El Al en el aeropuerto de Los Ángeles (EEUU), matando a tres de ellas; el 30 julio 2004, con Sol en 7º 10´/ 8º 7´  de Leo, un ataque suicida contra la embajada de Israel en Tashkent (Uzbekistán) causa la muerte de dos guardianes locales de esa sede, puesto que el suicida se inmola cuando los guardianes, un vigilante y un agente de los servicios secretos israelíes le impiden entrar.

 

ÁREA 22º-25º DE VIRGO:

ATAQUE CONTRA SINAGOGA O CUARTEL

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 22º-25º del signo de Virgo es condición necesaria pero no suficiente como para materializar un ataque contra sinagogas o cuartel de militares israelíes.

 

El 3 octubre 1980, con Júpiter en 24º 59´/ 25º 11´ de Virgo, una bomba estalla frente a una sinagoga de París (Francia) causando cuatro muertos y 20 heridos, no se demostrando plenamente que fuera una acción árabe; el 29 agosto 1981, con Mercurio en 22º 10´/ 23º 47´ de Virgo, tres presuntos miembros de una facción radical de la OLP, atacan una sinagoga de Viena y matan a los dos policías que la custodiaban. resultando 17 heridos; el 4 de noviembre 1983, con Vénus en 24º 27´/ 25º 27´ de Virgen, suicidas de Yihad Islámica lanzan una camioneta con explosivos contra el cuartel general israelí en Tiro (Líbano) y mueren 60 personas.

 

AREA 28º-29º DE LIBRA:

ATAQUE CONTRA SINAGOGA O CONTRA PEATONES EN LA CALLE

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 28º-29º del signo de Libra es condición necesaria pero no suficientecomo  para producir un ataque contra sinagogas o contra peatones judíos en la calle.

 

El 6 septiembre 1986, con Venus en 28º 44´ / 29º 38´ de Libra, militantes palestinos lanzan un ataque con granadas y ametralladoras contra una sinagoga de Estambul, causando la muerte de 24 personas; el 28 de noviembre 2002, con Marte en 27º 41´/ 28º 20´ de Libra, ocurre un  doble atentado en Mombasa (Kenia) que se traduce en dieciséis muertos, de ellos tres israelíes, y 80 heridos al estallar un coche bomba en el Hotel Paraíso, de propiedad israelí, atentado reivindicado por Al Qaeda así como el intento, minutos antes, de derribar un avión israelí cuando despegaba del aeropuerto de Mombasa; el 23 de octubre de 2014, con Venus del 28º 55´de Libra al 0º 10´ de Escorpio, un conductor palestino atropella a los peatones que esperaban el tranvía en el barrio de Guivat Tajmoshet, a pocos metros de la comisaría central de la ciudad en el norte de Jerusalén (Israel). resultando muerto un bebé israelí de tres meses y ocho heridos;

 

AREA 22º-25º DE ESCORPIO:

ATENTADO CONTRA EDIFICIO DE ASOCIACIÓN, SINAGOGA O PEATONES EN LA CALLE

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 22º-25º del signo de Escorpio es condición necesaria pero no suficientecomo  para suscitar un ataque contra sinagogas o sedes de associaciones israelíes.

 

El 5 octubre 1985, con Saturno en 25º 14´/ 25º 20´ de Escorpio, la facción de la OLP Fuerza 17 asesina en Barcelona a dos marineros israelíes, que podían ser agentes del Mossad, miembros de la tripulación del barco "Zim California", atracado en esa ciudad española y el mismo día, un soldado egipcio dispara contra un grupo de turistas israelíes en Ras Burka, en el Sinaí (Egipto), y mata a siete de ellos; el 29 julio 1994.con Plutón en 25º 18´/ 25º 17´ de Escorpio, causó un atentado suicida con coche-bomba lanzado contra la sede de la Asociación Mutual Israelita Argentina (AMIA), en Buenos Aires causa ochenta y cinco muertos y 231 heridos; el 23 de octubre de 2014, con Saturno em 22º 50´/ 22º 57´ de Escorpio, un conductor palestino atropella a los peatones que esperaban el tranvía en el barrio de Guivat Tajmoshet, a pocos metros de la comisaría central de la ciudad en el norte de Jerusalén (Israel). resultando muerto un bebé israelí de tres meses y ocho heridos; el 18 de noviembre 2014, con Saturno en 25º 53´/ 26º 0´ de Escorpio, dos palestinos invaden una sinagoga en Jerusalen e matan a golpes de machete y tiros de pistola a 4 israelíes dejando heridos a 9 otras personas.

AREA 15º-17º DE SAGITARIO:

ATAQUES CONTRA COMPAÑIAS DE AVIACIÓN O SINAGOGAS

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 15º-17º  del signo de Sagitario es condición necesaria pero no suficiente como para cuajar un ataque contra sinagogas o cementerio judíos.

 

El 27 diciembre 1985, con Mercurio en 15º 51´/ 17º 14´ de Sagitario, mueren 18 personas en dos atentados terroristas simultáneos de Abu Nidal en las terminales de la compañía israelí El Al en los aeropuertos de Viena y Roma; el 15 noviembre 2003, con Vénus em 15º 2´ /16º 17´ de Sagitario, dos atentados casi simultáneos con coches bomba junto a sendas sinagogas en Estambul (Turquía) causan 24 muertos, de ellos seis judíos, y más de doscientos heridos, de los que 70 eran judíos.


AREA 5º-6º DE CAPRICORNIO:

ATENTADOS CONTRA COMPAÑIAS DE AVIACIÓN

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 5º-6º del signo de Capricornio  es condición necesaria pero no suficiente como para provocar un ataque contra compañias de aviación israelís o autobús que transporta israelíes.

 

El 27 diciembre 1985, con Sol en 5º 10´ / 6º 11´ de Capricornio, mueren 18 personas en dos atentados terroristas simultáneos de Abu Nidal en las terminales de la compañía israelí El Al en los aeropuertos de Viena y Roma; el 17 marzo 1992, con Nodo Norte de la Luna em 6º 18´/ 6º 8´ de Capricornio, veintinueve muertos y cien heridos se registran en un atentado suicida contra la Embajada de Israel en Buenos Aires (Argentina), reivindicado por "Yihad Islami", uno de los brazos armados de Hizbulá en el Líbano meridional.

 

AREA 16º-18º DE ACUARIO:

ATAQUES CONTRA COMPAÑIAS DE AVIACIÓN O AUTOBÚS QUE TRANSPORTAN A ISRAELÍES

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 16º-18º del signo de Acuario es condición necesaria pero no suficiente como para engendrar un ataque contra compañias de aviación israelís o autobús que transporta israelís.

 

El 27 diciembre 1985, con Júpiter en 17º 12´/ 17º 25´ de Acuario, mueren 18 personas en dos atentados terroristas simultáneos de Abu Nidal en las terminales de la compañía israelí El Al en los aeropuertos de Viena y Roma; el 5 febrero 1990, con Nodo Norte de la Luna en 16º 30´ de Acuario, se da un ataque armado contra un autobús de turistas israelíes en Egipto, en la carretera de Ismailia al Cairo, fallecen once judíos y dos egipcios.

 

 AREA 18º-20º DE PISCES:

ATAQUE CONTRA SINAGOGA O GRUPO DE JUDÍOS EN LA CALLE

 

El paso del Sol, de Quirón, de un planeta o un Nodo de la Luna por el area 18º-20º del signo de Pisces es condición necesaria pero no suficiente como para causar  un ataque contra sinagogas o grupo de judíos en la calle.

 

El 6  septiembre 1986, con Júpiter en 18º 31´/ 18º 23´ de Pisces, militantes palestinos lanzan un ataque con granadas y ametralladoras contra una sinagoga de Estambul, causando la muerte de 24 personas; el 13 marzo 1997, con Venus en 17º 16´/ 18º 31´ de Pisces, siete colegialas y una profesora israelíes mueren a causa de los disparos de un soldado jordano presuntamente enajenado en Naharaim (Jordania). el 4  octubre 1998, con Júpiter en 20º 46´/ 20º 39´ de Pisces, cuatro personas (dos judíos y dos musulmanes) pierden la vida en el ataque de un palestino contra una sinagoga de Bagdad (Irak).

 

Esta es, sin duda,  en contra de la astrología tradicional llena de fantasías,  una astrología científica, una historia factual astronómicamente clasificada, una ciencia que las universidades del mundo entero se obstinan en rechazar. ¿Por qué?  ¿Es la deshonestidad un rasgo característico de los profesores catedráticos y los periodistas directores de información,  celosos de sus privilegios¿ Cuando aparecerá el gran editor de libros de papel que publique nuestros estudios y los divulgue, internacionalmente, en las librerías  operando, así, un cambio en el punto de vista de la percepción/interpretación de la historia y la vida, entre el público culto?

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Derechos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 00:06
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 17 de Novembro de 2014
Uma divisão falaciosa dos egoísmos por Kurt Baier

 

 

No seu artigo «O egoísmo», do Compêndio de Ética organizado por Peter Singer, Kurt Baier distingue cinco versões de egoísmo: o egoísmo exagerado, o egoísmo psicológico, o egoísmo como meio para o bem comum, o egoísmo racional e o egoísmo ético. Trata-se de uma divisão  confusa, que espelha o caos da filosofia analítica e da filosofia institucional em geral que mistura espécies de diferentes géneros no mesmo saco.

 

Peter Singer não detectou esta confusão nem Paul Ricoeur, nem Richard Jeffrey nem Daniel Danett, nem Simon Blackburn, nem Olavo de Carvalho, nem Miguel Reale nem os professores universitários portugueses ou brasileiros como José Gil, Ricardo Santos,  Alexandre Franco de Sá, João Branquinho, Olivier Feron, Luís de Araújo, Mendo Castro Henriques, Desidério Murcho, Pedro Galvão, José Meirinhos, Vítor Guerreiro, Bento Prado Júnior, Luís Vilela, Paulo Eduardo Arantes, e tantos outros   nunca detectaram estes erros de sobreposição de conceitos. Que sabem eles de dialética, isto é, de ordem clara no pensamento? 

 

Estamos, pois, contra as universidades, dominada por intelectuais de segunda e terceira categoria, confusos, mais ou menos eruditos, a receberem fundos estatais que não merecem pois não reunem a categoria intelectual que se outorgam a si mesmas.

 

EGOÍSMO PSICOLÓGICO NÃO SE OPÕE COMO CONTRÁRIO A EGOÍSMO PROMOTOR DO BEM COMUM

 

Escreve Kurt Baier:

 

«Distinguimos entre cinco versões de egoísmo. A versão do senso comum considera um vício a busca do próprio bem mais além do moralmente permissível . A segunda, o egoísmo psicológico, é a teoria segundo a qual, se não na superfície, ao menos no mais profundo todos somos egoístas no sentido de que no que concerne à nossa conduta explicável pelas nossas crenças e desejos, esta sempre tende ao que consideramos o nosso máximo bem. A terceira, ilustrada pela teoria de Adam Smith, é a teoria segundo a qual em determinadas condições a promoção do próprio bem é o melhor meio de alcançar a meta legítima da moralidade, a saber, o bem comum. Se não se colocam objecções morais à consecução e à manutenção de estas condições, pareceria desejável tanto de um ponto de vista moral como de um ponto de vista egoísta procurar ou manter estas condições se nelas podemos alcançar a meta moral promovendo ao mesmo tempo o nosso maior bem. A quarta e quinta versões, o egoísmo ético e racional, apresenta-o como ideais práticos, a saber, como os ideais da moralidade e da razão.»

 

(Kurt Baier, El egoísmo, in Compendio de Ética, organizado por Peter Singer, Alianza Diccionarios, Madrid, 2004, página 289; o destaque a negrito é posto por mim)..

 

Egoísmo psicológico não contraria a noção de egoísmo promotor do bem comum. São duas dimensões do mesmo egoísmo: o psicológico integra-se no género ontológico (o que é, o ser de...), isto é, descreve a natureza humana como egoísta; o egoísmo promotor do bem comum, isto é, analisado nos seus efeitos económicos - exemplo: o grande capitalista constrói, por egoísmo psicológico, uma casa com paredes de mármore e oiro e assim dá emprego a dezenas de operários  e negócios a empresas de matéria-prima, o seu egoísmo promove o bem comum - é, na mesma, egoísmo psicológico, integra-se no género praxiológico (a utilidade, a consequência de algo). Por que razão, então, Baier os classifica como extrínsecos, contrários, entre si? Confusão intelectual. Só isso.

 

É RIDÍCULO OPOR EGOÍSMO RACIONAL A EGOÍSMO ÉTICO

 

Escreve Kurt Baier:

 

«Vou considerar finalmente as duas versões do egoísmo como ideal prático, habitualmente denominadas egoísmo racional e egoísmo ético, respectivamente. Frente à doutrina antes considerada do egoísmo como meio para o bem comum, não se baseiam em premissas fácticas sobre as consequências sociais ou económicas do fomento de cada qual do seu maior bem. (...) Ambos os ideais têm uma versão mais forte e outra mais débil. A mais forte  afirma que é sempre racional (prudente, razoável, respaldado pela razão) sempre correcto (moral, elogioso, virtuoso) aspirar ao máximo bem de cada qual, e nunca racional, etc., nunca correcto, etc., não o fazer. A versão mais débil afirma que é sempre racional, é sempre correcto fazê-lo, mas não necessariamente nunca é racional nem correcto não o fazer.» (...)

«Unida a outra premissa, o egoísmo racional implica o egoísmo ético. Essa outra premissa é o racionalismo ético, a doutrina segundo a qual para que uma exigência ou recomendação moral seja sólida ou aceitável, o seu cumprimento deve estar de acordo com a razão. (...) Assim, pois se aceitamos a versão débil do racionalismo ético (segundo a qual as exigências morais são sólidas e podem aceitar-se se o seu cumprimento está de acordo com a razão) e também aceitarmos a versão débil do egoísmo racional - a saber, que comportar-se de determinada maneira está de acordo com a razão se ao comportar-se de esse modo o agente aspira ao seu máximo bem - en congruência também devemos aceitar a versão débil do egoísmo ético - a saber, que as exigências morais são sólidas e podem aceitar-se se, ao cumpri-las, o agente aspira ao seu máximo bem. E o mesmo pode dizer-se a respeito das versões fortes.»

 

(Kurt Baier, El egoísmo, in Compendio de Ética, organizado por Peter Singer, Alianza Diccionarios, Madrid, 2004, página 286-287; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Não é clara, neste texto, a distinção entre versão débil do racionalismo ético e versão débil do egoísmo racional e muito menos a distinção entre esta última e a versão débil do egoísmo ético. Não há exemplos, os contornos destas definições esfumam-se. Estamos no terreno do charlatanismo característico de alguma filosofia analítica.

 

Egoísmo racional não se opõe a egoísmo ético como contrário, é parte deste. É ridículo opor racional a ético, porque o racional está contido no ético. A racional opõe-se irracional, afectivo ou sentimental. Mas os tontos da filosofia analítica não sabem hierarquizar as espécies contrárias e as colaterais, não sabem colocar as primeiras dentro de um mesmo género e as segundas em géneros diferentes. Os grupos de estudo de filosofia analítica, como, em Portugal, o Lan Cog de João Branquinho e Ricardo Santos, passam ao lado da clareza dialética, perdidos em labirínticos corredores de pensamento fragmentário.

 

E são estes senhores, pobres em raciocínio holístico e analítico, que troçam do determinismo planetário na vida social e cultural, da astrologia histórico-social, ciência das ciências, que blindam (parafascismo!) as suas universidades contra a discussão livre desta e de outras temáticas, são estes senhores que fazem ou superintendem os programas e os manuais de filosofia para o ensino secundário...

Abaixo a casta antifilosófica, ou mediocremente filosófica, que domina as cátedras universitárias em todo o mundo!

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:20
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 10 de Novembro de 2014
Travestismo e homossexualidade e graus do Zodíaco

 

Identifiquei algumas das áreas do Zodíaco no que se refere a assassinatos de travestis e mortes de homossexuais e outros factos que destacam homossexualismo. Esta identificação faz-se por indução, a partir do facto histórico terrestre e das suas coordenadas celestes. Chamem-lhe ciência empírica, a esta astrologia histórica e social, mas é uma ciência, que ultrapassa a limitada compreensão dos Derrida, dos Deleuze, dos Saul Kripke, dos Peter Singer e outras «sumidades» filosóficas. Os filósofos «racionalistas» e «empiristas» anti-astrologia são uns impostores. As universidades mentem. Negam a ciência cósmica, a astrologia histórico-social. Também os astrólogos famosos, ancorados numa astrologia «dedutiva» tradicional, que despreza os factos empíricos, ignoram esta astrologia científica que desenvolvo.

 

ÁREA 7º-11º DE GÉMEOS:

EXALTAÇÃO DOS DIREITOS DA HOMOSSEXUALIDADE, AGRESSÃO OU MORTE DE HOMOSSEXUAIS

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 7º-11º do signo de Gémeos (graus 67º a 71º da eclíptica) é condição necessária mas não suficiente para exaltar a homossexualidade.

 

Em 4 de Março de 1959, com Marte em 10º 2´/ 10º 32´ de Gémeos, António Botto, poeta português, gay, é atropelado mortalmente por um automóvel do governo ao atravessar a avenida de Copacabana, vindo a falecer 12 dias mais tarde; em 30 de Julho de 1993, com Nodo Sul da Lua em 10º 52´/ 10º 49´ de Gémeos, 22 países, entre eles EUA e Argentina, votam favoravelmente outorgar estatuto consultivo ante o ECOSOC à Associação Internacional de Homossexuais e Lésbicas que, entre outras, afrupa associações promotoras do sadomasoquismo homossexual e da pedofilia, como a norte-americana NAMBLA; em 14 de Julho de 1994, com Marte em 7º 6´ / 7º 47´ de Gémeos, pela primeira vez em Portugal, um tribunal confere o poder paternal a um pai homossexual; em 28 de Maio de 1999, com Mercúrio em 9º 1´/ 11º 12´ de Gémeos, morre, envenenado por silicone no peito, o transexual Ruth Briden, artista de show erótico da noite lisboeta, de seu verdadeiro nome Joaquim Centúrio de Almeida, de 47 anos de idade; em 3 de Abril de 2001, com Júpiter em 7º 58`/ 8º 8´ de Gémeos, na Praça de Bandeira, no centro de Teresina, Brasil, o prostituto Marcos António Oliveira, de 20 anos, tenta matar à pancada um professor universitário da Universidade Federal do Piauí, de nome Manuel, por não lhe ter pago os R$ 20,00 cobrados pelo programa sexual; em 14 de Abril de 2001, com Júpiter em 10º 1´/ 10º 13´ de Gémeos, de madrugada, três homens, Anderson, Mário e Thiago, num Corsa vermelho, disparam sobre o travesti e maquilhador Remarque de Queiroz Costa Filho ( Cláudia), de 31 anos, que se recusou a atendê-los, atrás do Jóquei Clube, em Cidade Jardim, zona sul de São Paulo, e ferem a tiro na perna o maquilhador e travesti Gilson Rodrigues da Silva (Paula), trocando depois tiros com a polícia e acabando presos; em 1 de Janeiro de 2002, com Saturno em 9º 19´/ 9º 16´ de Gémeos, três cidadãos sauditas são executados em Abha, na província de Asir, Arábia Saudita, por actos homossexuais; em 18 de Junho de 2004, com Vénus em 12º 25´/ 11º 59´ de Gémeos, alguns polícias municipais irrompem violentamente numa discoteca de ambiente gay e lésbico em Lima, Peru, e agridem a golpes e pontapés os presentes que evitavam ser filmados; em 31 de Maio de 2010, com Sol em 9º 27´/ 10º 25´ de Gémeos,  é publicada em Diário da República Portuguesa a lei nº 9 /XI de 2010 autorizando o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo; em 1 de Agosto de 2012, com Júpiter em 10º 16´/ 10º 26´ de Gémeos, morre em Hollywood Hills, aos 86 anos de idade, o escritor norte-americano Gore Vidal, homossexual e progressista, nascido no condado de Orange.

 

ÁREA 12º-14º DE CARANGUEJO:

HOMOSSEXUALIDADE

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 12º.14º do signo de Caranguejo (graus 102º a 104º da eclíptica) é condição necessária mas não suficiente para exaltar a homossexualidade.

 

Em 20 de Setembro de 2001, com Júpiter em 12º 45´/ 12º 52´ de Caranguejo, o homossexual Genildo da Silva, de 49 anos, é despido à força por dois homens na via pública em Florianopólis, Santa Catarina, Brasil; em 15 de Julho de 2003, com Vénus em 12º 34´/ 13º 48´ de Caranguejo, Ericka, um transgénero de 19 anos, pertencente à ONG Comunidad Gay Sampedrana, de seu nome oficial Erik David Yañez, é assassinado a tiro por um agente de polícia que se deu conta de que a vítima era um travesti que exercia na zona dos trabalhadores do sexo; em 31 de Maio de 2010, com Vénus em 13º 4´/ 14º 14´ de Caranguejo, é publicada em Diário da República Portuguesa a lei nº 9 /XI de 2010 autorizando o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo; em 24 de Julho de 2014, com Mercúrio em 14º 43´/ 16º 30´ de Caranguejo, um travesti de cerca de 20 anos é assassinado com quatro tiros nos dois lados do quadril, no peito e nas costas.na Praça dos Trabalhadores, no bairro Cidade Industrial em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada, num local de disputa pelo ponto de prostituição.

 

ÁREA 16º-19º DE VIRGEM:

AGRESSÕES A HOMOSSEXUAIS

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 16º.19º do signo de Virgem (graus 166º-169º  a da eclíptica) é condição necessária mas não suficiente para exaltar a homossexualidade

 

Em 18 de Agosto de 1964, com Mercúrio em 17º 51´/ 17º 57´ de Virgem, morre em Lisboa, aos 77 anos, Raul Sousa Leal, poeta modernista, homossexual; em 8 de Setembro de 2001, com Sol em 15º 24´/ 16º 23´de Virgem, quatro assaltantes armados tentam invadir um bar de Gays e lésbicas na rua Oliveira Lima, bairro da Boa Vista, no Recife, mas são impedidos de o fazer pelos seguranças do estabelecimento;  em 5 de Outubro de 2001, com Vénus em 17º 2´/ 18º 16´ de Virgem, o costureiro Jomar Cardoso Porto, de 45 anos, gay, é agredido verbalmente e lesionado a murro por Petrônio Ferreira, amante da sua vizinha, Maria Santos, moradora no Edifício Oxumaré e síndica do Edifício Avenida, em Salvador, Bahía, Brasil;em 22 de Setembro de 2004, com Mercúrio em 17º 57´/ 19º 55´ de Virgem, um grupo violento de cerca de 15 pessoas agride 6 activistas gays estudantes na Universidade Nacional Maior de São Marcos, no Perú, destruindo os seus cartazes e empurrando-os.

 

ÁREA 23º-25º DE SAGITÁRIO:

ASSASSÍNIO DE GAY

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 23º-25º do signo de Sagitário (graus 263º-265º  da eclíptica) é condição necessária mas não suficiente para fomentar assassínio de homossexual.

Em 26 de Novembro de 2004, com Mercúrio em 25º 15´/ 25º 49´ de Sagitário, homófobos fascistas assassinam um travesti em Surco, no Perú, e queimam o cadáver para ocultar o crime; em 7 de Janeiro de 2011, com Mercúrio em 23º 19´/ 24º 12´ de Sagitário, o modelo Renato Seabra assassina e mutila sexualmente o seu namorado, o cronista Carlos Castro, de 65 anos de idade, no Hotel Intercontinental, no centro de Manhattan, Nova Iorque.

 

ÁREA 27º-29º DO SIGNO DE AQUÁRIO E 1º-3º DO SIGNO DE PEIXES:

GAY OU TRAVESTI EM DESTAQUE

 

A passagem do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 27º-29º do signo de Aquário e 1º.3º do signo de Peixes (graus 327º a 333º da eclíptica) é condição necessária mas não suficiente para exaltar a homossexualidade e o travestimo que com esta não coincide obrigatoriamente.  

 

Em 10 de Outubro de 1924, com Marte em 27º 21´/ 27º 34´ de Aquário, nasce em Poughkeepsie, Nova Iorque, Edward Wood Jr. o criativo realizador de cinema norte-americano, símbolo do travestismo heterossexual; em 11 de Fevereiro de 2010, com Vénus de 29º 22´ de Aquário a 0º 38´ de Peixes, o parlamento português aprova, com os votos favoráveis do centro-esquerda PS e da esquerda PCP, BE e Verdes, a lei do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

 

Em 19 de Fevereiro de 1996, com Marte em 2º 46´/ 3º 34´ de Peixes, o grupo de trabalho homossexual do PSR manifesta-se frente às instalações da Porto Editora, no Porto, contra o uso dos termos «inversão sexual» e «aberração» usados para classificar a homossexualidade no dicionário de português lançado por esta empresa; em 6 de Fevereiro de 2000, com Mercúrio em 1º 6´ / 2º 45´ de Peixes, de madrugada, na Praça da República em São Paulo, Brasil, o adestrador de cães Edson Neris da Silva, gay, é assassinado por dois skinheads homofóbicos, Juliano Filipini Sabino e Nilson Pereira da Silva; em 26 de Novembro de 2004, com Úrano em 2º 57´/ 2º 58´ de Peixes, homófobos fascistas assassinam um travesti em Surco, no Perú, e queimam o cadáver para ocultar o crime. 

 

As tendências sexuais de cada indivíduo estão gravadas no Zodíaco, no seu horóscopo (carta do céu em dada hora e dia) de nascimento. Há, efectivamente, uma identidade gay e lésbica como há uma identidade heterossexual e uma identidade travesti/crossdresser inscritas nesta ou naquela área do Zodíaco e neste ou naquele ângulo interplanetário.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:47
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 6 de Novembro de 2014
David Icke: a sexualidade, a franco-maçonaria, o papa e a elite global

 

David Vaughan Icke, escritor e filósofo espiritualista, (Leicester, Reino Unido, 29 de Abril de 1952)  teórico da conspiração mundial dos illuminati e da invasão da Terra por reptilianos, é um autor famoso que promove conferências sobre as suas ideias.  Em 1991, após uma viagem ao Peru, Icke, que fora porta-voz do partido Os Verdes de Inglaterra começou, a usar, por razões místicas, apenas roupas na cor azul  turquesa - a cor do chakra do alto da cabeça.

 

Em 27 de Março de 1991, fez uma conferência de imprensa para anunciar: "eu sou um canal para o espírito de Cristo. O título foi-me conferido muito recentemente por Deus." Isto valeu-lhe acusações de «ser louco» mas sobreviveu como autor mediático. Vou destacar aqui algumas das suas ideias sobre o mundo e a vida extraídas de «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», livro que, em Portugal, foi retirado das grandes livrarias talvez por ordem da «mão invisível» illuminati.

 

 A DISTORSÃO DA SEXUALIDADE PELAS RELIGIÕES E PELO CASAMENTO

 

David Icke, numa modalidade de pensamento gnóstico libertino, sustenta que a repressão da sexualidade livre, incluindo a condenação do homossexualismo gay e lésbico, é um erro da humanidade que acaba por atar esta ao preconceito, submetê-la aos líderes políticos e religiosos do «rebanho» e aumentar a violência existente. Escreve, referindo-se à teoria dos chakras (rodas de luz), centros energéticos, sete no mínimo, que se distribuem verticalmente no corpo humano, e à kundalini ou energia vital sexual :

 

« A mesma força quadridimensional que criou e usou as religiões. particularmente o Cristianismo, Judaísmo e o Islão, para destruir a verdade sobre o sexo, também inspirou a cultura da pornografia e da "queca" rápida. O denominador comum entre estes oposi-mesmos está a fechar o chacra da raíz, a desiquilibrar os chakras emocionais e sacral, a reter o fluxo da kundalini, que, se não fosse perturbada, iria activar e ligar todos os níveis da existência num todo.  A religião transformou o sexo num foco de explosão de culpa, a um nível atómico. A instituição do casamento está no próprio centro disso, mas não é de todo a única razão. O casamento institucionaliza as separações. Ele é meu, ela é minha. Caso contigo, por isso sou teu dono. É esta a realidade expressa ou oculta do casamento e das relações em geral. São os meios através dos quais as pessoas compram um falso sentimento de segurança e uma visão desesperadamente limitada do "amor".» (David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 169; o destaque a negrito é da minha autoria).

 

E sobre a homossexualidade escreve Icke, divergindo de Freud, Carl Jung e Wilhelm Reich:

 

«Por exemplo, o que é a homossexualidade? É uma experiência, apenas isso, uma forma de expressar amor por outro ser humano. Dois homens ou duas mulheres que se amam profunda e sexualmente é considerado uma afronta moral, ao passo que um homem e uma mulher que se odeiem e que se mantenham num casamento por ter medo de acabá-lo, já é considerado aceitável. A minha filosofia é permitir todas as experiências, desde que as pessoas nelas envolvidas tenham feito essa decisão da sua livre vontade, sem pressão ou imposição de qualquer espécie.» (David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 181).

 

O CRISTIANISMO, A FRANCO-MAÇONARIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL E OS DESMANDOS DA ELITE GLOBAL

 

Referindo-se à elite global, uma aristocracia do mal que integra personagens como Rockfeller, a família Rothschild, Henry Kissinger, George Bush, a rainha Isabel II de Inglaterra, Bill Clinton, Brian Mulroney, Tony Blair, George Soros,  Kris Kristofferson, Boxcar Willie, José Luís Cebrián, Alan Greenspan, Pinto Balsemão, Durão Barroso, etc, muitos dos quais «são reptilianos», escreve David Icke:

 

«O objectivo da Elite é um governo mundial, ao qual os estados-nação e mesmo os continentes sejam subordinados. Chamam a isto a Nova Ordem Mundial. O processo contínuo de centralizar o poder político ao longo de centenas de anos não aconteceu por acaso: foi estipulado que assim fosse. A centralização a um nível global, com o governo mundial, é o resultado natural destas políticas. quem controlar o governo mundial (Elite Global) controlará o banco central mundial e a moeda mundial, que também fazem parte dos planos da Nova Ordem Mundial. »(David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 37; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Icke denuncia a colonização extra europeia feita pela igreja católica romana nos séculos XV-XVIII, cristianizando à espada e escravizando os índios, os negros e os asiáticos, e denuncia a igreja ortodoxa e as igrejas protestantes, os templários, a rosa-cruz e a franco-maçonaria, incluindo a sociedade secreta Skull and Bones que iniciou George W.Bush,  como sendo outros tantos veículos do governo mundial em marcha:

 

«À medida que o Cristianismo continuou a espalhar o seu credo através da morte e da destruição, pelas Américas, África, Austrália, e por aí adiante, as culturas nativas foram sendo destruídas e "Cristianizadas" e o conhecimento esotérico foi perdido. (...). À medida que os séculos passavam e o Cristianismo retirava o conhecimento da arena pública, o trabalho destas Escolas de Mistério evoluiu para a rede gigantesca das sociedades secretas que existem actualmente e que incluem os Franco-Mações e os Cavaleiros de Malta, que controlam ambas, o Papa e o Vaticano. Que forma maravilhosa de dirigir e influenciar todos aqueles Católicos Romanos, espalhados por todo o mundo. Se um Papa não alinha no jogo, é retirado, tal como aconteceu com o assassínio do Papa João Paulo I , em 1978 (ler "E a Verdade vos libertará"). A moderna rede de Franco-Mações é a única detentora do conhecimento antigo, disfarçada de um clube de cavalheiros. Na época das Cruzadas, surgiram várias ordens de Cavaleiros, sendo os mais famosos de todos os Cavaleiros Templários. Eles envergavam o símbolo da cruz vermelha num fundo branco, que simbolizava sangue e fogo e que representava o poder da energia sexual, da força criativa, seja positiva ou negativa, no seu uso. Os Templários afirmavam ser uma organização cristã - uma mera fachada para o seu conhecimento e crenças secretas, com origem no antigo Egipto e talvez mesmo antes. Eles foram purgados pelo Papa e pelo rei de França, mas continuaram a funcionar como uma rede clandestina, até reemergirem publicamente como... Franco-Mações. Trata-se da mesma organização; os cavaleiros Templários sob outro nome e uma das maiores ferramentas da Elite Global, no controlo do mundo.»

«A conspiração Grupo Bilderberg/ Instituto Real de Assuntos Internacionais/ Conselho de Relações Internacionais/ Comissão Trilateral é supervisionada por uma sociedade secreta chamada Távola Redonda. (...) No topo da pirâmide e, mesmo noutros níveis, a mentalidade por detrás da manipulação é baseada no Satanismo e na Magia Negra. Chamo-lhe o "Culto do Olho que Tudo vê " porque um dos seus símbolos é uma pirâmide com um olho que tudo vê - a própria imagem que pode ser encontrada na nota de 1 dólar americano».

(David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 53-55; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Mesmo admitindo exageros de Icke na crítica ao processo de globalização em marcha - nomeadamente, a discutível tese dos reptilianos que viverão em grutas na Terra e estarão a assumir forma humana - perguntamos: por que estão os filósofos, os sociólogos, os politólogos e os historiadores institucionais tão silenciosos sobre o «bloco central dos illuminati» - os EUA, a União Europeia, a ONU, o grupo de Bilderberg, a Comissão Trilateral, etc - e apenas criticam a extrema-direita nacionalista e o comunismo? Não estará corrompida a filosofia institucional?

 

Há filósofos livres? Ou são apenas académicos bem pagos, subornados pelo poder oligárquico para cantar loas à «democracia liberal», puramente formal, sem substância verdadeiramente popular porque manipulada?

 

ELIMINAR OS JUROS DOS EMPRÉSTIMOS BANCÁRIOS

 

O sistema de juros bancários é o garrote que aperta a maior parte da população de cada país. É imoral cobrar juros - este tema é comum a muitos pensadores desde há séculos. Sobre o óbvio disto escreveu David Icke:

 

«Ao pedir um empréstimo bancário de 50 000 euros, o mais provável é que se acabe por pagar mais de 150 000 euros, no final das contas. O triplo! (...) O débito do Terceiro Mundo que crucifixa milhões de pessoas por dia, é um débito assombroso de dinheiro que nunca existiu nem irá existir. E toleramos isto!

«É uma aldrabice. Não é necessário. Existe para nos controlar. Foi para isso que o sistema foi criado.»

«Apesar da loucura óbvia deste roubo legalizado, as nossas mentes ainda estão condicionadas a acreditar que cobrar juros por dinheiro que não existe é essencial, e sem isso a economia mundial iria colapsar. Não é assim. A ditadura bancária global, ditada pela Elite Global, iria acabar e isso seria fantástico. Mas as pessoas escravizadas a pagar juros sobre dinheiro que não existe, defendem o sistema e dizem que deve continuar! Hei, guarda prisional: não te atrevas a abrir essa porta, estás-me a ouvir? O sistema de juros não é uma salvaguarda contra o sofrimento económico. Em boa verdade, o sistema de juros cria pobreza e desigualdade, permitindo a acumulação do poder global. Responde-me a isto: o que aconteceria se, em vez de pedirmos dinheiro inexistente ao sistema bancário privado, os nossos governos imprimissem dinheiro, em quantidade suficiente e livre de juros, e o emprestassem às pessoas com uma taxa de juro reduzida, para cobrir taxas administrativas? Já não seríamos capazes de comprar tudo o que precisamos?  Claro que seríamos e com maior facilidade, já que o custo de tudo baixaria. O custo de uma hipoteca baixaria em dois terços e já não seria necessário pagar juros. Os sem abrigo teriam casas e não teríamos de ver pessoas a dormir na ruas, por não conseguirem juntar pedaços de papel em número suficiente ou números não existentes num computador.»

 

(David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 47; o destaque a negrito é posto por mim).

 

O MATRIX CRIADO POR NÓS MESMOS

 

David Icke defende uma teoria espiritualista: o mundo material é criação do meu espírito. Somos então o Matrix, a matriz geradora da realidade do nosso corpo físico e de tudo o que nos acontece. Escreveu:

 

«As pessoas falam de viver num mundo real, como se estas divisões, dor e controlo, da densa realidade física deste planeta, fossem o "mundo rea"l. É a última coisa que isto é.  O "mundo real" , se lhe quisermos chamar assim, é o nível de existência altamente evoluído chamado Unicidade. O mundo que vemos diante dos nossos olhos é um jogo de realidade virtual, tridimensional, criado pela Unicidade, como uma vasta experiência de aprendizagem.(...) Este mundo não é real, é uma Hollywood espiritual. Um cenário.(...) Somos nós que escrevemos o guião e criamos uma realidade física para equivaler à imaginação de nós próprios e do nosso papel, no filme. Pode ser um bonito filme de família repleto de amor e de respeito, ou pode ser um filme de terror. Nós, tu, eu, todos nós, decidimos qual é. Mais ninguém. Não há "Deus", não há "acontecimentos aleatórios"; somos só nós. Pensas que a tua vida é um filme de terror? Então é isso que será. Pensas em ti como o tipo que morre logo no início do filme? Então é isso que acontecerá. Vês-te como uma daquelas pessoas que acaba o filme a rir e em felicidade? Assim será. »

(David Icke, «Eu sou eu, eu sou livre, o guia para os robôs obterem a liberdade», Lux-citania, 1ª Edição, Dezembro de 2009, pág 113-114; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Esta teoria, apesar de interessante no destaque que dá ao optimismo, ao pensamento positivo,  tem um ou vários calcanhares de Aquiles. Se a nossa imaginação desencadeia a realidade, por que motivo milhões de apostadores no euro milhões se imaginam milionários, ao concorrerem anos a fio a esse sorteio,  e esse enriquecimento nunca se concretiza? Se este mundo não é real ,para quê preocuparmo-nos em combater a Elite Global e o seu projecto de escravatura universal?

 

Então os biliões de pessoas que vivem mal neste mundo, atormentados por fome, doenças, guerras, falta de água potável e habitação condigna escolheram esse destino antes de nascer e são responsáveis da má situação em que vivem? Escolhem o mal só para ter uma aprendizagem? Isso lembra a estúpida doutrina da vacinação: «Temos de inocular vírus mortos e toxinas no sangue para ensinar o corpo a defender-se...» Mas para quê "ensinar" o corpo de forma negativa, lesando as suas defesas orgânicas com invasores estranhos ? E foram esses biliões de pessoas que escolheram a Elite Global de reptilianos que tende ao domínio absoluto da Terra? Os pais que perdem os filhos ou que morrem, eles mesmos, em guerras absurdas mas reais escolheram esse destino?

 

Esta explicação mentalista, espiritualista, de David Ike é conversa de guru ou de cidadão médio burguês ou grande burguês com dinheiro para pagar a professores de ioga e gurus que lhe garantem que, meditando, altera a sua vida para melhor, que «o pensamento é tudo e a matéria é nada». É certo que a meditação altera o rumo da vida, melhora psicologicamente muitos seres humanos, pode salvar do suicídio, do alcoolismo e da droga, mas não altera o destino deles. Ninguém pode fugir ao determinismo planetário. Icke ignora a astrologia histórica, as leis planetárias inexoráveis. O mundo material não é criação nossa: ele impõe-se-nos com a sua opacidade, a sua densidade.  

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:38
link do post | comentar | favorito (2)
|

Quarta-feira, 5 de Novembro de 2014
Marte em 7º-11º de Capricórnio de 5 a 11 de Novembro de 2014: desaires do PSD e do Irão?

 

A astrologia histórica, tal como a pratico, é, hoje, uma disciplina de investigação empírica que permite inferir previsões com base em regularidades de posições de planetas no Zodíaco. E supera largamente, o saber universitário: os catedráticos de todas as áreas - filosofia, história, sociologia, astronomia, astrofísica - negam que todos os acontecimentos no mundo são projecções das posições dos planetas neste ou naquele grau do Zodíaco (circunferência celeste dividida em 12 partes ou signos). Os burros  negam o determinismo planetário nos factos sociais e biofísicos e nem sequer sabem como se opera o movimento dos planetas! Magister dixit!

 

Nos próximos dias - de 6 a 11 de Novembro de 2014 - Marte atravessará uma área do céu, de 7º a 11º de Capricórnio, na qual costuma suscitar derrotas no PSD português e sismos e catástrofes várias na República do Irão.

        

MARTE NA ÁREA 7º-11º DE  CAPRICÓRNIO: 

DESAIRES PARA O PSD PORTUGUÊS, SISMOS NO IRÃO  

A passagem de Marte ou Vénus na área 7º-11º do signo de Capricórnio (graus 277 a 281 da eclíptica) é condição necessária mas insuficiente para gerar uma derrota para o PSD português ou para o Irão.

 

Em 4 de Dezembro de 1980, com Marte em 9º 5´/ 9º 51´ de Capricórnio,  Francisco Sá Carneiro, líder do PSD e primeiro-ministro, Adelino Amaro da Costa, ministro da Defesa, vice-líder do CDS, e 5 outras pessoas morrem em atentado aéreo em Camarate; em 20 de Dezembro de 1982, com Vénus em 8º 59´ / 10º 14´ de Capricórnio, Francisco Pinto Balsemão apresenta a demissão de primeiro-ministro do governo da Aliança Democrática; em 20 de Fevereiro de 2005, com Marte em 9º 23´/ 10º 5´ de Capricórnio, o PSD do primeiro-ministro Pedro Santana Lopes é pesadamente derrotado em eleições legislativas por um PS, dirigido por José Sócrates, que, pela primeira vez, alcança maioria absoluta de deputados.

 

Em 21 de Junho de 1990, com Úrano em 7º 57´/ 7º 55´ de Capricórnio,  um sismo com magnitude 7,7 na escala de Richter, nas províncias de Gilan e Zanyan, no Noroeste do Irão, arrasa 17 vilas, 1 871 aldeias e provoca cerca de 37 000 mortos e 100 000 feridos; Em 22 de Fevereiro de 2005, com Marte em 10º 48´ /11º 31´ de Capricórnio, um sismo de 6,4 na escala de Richter, com epicentro perto de Zarand, na província de Kerman, perto da cidade de Bam, destroi 40 aldeias e causa 602 mortos e mais de 1 000 feridos; em 20 de Dezembro de 2010, com  Marte em 9º 8´/ 9º 54´ de Capricórnio, um sismo de magnitude 6,1 causa 11 mortos na região de Bam, no sudeste do Irão; em 11 de Agosto de 2012, com  Plutão em 7º 18´/ 7º 17´ de Capricórnio, dois terremotos consecutivos, de 6,4 e 6,2 na escala de Richter, causam pelo menos 306 mortes e mais de três mil feridos no Irão, em quatro distritos do Azerbaijão Oriental situados ao nordeste de Tabriz, a capital provincial, abalando esta e as cidades de Ardébil e Mehraban; em 16 de Abril de 2013, com Plutão em 11º 34´ de Capricórnio,  um forte sismo, com a magnitude entre 7.8 e 8 na escala de Ritcher, eclode com epicentro no sudeste do Irão, a cerca de 200 quilómetros da cidade de Zahedan, numa zona de montanhas e deserto, causando mais de 40 mortos, perto da fronteira com o Paquistão, país onde morrem 34 pessoas e 1000 casas se desmoronam, havendo .abalos, a mais de mil quilómetros, ao longo da região do Golfo Pérsico e em Nova Deli, na Índia. no Qatar e no Dubai. 

 

Note-se que as ciências da natureza se baseiam na indução amplificante, precisamente o método que a nossa astrologia histórica pratica. Ancoramos, pois, no método indutivo, o que desespera e deixa boquiabertos os nossos adversários javardos, da contra informação académica e jornalístico-editorial.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:59
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 4 de Novembro de 2014
Teste de filosofia do 10º B (Outubro de 2014)

 

 

Eis um teste de filosofia . Evitamos as perguntas de escolha múltipla que, por vezes, enfermam de um deformado espírito de «minúcia» frequentemente manchado por falácias disjuntivas.

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia com 3º Ciclo, Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA B
31 de Outubro de 2014. Professor: Francisco Queiroz

 

I

 

“Em Tales de Mileto, como em Empédocles, as múltiplas aparências empíricas ocultam uma ou quatro essências. As essências em Platão são transcendentes e em Aristóteles são imanentes. A teoria hilemórfica de Aristóteles sustenta que a proté ousía brota de dois princípios opostos, um dos quais existe originariamente em potência».

 

  1. Explique concretamente este texto.

II

 2. Relacione, justificando;

A) Filosofia, racionalidade, aletheia e metafísica.

B) Esfera dos valores vitais e sentimentais e esfera do santo e do profano, na teoria de Max Scheler

C) Três partes da pólis e três partes da alma humana, em Platão.

D) O tó tí, o tó on, o Mundo do Mesmo e o Mundo do Semelhante em Platão.

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE COTADO PARA UM TOTAL DE 20 VALORES

 

1-) Em Tales de Mileto, as múltiplas aparências empíricas - exemplo: as montanhas, os céus, os rios, os animais, as árvores - são feitas de uma mesma essência que é a água, o arquê ou princípio material do universo segundo Tales. Deus, que não criou a água, moldou a partir desta o cosmos ou universo hierarquizado. Em Empédocles, as múltiplas aparências empíricas ou seja os muitos objectos que aparecem aos orgãos sensoriais são misturas de quatro arquês, o fogo, o ar, a água e a terra, em diferentes proporções. Essas misturas são feitas pelo Amor, força que une, e alteradas ou desfeitas pela Discórdia, ou força que separa (VALE TRÊS VALORES). As essências são as formas eternas e imutáveis tanto em Platão como em Aristóteles. Em Platão, elas são arquétipos de Bem, Belo, Justo, Número Um, Número Dois, Triângulo, Homem, etc, existentes no mundo Inteligível acima do céu visível, por isso são transcendentes, estão além (trans) do universo físico. Em Aristóteles, as essências são formas eternas inerentes ou imanentes aos objectos físicos - exemplo: a essência sobreiro está em todos os sobreiros reais, físicos, porque não há mundo inteligível (VALE TRÊS VALORES). A teoria hilemórfica (hyle é matéria-prima universal; morfos é forma) de Aristóteles sustenta que cada coisa individual ou primeira substância (proté ousía) como, por exemplo, este cavalo cinzento, se forma da união entre a forma eterna de cavalo que existe algures e a hylé ou matéria-prima universal, indiferenciada, que não é água nem fogo nem ar, nem terra mas que passa a existir ao juntar-se à forma (VALE TRÊS VALORES).

 

2-A) A filosofia ou interpretação livre do mundo e da vida comporta racionalidade, isto é, lógica,  aletheia, isto é, desocultação da verdade, e metafísica, isto é,  busca da verdade, das primeiras causas em uma região ontológica do invisível e imperceptível que trata de coisas reais ou imaginárias como deuses e demónios, Big Bang e outras hipóteses de origem do universo, etc.(VALE TRÊS VALORES).

 

2-B)  A esfera dos valores vitais e sentimentais é a dos valores anímicos situada entre o prazer e a dor puros, vegetativos, e os valores intelectuais. Comporta os seguintes valores: nobre e vulgar, sentimentos de vitória ou de derrota, de juventude e de doença, de ciúme ou de tranquilidade afectiva, de coragem ou de cobardia,etc. A esfera do santo e do profano, a mais elevada de todas, tem como valores deus ou deuses, a santidade, a vida no além, o milagre, etc, ou em contrapartida, a exaltação da matéria como princípio do universo e dos valores profanos (o casamento civil, a república, etc) (VALE DOIS VALORES).

 

2-C)    A parte mais alta da alma humana é o Nous ou razão intuitiva que apreende os arquétipos. Equivale na pólis aos filósofos-reis que fazem as leis, vivem em uma casa do Estado, não podem ter ouro nem prata, e trocam de companheiras sexuais de modo a não saber de quem são os filhos e não se corromperem com favoritismos. (VALE DOIS VALORES). A parte média da alma é o Tumus ou Tymus ou coragem e honra e brio militar. Equivale aos guerreiros ou arcontes auxiliares que policiam a cidade, cobram os impostos, punem os malfeitores vivem em uma casa do Estado, não podem ter ouro nem prata, e trocam de companheiras sexuais de modo a não saber de quem são os filhos. A parte inferior da alma é a Epithimya ou Concupiscência, isto é, o desejo imoderado de comer, beber, possuir ouro e prata e propriedades fundiárias, entregar-se a orgias, etc. Equivale aos diferentes estratos da população desde os proprietários agrários de escravos até aos escravos, passando pelos comerciantes e artesãos. De um modo geral, podem enriquecer mas não podem eleger os filósofos-reis e os guerreiros para que estes governem de forma exemplar, incorruptível. ( VALE TRÊS VALORES).

 

2-D)    O tó tí é o quê-é ou seja a forma, essencial ou acidental, de algo. Exemplo: o tó tí da espiga de trigo é a forma desta e distingue-se do tó tí da espiga de milha e do tó tí do rosto humano. O tó ón é o ente, o que é, o existente, qualidade que é comum aos diferentes tó tís. O Mundo do Mesmo ou mundo dos arquétipos ou Ideias ou Modelos perfeitos, acima do céu visível, possui tó on e tó tí no que respeita a cada arquétipo: o tó tí do Triângulo é diferente do tó tí do Círculo e do tó tí do Belo. O Mundo do Semelhante ou mundo do céu visível, dos astros incorruptíveis - semelhantes neste aspecto aos arquétipos - e do tempo também possui tó ón - a existência dos planetas e do céu - e tó tí - a forma do Sol, a forma de Júpiter, as formas das constelações, etc (VALE TRÊS VALORES).

     

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 09:37
link do post | comentar | favorito
|

Teste de filosofia do 10º C (Outubro de 2014)

 

Eis um teste de filosofia . Evitamos as perguntas de escolha múltipla que, por vezes, enfermam de um deformado espírito de «minúcia» frequentemente manchado por falácias disjuntivas.

Agrupamento de Escolas nº1 de Beja
Escola Secundária Diogo de Gouveia , Beja
TESTE DE FILOSOFIA, 10º ANO TURMA C
29 de Outubro de 2014. Professor: Francisco Queiroz

 

I

 

“Em Tales de Mileto, como em Heráclito, as múltiplas aparências empíricas ocultam uma só essência. As essências em Platão são transcendentes e em Aristóteles são imanentes. A filosofia combina, em diferentes proporções, cepticismo, dogmatismo e relativismo. A teoria hilemórfica de Aristóteles sustenta que a proté ousía brota de dois princípios opostos, um dos quais existe originariamente em potência».

 

  1. Explique concretamente este texto.

II

 2. Relacione, justificando;

A) Filosofia, racionalidade, especulação e empiricidade.

B) Esfera dos valores vitais e sentimentais e esfera dos valores espirituais, na teoria de Max Scheler

C) Demiurgo, doutrina da participação e reminiscência em Platão.

D) O tó tí, o tó on, o ser (einai) e a espécie (eidos) na teoria de Aristóteles.

 

 

CORRECÇÃO DO TESTE COTADO PARA UM TOTAL DE 20 VALORES

 

1-) Em Tales de Mileto, as múltiplas aparências empíricas - exemplo: as montanhas, os céus, os rios, os animais, as árvores - são feitas de uma mesma essência que é a água, o arquê ou princípio material do universo. Deus, inteligência que não criou a água, moldou a partir desta o cosmos. Em Heráclito, as múltiplas aparências empíricas ou seja os muitps objectos que aparecem aos orgãos sensoriais são uma só coisa, isto é, fogo transformado, arrefecido de diversos modos. (VALE TRÊS VALORES). As essências são as formas eternas e imutáveis tanto em Platão como em Aristóteles. Em Platão, elas são arquétipos de Bem, Belo, Justo, Número Um, Número Dois, Triângulo, Homem, etc, existentes no mundo Inteligível acima do céu visível, por isso são transcendentes, estão além (trans) do universo físico. Em Aristóteles, as essências são formas eternas e imóveis inerentes ou imanentes aos objectos físicos - exemplo: a essência sobreiro está em todos os sobreiros reais, físicos, porque não há mundo inteligível (VALE DOIS VALORES). A filosofia, ou interpretação autónoma do mundo e da vida, implica cepticismo, doutrina que diz ser impossível chegar à verdade, conhecer a estrutura oculta das coisas e os seus fins, dogmatismo, doutrina que afirma certezas diversas, relativismo, doutrina que afirma que a verdade e os valores variam de época a época, de povo a povo, de classe a classe social e até de pessoa a pessoa (VALE TRÊS VALORES). A teoria hilemórfica (hyle é matéria-prima universal; morfos é forma) de Aristóteles sustenta que cada coisa individual ou primeira substância (proté ousía) como, por exemplo, este cavalo cinzento, se forma da união entre a forma eterna de cavalo que existe algures e a hylé ou matéria-prima universal, indiferenciada, que não é água nem fogo nem ar, nem terra mas que estava em potência, isto é não existia a não ser virtualmente mas passa a existir em acto ao juntar-se à forma (VALE DOIS VALORES).

 

2-A) A filosofia, ou interpretação livre do mundo e da vida, comporta racionalidade, isto é, lógica,  especulação, isto é, formulação de teses mais ou menos indemonstráveis através da experiência - como por exemplo: o mundo é um fogo eterno que ora se acende ora se extingue; Deus está rodeado de nove coros de anjos; não há vida espiritual após a morte corporal - e empiricidade, isto é, uma apreciável quantidade de dados empíricos - as manchas de petróleo nos mares são coisas empíricas que entram na filosofia ecologista; os campos cultivados por cooperativas agrícolas são factos da experiência que entram nas filosofias socialista e comunista. (VALE TRÊS VALORES).

 

2-B)  A esfera dos valores vitais e sentimentais é a dos valores anímicos situada entre o prazer e a dor puros, vegetativos, e os valores intelectuais. Comporta os seguintes valores: nobre e vulgar, sentimentos de vitória ou de derrota, de juventude e de doença, de ciúme ou de tranquilidade afectiva, de coragem ou de cobardia, de paixão amorosa e ódio, etc. A esfera dos valores espirituais, em Max Scheler, engloba os valores éticos (bem, mal; justo-injusto), estéticos (belo-feio), filosóficos (verdadeiro-falso) e os valores anexos de referência do direito (legal-ilegal) e das ciências empíricas (verdadeiro utilitário- falso utilitário), sendo uma esfera mais intelectual do que a dos valores vitais. (VALE DOIS VALORES).

 

2-C)    O demiurgo é o deus operário que desceu do mundo inteligível e com a ajuda dos deuses do Olimpo   imprimiu na matéria no caos as formas dos arquétipos de árvore, de leão, de homem, de montanha, etc, gerando assim o mundo sensível do devir ou mundo do outro. A esta imitação dos arquétipos na matéria chama-se doutrina da participação.  A reminiscência é a lembrança vaga que cada alma (Nous) guarda do mundo dos arquétipos onde esteve antes de encarnar (exemplo: tenho a reminiscência de triângulo e é dela que extraio o saber de que a soma dos seus 3 ângulos internos é 180º) e é também um aspecto da doutrina da participação, visto que liga o mundo superior ao mundo inferior (VALE DOIS VALORES).

 

2-D)    O tó tí é o quê-é ou seja a forma, essencial ou acidental, de algo. Exemplo: o tó tí da espiga de trigo é a forma desta e distingue-se do tó tí da espiga de milha e do tó tí do rosto humano. O tó ón é o ente, o que é, o existente, qualidade que é comum aos diferentes tó tís: o tó ón da espiga de trigo não se distingue do da espiga de milho. O ser ou einai é para Aristóteles o existir, um predicado geral: os homens são, as árvores são, os números são, etc.  A espécie (eidos) é a forma comum a vários indivíduos   e, por isso,   cada espécie tem um tó tí próprio.   (VALE TRÊS VALORES).                   

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 03:23
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Teologia cátaro-bogomila:...

Teologia cátaro-bogomila:...

Ponto 23º 7´/23º 15´de qu...

Erros na tradução portugu...

O sublime moral para Scho...

Seísmos en México en Astr...

Área 9º-10º do signo de T...

Neocátaros versus budismo...

Teologia neocátara: sem j...

Herbert Marcuse: o caráct...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds