Domingo, 29 de Junho de 2014
Aparições da Virgem e Anjos, Estigmatizações, Rotações do Sol e graus do Zodíaco

 

É incontestável a existência de estranhos fenómenos solares em lugares ditos de aparições da Virgem Maria ou de anjos. O autor deste blog, que não pertence a igrejas, investiga, livremente, os chamados fenómenos sobrenaturais - que, não esqueçamos, podem ser fenómenos naturais de tipo OVNI, conforme a tese de Fina d´Armada, Joaquim Fernandes e outros - descobrindo as leis astronómicas que a eles presidem. Os chamados positivistas que negam este tipo de fenómenos negam o testemunho dos sentidos, o empirismo, lavram em erro. Somos nós os verdadeiros positivistas, que estudamos cientificamente, astronomica e factualmente, as apariçóes e todos os fenómenos empíricos.

 

Certamente, é legítimo argumentar que Deus não existe mas não se pode negar a figura luminosa «sobrenatural» que sobre a igreja de Zeitoun, no Cairo, pairou, a partir de 2 de Abril de 1968, e foi vista por milhares de muçulmanos, filmada e fotografada durante meses. Eis algumas dessas leis astronómicas sobre aparições e fenómenos solares insólitos

 

ÁREA 19º-23º DE CARNEIRO:

MENINO JESUS NOS BRAÇOS DA VIRGEM OU DE UM VIDENTE

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 19º-23º do signo de Carneiro  é condição necessária mas não suficiente para provocar a aparição da Virgem com o Menino Jesus nos braços e a entrega deste a um vidente.

 

Em 26 de Janeiro de 1972, com Marte em 19º 43´ / 20º 23´ de Carneiro, a Virgem do Carmo aparece no lugar de Palmar de Troya com o Menino Jesus nos braços e entrega este ao vidente Clemente Domínguez que dá o Menino a beijar a outros místicos ali presentes; em 7 de Maio de 1972, com Mercúrio em 21º 18´/ 23º 40´ de Carneiro, no lugar da Ladeira, perto de Fátima, o vidente Clemente Dominguez cai em êxtase e vê a Virgem do Carmo entregar-lhe o Menino Jesus.

 

ÁREA 13º-14º DO SIGNO DE TOURO:

ESTIGMATIZAÇÃO MÍSTICA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 13º-14º do signo de Touro é condição necessária mas não suficiente para suscitar estigmatização de um vidente de Palmar de Troya, pequena localidade andaluza.

 

Em 13 de Abril de 1970, com Vénus em 11º 48´/ 13º 2´ de Touro, às três horas da madrugada, o vidente sevilhano Clemente Domínguez, de
23 anos, desperta do sono, na pensão onde dormia, e vê a figura do falecido padre Pio de Pietrelcina, com um furador metálico na mão direita, pedir-lhe as duas mãos e causar-lhe dois estigmas sangrentos, dizendo ao vidente «Sofre isto pelo Santo Padre, tê-lo-ás por pouco tempo»; em 3 de Março de 1972, com Marte em 14º 8´ /14º 47´ de Touro, rodeado de 20 pessoas em El Palmar de Troya, o vidente Clemente Domínguez vê uma hóstia consagrada no ar, dela sai um ponto luminoso que atinge o seu corpo e abre no peito  uma chaga de cinco centímetros de largura, da qual jorra abundante sangue.

 

 

ÁREA 11º-13º DO SIGNO DE GÉMEOS:

OS «MILAGRES DO SOL» EM FÁTIMA EM 1917 E EM ALFÂNDEGA DA FÉ EM 1946

 

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 11º-13º do signo de Gémeos é condição necessária mas não suficiente para suscitar um «milagre do sol», isto é, um fenómeno solar insólito que pode ser de natureza mística ou ovniológica.

 

Em 13 de Outubro de 1917, com Júpiter em 11º 16´/ 11º 3´ de Gémeos,  dezenas de milhar de pessoas concentradas na Cova da Iria, Fátima, Portugal, vêem o sol rodopiar, mudar de côr e acercar-se «perigosamente» da Terra durante uma das aparições da Virgem Maria a três pastorinhos; em 11 de Outubro de 1946, com Nodo Norte da Lua em 13º 12´/ 13º 5´ de Gémeos, milhares de pessoas, convocadas pela jovem vidente Amélia da Natividade Rodrigues, vêem em Vilar Chão, Alfândega da Fé, Portugal, o Sol, tendo no centro um disco azulado, esverdeado ou prateado, rodar para a direita e para a esquerda e irradiar distintas colorações sem ferir a vista.

 

ÁREA 27º-28º DO SIGNO DE LEÃO:

MATERIALIZAÇÃO DE HÓSTIA, CÍRCULOS EM TORNO DO SOL

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 27º-28º do signo de Leão é condição necessária mas não suficiente para suscitar um «milagre do sol», isto é, um fenómeno solar insólito que pode ser de natureza mística ou ovniológica, ou a materialização de uma hóstia.

 

Em  18 de Julho de 1962, com Úrano em 28º 39´/ 28º 43´ de Leão, uma hóstia branca, presumivelmente dada por um anjo invisível, materializa-se na língua de Conchita, uma das seis meninas videntes católicas da localidade de San Sebastián de Garabandal, na Cantábria, Espanha, ante numerosas pessoas; em 7 de Novembro de 1998, com Nodo Norte da Lua em 28º 2´ / 27º 55´ de Leão, centenas de portugueses e espanhóis, entre eles o autor deste blog, observam, cerca das 16 horas e 30 minutos, o sol a aumentar e encolher de tamanho emitindo círculos concêntricos sobre o campo na finca «El Higuerón», da vidente Carmen López, perto de Matarredonda (Marinaleda), província de Sevilha, lugar onde ocorrem fenómenos místicos objectivos.

 

ÁREA 5º-8º DO SIGNO DE VIRGEM:

SURGIMENTO DE HÓSTIA SOBRE A LÍNGUA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 5º-8º do signo de Virgem é condição necessária mas não suficiente para suscitar a materialização de uma hóstia na língua, vinda do nada, em lugar de aparições.

 

Em  18 de Julho de 1962, com Plutão em 6º 26´ / 6º 28´ de Virgem, uma hóstia branca, presumivelmente dada por um anjo invisível, materializa-se na língua de Conchita, uma das seis meninas videntes católicas da localidade de San Sebastián de Garabandal, na Cantábria, Espanha, ante numerosas pessoas; em 18 de Agosto de 1971, com Mercúrio em 9º 19´ / 8º 48´ de Virgem, à vista de muita gente, uma hóstia, supostamente dada por Cristo invisível, aparece na língua da vidente Rosario Arenillas, no lugar de aparições místicas de Palmar de Troya, Utrera; em 15 de Setembro de 1971, com Mercúrio em 4º 2´ / 5º 22´ de Virgem, à vista de 70 pessoas, uma hóstia, supostamente dada por Cristo invisível, surge na língua da vidente Rosario Arenillas, no lugar de aparições místicas de Palmar de Troya, Utrera,  sul de Espanha.

 

ÁREA 13º-17º DO SIGNO DE BALANÇA:

APARIÇÃO DE ANJO, EL PALMAR DE TROYA, ALUSÃO AO PLANETA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 13º-17º do signo de Balança  é condição necessária mas não suficiente para suscitar a aparição de um anjo e fenómenos místicos em El Palmar de Troya, Espanha, sede de um cisma na Igreja Católica Romana e para aludir a planeta para onde vão as almas ou onde há extraterrestres descendentes de Adão e Eva.

 

Em 28 de Maio de 1946, com Júpiter em 17º 55´/ 17º 52´ de Balança, junto de Amélia da Natividade Rodrigues, gravemente doente em Vilar Chão, Alfândega da Fé, aparece uma nuvem que ao abrir-se mostra a Virgem Maria rodeada de anjos que vertem água dos olhos e assim curam Amélia da paralisia dos membros e da chaga na boca; em 9 de Junho de 1946, com Júpiter em 17º 30´/ 17º 29´ de Balança, em Vilar Chão, Alfândega da Fé, Joaquim Bernardo Rodrigues vê uma pirâmide de flores que caen do nada em forma de coroa sobre a cama onde jaz, gravemente doente, sua filha Amélia da Natividade Rodrigues, de 22 anos, e esta diz ver um anjo no canto do quarto a deitar essas flores, em 13 de Setembro de 1950, com Neptuno em 16º 4´ / 16º 13´ de Balança, José Branco, de 13 anos de idade, vê, na Herdade das Choças, Amareleja, Moura, um anjo louro de túnica branca envolto num intenso clarão que lhe anuncia a aparição da Virgem Maria; em 30 de Setembro de 1968, com Júpiter em 14º 16´/ 14º 29´ de Balança, Clemente Dominguez y Gómez, contabilista de Sevilha, de 23 anos de idade, vê pela primeira vez os vultos de Jesus Cristo e do falecido padre Pio de Pietrelcina ao rezar, com outros católicos, junto ao lentisco de aparições da Virgem, em pleno campo, em El Palmar de Troya, Utrera, Sevilha; em 21 de Março de 2005, com Júpiter em 15º 41´/ 15º 34´ de Balança, Clemente Dominguez y Gómez,de 58 anos, cego, papa da minúscula Igreja Cristã Palmariana, nascida de um cisma tradicionalista, em 1975-1978, no seio da Igreja Católica Romana, autor das canonizações de Francisco Franco Bahamonde e José Antonio Primo de Rivera, morre ao celebrar missa tridentina na basílica de El Palmar de Troya, município de Utrera, Espanha.

 

Em 16 de Setembro de 1954, com Mercúrio em 12º 2´/ 13º 28´ de Balança, a Virgem, em aparição, declara ao vidente Carlos Alberto, em Asseiceira, que o inferno não existe e não são precisos os sacramentos da confissão e da comunhão e que «as almas vão para o planeta»; em 27 de Dezembro de 1970, com Úrano em 13º 20´/ 13º 21´ de Balança, o vidente Clemente Domínguez, em Sevilha, dialoga, em visão, com São João Evangelista que lhe diz que não morreu mas foi trasladado vivo a um lugar da Virgem Maria e o vidente vê São João a elevar-se nos céus e a entrar numa estrela ou planeta em que há uma multidão de pessoas de várias raças; em 11 de Dezembro de 1977, com Plutão em 16º 16´ de Balança, em mensagem ao vidente Clemente Domínguez, em Sevilha, Jesus Cristo declara, presumivelmente, que «a população dos distintos planetas descende do primeiro casal criado na Terra, Adão e Eva» e que «Não houve creação nova de seres em outros planetas, foi a própria humanidade da Terra transportada, aos pares de casais, a outros planetas, pelos Anjos» e como «Satanás, anjo da luz má, imitando o Criador, enviou também os seus sequazes a buscar os casais maus» e transportá-los a outros planetas, haverá «no Final dos Tempos uma grande batalha interplanetária» em que os habitantes bons de outros planetas ajudarão os habitantes bons da Terra.

 

 

ÁREA 23º-26º DO SIGNO DE SAGITÁRIO:

APARIÇÕES EM ASSEICEIRA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 23º-26º do signo de Sagitário é condição necessária mas não suficiente para suscitar um «milagre do sol», isto é, um fenómeno solar insólito que pode ser de natureza mística ou ovniológica, ou a materialização de um rosário luminoso que se move vindo do nada, em particular em Asseiceira.

 

Em 16 de Dezembro de 1954, com Sol em 23º 29´ / 24º 30´ de Sagitário, em uma capelinha de paredes de plástico improvisada pelo menino vidente Carlos Alberto, em Asseiceira, ante uma multidão que a GNR, autoritariamente,  procura demover de estar ali, surge do nada um rosário de grandes pérolas que estende e encolhe, emitindo luzes, havendo alguns que vêem uma pequena Virgem de manto azul movendo-se no interior da capelinha; em 16 de Novembro de 1980, com Marte em 25º 25´ / 26º 10´ de Sagitário, em Asseiceira, no lugar de aparições da Virgem, muitas pessoas vêem o sol sem raios, a girar em torno de si próprio, projectando no chão luz amarela, lilás, vermelha, azul e negro claro.

 

ÁREA 4º-5º DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO:

OS «MILAGRES DO SOL» DE 1917 EM FÁTIMA E DE 1950 EM AMARELEJA, HÓSTIA VINDA DO NADA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 4º-5º do signo de Capricórnio é condição necessária mas não suficiente para gerar um «milagre do sol», isto é, um fenómeno solar insólito que pode ser de natureza mística ou ovniológica, ou a materialização na língua de um vidente, de uma hóstia branca vinda do nada.

 

  Em 13 de Outubro de 1917, com Nôdo Norte da Lua em 5º 0´/ 4º 48´ de Capricórnio, dezenas de milhar de pessoas concentradas na Cova da Iria, Fátima, Portugal, vêem o sol rodopiar, mudar de côr e acercar-se «perigosamente» da Terra durante uma das aparições da Virgem Maria a três pastorinhos; em 13 de Novembro de 1950, com Marte em 5º 4´/ 49´ de Capricórnio, três mil pessoas aglomeradas no lugar de Choças, Amareleja,no Alentejo, em Portugal, por indicação do vidente José Branco, vêem o sol perder côr, mudar para verde-escuro, aumentar de volume, tomar a forma de um comprimido e girar para a esquerda irradiando várias cores, amarela, roxa e côr-de-rosa, durante 15 minutos; em 16 de Dezembro de 1954, com Nodo Norte da Lua em 5º 37´de Capricórnio, em uma capelinha de paredes de plástico improvisada pelo menino vidente Carlos Alberto, em Asseiceira, ante uma multidão que a GNR, autoritariamente,  procura demover de estar ali, surge do nada um rosário de grandes pérolas que estende e encolhe, emitindo luzes, havendo alguns que vêem uma pequena Virgem de manto azul movendo-se no interior da capelinha; em 15 de Março de 1972, com Júpiter em 5º 48´ /5º 55´ de Capricórnio, no lugar  de aparições de El Palmar de Troya,onde dezenas de pessoas rezam, uma hóstia branca vinda do nada é vista sobre a língua da vidente María Marin, a vidente Rosario Arenillas vê o falecido padre Pio com o Menino Jesus nos braços;em 18 de Junho de 1972, com Júpiter em 4º 19´/ 4º 12´ de Capricórnio, no lugar de aparições El Mimbral, a uns 12 quilómetros de Sevilha capital, alguns devotos vêem uma hóstia branca formar-se na língua do vidente Clemente Domínguez y Gómez, num acto de  comungar místico supostamente exercido por Jesus.  

 

ÁREA 3º-4º DE AQUÁRIO:

ESTIGMATIZAÇÃO MÍSTICA

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 3º-4º do signo de Aquário é condição necessária mas não suficiente para causar  estigmatização de um vidente de Palmar de Troya.

 

Em 3 de Março de 1972, com  Nodo Norte da Lua em 4º 38´/ 4º 31´ de Aquário, rodeado de 20 pessoas em El Palmar de Troya, o vidente Clemente Domínguez y Gómez vê uma hóstia consagrada no ar, dela sai um ponto luminoso que atinge o seu corpo e abre no peito deste uma chaga de cinco centímetros de largura, da qual jorra abundante sangue; em 14 de Março de 1973, com Júpiter em 3º 46´/ 3º 57´ de Aquário, às 20.45 horas, na presença de dezenas de pessoas que rezam a céu aberto, em Palmar de Troya, o vidente Clemente Dominguez cai para trás, retorcendo-se de dor, ao ser fulminado, no lado direito do peito por raios emitidos por uma entidade que parece ser Jesus Cristo, ficando com um estigma sangrento de nove centímetros de comprimento e dois centímetros de largura.

 

 

 

ÁREA 27º-29º DO SIGNO DE AQUÁRIO E 0º DE PEIXES:

ROTAÇÕES DO SOL EM AMARELEJA E TRES FONTANE, APARIÇÕES DE ANJOS

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um nodo da Lua na área 27º-29º do signo de Aquário  e 0º do signo de Peixes é condição necessária mas não suficiente para fazer acontecer  um «milagre do sol», isto é, um fenómeno solar insólito que pode ser de natureza mística ou ovniológica, ou aparições de anjos e da Virgem Maria.  

 

Em 13 de Setembro de 1950, com Júpiter em 0º 14´ / 0º 7´ de Peixes,José Branco, de 13 anos de idade, vê, na Herdade das Choças, Amareleja, Moura, um anjo louro de túnica branca envolto num intenso clarão que lhe anuncia a aparição da Virgem Maria; em 7 de Outubro de 1950, com Júpiter em 28º 5´/ 28º 2´ de Aquário, a senhora Fred Vam Hoof,em Necedah, EUA, vê a Virgem Maria que diz «Eu sou a Rainha do Mui Santo Rosário,medianeira da paz»; em 13 de Novembro de 1950, com Júpiter em 28º 14´ / 28º 18´ de Aquário, três mil pessoas aglomeradas no lugar de Choças, Amareleja,no Alentejo, em Portugal, por indicação do vidente José Branco, vêem o sol perder côr, mudar para verde-escuro, aumentar de volume, tomar a forma de um comprimido e girar para a esquerda irradiando várias cores, amarela, roxa e côr-de-rosa, durante 15 minutos; em 12 de Abril de 1980, com Nodo Sul da Lua em 27º 56´/ 27º 55´ de Aquário, 3 000 pessoas que assistem a uma missa campal em Tres Fontane, Roma, vêem o Sol crecer e rodar vertiginosamente sobre si mesmo, mudar de côr sem ferir a vista e apresentar figuras místicas no seu disco, um M de Maria, transformado depois num coração, e uma grande hóstia, com as letras IHS, sigla da eucaristia; em 2 de Janeiro de 1985, com Vénus em 27º 28´/ 28º 35´ de Aquário, Nossa Senhora aparece aos videntes de Medjugorge, Bósnia-Herzegovina, rodeada de anjos.

 

PONTO 4º 57´/ 5º 0´  DE QUALQUER SIGNO:

ROTAÇÕES DO SOL

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um Nodo da Lua no ponto 4º 57´ / 5º 0´ de qualquer signo  é condição necessária mas insuficiente para suscitar fenómeno solar invulgar como rotações do disco solar em lugares de aparições marianas. 

 

Em 13 de Outubro de 1917, com  5º 0´/ 4º 47´ de Capricórnio, dezenas de milhar de pessoas concentradas na Cova da Iria, Fátima, Portugal, vêem o sol rodopiar, mudar de côr e acercar-se «perigosamente» da Terra durante uma das aparições da Virgem Maria a três pastorinhos; em 15 de Maio de 1970, com Úrano em 5º 0´/ 4º 59´ de Balança, 40 000 pessoas contemplam, no lugar de aparições místicas de Palmar de Troya, Utrera, sul de Espanha, três rotações do sol no céu, aparecendo dentro ou fora do astro rei a pomba do Espírito Santo, uma hóstia sagrada e a silhueta da Virgem Maria, ocorrendo curas de doentes com água que os peregrinos traziam e que é abençoada pela Virgem.  

 

PONTO 12º 44´/ 12º 48´ DE QUALQUER SIGNO:

SOL RODOPIANTE EM FÁTIMA, HÓSTIA COM IMAGEM EM MOURE

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um Nodo da Lua no ponto 12º 44´/ 12º 48´ de qualquer signo  é condição necessária mas insuficiente para suscitar fenómeno solar invulgar como rotações do disco solar em lugares de aparições marianas ou fenómeno invulgar com hóstia, imitação em pão do disco solar. 

 

Em 13 de Outubro de 1917, com Saturno em 12º 47´/ 12º 52´ de Leão, dezenas de milhar de pessoas concentradas na Cova da Iria, Fátima, Portugal, vêem o sol rodopiar, mudar de côr e acercar-se «perigosamente» da Terra durante uma das aparições da Virgem Maria a três pastorinhos; eem 18 de Maio de 1998, com Úrano em 12º 45´/ 12º 44´ de Aquário, a silhueta da cabeça coroada de espinhos de Jesus Cristo surge na hóstia grande exposta na custódia da igreja de Moure, Barcelos, diante de centenas de pessoas, ainda que os cépticos digam que setrata de um fenómeno óptico sem sobrenaturalidade. 

 

 

PONTO 28º 42´/ 28º 58´ DE QUALQUER SIGNO:

 

ROTAÇAO DO SOL OU CÍRCULOS CONCÊNTRICOS EMITIDOS PELO SOL, HÓSTIA VINDA DO NADA

 

 

A passagem do Sol, de um planeta ou de um Nodo da Lua no ponto 28º 42´/ 28º 58´ de qualquer signo  é condição necessária mas insuficiente para suscitar fenómeno solar invulgar em lugares de aparições ou surgimento de hóstia, imagem do disco solar, a partir do vazio.

 

Em 2 de Outubro de 1961, com Úrano em 28º 43´/ 28º 46´ de Leão, durante 3 horas, cai do céu limpo uma chuva de flocos brancos formando uma camada de 50 a 150 centímetros de altura no lugar das aparições da Virgem Maria, em Vale da Fonte, Lageosa do Dão, fenómeno presenciado por uma multidão e um jornalista; em 24 de Dezembro de 1961, com Saturno em 28º 47´/ 28º 53´ de Gémeos, ocorre um fenómeno solar estranho com materialização de uma grande nuvem branca entre os pinheiros no lugar das aparições da Virgem Maria, em Vale da Fonte, Lageosa do Dão; em  18 de Julho de 1962, com Úrano em 28º 39´/ 28º 43´ de Leão, uma hóstia branca, presumivelmente dada por um anjo invisível, materializa-se na língua de Conchita, uma das seis meninas videntes católicas da localidade de San Sebastián de Garabandal, na Cantábria, Espanha, ante numerosas pessoas; em 7 de Novembro de 1998, com Saturno em 29º 3´ / 28º 58´  de Carneiro, centenas de portugueses e espanhóis, entre eles o autor deste blog, observam, cerca das 16 horas e 30 minutos, o sol a aumentar e encolher de tamanho emitindo círculos concêntricos sobre o campo na finca «El Higuerón», da vidente Carmen López, em Matarredonda (Marinaleda), província de Sevilha, lugar onde ocorrem fenómenos místicos objectivos.

 

Enfim, a universidade mundial nada sabe sobre isto. A mão invisível dos iluminati, manobrando editoras, livrarias, canais de televisão e jornais, marginaliza o verdadeiro conhecimento, o oiro do saber, a astrologia histórica, e promove a pseudo filosofia fragmentária e a astrologia anti historicista.



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 23:43
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 27 de Junho de 2014
A filosofia universitária: sequestrada pelo fascismo mundialista

 

Desde os anos 90, acompanhando superestruturalmente a globalização capitalista, com a ideologia de um mercado único mundial, a abolição de fronteiras alfandegárias ou mesmo jurídico-políticas, a filosofia universitária mudou: despiu as camisolas das ideologias contrárias, assumiu uma forma lógica abstracta, na tentativa de absorver, numa síntese totalitária, os contrários. Hoje os professores de filosofia são, sobretudo professores de lógica proposicional ou clássica, no ensino secundário.

 

São funcionários do sistema, sem irreverência filosófica, todos muito iguais, ovelhas do mesmo rebanho. Se compararmos os diferentes manuais do 10º e 11º ano de filosofia da Porto Editora, da Leya, da Areal Editores, da Santilhana, etc, vemos que são, no essencial, idênticos, dizem o mesmo e omitem os mesmos autores que hoje são tacitamente proibidos na universidade: Edgar Morin, Ivan Ilich, Paul Feyerabend, René Guenon, Jules Evola, Jean Hanu, Guy Débord, etc.

 

Todos os manuais de filosofia estão de acordo com a objecção de Edmund Gettier à definição clássica de conhecimento como «crença verdadeira justificada». A objeção de Gettier é demasiado infantil, raia a estupidez: Smith tinha uma «crença verdadeira justificada» (diz Gettier; de facto não tinha) em que Jones seria alvo de promoção no emprego mas a expectativa falha e assim se «refutaria» a definição de conhecimento como «crença verdadeira justificada» (ver artigo de 15 de Maio de 2014, neste blog). Os académicos não pensam, contagiam-se uns aos outros com a veneração por raciocínios falaciosos...

 

Nenhum manual de filosofia contesta a vacinação obrigatória. Nenhum professor de filosofia, à excepção do autor deste blog e de um ou outro caso raro, questiona os alunos sobre esta questão. Os professores de filosofia, da universidade ou do secundário, dormem sobre esta e outras questões capitais de direitos humanos e de epistemologia e fazem o papel de reprodutores da ditadura da medicina alopática como no tempo do salazarismo. Não questionam, dão o assunto por entregue à «ciência» sem perceberem que a raíz desta é pura ideologia - só os estúpidos aceitam a tese de que a inoculação de um vírus através da vacina «ensina» o organismo a «defender-se»...

 

Nenhum manual de filosofia, nenhum professor universitário expõe as teses da astrologia histórica que são conhecidas, pelo menos nos países de língua portuguesa, patentes nos livros e artigos do autor deste blog. Não sabem, temem, sentem-se desmascarados na sua ignorância abissal. Censuram, escondem.

 

De Eduardo Lourenço a José Gil, passando por Desidério Murcho, Sofia Miguens, Alexandre Franco de Sá, João Branquinho, Ricardo Santos, Miguel Real, António Pedro Mesquita, José Luís Câmara Leme, Tito Cardoso e Cunha, João Luís Lisboa, Olivier Feron, Carlos João Correia, José Mattoso, João Medina, José Pacheco Pereira, Manuel Maria Carrilho e tantos outros, a mediocridade filosófica anti-astrologia impera: todos ignoram, por exemplo, que a revolução republicana de 5 de Outubro de 1910 se deu com Júpiter em 21º-22º de Balança, que a revolução radical de 19-20 de Outubro de 1921 («noite sangrenta») ocorreu com Júpiter em 4º-5º de Balança, que a greve geral operária e insurreição dos vidreiros da Marinha Grande em  18 de Janeiro de 1934 se deu com Júpiter em 22º de Balança, que a morte de Sá Carneiro e Amaro da Costa e a reeleição presidencial de Eanes com apoio das esquerdas em 4-7 de Dezembro de 1980 ocorreu com Júpiter em 6º-7º de Balança, que a vitória nas legislativas do PS de Sócrates em 20 de Fevereiro de 2005, aconteceu com Júpiter em 18º de Balança, e todos ignoram que tudo isto configura uma lei astronómico-política de Júpiter no signo de Balança (graus 180 a 210 da eclíptica ou contorno solar do Zodíaco).

 

A universidade, onde preponderam a filosofia analítica e o pensamento fragmentário e monolítico, executa a política da maçonaria mundialista encarnada na Comissão Trilateral, no Clube de Bilderberg e em tantos políticos que ocupam cargos de ministros, deputados, líderes de fundações, etc. Um fascismo napoleónico, bonapartista, no dizer de Daniel Estulín, fascismo de aparência democrática (votas nos conservadores ou votas nos socialistas... ambos ligados ao clube de Bilderberg) que suprime os «extremismos» de direita e de esquerda e «normaliza» tudo - veja-se como as editoras de manuais escolares invadem a esfera de ensino de cada professor de filosofia dizendo-lhe que exercícios deve dar aos alunos, que temas, quais as respostas certas, num pensamento robótico que urge desmascarar - está em marcha para criar cidadãos tecnocráticos, robóticos, obedientes à minoria iluminati superpoderosa e criminosa.

 

Os professores de filosofia são, lamentavelmente, meros agentes de propaganda das democracias sequestradas pelos iluminati - os Obama, os François Holande, os António Costa, António José Seguro, os Marcelo Rebelo de Sousa, os Pinto Balsemão, os Paulo Portas, os António Barreto, os Manuel Maria Carrilho, etc. «Coitados» dos professores! Precisam de ganhar a vida e não querem correr riscos...

 

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:36
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Terça-feira, 24 de Junho de 2014
Sobre las oposiciones o ciclos de 6 años de Júpiter en Historia de España

 

 

El ciclo de Júpiter es de aproximadamente 12 años, es decir, cada doce años Júpiter ocupa, durante más o menos un año, cada signo o arco de 30 grados del Zodíaco o circunferencia celeste. De junio a noviembre de 1955 Júpiter viajaba en el signo de Leo y doce años más tarde, de mayo a octubre de 1967 volvió a recurrir el signo de Leo. En medio, es decir seis años después de 1955, Júpiter desliza en Acuario, signo opuesto a Leo, desde marzo hasta agosto de 1961. Vamos a estudiar algunos efectos contrarios de la radiación política y social de Júpiter - se puede hablar así aunque no hay aparatos para medir esa radiación más allá de los «aparatos» que son las tabelas astronómicas - en diversos pares de signos contrários en História de España.

 

JÚPITER EN ARIES VERSUS JÚPITER EN LIBRA:

REVOLUCIÓN DE SEPTIEMBRE DE 1868 VERSUS CONTRARREVOLUCIÓN DE 1874

 

El signo de Aries es el arco 0º-30º del Zodíaco que se opone directamente al signo de Libra, arco de 180º-210º de Libra.

 

Del 18 de septiembre al 8 de octubre de 1868, con Júpiter em 11º 3´/ 8º 17´ de Aries, tiene lugar la revolución liberal, de izquierda, que derrumba a la reina Isabel II, con la sublevación del almirante Topete al frente de la escuadra (18 de septiembre) tras la llegada desde Londres, vía Gibraltar, del general Prim, acompañado de los progresistas Mateo Sagasta y Manuel Ruiz Zorrilla, y desde Canarias los generales unionistas que estaban allí desterrados, encabezados por el general Francisco Serrano, la dimisión de González Bravo e formación de um gobiernocontrarrevolucionario de la reyna jefiado por José Gutiérrez de la Concha (19 de septiembre), la formación en Sevilla de la primera junta que publica un manifiesto en el que expone una serie de reivindicaciones populares, como la abolición de las quintas y los consumos o la libertad religiosa, que van  mucho más lejos que lo ofrecido en el manifiesto leído por Topete (20 de septiembre).el recurrido de Prim a bordo de la fragata blindada Zaragoza por  la costa mediterránea logrando que se sumaran al movimiento todas las ciudades ribereñas desde Málaga hasta Barcelona, la batalla de Alcolea (28 de septiembre) en la que los sublevados al mando del general Serrano triunfan, el triumfo de la sublevación en Madrid (29 de septiembre), exilio de la reyna Isabel II (30 de septiembre) formación de un gobierno provisional integrado por los generales Serrano, Prim y almirante Topete (8 de octubre).

 

El 3 de enero de 1874, con Júpiter em 1º 31´/ 1º 33´ de Libra, el general Pavia desfiere un golpe contrarrevolucionario con invasión y disolución de las Cortes republicanas y entrega del poder al general Serrano y, meses después, el 29 de diciembre de 1874, con Júpiter en 28º 13´ / 28º 21´ de Libra, el general Martínez Campos proclama en Sagunto la restauración del poder de los Borbones en España, en la persona de Alfonso XII, y el gobierno formalmente republicano conservador del general Serrano lo acepta.

 

JÚPITER EN CÁNCER VERSUS JÚPITER EN CAPRICORNIO:

VICTORIA DEL PSOE EN LEGISLATIVAS EN 1989 VERSUS VICTORIA DEL PP EN LEGISLATIVAS EN 1996

 

El signo de Cáncer, arco del 90º al 120º  de la eclíptica, es directamente opuesto al signo de Capricornio, arco del 270º al 300º del Zodíaco (en longitud).

 

El 29 de octubre de 1989, con Júpiter en 10º 53´ del signo de Cáncer, el PSOE, del presidente del gobierno Felipe González, gana las elecciones legislativas en España, aunque pierde en el límite la mayoría absoluta de diputados.

 

El 3 de marzo de 1996, con Júpiter en 12º 4´/ 12º 14´ del signo de Capricornio, el Partido Popular de José-María Aznar, de derechas, gana las elecciones legislativas en España, sin mayoría absoluta de diputados en el Congreso.

 

JÚPITER EN LEO VERSUS JÚPITER EN ACUARIO:

ASCENSIÓN (LEO) VERSUS ASESINATO (ACUARIO) DE CARRERO BLANCO

 

El signo de Leo, del 120º al 150º de la eclíptica, es el arco del cielo contrario al signo de Acuario, del 300º al 330º  de la eclíptica.

 

El 22 de julio de 1967,con Júpiter en 11º 38´/ 11º 51´ de Leo, toma possessión el décimotercer gobierno de Franco, con Luís Carrero Blanco como vicepresidente;

 

El 20 de diciembre de 1973, con Júpiter en 11º 53´/ 12º 5´ de Acuario, una bomba potentísima de ETA, bajo el suelo de la calle Claudio Coello de Madrid, cerca de la embajada de Estados Unidos de América, vuela el coche blindado del almirante Carrero Blanco, presidente del gobierno de España, quien muere junto con su conductor y un inspector de policía.

 

JÚPITER EN PISCIS VERSUS JUPITER EN VIRGO:

MOTÍN PROGRESISTA DE ARANJUEZ EN 1808 (PISCIS) VERSUS CONTRARREVOLUCIÓN DE FERNANDO VII EN 1814 (VIRGO)

 

El signo de Virgo, arco del 150º al 180º de la eclíptica (en longitud) es el area directamente opuesta al signo de Piscis, arco del 330º al 360º de la eclíptica o trayectoria aparente del Sol.

 

Del 17 al 19 de marzo de 1808, con Júpiter en 2º 7´/ 2º 48´ del signo de Piscis, tras correr por las calles de Aranjuez el rumor del viaje de los reyes, una pequeña multitud compuesta por empleados de los nobles , dirigida por miembros del partido fernandino -nobles cercanos al Príncipe de Asturias, Fernando-, se concentra frente al Palacio Real y asalta el palacio de Godoy, el ministro reaccionario, saqueando y quemando  enseres, el día 17, y por la mañana del día 19, Godoy es hallado escondido entre esteras de su palacio y es trasladado hasta el Cuartel de Guardias de Corps, en medio de una lluvia de golpes, tras lo que el rey Carlos IV abdica en su hijo  convirtiéndolo en Fernando VII que surge con apoyo del pueblo.

 

Del 22  de marzo al 21 de julio de 1814, con Júpiter en  2º 5´/ 0º 9´ /9º 50´ del signo de Virgo, la contrarrevolución absolutista de Fernando VII destruye las conquistas liberales, con el regreso de Fernando VII, restablecido como rey por acuerdo con Napoleón (22 de marzo), los decretos de Fernando VII anulando las disposiciones y leyes hechas por las Cortes liberales y aboliendo la libertad de expresión (4 de mayo), detención de liberales y cierre de Cortes (10 de mayo), reapertura de conventos católicos (27 de mayo), la evacuación de territorio español de las últimas guarniciones francesas (3-4 de junio) el restablecimiento de la Inquisición y de los antiguos consejos (21 de julio).

 

 

Solo las mentes muy estrechas, muy limitadas de los universitários y académicos de hoy pueden negar el determinismo planetario-zodiacal en los hechos sociales y deportivos. Niegam sin conocer siquiera las posiciones de los planetas, confiando en la necedad de un Bertrand Russell, Carl Sagan, Karl Popper y de la academia entera que siempre han depreciado y atacado a la astrología.

 

 

NOTA- Puedes adquirir nuestras obras de astrologia histórica em www.astrologyandaccidents.com. Este blog, creador de muchas ideias e conexiones filosóficas e astrológico-históricas, útiles à la comunidade filosófica, cuesta mucho trabajo de elaboración intelectual. Para ayudar a mantenerlo, hace una donación financiera en la cuenta bancaria con el NIB 0019 0072 00200007919 49.

 

Esta teoría es tán o mas importante que la teoria de la relatividad de Einstein y, paradojicamente, no tiene, dentro de la universidad, filósofos o catedráticos que la sepan juzgar con conocimiento e imparcialidad.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:25
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 22 de Junho de 2014
Apresentação de livro na Biblioteca Municipal de Faro em 26 de Junho de 2014



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 18:56
link do post | comentar | favorito
|

Acidentes de Tractor e Graus do Zodíaco

 

Existem leis astronómicas que presidem aos acidentes de tractor. O Zodíaco é o verdadeiro arquitecto de todos os factos humanos e biofísicos ocorridos na Terra. Esta concepção holística, que a esmagadora maioria dos académicos de hoje não possui, justifica-se com uma ampla investigação de astrologia empírica que até hoje ninguém levou a cabo excepto o autor deste blog. Eis duas dessas leis.

 

ÁREA 12º-14º DO SIGNO DE PEIXES:

MORTE DE TRACTORISTAS EM PORTO SEGURO, ALMODOVAR

 

A passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 12º -14º do signo de Peixes (para astrónomos: graus 342º-344º  de longitude eclíptica) é condição necessária mas insuficiente para causar um desastre de tractor, em regra mortal para o tractorista.

 

Em 23 de Fevereiro de 2010,  com Vénus em 14º 23´ / 15º 38´ de Peixes, um trator roçadeira tomba sobre o condutor no bairro Lageado, na zona sul de Porto Alegre, estado de Rio Grande do Sul, Brasil, e o tratorista Irineu Garcia Wicziniewski, 55 anos, morre no local; em 14 de Fevereiro de 2014, com Quirón em 12º 15´/ 12º 19´ de Peixes, o tractorista Adilson Silva Santos perde o controle e a máquina tomba sobre ele,o, na fazenda Palmares, zona rural do município de Porto Seguro, Brasil; em 29 de Março de 2014, com Mercúrio em 14º 37´ /16º 7´ de Peixes, no monte das Soeiras, freguesia de São Barnabé, concelho de Almodovar, Portugal, um homem de 67 anos morre na sequência de despiste e capotamento do tractor que conduzia.

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua na área 12º-14º de Peixes são: de 16 de Setembro de 2014 a 28 de Janeiro de 2015 (Quiron); de 6 a 8 de Fevereiro de 2015 (Vénus); de 2 a 5 de Março de 2015 (Sol); de 20 a 22 de Março de 2015 (Mercúrio).

 

 

 

PONTO 12º 6´/  12º 31´ DE QUALQUER SIGNO DO ZODÍACO:

MORTE DE TRACTORISTA AO TRIPULAR O TRACTOR

 

A passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 12º 6´/ 12º 31´ é condição necessária mas insuficiente para causar um desastre de tractor, em regra mortal para o tractorista.

 

Em 29 de Maio de 2012, com Mercúrio em 9º 56´ / 12º 8´ de Gémeos, por volta das 19:00h, no bairro Pindoba em Conceição do Jacuípe ,  município do estado da Bahía, Brasil, Antonio Bonfim de Souza, conhecido como “Zito do Trator”, de 48 anos, alcoolizado, morre após ligar seu trator com uma grade de arado acoplado, desequilibrar-se, cair sendo arrastado pela grade do veículo; em 29 de Março de 2014, com Úrano em 12º 13´/ 12º 17´ de Carneiro, no monte das Soeiras, freguesia de São Barnabé, concelho de Almodovar, um homem de 67 anos morre na sequência de despiste e capotamento do tractor que conduzia;  em 12 de Abril de 2014, com Júpiter em 12º 30´/ 12º 37´ de Caranguejo, o tratorista Pedro Guimarães da Silva, 68 anos, morre atropelado pelo tractor que conduz, na zona rural de Itabela, ao cortar grama na Fazenda Boa Esperança; em 13 de Junho de 2014, com Marte em 12º 22´/ 12º 38´ de Balança, um homem de 53 anos, morre na sequência de um acidente de trabalho com um tractor agrícola na freguesia de Póvoa de São Miguel, concelho de Moura.

 

 

Algumas das próximas datas em que ocorrerá a passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua no ponto 12º 6´/ 12º 31´ de qualquer signo são: 4 de Julho de 2014 (Sol); 28 de Julho de 2014 (Vénus);  4-5 de Agosto de 2014 (Sol); 22 de Agosto de 2014 (Vénus); 11 e 12 de Setembro de 2014 (Júpiter); 1 e 2 de Outubro de 2014 ( Marte); de 22 de Janeiro a 1 de Fevereiro de 2014 (Nodo Norte da Lua).

 

Nada disto é estudado nas universidades de Portugal, Brasil, Espanha e do mundo inteiro. Porquê ? O que leva os académicos a confiarem na intuição embotada, no preconceito de que «não há determinismo astral na ocorrência dos acidentes con tractores e toda a classe de factos históricos»?

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:40
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 19 de Junho de 2014
Great Disasters in London and area 12º-13º of the sign of Cancer

 

All facts are predestinated by stars in Social and Political History. We have identified thousands of laws respect to United Kingdom. Here is one of them.

 

AREA 12º-13º OF CANCER SIGN:
RAILROAD OR AERIAL DISASTER IN LONDON AND ENVIRONS

 

The pass of the Sun, a planet, Chiron or Moon’s Node in the area 12º-13º Cancer is a necessary but not enough condition to engender an attack, natural disaster or other important event in London.


On June 18, 1972, with Mercury in 11º 48´/ 13º 41´ Cancer, a BEA Trident crashes in London suburbs, causing 118 deaths; on February 28, 1975, with Saturn in 12º 8´/ 12º 7´ Cancer, a rush-hour underground train crashes into a blind tunnel at Moorgate station, London, killing  41 persons; on February 28, 2001, with Moon ´s North Node in 13º 44´/ 13º 38´ Cancer, the collision of a train with a baggage car followed by the shock of both with a second train engenders 10 dead and tens of wounded in Selby (Yorkshire), UK; on May 10, 2002, with Jupiter in 12º 26´/ 12º 36´ Cancer, the train of West Anglia Great Norton (WAGN) company leaves King ´s Cross station and derails on crossing Potters Bar Station , in Hertfordshire, in the north of London, dying 8 persons and resulting injured 86 others.

 

Some of next dates in which the Sun, a planet, Chiron or Moon’s Node will cross the area 12º-13º Cancer are: 4-6 of July 2014 (Sun); 22-23 of July 2014 (Mercury); 28-30 of July 2014 (Venus).

 

Against common prejudices universally extended by universities and televisions that "astrology is fraud" and "there are no planetary laws commanding the social and biophysical events on planet Earth", we have been fighting for truth during 30 years producing historical astrology ie, history studied under  the light of astronomy (planetary positions in the zodiac). Karl Popper, Carl Sagan and Bertrand Russell were not  intelligent enough to intuit the planetary determinism on social facts.  

 

NOTE - If you are a publisher of papper books, contact me. I live in Portugal, where publishers in general fear facing universities and the "scientific establishment". Perhaps you can publish my thesis, my discoveries on Historical Astrology that can make a revolution in the conception of the world of thinking persons.

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:27
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 18 de Junho de 2014
Equívocos na Prova 714 de Exame Nacional de Filosofia de 17 de Junho de 2014

 

Alguns equívocos marcam a prova 714 de exame nacional de Filosofia do 11º ano de escolaridade, 1ª fase, versão 1, de 17 de Junho de 2014.  Vejamos exemplos.

 

3.«É impossível provar que os animais têm consciência. Portanto, temos de admitir que não têm.»

 

O argumento anterior é

 

(A) dedutivamente válido.
(B) indutivamente forte.
(C)
um caso de apelo à ignorância.
(D) um caso de derrapagem.

 

Segundo os critérios de correção a resposta certa é a C.

 

Crítica minha: tal como está formulada a questão, de forma ambígua, a resposta correcta é A e não C. A expressão temos de admitir que não têm não é categórica mas hipotética: temos de admitir a possibilidade de os animais não terem consciência, logo também admitimos a possibilidade de terem consciência. Segundo esta leitura, isto é uma dedução, porque bifurca a tese geral nas duas opções possíveis. A formulação correcta da pergunta deveria ser:

«É impossível provar que os animais têm consciência. Portanto, eles não têm consciência.»

 

Só formulado desta maneira é um verdadeiro argumento de apelo à ignorância.

 

 

«6. Considere o texto seguinte.
«Compare estes dois casos:
1) Uma pessoa pega numa arma, aponta cuidadosamente para o alvo, puxa o gatilho e dispara.
2) A pessoa chega a casa e põe a arma sobre a mesa. Enquanto o faz, a arma inesperadamente dispara.
Ora, partindo da nossa distinção intuitiva entre ações e acontecimentos, concordaríamos, espero, que disparar a arma, no primeiro exemplo, foi uma ação, enquanto, no segundo, o tiro foi um acontecimento.»

 

C. Moya, The Philosophy of Action: An introduction, Cambridge, Polity Press, 1990, p. 12 (adaptado)

 

De acordo com o texto, as ações distinguem-se dos acontecimentos na medida em que


(A) as ações não têm intenções como causas, nem envolvem um agente.
(B) as ações envolvem um agente, mas não têm intenções como causas.
(C) as ações têm intenções como causas, mas não envolvem um agente.
(D) as ações envolvem um agente e têm intenções como causas.

 

Os critérios de correcção apontam a alínea D como sendo a única certa.

 

Crítica minha: Há duas respostas certas, B e D. De facto, nem todas as acções humanas possuem intenção. Há acção voluntária, intencional, e acção involuntária não intencional. Exemplo desta última: um automobilista atropela sem querer uma criança que, de súbito, se atravessa na estrada. A acção implica apenas um agente e um paciente (aquilo ou aquele que sofre a acção) sendo a intenção um acessório que pode existir ou não.

 

GRUPO III

 

1. Leia o texto seguinte.

 

«É difícil não pensar que temos livre-arbítrio. Quando estamos a decidir o que fazer, a escolhaparece inteiramente nossa. A sensação interior de liberdade é tão poderosa que podemos ser incapazes de abandonar a ideia de livre-arbítrio, por muito fortes que sejam as provas da sua inexistência.»
«E, obviamente, existem bastantes provas de que não há livre-arbítrio. Quanto mais aprendemos sobre as causas do comportamento humano, menos provável parece que escolhamos livremente as nossas ações.»
J. Rachels, Problemas da Filosofia, Lisboa, Gradiva, 2009, p. 182

 

1.1. Como explicam os deterministas radicais a «sensação interior de liberdade» referida no texto?

 

O tópico dos crirérios de correção é o seguinte: «A resposta integra os aspetos seguintes, ou outros igualmente relevantes. Apresentação da perspetiva dos deterministas radicais sobre a «sensação interior de liberdade»:
-segundo os deterministas radicais, essa sensação é uma ilusão;
-a ilusão resulta do desconhecimento das causas das nossas crenças e dos nossos desejos / das causas que nos levam a agir de uma determinada forma;
-se conhecêssemos as causas das nossas crenças e dos nossos desejos / as causas que nos levam a agir de uma determinada forma, compreenderíamos que a nossa ação resulta dessas causas, e não da nossa vontade livre.»

 

Crítica minha: a pergunta está mal formulada. Carece de clareza e profundidade. Os deterministas radicais não explicam a «sensação interior de liberdade», do mesmo modo que nós não explicamos a sensação de verde nas folhas da planta que estamos a ver : limitam-se a constatar que essa sensação existe, naturalmente, em cada um de nós e fundamenta a convicção de que temos livre-arbítrio. A ilusão não resulta «do desconhecimento das causas das nossas crenças e dos nossos desejos / das causas que nos levam a agir de uma determinada forma»: essa ilusão existe por si mesma e continua a existir mesmo quando descobrimos, por exemplo, que os nossos actos são ditados por ângulos que os planetas no céu formam com o mapa do céu do nosso dia e hora de nascimento (horóscopo natal).

 

O que os «deterministas radicais» explicam não é a sensação interior de liberdade mas sim a crença psicológica no livre-arbítrio com base nessa sensação interior...

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 06:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Terça-feira, 17 de Junho de 2014
O grau 10 do signo de Aquário e os golpes de Estado fracassados

 

A passagem de um planeta, do planetóide Quiron, do Sol ou de um Nodo da Lua em 10º signo de Aquário é condição necessária mas insuficiente para gerar um golpe de Estado fracassado, de direita ou de esquerda.

 

Quantos dias em cada ano um planeta e o Sol atravessam o grau 10 do signo de Aquário (grau 310 de longitude eclíptica)? Depende. Em 2014, apenas seis dias (não levamos em conta a Lua): em 17 e 18 de Janeiro (Mercúrio), 29 e 30 de Janeiro (Sol), 17 e 18 de Março (Vénus). Portanto, são significativos os factos que, a seguir, apontamos, porque é relativamente raro ao longo de um ano haver um planeta ou o Sol em 10º de Aquário.

 

Em 18 e 19 de Abril de 1925, com Nodo Sul da Lua em 10º 39´ / 10º 30´ de Aquário, eclode um golpe militar de direita contra a República parlamentar, com a sublevação de 3 unidades militares que acampam na Rotunda do Marquês de Pombal, em Lisboa, duelos de artilharia e a deslocação ao quartel do Carmo do general Sinel de Cordes, revoltoso, para exigir ao presidente da república Teixeira Gomes a destituição do governo de Vitorino Guimarães, de centro-esquerda, e a formação de um governo extrapartidário chefiado por Filomeno da Câmara, no dia 18, e rendição dos revoltosos de direita bombardeados por uma chuva de granadas no dia 19; em 1 de Janeiro de 1962, com Júpiter em 10º 28´/ 10º 41´ de Aquário,  de madrugada, descoordenados entre si, um grupo de civis chefiado por Manuel Serra e um grupo de militares chefiado pelo capitão Varela Gomes assaltam e ocupam o Regimento de Infantaria 3, quartel de Beja, num intento de derrubar Salazar, mas o segundo comandante major Calapez fere gravemente a tiro Varela Gomes e dispara no escuro, durante horas, havendo 3 mortes, entre elas a do subsecretário do exército Jaime da Fonseca, que se deslocara a Beja, de manhã, e o golpe revolucionário fracassa, não chegando a entrar em acção, como chefe do golpe antisalazarista, o general Humberto Delgado, escondido numa casa da Rua Ancha da capital do Baixo Alentejo; em 29 de Junho de 1973, com Júpiter em 10º 50´/ 10º 44´  de Aquário, forças leais ao governo de Unidade Popular repelem um ataque armado ao palácio dopresidente socialista Salvador Allende, fracassando assim um golpe de direita no Chile.

 

em 16 de Março de 1974, com Vénus em 10º 18´/ 11º 6´ de Aquário, o capitão Virgílio Luz Varela e tenentes Rocha Neves, Gomes Mendes e Silva Carvalho, pouco depois da meia-noite, neutralizam o coronel Horácio Lopes Rodrigues e o tenente-coronel FarinhaTavares, comandante e o segundo-comandante do Regimento de Infantaria 5 (Caldasda Rainha), julgando que o CIOE (Lamego), a EPC (Santarém), a EPA, a EPI e o RCn.º 7 iriam secundar o levantamento, e uma coluna militar comandada pelo capitão Piedade Faria sai do RI5, visando derrubar a ditadura de Caetano eTomás, mas obstaculizada às portas de Lisboa, regressa às Caldas da Rainha cujo quartel é cercado por forças militares governamentais, rendendo-se os majores Casanova Ferreira e Manuel Monge e toda a unidade, sendo presos 35 aspirantes aoficial miliciano, e alguns sargentos e furriéis; em 23 de Fevereiro de 1981, com Nodo Sul da Lua em 10º 41´/ 10º 37´ de Aquário, eclode um golpe fascista em Espanha,com a invasão do parlamento por 175 guardas civis chefiados pelo tenente-coronel Tejero Molina, que disparam rajadas de metralhadora e sequestram os deputados mas ante a reacção popular nas ruas os chefes militares, exceptuamdo o general Milans del Bosch, comandante militar de Valencia, não aderem ao golpe que fracassa na madrugada seguinte.

 

Como é possível que catedráticos e doutorados de filosofia como Maria Luísa Ribeiro Ferreira, Sofia Miguens,  Luís de Araújo, Alexandre Franco de Sá, Viriato Soromenho Marques, José Gil, Manuel Maria Carrilho, Roberto Merrill, Susana Cadilha, João L.Cordovil, Olga Pombo, João Sáagua, Porfírio Silva, Ricardo Santos, não possuam a intuição de que os golpes militares e todos os acontecimentos na Terra são reflexo do movimento dos planetas através dos 360º do Zodíaco segundo leis exactas de correspondência? Como é possível que blindem as suas universidades contra a investigação e a exposição de teses da astrologia histórica?

 ,

Terão consciência do papel ideológico vergonhoso, ao serviço da classe burguesa e do clericalismo em geral, que as suas universidades "racionalistas"  desempenham ao silenciar a astrologia histórica que desenvolvemos e que constitui uma teoria tão importante quanto a teoria da relatividade de Einstein?

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:10
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 16 de Junho de 2014
Pequenas reflexões de Junho

 

 

MAS ESSES ONZE FUTEBOLISTAS, PAGOS A PESO DE OURO, DA CAMADA SUPERIOR DA MÉDIA BURGUESIA SÃO «PORTUGAL»? Perderam por 4-0 ante a Alemanha hoje, 16 de Junho. E depois? Não foi Portugal que perdeu - Portugal é o povo trabalhador e a intelectualidade culta e honesta. Quem perdeu foi o António Mexia, o Pinto Balsemão, o Ricardo Espírito Santo e outros membros da alta burguesia que usam o Cristiano milionário e os outros para narcotizarem os portugueses com as vitórias... «deles».

 

A BELEZA QUE FOGE- Todos nós, homens e mulheres, somos nostálgicos da beleza que foge: uma ruga que aparece, cabelos brancos, um ponto escuro na pele, etc, fazem diminuir a beleza física de cada um. Já tivemos 16, 20, 25 anos - e éramos belos ou belas. Ser velho é ser fisicamente feio, ainda que possamos admitir que a beleza do pensamento (clareza, profundidade) e a beleza de alguns sentimentos (compreensão, etc) aumentem com o envelhecer, antes do Alzheimer e da senilidade em geral.

 

STASIS, STALIN e ESTADO - A palavra "stasis" em grego clássico designa repouso. Daí o termo «estática», na língua portuguesa. O nome STALIN, do ditador vermelho que de 1922 a 1953 dirigiu a política da URSS, sugere também REPOUSO: Stalin realizou a colectivização de terras em 1929-1932 e fez PARAR e retroceder a revolução soviética, eliminando policialmente os defensores da democracia operária (marxistas libertários, trotskistas, etc). ESTADO sugere ESTÁTICA: o Estado estabiliza através de leis e fiscalização burocrática a vida de um país.

 

A RELAÇÃO MAIS INTERESSANTE é a que une o homem de 50-60 anos à mulher de 20-25 anos. Ele encontra uma segunda juventude nela, como se se banhasse num lago mágico de rejuvenescimento. E ela encontra nele o charme, a segurança, a sabedoria. O outono apaixonado pela primavera e vice-versa.

 

UM AMOR SEM ACTOS SEXUAIS: O VERDADEIRO AMOR. Amor e sexo são coisas distintas. O acto sexual deriva do desejo, do amor-próprio. O amor é im-próprio:é a devoção e o serviço a outrem. Verdadeiro amor: o do pai por sua filha. Falso amor: o do homem à sua namorada ou esposa só na condição de esta praticar com ele actos sexuais em cada semana, se ela se negar abandona-a. A atração sexual é, no entanto, a base de toda a existência. Qualquer coisa parece estar errada no mundo da natureza, que é luciferina, carnal, apaixonada...

 

NOITES QUENTES DE VERÃO- Chegaram as noites quentes de verão alentejano. Sabe bem passear, ir para as esplanadas ou pelos campos ao luar, ouvir música, conversar, namoriscar. Um meu amigo alentejano que vive em Lisboa diz-me: «Sabes, Beja e o Alentejo perderam massa crítica:os professores e escritores e pintores activos, criativos, etc, foram-se embora, muitos deles. Enquanto a grande cidade se liberta de padrões de vaidade (o bom carro, a ostentação do dinheiro, o egoísmo fútil) o Alentejo provinciano, no sentido pior da palavra, está a adoptar esses padrões. Regride. Estou muito desiludido quando venho à província.»

 

ALMOÇO E JANTAR EM MONTE ALENTEJANO. 10 de Junho de 2014. Pois é... longe da família, abandonado na solidão alentejana dos meus antepassados, passo o dia de Camões num monte alentejano a convite de um casal amigo - uma bela família unida e diversa. Éramos 6 no reboque do tractor guiado por Ana que, por caminhos de terra, aos solavancos, nos levou, às 12 horas, até uma colina onde pastavam as vacas da herdade, que recearam a nossa aproximação. Voltamos às 13.15 horas para almoçar e o Ricardo já grelhava ao ar livre as espetadas de vaca. Não as provei porque de carnes como pouco e raro e fui pelo queijo fresco, saladas de delícias do mar, empadão de vegetais, etc. Bom convívio.

 

De tarde, Ana levou-nos ao olival biológico e ensinou-nos coisas como: «A oliveira é originariamente um arbusto e não uma árvore. Os trevos aqui existentes são leguminosas que alimentam o chão. A oliveira só se transforma em raíz a meio metro de profundidade. O tronco cresce para baixo. O candeio é a flor da oliveira, verde e amarelo, que surge e cai em Maio. Até 1975, as oliveiras eram plantadas com distância de 8 a 12 metros entre cada duas porque se semeava trigo no meio delas. Depois passou-se ao olival intensivo: espaços muito mais curtos, ausência de seara no olival. Em Janeiro, acaba-se a apanha da azeitona, há muito frio. Em meados de Fevereiro e Março, faz-se a poda, eu podo em taça, podas ligeiras porque se forem severas fica-se dois anos à espera do fruto. Cada ramo de oliveira só dá azeitonas no segundo, terceiro e quarto ano. Em Março põe-se estrume (biológico), duas pázadas. Em Março leva duas lavagens de cobre com pulverizador. Em Novembro, é a apanha da azeitona - se for tarde, vem o bicho».
Ao jantar já somos poucos e a conversa deriva para a filosofias cristã e budista, a não violência e o amor em geral, o papel da arte e dos instituições transmissoras de valores, etc. Às 21.45 horas estou em Beja. Falta-me corrigir cinco testes de alunos.

 

SINCRONISMO DE ABRIL DE 1997- Ao rever notas antigas, deparei com este sincronismo interessante: em 10 de Abril de 1997, no restaurante chinês em Beja, jantamos eu, astrólogo-historiador, o  poeta  Martinho Marques, o engenheiro químico Vítor Silva e  o fotógrafo António Cunha e falamos quase só da Índia e dos preparativos da viagem cultural que estes meus três amigos iriam realizar, em 26 de Abril, à Índia, subsidiada pela Região de Turismo do Alentejo. Ora, neste mesmo dia 10 de Abril, ruiu parcialmente o tabuleiro em construção da ponte Vasco da Gama, nome do primeiro navegador português que chegou à Índia, e morreram 6 operários.
Fomos nós os «causadores» metafísicos do acidente na ponte Vasco da Gama? Este acidente deu-se horas antes do jantar que fora planeado dias antes com a Índia por tema...

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:41
link do post | comentar | favorito
|

Nôdo Norte da Lua em 26º de Balança: em 1 de Outubro de 1995 (vitória do PS de Guterres) e em 16 de Junho de 2014 (jogo Portugal-Alemanha)

 

 

De 19 em 19 anos, o nôdo norte da Lua - ponto em que a trajectória do Sol é intersectada pela da Lua movendo-se para norte - repete posições.

 

Em 1 de Outubro de 1995, com Nodo Norte da Lua em 26º 38´ de Balança, o PS de António Guterres, fundado na Alemanha em Abril de 1973 por Mário Soares e outros, vence quase por maioria absoluta as eleições legislativas, pondo fim a 10 anos de governação da direita cavaquista PSD.

 

Em 16 de Junho de 2014, com Nodo Norte da Lua em  26º 36´/ 26º 30´ de Balança, a selecção de futebol de Portugal defronta a selecção da Alemanha, em Salvador da Bahía, em jogo da fase final de grupos do campeonato do mundo.

 

Que significa esta coincidência astronómica? Que o povo sairá às ruas às 19 horas a festejar uma vitória da equipa de Cristiano Ronaldo, como festejou em 1 de Outubro de 1995, a vitória do PS? Ou que sendo o PS, um partido «alemão» na sua génese, a Alemanha vencerá Portugal?

 

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 14:42
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Breves reflexões de Agost...

Area 15º-20º de Cancer y ...

Posições de Júpiter em Ma...

Deleuze e Guattari: as tr...

Júpiter em 17º de Balança...

Astrología y accidentes a...

O idealismo é contra a au...

La guerra civil de España...

Breves reflexões de Julho...

Áreas 21º-24º de Carangu...

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds