Domingo, 7 de Agosto de 2016
Equívocos nos manuais da Didáctica «50 lições de filosofia, 10º e 11º ano » - (Crítica de Manuais Escolares-LVII)

 

 

 

Alguns equívocos subsistem nos manuais do professor «50 lições de filosofia, 11º ano» e «50 lições de filosofia, 10º ano» da Didáctica Editora, de Aires Almeida, Célia Teixeira e Desidério Murcho.

 

HÁ CONHECIMENTO SEM CRENÇA , AO CONTRÁRIO DO QUE SUSTENTA O MANUAL DO 11º

 

Sobre a definição da filosofia analítica àcerca do conhecimento como «crença verdadeira justificada» diz o manual:

 

«A crença é condição necessária do conhecimento.»

 

«Acreditar é um estado mental ou psicológico de convicção ou de adesão a algo. A crença ocorre, portanto, na mente de alguém. Mesmo que as crenças sejam acerca de objectos exteriores, nem por isso elas deixam de se encontrar apenas na mente do sujeito que acredita. Se digo que acredito que o Benfica será campeão no próximo ano, estou apenas a exprimir o que vai na minha cabeça, até porque aquilo que o Benfica conseguirá no próximo ano é algo que ainda nem sequer aconteceu.» (Aires Almeida e Desidério Murcho, «50 lições de filosofia, 11º ano » Didáctica Editora, pág. 108). .

 

Há conhecimento sem crença, ao contrário do que afirmam Aires Almeida e Desidério Murcho: o conhecimento sensorial, por exemplo. O cão, tal como o homem, conhece o calor do verão ou o frio do inverno sem acreditar - sente apenas. A crença pressupõe um pensamento ou um princípio de pensamento - disto não se apercebem os filósofos analíticos e a grande massa amorfa dos docentes que os seguem. Kant cometeu grossa asneira ao sustentar que o conhecimento só existe no entendimento, em resultado da união deste com a sensibilidade. Intelectualizou o conhecimento, o que é uma visão parcelar.

 

Ora os dois tipos extremos de conhecimento que se tocam no fechar do círculo - a sensação e a intuição inteligível - não pressupõem nenhuma crença, são involuntários, irracionais, ocorrem simplesmente. Excluem a crença: ambos são certeza «totalitária». Não preciso de crença no vermelho do sol poente que neste momento desfruto: sinto-o na minha retina. Não tenho crença na bondade dos vírus das vacinas a «prevenir» doenças: sei, por intuição inteligível, que são nocivos ao corpo humano.

 

A crença implica pensamento, um certo distanciamento entre o sujeito e o objecto - daí o «ver para crer» - ao passo que o conhecimento pleno é a pura adesão do sujeito ao objecto, acto no qual a crença se dissipa.

 

Em Platão, a crença é a pistis, que faz parte da doxa ou opinião. Ao nível da episteme (raciocínio científico) ou da noese (apreensão intuitiva do arquétipo) não há crença, há certeza. A certeza é inimiga da crença. Crer em Deus é não ter a certeza absoluta da Sua existência ou dos Seus predicados. Conhecer é estar com as coisas sem crença, é ter intimidade intelectual ou sensorial com essas coisas, materiais ou espirituais, sem duvidar, sem o biombo da crença.

 

Quando se diz que o conhecimento é crença verdadeira comete-se um erro de paralaxe filosófica.

 

UMA NOÇÃO CONFUSA DE ESSENCIALISMO

 

Sobre essencialismo, lê-se no manual do 11º ano:

 

«Essencialismo contemporâneo

 

«Poderia Kant não ter sido um filósofo? É natural pensar que sim, pois ele poderia ter-se dedicado à pintura, por exemplo, ou a qualquer outra actividade. Mas poderia Kant ter sido mais do que ele mesmo? A resposta, também natural, é que não, pois isso viola as leis da lógica.»

 

«O que dizer, contudo, da hipótese de Kant não ter sido humano? Se defendermos que as únicas verdades necessárias são as verdades que podemos conhecer a priori, estamos obrigados a dizer que não é uma verdade necessária que Kant era humano,ou seja, estamos obrigados a dizer que ele poderia não ter sido humano.Porquê? Porque não podemos saber a priori que ele era realmente humano:só a posteriori podemos saber disso.»

 

«Os filósofos essencialistas contemporâneos consideram que do facto de não podermos saber a priori que Kant não poderia não ter sido humano não se conclui correctamente que ele poderia não tê-lo sido. De modo  que precisamos de outras razões a favor da ideia de que poderia tê-lo sido. Os essencialistas defendem que não há bons argumentos a favor dessa ideia e que é mais natural pensar que ele não poderia não ter sido humano. E esse será outro exemplo de uma verdade necessária a posteriori.»(Aires Almeida, Célia Teixeira e Desidério Murcho, «50 lições de filosofia, 11º ano » Didáctica Editora, pág. 244). .

 

Eis um texto extraordinariamente confuso: não se define essência, nem essencialismo.  Não se sabe o que os autores entendem por filósofos essencialistas. O exemplo é razoavelmente obscuro. Aires Almeida e Desidério Murcho revelam-se aqui  obscurantistas.  É uma insensatez dizer que Kant poderia ser não humano se, à partida, ligamos o nome de Kant a famílias, a um cidadão prussiano do século XVIII. É uma contradição nos termos: Kant, nome humano, suscitaria a suspeita de que a pessoa que o usa é não humana. É confundir o terminológico, a ordem da linguagem, com o ontológico, a ordem do ser - um velho truque dessa sofística contemporânea que dá pelo nome de filosofia analítica...

 

É similar a dizer: «O quartzo poderá ser um não mineral» ou «a galinha poderá não ser um animal». São «habilidades» retóricas,  argumentação vazia, dissociando artificialmente o significante do significado, do referente Só a Kaballah estabelece a ligação necessária entre o nome e a coisa, ao contrário da linguística de Saussure que postula o «laço arbitrário», casual, entre significante e significado.

 

Os autores do manual exaltam a «descoberta» de Saul Kripke segundo a qual há verdades necessárias a posteriori e alegam que «Hume concluía que as verdades científicas eram contingentes só porque eram conhecidas a posteriori.» ( 50 lições de Filosofia, 11º ano Filosofia, pag 243). Ora isto não é verdade em toda a sua extensão: Hume considerava a matemática como um conjunto de verdades científicas, não contingentes, necessárias, a posteriori. O número ou proporção de quantidade,´que fundamenta a matemática, é uma das sete relações filosóficas - poderíamos dizer: categorias - inscritas na mente do sujeito, segundo Hume. Ora, não há contingência nas operações matemáticas, em geral.

 

Hume escreveu, reafirmando o carácter necessário das verdades da álgebra e da aritmética:

 

«Restam portanto a álgebra e a aritmética como as únicas ciências das quais podemos levar uma cadeia de raciocínios até um certo grau de complicação, conservando contudo uma perfeita exactidão e certeza. Estamos de posse de um critério preciso que nos permite ajuizar da igualdade e proporção dos números; e, conforme estes correspondem ou não ao critério, determinamos-lhes as relações sem qualquer possibilidade de erro» (David Hume, Tratado da Natureza Humana, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, pág. 105; o destaque a negrito é posto por mim).

 

Não foi, pois, Saul Kripke o primeiro a posttular verdades científicas universais e necessárias a posteriori. Hume já o fizera. E muitos outros, como por exemplo, os materialistas dialéticos vinculados ao empirismo. Acontece que Desidério Murcho e Aires Almeida não abordam nos seus manuais as filosofias de esquerda como o marxismo, o anarquismo, o socialismo revolucionário - só vêem o lado pragmático norte-americano e britânico da filosofia institucional, filosofias «apolíticas» de direita ou centro,  e nem tudo vêem- e não conhecem as posições ontognosiológicas de outras correntes. Por isso não admira que errem ao escrever que Saul Kripke foi o primeiro a teorizar as verdades universais a posteriori...

 

OS SUBJECTIVISTAS NEGAM QUE A BELEZA ESTEJA NOS PRÓPRIOS OBJECTOS?

 

Sobre subjectivismo e objectivismo, diz o manual do 11º ano:

 

«Chama-se subjectivistas àqueles que respondem que apenas conta o que cada sujeiro sente: a justificação dos juízos estéticos tem um carácter subjectivo. Quando perguntam a um subjectivista: «Por que razão dizes que aquele objecto é bonito?» ele responde «Digo que aquele objecto é bonito porque eu sinto prazer a olhar para ele».

«Por sua vez, chamam-se objectivistas aos que respondem que tudo o que conta são as características dos próprios objectos: afirmamos que um objecto é bonito ou feio porque tem certas propriedades que o tornam realmente bonito ou que o tornam realmente feio.» (50 lições de Filosofia, 11º ano Filosofia, pag 125). 

 

Os subjectivistas negam que a beleza esteja nos objectos? Não, necessariamente. Apenas afirmam que cada mente possui uma forma única, singular de captar a beleza objectiva dos objectos. Portanto, para os subjectivistas a beleza pode estar simultaneanente no objecto exterior e na mente humana que o apreende. Não é isto o que os autores deste manual afirmam.

 

UMA TAUTOLOGIA NA DEFINIÇÃO DE OBJETIVISMO

 

Este manual do 10º ano define objetivismo do seguinte modo: `

« A tese central da teoria objetivista é que alguns juízos de valor são objetivos. Isto significa que quando uma pessoa ou uma sociedade condena ou aceita um dado juízo de valor pode estar enganada, tal como acontece com os juízos de facto. » (...)

«Por exemplo, nos finais do século XIX, na Europa, discutia-se se as mulheres tinham o direito de votar. Mas hoje acreditamos que o juízo de valor de que as mulheres devem ter o direito de votar é objectivamente verdadeiro»

(Aires Almeida, Célia Teixeira e Desidério Murcho, «50 lições de filosofia, 10º ano » Didáctica Editora, pág. 57)-

 

Objetivismo é alguns juízos de valor serem objetivos? Isto é uma tautologia. O que significa serem objetivos? Desidério, Aires e Célia não sabem explicar. Objectivo significa duas coisas: que está fora das mentes humanas e é visível ou patente a todas ou quase todas (exemplo: as mulheres votam em eleições gerais em quase todos os países no século XXI, o rio Tejo separa Lisboa de Almada e do Barreiro); que está dentro das mentes humanas mas é compreendido de igual modo por todas ou quase todas (exemplo: É objectivo que 7 adicionado de 5 tem como resultado 12).

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

 

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 22:11
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 29 de Julho de 2016
O ateísmo espiritualista de Osho

Osho ou Bhagwan Shree Rajneesh (Kuchwada, Índia 11 de Dezembro de 1931- Puna, Índia, 19 de Janeiro de 1990) filósofo e místico indiano, defende que Deus nunca existiu e que o homem que se apercebe disso e medita racionalmente atinge o estado de um Buda ou iluminado:


 «É absolutamente necessário que Deus esteja morto. Mas eu quero que compreenda o meu ponto de vista. Foi bom Friederich Nietzsche ter declarado que Deus estava morto. Eu declaro que ele nunca nasceu. É uma ficção criada, uma invenção, não uma descoberta (..)
«Eu quero destruir todos os sistemas de crenças, todas as teologias, todas as religiões. (…) A verdadeira medicina não é um sistema de crenças; a verdadeira medicina é a meditação (Osho, A conspiração de Deus, Pergaminho, pp. 50-51).

Mas o ateísmo de Osho pressupõe a imortalidade da consciência humana

 

«A morte não destrói nada. Os cinco elementos do corpo são reabsorvidos de volta para a sua origem, e quanto à consciência há duas hipóteses: se não conheceu meditação, irá passar para outro ventre; se conheceu a meditação, se conheceu a sua eternidade, passará para o cosmos e desaparecerá na vastidão da existência. E esse desaparecimento é o momento alto da vida, em que se unifica com a sua origem, em que regressa e desaparece nela. »
«A religião autêntica não precisa de nenhum Deus, não precisa de nenhum padre. Não se esqueça: basta que explore o seu mundo interior.
«Essa exploração é o que eu chamo Zen. Em sânscrito chama-se dhyran; em chinês chama-se ch´an; em japonês chama-se zen. Mas é a mesma palavra. Dirigir-se ao seu interior, alcançar o ponto a partir do qual pode olhar, uma porta que se abre para o cosmos divino. Nesse ponto, você é um buda» (Osho, A conspiração de Deus, Pergaminho, pp. 279-280).

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 18:30
link do post | comentar | favorito (1)
|

Terça-feira, 26 de Julho de 2016
Notas pessoais de Junho e Julho de 2016

 

 Eis alguns apontamentos de carácter pessoal e extra pessoal que só a alguns interessarão, deste Junho e Julho de 2016.

 

AS MELHORES FÉRIAS SÃO AS QUE SE PASSAM EM CASA se tens uma casa tranquila, sem ruídos, higiénica, com uma paisagem circundante bela, boa vizinhança e outras condições favoráveis. Porque ir passar férias ao Brasil ou a Nova Iorque ou a Palma de Mallorca é um desgaste: rombo na conta bancária, horas perdidas nos aeroportos e entre as nuvens do céu, complicações com bagagens, hotéis que não correspondem em tudo, etc. Sobra apenas a vantagem de quem viaja ver milhares de caras e casas diferentes, museus, igrejas antigas ou castelos e seios femininos a flutuar pelas ruas e praias... As férias são uma fuga de ti mesmo/a. Ou uma fuga para entrar em ti mesmo/a?

 

PORTUGAL É UM PAÍS DE PEQUENOS E GRANDES LADRÕES E VIGARISTAS. Não são apenas os políticos que são aldrabões, dizia ontem o meu  amigo Joaquim Filipe Mosca. O pedreiro ou o pintor que contratamos para fazer obra em nossa casa ou quintal e que à noite ou ao fim de semana vem roubar o material que nós pagamos - blocos, sacos de cimento, latas de tinta, placas de peladur, lã de rocha, etc - é tão ladrão e aldrabão quanto o político.
 Não penses que pertences ao melhor povo do mundo. Nem penses que o Alentejo é absolutamente puro nas suas gentes: há de tudo, bons e maus...Está toda a gente muito corrompida pela mentalidade capitalista de ter, a todo o custo, um bom carro, ecrãs de plasma, uma choruda conta bancária e ricas mobílias em casa e roupa de marca. Para metade dos portugueses é só roubar ou enganar a outra metade!

 

FESTAS ATRÁS DE FESTAS, ESCRITA ATRÁS DE ESCRITA, MULHERES ATRÁS DE MULHERES (SEM SE ATINGIR A ELEITA, A GRANDE ILUSÃO DO AMOR) e depois? A morte, ao fundo do túnel colorido de paisagens e pessoas. Para mim e para cada um de vocês. Triste, não é? Inventamos a religião, a vida eterna para nos consolarmos. E falta-nos a coragem dos suicidas porque o sentido da vida é apenas obedecer ao determinismo astral, este mesmo rodeado de mistério. Em vez de Deus, a grande e implacável roda cósmica do Zodíaco onde tudo está escrito.

 

Só ontem, 29 de Julho, soube da morte, em 21 de Julho de 2016, com Saturno em 10º 13´/ 10º 11´ do signo de Sagitário, do meu amigo António Inverno, pintor, serigrafista e professor, maçon, membro da Grande Loja Regular de Portugal, antifascista. O destino dele estava marcado: nascera em Monsaraz a 26 de Outubro de 1944, com Plutão em 10º 12´/10º 13´ do signo de Leão. No dia da sua morte, 21 de Julho, Saturno fazia um trígono (ângulo de 120º ) exacto à posição de Plutão no dia de nascimento de António. Algo de grave iria suceder nesse dia 21 - e foi a passagem do seu espírito para o Oriente Eterno, donde não se regressa. António Inverno era um maçon honrado, protestava contra as manobras de empresários, agentes secretos e militares no seio da GLRP e opunha-se à Loja maçónica de Beja, dirigida por António Saleiro, que não considerava fidedigna.

 

PORQUE ESTAMOS PRESOS AO FACEBOOK? PORQUE ESTAMOS DESESPERADAMENTE SÓS. Se neste momento estivesse a f.... com ela,não estaria aqui no facebook.

 

A REPRESSÃO SEXUAL EM PORTUGAL, E EM ESPECIAL NO ALENTEJO, É BRUTAL. Todos deviam f... com quem lhes apetecesse sem restrições (salvo a pedofilia e a violação não desejada). Muitas mães e pais vigiam as filhas estupidamente. Uma vez, convidei uma mulher de 25 anos para sair comigo de carro - e nada lhe faria, porque não sou animalesco - e a mãe dela, presa do estúpido preconceito que um homem acima dos 50 não pode andar com uma rapariga de 25, recriminou-me e perguntou se eu não tinha.. remorsos. Dá vontade de rir.


A igreja católica romana é uma das grandes responsáveis desta repressão dos instintos do Amor Sensual, degrau para o Amor Espiritual, mas não é a única responsável. A principal responsável é a busca da estabilidade social, o instinto sociológico geral, normalizador, que faz com que as pessoas se fechem nos muros da família (forma suprema de egoísmo!), do casamento e do namoro blindado e imponham um padrão absolutamente dominante. Quanto mais apegada/o és à família, maior é a tua inibição sexual. A família é uma máquina de controlo da liberdade individual (as mães asfixiantes... o pai que vai ao jardim público puxar pelo braço a filha lésbica e, diante da namorada dela, a ameaça em nome da «boa» moral) , a família é um empecilho, sem embargo da sua utilidade em caso de doença ou solidariedade na pobreza.

 

Jesus negou dar importância à família de sangue. Diz o Evangelho:
«Enquanto ele ainda falava à multidão, achavam-se da parte de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe. Alguém lhe disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e procuram falar-te. Mas ele respondeu ao que lhe falava: Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos? Estendendo a mão para seus discípulos, exclamou: Eis minha mãe e meus irmãos! Pois aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.» (Mateus 12:46-50)

 


A perseguição aos gays, lésbicas, bissexuais e queeers em geral (excêntricos, como os crossdressers hetero) está incluida no modelo de família universal em vigor, nesse totalitarismo sexual cristão, islâmico e judeu, nesse totalitarismo anti-sexualidade livre. O que é preciso é f... consciente e livremente. Mas com preservativo, claro. 

 

PARA SERES FELIZ TERIAS QUE BEIJAR E POSSUIR CINCO MULHERES BELAS NA MESMA NOITE - ou 5 homens belos, de acordo com o teu sexo e orientação sexual - e mesmo assim a felicidade acabaria. Somos geneticamente polígamos, nós, os homens, mas a escassez de mulheres belas e jovens força-nos à monogamia. Deus agiu pesadamente connosco. Há-de haver uma Deusa mais liberal do que este Deus que nos vigia desde o Empíreo ou céu de fogo...(do grego empyrus (ἔμπυρος), "dentro ou sobre o fogo (pira)".

 

CADA VEZ GOSTO MAIS DE MULHERES DIVINAS, IRREAIS, CAPAZES DE NÃO SEGUIR A NORMA SOCIAL DOMINANTE. As namoradas penduradas nos «machões» alentejanos são pouco criativas, reprimidas, formatadas... Preciso de outro tipo de mulher que não tema os pais, os irmãos, os avós a vizinhança, uma mulher capaz de defender o seu homem com unhas e dentes, por convição, por partilharem ambos atitudes e ideais excêntricos que fogem à mediocridade da vida dos/das preconceituosos/as.

 

PONTE DE SERPA SOBRE O GUADIANA, OBSERVATÓRIO DO CÉU. 25 de Julho de 2016 às zero horas. Paro o carro no parque junto à ponte sobre o Guadiana, sentido Serpa-Beja. Em Serpa, cidade mágica que me prende de encanto, ouvi cantar os Trigo Roxo na Praça da República. Agora, junto ao Guadiana, olho o céu com rutilantes estrelas, sem lua visivel. Do lado sul, a constelação de Escorpião que cobre quase todo o signo (30º de arco) de Sagitário, pois estende-se de 24º a 29º do signo de Escorpião e de 0º a 27º do signo de Sagitário.

 


Dirijo-me a Antares, estrela da constelação de Escorpião, situada em 10º do signo de Sagitário, vizinha do meu Sol de nascimento em 11º do mesmo signo: «Oh poderosa radiação de Antares, protege os meus pedidos e projectos!». Faço o mesmo voltado para a estrela polar que tem «em baixo» à sua esquerda o trapézio da Ursa Maior e à sua direita «em baixo» o W da Cassiopeia. Há uma religião das estrelas fixas - ou dos graus do Zodíaco, que são 360 - e gosto de praticá-la intuitivamente. Falar com as forças da natureza e com as estrelas é sinal de inteligência cósmica - até os minerais nos ouvem, daí a eficácia das estátuas na formulação de pedidos. O céu rutilante do campo alentejano, eis o meu altar!

 

O FINAL DAS NOITES DA NORA EM SERPA. 23 de Julho de 2016. Às 22.40 horas chego a Serpa. Junto à imponente muralha encimada pelo aqueduto (tipo Segovia) há um mercado livre de roupas, livros, peças de artesanato. O Francisco Manuel La Féria, professor e director do agrupamento de escolas, saúda-me. É agradável reencontrarmos os colegas, os amigos. Dentro da Nora de Serpa, é o encerramento do ciclo «Noites na Nora» , 17ª Edição, de 8 a 23 de Julho de 2016, organizado pela Companhia de Teatro Baal 17 sob a supervisão de Rui Ramos.


Há música ao vivo e acabamos muitos a dançar frente ao palco. Não sou bom dançarino mas movo-me. Margarida, que mal conhecia, sorri-me e diz: «Eu pensava que eras um bófia à paisana mas na segunda de madrugada vi que eras um ator. Disseste coisas que toda a cidade de Serpa devia ouvir (na segunda, 18 de Julho, fiz um discurso de uns 25 minutos, vestido em crossdresser, ante o público, um discurso sobre sentimentos e máscaras da sexualidade e arrisquei a minha imagem, sem receio, dizendo que «todos os homens gostariam de se travestir por diversão mas temem», que «os homens de 50-60 anos apreciam mais as mulheres de 25 anos do que as de 45 ou 55 mas não o dizem por medo», etc.). No meio do frenesi da dança, sou beijado e abraçado por uma Capricórnio, tudo numa boa. Basta sorrir e entrar na dança e as barreiras entre as pessoas e as gerações atenuam-se. E percebemos que somos amados, ainda que de forma difusa, frágil. Ninguém ama ninguém e todos amam todos - é a lei da promiscuidade mental-afectiva que Deus estabeleceu.


Há as mulheres ontológicas - as que pertencem ao ser, ao eterno, as belezas arquetípicas - e as não ontológicas - as do devir, mais instáveis e mutáveis. Mas em toda a mulher há uma fragilidade: o gosto de ser cortejada, a permeabilidade aos elogios que abre caminho ao suave beijo no pescoço. Basta o homem insinuar-se. Não podemos levar-nos demasiado a sério, porque falhamos, nem podemos ser mentirosos, levianos. Deixar correr o rio do tempo mas não desperdiçar o salto sobre o precipício do encantamento...

 

QUANDO OS DEUSES DA PAIXÃO NOS DEIXAM é um descanso. O mar das emoções acalma-se, recolhe as ondas e fica azul e luminoso como um lago. Também nos cansamos de estar sempre apaixonados por elas e viceversa. Mas que aconteceria se o dissessemos em voz alta? Romperíamos ou abalaríamos as ligações que custa tanto a construir..


MESMO QUE NÃO ME AMES, MULHER BELA, EU AMAR-TE-EI DENTRO DE MIM E AMAR-ME-EI A MIM MESMO. Seremos um casal dentro de mim, faremos amor todas as noites num quarto com lençóis brancos e puxadores dourados nos armários, quarto esse dentro da minha alma. Venci-te: sou o mais persistente no amor.

 

AMO-TE PORQUE ÉS BELA, DOCE, FEMININA. Não me importa se és muito ou pouco inteligente. Podes até ser um pouco estúpida ou não teres curso universitário por não teres dinheiro ou nem sequer teres feito o 9º ano de escolaridade ou seres operária agrícola, empregada de bar ou de loja e amo-te sempre desde que sejas linda e doce. Mas se fores feia e muito inteligente, empresária rica ou professora universitária, médica ou arquitecta não te amo. Porque beleza e doçura é o que mais interessa numa mulher.


CULPABILIDADE- E tu, já oraste hoje? E pediste perdão a Deus pelo «belo» bife de porco que comeste e que exigiu que um porco fosse morto por tua causa?

 


A IMPERFEIÇÃO QUE ENCONTRAS NA RELAÇÃO COM OS OUTROS PODE SER COMPENSADA COM A PERFEIÇÃO NA RELAÇÃO CONTIGO MESMA/O. Ama-te a ti mesma/o. Não fumes, não bebas alcool, não destruas o teu corpo que és tu mesma/o. Não te esgotes na procura incessante de ganhar dinheiro ou de agradar a outros (à namorada, ao namorado.. aos amigos) porque os outros amam-se a si mesmos e só te amam às vezes, daí as traições, as desatenções, o mal dizer, a falta de apoio quando precisavas.

 

UM LIVRO INTERESSANTE PARA LER E MEDITAR E GUIAR-NOS NO MUNDO DO AMOR: o título é «Eu amo-me e às vezes a outras pessoas», da editora 4 Estações. Aí lemos:

«A função do amor é expor o cerne divino de quem somos. O amor queima o que não é real. Por isso ao apaixonar-me completa, louca e profundamente por alguém, agarro-me à confiança de que o que é real permanecerá. Independentemente dos resultados do amor, a verdade sobre quem, de facto sou, resistirá». (Meggan Waterson, pág 87).

 

MESMO QUE TENHAS A NAMORADA OU A ESPOSA MAIS BELA E AFÁVEL DO MUNDO, SENTIRÁS SEMPRE UMA FRUSTRAÇÃO LATENTE INERENTE À VOSSA RELAÇÃO. Porque tens medo de a perder ou estás farto dela, em certos momentos, ou achas que te ofendeu ou que tem uma doença difícil de curar ou tem uns pais irritantes e antipáticos... A vida é sofrimento, dizia Buda. 

 

PORQUE NÃO BEBES DIARIAMENTE UMA COLHER DE CAFÉ DE ARGILA DILUÍDA EM ÁGUA? Esta medicação natural tem feito desaparecer úlceras gástricas e duodenais, tumores, colesterol em excesso, reumatismos, artroses, hepatites, etc, porque a argila absorve as impurezas e fá-las sair do corpo pelo intestino ou pelo sistema urinário.


 Ris? Já viste coisa mais estúpida do que troçar dos efeitos da argila, que não experimentaste, e acreditar que os vírus e toxinas que as vacinas te metem no corpo ajudam este a manter a saúde? Tu não podes acreditar em tudo o que a medicina oficial te diz porque aquilo é um negócio, antes de mais

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)

 



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 13:49
link do post | comentar | favorito (1)
|

Sexta-feira, 22 de Julho de 2016
Astrologie et attentats en France: «Charlie Hebdo»(2015), Nice (2016)

 

Chaque attaque terroriste en France, par exemple, le massacre de 10 journalistes dans le journal satirique "Charlie Hebdo" à Paris le 7 Janvier 2015, ou l´écrasement de 84 persones par camion à Nice, le 14 juillet 2016,est régi par différentes lois planétaires. Nous irons exposer certaines lois, selon la théorie de petites zones du zodiaque et leurs significations politiques, géographiques et biologiques et la théorie des degrés et minutes de signes différents numériquement homologues entre uns et les autres que nous avons découvert. 

 

ZONE 17º-19º DU SIGNE DE BÉLIER:

ATTENTATS A LA GARE DE L´EST

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 17-19 degrés du signe de Bélier (dans 17 et 19  degrés de l'écliptique puisque le signe de Bélier se prolonge de 0º a 30º  du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes.

 

Le 22 mars 1974, avec Chiron en 19º 12´/ 19º 16´ de Bélier, éclatent des attentats contre les voies ferrées française menant à l'Espagne par les Groupes d'action révolutionnaire internationalistes.

 

Le 9 mars 1975, avec Venus en 16º 42´/ 17º 56´ de Bélier, une bombe explose à la gare de l'Est, á Paris, provocant 1 mort et 6 blessés.

 

Le 10 avril 1975, avec le Soleil en 19º 30´/ 20º 29´ de Bélier, une voiture piégée explose devant le consulat d'Algérie à Paris, attentat revendiqué par le groupe Charles Martel.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la area 17 a 19 degrées  du signe de Bélier, propiciant d'attaques terroristes en France sont: du 20 au 24 février 2017 (Mars); 22-24 mars 2017 (Mercure).

 

 ZONE 22º-25º DU SIGNE DE CANCER:

FUSILLADE DE LA RUE ROSIERS, BOMBE À SAINT-MICHEL, FRAPPE DE NICE EN 2016

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 23º-25º degrés du signe de Cancer (dans 113 à 115 degrés de l'écliptique puisque le signe de Cancer  va de 90º à 120º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes.

 

Le 9 août 1982, avec Vénus en 23º 21´/ 24º 34´ de Cancer, éclate la Fusillade antisémite de la rue des Rosiers à Paris, que fait 6 morts et 22 blessés.

 

Le 25 Juillet 1995, avec Venus en 24º 11´ / 25º 25´ de Cancer, une bombe explose dans une ligne de Réseau Express Régional (RER), dans la station Saint-Michel, au cœur de Paris, et provoque huit morts et 119 blessés.

 

Le 14 juillet 2016, avec Soleil en 21º 59´/ 22º 56´ du signe de Cancer, au moins 84 personnes sont mortes et 18 autres gravement blessés ce jeudi soir à 23 heures dans un attentat sur la Promenade des Anglais de Nice, fauchées par un camion qui a foncé dans la foule et l´auteur de l’attaque, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, un Niçois d’origine tunisienne de 31 ans. est abattu par la police,

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 23 a 25 degrées  du signe de Cancer, propiciant d'attaques terroristes en France sont:

 

ZONE 21º-22º DU SIGNE DE LION:

ATTENTAT A LA BOURSE ET AU CHARLIE HEBDO

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 21º-22º degrés du signe de Lion (dans 141 à 142 degrés de l'écliptique puisque le signe de Lion  va de 120º à 150º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaque des terroristes

 

Le 4 avril 1961, avec Urane en 21º 56´/ 21º 55´ du Lion, une bombe explose à la Bourse et provoque 14 blessés.

 

Le 18 de juin 1961, avec Urane en 22º 43´/ 22º 45´du Lion,  Mars en 23º 37´/ 24º 10´ de Poissons, l´attentat de l´OAS contre le train Paris Strasboug origine 28 morts et 170 blessés.

 

Le 2 aout 1984, avec 22º 50´/ 24º 4´ du Lion, un attentat contre l’ Agence spatiale européenne,  revendiquée par Action Directe Unité Combattante CIRO, provoque  6 blessés.

 

Le 7 janvier 2015, avec Júpiter en 21º 16´/ 21º 11´ du Lion, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 21º-22º   degrées  du signe de Lion, propiciant d'attaques terroristes en France sont: 25 et 26 juillet 2016 (Mercure); 29 et 30 juillet 2016 (Venus); du 13 au 15 aôut 2016 (Soleil).

  

ZONE 2º-5º DE BALANCE:

LES ATTENTATS AU MAGASINS TATI ET STATION DE PORT-ROYAL

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 2-5 degrés du signe de la Balance (dans 182 à 185 degrés de l'écliptique puisque le signe de la Balance va de 180º à 210º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 17 Septembre 1986, avec Mercure en 3º 16 '/ 4º 58 de Balance,un attentat à la bombe devant de Tati ´les magasins, à Paris, provoque sept morts et 55 blessés. et cette action est l'un des 15 attaques (y compris trois échecs) perpétrés par le réseau terroriste pro-iranien Fouad Ali Saleh, en 1985 et 1986.

 

Le 25 Juillet 1995, avec Mars en 2º 8 '/ 2º 44'  de Balance, une bombe explose dans une ligne de Réseau Express Régional (RER), dans la station Saint-Michel, au cœur de Paris, et provoque huit morts et 119 blessés.

 

Le 17 octobre 1995, avec Mercure en 5º 47´/ 6º 22´ de Balance, une rame du RER C est perforée par l’explosion d’une bombe entre les stations Musée d’Orsay et Saint-Michel vers 7h (à peu près le même endroit que les attentats du 25 juillet) et une trentaine de personnes sont blessées.

 

Le 3 Décembre 1996, avec le Noeud Nord de la Lune en 5º  34 de Balance , une attaque sur la station Port-Royal, au sud de Paris, provoque  quatre morts et 91 blessés.

 

Le 13 de novembre 2015, avec Venus en 4º 45´/ 5º 51´ de Balance, a partir de 21 heures et 16 minutes, six attaques terroristes islamistes avec des fusillades, tueries de masses et prise d´otages font 130 morts, dont 90 au Théâtre du Bataclan, et 7 terroristes morts, et 414 blessés  à Paris et à Saint-Denis.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 2 a 5 degrées  du signe de la Balance, propiciant d'attaques terroristes en France sont: le 31 août et 1,2 et 3 septembre 2016 (Venus); du 24 au 27 septembre 2016 (Soleil);  du 8 au 10 octobre 2016 (Mercure).

 

ZONE 0º-3º DU SIGNE DE SCORPION:

FUSILLADE DE LA RUE DES ROSIERS, EXPLOSION À VILLEURBANNE

 

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron en 0-3 degrés du signe de Scorpion (dans 210 à 213 degrés de l'écliptique puisque le signe de Scorpion va de 210º à 240º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement  d'attaques terroristes

 

.Le 17 novembre 1957,avec Neptune en 3º 9´/ 3º 11´ de Scorpion, Mars en 5º 26´/ 6º 7´ de Scorpion, un mitraillage prend lieu dans un marché de Livry-Gargan par des indépendantistes algériens.

 

Le 3 Octobre 1980, avec Mercure en 3º 47´/ 5º 2´ de Scorpion, une bombe, cachée dans un sac de moto, explose devant la synagogue rue Copernic à Paris, à l'heure de la prière, et provoque quatre morts et environ 20 blessés.

 

Le 9 août 1982, avec Mars en 3º 11´ /3º 46´ de Scorpion, éclate la Fusillade antisémite de la rue des Rosiers à Paris, que fait 6 morts et 22 blessés.

 

Le 7 septembre 1995, avec Mars du 29º 48´de Balance au 0º 28´ de Scorpion, une voiture piégée explose, à quinze mètres de l'une des entrées de l'école juive Nah'alat Moché, à Villeurbanne, attentat commis par le terroriste islamiste Khaled Kelkal.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 0 a 3 degrées  du signe de Scorpion, propiciant d'attaques terroristes en France sont: ).

 

ZONE 0º-1º DU SAGITTARE:

ATTENTATS AU CHARLIE HEBDO EN 2011 ET 2015

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, du nœud de la Lune ou du planétoïde Chiron en 0-1 degrés du signe de Sagittaire (degrés 240 et 241 de l'écliptique puisque les 30 degrées d´arc que constituent le signe de Sagittaire se prolongent de 180º à 210º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 13 juin 1975, avec Noeud Nord de la Lune en 0º 49´/ 0º 47´ de Sagittaire, se produisent en France deux attentats, un contre le secrétaire général de «Force ouvrière» et, l´autre, par erreur, contre l'homonyme du rédacteur en chef du journal «Le Parisien libéré», Bernard Cabannes, qui est tué.

 

Le 15 juillet 1983, avec Júpiter en 1º 23´/ 1º 20´ de Sagittaire, une bombe explose à l'aéroport d'Orly, placée par l'ASALA, une organisation arménienne, laïque, qui fait huit morts.

 

Le 28 aout 1984, avec  le Noeud Sud de la Lune en 1º 38´/ 1º 29´ de Sagittaire, une bombe explose contre le Ministère de la Défense et autre contre le siège du Parti socialiste à Paris, attentats du groupe Action Directe. 

 

Le 17 novembre 1985, avec Saturne du 29º 59´ de Scorpion au 0º 6´ de Sagittaire, se produit, em France, la tentative d'assassinat manquée sur Henri Blandin (contrôleur général des armées) par le commando Antonio Lo Muscio.

 

Le 9 janvier 2011, avec Venus en 1º 30´ / 2º 31´ du Sagittaire, une « petite explosion » cause des dégâts mineurs au Consulat de Tunisie de Pantin  en Seine-Saint-Denis et l'ambassadeur de Tunisie en France dénonce «un acte terroriste», dans le contexte de la revolte du Sidi

 

Le 2 Novembre 2011, avec Vénus dés 29 32 'Scorpion au 0 ° 47' du Sagittaire, à l'aube, les bureaux de l'hebdomadaire satirique "Charlie Hebdo" au 62 du boulevard Davout à Paris sont incendiés avec des cocktails Molotov, après que le journal a publié une édition de la victoire des islamistes aux élections en Tunisie

 

Le 7 janvier 2015, avec Saturne en 1º 27´/ 1º 33´ du signe de Sagittaire, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans la zone -1 du Sagittaire, en inclinant a  la flambée d'attaques terroristes en France sont: du 2 au 7 d´aôut 2016 (Mars).

 

5º DU SIGNE DE SAGITTAIRE:

ATTENTAT AO THÉÂTRE DU BATACLAN

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, du nœud de la Lune ou du planétoïde Chiron en 5º du signe de Sagittaire (degré 245 de l'écliptique puisque les 30 degrées d´arc que constituent le signe de Sagittaire se prolongent de 180º à 210º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 25 juillet 1995  avec Júpiter en 5º 39´/ 5º 37´ de Sagittaire, à 17h30,une bouteille de gaz bourrée d’écrous explose dans le RER parisien à la gare Saint-Michel - Notre-Dame. Le bilan final est de 8 morts et 117 blessés, c’est le début des attentats meurtrie.

 

Le 13 de novembre 2015, avec  Saturne en 5º 27´/ 5º 34´ du Sagittaire,  a partir de 21 heres et 16 minutes, six attaques terroristes islamistes à Paris et à Saint-Denis, avec des fusillades, tueries de masses et prise d´otages font 130 morts, dont 90 au Théâtre du Bataclan, et 7 terroristes morts, et 414 blessés..

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans 5º du Sagittaire, en inclinant a  la flambée d'attaques terroristes en France sont: du 14 au 16 aôut 2016 (Mars): les 22 et 23 octobre 2016 (Venus); les 15 et 16 novembre 2016 (Mercure); les 26 et 27 novembre 2016 (Soleil).

  

 

ZONE 15º-16º DU CAPRICORNE:

ATTENTAT CONTRE PANHARD LEVASSOR

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, du nœud de la Lune ou du planétoïde Chiron en 15º-16º degrés du signe de Capricorne (degrés 285 et 286 de l'écliptique puisque les 30 degrées d´arc que constituent le signe de Capricorne se prolongent de 270º à 300º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 29 janvier 1984, avec Mercure en 14º 50´/ 16º 6´ de Capricorne, se produit un attentat contre les établissements Panhard Levassor à Paris.

 

Le 7 janvier 2015, avec soleil en 16º 20´  17º 21´  de Capricorne, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 15º-16º   degrées  du signe de Capricorne, propiciant d'attaques terroristes en France sont:

 

ZONE 14º-16º DE VERSEAU:

ATTENTAT À ORLY

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, du nœud de la Lune ou du planétoïde Chiron en 14º-16º degrés du signe de Verseau (degrées 314-316  de l'écliptique puisque les 30 degrées d´arc que constituent le signe de Verseau se prolongent de 300º à 330º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 19 janvier 1975, avec Mercure en 15º 47´/ 17º 10´ de Verseau, l´attaque d'un commando palestinien à l'aéroport d'Orly contre un avion israélien produit 20 blessés. 

 

Le 5 février 1975, avec Soleil en 15º 33´/ 16º 33´ de Verseau,  éclate un attentat au journal Minute.

 

Le 2 mars 1975, avec Mercure en 13º 48´/ 14º 47´de Verseau, un double attentat à l'explosif survient contre les bureaux de Toulouse et Lyon de la compagnie Air Algérie, revendiqué par le groupe Charles Martel.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune iront glisser dans la zone 14º-16º   degrées  du signe de Verseau, propiciant d'attaques terroristes en France sont:

 

ZONE 25º-26º DU SIGNE DE VERSEAU:

ATTENTATS DE L´OAS EN 1962, ET DE LA JIHAD EN 2015

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, du nœud de la Lune ou du planétoïde Chiron en 25-26 degrés du signe de Verseau (degrés 325-326 de l'écliptique puisque les 30 degrées d´arc que constituent le signe de Verseau vont de 180º à 210º du cercle céleste) est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes

 

Le 15 février 1962, avec Soleil en 25º 49´/ 26º 50´ de Verseau, 11 attentats de l´OAS occurrent à Paris.

 

Le 10 mars 1962, avec Jupiter en 26º 26´ / 26º 39´ de Verseau, une voiture piégée explose à Issy-les-Moulinaux originant 3 morts et 50 blessés.

 

Le 7 janvier 2015, avec Mars en 25º 45´/ 26º 32´ du Verseau , les fréres Kouachi, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans la zone 25º-26º du Verseau, en inclinant a  d'attaques terroristes en France sont: du 12 au 15 décembre 2016 (Mars); du 29 au 31 décembre 2016 (Venus); les 23 et 24 février 2017 (Mercure).

 

POINT 1º 14´/ 1º 46´ DE QUELQUE SIGNE ZODIACAL:

ATTENTATS A LA RUE COPERNIC EN 1980, AU CHARLIE HEBDO EN 2015

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, la Lune ou Node planétoïde Chiron au point 14 '/ 1º 46' 1 de quelque signe zodiacal est condition nécessaire mais non suffisante pour engendrer des attaques terroristes en France.

 

Le 18 janvier 1962, avec Saturne en 1º 40´/ 1º 47´ de Verseau, se déclenche na «nuit bleue» de l´OAS a Paris, marquée par 17 attentats.

 

Le 3 Octobre 1980, avec Saturne en 1º 26´/ 1º 33´ de Balance, une bombe cachée dans un sac de moto explose devant la synagogue rue Copernic à Paris, à l'heure de la prière, et provoque quatre morts et environ 20 blessés.

 

Le 15 juillet 1983, avec Júpiter en 1º 23´/ 1º 20´ de Sagittaire, une bombe explose à l'aéroport d'Orly, placée par l'ASALA, une organisation arménienne, laïque, qui fait huit morts.

 

Le 31 Décembre 1983, avec Pluton en 46 '/ 47' 1 de Scorpion, une explosion provoque trois morts et trois blessés à bord du TGV Paris-Marseille dans la région de Tain-le Hermitage (sud), et quelques minutes plus tard, à la gare Saint-Charles de Marseille (sud), l'explosion d'une bombe placée près des casiers automatiques fait deux morts et 34 blessés, attentats revendiqués par le "Organisation de la lutte armée arabe".

 

Le 19 Mars 2012, avec Neptune en 39 '/ 1º 41' de Poissons, Mohammed Merah, islamiste radical, tue à coups de feu trois enfants et un enseignant dans une école juive à Toulouse.

 

Le 7 janvier 2015, avec Saturne en 1º 27´/ 1º 33´ du signe de Sagittaire, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou le soleil ou un Noeud de la  lune se positionera au point 1 14 '/  1º 46'  de  signe, inclinant a  des attaques terroristes en France sont:

 

POINT 5º 33´/ 5º 51´DE QUELQUE SIGNE DU ZODIAQUE:

ATTENTATS A PARIS EN 1995

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 5º 33´ / 5º 51´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes.

 

Le 25 juillet 1995  avec Júpiter en 5º 39´/ 5º 37´ de Sagittaire, à 17h30,une bouteille de gaz bourrée d’écrous explose dans le RER parisien à la gare Saint-Michel - Notre-Dame. Le bilan final est de 8 morts et 117 blessés. C’est le début des attentats meurtrie.

 

Le 17 août 1995, avec Júpiter en 5º 50´/ 5º 53´ de Sagittaire, une bombonne de gaz avec des clouscachée dans une poubelle fait 16 blessés à Paris près de la place Charles-de-Gaulle.

 

Le 13 de novembre 2015, avec Venus en 4º 45´/ 5º 51´ du signe de Libra, Saturne en 5º 27´/ 5º 34´ du Sagittaire,  a partir de 21 heres et 16 minutes, six attaques terroristes islamistes à Paris et à Saint-Denis, avec des fusillades, tueries de masses et prise d´otages font 130 morts, dont 90 au Théâtre du Bataclan, et 7 terroristes morts, et 414 blessés.  .

 

Quelques dates à venir dans lequelles une planète ou nœud de la Lune va glisser dans le point 5º 38´/ 5º 51´ de quelque signe en inclinant a  la flambée d'attaques terroristes en France sont:

 

POINT 12º 42´/ 12º 49´ DE QUELQUE SIGNE:

ATTENTAT A LA MAISON ARMÉNIENE

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 12º 42´ / 12º  51´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes

 

Le 27 mai 1976, avec Neptune en 12º 47´/ 12º 46´ de Sagittaire, une bombe explose à la maison de la culture arménienne. génerant 1 mort.

 

Le 7 janvier 2015, avec Urane en 12º 41´/ 12º 42´ de Bélier, 2 militants de la Jihad,  prennent une personne en otage, envahissent la siège du journal satirique «Charlie Hebdo», bien renseignés (par les services secrets français?), puisqu’ils connaissaient les prénoms de personnes qui étaient présentes dans le hall du tout nouveau local de Charlie Hebdo, au 10 rue Nicolas Appert, à Paris,  et tirent des coups de feu, faisant 12 morts, parmi eux 10 journalistes, et 5 blessés, ensuite, ils prennent la fuite à bord d’un premier véhicule qu’ils vont rapidement abandonner à la porte de pantin, pour en prendre un deuxième afin de brouiller leur piste et ne pas être repérés.

 

POINT 23º 56´/ 23º 58´ DE QUELQUE SIGNE DU ZODIAQUE:

ATTENTAT CONTRE LES TURCS, ET A LA GARE SAINT-MICHEL

 

Le passage du soleil, une planète du système solaire, le nœud de la Lune ou planétoïde Chiron dans le point 23º 56´ / 23º 58´ de quelque signe (Bélier, Taureaux, Gemeaux, Cancer, Lion, etc.)  est condition nécessaire mais non suffisante pour le déclenchement d'attaques terroristes

 

Le 4 mars 1981, avec Pluton en 23º 58´/ 23º 57´ de Balance, se produit un acte de terrorisme arménien, l´ assassinat par l'ASALA de deux diplomates turcs à Paris : Reşat Morali, attaché aux Affaires du Travail, et Tecelli Ari, conseiller aux Affaires Religieuses.

 

Le 25 juillet 1995  avec Neptune en 23º 57´/ 23º 56´ de Capricorne, à 17h30,une bouteille de gaz bourrée d’écrous explose dans le RER parisien à la gare Saint-Michel - Notre-Dame. Le bilan final est de 8 morts et 117 blessés.

© (Droits d´auteur pour Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 11:31
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 21 de Julho de 2016
Jupiter au 18º du signe de la Vierge dans les plus grands attentats en France en 2015 et 2016

 

Les deux plus grandes attaques terroristes de masse en France en 2015 et 2016 avaient un dénominateur commun astronomique: la présence de Jupiter dans le degré 18 ou dans les degrés  18º-19º du signe de la Vierge. Il faut remarquer que cette position de Jupiter est trop rare et ne se produit qu´à 11 en 11 ans, répétée une ou deux fois dans le court espace de quelques six ou neuf mois chaque 11 ans.

 

ET VOILÁ: JUPITER EN 18º.19º DU SIGNE DE VIERGE PRODUISA LES ATENTATS DU BATACLAN ET DE NICE

 

Le 13 de novembre 2015, avec Jupiter en 18º 39´/ 18º 48´ du signe de Vierge, a partir de 21 heres et 16 minutes, six attaques terroristes islamistes avec des fusillades, tueries de masses et prise d´otages font 130 morts, dont 90 au Théâtre du Bataclan, et 7 terroristes morts, et 414 blessés  à Paris et à Saint-Denis.

 

Le 14 juillet 2016, avec  Jupiter en 18º 59´/19º 9´du signe de Vierge, au moins 84 personnes sont mortes et 18 autres gravement blessés ce jeudi soir à 23 heures dans un attentat sur la Promenade des Anglais de Nice, fauchées par un camion qui a foncé dans la foule et l´auteur de l’attaque, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, un Niçois d’origine tunisienne de 31 ans. est abattu par la police,

 

Les philosophes et les scientifiques se comptent parmi les personnes plus stupides du monde: ils sont incapables de comprendre la relation entre les mouvements planétaires dans les degrés du zodiaque, d'une part, et  et les événements politiques et sociaux, de l'autre côté.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Droits d´auteur pour Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 20:21
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 20 de Julho de 2016
Erros na Prova de Exame Nacional de Filosofia, 714/2ª fase, de 19 de Julho de 2016

 

A prova escrita 714 /2ª Fase, exame nacional de Filosofia, de 19 de Julho de 2016, contém, como as de anos anteriores, diversos erros na construção das perguntas da escolha múltipla, que prevêem uma só resposta certa entre quatro hipóteses. Eis exemplos na versão 1 da prova, de como a mentalidade hiper-analítica dos autores, que vê a árvore e não vê a floresta, produz a má filosofia e sujeita os alunos a perguntas deficientes.

 

Grupo I

4) «Não temos livre-arbítrio, porque ter livre.arbítrio é ter o poder de escolher algo, e nós apenas temos a ilusão de que podemos escolher».

O orador que apresenta o argumento anterior incorre na falácia

A) da petição de princípio.

B) da derrapagem.

C) do falso dilema.

D) do boneco de palha.

 

Crítica minha: não há qualquer falácia na frase acima. Schopenhauer e Nietzsche, além de outros filósofos, subscreveriam perfeitamente essa frase porque não acreditavam no livre.arbítrio. Petição de princípio seria dizer o seguinte «O livre-arbítrio existe porque eu sinto que posso escolher livremente».

Vejamos outra questão.

 

8. Segundo Kant, o imperativo categórico pode ser formulado do seguinte modo: age apenas segundo uma máxima tal que

(A) ela se torne uma lei universal.

(B) ela se torne um hábito para ti.

(C) possas ao mesmo tempo querer que ela se torne um hábito para ti.

(D) possas ao mesmo tempo querer que ela se torne uma lei universal.

 

Crítica minha:duas respostas corretas, A e D, e não apenas uma como proclamam os critérios de correção. A diferença de conteúdo entre A e D é insignificante: os hiper-analíticos são formalistas até ao ridículo, para eles, ao contrário do que dizia Heráclito, «o caminho que sobe e o (mesmo) caminho que desce não são um e o mesmo».

Analisemos outra questão.

 

9. Kant consideraria que uma pessoa que, motivada unicamente por um sentimento de pena, ajudasse uma criança perdida na praia a encontrar os seus pais:

(A) Praticaria uma ação com valor moral.

(B) agiria em conformidade com o dever.

(C) praticaria uma ação imoral.

(D) agiria por dever.

 

Crítica minha: há três respostas certas, embora pressupondo dois ou três cenários diferentes, A, B e D. A acção de ajudar a criança teria sempre valor moral (hipótese A) - se Kant achava que mentir ou matar violava o dever então também abandonar a criança perdida na praia violaria o dever - e poderia constituir um agir por dever (hipótese D) já que a criança seria uma qualquer criança, sem distinção de sexo, classe social, raça ou idade, e, a ação se faria segundo a máxima sentimental «Restitui sempre aos pais qualquer criança perdida pois é uma coitadinha» - o sentimento se for universalizável não constitui lei moral? - e noutro cenário, poderia ser um agir em conformidade com o dever (hipótese D) porque a lei social impõe que se devolvam as crianças perdidas aos pais e a pessoa que o faz quer ficar bem vista, age por interesse egoísta. Não é uma ação imoral (hipótese C) se por imoral se entende «contra o dever».

 

10. Descartes considera que o cogito é um conhecimento especialmente seguro, porque é:

(A) obtido por um processo a priori.

(B) imune ao próprio processo de dúvida.

(C) confirmado pela experiência .

(D) o fundamento do conhecimento.

 

Crítica minha: há três respostas corretas, A,B, D, e não apenas uma. De facto, o cogito é pensado a priori, fora da experiência sensorial e isso torna-o uma certeza (hipótese A). Também o pensamento do cogito é imune à dúvida: «Eu penso, logo existo» (hipótese B). E o «eu penso, existo como mente» é o fundamento de todo o edifício do conhecimento (hipótese D).

 

É a esta lotaria, mais ou menos arbitrária, de respostas a que são sujeitos os estudantes de filosofia. Provas de exame deste teor envergonham a clareza que é apanágio da autêntica filosofia. Senhor ministro da Educação , faça o favor de mudar a equipa de autores desta prova de exame e de não ceder à pressão do desastroso lobby da filosofia analítica, um grupo de incompetentes  que hoje domina a Sociedade Portuguesa de Filosofia e certas editoras de manuais escolares.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 19:56
link do post | comentar | favorito
|

Nietzsche e a Astrologia

 

Nietzsche não acreditava, ao contrário de filósofos estóicos como Marco Aurélio, no determinismo astral, ainda que algo paradoxalmente, também não acreditasse no livre-arbítrio. Escreveu sobre astrologia:

 

«300- Prelúdios da ciência - Julgais então que as ciências teriam nascido, julgais que teriam crescido, se não tivesse havido antes estes mágicos, estes alquimistas, astrólogos e feiticeiros que foram primeiro obrigados, por meio da isca de miragens e promessas, a criar a fome, a sede, o gosto pelas forças escondidas, pelas forças proibidas?  Julgais que não foi necessário prometer muito mais que aquilo que alguma vez se poderá cumprir para poder fazer a mais insignificante coisa no domínio do conhecimento? Nós vemos nisso simples prelúdios da ciência, exercícios preparatórios que não se sentiam, que não se executavam como tais; talvez da mesma forma, qualquer idade distante veja, em qualquer religião, também um simples exercício, um prelúdio.» (Nietzsche, A Gaia Ciência)

 

Assim, Nietzchze, inimigo dos sistemas ordenadores da história - excepto do dele, claro - à semelhança da generalidade dos pensadores contemporâneos, considerou a astrologia uma pseudo-ciência, um esforço mágico-intelectual no sentido de progredir para a ciência ainda desconhecida. Se conhecesse a movimentação dos planetas no céu e tivesse tido a intuição genial de a aplicar à história da França e da Alemanha, inclinar-se-ia no sentido da verdade, constatando que os ciclos planetários determinam os acontecimentos históricos.

 

 

Mas Nietzsche era um ignorante nesta matéria: não era suficientemente racional e sagaz para conceber o universo como uma máquina, com a aparência de ser vivo, em que todos os acontecimentos são desenhados pelo compasso das translações planetárias, solares e lunares sobre a coroa de 360º  denominada Zodíaco, dividida em doze partes iguais chamadas signos, e, obviamente,  todas presentes no céu a cada instante.

 

Só os grandes pensadores em todos os campos são capazes de conceber isso. Eduardo Lourenço e José Gil não têm essa amplitude de pensamento essa inteligência superior, tal como não a possuem os filósofos analíticos e os positivistas lógicos que dominam e afogam as universidades no cretinismo anti-determinismo astral que se serve da pseudo-astrologia dos jornais e dos programas de TV para denegrir a ciência astrológica real.

Fernando Pessoa, esse sim, possuía uma inteligência holística, bastante mais alta que José Gil, Eduardo Lourenço e qualquer outro catedrático de filosofia em Portugal, e sem embargo de não se ter libertado da tradição astrológica, da fantasiosa teoria das 12 casas, avançou minimamente na direção da Astrologia Histórico-Social, - que André Barbault, e eu, em especial desde 1996, com a publicação de quatro livros capitais ( «Leis planetárias em eleições gerais», 1996; «Sincronismos, cabala e graus do Zodíaco», 2001; «Astrología y guerra civil de España», 2006; «Os acidentes em Lisboa na astronomia-astrologia,  elevamos à condição de  ciência histórica.

 

Se Nietzsche tivesse feito um estudo astronómico da história saberia, por exemplo, que a passagem de Júpiter no signo de Virgem ( graus 150 a 180º da eclíptica ou trajectória aparente do Sol no Zodíaco, o que sucede durante um ano em cada 12 anos, aproximadamente, exalta a Alemanha, como o atestam os seguintes exemplos :

 

A) Em 31 de Outubro de 1517, com Júpiter em 17º do signo de Virgem, Lutero afixa na porta da igreja do castelo de Wittenberg as 95 Teses contra o abuso da absolvição ou indulgências, preconizado sobretudo pelo monge dominicano Johann Tetzel.

 

B) Em 3 de Agosto de 1529, com Júpiter em 2º do signo de Virgem, celebra-se o Tratado de Cambrai (Paz das Damas). negociado por Margarida de Áustria, tia de Carlos V, e Luisa de Sabóia, duquesa de Angoulême, mãe de Francisco I, pelo qual este rei da França paga dois milhões de coroas e renuncia às suas pretensões em Itália, na Flandres e no Artois e Carlos V, imperador dos Estados alemães, promete desistir da sua pretensão à Borgonha por algum tempo, libertando os príncipes franceses que estavam reféns.

 

C) De 30 de Janeiro a de 1933, com Júpiter em 22º -  13º- 17º   do signo de Virgem,  Hitler ascende a primeiro-ministro da Alemanha (30 de Janeiro) e leva  a cabo a destruição da república parlamentar, com o incêndio nocturno do parlamento em Berlim (27 de Fevereiro) e a subsequente suspensão das liberdades democráticas e detenção de mais de 4000 membros do Partido Comunista Alemão, a votação no novo parlamento do decreto que confere plenos poderes a Hitler por 441 votos a favor e 91 votos socialistas contra (23 de Março), a dissolução dos sindicatos (21 de Abril) e criação da Gestapo (26 de Abril), a dissolução do partido social-democrata alemão (22 de Junho) e dos partidos de direita (27-29 de Junho).

 

 

D) De 30 de Abril a 7 de Maio de 1945, com Júpiter 17º de Virgem, desmorona-se por completo o III Reich nazi, com o suicídio do chefe de Estado Adolf Hitler (30 de Abril) e a rendição formal da Alemanha ante os Aliados (7 de Maio).

 

Quanto ao silêncio da universidade portuguesa sobre astrologia histórica é revelador da ignorância dos «sumos sacerdotes do conhecimento» que são os catedráticos: atribuem doutoramentos uns aos outros sem a humildade de reconhecerem o determinismo planetário, são o Tribunal da Santa Inquisição Científica dos nossos dias.

 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 17:11
link do post | comentar | favorito
|

Não há ser a priori nem ser a posteriori, como sustentou Hartmann?

Nicolai Hartmann, (Riga, Letónia, 20 de fevereiro de 1882 - Göttingen, 9 de outubro de 1950) destacado fenomenólogo, escreveu:

 

«O que é a priori não pode ser transcendente nem incognoscível, posto que pela sua própria essência, pertence ao conhecimento como tal. Mas esquece-se que há aspetos no ser nunca podem pertencer ao conhecimento como tal; não podem, portanto, ser nem a priori nem a posteriori. A distinção entre o a priori e o a posteriori é uma distinção gnosiológica, não ontológica. Ela não tem nada a fazer com as categorias como tais. Só intervém quando se trata do conhecimento das categorias. Dizer que a causalidade é a priori é mais ou menos tão sensato como dizer que a justiça é azul. Mas ao contrário podemos muito bem dizer que o conhecimento da causalidade é a priori

 

(Nicolai Hartmann, Les principes d´une méthaphisique de la connaissance, Tome I, pag 342 , Aubier, Editions Montaigne, Paris, 1945; o negrito é posto por mim).

 

Os termos a priori ( termo latino : partindo daquilo que vem antes) e a posteriori (termo latino: o que vem depois de...; o que vem depois da experiência) podem aplicar-se ao ser (ontologia) e não apenas ao conhecer (gnosiologia).

 

A causalidade é a priori na natureza biofísica, uma região ontológica: existimos, somos o efeito de causas psicobiológicas e sociais. Cada um de nós é a posteriori em relação aos antepassados e à bionatureza anterior ao nosso nascimento.

 

Na «Metafísica», Aristóteles fala da anterioridade na ordem do ser das qualidades simples em relação aos seres compostos: a brancura é, na ordem do ser, anterior ao campo branco e ao lenço branco ou ao cavalo branco. Ora um dos ingredientes da causalidade é a anterioridade da causa em relação ao efeito. O outro é o da eficiência ou acção da causa no sentido de produzir aquele efeito.

 

Na teologia, Deus ou deuses é a priori em relação à generalidade dos entes do mundo (pessoas humanas, animais, árvores, montanhas, céu) e estes são a posteriori em relação a Deus.

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 13:38
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 15 de Julho de 2016
O atentado em Nice de 14 de Julho de 2016 e leis planetárias

 

O atentado na Promenade des Anglais, em Nice, em 14 de Julho de 2016, em que um camião atropelou mortalmente 84 pessoas estava predestinado, como tudo o que sucede no mundo. Identificamos uma das leis do determinismo planetário que produziram esse atentado, aquela que correlaciona os pontos 1º 14´a 1º 46´de qualquer signo do Zodíaco com esses actos de violência político-militar ou de pura loucura individual.

 

PONTO 1º 14´/ 1º 46´ DE QUALQUER SIGNO DO ZODÍACO:

ATENTADOS EM PARIS (1980, 1983, 1985), EM TOULOUSE (2012), NO CHARLIE HEBDO (PARIS) EM 2015, EM NICE (2016) 

 

A passagem do Sol, um planeta do sistema solar, Nodo da Lua ou planetóide Quiron no ponto 1º 14´/1º 46´ de qualquer signo zodiacal é condição necessária mas não suficiente para a eclosão de atentados terroristas em França.

 

Em 3 de Outubro de 1980, com Saturno em 1º 26´/ 1º 33´ de Balança, uma bomba escondida no saco de uma motorizada explode em frente à sinagoga da rua Copérnico, em Paris, à hora das orações, e causa quatro mortos e cerca de 20 feridos.

 

Em 15 de Julho de 1983, com Júpiter em 1º 23´/ 1º 20´ de Sagitário, a explosão de uma bomba activada por três arménios, perto dos balcões de 'check-in' da companhia turca Turkish Airlines, no aeroporto de Orly (Paris) faz oito mortos e 54 feridos.

 

Em 31 de Dezembro de 1983, com Plutão em 1º 46´ / 1º 47´ de Escorpião, uma  explosão causa três mortos e três feridos a bordo do TGV Marseille-Paris, na zona de Tain-l'Hermitage (sul), e minutos depois, na estação Saint-Charles de Marseille (sul), a explosão de uma bomba colocada perto dos cacifos automáticos faz dois mortos e 34 feridos, atentados reivindicados pela "Organização da luta armada árabe".

 

Em 25 de julho de 1995, com Nodo Norte da Lua em 1º 14´/ 1º 2´ de Escorpião, uma bomba explode numa linha da Rede Expresso Regional (RER), na estação de Saint-Michel, em pleno coração de Paris, e causa oito mortos e 119 feridos.

 

Em 11 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 22´/ 1º 24´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro um militar paraquedista, na cidade de Hers, em Toulouse, e foge numa motorizada.

 

Em 15 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 30´/ 1º 33´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro três paraquedistas junto da caserna Doumerc, em Montauban, e foge numa motorizada.

 

Em 19 de Março de 2012, com Neptuno em 1º 39´/ 1º 41´ de Peixes, Mohammed Merah, islamista radical, assassina a tiro três crianças e um professor num colégio judeu em Toulouse.

 

Em 7 de Janeiro de 2015, com Saturno em 1º 27´/ 1º 33´ de Sagitário, dois homens armados e encapuzados, radicais islâmicos da Jihad, com uma metralhadora kalashnikov e um lança-rockets assaltam, em Paris, na rua Appert, nº 10, a sede do jornal satírico “Charlie Hebdomadaire”, de tonalidade anarquista  e  pacifista, que publicara, em 2011, caricaturas de Maomé, que tinham saído originalmente nas páginas de um jornal dinamarquês, e disparando, assassinam 12 pessoas, entre elas 10 jornalistas, um dos quais o director e cartoonista de Charlie Hebdo, Stéphane Charbonnier.

 

Em 14 de Julho de 2016, com Mercúrio de 29º 56´ de Caranguejo a 1º 57´de Leão, cerca das 23 horas, em Nice, França, um camião branco de grande porte avança sobre a multidão que celebra o feriado do Dia de França ou Festa Nacional, e atropela indiscriminadamente ao longo de dois quilómetros em cima do passeio  Promenade des Anglais, uma das principais avenidas de Nice, junto ao mar, causando 84 mortos e 18 feridos graves sendo o condutor e autor do atentado, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, um franco-tunisiano, de 31 anos, residente em Nice, que dispara vários tiros, morto a tiro pela polícia. 

 

Algumas das próximas datas em que um planeta ou Nodo da Lua deslizará no ponto 1º 14´/1º 46´ de qualquer signo, inclinando à eclosão de atentados terroristas em França são: em 31 de Julho de 2016 (Mercúrio em 1º de Virgem); de 5 a 7 de Agosto de 2016 (Marte em 1º de Sagitário); em 31 de Agosto de 2016 (Vénus em 1º de Balança); de 15 a 17 de Setembro de 2016 (Júpiter em 1º de Balança)em 24 e 25 de Setembro de 2016 (Vénus em 1º de Escorpião); em 29 de Setembro de 2016 (Marte em 1º de Capricórnio); em 8 de Outubro de 2016 (Vénus em 1º de Balança); em 25 de Outubro de 2016 (Mercúrio em 1º de Sagitário); em 10 e 11 de Novembro de 2016 (Marte em 1º de Aquário); em 3 e 4 de Dezembro de 2016 (Mercúrio em 1º de Aquário); em 21 de Dezembro de 2016 (Marte em 1º de Peixes); em 14 e 15 de Janeiro de 2017 ( Mercúrio em 1º de Capricórnio); em 8 de Fevereiro de 2017 (Mercúrio em 1º de Aquário); em 26 de Fevereiro de 2017 (Mercúrio em 1º de Peixes); em 14 de Março de 2017 (Mercúrio em 1º de Carneiro); em 2 de Abril de 2017 (Mercúrio em 1º de Touro); de 15 a 26 de Abril de 2017 (Nodo Norte da Lua em 1º de Virgem). 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt
f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 10:39
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Julho de 2016
Final do Europeu 2016: Astrologia Predestinacionista 1, Filosofia 0.

A vitória de Portugal sobre a França em 10 de Julho de 2016, na final do campeonato europeu de futebol, «lida» por mim no horóscopo natal de Fernando Santos (carta do céu de 10 de Outubro de 1954) e justificada astronomicamente semanas antes, foi uma vitória da astrologia predestinacionista - a astrologia histórica que desenvolvo, desde há mais de três décadas, por investigação empírico-racional - sobre a filosofia em geral.

 

Nas faculdades de filosofia não se lecionam as cadeiras de Astrologia e de Astrologia Histórica porque o preconceito reinante entre os filósofos - como Descartes, Kant, Hume, Hegel, Marx, Popper, Khun, Heidegger, Kripke, Dennett - entre os catedráticos, mestres e licenciados em filosofia é o de que «é impossível haver destino escrito pelos movimentos planetários», «os planetas estão demasiado longe da Terra e não podem suscitar acontecimentos humanos e sociais nesta», «a astrologia é uma superstição irracional». Os filósofos e docentes de filosofia são impostores, do ponto de vista da racionalidade holística: falta-lhes o fecho da abóbada do pensamento, a pedra angular, que está nos céus, e se chama roda dos doze signos do Zodíaco. A história da filosofia é uma sucessão de equívocos e falácias sobre o «livre-arbítrio», «a marcha do acaso na história social e política» que escondem a verdade: a predestinação de tudo pelos movimentos dos planetas, Sol, Lua e asteróides no Zodíaco. Quem não pensa o mundo a partir da ideia da predestinação absoluta não pensa bem, é um filósofo inferior, um semifilósofo.

 

Foram, pois estes filósofos e semifilósofos institucionais os derrotados epistemicamente com o resultado da final de 10 de Julho de 2016. Neste dia, Vénus passou no grau 27 do signo de Caranguejo sobre a posição de Júpiter em 27º de Caranguejo em 10 de Outubro de 1954, dia de nascimento de Fernando Santos. Ora, Vénus no dia de hoje sobre a posição de Júpiter num dia do passado expande ou dá a vitória à pessoa que nasceu nesse dia. Esta é uma lei de cálculo astrológico que o cretinismo universitário despreza e por meio da qual nós conseguimos predizer, cientificamente, a vitória de Portugal.

 

Analisando o horóscopo de nascimento do selecionador francês Didier Deschamps, nascido em 15 de Outubro de 1968, com Vénus em 23º do signo de Escorpião, verifica-se que em 10 de Julho de 2016, Marte, planeta maléfico, passou em 23º do signo de Escorpião «esmagando» o Vénus natal de Didier. Estava pois predestinado um desaire para ele segundo a lei: Marte em conjunção com o Vénus de nascimento de alguém causa dissabores, acidentes ou perdas a esse alguém.

 

A CIÊNCIA ASTROLOGICA NÃO É A LEITURA ALEATÓRIA DO TARÔ

 

O cálculo em astrologia predestinacionista é matemático, astronómico e nada tem a ver com lançar as cartas do Tarô. Muitos tarólogos fazem do Tarô um objecto sagrado, fora do erro. Creio que esquecem que o simples ato de tirar uma carta comporta a possibilidade de erro porque os próprios astros, a última instância de todo o processo, determinam que se erre num dado momento e se acerte noutro. O erro existe no tirar a carta e não apenas na interpretação. O Tarô não é só interpretação: é escolha aleatória da carta e esta última escolha revela fragilidades. O tarólogo falha porque não escapa à predestinação astral, à sequência verdade-erro. Não há tarô sem subjetividade do tarólogo. 

 

Também há subjetividade nos astrólogos, a grande maioria dos quais são de qualidade duvidosa, mas os astros funcionam e fazem funcionar o mundo mesmo que não haja astrólogos nem astrologia como ciência ou interpretação. Ao passo que o Tarô não funciona nem faz funcionar o mundo sozinho, é um jogo da alma humana, uma leitura intuitiva de um lançamento de cartas que obedece à predestinação astral: há os dias bons para o tarólogo em que este acerta e há os dias maus em que o tarólogo se engana. O que eu contesto é o carácter de infalibilidade («Os arcanos do Tarot não falham,o que falha é a interpretação de quem o lê,isso sim!») que se pretende dar ao Tarô, infalibilidade que não existe. Os arcanos falham, sim. 

 

www.filosofar.blogs.sapo.pt

 

f.limpo.queiroz@sapo.pt

 

© (Direitos de autor para Francisco Limpo de Faria Queiroz)



publicado por Francisco Limpo Queiroz às 16:02
link do post | comentar | favorito (1)
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Equívocos nos manuais da ...

O ateísmo espiritualista ...

Notas pessoais de Junho e...

Astrologie et attentats e...

Jupiter au 18º du signe d...

Erros na Prova de Exame N...

Nietzsche e a Astrologia

Não há ser a priori nem s...

O atentado em Nice de 14 ...

Final do Europeu 2016: As...

arquivos

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Teste de filosofia do 11º...

Pequenas reflexões de Ab...

Suicídios de pilotos de a...

David Icke: a sexualidade...

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds