Domingo, 5 de Agosto de 2012
Identidade de género, identidade de sexo: a classificação anti dialética em voga

 

Ao classificar o comportamento sexual e a anatomia de cada pessoa usa-se, habitualmente, dois conceitos: identidade de género e identidade de sexo. É uma divisão confusa, "analítica", não dialética. O facto de praticamente ninguèm a pôr em causa mostra bem a pobreza do pensamento racional, filosófico, sociológico, reinante no mundo das universidades e dos grandes media.

 

 

Diz-se, por exemplo: um travesti gay, isto é, um homem que se veste de saias, ligas, se maquilha de modo feminino a fim de ter actos sexuais genitais com homens «é de sexo masculino e de género feminino». Mas como classificar um travesti/ crossdresser não gay, como o realizador de cinema norte-americano Edward Wood Junior (10 de Outubro de 1924- 10 de Dezembro de 1978) que vestia saias e sutiã porque isso o excitava (fetichismo, auto-erotismo) e tinha por objecto sexual exclusivo as mulheres? Segundo a classificação em voga, Edward Wood Jr seria de sexo masculino e género feminino. É uma caracterização confusa: isso em nada o distingue do travesti ou do crossdresser (termos homólogos) gay que recebem a mesma qualificação. Tem que haver uma classificação melhor que distinga o travesti Edward Wood, heterossexual, de  qualquer travesti, ocasional ou não, homossexual ou bissexual.

 

Usando o pensamento dialético que hierarquiza géneros e espécies num duplo sentido vertical e horizontal - as universidades portuguesas, brasileiras e britânicas  não possuem nenhum grande especialista em dialética, ao contrário deste imodesto blog - encontramos três patamares de "ser-essência":

 

A) O mais elevado é sexo anatómico, isto é, masculino, feminino e hermafrodita. É um universal supra-genérico.

B) O intermédio, logo abaixo, é género - heterossexual , homossexual, bissexual - definível com base no comportamento físico-sexual e social.

C) O inferior é espécie, uma divisão do género, que o particulariza, e temos então seis espécies: "normal" (não travesti) heterossexual e travesti heterossexual (Edward Wood Júnior por exemplo) são as espécies do género heterossexual; "normal" (não travesti) bissexual e travesti bissexual são as espécies do género bissexual; "normal" homossexual e travesti homossexual são as espécies do género homossexual.

 

As espécies são construídas a partir da interseção dos géneros homossexual, heterossexual e bissexual com os géneros travesti e não travesti, ou seja, vestido segundo o padrão "normal". Assim um travesti gay é de sexo masculino, género homossexual, e espécie travesti homossexual ao passo que Edward Wood Júnior é (era) de sexo masculino, género heterossexual e espécie travesti heterossexual.

 

É evidente que há problemas metafísico-psicanalíticos difíceis de resolver. Há quem defenda que as mulheres em geral, ao usarem calças e certo tipo de camisolas, são travestis, ao menos parcelarmente, porque as calças seriam vestuário masculino típico. Se se aceitar esta classificação, a espécie travestismo (heterossexual) aumenta em mais de um bilião de pessoas e  fica, talvez, a ser a espécie mais numerosa no seio do género heterossexual.

 

Repito: falar de género masculino e de género feminino e não de género heterossexual, homossexual e bissexual é lançar a confusão e não discernir até onde é possível discernir, pois masculino e feminino são supra-géneros, originariamente expressos na anatomia e só secundariamente expressos no comportamento sexual (género) e no tipo de vestuário mais comportamento (espécie). A verdadeira filosofia analítica, dotada de poder de análise real, é a dialética e não essa amálgama de correntes, centrada sobretudo na análise de linguagem, baptizada de "filosofia analítica" de que Wittgenstein, Russel, Blackburn, Quine, Rawls e outros foram expoentes.

 

Nós, os dialéticos  que cremos na predestinação absoluta inscrita no Zodíaco, somos melhores que vocês, seres impensantes que dominais as cátedras universitárias, os congressos de professores de filosofia, as editoras e os grandes media, e vos intitulais "filósofos" e "arautos da racionalidade"! Os vossos doutoramentos nada ou quase nada valem, são máscaras, títulos de nobreza comprados no seio do vosso grupo social. Sobrevalorizam injustamente, não espelham, verdadeiramente, o nível intelectual, mediano, a que conseguis elevar-vos, que é o vosso.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 09:33
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
17

19
21
23
24

25
26
27
28
29
30


posts recentes

Áreas 21º-24º de Carangu...

Ponto 27º 37´/ 27º 44´ de...

Equívocos no Exame Nacion...

25 a 30 de Junho de 2017:...

28 de Junho a 1 de Julho ...

Breves reflexões de Junho...

Areas 14º-18º of Aries, 2...

Identidade de género, uma...

Teste de filosofia do 10º...

Teste de Filosofia do 11º...

arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds