Domingo, 28 de Outubro de 2012
Sismos e Astrologia Histórico-Social, a ciência que as cátedras e os Estados corruptos temem

 

A previsão em Astrologia Histórico-Social, ciência que desenvolvo de forma ímpar  - oposta à astrologia tradicional «dedutiva» que recusa partir dos factos históricos concretos - funda-se na indução amplificante: alguns exemplos similares espelham  uma lei geral. E contra este método de acumulação de dados empíricos não há argumentos sólidos. As cátedras universitárias, sejam de filosofia, de história, de astrofísica, de biologia, de geografia, de matemática, de sociologia,  nada sabem sobre isto, ancoradas na concepção falsa e obtusa de que «os astros não comandam a vida política, social, biológica e cultural dos homens, colectiva ou individualmente tomados».

 

Esta é uma razão para extinguir os doutoramentos e os mestrados, que não passam de títulos de nobreza para obtusos intelectuais que não pensam holisticamente, que não correlacionam a posição de um planeta com uma certa classe de factos histórico-sociais comprovados. Destruir as cátedras universitárias na medida em que são focos de autoridade anticientífica e antifilosófica, bastiões anti astrologia histórica, é imprescindível à difusão do saber autêntico.

 

O destino existe e todos os acontecimentos estão rigorosamente predestinados pela passagem dos planetas em tais ou quais áreas do Zodíaco, como neste e em outros artigos deste blog, elucido com dados concretos. Eis o paradoxoo Estado financia  investigadores de moléculas e partículas atómicas que, supostamente, esclareceriam a origem das doenças no homem e em outros seres vivos e a origem do cosmos, mas não financia investigadores de história segundo parâmetros astronómicos, como eu, que prevêem, correctamente em muitos casos, sismos, quedas de avião, choques de comboios, acidentes notáveis em Lisboa, Porto, Londres, Nova Iorque, etc.

 

Como é evidente, os Estados (capitalistas, «comunistas» ou teocráticos) e  os respectivos ministérios de Educação e da Cultura, as cátedras universitárias, os grandes media (estações de televisão e rádio, grandes editoras de livros), as igrejas, os partidos políticos estão, em regra, na mão de criaturas arrogantes e ignorantes ou desonestas, ou reunindo estas três qualidades em simultâneo, que não difundem a verdade porque lhes não interessa. É «bom» para os senhores do poder político-financeiro e universitário-religioso que o povo seja ignorante e que os professores de filosofia, sociologia e história, os jornalistas, os colunistas e comentadores de televisão apresentem a astrologia como «mera superstição», «mística»,  «coisa incompatível com a ciência e o espírito de progresso actual, apenas digna de figurar como horóscopo na secção humorística e lúdica de cada jornal»...

 

Estudemos algumas das áreas do Zodíaco que permitem induzir, com fundamento científico razoável, a ocorrência presumível de certos acontecimentos históricos, em especial sismos, em Novembro e Dezembro de 2012 e em períodos posteriores.

 

 

ÁREA 17º-21º DO SIGNO DE SAGITÁRIO:

SISMO EM PORTUGAL

 

A passagem de um planeta, do Sol ou de um Nodo da Lua, na área 17º-21º do signo de Sagitário (graus 257º a 261º da eclíptica), é condição necessária, ainda que não bastante, para a eclosão de um sismo de alguma relevância em Portugal continental ou insular. 

 

Em 30 de Novembro de 2002, com Mercúrio em 16º 23´/ 17º 56´ do signo de Sagitário, as ilhas açoreanas de São Jorge, Faial e Graciosa sofrem 3 sismos; em 10 de Dezembro de 2002, com Sol em 17º 44´/ 18º 45´ de Sagitário, um sismo de magnitude 4,8 na escala de Richter abala as zonas de Olhão, Quarteira, Albufeira, Faro e Loulé; em 17 de Dezembro de 2009, com Vénus em 18º 58´/ 20º 14´ de Sagitário, às  01:37:47h, um sismo abala Portugal e toda a Península Ibérica numa intensidade de 6,0 na escala de Richter, tendo o epicentro no mar, a 30 km de profundidade e a Oeste de Gibraltar, cerca de 185km a Oeste de Faro e 264 km a Sudoeste de Lisboa, sendo seguido de dezasseis réplicas; em 25 de Dezembro de 2010, com Mercúrio em 22º 1´/ 21º 11´ de Sagitário, às 14 horas e 10 minutos, regista-se um sismo de magnitude 2,6 na escala de Richter na região de Vendas Novas.

 

De 30 de Outubro a 6 de Novembro de 2012, Marte transita a área 17º-21º  de Sagitário, constituindo um, entre outros, dos factores de desencadeamento de um sismo de algum relevo em Portugal. Veremos se basta para fazer eclodir tal sismo.  De 23 a 26 de Dezembro de 2012, Mercúrio transitará também a área 17º a 21º do signo de Sagitário, e de 29 de Dezembro de 2012 a 2 de Janeiro de 2013, Vénus deslizará igualmente nessa área.

 

ÁREA 20º-21º DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO:

SISMO EM PORTUGAL

 

A passagem de um planeta, do Sol ou de um Nodo da Lua em 20º ou 21º do signo de Capricórnio é condição necessária mas insuficiente (causa parcelar, concausa) para a eclosão de um sismo de alguma relevância em Portugal.

 

Em 5 de Abril de 1926, com Nodo Sul da Lua em 21º 27´ do signo de Capricórnio, um sismo na ilha do Faial provoca danos em edifícios nas freguesias de Flamengos, Ribeirinha e Conceição, particularmente nos lugares de Farrobo, Lomba e Espalhafatos; em 12 de Janeiro de 2003, com Mercúrio em 20º 58´/ 19º 38´ de Capricórnio, eclode um sismo de 4,3 na escala de Richter em Trás-os-Montes, com epicentro 20 quilómetros a leste de Miranda do Douro; em 11 de Janeiro de 2005, com Sol em 20º 36´/ 21º 37´ de Capricórnio, às 9.29 horas, um sismo de magnitude 3,8 na escala de Richter abala Santiago do Escoural, Montemor-o-Novo, Viana do Alentejo, Évora e a zona lisboeta de Santa Apolónia; em 23 de Janeiro de 2005, com Mercúrio em 18º 41´/ 20º 12´ de Capricórnio, pelas 6.15 horas, um sismo de 2,8 na escala de Richter, com epicentro a sudoeste de Sobral de Monte Agraço, abala a região de Lisboa, Montachique e Mafra; em 12 de Fevereiro de 2007, com Marte em 19º 24´/ 20º 9´ de Capricórnio, às 10.35 h um sismo epicentro a 160 quilómetros a sudoeste do Cabo de São Vicente 5,8 na escala de Richter abala os distritos de Santarém, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja, Évora, grande Porto, sendo o Algarve a região mais afectada, ocorrendo às 11.50 horas uma réplica. 

 

De 13 a 15 de Dezembro de 2012, Marte estará em 20º e 21º do signo de Capricórnio. O Sol atravessará estes graus do Zodíaco de 10 a 12 de Janeiro de 2013, Mercúrio transitá-los-á em 13 e 14 de Janeiro de 2013 e Vénus estará nesses graus em 25 e 26 de Janeiro de 2013.

 

 

ÁREA 7º-10º DO SIGNO DE CAPRICÓRNIO:

SISMOS NO IRÃO, DESAIRES DO PSD

 

O trânsito do Sol, de um planeta ou Nodo da Lua na área 7º-10º  do signo de Capricórnio ( graus 277 a 280 da eclíptica, em longitude) é condição necessária mas insuficiente para a eclosão de um sismo no Irão e também de um desaire para o Partido Social-Democrata Português, o grande partido liberal-social da direita portuguesa.

 

Em 21 de Junho de 1990, com Úrano em 7º 57´/ 7º 55´  do signo de Capricórnio,  um sismo com magnitude 7,7 na escala de Richter, nas províncias de Gilan e Zanyan, no Noroeste do Irão, arrasa 17 vilas, 1 871 aldeias e provoca cerca de 37 000 mortos e 100 000 feridos; em 22 de Fevereiro de 2005, com Marte em 10º 48´/ 11º 31´ de Capricórnio, um sismo de magnitude 6,4 na escala de Richter abala a província de Kerman, no Irão, perto da cidade de Bam, arrasando 40 aldeias e fazendo 602 mortos e mais de 1000 feridos; em 11 de Agosto de 2012, com Plutão em 7º 18´/ 7º 17´ de Capricórnio, dois terremotos consecutivos, de 6,4 e 6,2 na escala de Richter, causam pelo menos 306 mortes e  mais de três mil feridos no Irão, em quatro distritos do Azerbaijão Oriental situados ao nordeste de Tabriz, a capital provincial, abalando esta e as cidades de Ardébil e Mehraban.

 

Em 4 de Dezembro de 1980, com Marte em 9º 5´/ 9º 51´ de Capricórnio, Francisco Sá Carneiro, líder do PSD e primeiro-ministro, Adelino Amaro da Costa, vice líder do CDS e ministro da Defesa, morrem na queda em Camarate de um pequeno avião Cesna, onde deflagrara uma bomba, encomendada pela CIA desgostada por o governo português obstar ao tráfico de armas dos EUA para o Irão; em 3 de Abril de 1987, com Neptuno em 7º 59´/ 8º 0´ de Capricórnio, a votação favorável pelas esquerdas (PS, PRD, PCP, MDP) de uma moção de censura ao governo minoritário do PSD, de Cavaco Silva, proposta pelo PRD de Hermínio Martinho, faz tombar o governo; em 20 de Fevereiro de 2005, com Marte em 9º 23´/ 10º 5´ de Capricórnio, o PSD, presidido por Santana Lopes, sofre a sua maior derrota de sempre em eleições legislativas frente a um PS de José Sócrates que, pela primeira vez desde 1975, obtèm maioria absoluta de deputados.

 

 

De 26 de Novembro a 1 de Dezembro de 2012, Marte percorerá a área 7º-10º do signo de Capricórnio, a mesma que Mercúrio percorrerá de 5 a 7 de Janeiro de 2013 e Vénus de 14 a 17 de Janeiro de 2013.

 

A sincronia entre o Irão e o PSD português é algo inconcebível para os «racionalistas» fragmentários da filosofia analítica, da fenomenologia e outras correntes, destituídos da percepção intelectual holística que caracteriza os verdadeiros filósofos. No entanto, essa sincronia existe, como existem milhares de outras.

 

 

 

ÁREA 12º-13º DO SIGNO DE AQUÁRIO:

SISMOS EM ITÁLIA

 

O trânsito do Sol, de um planeta ou de um Nodo da Lua em 12º-13º do signo de Aquário( graus 312º e 313º da eclíptica ou trajectória aparente do Sol) é condição necessária mas insuficiente para gerar um sismo de relevo em Itália.

 

Em 23 de Novembro de 1980, com Nodo Sul da Lua em 13º 47´/ 13º 38´ de Aquário, um sismo de magnitude 6,9 na escala de Richter abala Nápoles, na Itália, causando 2 737 mortos; em 26 de Setembro de 1997, com Júpiter em 12º 20´/ 12º 18´ de Aquário, eclodem dois sismos (5,5 e 5,6 Richter) no centro da Itália, nas regiões da Umbria e Marche, causando um total de 10 mortos, 3 dos quais na aldeia de Sesimo, e danificando os frescos de Giotto na Basílica de São Francisco, em Assis, onde rui a abóbada; em 7 de Outubro de 1997, com Júpiter em 12º 6´ de Aquário, dois novos sismos, o mais intenso de 4,9 na escala de Richter, abalam a região central da Itália, abrindo duas novas fendas na parede da Basílica católica de Assis.

 

 

De 10 a 12 de Janeiro de 2013, Marte percorrerá a área 12º-13º do signo de Aquário. E em 26 e 27 de Janeiro de 2013, o mesmo sucedrá com Mercúrio. A mesma área será transitada por Vénus em 11,12 e 13 de Fevereiro de 2013. Veremos se irrompem sismos em Itália.

 

A  universidade, que censura e ignora esta investigação que levo a cabo, é tão corrupta quanto o poder político e financeiro: os mesmos jogos de poder da esfera político-parlamentar se passam nela, a mesma necessidade de afirmação de autoridade dos seus catedráticos sobre a população em geral, com a diferença de que os professores universitários acumulam títulos, vencimentos elevados e teses, muitas vezes plágios do trabalho de estudantes que superintendem, ao passo que os políticos e os grandes financeiros acumulam grandes somas de dinheiro, títulos, lugares em conselhos de administração de grandes grupos económicos e poder efectivo de mover o Estado em certas áreas de negócio interno, guerras, alianças internacionais.

 

Preciosa aliada da universidade, a grande imprensa, incluindo as revistas da élite cultural-social (em Portugal: «Jornal de Letras», «Revista Portuguesa de Filosofia», «Visão», etc), propaga mentiras publicitárias sobre os «melhores pensadores mundiais»: o «Nouvel Observateur» publicou a lista dos que considera os 25 melhores pensadores mundiais, entre eles o catedrático português José Gil, mas todos esses «grandes pensadores»  não pensam o cosmos na globalidade, ignoram o que quer que seja do determinismo planetário-zodiacal em todos os aspectos da vida humana e biofísica na Terra. É uma impostura a propaganda do «Nouvel Observateur». E toda a cultura oficial universitária é, neste capítulo crucial, uma impostura.

 

PS- Se é professor ou estudante de filosofia, história, astrologia ou demais ciências, porque não começa a compreender os movimentos planetários e a astrologia histórico-social e libertar-se da crucial ignorância a que o votaram nessa matéria? Adquira na nossa loja online www.astrologyandaccidents.com as nossas obras «Álvaro Cunhal e Antifascismo na Astrologia Histórica», recentemente lançada, «Os acidentes em Lisboa na Astronomia-Astrologia» e outras que lhe fornecem conhecimentos que em nenhum outro lado pode encontrar. É tempo de ser culto e profundo! Pense por si, sem receio dos clichés dominantes.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:34
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Silva a 28 de Outubro de 2012 às 16:35
Caro Francisco

Li, algures, que em dias de lua cheia (salvo erro) haveria uma maior ocorrência de acidentes rodoviários. Não tenho dados estatísticos que comprovem esta teoria.
Penso que constatações deste tipo vão ao encontro do seu pensamento.

A acreditar na sua tese, só nos restam duas hipóteses:

1. Aceitar resignadamente o nosso destino (como os estóicos);
2. Prever o futuro traçado pelos astros e, de certa forma, tentar contornar esse mesmo futuro determinado.

Penso que esta segunda alternativa será a mais inteligente. No entanto, ao optarmos por ela, não estaremos a modificar o futuro e a revelar livre-arbítrio?

A questão colocada noutros termos:

Perante o determinismo, como havemos de viver?

Respeitosamente

Silva



De Francisco Limpo Queiroz a 28 de Outubro de 2012 às 19:53
Caro Silva, o determinismo é absoluto e o livre-arbítrio é ilusão. O fatalismo é a lei da vida. Desde 1985, publiquei obras de investigação histórico-astronómica que desembocam sempre nesta conclusão. Não podemos colocar-nos fora da máquina mundi - mesmo a oração e o apelo aos deuses/ Deus não escapa ao determinismo.Só se reza enquanto os planetas pressionam certas áreas do horóscopo de nascimento de cada pessoa.

O facto de eu (julgar) conhecer a priori que, de 26 de Novembro a 1 de Dezembro de 2012, quando Marte viajar entre 7º e 10º de Capricórnio, há uma probabilidade elevada de ocorrer um sismo no Irão fará com que eu evite viajar para o Irão nessa data. Mas isso não é contornar o destino, é ter consciência dele. Se eu me apaixonasse por uma iraniana lindissima que me chamasse ao Irão nessas datas, talvez fosse, apesar da consciência do risco.Ou talvez não fosse.

A consciência não chega para constituir o livre-arbítrio visto que este implica além da percepção intelectual clara um acto de vontade, a deliberação.

Estudar Astrologia Científica e prever é um modo aceitável de viver. Esse estudo só aparentemente depende do livre-arbítrio: este não existe e como tal não pode enfrentar o destino. Se evito um acidente ao estudar Astrologia, é porque o destino me impõe evitar esse acidente. Ninguém é livre, em termos ontológicos.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Herbert Marcuse: o caráct...

Breves reflexões de Agost...

Area 15º-20º de Cancer y ...

Posições de Júpiter em Ma...

Deleuze e Guattari: as tr...

Júpiter em 17º de Balança...

Astrología y accidentes a...

O idealismo é contra a au...

La guerra civil de España...

Breves reflexões de Julho...

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds