Terça-feira, 23 de Maio de 2017
Graus 14º-17º de Carneiro e 7º-8º de Touro e 16º-19º de Touro: Atentados Islâmicos na Europa

 

O atentado bombista islamista em Manchester, Inglaterra, que matou 22 pessoas e feriu outras 59 no final de um espectáculo musical, em Albert Square, em 22 de Maio de 2017, estava escrito no Zodíaco ou circunferência celeste de doze signos ou arcos de 30º. Os terroristas são impelidos pela radiação dos planetas em movimento sobre a sua estrutura planetária psicológica (o seu mapa do céu de nascimento) e colocam as bombas ou disparam sobre pessoas ou atropelam pessoas na hora em que os planetas conjugados entre si determinam.

 

O trânsito do Sol, de um Nodo da Lua, do asteróide Ceres,  ou de um planeta nas áreas 14º-17º do signo de Carneiro e 7º-8º do signo de Touro e 16º-19º do signo de Touro são condições necessárias mas não suficientes para desencadear atentados islamistas na Europa. Vejamos exemplos desta ciência que desenvolvemos chamada astrologia histórica, que nada tem a ver com a pseudo ou semi ciência dos astrólogos tradicionais.

 

Em 7 de Julho de 2005, com Marte em 16º 50´/ 17º 29´ de Carneiro,   3 explosões de bombas, supostamente da Al-Qaeda, na linha 30 do metropolitano de Londres, uma na estação de King´s Cross, outra na de Aldgate East e outra no túnel entre Moorgate e Liverpool Street, e uma quarta explosão num autocarro em Woburn Square produzem 57 mortos, 13 dos quais no autocarro, e 700 feridos.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Nodo Sul da Lua em 14º 14´/ 14º 2´ de Carneiro, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Nicola Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Em 13 de Novembro de 2015, com Úrano em 17º 18´/ 17º 16´do signo de Carneiro, , uma série de atentados perpetrados por sete terroristas de tonalidade islamista, consistindo em seis fuzilamentos em massa e três explosões de bombas, ocorrem de noite em Paris e Saint-Denis, na França sendo o ataque mais mortal no teatro Bataclan, em Paris, onde os terroristas fuzilam várias pessoas e fazem reféns até ao início da madrugada de 14 de Novembro, resultando 137 pessoas mortas (incluindo os 7 terroristas que perpetraram os ataques) sendo 89 delas no teatro Bataclan e havendo mais de de 350 pessoas feridas incluindo 99 pessoas em estado grave.

 

Em 22 de Março de 2017, com Mercúrio em 15º 58´/ 17º 25´ do signo de Carneiro, Marte em 8º 34´/ 9º 19´ de Touro, na ponte de Westminster, em Londres,  um terrorista  acelera para cima dos transeuntes - matando duas pessoas de imediato e ferindo gravemente pelo menos 20, uma das quais morreria mais tarde - e segue até ao palácio do Parlamento, aqui mata à facada o polícia Keith Palmer, de 48 anos e é morto pela polícia londrina, após tiroteio.

 

Em 7 de Abril de 2017, com Sol em 17º 21´/ 18º 20´ de Carneiro, um veiculo pesado, guiado por um imigrante ilegal,  irrompe esta sexta-feira, pouco antes das 13:00 locais (14:00 em Lisboa), por uma das ruas comerciais mais movimentadas do centro de Estocolmo, a Drottninggatan, abalroando várias pessoas pelo caminho antes de embater na montra de um grande armazém, Åhléns City, provocando 4 quatro mortos e 15 feridos, vários deles em estado grave.

 

 

Em 22 de Maio de 2017, com Vénus em 15º 54´/ 16º 45´ de Carneiro, Mercúrio em 5º 56´/ 7º 8´ de Touro, Salman Abedi, 22 anos, um dos quatro filhos de um casal de refugiados líbios que fugiram para o Reino Unido para escapar ao regime de Kaddafi, nascido em Manchester, faz-se explodir cerca das 22:30 locais (mesma hora em Lisboa), junto a uma das saídas do estádio Manchester Arena, no final de um concerto da cantora 'pop' norte-americana Ariana Grande a que assistiam muitas crianças e jovens. provocando a morte de 22 pessoas e fez 59 feridos, atentado reivindicado pelo Estado Islâmico.

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 14º-17º do signo de Carneiro (graus 16º- 17º da eclítica em longitude) são: de 16 a 24 de Março de 2018 (Mercúrio); de 3 a 7 de Abril de 2018 (Sol).

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 7º-8º do signo de Touro (graus 37º-38º da eclítica em longitude) são: de 13 a 15 de Junho de 2017; de 30 de Março a 2 de Abril de 2018 (Marte); de 5 a 7 de Abril de 2018 (Vénus); de 27 a 29 de Abril de 2018 (Sol).

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 16º-19º do signo de Touro ( graus 46º e 47º de longitude eclíptica) são: de 22 a 25 de Junho de 2017 (Vénus); de 13 a 16 de Abril de 2018 (Vénus).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:55
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 21 de Maio de 2017
Breves reflexões de Maio de 2017

 

Exponho aqui Algumas breves e banais reflexões do quotidiano , neste Maio de 2017.

 

O AMOR A DOIS NÃO EXISTE. O QUE HÁ É A ATRAÇÃO SEXUAL: A CARÍCIA, A UNIÃO DOS DOIS CORPOS, O ORGASMO MÚTUO. A prova de que o amor não existe EM SI MESMO E POR SI MESMO, mas apenas existe inserido no fenómeno ATRAÇÂO SEXUAL, é que uma rapariga de 20 ou 25 anos de idade não ama um homem de 50 ou 60 anos: não sente atração sexual pelo maduro, pelo «velho» e por isso não o ama. Ao contrário, o homem de 50-60 anos ama a rapariga de 20 ou 25 anos, com idade de ser sua filha, porque ela é bela fisicamente e ele sente atração sexual. À medida que vamos progredindo na idade, percebemos que todo o romantismo é um engano sobre a natureza humana, um engano necessário para que a vida não seja insuportável. Tudo se reduz, em última análise, à química das hormonas. E os deuses riem, indiferentes ao nosso destino como mortais.

 

 

O COMUNISMO SEXUAL. 19 de Maio de 2017. Ana Rita, de 20 e muitos anos, diz-me: «Em Fevereiro, rompi uma relação horrível com o rapaz com quem vivia. Saí de casa. Agora estou só. O amor hoje é um vai e vem, não se fixa. Penso que o destino sabe o que faz: dá-nos estas desilusões e mais tarde ficamos felizes ao perceber que o que aconteceu foi um bem Por isso, Francisco, não lamente se não consegue a mulher que elegeu como a luz da sua vida. É porque não daria certo.» Acho interessante esta interpretação providencialista.

A revolução sexual libertadora de costumes, que nas últimas décadas ocorreu, prejudicou-nos a nós, os homens que gostamos do «amor eterno» a uma só e mesma parceira. Vivemos a época do sexo ocasional, das rapidinhas casuais, da experimentação, do comunismo sexual - quase todas vão para a cama com «todos», há inúmeras infidelidades . Ora eu oponho-me ao comunisno sexual, que despersonaliza, destrói a privacidade de uma relação de amor, comunismo que o filósofo indiano Osho defende. A mulher é o esteio, o fundamento do casamento ou da união sexual livre e se ela «trai» o companheiro ou o marido este torna-se inseguro, volátil em sentido negativo, com o par de «chifres» simbólicos. Os povos primitivos preocupavam-se em assegurar a fidelidade das mulheres quando os homens iam caçar e se afastavam do lar.

Muitos homens pensam mas não dizem: «Maldita revolução sexual que criou uma imensa legião de debochadas, superficiais, sem princípios!» Bem, a verdade é que não podemos regressar ao fundamentalismo machista que ainda hoje ocorre entre os muçulmanos do Paquistão e outros países de a família matar a mulher adúltera ou a filha ou irmã que escolheu ser livre.

 

O AMOR É FRÁGIL- 18 de Maio de 2017. Em um bar no centro de Beja, converso com Pedro, músico, ao balcão que me diz: «As pessoas aqui não valorizam os músicos locais, o público é escasso nos espectáculos, excepto nos de Toni Carreira e outros mais popularuchos, as pessoas querem é kizomba», eu digo «Há excelentes bandas musicais aqui, fiquei surpreendido com o valor dos Coruja, que usam piano e violino e há dias tocaram em Os Infantes», ele diz «Sim, não são como os Dama que fazem música fácil, descartável, só para adolescentes de 14-15 anos. Aprecio o Salvador Sobral, com aquele ar frágil, ligado à sua debilidade física, precisa de um transplante de coração. O amor não é musculado, machão, é isso mesmo: frágil».

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 

 


tags:

publicado por Francisco Limpo Queiroz às 09:54
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 18 de Maio de 2017
Área 13º e 14º de Virgem: Portugal em duas finais do campeonato da Europa

 

A área 13º-14º do signo de Virgem ( graus 163º-164º de longitude eclíptica) associa-se a duas presenças da seleção de Portugal em finais de campeonato da Europa em futebol.

 

Em 4 de Julho de 2004, com Júpiter em 13º 48´/13º 57´ do signo de Virgem, a Grécia torna-se campeã da Europa de futebol ao derrotar por 1-0 Portugal, na final em Lisboa.

 

Em 10 de Julho de 2016, com Nodo Norte da Lua em 14º 14´/ 14º 15´  do signo de Virgem, Portugal torna-se campeão da Europa  ao derrotar por 1-0 a França, na final em Paris.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 05:43
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 7 de Maio de 2017
O tabú, segundo Sigmund Freud

 

 

Sigmund Freud, ( Freiberg in Mahren, antigo império austríaco, 6 de Maio de 1856; Londres, 23 de Setembro de 1939),  um dos pensadores mais geniais da história da filosofia,  escreveu:

 

«Tabu é uma palavra polinésia cuja tradução se nos torna difícil porque já não possuímos a correspondente noção. (...)»

«Para nós, o tabú apresenta dois significados opostos: o de sagrado ou consagrado e o de inquietante, perigoso, proibido ou impuro. Em polinésio, o contrário de tabu é noa, ou seja, o ordinário, o que é acessível a todo o mundo. O conceito de tabu acarreta pois, uma ideia de reserva, e com efeito, o tabú manifesta-se essencialmente em proibições e restrições. A nossa expressão «temor sagrado» apresentaria em muitas ocasiões um sentido coincidente com o de tabu.»

«As restrições tabús são algo muito distinto das proibições puramente morais e religiosas. Não emanam de nenhum mandamento divino, mas extraem de si próprias a sua autoridade. Distinguem-se especialmente, das proibições morais por não pertencer a um sistema que considere necessárias em um sentido geral as abstenções e fundamente tal necessidade. As proibições tabus carecem de todo o fundamento. Sua origem é desconhecida. Incompreensíveis para nós, parecem naturais àqueles que vivem sob o seu império.» ( Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pp. 31-32; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

E Freud cita Northcote W Thomas no seu artigo sobre tabu na Enciclopédia Britânica:

«O tabu supõe-se emanado de uma especial força mágica inerente a certos espíritos e pessoas e suscetível de transmitir-se em todas as direções, por uma mediação de objectos inanimados.»

 

Referindo-se a essa força mágica teorizou  Freud:

«São qualificados de tabú todos os lugares, pessoas, objectos e estados que acarretam a misteriosa propriedade antes exposta ou são fonte dela. Igualmente, as proibições baseadas nela, e por último, conforme ao sentido literal da palavra, tudo aquilo que é sagrado ou superior ao nível vulgar, e simultaneamente perigoso, impuro e inquietante».

(Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pág 36; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

Wundt sustentou que o tabu resulta da crença dos povos primitivos em forças demoníacas mas Freud discordou:

 

«Explicar assim o tabu não é remontar até às próprias fontes do seu conceito e mostrar as sus raízes últimas. Nem o medo nem os demónios podem ser considerados em psicologia como causas primeiras, mais além das quais seja impossível remontar. Outra coisa sería se os demónios tivessem existência real; mas sabemos que não são - como tão pouco os deuses - senão criações das forças psíquicas do homem. Tanto uns como outros surgiram de algo anterior a eles.» (Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pp. 39-40; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

O TABU DOS MORTOS INCLUI A MUDANÇA DE NOMES

 

Nos povos primitivos, há o tabu referente aos mortos, encarados como espíritos diabólicos que se querem vingar dos vivos.

«

 

 

O tabu inclui não pronunciar o nome dos defuntos ao menos durante um longo período de luto. Freud resume assim as investigações de vários antropólogos sobre esse tema.

 

«Um dos costumes tabús mais singulares, mas também mais instrutivos, entre as que se referem ao luto dos primitivos, consiste na proibição de pronunciar o nome do morto. (...)

«Durante os sete anos que o missionário Dobrizhofer passou entre os abipões do Uruguai, mudaram por três vezes o nome do jaguar, do crocodilo, das espinhas e do sacrifício dos animais. Este horror a pronunciar um nome que pertenceu a um defunto estende-se como em ondas concêntricas e faz que se evite falar de tudo aquilo em que o morto interveio, processo de repressão que traz consigo a grave consequência de privar estes povos de tradição e de recordações históricas, dificultando assim enormemente a investigação da sua história primitiva. Contudo, alguns adoptaram costumes compensadores. Uma delas consiste em ressuscitar o nome dos mortos depois de um longo período de luto, dando-os aos recém nascidos, aos quais então se considera como reencarnações de aqueles».

(Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pp. 78-80; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

PARALELISMO ENTRE OS TABUS DOS PRIMITIVOS COMO AS OBRIGAÇOES DO REI E A NEUROSE OBSESSIVA

 

Freud salientou o paralelismo entre a atitude dos selvagens face aos seus reis e a neurose obsessiva da criança que admira e odeia secretamente o pai. Os reis são temidos pois se crê possuirem poderes mágicos, são protegidos pelo povo, dentro de certos moldes, e ao mesmo tempo exige-se-lhes que cumpram um protocolo tabu, cheio de restrições. Freud escreveu:

 

«Alguns dos tabus a que são submetidos os reis bárbaros recordam as restrições impostas aos homicidas. Em Shark Point, perto do Cabo Padrão na Baixa Guiné (Oeste Africano) um rei sacerdote, Kukulú, vive só em um bosque. Não pode tocar nenhuma mulher nem a sua casa, nem levantar-se do seu trono, sobre o qual dorme sentado. Se se deitasse, deixaria de soprar o vento, perturbando a navegação. A sua função consiste em apaziguar as tempestades e cuidar em geral da manutenção do estado normal da atmosfera.»

(Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pp. 69-71; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

Quanto maior é a veneração aos reis sacerdotes e maior é o poder social destes maior é a vigilância (hostilidade disfarçada) dos membros da tribo face a eles e maior é a punição que recairá sobre os reis caso transgridam as normas. Prossegue Freud:

 

«Concede-se aos soberanos grandes prerrogativas paralelas às prescrições tabus impostas aos homens vulgares. São personagens privilegiados, têm direito a fazer o que aos demais está proibido e a gozar daquilo que aos demais é inacessível; mas a mesma liberdade que se lhes reconhece acha-se limitada por outros tabus, que não pesam sobre os indivíduos ordinários.» (...)

«Submetendo à análise a situação atrás descrita, como se se tratasse do quadro sintomático de uma neurose, deter-nos-emos a princípio no excesso de inquieta solicitude que encontramos no fundo do cerimonial tabu. Um tal excesso de carinho é um fenómeno corrente na neurose, sobretudo na neurose obsessiva, escolhida por nós como termo de comparação, e a sua origem chegou a fazer-se-nos perfeitamente compreensível. Este excesso aparece sempre naqueles casos em que junto ao carinho predominante existe uma corrente contrária, inconsciente, de hostilidade, ou seja, sempre que nos encontramos ante um caso típico de ambivalência afectiva. A hostilidade fica então afogada por um desmesurado aumento de carinho, o qual se manifesta em forma de angustiosa solicitude e se faz obsessivo, pois de outro modo não seria capaz de cumprir a sua função de manter reprimida a corrente contrária inconsciente. Todos os psicanalistas comprovaram com que segurança se pode descompor sempre deste modo, a ternura exageradamente apaixonada e inquieta, mesmo naquelas circunstâncias que a tornam mais inverosímil, por exemplo nas relações entre mãe e filho ou entre cônjugues muito unidos. »

 

(Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pp. 69-71; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

No entanto, há diferenças importantes entre o tabu dos primitivos e a neurose obsessiva. Escreve Freud:

«A trangressão de um tabu tem por sanção um castigo, quase sempre uma grave enfermidade ou a morte. Só aquele que se fez culpado de uma tal trangressão é ameaçado por este  castigo. Na neurose obsessiva sucedem as coisas de modo muito distinto. Quando o doente se acha a ponto de levar a cabo algo que lhe está proibido, teme o castigo, mas não para si mesmo, mas para outra pessoa sobre a qual o doente não nos dá nenhum dado preciso, mas que na análise revela ser uma daquelas que lhe são mais próximas e queridas. A neurose comporta.se, pois, nesta ocasião, de um modo altruísta, e o primitivo de um modo egoísta

 (Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pág 99; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

O TABU NASCE DA AMBIVALÊNCIA AFECTIVA, DE AMAR E ODIAR UM MESMO OBJECTO OU ENTE

 

O tabu, segundo Freud, nasce de uma ambivalência afectiva existente tanto nos povos primitivos como nos neuróticos obsessivos dos dias de hoje. É a dualidade e não a unidade monolítica que está na essência do ser humano e dos sentimentos. Freud diz que quando morre uma pessoa os familiares experimentam inconscientemente uma alegria por essa morte e temor ou remorsos a respeito do morto por quem sentiam carinho:

 

 

«Comprovamos assim, uma vez mais, que o tabu nasceu no terreno de uma ambivalência afectiva. Também o tabú dos mortos procede de uma oposição entre a dor consciente e a satisfação inconsciente ocasionados pela morte. Dada esta origem da cólera dos espíritos, compreende-se que sejam os sobreviventes mais próximos do defunto e aqueles a quem este mais quis os que devem temer, sobretudo, o seu rancor. »

 

(Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, página 88; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

Assim, a fonte dos tabús é o instinto de preservação da vida própria e alheia, instinto que se opõe ao insinto de morte ou pulsão de Tanatos existente no inconsciente de cada um. Para Freud os Dez Mandamentos e outras proibições de teor religioso, o tabu, são defesas contra o instinto de matar existente no inconsciente dos seres humanos:

 

«Tendo reconhecido que as proibições obsessivas de alguns neuróticos não são senão precauções e castigos que os doentes infligem a si mesmos porque sentem com acrescentada energia a tentação de matar, poderemos voltar a aceitar de novo a proposição formulada, isto é, a de que sempre que existe uma proibição deveu-se a ser motivada por um desejo, e admitiremos que esta tendência para matar existe realmente no inconsciente e que o tabu, como o mandamento moral, longe de ser supérfluo, explica-se e justifica-se por uma atitude ambivalente a respeito do impulso para o homicídio. (Sigmund Freud, Tótem y Tabú, Alianza Editorial, Madrid, pag 97; o destaque a bold é sobreposto por nós).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:24
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 3 de Maio de 2017
Marte em 20º de Gémeos em 21 de Maio de 2017: F.C.Porto vencedor da Liga?

Estatísticamente, um planeta, o Sol, o planetóide Quíron ou um Nodo da Lua colocado na área 18º-25º do signo de Gémeos (graus 78, 79, 80, 81, 82, 83,  84, 85 de longitude eclíptica) na última jornada da I Liga de futebol ou do Campeonato Nacional da 1ª Divisão confere, em regra,  o triunfo como campeão ao Futebol Clube do Porto. Claro que há excepções. Vejamos três excepções.

 

Em 29 de Maio de 1960, com  Mercúrio em 20º 52´/22º 50´ de Gémeos, o Benfica vence por 8-0 o Varzim e sagra-se campeão nacional de futebol da 1ª Divisão com 46 pontos seguido pelo Porto com 40 pontos e pelo Sporting com 34 pontos à vigésima sexta jornada.

 

Em 5 de Junho de 1983, com  Nodo Norte da Lua em 25º 9´/ 25º 8´ de Gémeos,  o Benfica vence por 2-0 o Sporting de Braga e sagra-se vencedor do Campeonato Nacional da I Divisão com 51 pontos seguido pelo Porto com 47 pontos e pelo Sporting com 42 pontos na trigésima jornada.

 

Em 30 de Maio de 1987, com Quíron em 20º 54´/ 20º 59´ de Gémeos, o Benfica vê interrompido o jogo com o Braga (1-1) por uma invasão de campo aos 86 minutos e é punido com a perda de 3 pontos mas sagra-se campeão nacional de futebol da 1ª Divisão com 48 pontos seguido pelo FC Porto com 46 pontos e pelo Guimarães com 41 pontos à trigésima jornada.

 

Vejamos, agora, exemplos da regra geral.

 

Em 11 de Junho de 1978, com Sol em 19º 43´/ 20º 41´ de Gémeos, o FC Porto sagra-se campeão nacional de futebol da 1ª Divisão com 51 pontos. 

 

Em 5 de Junho de 1988, com Mercúrio em 26º 11´/ 25º 52´ de Gémeos, o Porto vence por 3-0 o Benfica e sagra-se vencedor do Campeonato Nacional da I Divisão com 66 pontos seguido pelo Benfica com 51 pontos e pelo Belenenses com 48 pontos na trigésima oitava jornada.

 

Em 15 de Junho de 1997, com  Sol em 23º 56´/ 24º 53´ de Gémeos,  o Porto vence por 3-0 o Gil Vicente e sagra-se tricampeão da Liga Portuguesa com 85 pontos seguido pelo Sporting com 72 pontos e pelo Benfica com 58 pontos na trigésima quarta jornada.

 

 Em 9 de Maio de 2004, com  Vénus em 24º 20´/ 24º 40´ de Gémeos o Porto vence por 3-1 o Paços de Ferreira e sagra-se campeão da Super Liga com 82 pontos seguido pelo Benfica com 74 pontos e pelo Sporting com 73 pontos na trigésima quarta jornada. 

 

 

Em 20 de Maio de 2007, com Mercúrio em 16º 35´/ 18º 17´ de Gémeos, o Porto vence por 4-1 o Desportivo das Aves e sagra-se campeão da bwin Liga com 69 pontos seguido pelo Sporting com 68 pontos e pelo Benfica com 67 pontos na trigésima jornada.

 

Em 14 de Maio de 2011, com Nodo Sul da Lua em 23º 47´/ 23º 43´ de Gémeos, o FC Porto vence por 0-2 o Marítimo e sagra-se campeão da primeira liga com 84 pontos seguido do Benfica com 63 e do Sporting com 48, na trigésima jornada.

 

Em 12 de Maio de 2012, com  Vénus em 23º 45´/ 23º 52´ de Gémeos,  o FC Porto vence por 2-5 o Rio Ave e sagra-se campeão da primeira liga com 75 pontos seguido do Benfica com 69 e do Braga com 62, na trigésima jornada.

 

Em 19 de Maio de 2013, com Júpiter em 21º 21´/ 21º 34´ de Gémeos, o FC Porto vence por 0-2 o Paços de Ferreira e sagra-se campeão da primeira liga com 78 pontos seguido do Benfica com 77 e do Paços de Ferreira com 54, na trigésima jornada.

 

Em 21 de Maio de 2017, com Marte em 20º 11´/ 20º 51´ de Gémeos, termina a Primeira Liga de Futebol e o vencedor é....

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 21:28
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 1 de Maio de 2017
Reflexões pessoais de Abril e Maio de 2017

 

 

 

Eis algumas breves reflexões de circunstância nesta primavera de 2017.

 

O PAPA E OS BISPOS COMEM CARNE? Sim, de um modo geral. E isso atesta uma falta de espritualidade. A morte de animais é exigida para alimentar os cleros católico, protestante, muçulmano, judaico e outros. O Dalai Lama também come carne. São estes os líderes espirituais da humanidade, carnívoros inveterados batizados de omnívoros? E António Costa, Passos Coelho, Jerónimo de Sousa e Marcelo Rebelo de Sousa comem carne...

Os gnósticos da Fraternidade Branca Universal, os budistas e outros recusam comer carne ainda que a Fraternidade Branca autorize comer peixe. «Aqueles que desejam o seu aperfeiçoamento e a sua evolução correcta, não colocarão, nunca, no seu templo sagrado, o cadáver dos animais em estado de decomposição nem produtos tais como chouriços, salsichas, morcelas, empadas que não são nem estéticos nem higiénicos.» (Claudine Brelet-Rueff, «As medicinas tradicionais sagradas», Edições 70, pag 88).

 

A INJUSTIÇA DA NATUREZA COM AS MULHERES É IMENSA. Há mulheres extremamente belas que atraem qualquer homem. E há mulheres de escassa beleza, «feias», que não atraem quase homem nenhum. A natureza é extremamente injusta, cria uma desigualdade grande no plano estético entre as mulheres. O mesmo para os homens.

 

Não foi o homem que fez voluntariamente uma mulher muito bela e outra com o rosto deformado ou de linhas desagradáveis - foi a natureza. A beleza é, em parte, objectiva, e em parte, subjectiva. Os padrões de beleza radicam na natureza objectiva, exterior ao homem. Não tem a ver com o patriarcado. A Vénus de Milo, de Fídias, no Museu do Louvre, é uma estátua bela, opinião consensual entre homens e mulheres. Uma jovem de 20 anos de olhos azuis e linhas perfeitas do rosto é objectivamente mais bela que uma mulher de 80 anos cheia de rugas e de seios descaídos.A natureza é a culpada da discriminação entre «belas» e «feias» , discriminação objectivada nas linhas do corpo e do rosto e nas diferentes idades das mulheres.

 

A NATUREZA BIOFÍSICA É BOA E MÁ. A natureza é boa e má, é Deus e o Diabo. As pessoas que sofrem doenças e são biliões obedecem a leis da natureza. A velhice é uma doença da natureza. A idealização vem do espírito, o realismo cru é essência da natureza; o leão a devorar a zebra, o envelhecimento, etc.

 

JESUS DIZIA QUE COMER CARNE NÃO É FICAR IMPURO - O Evangelho de Marcos narra o seguinte, em 7, 14-23:

«Jesus chamou outra vez a multidão e disse:
– Escutem todos o que eu vou dizer e entendam! Tudo o que vem de fora e entra numa pessoa não faz com que ela fique impura, mas o que sai de dentro, isto é, do coração da pessoa, é que faz com que ela fique impura. [Se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam.]
Quando Jesus se afastou da multidão e entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram o que queria dizer essa comparação. Então ele disse:
– Vocês são como os outros; não entendem nada! Aquilo que entra pela boca da pessoa não pode fazê-la ficar impura, porque não vai para o coração, mas para o estômago, e depois sai do corpo.
Com isso Jesus quis dizer que todos os tipos de alimento podem ser comidos.
Ele continuou:
– O que sai da pessoa é o que a faz ficar impura. Porque é de dentro, do coração, que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências. Tudo isso vem de dentro e faz com que as pessoas fiquem impuras.»

 

É estranho que o filho de Deus não condene a matança de animais e a ingestão dos seus cadáveres.Buda condenava comer carne e matar animais. Não é o matar animais e comer as carnes um crime de morte e um «agir sem pensar nas consequências»?  

 

SINCRONISMOS ONTOFONÉTICOS «De 1 a 3 de Maio de 2017, as ideias de CANO, BRINCHES e de MADRID estão em destaque: no dia 1, no final da procissão em honra de Nossa Senhora da Consolação na aldeia de BRINCHES, Serpa, enquanto são lançadas séries de foguetes que estouram no ar, entro na rua transversal que ladeia a Escola Primária e uma CANA (sugere: CANO) de foguete cai do ar a dois metros de mim, o Liverpool vence por 1-0 o Watford em futebol graças a um acrobático golo de Emre CAN (evoca: CANO); no dia 2, um CANO da rede pública rebenta sob o chão da casa de uma senhora nascida em BRINCHES que vive perto do liceu de Beja, passam 209 anos sobre o início da revolta, em 1808, da população de MADRID contra as tropas de Napoleão Bonaparte, o Real MADRID vence por 3-0 o Atlético de MADRID em jogo da Liga de Campeões; no dia 3, os telejornais noticiam que passam 10 anos sobre o misterioso desaparecimento da menina Madeleine McCANN  (evoca: CANO) na praia da Luz, Algarve.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 12:26
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 30 de Abril de 2017
Áreas 17º-18º de Balança, 3º-4º e 26º-27º de Peixes: Avenida dos Aliados, no Porto

A passagem do Sol, de Quiron , do Nodo da Lua ou de um planeta do sistema solar em 17º-18º do signo de Balança ou em 3º-4º e 26º-27º do signo de Peixes são condições necessárias, mas não bastantes por si sós, para gerar acidentes ou incidentes na Avenida dos Aliados e ruas adjacentes, no Porto.

 

Em 1 de Maio de 1982, com Vénus em 26º 6´/ 27º 12´ de Peixes, incidentes entre militantes da CGTP e da UGT, estes acantonados junto do edifício da câmara municipal do Porto, na zona da Avenida dos Aliados, no Porto, levam, após a explosão de um petardo, a uma intervenção brutal da polícia de choque que dispara sobre apoiantes da CGTP causando dois mortos a tiro, Mário Emílio Pereira e Pedro Manuel Sarmento Vieira, um deles jovem comunista, ferindo à bala seis outros, dois com gravidade, e fazendo cinco dezenas de feridos atendidos na Urgência hospitalar, entre um total de mais de uma centena de vítimas das forças da «ordem» dependentes do Governo PSD-CDS de Pinto Balsemão, Freitas do Amaral e Ângelo Correia; em 25 de Novembro de 2014, com Nodo Norte da Lua em 18º 22´/ 18º 16´do signo de Balança, Neptuno em 4º 50´ de Peixes, um estudante com 24 anos de idade, residente na Póvoa, e outro aluno, com 18 anos, mas de Vila Nova de Gaia, roubam o telemóvel a um jovem com 19 anos de idade na Avenida dos Aliados, no Porto mas são detidos  pela PSP  na rua Mouzinho da Silveira, confirmando a posse no duo do objeto roubado;  em 13 de Abril de 2017, com Júpiter em 17º 36´/ 17º 28´ do signo de Balança, Nodo Sul da Lua em 2º 18´/ 2º 8´ de Peixes, Vénus em 27º 2´/ 26º 57´ de Peixes, pelas 4 horas da madrugada, na Rua Elísio de Melo, nas imediações da Avenida dos Aliados, centro do Porto, 3 jovens com uma pistola de pressão de ar roubam o telemóvel a um homem de 22 anos, a quem causam escoriações na face, sendo um dos assaltantes, de 18 anos, retido por populares e entregue à PSP.

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 17º-18º do signo de Balança (graus 197 e 198 da eclíptica, em longitude) são: de 1 a 14 de Agosto de 2017 (Júpiter); em 9 e 10 de Outubro de 2017 (Mercúrio); de 10 a 12 de Outubro de 2017 (Sol); em 28 e 29 de Outubro de 2017 (Vénus).

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 3º-4º do signo de Peixes (graus 333 e 334 da eclítica em longitude) são: em 13 e 14 de Fevereiro de 2018 (Vénus); em 19 e 20 de Fevereiro de 2018 (Mercúrio).

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 26º-27º do signo de Peixes (graus 356 e 357 da eclítica em longitude) são: de 16 de Agosto a 1 de Outubbro de 2017 (Quíron); de 3 a 5 de Março de 2018 (Vénus); de 16 a 18 de Março de 2018 (Vénus).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:38
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 29 de Abril de 2017
Aristóteles en contra del dualismo platonico original

 

Platón era gnóstico y, por supuesto, sostenía que la dualidad de princípios es el origen de todo.  Aristóteles no planteó esa posición y criticó a Platón y a otros puesto que sostuvo que la ousía (sustancia) primaria está exenta de contrarios. El término Sustancia no mienta necesariamente un objecto material, significa un ente, material o formal o espiritual, individualizado. Escribió Aristóteles:

 

«Pues bien, todos ponen los contrários como princípios, tanto en el caso de las cosas físicas como en el caso de las sustancias (nota: en versión de Tomás Calvo Martínez: entidades) inmóviles. (...) Y es que, más bien, todas las cosas se generan a partir de contrarios a condicion de que haya algun sujeto. Es pues absolutamente necesario para los contrarios que lo haya. Los contrarios todos, en efecto, se predican siempre de un sujeto, y ninguno de ellos existe separado, mientras que la sustancia (ousía, en la tradución de Tomás Calvo Martínez, editorial Gredos: entidad) no tiene ningún contrario, como muestran claramente los hechos y corrobora el razonamiento. Por consiguiente ningún contrario es primariamente principio de todas las cosas, sino que (el principio) es otro». (Aristóteles, Metafísica, Libro XIV, 1087a , 30-35; 1087b, 0-5, pp 553- 554 de la versión de Gredos; el destaque en negrita es colocado por nosotros),

 

No es verdad lo que Aristoteles escribe: los contrarios no se predican de un sujeto, sino de dos sujetos.  Aristóteles manifiesta un pensamiento antidialéctico al separar el uno de la dualidad: además su razoniamento isolacionista, no dialéctico, se patenteaba ya en la frase «pero lo Primero no tiene contrario alguno» (Metafísica, Libro XII, 1075b, 20-25, pág 500 de la versión de Gredos),. Si es verdad que puede decirse que la dualidad se predica del uno es igualmente verdad que el uno puede predicarse a partir de los  dos contrarios originales diciendo «Díos y la chora o materia oscura eterna e incriada, según Platón, forman una unidad» La contrariedad es intrínseca al todo, lo que hace que nunca hubo un estado de unidad indivisible antes que surgiera la división de contrarios. Platón teorizó que los principios son el Uno y la Díada de lo Grande y lo Pequeño, y no el Uno aislado primariamente. 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:31
link do post | comentar | favorito
|

Crítica a Aristóteles: não pode haver arquétipos que englobem outros arquétipos como espécies suas?

 

Aristóteles acusou Platão de multiplicar os modelos ou formas arquetípicas num mundo inteligível e de estes modelos serem, dentro desse mundo inteligível,  cópias de outros modelos. Escreveu:

 

«Ademais, as Formas serão modelos não somente das coisas sensíveis, mas também delas mesmas, por exemplo, o género entendido como género das espécies. Por conseguinte, a mesma coisa será ao mesmo tempo cópia e modelo.» (Aristóteles, Metafísica, Livro XIII, 107b, 30-35, pág. 519 da versão da Editorial Gredos, Madrid).

 

Parece-nos antidialética a crítica de Aristóteles: a dialética supõe que uma mesma coisa ou ideia têm relações de pertença ou similaridade com múltiplas coisas ou ideias. Sem embargo da grandeza intelectual de Aristóteles, este já errara ao dizer que «cada coisa só tem um contrário». Ora Aristóteles, na sua crítica ao Mundo das Ideias àparte da matéria teorizado por  Platão, entende que, por exemplo, que é incoerente haver o arquétipo de Animal e os Arquétipos de Homem, Elefante, Serpente, Leão etc., que serão espécies de Animal. Segundo ele, um arquétipo não poderia estar contido em outro mais genérico.

 

Não há, no entanto, neste aspecto, incoerência nenhuma em Platão. Basta pensar que, a haver Mundo dos Arquétipos, estes não estão irmanados no mesmo plano mas hierarquizados  em diferentes degraus.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:28
link do post | comentar | favorito
|

Áreas 2º-4º de Carneiro e 3º-5º de Virgem: Rua de Cedofeita, no Porto

 A passagem do Sol, de Quiron , do Nodo da Lua ou de um planeta do sistema solar em 2º-4º do signo de Carneiro ou em 3º-5º do signo de Virgem são condições necessárias, mas não bastantes por si sós, para gerar acidentes ou incidentes na Rua de Cedofeita, no Porto.

 

Em 17 de Setembro de 2011, com Úrano em 2º 56´/ 2º 54´ do signo de Carneiro, uma mulher de cerca de 40 anos assalta à mão armada uma papelaria na rua de Cedofeita, no Porto, e foge com 70 euros; em 30 de Março de 2012, com Úrano em 4º 49´/ 4º 52´ do signo de Carneiro, Marte em 5º 9´/ 4º 57´ do signo de Virgem,  alguns comerciantes e moradores da rua de  Cedofeita, no Porto, ficam sem internet e telefone devido a uma  tentativa de roubo de cabos.em 1 de Fevereiro de 2017, com Marte em 2º 49´/ 3º 33´ de Carneiro, Nodo Norte da Lua em 3º 26´/ 3º 27´de Virgem, dois homens, de 17 e 19 anos, roubam um homem obrigando-o a levantar dinheiro numa caixa ATM da rua de Cedofeita, no Porto, e são detidos pela PSP na rua dos Clérigos momentos depois à uma hora e 40 minutos da madrugada.

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 2º-4º do signo de Carneiro (graus 2, 3, 4 e 5 da eclítica em longitude) são: de 2 a 7 de Maio de 2017 (Vénus); de 7 a 9 de Março de 2018 (Mercúrio); de 22 a 25 de Março de 2018 (Sol).

 

 

Algumas das próximas datas em que o Sol, o Nodo da Lua ou um planeta passam na área 3º-5º do signo de Virgem (graus 153, 154 e 155 da eclítica em longitude): de 28 a 31 de Julho de 2017 (Mercúrio); de 24 a 27 de Agosto de 2017 (Mercúrio); de 10 a 14 de Setembro de 2017 (Marte); de 13 a 15 de Setembro de 2017 (Mercúrio); de 22 a 24 de Setembro de 2017 (Vénus).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:02
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

22
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Graus 14º-17º de Carneiro...

Breves reflexões de Maio ...

Área 13º e 14º de Virgem:...

O tabú, segundo Sigmund F...

Marte em 20º de Gémeos em...

Reflexões pessoais de Abr...

Áreas 17º-18º de Balança,...

Aristóteles en contra del...

Crítica a Aristóteles: nã...

Áreas 2º-4º de Carneiro e...

arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds